Para funcionar perfeitamente, nosso organismo precisa de uma série de substâncias na quantidade certa. Muitas são produzidas por nosso próprio organismo, outras precisam ser adquiridas pela alimentação.

O magnésio é um exemplo disso. Ele está presente em vários alimentos, como coentro, manjericão, semente de linhaça e alga marinha. É responsável por contribuir em vários processos em nosso organismo, fazendo bem a nossa saúde.

Mas, quando por algum motivo específico há uma insuficiência desse nutriente, pode ser necessário o uso de suplemento, como o cloreto de magnésio.

Contamos no artigo abaixo para o que serve e quando utilizar. Confira!

Índice – neste artigo você encontrará as seguintes informações:

  1. O que é o cloreto de magnésio?
  2. O que é cloreto de magnésio PA?
  3. O que é o magnésio?
  4. Quantidade de magnésio distribuído pelo corpo
  5. Para que serve o cloreto de magnésio?
  6. Benefícios
  7. Cloreto de magnésio emagrece?
  8. Diferença entre cloreto de magnésio e magnésio dimalato
  9. Como tomar?
  10. Ingestão diária recomendada
  11. Posologia
  12. Cloreto de magnésio: Indicação de uso
  13. Contraindicações
  14. Interações medicamentosas
  15. Efeitos colaterais
  16. Preços e onde comprar?
  17. Como armazenar
  18. Fatores de risco para deficiência em magnésio
  19. Sintomas da deficiência de magnésio
  20. Alimentos fontes de magnésio

O que é o cloreto de magnésio?

O cloreto de magnésio (fórmula MgCl2) é um suplemento mineral composto por cloro e magnésio, utilizado para repor o magnésio no sangue em pessoas que apresentam deficiência desse componente. É um sal inorgânico no formato de cristais incolores e de sabor mais amargo. Está presente em abundância dissolvido na água do mar.

De acordo com a agência de alimentos e medicamentos dos Estados Unidos, Food Drug Administration, o cloreto de magnésio é uma substância segura para ser usado como suplemento nutricional assim como ingrediente alimentício. No entanto, devido ao seu sabor amargo, esse último uso não é muito comum.

A importância do magnésio, ou do cloreto, para o organismo é indiscutível. Esse sal mineral é responsável por inúmeros processos do corpo humano, pois é capaz de ativar mais de 300 funções enzimáticas.


Apesar de conter apenas 12% de magnésio, o que pode parecer pouco quando comparado com as outras formas, o cloreto de magnésio é o tipo melhor absorvido pelo organismo.

Esse mineral está diretamente ligado a saúde celular, pois é responsável por sua energia. Como consequência, interfere na saúde dos ossos, nervos, músculos, coração e funções cerebrais.

Precisamos de 200mg de magnésio por dia, aproximadamente. Por ser difícil para muitas pessoas conseguir essa quantidade por meio da alimentação, o suplemento cloreto de magnésio é considerado uma boa alternativa para tratar essa deficiência.

Pode ser encontrado em farmácias e casas de produtos naturais, em pó, cápsulas e gotas. Quando em pó, deve ser diluído em água. A proporção é de 20g para 1L de água.

A dose diária recomendada é de um copinho, que pode ser medida em uma xícara pequena de café ou naqueles copinhos tipo de cachaça.

São vários os benefícios associados ao cloreto de magnésio e algumas contraindicações de uso. Para ter certeza da dose ideal, dos efeitos colaterais e riscos, é importante procurar um médico ou nutricionista.

O que é cloreto de magnésio PA?

Em alguns dos suplementos é possível encontrar a sigla PA (Puro para Análise) ao lado do nome do produto, isso significa que esse produto é mais concentrado e melhor absorvido pelo organismo.

O que é o magnésio?

O magnésio é um mineral presente em todas as plantas, localizado no centro da molécula de clorofila. Assim como para os seres humanos, o magnésio também é fundamental para a saúde das plantas.

É ele o responsável por capturar a luz solar e transformar em energia, processo chamado de fotossíntese. Assim, sem magnésio, as plantas não são capazes de se nutrir.

Da mesma forma acontece em nosso organismo. Sem magnésio suficiente o nosso corpo não consegue realizar diversas funções essenciais para nossa sobrevivência.

Tem papel fundamental na ativação de sistemas enzimáticos, na transferência do fósforo, na transmissão de impulsos nervosos e na contração muscular. Também é importante no processo de estabilização dos ácidos nucleicos.

Ele é responsável pelo controle de 18 minerais e pode apresentar em torno de 300 funções no organismo humano.

Na natureza, esse sal mineral está associado a outras moléculas orgânicas ou inorgânicas, como aminoácidos e outros minerais. Dessa associação, surgem os tipos de magnésio. São eles:

  • Cloreto de magnésio: comparado aos outros tipos, é o que proporciona maior absorção;
  • Citrato de magnésio: é uma combinação de ácido cítrico e magnésio em que contém também propriedades laxantes;
  • Aspartato de magnésio: é utilizado no tratamento da deficiência de magnésio no sangue (hipomagnesemia) e também para associações vitamínicas;
  • Carbonato de magnésio: contém 45% de magnésio e propriedades antiácidas;
  • Sulfato de magnésio: usado no tratamento de pessoas com hipomagnesemia e no controle de convulsões causadas por uremia aguda (excesso de ureia no sangue), convulsões na gravidez ou após o parto (eclâmpsia) e tétano;
  • Óxido de magnésio: esse é um tipo de magnésio ligado a um ácido de gordura ou um ácido orgânico que também possui efeito laxante. Apresenta 60% de magnésio;
  • Gluconato de magnésio: usado como complemento alimentar para suprir  deficiência de magnésio do organismo;
  • Hidróxido de magnésio: conhecido também como leite de magnésia, esse tipo de magnésio é usado como laxante. O uso inadequado deve ser repreendido, uma vez que as chances da pessoa sofrer uma overdose com este composto são altos, devido a facilidade de acesso e preço.

Quantidade de magnésio distribuído pelo corpo humano

Existem cerca de 25 gramas de magnésio no organismo humano, que se distribuem de forma desproporcional pelos sistemas. Nos ossos, onde 60% do mineral se concentra, se apresenta em três compostos: carbonato, fosfato e fluoreto de magnésio.

É graças a essa reserva do composto presente no esqueleto que acontece a homeostase (equilíbrio) para as demais partes do organismo.

20% do magnésio se concentra na massa muscular, onde o miocárdio (músculo do coração) apresenta boas quantidades do composto.

Nos glóbulos vermelhos, que não possuem núcleo, a quantidade de magnésio é próximo a 5 meq/litro.

São neles que a maioria dos pesquisadores se baseiam para entender os problemas relacionados a insuficiência de magnésio no organismo e as complicações que provoca. No soro sanguíneo, a quantidade é menor, de 1,77 meq/litro, aproximadamente.

Veja como o magnésio está presente nas partes do nosso corpo:

  • Ossos:1000;
  • Músculos: 215;
  • Rins: 207;
  • Fígado: 175;
  • Coração: 174;
  • Baço: 140;
  • Cérebro: 140.

Para que serve o cloreto de magnésio?

É utilizado para repor a deficiência de magnésio no organismo, para prevenir ou tratar doenças provocadas pela falta desse composto.

Geralmente, a deficiência de magnésio é acompanha de quadros de deficiência de potássio e cálcio. Pode acontecer por baixa ingestão pela alimentação inadequada, por má absorção do organismo ou por perda excessiva, como em casos de pacientes com diarreia e vômito.

É um suplemento de uso por via oral, que deve ser utilizado de acordo com as doses indicadas por um médico, previamente. Também pode ser administrado por via intravenosa, juntamente a outros sais.

Nesses casos, seu uso é de apoio a tratamentos de pessoas que apresentam grande desidratação. Também é aplicado em soluções de diálises peritoneal e hemodiálises, procedimentos comuns em pacientes que sofrem com insuficiência renal crônica.

O cloreto de magnésio também pode ser utilizado para equilibrar o balanço hídrico e eletrolítico, além de intoxicações medicamentosas.

Benefícios

O cloreto de magnésio é um suplemento essencial para o funcionamento de diversas funções do organismo, como o desempenho dos músculos, dos ossos, respiração e sistema digestivo, por exemplo.

Por estar diretamente ligado a produção de energia das células, a deficiência de magnésio acarreta em uma série de complicações.

Dessa forma, o cloreto de magnésio se torna importante para tratar as pessoas que não conseguem por meio da alimentação ou por outros motivos absorver a quantidade ideal de magnésio.

Além de servir como tratamento, o cloreto também pode ser utilizado na prevenção de algumas doenças. A lista de benefícios é bem extensa:

  • Ajuda a equilibrar o pH do organismo;
  • Auxilia na purificação do sangue;
  • Previne lesões musculares, ajudando em problemas como contração muscular, câimbras e fadiga;
  • Reduz a enxaqueca;
  • Ajuda no tratamento da asma;
  • Auxilia no tratamento da depressão e ansiedade;
  • Ajuda a regular a temperatura corporal;
  • Fortalece o sistema imunológico;
  • Previne a osteoporose;
  • Ajuda a prevenir a formação de cálculos renais;
  • Combate e previne problemas de próstata;
  • Melhora as funções hepáticas;
  • Combate os radicais livres, prevenindo o envelhecimento precoce.

Conheça melhor alguns dos principais benefícios:

Auxilia no tratamento de diabetes

O magnésio é importante para ajudar na metabolização do açúcar e pela produção da insulina, hormônio responsável pela glicose no interior das células.

A insulina é importante também para reduzir a produção da glicose pelo fígado. Quando há uma desordem nesses hormônios, a pessoa pode desenvolver um quadro de diabetes.

Em pessoas diabéticas, o magnésio costuma ser excretado pelo acúmulo de glicose no sangue. Por isso, o suplemento pode ajudar a controlar a doença.

Cólicas menstruais e TPM

As cólicas menstruais são semelhantes a uma câimbra, pois o útero se contrai e provoca essa sensação nada confortável.

O cloreto de magnésio pode ajudar a reduzir esse sintoma porque estimula a regulação hormonal da mulher nesse período. Assim, além de ajudar a controlar esses dores, também ameniza os sintomas da TPM.

Ajuda a reduzir os efeitos do estresse

Atualmente, o estresse é um problema bem comum e está relacionado ao estilo de vida das pessoas.

Sob estresse, nosso organismo acaba sofrendo outras complicações por consequência, como alterações no sono, tensão muscular, problemas de concentração e memória, dor no peito, cansaço constante, busca por vícios para relaxar e outros.

O estresse também pode estar associado com doenças mentais como a ansiedade e a depressão.

Uma das reações do organismo diante desse sintoma é a liberação de magnésio, o que pode provocar deficiência do mineral. O cloreto de magnésio é indicado, nesse caso, para proteger ou diminuir os efeitos do estresse no organismo.

É bom para a saúde dos ossos e dentes

O magnésio é responsável pela entrada e saída de cálcio e contribui para ativação da vitamina D, importante para que o cálcio seja absorvido pelos ossos.

Está relacionado a melhora de quadros de doenças como osteoporose e outras doenças relacionadas a saúde dos ossos.

Assim como para os ossos, os dentes também são beneficiados por essa “parceria” entre o magnésio e o cálcio.

Contribui para a saúde cardíaca

Existem vários benefícios relacionados a saúde cardíaca e ao magnésio. Ele ajuda a manter a pressão arterial equilibrada, auxilia a manter o ritmo cardíaco, previne o infarto agudo e contribui para o controle do colesterol.

Dessa forma, ajuda na prevenção de doenças como hipertensão e arritmia, por exemplo. Contudo, é importante lembrar que, além do magnésio, outros fatores influenciam em problemas cardíacos.

Além de manter uma alimentação equilibrada e fazer uso desse suplemento, é fundamental manter uma rotina de idas ao médico e buscar outras formas de qualidade de vida, como redução do estresse e prática de exercícios físicos.

Ajuda a reduzir crises de asma

O cloreto de magnésio pode ajudar a dilatar estruturas pulmonares como os brônquios. Pacientes com asma, durante as crises, sofrem uma contração nessas estruturas e por isso acabam tendo maior dificuldade respiratória. Dessa forma, o uso do suplemento pode contribuir para reduzir as crises.

Reduz a enxaqueca

Da mesma forma que age sobre os brônquios, o cloreto de magnésio também tem o potencial de relaxar os vasos sanguíneos. Assim consegue ajudar pacientes que sofrem com esse tipo de dor de cabeça.

Melhora a digestão

O cloreto de magnésio contribui para o equilíbrio dos ácidos estomacais, reduzindo problemas como acidez, digestão muito lenta e uma sensação pesada após as refeições.

Ajuda pacientes com intestino preso

Também pode ajudar pessoas que sofrem com intestino preso, pois além de ter ação laxante, o cloreto de magnésio ajuda nos movimentos peristálticos e proporciona maior relaxamento dos músculos intestinais.

Tão importante quando o consumo de alimentos ricos em fibra são os níveis corretos de magnésio no organismo. É recomendado, por esse motivo, para pessoas que estão em uma dieta pobre de carboidratos.

Contribui no tratamento de distúrbios do sono

A ingestão desse suplemento contribui para que pacientes com insônia possam ter um avanço nesse quadro.

É importante durante a gravidez

O magnésio é importante durante a gestação pois ajuda a evitar que ocorra um parto prematuro. Também evita que ocorram convulsões durante a gravidez ou após o parto, condição chamada de eclâmpsia.

Além disso, também oferece benefícios para a saúde do bebê. Pode ajudar a prevenir a paralisia cerebral em crianças que nascem abaixo do peso. De acordo com a pesquisa publicada no New England Journal of Medicine, o magnésio reduziu o risco de paralisia cerebral em 50% das crianças.

No entanto, o uso deve ser feito apenas quando ocorre o acompanhamento médico. Por isso, se a gestante tem o interesse em utilizar o cloreto de magnésio, é importante buscar uma avaliação prévia do médico para analisar a necessidade de usá-lo.

Reduz os riscos de câncer do cólon

Uma pesquisa publicada pelo Centro Nacional de Câncer do Japão (Japan’s National Cancer Center) mostrou que o consumo de magnésio é fundamental para reduzir os riscos de câncer de cólon, podendo reduzir em até 50% as chances.

O estudo acompanhou 87 mil pessoas por oito anos que faziam uso de cloreto de magnésio diariamente. Dentro do grupo, as pessoas que consumiam 327mg por dia apresentaram risco 52% menor de câncer do cólon do que as pessoas que consumiam uma quantidade de 24mg ao dia.

Ajuda em funções cerebrais

O magnésio ajuda na preservação de doenças degenerativas, combatendo os radicais livres e evitando a morte precoce das células. Por isso, o cloreto de magnésio é indicado para estimular funções cerebrais como a memória e aprendizagem.

Isso ocorre pois esse mineral é capaz de aumentar a elasticidade e densidade das sinapses na zona do cérebro, o que pode beneficiar a saúde cerebral a curto e longo prazo. O seu consumo está associado também a prevenção de doenças como o Alzheimer.

Cloreto de magnésio emagrece?

O cloreto de magnésio pode ajudar a emagrecer porque contribui para inibir o estresse inflamatório e oxidativo das células, processo que está ligado à obesidade.

Outro benefício do cloreto de magnésio para quem quer emagrecer está no fato dele ajudar o organismo a absorver melhor vitaminas e minerais. Assim, o organismo permanece mais nutrido e saciado.

Por influenciar os níveis de energia, a introdução do cloreto de magnésio também interfere na disposição durante atividades físicas. Por consequência, acaba interferindo na perda de calorias.

Também pode ajudar a reduzir a ansiedade e o estresse, o que é benéfico para quem sofre com compulsão alimentar e acaba “descontando” na alimentação.

Além disso, esse suplemento ajuda a controlar os níveis de açúcar no sangue, um motivo muito comum para o aumento do peso. Por esse benefício, a pessoa pode ter seu peso controlado com a ajuda do magnésio.

Vale ressaltar que o cloreto de magnésio sozinho não é suficiente para garantir o emagrecimento. É necessário manter uma dieta equilibrada e praticar exercícios regularmente.

Diferença entre cloreto de magnésio e magnésio dimalato

Uma das principais diferenças entre esses dois suplementos de magnésio é a combinação com outros compostos. O cloreto de magnésio contém magnésio e cloro. Já o magnésio dimalato (ou malato de magnésio) é um complemento nutricional com ácido málico, sendo recomendado para repor as energias do organismo.

Além da fórmula molecular, também se diferem nos benefícios, efeitos colaterais e na absorção.

Por exemplo, o cloreto de magnésio repõe exclusivamente no organismo a falta de magnésio, podendo trazer todos os benefícios que o mineral proporciona. Contudo, pode não ser recomendado para quem sofre com problemas gástricos e digestivos, pela possibilidade e causar dores estomacais e diarreias.

Já o magnésio dimalato não. Devido a sua liberação prolongada no organismo, os riscos de causar esses efeitos colaterais são reduzidos.

Como tomar?

O cloreto de magnésio é melhor absorvido quando utilizado por via oral. Pode ser ingerido em cápsulas ou em pó diluído em água filtrada. Recomenda-se que seja ingerido junto a uma refeição, pois isso ajuda a reduzir ou evitar efeitos colaterais como dores estomacais e diarreia.

No caso das cápsulas de liberação prolongada com revestimento, o paciente não deve mastigar ou esmagar os comprimidos, pois isso faz com que o seu conteúdo seja liberado de uma vez no organismo, o que pode aumentar os riscos de efeitos colaterais.

A forma líquida do produto também requer alguns cuidados. A dose a ser ingerida deve ser dosada com precisão. Se for obtida por uma suspensão, forma líquida não solúvel, agite bem antes de consumir.

Independente da forma adquirida, deve ser consumido com bastante água. O cloreto de magnésio em pó deve, preferencialmente, ser diluído em água filtrada. Para se certificar do uso correto, leia sempre a bula e respeite as orientações do médico.

Pessoas que apresentam o paladar mais sensível devem usá-lo em pequenas quantidades misturado com alimentos e ir aumentando as doses com aromatizantes de forma gradual.

Caso o consumo seja feito apenas com o cloreto dissolvido em água, para evitar que o gosto amargo do suplemento seja tão evidente, a pessoa pode fechar o nariz rapidamente enquanto bebe e logo em sequência ingerir algo com o gosto mais agradável.

Para que o cloreto de magnésio seja melhor aproveitado pelo organismo, também é importante manter um controle sobre a ingestão de vitamina D, cálcio e vitamina K2. Esses quatro nutrientes são importantes para a saúde e trabalham juntos nessa manutenção.

No entanto, é preciso ter cuidado com as doses consumidas. Da mesma forma que fazem bem à saúde, quando em excesso, podem fazer trazer complicações. O cálcio, por exemplo, ajuda a regular a ação de relaxante muscular que o magnésio proporciona.

Contudo, quando consumido em quantidades exageradas, o cálcio pode provocar ataques cardíacos, derrames ou levar a pessoa à morte.

Para equilibrar a quantidade de cálcio e prevenir as complicações pelo seu excesso, o consumo de vitamina K2 deve ser feito. A vitamina D, nesse processo, tem o papel de ajudar a melhorar a absorção de cálcio e magnésio.

Ingestão diária recomendada

A ingestão diária recomendada pode variar de acordo com a finalidade de uso de cada pessoa. As doses variam também de acordo com a idade ou estágio da vida. Segundo a Organização Mundial da Saúde, a ingestão diária deve ser feita da seguinte forma:

  • Crianças de 0 a 6 meses: 36mg/dia;
  • Crianças de 7 a 12 meses: 53mg/dia;
  • Crianças de 1 a 3 anos: 60mg/dia;
  • Crianças de 4 a 8 anos: 73 mg/dia;
  • Adolescentes de 9 a 13 anos: 100 mg/dia;
  • Pessoas de 14 a 70 anos: 260 mg/dia;
  • Gestantes com idade entre 14 a 50 anos: 220 mg/dia;
  • Lactantes com idade entre 14 a 50 anos: 270 mg/dia.

Posologia

A dosagem de cloreto de magnésio para cada pessoa pode variar de acordo com a finalidade com que está se ingerindo. Por isso, é muito importante verificar previamente com um médico qual a dosagem ideal.

De modo geral, a quantidade indicada é de 20g ou duas colheres de sopa rasas, que deve ser diluída em 1L de água filtrada.

Após colocar o equivalente a 20g em 1L de água, misture bem e guarde em um recipiente de vidro, na geladeira.

Se o uso for preventivo, o indicado é uma xícara de café pequena por dia, aproximadamente 100mL. Para pessoas que estão ingerindo o cloreto como tratamento, a dosagem é um pouco maior, como 2 xícaras de cafezinho por dia.

Para o uso do cloreto de magnésio para higienizar ferimentos, as 20g devem ser diluídas em 2L de água. É uma mistura considerada superior a desinfetantes, pois além de limpar o local do ferimento, estimula o sistema imunológico.

Cloreto de magnésio: indicação de uso

O cloreto de magnésio é utilizado como suplemento, para repor a quantidade necessária de magnésio para nossa saúde. Com esse objetivo, é indicado para qualquer pessoa que queira prevenir as doenças provocadas pela deficiência desse mineral.

Existem algumas contraindicações, mas dentro das indicações os grupos que mais se beneficiam incluem:

  • Idosos;
  • Pessoas com diabetes ou pré-diabéticos;
  • Pessoas em dietas restritivas;
  • Pessoas que sofrem com alcoolismo ou fazem uso recorrente de bebidas alcoólicas;
  • Pessoas com osteoporose;
  • Portadores de doenças cardíacas e que fazem uso de medicamentos para o coração;
  • Hipertensos;
  • Pessoas que fazem uso de antiácidos;
  • Praticantes de atividade física intensa, como atletas profissionais e praticantes de crossfit;
  • Pessoas que passam por grande estresse mental.

Contraindicações

Em algumas situações o cloreto de magnésio é contraindicado. Para saber se é seguro para sua saúde, especificamente, é importante consultar um médico. Ele saberá analisar o seu perfil e suas reais necessidades. Em gestantes, por exemplo, o uso só deve ser feito com o acompanhamento de um médico.

Conheça algumas das principais contraindicações:

Diarreia

O cloreto de magnésio não deve ser usado por pessoas que estão com diarreia, pois o composto é um laxante natural quando consumido por via oral. O excesso pode piorar a situação da diarreia, deixando o paciente ainda mais desidratado.

Colite ulcerosa

A colite ulcerosa é uma doença inflamatória que ocorre na mucosa interna do intestino grosso e do reto. É uma condição que aumenta as chances de se desenvolver câncer no cólon.

Alguns sintomas dessa inflamação incluem diarreia e desidratação, por isso o cloreto de magnésio é contraindicado.

Uso de antibióticos

Ingerir o cloreto de magnésio junto ao uso de antibióticos pode diminuir o efeito do medicamento.

Interações medicamentosas

O médico, ao orientar o paciente ao uso de cloreto de magnésio, deve analisar quais medicamentos ele usa e investigar as possíveis chances de ocorrer alguma interação.

Além de medicamentos, o paciente deve informar se utiliza outros produtos, com prescrição ou não, como os que apresentam fosfato de sódio de celulose, digoxina, sulfonato de poliestireno de sódio.

O cloreto de magnésio pode se ligar em determinados medicamentos e assim a absorção pelo organismo não é completa. Ao utilizar medicamentos do tipo tetraciclina, é aconselhável um intervalo de tempo entre a dose do medicamento e do cloreto de magnésio de 2 a 3 horas.

No caso de medicamentos usados para o tratamento de problemas relacionados à tireoide ou antibióticos do tipo das quinolonas (derivados do ácido nalidíxico), a recomendação é a mesma. Os pacientes também devem verificar o intervalo necessário entre o uso do suplemento de magnésio e do remédio.

Outras medidas para evitar possíveis interações é estar atento aos rótulos dos produtos e as bulas dos medicamentos, para verificar a composição. O farmacêutico também pode ajudar nesse momento.

Efeitos colaterais

O cloreto de magnésio em excesso pode provocar alguns efeitos colaterais como diarreia, dores estomacais e desidratação. Doses altas deste composto também podem desenvolver toxicidade de magnésio e hipermagnesemia, sendo esta última uma condição de maior risco para pacientes que já apresentam algum tipo de disfunção renal.

Alguns dos sintomas presentes quando ocorre toxicidade de magnésio são letargia, hipotensão, alterações no ritmo cardíaco normal (taquicardia), prejuízo na função dos rins, fraqueza muscular, parada cardíaca, dificuldades respiratórias e confusão.

Outros sintomas que podem surgir como efeitos colaterais ao cloreto de magnésio estão relacionados a algumas alergias que o composto pode provocar. Essas alergias são consideradas raras, mas alguns dos sinais são:

  • Urticária;
  • Tonturas intensas;
  • Inchaço do rosto, lábios, garganta e língua;
  • Dificuldades respiratórias.

É importante ressaltar a importância do uso consciente de qualquer suplemento ou medicamento. O uso indiscriminado do cloreto de magnésio pode afetar várias funções do organismo, podendo provocar paralisia respiratório e a morte. A dosagem limite para adultos é de 350mg por dia.

Preços e onde comprar?

O cloreto de magnésio pode ser encontrado em farmácias e casas de produtos naturais, em forma de pó, cápsulas ou gotas.

Os valores podem variar, dependendo da apresentação do produto. Você pode conferir diversas opções em nosso comparador de preços, Consulta Remédios.

Lá você encontra várias opções de cloreto de magnésio. Listamos aqui algumas sugestões:

Como armazenar

O cloreto de magnésio precisa ser armazenado em temperatura ambiente, com temperatura entre 15 ºC a 30 ºC. Também não deve ficar exposto à luz do sol ou a umidade.

Após dissolvido na água, deve ser guardado na geladeira em um recipiente de vidro com tampa. Deve ser consumido em até 30 dias.

Fatores de risco para deficiência em magnésio

Alguns fatores de risco podem levar o paciente a ter carência de magnésio, tais como doenças crônicas, uso de medicamentos ou hábitos alimentares. O uso de suplementos de cálcio, o uso de anticoncepcionais ou o tratamento de reposição hormonal são alguns. Outros fatores são:

Diabetes

Pacientes com diabetes, especialmente quando não estão em um tratamento adequado para controle da doença, podem apresentar deficiência desse mineral. Isso acontece porque o magnésio é excretado pelo organismo junto a glicose que não é absorvida pelas células.

Alcoolismo

O álcool quando consumido em grande quantidade impede a absorção do magnésio pelo organismo. É comum em pacientes alcoolistas quadros de hipomagnesemia, além de outras condições como níveis elevados de cálcio no sangue (hipocalcemia) e diminuição ou ausência da secreção das glândulas paratireoides (hipoparatireoidismo).

Idosos

Devido ao envelhecimento natural do organismo, a produção de ácido clorídrico se torna menor e assim o magnésio é menos absorvido. Dessa forma, o uso do cloreto de magnésio é importante para ajudar a repor essa carência e evitar doenças mais graves.

Dietas pouco balanceadas

O magnésio está presente em muitos alimentos, principalmente nas folhas verdes. No entanto, nem todas as pessoas incluem esses alimentos nas refeições do dia a dia.

Ingestão alta de refrigerantes

O fosfato presente em refrigerantes à base de cola impede a absorção do magnésio.

Laxantes e diuréticos

O uso de diuréticos e laxantes contribuem para que o magnésio seja liberado mais facilmente pelo organismo, o que pode provocar a deficiência.

Sintomas da deficiência em magnésio

A deficiência de magnésio pode desencadear uma série de sintomas, podendo provocar complicações no sistema circulatório, digestivo e nervoso. Alguns sintomas podem não ser facilmente percebidos ou são confundidos com outras condições. Entenda:

Sistema circulatório

A falta de magnésio pode provocar ou agravar algumas doenças e sintomas. São eles:

  • Angina (dor ou desconforto no peito);
  • Aumento da pressão arterial;
  • Aumento dos níveis de colesterol;
  • Acidente vascular cerebral (AVC);
  • Taquicardia;
  • Trombose.

Músculos

Quando a deficiência de magnésio afeta diretamente os músculos, os sintomas provocados envolvem:

  • Dores nas costas;
  • Câimbras;
  • Nistagmo (movimentos rápidos dos olhos);
  • Dormência;
  • Cólicas menstruais;
  • Aumento da excitação;
  • Espasmos pelo corpo (pálpebras, intestino, esôfago etc.);
  • Tensão na mandíbula;
  • Contração muscular;
  • Zumbidos;
  • Tremores;

Sistema nervoso

  • Irritabilidade;
  • Esclerose múltipla;
  • Neurite paranóia;
  • Confusão;
  • Depressão;
  • Ansiedade;
  • Doença de Parkinson;
  • Falta de memória;
  • Senilidade;
  • Epilepsia;
  • Alucinações;
  • Apatia;
  • Desorientação;
  • Insônia;
  • Hiperatividade;
  • Ataques de pânico;
  • Fobias.

Sistema digestivo

  • Constipação;
  • Diarreia crônica;
  • Má absorção;
  • Pancreatite;
  • Intestino preso;
  • Vômitos e náuseas;
  • Falta de apetite.

Outros sintomas e condições

Em pessoas alcoólatras, pela baixa absorção e aumento da excreção, as necessidades diárias de magnésio se tornam maiores. Normalmente, apenas pela alimentação não é o suficiente, e por isso precisam recorrer ao cloreto de magnésio.

A deficiência de magnésio também está relacionada a outras doenças ou sintomas:

  • Odores corporais;
  • Artrite;
  • Calcificação;
  • Osteoporose;
  • Câncer;
  • Fadiga crônica;
  • Cirrose hepática;
  • Lúpus eritematoso;
  • Dores de cabeça e enxaqueca;
  • Diabetes;
  • Infecções;
  • Inflamações;
  • Problemas da próstata;
  • Rigidez física e mental;
  • Pele enrijecida e enrugada;
  • Raquitismo;
  • Pedra nos rins e na vesícula;
  • Doenças na tireoide;
  • Cáries;
  • Dificuldade para respirar profundamente;
  • Tontura;
  • Sensação de cansaço frequente, principalmente ao acordar;
  • Fotofobia;
  • Sensação de formigamento ao redor da boca.

Alimentos fontes de magnésio

O magnésio está presente em muitos alimentos. Na maioria deles é possível encontrar essa propriedade, mas em alguns a quantidade é mais relevante, podendo variar de 10 a 100 mg. Para adquirir boas quantidades desse composto, sem precisar recorrer ao cloreto, é necessário incluir alguns alimentos ao cardápio.

Veja alguns dos que mais possuem magnésio, considerando 100g:

  • Alga marinha: 770 mg;
  • Coentro seco: 694 mg;
  • Manjericão seco: 422 mg;
  • Sementes de linhaça: 392 mg;
  • Cacau em pó sem açúcar: 499 mg;
  • Whey protein: 176 mg;
  • Manteiga de amêndoa: 303 mg;
  • Sementes de abóbora secas: 535 mg;
  • Cavala (peixe): 97 mg;
  • Grãos de soja: 86 mg;
  • Espinafre: 79 mg;
  • Acelga: 285,7 mg;
  • Arroz integral: 44 mg.

Outros alimentos fonte de magnésio são:

  • Folhas verdes (de preferência, verde escuras): agrião, alface, couve, chicória, rúcula, espinafre, acelga;
  • Algas marinhas;
  • Suco de erva fresca, como de hortelã e vegetais;
  • Nozes;
  • Sementes oleosas e germinadas;
  • Grãos integrais;
  • Feijão;
  • Levedura de cerveja;
  • Batata;
  • Abóbora (inclusive a semente);
  • Leguminosas como lentilha e ervilha;
  • Frutas: banana, damasco, abacate, ameixa, melancia, laranja, maçã, abacaxi, pêssego;
  • Milho;
  • Farinha de trigo integral.

Já as fontes de magnésio de origem animal incluem:

  • Linguado (peixe);
  • Bacalhau;
  • Camarão;
  • Aves;
  • Carne bovina;
  • Carne suína;
  • Mel;
  • Ovo;
  • Sardinha;
  • Leite e derivados.

Lembre-se sempre de manter uma alimentação equilibrada e, sempre que necessário, fazer o acompanhamento com um médico ou nutricionista.


O cloreto de magnésio é um suplemento importante para o tratamento das doenças causadas pela deficiência desse mineral. Embora sua ação seja positiva no organismo, é fundamental não depender apenas do suplemento.

Vários alimentos apresentam boas quantidades de magnésio. Acrescentá-los à dieta do dia a dia deve trazer não só os benefícios deste mineral, mas como os de outras propriedades.

Sendo assim, converse com seu médico e investigue a possibilidade (e necessidade) de ingerir o cloreto de magnésio. Se você já faz uso, fique a vontade para nos contar no espaço de comentários quais foram os resultados. Obrigada pela leitura!

Referências

CAMPOS, Bruna Aline de. Benefícios do Magnésio para a saúde / Bruna Aline de Campos. Fundação Educacional do Município de Assis – FEMA — Assis, 2012.
http://www.fsp.usp.br/~marlyac/magnesiosodiopotassio.pdf
https://pt.scribd.com/doc/181116590/ARTIGOS-SOBRE-CLORETO-DE-MAGNESIO-pdf


Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.

Participe da discussão

110 comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

    1. Boa noite, tenho impertensao tomo remedios, posso tomar cloreto de magnésio PA 33g

    2. Olá eu tomo o Endofolin
      Queria saber se posso tomar o cloreto de maguinesio?
      E o meu esposo é emprtenso ele pode tomar ??

  1. Eu tomo cloreto de magnésio mas não estou encontrando na minha cidade Santo António de Jesus Ba

    1. Olá Angêla!

      Você pode fazer uma pesquisa no Consulta Remédios. Lá você encontra farmácias que entregam em todo o Brasil, e ainda pode comparar os preços dos produtos para escolher a melhor oferta.

    2. ANGELA, MEU AMOR…
      NA INTERNET TEM UMA VARIEDADE DE OPÇÕES DE COMPRA. TUDO A PREÇO MENOR QUE NA LOJA FISICA. ESCREVA LÁ: CLORETO DE MAGNESIO/QUERO

  2. Bom dia, eu li seu texto e gostaria muito de utiliza-lo em meu trabalho, mas para citá-la no meu texto preciso do seu nome completo, você poderia me passar, por favor?

    1. Olá, Isadora

      Meu nome é Estela Cruz. Obrigada pela leitura!

  3. Oi boa tarde as explicações que foram dadas pelo produto muito boa maravilhoso vou passar a tomar
    Obrigada

  4. Obrigado por explicar a importância do cloreto de magnésio de uma forma tão clara. Parabéns!

    1. Olá, Veriana.
      Pessoas com pressão alta ou qualquer outra doença, antes de usar qualquer medicamento, devem consultar um médico. O uso sem recomendação profissional pode trazer riscos à saúde.

  5. Boa noite,

    Posso tomar o cloreto de magnésio a noite antes de dormir?
    Grato.
    Ione.

    1. Olá, Ionete.
      O horário para ingerir o cloreto de magnésio depende dos objetivos. Por auxiliar no relaxamento, tomá-lo antes de dorir pode ser mais eficiente para a regulação do sono. Mas ele também pode ser usado junto às refeições, sobretudo para pessoas que têm estômago sensível.
      O ideal é seguir as orientações médicas.

  6. Bom dia. Eu já tinha ouvido falar sobre a importância do magnésio, mas nunca de maneira tão clara para nós leigos. Parabéns! Vou levar a sério, tomar diariamente.

  7. Bom dia!
    Eu estava com muitas dores nos meus joelhos , pelo excessos de atividades . Já fiz tratamento vários anos e agora voltou a doer desde de julho.Fazia acupuntura melhorava e passava aquelas pomadas conhecidas.Foi indicado por uma conhecida a tomar o cloreto de magnésio Reumatry Cloreto de Magnésio P..A, tomei 1 cápsula somente e parece mentiras, não senti mais dores.Vou continuar tomando até a data de voltar a minha médica. obrigada

  8. Bom diA!! MUITO BOA essa materia vcs explicam tudo que precisam saber.Obrigada. Fabiana de Sao Jose do Rio Preto.

    1. Uma explicação muito oportuna estão de parabéns. Já comprei vou tomar

  9. Gostaria muito da exploração, bem esclarecedora. Obrigada por trazer todas essas informações.

  10. Dores nos músculos do ombro, cansaço nas pernas e até mesmo minha sinusite foi tudo embora primeiramente graças ao meu bom DEUS, depois ao cloreto de magnésio.

      1. Gratidão pelas informações sobre o cloreto de magnesio que utilizo e indico para as pessoas que reclamar de dores.

        1. Queria muito tomar, mais tenho medo ,pode fazer mal

  11. Dores nos músculos do ombro, cansaço nas pernas e até mesmo minha sinusite foi tudo embora primeiramente graças ao meu bom DEUS depois ao cloreto de magnésio.

  12. Estou tomando Cloreto de Magnésio faz uns 2 anos, me sinto ótimamente bem, pratico atividade física e minhas dores no joelho melhoraram muito, a única dúvida que eu tenho é em relação ao tempo de consumo, será que eu posso tomar ininterruptamente?
    Agradeço
    Marcia

    1. Olá, Marcia

      Obrigada pela leitura de nosso artigo!

      O tempo de uso depende de cada organismo. O ideal é conversar com um profissional e realizar consultas periódicas. Através de exames, o médico poderá avaliar a necessidade de continuar utilizando o cloreto de magnésio.

  13. Bom dia. Tomo Magnésio há três anos. Estava cansada, estressada economia a pressão altíssima. Os joelhos doíam a ponto de atrapalhar a caminhada. Logo no começo, sentia diferença ao tomar o cloreto de magnésio. Hoje tenho energia de sobra, durmo bem e acabou as dores. Esse mineral é uma benção do Criador. Recomendo a todos, pois é muito bom.

  14. Andei pesquisando sobre cloreto de magnésio e queria tomar, mas ao ir à uma consulta médica ela receitou pra mim, desde então as dores que sentia nas costas, ombro, joelho, tornozelo sumiram, estou usando algas tbm e está sendo muito bom.

  15. LOURDES BATISTA 11/03/2019 EU JÁ TOMO INELATTE UM TABLETE DIARIO POSSO TOMAR MAGNÉSIO PP POIS COMECEI TOMAR HOJE COMPREI HOJE O MEU É DE 400 MG TOMO QTOS POR DIA POIS JÁ ESTOU TOMANDO O CALCÍO E AINDA SINTO DORES NO QUADRIL E BRAÇO E OMBRO COMO DEVO TOMAR MINHA ALIMENTAÇÃO NÃO É BEM BALANCIADA, SOU IMPÉRTEÇA TENHO 82 ANOS MAIS TENHO MINHA VIDA ATIVA FAÇO ATIVIDADES FÍSICAS AS VEZES FICO COM FORTES DORES, BRAÇOS E PERNAS DE 400MG. COMO TOMAR 2 OU 3 VEZES POR FAVOR.

    1. Olá, Maria!

      A recomendação de dose e frequência deve ser feita por um médico, a partir da análise individual do paciente. Cada organismo tem necessidades diferentes e a ingestão conjunta de vários suplementos pode ser prejudicial sem acompanhamento de um profissional. Não deixe de consultar um especialista!

  16. Criança de 11 anos com deficit de atenção deve tomar? Qual dosagem e horário?

    1. Olá, Camila!

      A suplementação, especialmente em crianças, deve ser feito sob recomendação médica. Antes de adotar qualquer medida, é importante conversar com o pediatra.

  17. BOM DIA Mayra,LI SUA MATÉRIA,muito esclarecedora estava muito preocupada em voltar a fazer uso do cloreto de magnésio pois já o fiz a algum tempo e estava me sentindo muito bem.Dei pausa já a algum tempo e querendo voltar a fazer uso …. mas fiquei preocupada por fazer uso de hormônio para tireoide …também tenho problema de…
    BLOQUEIO DIVISIONAL ANTEROSSUPERIOR.
    EXTRASSISTOLE VENTRICULAR FREQUENTE.
    ALTERAÇÕES DIFUSAS DA REPOLARIZAÇÃO VENTRICULAR.
    Portanto fico na duvida sobre voltar a fazer uso do cloreto de magnésio,muito embora seja benéfico para o coracçao e problemas circulatórios…bem sei que a indicação seria procurar conversar com meu cardiologista,porem nem todos os médicos tem conhecimento ou preferem não indicar ou opinar em produtos dito naturais.
    Gratidão

    1. Olá, Maria!

      Qualquer recomendação, sem avaliação clínica, pode ser prejudicial à sua saúde, principalmente se você já sofre de alguma condição. É essencial conversar com um médico para que ele possa fazer os exames necessários e indicar as melhores alternativas de tratamento. Você pode buscar opinião de outro especialista, como um endocrinologista. Este profissional avalia a saúde metabólica do seu organismo e está apto a indicar uma suplementação, se necessária.

      Obrigada pelo comentário!

    2. Boa tarde sou portador de miastenia gravis posso tomar cloreto de magnésio ou não

    1. Olá, Livia.

      Não existem comprovações de que o cloreto de magnésio ajude a combater a queda de cabelo. Para solucionar este problema, o primeiro passo é identificar a sua origem. Existem diversas condições e fatores que causam a queda capilar como sintoma (saiba mais aqui). Consulte um dermatologista para obter um diagnóstico correto e iniciar o tratamento!

  18. Boa noite, na farmacia vende 600mg comprimido posso começar a tomar esta dosagem

    1. Olá, Carlos.
      É importante conversar, antes, com o médico ou farmacêutico para verificar a dosagem indicada. De acordo com o objetivo, ela pode variar bastante.
      Em geral, os comprimidos de 600mG têm indicação de 2 cápsulas ao dia, mas é necessário ler as informações que constam na embalagem de cada fabricante. Porém, isso não dispensa a necessidade de conversar com o seu médico, pois é ele que poderá indicar a dose correta para as suas necessidades.

  19. Muito esclarecedoras as informações. Eu já faço o uso do cloreto de magnésio há cerca de um ano e meio, sempre sofri de cãimbras desde de menina. Por volta dos 42 anos passei a não dormir direito devido as crises que se tornaram constantes, isso tudo durante uns 4 anos consecutivamente. Todas as madrugadas sem tréguas eu mal tinha uma noite inteira de descanso era terrível. Na primeira tomada já percebi o efeito do cloreto de magnésio foi mágico. Sem contar que também estava fazendo tratamento de dores na coluna e também deixei os anti-inflamatórios de lado. As pessoas acham que eu exagero quando me refiro a esse grande suplemento que constumo chamar de meu “melhor amigo”. Só não aconselho armazená-lo em garrafas plásticas e se for em cápsulas, ver a dosagem correta, pois ás vezes dependendo do laborátorio uma cápsula ao dia já é o suficiente por ter uma dose maior.Ah!E também caso seja o cloreto de magnésio em liquido começar com uma dose apenas já pode ser o suficiente. Espero ter contribuído com algumas informações.

  20. Faço uso do cloreto de magnésio, por vários anos. Não tenho mais problemas com o nervo ciático, articulações e muito mais. Ele é bom para artrite, artrose, bico de papagaio, coluna, articulações e muito, muito mais, como vimos na explanação acima. Esta matéria é excelente, com uma explicação muito boa. Parabéns! Recomendo.

  21. Qual a quantidade média de vitamina D3, magnésio, cálcio e vitamina K12 ideal pata im tratamento preventivo em uma criança de 5 anos?

    1. Olá, Paulo.
      Se o tratamento for para prevenir a carência desses nutrientes, é sempre importante conversar com um(a) nutricionista pediátrico para avaliar a necessidade de reforço alimentar.
      Em geral, uma alimentação balanceada é suficiente para suprir as necessidades de nutrientes nas crianças.
      Segundo a ANVISA, a ingestão de vitamina D, em crianças de 4 a 6 anos deve ser de 5 microgramas diários. O magnésio deve ser ingerido na quantidade de 73mG. O cálcio na quantidade de 600mG. A vitamina K na quantidade de 20 microgramas.
      Mas vale lembrar que toda alteração de dieta, restrição ou reforço, deve ser feita com orientação pediátrica, considerando as necessidades particulares da criança.

  22. Bom dia.
    Já uso Calde mag (cálcio, vitamina D, magnésio)
    O magnesio é 125mg, será que teria que tomar mais para complementar ou esse tanto do calde mag já é suficiente, saberia me dizer?
    Desde já grata.

    1. Olá, Cleide!

      Tanto a suplementação quanto os ajustes na dosagem devem ser feitos com acompanhamento médico. Existem vários fatores, como idade e finalidade de uso, que podem interferir nestes valores. Por isso, consulte um especialista 😉

  23. A suplementação com magnésio melhorou muito minha qualidade de vida. Me sinto muito melhor e animada. Muito boa toda essa explicação! Obrigada!

  24. Olá pessoal,pois eu tenho 67 anos e apareceu o tal de esporão,um no pé esquerdo e dois no pé direito fiz varias aplicações de infiltraçoes,passava a dor por uns dias e em seguida era dor novamente,chegando ao ponto de imaginar que não conseguiria mais andar e me ensinaram o cloreto de magnésio,pois olha no terceiro dia de tratamento sumiu as dores durmo a noite toda,regulou minha pressão que vivia alta,a glicimia que insistia no patamar de 200 passou para 90 estou me sintindo muito bem.

  25. Após a leitura desta enciclopédia, verifiquei que não foi abordado sobre a visão. Sou usuário do cloreto de magnésio há oito anos e na época usava óculos para leitura e atualmente não uso mais. Com tanto benefício a medicina vai se extinguir, não acham???

    1. Olá, Getúlio.
      Agradecemos a contribuição. O artigo ressalta alguns pontos mais centrais da ação do cloreto de magnésio. Alguns especialistas indicam que o produto auxilia na visão de forma indireta, por exemplo, melhorando a circulação e permitindo que a quantidade correta de oxigênio seja transportada até a retina.
      Mas, independente do mecanismo de ação, a melhora na saúde e bem-estar é importante. E os benefícios desse e outros produtos só são confirmados pelos estudos da medicina, por isso, tanto o cloreto de magnésio quanto as consultas e orientações médicas são necessárias para ter uma boa saúde! 🙂

  26. Olá!
    Um amigo me relatou os vários benefícios que o cloreto de magnésio tem proporcionado a ele, sobretudo na redução de dores nas pernas e pés e também numa melhoria significativa da qualidade do sono.
    Baseado nisso, exatamente, comecei a fazer uso na forma de cápsulas.
    O seu artigo, Estela, foi ainda mais esclarecedor do que tudo o que o meu amigo já havia narrado. Muito obrigado.

  27. gostaria de saber se posso tomar o cloreto de magnesio de manha em jejum e quantas colherinhas de xa e quantidade de agua pois vou começar a tomar agradecido.

    1. Olá, José.
      Como mencionado no texto, a indicação é que o Cloreto de Magnésio seja ingerido com as refeições, não em jejum. Isso ajuda a minimizar as chances de efeitos colaterais e melhora a sua absorção.
      No tópico de Como tomar você encontra as orientação da dosagem, lembrando são recomendações e não dispensam a bula e a prescrição médica.

  28. Boa tarde. Gostaria de saber se quem tem alergia a iodo pode tomar o cloreto de magnésio. Obrigada.

    1. Olá, Edna.
      Conforme a bula, não há nenhuma restrição à ingestão de cloreto de magnésio por pacientes com alergia ao iodo. No entanto, reforça-se que todo medicamento deve ter orientação e acompanhamento médico para ser utilizado.

  29. Que matéria esclarecedora!!! Muito obrigada!!! Estou tomando MOVE e UCI II. Agora me ascendeu uma luz. Vou tomar o cloreto de magnésio. Sinto muitas dores cansadas nos joelhos. Sei que vou ficar bem, diante destes comentários positivos.

  30. Gostaria de saber se quando diluimos o cloreto de magnésio na água em um litro temos que toma toda a água diluída no dia? ou se e uma chicara por dia pois dilui 33g de cloreto de em um litro de água magnésio P,A, posso tomar toda a água no mesmo dia ou tem a quantidade serra.

    1. Olá, Solange.
      Como consta no tópico de <a href="https://minutosaudavel.com.br/cloreto-de-magnesio/#posologia">posologia</a>, a quantidade de 20g do produto deve ser diluída em 1L de água e guardada em geladeira. Deve-se tomar 1 ou 2 xícaras por dia, aproximadamente 100mL ou 200mL.

  31. Parabéns pelas informações … muito pertinentes e esclarecedoras

  32. Muito obrigado pelas informações, por compartilhar seus conhecimentos!!

  33. Oi,gostaria de saber se posso tomar esse magnésio e um outro suplemento.

    1. Olá, Leila.
      Todo suplemento deve ser orientado por um médico ou médica.
      Em geral, o magnésio pode ser associado a outros medicamentos ou complementos, mas é necessário saber exatamente qual. Isso porque pode haver interação ou superdosagens.
      Então, é fundamental a orientação clínica.

  34. Bom dia!
    Faço uso do cloreto de magnésio há alguns anos. No princípio, comprava sachês, cheguei a parar achando que nada tinha mudado. Daí que passei a perceber as mudanças: caía facilmente ao torcer o pé e tinha um tempo sem cair, passei a andar com mais desenvoltura. Voltei a usar e comprei pela internet quantidade maior já que tinha reconhecido e assumido o uso diário por duas vezes. Se fico uma semana sem usar, daí vem o resultado de mal estar.
    Mas, tem um problema; infelizmente não posso comentar nada com os meus médicos que logo desdenham e não apoiam, muito menos me orientam.
    Pra eu consultar um médico, procuro que especialista que possa me orientar melhor?
    Obrigada!
    Adorei a matéria.

  35. Muito esclarecedora sua matéria! Estou tomando o cloreto de sódio 500 mg, duas vezes por dia! A quantidade esta certa? Tenho 60 anos! Obrigado!

    1. Olá, Rosa.
      A quantidade correta indicada para você deve ser prescrita pelo médico que te receitou o Cloreto de Magnésio. A orientação é conversar com esse profissional caso tenha dúvidas quanto à forma de tomar e a quantidade diária recomendada.

    1. Olá, Carlos.
      Segundo a bula, o cloreto de magnésio é indicado para melhorar o trânsito intestinal, promovendo efeito laxativo. Neste caso, ele não trata os gases decorrentes de problemas de digestão, apenas auxilia na evacuação.
      Isso pode resolver a flatulência se ela for decorrente da prisão de ventre.

  36. Olá boa noite,
    Gostaria de saber se posso tomar o cloreto de magnésio pois estou com um nódulo no seio direito.

    1. Olá Eliane,
      Em geral, essa substância tem algumas contraindicações, conforme mencionado no texto. Para saber se você poderá tomar o Cloreto de Magnésio, procure a recomendação do médico que te acompanha. Lembrando que a automedicação é uma prática que pode trazer prejuízos para sua saúde.

  37. Olá eu tomava o magnésio dimalato posso tomar o P A? Meu marido comprou errado tomo a 2 meses.

    1. Olá, Ana Paula.
      A principal diferença entre eles é a pureza e boa absorção. O PA (para análise) é mais puro, o que pode significar que não seja tão bem aproveitado pelo organismo. Mas, no geral, ambos podem ser usados da mesma maneira, sem grandes diferenças no efeito.
      O ideal é sempre consultar a bula e seguir as orientações médicas.

  38. Meu padrasto começou a usar o cloreto de magnésio aos 40 anos para evitar uma cirurgia nos joelho, hoje aos 86 está completamente lúcido, ativo, com todos os dentes perfeitos. É impressionante sua disposição e aparência (ninguém dá mais que 65/70anos). No início tomava uma xícara de café pela manhã e após os 70 aumentou para 2 duas, uma no café da manhã e outra no jantar .

  39. Boa tarde!
    Meu médico Urologista , mandou que eu tomasse três comprimido diario do Cloreto de Magnesio, em socorro a doença de Peryronie que eu possuo. Gostaria de saber se há fundamento nesta hipotese de cura?

    ~E(3) comprimido do Cloretro de Magnésio

    1. Olá, Jose.
      É importante sempre seguir as orientações do médico. Se o profissional prescreveu este tipo de medicamento, de uma forma geral é porque a orientação foi feita com base em exames e avaliações, e então são capazes de auxiliar corretamente no seu tratamento.

  40. Boa tarde, passei a tomar o Cloreto de Magnésio, por conta própria, devido a uma dor no lado esquerdo do peito, estava cansada de exames, sem justificativa para tal, ainda não faz um mês, ã dor sumiu, como por milagre, estou hipertensa e minha pressão está regulada, por isso busquei mais informações sobre a atuação do Magnésio, fantástico, super recomendo , obrigada pelos esclarecimentos, estou refazendo exames médicos, mas estou muito grata pela melhoria significativa da pressão e das dores!!

  41. Estou sofrendo há uns três meses de bursite no ombro, começou na academia. Já tentei de tudo. Agora estou fazendo fisioterapia e hoje li que cloreto de magnésio também ajuda muito e fazer uso também, com cuidado. Mandem conselhos, ogrigado.

  42. Olá gostaria de saber se interfere no efeito do anticocepcional?pois quero tomar o cloreto de magnesio para dor na coluna

  43. Não percebo. Acima diz que a dose para repôr são 100 ml dia. Ora isso corresponde a 2g de magnésio/dia. Em baixo diz que adultos não devem exceder 300 e tal gramas dia…????
    Qualquer coisa não está bem.

    1. Olá, Manuel.
      O mais recomendado é que você procure a recomendação de um médico, antes de ingerir qualquer substância ou medicamento. Esse profissional está apto para responder todas as suas dúvidas e receitar a melhor posologia para seu caso.

    1. Olá, Heitor.
      Sim, o abacate é um fonte natural de magnésio.
      Se for consumido moderadamente, essa fruta pode trazer benefícios para a saúde.
      Para esclarecer outras dúvidas, bem como saber qual a quantidade de abacate indicada para você, recomenda-se consultar uma nutricionista.

  44. tomo o cloreto de magnésio de manha em jejum uma colherinha de xa com agua do meu posso e boa agua qual a diferença da filtrada?obrigada pela atenção.

    1. Olá, José.
      A água de poço pode ser consumida normalmente, desde que tenha passado por um teste de consumo que comprove que a água é potável.
      Além desse teste para verificar a qualidade da água, também é necessário que se faça manutenção frequentemente nesse poço (com filtros, bombas ou produtos químicos, dependo de cada caso).
      Se o seu poço não passou por esses dois aspectos (teste e manutenção), a ingestão desse água não é recomendada.

  45. Eu utilizo o cloreto de magnesio ha alguns anos,este produto so me fez bem.
    tudo que a materia explica é resl,parabens pelo conteudo.
    a unica coisa que tenho a ressaltar é que nao comprem de farmacia e sim em um laboratorio,eu compro em minha cidade do laboratorio sao lucas que acho excelente.

  46. Uso o cloreto de magnesio a 4 anos e passei a dormir a noite toda. Me sinto bem melhor e mais disposto

  47. Eu comprei Cloreto de Magnésio PA da Vitalab que informa conter em cada cápsula 500 mg e na posologia que vcs sugerem deve-se tomar no máximo 360mg diariamente. Na bula deste medicamento aconselha tomar por dia 03 cápsulas somando 1.080 mg diários. O valor atual de Não entendi, poderia esclarecer? Muito grata.

    1. Olá, Marlene.
      A posologia sugerida tem como base uma média do que é recomendado para os pacientes.
      Se você possui orientação médica para ingerir 500 mg, o mais recomendado sempre é seguir a orientação do profissional de saúde.
      Em caso de dúvidas, entre com contato com a (O) profissional que te acompanha.

  48. Muito salutar as informações . E esperançosas.
    Passarei a consumidor doravante.

  49. Estou com artrite nas mãos e dedos , já a 5 meses , tenho é mal estar , dormência , está havendo uma pequena melhora aos poucos , pois tomo unha de gato , e gostaria de saber , se o magnésio PA , acelera a melhora total dessa artrite reumatoide, tenho 63 anos

  50. Boa noite por gentileza quem tem pedra na visicula pode tomar?

    1. Olá, Juliana.
      O ideal é que o Cloreto de Magnésio seja tomado somente com recomendações médicas, já que um(a) profissional de medicina está apto(a) para receitar essa substância com base no histórico médico e quadro clínico do(a) paciente.
      Em casos de dúvidas, procure orientação do(a) médico(a) que te acompanha.

  51. Minha mãe tem todos esses defeitos citados nessa artigo, a unica coisa que poderá atrapalhar o uso do cloreto são os problemas reais, ela pode tomar? estou lendo VÁRIOS artigos sobre e alguns não recomendam para problemas renais. Minha mãe não faz hemodiálise, são apenas potássio nos rins, queria ajudá-la com as dores fortes nas pernas.

    1. Olá, Catia.
      Para saber exatamente se a sua mãe pode ou não tomar o Cloreto de Magnésio, o ideal é levá-la a um(a) médica.
      Esse(essa) profissional poderá orientá-la corretamente com base em histórico médico e quadro clínico atual da paciente.
      Lembrando que a automedicação é uma prática que pode trazer prejuízos para a saúde.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *