Diariamente, uma parcela significativa da população faz a administração de laxantes, medicamentos voltados ao tratamento de prisão de ventre e/ou como procedimento prévio a cirurgias ou exames diagnósticos.

Pensando nisso, é muito importante saber informações básicas sobre as opções de medicamentos disponíveis, quando são indicados, opções naturais e outras curiosidades. 

Confira tudo isso a seguir:

Índice — neste artigo você vai encontrar:

  1. O que é prisão de ventre?
  2. Laxante: quais os remédios para prisão de ventre?
  3. Laxantes infantis: o que usar para prisão de ventre em crianças?
  4. Laxantes naturais: o que é bom para soltar o intestino?
  5. Tratamento natural para crianças
  6. Laxante emagrece?
  7. Tomar laxante faz mal?
  8. O que acontece se tomar laxante todos os dias?

O que é prisão de ventre?

Prisão de ventre ou intestino preso são nomes populares para a constipação intestinal. Trata-se de um distúrbio caracterizado pela dificuldade constante para evacuar e é bastante comum. 

As causas mais comuns estão associadas à baixa quantidade de fibras na dieta, pouca ingestão de líquidos, excesso de proteína animal (carnes, ovo, etc), alimentos industrializados ou até mesmo fatores como o sedentarismo.

Entretanto, em casos mais graves pode estar relacionada a doenças do cólon e do reto, como diverticulose, hemorroidas, fissuras anais e câncer colorretal.

Porém, é preciso ter em mente que não há (de forma exata) uma quantidade determinada quanto à frequência normal de funcionamento do intestino. Clinicamente, só se considera realmente um quadro de constipação quando ocorrem 2 ou menos evacuações por semana, ou quando é necessário fazer um esforço demasiado.


O tratamento consiste em mudanças comportamentais e, quando não há um resultado satisfatório, podem ser necessários medicamentos. Então, o principal tratamento para prisão de ventre não consiste no uso de laxantes — pois são usados pontualmente.

Mesmo assim, muitas pessoas fazem deles por conta própria, porém a automedicação nunca é recomendada e é preciso orientação médica sempre. 

Além disso, há possíveis efeitos colaterais de seu uso: flatulências (gases), distensão abdominal (inchaço), diarreia, cólicas, etc. Também é importante saber que seu uso frequente pode ser bastante prejudicial à saúde.

Mas você pode conferir algumas informações sobre os laxantes, entender sua ação e consequências:

Laxante: quais os remédios para prisão de ventre?

O laxante é um medicamento usado para ajudar no funcionamento do intestino, podendo ser recomendado para casos de prisão de ventre ou até como procedimento prévio a cirurgias, por exemplo.

Esse tipo de medicação age com a finalidade de ajudar o organismo a estimular a eliminação das fezes. Entretanto, esse estímulo varia conforme o laxante usado — podem ser lubrificantes (amolecem o bolo fecal), estimulantes ou irritativos (provam contração da musculatura intestinal), etc.

O tempo de ação desses medicamentos pode ocorrer a partir de 3 horas após a ingestão e, alguns, podem permanecer fazendo efeito no organismo por até 3 dias. 

Há, ainda, alguns possíveis efeitos colaterais de seu uso: flatulências (gases), distensão abdominal (inchaço), redução da absorção intestinal de outras drogas, cólicas, etc.

Conforme mencionado, a automedicação nunca é recomendada. Sendo assim, é muito importante buscar auxílio médico para receber indicação do tratamento indicado para o seu caso. Dentre as possíveis opções de remédios indicados para esses casos, estão:

Dulcolax

O Dulcolax é um laxante de ação local, ou seja, atua diretamente na parede intestinal. Assim, ele estimula o movimento intestinal — promovendo o acúmulo de água dentro do órgão, o que facilita a eliminação das fezes.

De acordo com a bula, essa medicação pode ser administrada em adultos e crianças (a partir de 4 anos). 

Acima de 10 anos, a indicação é administrar no máximo 1 ou 2 comprimidos no dia — optando primeiro pela menor dose, de forma que a segunda só deve ocorrer quando a primeira não for efetiva.

Já para crianças de 4 a 10 anos, a recomendação é sempre de apenas 1 comprimido por dia. Em todos os casos, ação do remédio se inicia entre 6 e 12 horas após a ingestão. 

Vale destacar, ainda, que o Dulcolax atua no intestino grosso, estimulando o processo natural de evacuação na região inferior do trato gastrintestinal. Por isso, ele não altera a digestão ou a absorção de calorias e nutrientes.

Lacto-Purga

O medicamento Lacto-Purga também é um laxante de ação local (atua direto na parede do intestino). Sendo assim, ele estimula o movimento intestinal e com isso promove o acúmulo de água no intestino — facilitando a evacuação.

Assim como o remédio Dulcolax, o Lacto-Purga tem sua ação no intestino grosso e não altera os processos de digestão ou a absorção de calorias e nutrientes.

De acordo com a bula, a dose segura é de 1 comprimido por dia para crianças de 4 a 10 anos. Acima de 10 anos e adultos, a dose máxima é de 2 comprimidos diários — mas recomenda-se iniciar com a menor dose (1 comprimido).

Leite Magnésia

O Leite de Magnésia Phillips é indicado para o tratamento ocasional de prisão de ventre e como um antiácido, aliviando a azia e má digestão.

Como laxante, ele age aumentando a retenção de água no interior do intestino. Dessa forma, ajuda a amolecer as fezes, bem como promove a movimentação intestinal — o que facilita a evacuação.

Para tomar, pode ser diluído (ou não) em água. De acordo com a bula, crianças a partir de 12 anos e adultos podem ingerir de 5mL (1 colher de chá) a 15mL (1 colher de sopa), conforme a necessidade. Respeitando a dose máxima: 3 colheres de sopa (45mL).

Já entre 2 e 5 anos, o uso máximo é de 1 colher de chá a 1 colher de sopa (5mL a 15mL) uma vez ao dia.

Ainda, para crianças de 6 a 11 anos, o uso seguro é de 15mL a 30mL por dia.

Natulaxe

O Natulaxe é um medicamento natural, composto pela planta medicinal Sene (com efeito laxativo). Ele é destinado ao tratamento ocasional de prisão de ventre.

Sua ação se dá a partir da estimulação do movimento intestinal, resultando em maior volume de líquido na massa fecal. Além disso, o Natulaxe também influencia a secreção de água e sais no intestino, favorecendo a eliminação de uma maior quantidade de fluidos.

De acordo com as informações do fabricante, a evacuação deve ocorrer entre 8 e 12 horas após ingerir o medicamento — recomenda-se o uso de 2 cápsulas, antes de dormir.

Laxantes infantis: o que usar para prisão de ventre em crianças?

Dentre os grupos mais atingidos por problemas de prisão de ventre estão mulheres, idosos e crianças. Mas, quando se trata de uso pediátrico de medicamentos, é necessário um cuidado ainda maior.

É preciso dar atenção aos possíveis sintomas que a criança pode apresentar. Caso o problema não se resolva e a evacuação não ocorra de forma natural, é preciso procurar um(a) pediatra. É provável que ele(a) faça a indicação de medicamentos como o Enterogermina — um regulador da flora intestinal.

De acordo com as informações da bula, esse remédio pode ser administrado para crianças desde que com a orientação médica. Para saber sobre a posologia (dose) diária, consulte a bula e siga as instruções fornecidas pelo(a) médico(a).

Laxantes naturais: o que é bom para soltar o intestino?

O uso excessivo de qualquer medicação pode ser prejudicial. Então, principalmente para quem sofre de prisão de ventre com certa frequência, optar com tratamentos naturais pode ser uma boa escolha.

Além disso, os tratamentos caseiros também podem ser uma alternativa para o uso pediátrico.

Entretanto, vale destacar que nenhum laxante natural ou remédio caseiro substitui a necessidade de buscar auxílio médico ao persistirem os sintomas ou em casos mais severos de constipação.

Confira alguns exemplos de opções naturais, que podem ser usadas em situações esporádicas  e mais brandas de prisão de ventre:

Chá laxante

Os chás laxantes podem ajudar quando há dificuldade em evacuar ou, ainda, quando as fezes estão muito secas ou quando se tem a sensação de evacuação incompleta.

Seu uso pode ser de forma isolada, mas se feito de maneira complementar a cuidados como uma alimentação rica em fibras, com baixo consumo de industrializados e bastante hidratação, é ainda mais efetivo.

Após tomar um chá laxante é normal apresentar cólica abdominal. Neste caso, o melhor a se fazer é tentar relaxar e ingerir bastante água, pois isso vai ajudar na hidratação e formação do bolo fecal — estimulando a evacuação.

Há diversos chás que você pode escolher. Dentre eles, os mais famosos são: 

  • Chá de Cáscara Sagrada;
  • Chá de Ameixa Preta;
  • Chá de Erva Cidreira (Melissa);
  • Chá de Boldo. 

É possível optar pelas versões industrializadas, mas se possível prefira fazê-los de forma natural, a partir do uso próprio das plantas ou frutas (no caso da ameixa).

Frutas

Muitas frutas podem agir como um laxante natural no organismo, isso pois são ricas em fibras e outras substâncias que atuam facilitando a evacuação. A melhor opção é apostar no consumo das seguintes opções:

  • Ameixa;
  • Mamão;
  • Manga;
  • Abacate;
  • Morango;
  • Kiwi;
  • Laranja.

Leia mais: Pitaya: os benefícios da “fruta dragão” e como comer

Além disso, sempre que possível, tente fazer uso da casca em seu consumo — considerando que são uma parte da fruta rica em nutrientes e fibras. 

Porém, lembre sempre de higienizar corretamente esses alimentos antes de consumir com casca, em especial se não forem orgânicos — devido à presença de agrotóxicos.

Tratamento natural para crianças

Os tratamentos mais naturais podem ser uma boa opção para as crianças, considerando que nem sempre possuem uma boa alimentação (principal causa da prisão de ventre).

Dentre as alternativas, você pode escolher alguns tipos de sucos naturais que, a partir da mistura de frutas ou vegetais, podem ter efeito laxativo e tendem a ajudar na evacuação. Algumas opções são:

  • Suco de beterraba com laranja;
  • Suco de mamão e laranja;
  • Suco de laranja e ameixa.

Além disso, o consumo de alimentos como o mingau de aveia, por exemplo, pode ajudar quando a criança estiver apresentando dificuldades com o trânsito intestinal. 

Laxante emagrece?

Não. Infelizmente, esse é um erro comum que muitas pessoas cometem: buscar o uso de laxantes com o objetivo de obter emagrecimento.

Antes de tudo, é preciso ter em mente que os laxantes são uma classe medicamentosa e, assim como qualquer remédio, não devem ser usados sem indicação médica.

Mas, além disso, a ação do laxante é ajudar no funcionamento intestinal e resolver problemas de constipação. Por isso, ao usar essa medicação, algumas pessoas podem ter a impressão de emagrecimento.

Isso ocorre porque, em geral, tende-se a reduzir o estufamento e o inchaço, provocados pela falta de evacuação, principalmente na região abdominal. Ou seja, o que ocorre é a perda de água e assim que a pessoa voltar a se hidratar e ingerir alimentos, o “peso” perdido volta.

Além disso, esse tipo de medicamento não realiza nenhuma interferência quanto à absorção de calorias — de forma que não teria como ajudar no processo de emagrecimento.

Com isso, reforça-se a ideia de que em nenhuma circunstância deve ocorrer a automedicação, sobretudo se o objetivo for emagrecimento: o que não é função do laxante.

Se esse for o foco, é ideal buscar o auxílio de um(a) nutricionista, a fim de realizar esse processo de forma responsável e prezando pela saúde.

Tomar laxante faz mal?

Se o uso do laxante for feito diferente das recomendações médicas ou de forma independente, sem auxílio de um profissional, pode sim fazer mal.

Além de seu uso excessivo causar desidratação no organismo, pode gerar problemas sérios como a dependência, efeito rebote (piorar a constipação) e até efeitos extremamente potencializados, gerando diarreias e vômitos intensos.

Mas, pode haver consequências ainda mais graves, como problemas renais, cardíacos, irritação da mucosa intestinal e até mesmo aumentar as chances de câncer colorretal.

Sendo assim, é imprescindível fazer um uso seguro não só dos laxantes, mas de qualquer medicamento. Procure sempre ajuda de profissionais da saúde!

O que acontece se tomar laxante todos os dias?

Considerando que se usado em excesso ou de forma independente (sem supervisão médica) o laxante pode fazer mal, é fácil perceber que tomá-lo todos os dias se enquadra como um fator de risco. Além de causar efeitos colaterais imediatos, isso pode fazer com que seu organismo pare de funcionar de forma natural.

Ainda, como mencionado, o excesso de remédios com efeito laxativo pode aumentar as chances de tumores ou causar outras complicações menos intensas, porém graves. Por exemplo, em alguns casos pode ocorrer desgaste dos nervos intestinais, fazendo com que o organismo não consiga atuar sozinho.

Então, não é recomendado de forma alguma realizar o uso diário de laxantes — com exceção de casos raros, em que o(a) médico(a) responsável pode fazer essa indicação.


A prisão de ventre é um problema bastante comum e que pode atingir qualquer pessoa. Mas, assim como qualquer distúrbio relacionado à saúde, podem ser necessários tratamentos medicamentosos — nesse caso, é comum o uso de reguladores intestinais.

Como vimos, os laxantes podem ajudar a resolver pontualmente problemas de constipação intestinal, mas se não usados de forma segura, podem gerar problemas ainda mais graves. Por isso, sempre opte por buscar orientação médica ou farmacêutica.

Para ter acesso a mais conteúdos sobre saúde, continue acompanhando o Minuto Saudável!


Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.