Cloreto de Magnésio: para que serve, benefícios, como tomar, preço

9

O que é o cloreto de magnésio?

O cloreto de magnésio é um suplemento mineral composto por cloro e magnésio, utilizado para repor o magnésio no sangue em pessoas que apresentam deficiência desse componente. É um sal inorgânico no formato de cristais incolores e de sabor mais amargo. Está presente em abundância dissolvido na água do mar.

De acordo com a agência de alimentos e medicamentos dos Estados Unidos, Food Drug Administration, o cloreto de magnésio é uma substância segura para ser usado como suplemento nutricional assim como ingrediente alimentício. No entanto, devido ao seu sabor amargo, esse último uso não é muito comum.

PUBLICIDADE

A importância do magnésio, ou do cloreto, para o organismo é indiscutível. Esse sal mineral é responsável por inúmeros processos do corpo humano, pois é capaz de ativar mais de 300 funções enzimáticas.

Apesar de conter apenas 12% de magnésio, o que pode parecer pouco quando comparado com as outras formas, o cloreto de magnésio é o tipo melhor absorvido pelo organismo.

Esse mineral está diretamente ligado a saúde celular, pois é responsável por sua energia. Como consequência, interfere na saúde dos ossos, nervos, músculos, coração e funções cerebrais.

Precisamos de 200mg de magnésio por dia, aproximadamente. Por ser difícil para muitas pessoas conseguir essa quantidade por meio da alimentação, o suplemento cloreto de magnésio é considerado uma boa alternativa para tratar essa deficiência.

Pode ser encontrado em farmácias e casas de produtos naturais, em pó, cápsulas e gotas. Quando em pó, deve ser diluído em água. A proporção é de 20g para 1L de água.

A dose diária recomendada é de um copinho, que pode ser medida em uma xícara pequena de café ou naqueles copinhos tipo de cachaça.

São vários os benefícios associados ao cloreto de magnésio e algumas contraindicações de uso. Para ter certeza da dose ideal, dos efeitos colaterais e riscos, é importante procurar um médico ou nutricionista.

Índice – neste artigo você encontrará as seguintes informações:

  1. O que é o cloreto de magnésio?
  2. O que é cloreto de magnésio PA?
  3. O que é o magnésio?
  4. Quantidade de magnésio distribuído pelo corpo
  5. Para que serve o cloreto de magnésio?
  6. Benefícios
  7. Cloreto de magnésio emagrece?
  8. Como tomar?
  9. Ingestão diária recomendada
  10. Posologia
  11. Indicações de uso
  12. Contraindicações
  13. Interações medicamentosas
  14. Efeitos colaterais
  15. Preços e onde comprar?
  16. Como armazenar
  17. Fatores de risco para deficiência em magnésio
  18. Sintomas da deficiência de magnésio
  19. Alimentos fontes de magnésio

O que é cloreto de magnésio PA?

Em alguns dos suplementos é possível encontrar a sigla PA (Puro para Análise) ao lado do nome do produto, isso significa que esse produto é mais concentrado e melhor absorvido pelo organismo.

O que é o magnésio?

O magnésio é um mineral presente em todas as plantas, localizado no centro da molécula de clorofila. Assim como para os seres humanos, o magnésio também é fundamental para a saúde das plantas.

PUBLICIDADE

É ele o responsável por capturar a luz solar e transformar em energia, processo chamado de fotossíntese. Assim, sem magnésio, as plantas não são capazes de se nutrir.

Da mesma forma acontece em nosso organismo. Sem magnésio suficiente o nosso corpo não consegue realizar diversas funções essenciais para nossa sobrevivência.

Tem papel fundamental na ativação de sistemas enzimáticos, na transferência do fósforo, na transmissão de impulsos nervosos e na contração muscular. Também é importante no processo de estabilização dos ácidos nucleicos.

Ele é responsável pelo controle de 18 minerais e pode apresentar em torno de 300 funções no organismo humano.

Na natureza, esse sal mineral está associado a outras moléculas orgânicas ou inorgânicas, como aminoácidos e outros minerais. Dessa associação, surgem os tipos de magnésio. São eles:

  • Cloreto de magnésio: comparado aos outros tipos, é o que proporciona maior absorção;
  • Citrato de magnésio: é uma combinação de ácido cítrico e magnésio em que contém também propriedades laxantes;
  • Aspartato de magnésio: é utilizado no tratamento da deficiência de magnésio no sangue (hipomagnesemia) e também para associações vitamínicas;
  • Carbonato de magnésio: contém 45% de magnésio e propriedades antiácidas;
  • Sulfato de magnésio: usado no tratamento de pessoas com hipomagnesemia e no controle de convulsões causadas por uremia aguda (excesso de ureia no sangue), convulsões na gravidez ou após o parto (eclâmpsia) e tétano;
  • Óxido de magnésio: esse é um tipo de magnésio ligado a um ácido de gordura ou um ácido orgânico que também possui efeito laxante. Apresenta 60% de magnésio;
  • Gluconato de magnésio: usado como complemento alimentar para suprir  deficiência de magnésio do organismo;
  • Hidróxido de magnésio: conhecido também como leite de magnésia, esse tipo de magnésio é usado como laxante. O uso inadequado deve ser repreendido, uma vez que as chances da pessoa sofrer uma overdose com este composto são altos, devido a facilidade de acesso e preço.

Quantidade de magnésio distribuído pelo corpo humano

Existem cerca de 25 gramas de magnésio no organismo humano, que se distribuem de forma desproporcional pelos sistemas. Nos ossos, onde 60% do mineral se concentra, se apresenta em três compostos: carbonato, fosfato e fluoreto de magnésio.

É graças a essa reserva do composto presente no esqueleto que acontece a homeostase (equilíbrio) para as demais partes do organismo.

20% do magnésio se concentra na massa muscular, onde o miocárdio (músculo do coração) apresenta boas quantidades do composto.

PUBLICIDADE

Nos glóbulos vermelhos, que não possuem núcleo, a quantidade de magnésio é próximo a 5 meq/litro.

São neles que a maioria dos pesquisadores se baseiam para entender os problemas relacionados a insuficiência de magnésio no organismo e as complicações que provoca. No soro sanguíneo, a quantidade é menor, de 1,77 meq/litro, aproximadamente.

Veja como o magnésio está presente nas partes do nosso corpo:

Parte do corpoQuantidade de magnésio
Ossos1000
Músculos215
Rins207
Fígado175
Coração174
Baço140
Cérebro140

Para que serve o cloreto de magnésio?

É utilizado para repor a deficiência de magnésio no organismo, para prevenir ou tratar doenças provocadas pela falta desse composto.

Geralmente, a deficiência de magnésio é acompanha de quadros de deficiência de potássio e cálcio. Pode acontecer por baixa ingestão pela alimentação inadequada, por má absorção do organismo ou por perda excessiva, como em casos de pacientes com diarreia e vômito.

É um suplemento de uso por via oral, que deve ser utilizado de acordo com as doses indicadas por um médico, previamente. Também pode ser administrado por via intravenosa, juntamente a outros sais.

Nesses casos, seu uso é de apoio a tratamentos de pessoas que apresentam grande desidratação. Também é aplicado em soluções de diálises peritoneal e hemodiálises, procedimentos comuns em pacientes que sofrem com insuficiência renal crônica.

O cloreto de magnésio também pode ser utilizado para equilibrar o balanço hídrico e eletrolítico, além de intoxicações medicamentosas.

PUBLICIDADE

Benefícios

O cloreto de magnésio é um suplemento essencial para o funcionamento de diversas funções do organismo, como o desempenho dos músculos, dos ossos, respiração e sistema digestivo, por exemplo.

Por estar diretamente ligado a produção de energia das células, a deficiência de magnésio acarreta em uma série de complicações.

Dessa forma, o cloreto de magnésio se torna importante para tratar as pessoas que não conseguem por meio da alimentação ou por outros motivos absorver a quantidade ideal de magnésio.

Além de servir como tratamento, o cloreto também pode ser utilizado na prevenção de algumas doenças. A lista de benefícios é bem extensa:

  • Ajuda a equilibrar o pH do organismo;
  • Auxilia na purificação do sangue;
  • Previne lesões musculares, ajudando em problemas como contração muscular, câimbras e fadiga;
  • Reduz a enxaqueca;
  • Ajuda no tratamento da asma;
  • Auxilia no tratamento da depressão e ansiedade;
  • Ajuda a regular a temperatura corporal;
  • Fortalece o sistema imunológico;
  • Previne a osteoporose;
  • Ajuda a prevenir a formação de cálculos renais;
  • Combate e previne problemas de próstata;
  • Melhora as funções hepáticas;
  • Combate os radicais livres, prevenindo o envelhecimento precoce.

Conheça melhor alguns dos principais benefícios:

Auxilia no tratamento de diabetes

O magnésio é importante para ajudar na metabolização do açúcar e pela produção da insulina, hormônio responsável pela glicose no interior das células.

A insulina é importante também para reduzir a produção da glicose pelo fígado. Quando há uma desordem nesses hormônios, a pessoa pode desenvolver um quadro de diabetes.

Em pessoas diabéticas, o magnésio costuma ser excretado pelo acúmulo de glicose no sangue. Por isso, o suplemento pode ajudar a controlar a doença.

Cólicas menstruais e TPM

As cólicas menstruais são semelhantes a uma câimbra, pois o útero se contrai e provoca essa sensação nada confortável.

O cloreto de magnésio pode ajudar a reduzir esse sintoma porque estimula a regulação hormonal da mulher nesse período. Assim, além de ajudar a controlar esses dores, também ameniza os sintomas da TPM.

Ajuda a reduzir os efeitos do estresse

Atualmente, o estresse é um problema bem comum e está relacionado ao estilo de vida das pessoas.

Sob estresse, nosso organismo acaba sofrendo outras complicações por consequência, como alterações no sono, tensão muscular, problemas de concentração e memória, dor no peito, cansaço constante, busca por vícios para relaxar e outros.

O estresse também pode estar associado com doenças mentais como a ansiedade e a depressão.

Uma das reações do organismo diante desse sintoma é a liberação de magnésio, o que pode provocar deficiência do mineral. O cloreto de magnésio é indicado, nesse caso, para proteger ou diminuir os efeitos do estresse no organismo.

É bom para a saúde dos ossos e dentes

O magnésio é responsável pela entrada e saída de cálcio e contribui para ativação da vitamina D, importante para que o cálcio seja absorvido pelos ossos.

Está relacionado a melhora de quadros de doenças como osteoporose e outras doenças relacionadas a saúde dos ossos.

Assim como para os ossos, os dentes também são beneficiados por essa “parceria” entre o magnésio e o cálcio.

Contribui para a saúde cardíaca

Existem vários benefícios relacionados a saúde cardíaca e ao magnésio. Ele ajuda a manter a pressão arterial equilibrada, auxilia a manter o ritmo cardíaco, previne o infarto agudo e contribui para o controle do colesterol.

Dessa forma, ajuda na prevenção de doenças como hipertensão e arritmia, por exemplo. Contudo, é importante lembrar que, além do magnésio, outros fatores influenciam em problemas cardíacos.

Além de manter uma alimentação equilibrada e fazer uso desse suplemento, é fundamental manter uma rotina de idas ao médico e buscar outras formas de qualidade de vida, como redução do estresse e prática de exercícios físicos.

Ajuda a reduzir crises de asma

O cloreto de magnésio pode ajudar a dilatar estruturas pulmonares como os brônquios. Pacientes com asma, durante as crises, sofrem uma contração nessas estruturas e por isso acabam tendo maior dificuldade respiratória. Dessa forma, o uso do suplemento pode contribuir para reduzir as crises.

Reduz a enxaqueca

Da mesma forma que age sobre os brônquios, o cloreto de magnésio também tem o potencial de relaxar os vasos sanguíneos. Assim consegue ajudar pacientes que sofrem com esse tipo de dor de cabeça.

Melhora a digestão

O cloreto de magnésio contribui para o equilíbrio dos ácidos estomacais, reduzindo problemas como acidez, digestão muito lenta e uma sensação pesada após as refeições.

Ajuda pacientes com intestino preso

Também pode ajudar pessoas que sofrem com intestino preso, pois além de ter ação laxante, o cloreto de magnésio ajuda nos movimentos peristálticos e proporciona maior relaxamento dos músculos intestinais.

Tão importante quando o consumo de alimentos ricos em fibra são os níveis corretos de magnésio no organismo. É recomendado, por esse motivo, para pessoas que estão em uma dieta pobre de carboidratos.

Contribui no tratamento de distúrbios do sono

A ingestão desse suplemento contribui para que pacientes com insônia possam ter um avanço nesse quadro.

É importante durante a gravidez

O magnésio é importante durante a gestação pois ajuda a evitar que ocorra um parto prematuro. Também evita que ocorram convulsões durante a gravidez ou após o parto, condição chamada de eclâmpsia.

Além disso, também oferece benefícios para a saúde do bebê. Pode ajudar a prevenir a paralisia cerebral em crianças que nascem abaixo do peso. De acordo com a pesquisa publicada no New England Journal of Medicine, o magnésio reduziu o risco de paralisia cerebral em 50% das crianças.

No entanto, o uso deve ser feito apenas quando ocorre o acompanhamento médico. Por isso, se a gestante tem o interesse em utilizar o cloreto de magnésio, é importante buscar uma avaliação prévia do médico para analisar a necessidade de usá-lo.

Reduz os riscos de câncer do cólon

Uma pesquisa publicada pelo Centro Nacional de Câncer do Japão (Japan’s National Cancer Center) mostrou que o consumo de magnésio é fundamental para reduzir os riscos de câncer de cólon, podendo reduzir em até 50% as chances.

O estudo acompanhou 87 mil pessoas por oito anos que faziam uso de cloreto de magnésio diariamente. Dentro do grupo, as pessoas que consumiam 327mg por dia apresentaram risco 52% menor de câncer do cólon do que as pessoas que consumiam uma quantidade de 24mg ao dia.

Ajuda em funções cerebrais

O magnésio ajuda na preservação de doenças degenerativas, combatendo os radicais livres e evitando a morte precoce das células. Por isso, o cloreto de magnésio é indicado para estimular funções cerebrais como a memória e aprendizagem.

Isso ocorre pois esse mineral é capaz de aumentar a elasticidade e densidade das sinapses na zona do cérebro, o que pode beneficiar a saúde cerebral a curto e longo prazo. O seu consumo está associado também a prevenção de doenças como o Alzheimer.

Cloreto de magnésio emagrece?

O cloreto de magnésio pode ajudar a emagrecer porque contribui para inibir o estresse inflamatório e oxidativo das células, processo que está ligado à obesidade.

Outro benefício do cloreto de magnésio para quem quer emagrecer está no fato dele ajudar o organismo a absorver melhor vitaminas e minerais. Assim, o organismo permanece mais nutrido e saciado.

Por influenciar os níveis de energia, a introdução do cloreto de magnésio também interfere na disposição durante atividades físicas. Por consequência, acaba interferindo na perda de calorias.

Também pode ajudar a reduzir a ansiedade e o estresse, o que é benéfico para quem sofre com compulsão alimentar e acaba “descontando” na alimentação.

Além disso, esse suplemento ajuda a controlar os níveis de açúcar no sangue, um motivo muito comum para o aumento do peso. Por esse benefício, a pessoa pode ter seu peso controlado com a ajuda do magnésio.

Vale ressaltar que o cloreto de magnésio sozinho não é suficiente para garantir o emagrecimento. É necessário manter uma dieta equilibrada e praticar exercícios regularmente.

Como tomar?

O cloreto de magnésio é melhor absorvido quando utilizado por via oral, sendo mais comum dessa forma. Recomenda-se que seja ingerido junto a uma refeição, pois isso ajuda a reduzir ou evitar dores estomacais e diarreia.

No caso das cápsulas de liberação prolongada com revestimento, o paciente não deve mastigar ou esmagar os comprimidos, pois isso faz com que o seu conteúdo seja liberado de uma vez no organismo, o que pode aumentar os riscos de efeitos colaterais.

A forma líquida do produto também requer alguns cuidados. A dose a ser ingerida deve ser dosada com precisão. Se for obtida por uma suspensão, forma líquida não solúvel, agite bem antes de consumir.

Independente da forma adquirida, deve ser consumido com bastante água. O cloreto de magnésio em pó deve, preferencialmente, ser diluído em água filtrada. Para se certificar do uso correto, leia sempre a bula e respeite as orientações do médico.

Pessoas que apresentam o paladar mais sensível devem usá-lo em pequenas quantidades misturado com alimentos e ir aumentando as doses com aromatizantes de forma gradual.

Caso o consumo seja feito apenas com o cloreto dissolvido em água, para evitar que o gosto amargo do suplemento seja tão evidente, a pessoa pode fechar o nariz rapidamente enquanto bebe e logo em sequência ingerir algo com o gosto mais agradável.

Para que o cloreto de magnésio seja melhor aproveitado pelo organismo, também é importante manter um controle sobre a ingestão de vitamina D, cálcio e vitamina K2. Esses quatro nutrientes são importantes para a saúde e trabalham juntos nessa manutenção.

No entanto, é preciso ter cuidado com as doses consumidas. Da mesma forma que fazem bem à saúde, quando em excesso, podem fazer trazer complicações. O cálcio, por exemplo, ajuda a regular a ação de relaxante muscular que o magnésio proporciona.

Contudo, quando consumido em quantidades exageradas, o cálcio pode provocar ataques cardíacos, derrames ou levar a pessoa à morte.

Para equilibrar a quantidade de cálcio e prevenir as complicações pelo seu excesso, o consumo de vitamina K2 deve ser feito. A vitamina D, nesse processo, tem o papel de ajudar a melhorar a absorção de cálcio e magnésio.

Ingestão diária recomendada

A ingestão diária recomendada pode variar de acordo com a finalidade de uso de cada pessoa. As doses variam também de acordo com a idade ou estágio da vida. Segundo a Organização Mundial da Saúde, a ingestão diária deve ser feita da seguinte forma:

  • Crianças de 0 a 6 meses: 36mg/dia;
  • Crianças de 7 a 12 meses: 53mg/dia;
  • Crianças de 1 a 3 anos: 60mg/dia;
  • Crianças de 4 a 8 anos: 73 mg/dia;
  • Adolescentes de 9 a 13 anos: 100 mg/dia;
  • Pessoas de 14 a 70 anos: 260 mg/dia;
  • Gestantes com idade entre 14 a 50 anos: 220 mg/dia;
  • Lactantes com idade entre 14 a 50 anos: 270 mg/dia.

Posologia

A dosagem de cloreto de magnésio para cada pessoa pode variar de acordo com a finalidade com que está se ingerindo. Por isso, é muito importante verificar previamente com um médico qual a dosagem ideal.

De modo geral, a quantidade indicada é de 20g ou duas colheres de sopa rasas, que deve ser diluída em 1L de água filtrada.

Após colocar o equivalente a 20g em 1L de água, misture bem e guarde em um recipiente de vidro, na geladeira.

Se o uso for preventivo, o indicado é uma xícara de café pequena por dia, aproximadamente 100mL. Para pessoas que estão ingerindo o cloreto como tratamento, a dosagem é um pouco maior, como 2 xícaras de cafezinho por dia.

Para o uso do cloreto de magnésio para higienizar ferimentos, as 20g devem ser diluídas em 2L de água. É uma mistura considerada superior a desinfetantes, pois além de limpar o local do ferimento, estimula o sistema imunológico.

Indicações de uso

O cloreto de magnésio é utilizado como suplemento, para repor a quantidade necessária de magnésio para nossa saúde. Com esse objetivo, é indicado para qualquer pessoa que queira prevenir as doenças provocadas pela deficiência desse mineral.

Existem algumas contraindicações, mas dentro das indicações os grupos que mais se beneficiam incluem:

  • Idosos;
  • Pessoas com diabetes ou pré-diabéticos;
  • Pessoas em dietas restritivas;
  • Pessoas que sofrem com alcoolismo ou fazem uso recorrente de bebidas alcoólicas;
  • Pessoas com osteoporose;
  • Portadores de doenças cardíacas e que fazem uso de medicamentos para o coração;
  • Hipertensos;
  • Pessoas que fazem uso de antiácidos;
  • Praticantes de atividade física intensa, como atletas profissionais e praticantes de crossfit;
  • Pessoas que passam por grande estresse mental.

Contraindicações

Em algumas situações o cloreto de magnésio é contraindicado. Para saber se é seguro para sua saúde, especificamente, é importante consultar um médico. Ele saberá analisar o seu perfil e suas reais necessidades. Em gestantes, por exemplo, o uso só deve ser feito com o acompanhamento de um médico.

Conheça algumas das principais contraindicações:

Diarreia

O cloreto de magnésio não deve ser usado por pessoas que estão com diarreia, pois o composto é um laxante natural quando consumido por via oral. O excesso pode piorar a situação da diarreia, deixando o paciente ainda mais desidratado.

Colite ulcerosa

A colite ulcerosa é uma doença inflamatória que ocorre na mucosa interna do intestino grosso e do reto. É uma condição que aumenta as chances de se desenvolver câncer no cólon.

Alguns sintomas dessa inflamação incluem diarreia e desidratação, por isso o cloreto de magnésio é contraindicado.

Uso de antibióticos

Ingerir o cloreto de magnésio junto ao uso de antibióticos pode diminuir o efeito do medicamento.

Interações medicamentosas

O médico, ao orientar o paciente ao uso de cloreto de magnésio, deve analisar quais medicamentos ele usa e investigar as possíveis chances de ocorrer alguma interação.

Além de medicamentos, o paciente deve informar se utiliza outros produtos, com prescrição ou não, como os que apresentam fosfato de sódio de celulose, digoxina, sulfonato de poliestireno de sódio.

O cloreto de magnésio pode se ligar em determinados medicamentos e assim a absorção pelo organismo não é completa. Ao utilizar medicamentos do tipo tetraciclina, é aconselhável um intervalo de tempo entre a dose do medicamento e do cloreto de magnésio de 2 a 3 horas.

No caso de medicamentos usados para o tratamento de problemas relacionados à tireoide ou antibióticos do tipo das quinolonas (derivados do ácido nalidíxico), a recomendação é a mesma. Os pacientes também devem verificar o intervalo necessário entre o uso do suplemento de magnésio e do remédio.

Outras medidas para evitar possíveis interações é estar atento aos rótulos dos produtos e as bulas dos medicamentos, para verificar a composição. O farmacêutico também pode ajudar nesse momento.

Efeitos colaterais

O cloreto de magnésio em excesso pode provocar alguns efeitos colaterais como diarreia e desidratação.

Doses altas deste composto também podem desenvolver toxicidade de magnésio e hipermagnesemia, sendo esta última uma condição de maior risco para pacientes que já apresentam algum tipo de disfunção renal.

Alguns dos sintomas presentes quando ocorre toxicidade de magnésio são letargia, hipotensão, alterações no ritmo cardíaco normal (taquicardia), prejuízo na função dos rins, fraqueza muscular, parada cardíaca, dificuldades respiratórias e confusão.

Outros sintomas que podem surgir como efeitos colaterais ao cloreto de magnésio estão relacionados a algumas alergias que o composto pode provocar. Essas alergias são consideradas raras, mas alguns dos sinais são:

  • Urticária;
  • Tonturas intensas;
  • Inchaço do rosto, lábios, garganta e língua;
  • Dificuldades respiratórias.

É importante ressaltar a importância do uso consciente de qualquer suplemento ou medicamento. O uso indiscriminado do cloreto de magnésio pode afetar várias funções do organismo, podendo provocar paralisia respiratório e a morte. A dosagem limite para adultos é de 350mg por dia.

Preços e onde comprar?

O cloreto de magnésio pode ser encontrado em farmácias e casas de produtos naturais, em forma de pó, cápsulas ou gotas.

Os valores podem variar, dependendo da apresentação do produto. Você pode conferir diversas opções em nosso comparador de preços, Consulta Remédios.

Lá você encontra várias opções de cloreto de magnésio. Listamos aqui algumas sugestões:

Como armazenar

O cloreto de magnésio precisa ser armazenado em temperatura ambiente, com temperatura entre 15 ºC a 30 ºC. Também não deve ficar exposto à luz do sol ou a umidade.

Após dissolvido na água, deve ser guardado na geladeira em um recipiente de vidro com tampa. Deve ser consumido em até 30 dias.

Fatores de risco para deficiência em magnésio

Alguns fatores de risco podem levar o paciente a ter carência de magnésio, tais como doenças crônicas, uso de medicamentos ou hábitos alimentares. O uso de suplementos de cálcio, o uso de anticoncepcionais ou o tratamento de reposição hormonal são alguns. Outros fatores são:

Diabetes

Pacientes com diabetes, especialmente quando não estão em um tratamento adequado para controle da doença, podem apresentar deficiência desse mineral. Isso acontece porque o magnésio é excretado pelo organismo junto a glicose que não é absorvida pelas células.

Alcoolismo

O álcool quando consumido em grande quantidade impede a absorção do magnésio pelo organismo. É comum em pacientes alcoolistas quadros de hipomagnesemia, além de outras condições como níveis elevados de cálcio no sangue (hipocalcemia) e diminuição ou ausência da secreção das glândulas paratireoides (hipoparatireoidismo).

Idosos

Devido ao envelhecimento natural do organismo, a produção de ácido clorídrico se torna menor e assim o magnésio é menos absorvido. Dessa forma, o uso do cloreto de magnésio é importante para ajudar a repor essa carência e evitar doenças mais graves.

Dietas pouco balanceadas

O magnésio está presente em muitos alimentos, principalmente nas folhas verdes. No entanto, nem todas as pessoas incluem esses alimentos nas refeições do dia a dia.

Ingestão alta de refrigerantes

O fosfato presente em refrigerantes à base de cola impede a absorção do magnésio.

Laxantes e diuréticos

O uso de diuréticos e laxantes contribuem para que o magnésio seja liberado mais facilmente pelo organismo, o que pode provocar a deficiência.

Sintomas da deficiência em magnésio

A deficiência de magnésio pode desencadear uma série de sintomas, podendo provocar complicações no sistema circulatório, digestivo e nervoso.

Sistema circulatório

A falta de magnésio pode provocar ou agravar algumas doenças e sintomas. São eles:

  • Angina (dor ou desconforto no peito);
  • Aumento da pressão arterial;
  • Aumento dos níveis de colesterol;
  • Acidente vascular cerebral (AVC);
  • Taquicardia;
  • Trombose.

Músculos

Quando a deficiência de magnésio afeta diretamente os músculos, os sintomas provocados envolvem:

  • Dores nas costas;
  • Câimbras;
  • Nistagmo (movimentos rápidos dos olhos);
  • Dormência;
  • Cólicas menstruais;
  • Aumento da excitação;
  • Espasmos pelo corpo (pálpebras, intestino, esôfago etc.);
  • Tensão na mandíbula;
  • Contração muscular;
  • Zumbidos;
  • Tremores;

Sistema nervoso

Sistema digestivo

  • Constipação;
  • Diarreia crônica;
  • Má absorção;
  • Pancreatite;
  • Intestino preso;
  • Vômitos e náuseas;
  • Falta de apetite.

Outros sintomas e condições

Em pessoas alcoólatras, pela baixa absorção e aumento da excreção, as necessidades diárias de magnésio se tornam maiores. Normalmente, apenas pela alimentação não é o suficiente, e por isso precisam recorrer ao cloreto de magnésio.

A deficiência de magnésio também está relacionada a outras doenças ou sintomas:

  • Odores corporais;
  • Artrite;
  • Calcificação;
  • Osteoporose;
  • Câncer;
  • Fadiga crônica;
  • Cirrose hepática;
  • Lúpus eritematoso;
  • Dores de cabeça e enxaqueca;
  • Diabetes;
  • Infecções;
  • Inflamações;
  • Problemas da próstata;
  • Rigidez física e mental;
  • Pele enrijecida e enrugada;
  • Raquitismo;
  • Pedra nos rins e na vesícula;
  • Doenças na tireoide;
  • Cáries;
  • Dificuldade para respirar profundamente;
  • Tontura;
  • Sensação de cansaço frequente, principalmente ao acordar;
  • Fotofobia;
  • Sensação de formigamento ao redor da boca.

Alimentos fontes de magnésio

O magnésio está presente em alguns alimentos comuns em nosso dia a dia. Na maioria dos alimentos é possível encontrar essa propriedade, mas em algumas a quantidade é mais relevante, podendo variar de 10 a 100 mg, normalmente.

Assim, para adquirir boas quantidades desse composto, sem precisar recorrer ao cloreto, é necessário incluir alguns alimentos ao cardápio. Veja alguns dos que mais possuem magnésio, considerando 100g:

  • Alga marinha: 770 mg;
  • Coentro seco: 694 mg;
  • Manjericão seco: 422 mg;
  • Sementes de linhaça: 392 mg;
  • Cacau em pó sem açúcar: 499 mg;
  • Whey protein: 176 mg;
  • Manteiga de amêndoa: 303 mg;
  • Sementes de abóbora secas: 535 mg;
  • Cavala (peixe): 97 mg;
  • Grãos de soja: 86 mg;
  • Espinafre: 79 mg;
  • Acelga: 285,7 mg;
  • Arroz integral: 44 mg.

Outros alimentos fonte de magnésio são:

  • Folhas verdes (de preferência, verde escuras): agrião, alface, couve, chicória, rúcula, espinafre, acelga;
  • Algas marinhas;
  • Suco de erva fresca, como de hortelã e vegetais;
  • Nozes;
  • Sementes oleosas e germinadas;
  • Grãos integrais;
  • Feijão;
  • Levedura de cerveja;
  • Batata;
  • Abóbora (inclusive a semente);
  • Leguminosas como lentilha e ervilha;
  • Frutas: banana, damasco, abacate, ameixa, melancia, laranja, maçã, abacaxi, pêssego;
  • Milho;
  • Farinha de trigo integral.

Já as fontes de magnésio de origem animal incluem:

  • Linguado (peixe);
  • Bacalhau;
  • Camarão;
  • Aves;
  • Carne bovina;
  • Carne suína;
  • Mel;
  • Ovo;
  • Sardinha;
  • Leite e derivados.

Lembre-se sempre de manter uma alimentação equilibrada e, sempre que necessário, fazer o acompanhamento com um médico ou nutricionista.


O cloreto de magnésio é um suplemento importante para o tratamento das doenças causadas pela deficiência desse mineral. Embora sua ação seja positiva no organismo, é fundamental não depender apenas do suplemento.

Vários alimentos apresentam boas quantidades de magnésio. Acrescentá-los à dieta do dia a dia deve trazer não só os benefícios deste mineral, mas como os de outras propriedades.

Sendo assim, converse com seu médico e investigue a possibilidade (e necessidade) de ingerir o cloreto de magnésio. Se você já faz uso, fique a vontade para nos contar no espaço de comentários quais foram os resultados. Obrigada pela leitura!

Referências

CAMPOS, Bruna Aline de. Benefícios do Magnésio para a saúde / Bruna Aline de Campos. Fundação Educacional do Município de Assis – FEMA — Assis, 2012.
http://www.fsp.usp.br/~marlyac/magnesiosodiopotassio.pdf
https://pt.scribd.com/doc/181116590/ARTIGOS-SOBRE-CLORETO-DE-MAGNESIO-pdf

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (21 votos, média: 4,90 de 5)
Loading...

9 Comentários

Atenção: os comentários abaixo são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

  1. Bom dia, eu li seu texto e gostaria muito de utiliza-lo em meu trabalho, mas para citá-la no meu texto preciso do seu nome completo, você poderia me passar, por favor?

  2. Eu tomo cloreto de magnésio mas não estou encontrando na minha cidade Santo António de Jesus Ba

Deixe o seu comentário, nos preocupamos com sua opinião:

Por gentileza, escreva seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui

Lamentamos a não possibilidade de dar-lhe conselho médico ou responder a questões médicas e farmacêuticas individuais através de e-mail, pois apenas um médico pode prestar tal atendimento. Embora tentemos responder a todos os comentários, opiniões e e-mails que recebemos em até dois dias úteis, nem sempre é possível devido ao grande volume que recebemos. Por favor, tenha em mente que qualquer solicitação ao Minuto Saudável está sujeita aos nossos Termos de Uso e Política de Privacidade, ao enviar, você indica sua aceitação.