Como perder barriga: o que comer, exercícios e remédios caseiros

0

As chances de você já ter feito essa pergunta são grandes. Se nunca, ao menos conhece alguém que está sempre em busca da resposta. Não é difícil encontrar alguém dizendo que entrou para a academia, que o verão está se aproximando, que precisa entrar em forma ou que a dieta começa na segunda-feira. Familiar?

É muito comum, ainda mais na cultura brasileira, a busca por um suposto corpo ideal. Não é à toa que ocupamos o segundo lugar no ranking de países com maior número de cirurgias plásticas. Uma barriga mais avantajada está sempre entre as insatisfações.

Índice — nesse artigo você encontrará as seguintes informações:

  1. Como perder barriga?
  2. Existe medida ideal?
  3. Gordura abdominal
  4. Como funciona o metabolismo?
  5. Homens emagrecem mais rápido do que mulheres?
  6. Alimentação: o que comer para emagrecer?
  7. Alimentos com Ômega 3
  8. Chá verde
  9. Proteínas
  10. Uso de suplementos
  11. Quais alimentos evitar
  12. O açúcar é um vilão?
  13. A importância de dormir bem
  14. Quais os exercícios mais indicados?
  15. Quais os tratamentos estéticos para perder barriga?
  16. Distúrbios alimentares
  17. Remédios para emagrecer
  18. Quais os tratamentos cirúrgicos reduzem a gordura localizada na barriga?

Como perder barriga?

Existem muitos métodos suspeitos para perdê-la, que fogem completamente do controle e passam longe de ser algo saudável. Dietas malucas e exercícios sem acompanhamento profissional são perigosos e devem ser evitados.

Pensando nos riscos de se ter uma obsessão por emagrecer ou até mesmo quando se tem autoestima baixa, algumas doenças preocupantes podem se desenvolver. Nesses casos, é uma questão além da estética, sendo necessário acompanhamento médico e psicológico. Entre os exemplos conhecidos, temos distúrbios alimentares como anorexia e bulimia.

Entretanto, não existe nenhum problema em querer perder a barriga ou buscar o corpo que acredita ser o melhor para você. Afinal, estar feliz com sua imagem é fundamental para a autoestima. Para isso, existem muitas formas saudáveis de alcançar esse objetivo.

Separamos algumas dicas de exercícios e alimentação, buscando nos aproximar do ideal para entrar em forma, obter saúde e melhorar a autoestima.

Existe medida ideal?

Quando pensamos na medida ideal da cintura por uma questão de saúde, existem dois números que devemos nos atentar: 88 centímetros para as mulheres e 102 centímetros para os homens.

Essas medidas surgiram após um estudo realizado por James Cerhan e a clínica Mayo Clinic, nos Estados Unidos. 650 mil pessoas participaram da pesquisa e contribuíram para que se chegasse a esses números.

O mais tradicional método usado para avaliar o índice de obesidade é o Índice de Massa Corpórea (IMC = Peso/ altura x altura). No entanto, o pesquisador acredita que somente essa fórmula não dá conta de explicar problemas relacionados ao excesso de peso.

A gordura acumulada na região abdominal apresenta grandes riscos associados ao aumento de mortalidade. Com o acompanhamento das medidas dos participantes da pesquisa, James Cerhan percebeu que em homens com circunferência menor a 90 centímetros, comparado com os homens com medidas superiores a 110 centímetros, a mortalidade é 52% maior.

Nas mulheres com 95 centímetros ou mais, a mortalidade é 80% mais alta do que a de mulheres com medidas menores.

Considerando esse estudo, é importante ficar atento não só às medidas, mas principalmente, aos hábitos. Os números que o estudo alcançou não revelam as particularidades de cada caso, no entanto, é um jeito de mantermos tudo sob controle. Não só pela estética, mas pelos riscos à saúde.

Gordura abdominal

Existem dois tipos de gordura abdominal e elas apresentam riscos e formas diferentes de serem eliminadas.

Gordura subcutânea

A gordura subcutânea é a mais “visível”, pois está localizada abaixo da parte mais externa da pele. Ela cobre os músculos internos e quando em grande quantidade podemos apalpá-la. Pode ser que seja esse tipo de gordura que você está buscando eliminar.

O que pode ser considerado algo bom (ou menos pior), pois comparado a gordura visceral, essa gordura é menos preocupante em termos de danos mais graves a saúde. Lembrando que ambas devem estar controladas, para que seu corpo continue funcionando 100%.

Gordura visceral

Esse tipo de gordura está localizado entre os órgãos internos e a parede abdominal. Não é possível agarrá-la como é possível com a gordura subcutânea. Entretanto, da mesma forma, provoca um volume no estômago, fazendo com que fique mais avantajado, só que de uma forma mais dura.

Ela é mais comum nos homens, a famosa barriguinha de chope. Nas mulheres é mais comum o desenvolvimento da subcutânea. A gordura visceral, no corpo feminino, costuma se desenvolver mais quando estão na menopausa.

A gordura visceral não é boa para a saúde, pois aumenta a inflamação nos órgãos. Essas inflamações acontecem por dois motivos: liberação de proteínas como adipocinas e redução de hormônios como adiponectina.

Adipocinas

Adipocinas são substâncias liberadas pela gordura visceral que aumentam a pressão arterial e influenciam a insulina, podendo provocar doenças cardíacas e diabetes.

Adiponectina

Esse hormônio é fundamental para manter nosso corpo mais saudável, pois é essencial para queimar gorduras e acelerar o metabolismo. A gordura visceral não é muito amiga desses hormônios e diminui a quantidade deles em nosso organismo.

Quando não temos adiponectina em nosso corpo, em quantidade suficiente, pode significar que um número maior de triglicerídeos está presente em nossa corrente sanguínea.

Com os triglicerídeos em grande quantidade, os riscos de doenças cardiovasculares são maiores. Eles estão associados ao depósito de gordura nos vasos e a aterosclerose, ou seja, o acúmulo de gorduras, colesterol e outras substâncias prejudiciais nas paredes arteriais e dentro delas. Também é um fator que pode desenvolver diabetes.

Como funciona o metabolismo?

Muitas pessoas associam a dificuldade de perder peso ao metabolismo lento, e isso realmente tem relação.

O metabolismo é um processo biológico fundamental no nosso corpo. Basicamente, é um conjunto de reações químicas que fornecem a quantidade suficiente de energia para que nosso corpo funcione corretamente. A quantidade de energia que usamos muda, não é igual todos os dias.

Ele também está responsável pelo crescimento das células, suas estruturas e respostas ao ambiente.

Existem duas fases do metabolismo: anabolismo e catabolismo. O catabolismo é responsável pelas reações químicas que produzem energia a partir da degradação ou decomposição de moléculas complexas, como gorduras e carboidratos.

O anabolismo, no entanto, é a fase em que as reações químicas produzem nova matéria orgânica. Acontece através de estímulos, diferente do catabolismo, que não ocorre de forma espontânea.

Muitos fatores podem influenciar o metabolismo e a forma como ele está respondendo. Cerca de 20% está relacionado a uma questão diretamente genética. Os outros 80% são combinações de hábitos e ambiente, que podem ser mudados.

A fase metabólica responsável por reduzir a gordura corporal é o catabolismo. Para isso, é necessário provocar um equilíbrio energético, ou seja: gastar mais energia do que se ingere. Nesse momento, a combinação alimentação e exercícios entra em cena.

O que torna o metabolismo mais rápido ou lento?

Cada organismo funciona de forma diferente e para entender porque o metabolismo é mais rápido ou mais lento, é necessário avaliar algumas condições individuais, como peso, idade, sexo, atividade física, alimentação etc.

A idade é um dos fatores que mais interfere na oscilação do metabolismo. A partir dos 30 anos, ele começa a desacelerar. Essa relação acontece devido a redução de massa muscular e ao sedentarismo, por exemplo.

Geralmente, os homens apresentam percentual de gordura menor por terem maior massa muscular do que as mulheres. Ter maior massa muscular significa um consumo calórico maior e mais acelerado. Por isso, os homens tendem a perder peso mais rápido.

Para que o metabolismo se torne mais rápido, uma recomendação é praticar exercícios físicos que aumentem a massa muscular.

Quais alimentos aceleram o metabolismo?

Alguns alimentos ajudam o metabolismo a funcionar melhor. Alguns desses alimentos também são termogênicos, por isso são indicados para quem quer emagrecer. Algumas opções são:

  • Gengibre;
  • Canela;
  • Pimenta;
  • Óleo de coco;
  • Café;
  • Chá verde;
  • Mate.

Quais alimentos retardam o metabolismo?

Do outro lado da balança, existem os alimentos ruins para quem busca perder peso e ter um metabolismo rápido. Se você está em busca do emagrecimento e redução da barriga, procure evitar os carboidratos refinados e prefira os carboidratos integrais.

Entre os carboidratos refinados mais comuns estão o álcool, farinha branca, arroz branco e açúcar, pães, sucos e bebidas industrializadas etc.

Os carboidratos integrais são mais saudáveis, como os vegetais, legumes, frutas, batatas e cereais.

Homens emagrecem mais rápido do que mulheres?

Os homens, geralmente, perdem peso mais rápido que mulheres, mas isso não é uma regra e muitos fatores podem estar relacionados. Cada caso deve ser tratado particularmente.

No entanto, um dos motivos que pode contribuir para que os homens percam peso com maior facilidade está no fato de terem maior massa magra e músculos.

A massa magra em nosso corpo é composta por músculos, órgãos, ossos e líquidos. E quanto maior for essa massa magra, mais fácil será a perda calórica, assim como é com os músculos, que transforma os nutrientes em energia.

Por exemplo, enquanto uma mulher leva um tempo maior para gastar a energia ingerida em determinado alimento, um homem que consumiu a mesma quantidade queimará mais rapidamente as calorias, devido a massa magra.

Isso não acontece no corpo das mulheres por apresentar maior teor de gordura e pela presença de hormônios.

Alimentação: o que comer para emagrecer?

A parte divertida: alimentação! Existem aqui algumas regrinhas e palavras chaves para qualquer pessoa que busca uma vida saudável, querendo ou não perder uns quilinhos e medidas.

Alimentos termogênicos

Todos os alimentos apresentam certo grau de função termogênica, mas alguns se destacam. Eles ajudam no emagrecimento pois aceleram o metabolismo. Isso acontece porque o nosso corpo precisa de um gasto maior de energia para digeri-los. Esses alimentos “forçam” o metabolismo a trabalhar mais rápido, para dar conta de processá-los.

Esse efeito termogênico, no entanto, só acontece quando se tem aliado a esses alimentos uma dieta equilibrada e um consumo frequente deles. Funciona como um estimulante mesmo. Alguns alimentos são bem comuns em nossa alimentação e fazem muito bem para a saúde. Conheça os principais:

  • Gengibre;
  • Canela;
  • Curry (tempero indiano com pimenta, gengibre, canela, cravo etc);
  • Café;
  • Linhaça;
  • Pimenta vermelha;
  • Chá verde;
  • Semente de chia;
  • Óleo de coco extra virgem;
  • Chá de hibisco.

Além de acelerar o metabolismo, esses alimentos ajudam na prevenção do câncer de cólon e de ovário, em recuperação de gripes, na digestão, circulação sanguínea e eliminação dos gases.

Mas, como tudo em excesso não é bom, com os alimentos termogênicos não é diferente. Exagerar na ingestão pode provocar alguns desconfortos, como dores de cabeça, insônia e problemas gastrointestinais.

Mulheres em gestação podem consumir esses alimentos quando em quantidades adequadas e sob acompanhamento médico.

Alimentos com Ômega 3

O ômega 3 é um conjunto de ácidos graxos essenciais para a nossa saúde e crescimento. É um tipo de gordura que faz bem, mas que o nosso organismo não é capaz de produzir de forma espontânea.

Por isso, precisamos buscar o ômega 3 em alimentos. As fontes mais comuns para se encontrar esse benefício são dos óleos de peixes, mas também são encontrados em óleos vegetais.

Alguns estudos mostram que esses ácidos graxos fornecem benefícios para o coração, melhoram o sistema circulatório e imunológico, o humor e também o nosso aprendizado.

Além de possibilitar todas essas vantagens para a saúde, os alimentos com ômega 3 auxiliam na perda de peso.

Alguns alimentos que contêm essa propriedade em grande quantidade são:

  • Peixes (sardinha, salmão, bacalhau, atum);
  • Linhaça;
  • Chia;
  • Castanhas;
  • Abacate;
  • Brócolis;
  • Couve.

Chá verde

A tradição dessa bebida, tão comum entre as pessoas que buscam emagrecer, veio dos povos orientais: foi na China que o chá verde teve sua origem. Ele ainda é muito consumido no país e é também bastante popular no Japão.

O chá verde é um tipo de chá feito da planta Camellia sinensis e tem esse nome devido a pouca oxidação das folhas durante o processamento, diferente do chá preto. Até a sua invenção, também na China, os chás não eram divididos por cores.

Com o passar do tempo e com os benefícios da bebida se tornando cada vez mais populares, o chá ganhou também o ocidente.

Ele pode ser encontrado em forma de sachês, pó solúvel e em cápsulas.  Além de ser diurético, possui potássio, vitamina C, vitamina K, vitamina B1 e vitamina B2.

Benefícios do chá verde

O chá verde pode ser um facilitador para quem quer emagrecer por conter substâncias que aceleram o metabolismo, como cafeína e catequinas. Dessa forma, o consumo desse chá contribui para que o organismo gaste mais energia.

Ele também apresenta benefícios que facilitam a digestão, regularizam o intestino e a retenção de líquidos no organismo.

Além disso, é antioxidante, o que ajuda a retardar o envelhecimento celular e proteger as células da ação destrutiva de moléculas de radicais livres. Esse processo atua como uma prevenção de vários tipos de câncer.

O consumo do chá verde também pode auxiliar a combater o colesterol ruim e prevenir doenças cardíacas e respiratórias.

Como prepará-lo

Para preparar o chá verde é importante não deixar a água ferver. Quando isso ocorre, as folhas acabam cozidas pela temperatura elevada e a bebida tende a ter um gosto mais amargo, o que pode torná-la bem menos agradável de se consumir.

Para que todas as propriedades do chá verde sejam aproveitadas, o ideal é deixá-lo em infusão (mergulhado na água quente) por, no mínimo, 3 minutos.

Proteínas

Para perder peso, é importante incluir proteínas de qualidade a alimentação, pois são fundamentais para o funcionamento de nosso organismo.

Após exercícios físicos, o consumo desses alimentos ajuda a evitar lesões e, para quem busca crescimento muscular, são essenciais.

A proteína está presente em muitos alimentos, principalmente nos de origem animal, como ovos, peixe, carnes, queijo, leite e iogurte.

Os vegetais também apresentam boas quantidades de proteína. Para alcançar seu objetivo de perder a barriga, é muito importante consumi-los. Soja, lentilhas, quinoa, feijão e tofu são alguns dos alimentos mais ricos em proteína vegetal.

Essas proteínas são facilmente absorvidas por nosso organismo, por isso tê-las em nossa dieta facilita o processo de emagrecimento. Isso quando consumidas em quantidades adequadas, pois exageros não fazem bem.

Além disso, existem estudos que mostram a relação entre pessoas que consomem essas proteínas e a ausência de acúmulo de gordura localizada na barriga.

Uso de suplementos

O uso de suplementos para conseguir emagrecer pode ser uma opção para quem encontra grande dificuldade em eliminar peso somente com alimentação e exercícios.

É essencial, nesses casos, consultar um profissional sobre o uso. Por isso, se você está buscando potencializar sua dieta e treino com suplementos, converse com uma nutricionista antes.

A função dos suplementos é de potencializar a queima de gorduras e aumentar o metabolismo. Eles dão a sensação de maior disposição para praticar atividades físicas.

Os suplementos termogênicos e os que contêm vitamina B, zinco, CLA e selênio apresentam esse objetivo. Nos suplementos termogênicos, estão presentes ingredientes naturais, como o chá verde e a cafeína.

A quantidade de compostos que aceleram o metabolismo pode variar de suplemento para suplemento. É comum que a quantidade seja pequena, pois em excesso pode provocar riscos à saúde.

Alguns efeitos colaterais que podem aparecer, quando utilizados de forma inadequada, são:

  • Fadiga;
  • Tontura;
  • Dores de cabeça;
  • Ansiedade;
  • Nervosismo, em pessoas que sofrem com ansiedade;
  • Insônia;
  • Palpitações;
  • Arritmia.

Quais alimentos evitar?

Entre os alimentos a serem evitados estão os famosos fast foods, frituras, doces e alimentos processados.

Pode ser muito tentador resistir a alguns pratos. Comprar alimentos prontos realmente é bem mais prático do que preparar uma boa refeição em casa, com alimentos frescos. Quando estamos fora de casa, fica até pior. Mas, acredite, é apenas uma questão de hábito e começar pra valer.

Alguns alimentos também estão na lista de vilões da dieta, mas podem ser reduzidos ou substituídos facilmente. É assim com os carboidratos. Eles nos dão energia, mas alguns tipos são pouco proveitosos para nosso organismo e muito calóricos.

São absorvidos rapidamente, se tornam apenas gordura armazenada e não trazem saciedade. Sentindo fome constantemente, manter uma dieta fica mais complicado.

Entre os carboidratos mais presentes em nosso cotidiano estão a farinha branca, arroz branco e o açúcar refinado. Esses estão entre os pouco vantajosos. Podem ser substituídos por carboidratos mais benéficos, como grãos, arroz e pães integrais.

Por isso, é fundamental ficar atento às embalagens e consultar os ingredientes antes de colocar no carrinho de compras. Alguns alimentos rotulados como “integral” são enganosos, sendo parcialmente integrais.

Alimentos com gordura trans

A gordura trans é um tipo de gordura hidrogenada muito utilizada para esticar a validade dos alimentos. Ela faz mal por aumentar o colesterol ruim (LDL) e reduzir o colesterol bom (HDL).

Ela está presente em muitos alimentos e, por isso, pode ser difícil eliminá-la totalmente. No entanto, para ter uma vida mais saudável e diminuir as medidas da barriga, é necessário, ao menos, diminuir ao máximo o seu consumo.

Para ter controle da quantidade de gordura trans que um alimento contém, atente-se aos rótulos. Alguns dos alimentos que apresentam maior quantidade de gordura trans e que podem ser evitados são:

  • Hambúrguer industrializado;
  • Massa de pastel;
  • Margarina;
  • Pizza congelada;
  • Biscoitos recheados;
  • Sorvetes;
  • Salgadinhos de pacote.

Alimentos com gorduras saturadas

A gordura saturada, assim como a gordura trans, aumenta o colesterol ruim (LDL). Ela é um dos fatores que auxilia o surgimento de problemas cardíacos e a obesidade.

Isso porque essas gorduras se acumulam nas paredes internas dos vasos sanguíneos e contribuem para a formação de placas, que podem entupir as veias.

Esse tipo de gordura está muito presente em alimentos de origem animal, como carnes gordurosas e derivados do leite (manteiga, queijo, iogurte). Veja em quais alimentos essa gordura está presente e que você pode evitar:

  • Bacon;
  • Linguiças;
  • Lasanha bolonhesa congelada;
  • Banha de porco;
  • Salgadinhos de pacote;
  • Biscoitos recheados;
  • Manteiga.

Sal

O sal refinado não é bom em grande quantidade. Quem quer perder barriga deve evitá-lo, reduzindo o seu uso no preparo dos alimentos.

Isso se dá pois, quando em alta concentração de sódio,  o nosso organismo acaba sendo prejudicado, tornando o metabolismo menos ágil.

Além disso, ele pode ser substituído pelo sal do himalaia. Conheça:

Sal do himalaia (sal rosa)

Uma opção para ter uma vida mais saudável é substituir o sal refinado pelo sal do himalaia (sal rosa), que apresenta muitos benefícios. Conheça os principais:

  • Melhora na digestão;
  • Ajuda a desintoxicar o organismo;
  • Diminui a pressão arterial;
  • Equilibra o pH do organismo;
  • Alivia dores de cabeça;
  • Contribui para melhorar o sono;
  • Ajuda na limpeza de artérias e na circulação sanguínea, o que previne o surgimento de varizes;
  • Auxilia no tratamento de doenças respiratórias, como sinusite e asma;
  • Promove relaxamento muscular e redução de cansaço, quando usado como sais de banho.

Não espere ficar com fome

Imagine o corpo humano como uma máquina que requer constante manutenção e combustível. A alimentação é, nesse caso, nossa energia para continuarmos saudáveis (e vivos). Parar de comer ou reduzir as porções drasticamente não contribui para o emagrecimento.

Intervalos muito longos entre uma refeição e outra também não é o melhor caminho. Quando estamos há muito tempo sem comer, o nosso corpo entende que é necessário economizar no gasto calórico.

É como se fosse um estoque de energia em forma de gordura. Essa é a maneira que o organismo entende que deve funcionar, para prevenir uma possível falta de energia.

No entanto, esse comportamento é péssimo para quem quer perder peso, pois além desse estoque de energia, que acaba se tornando em gordurinhas localizadas, o metabolismo também se torna mais lento.

Dividindo as refeições

Tão importante quanto a escolha dos alimentos é a maneira como nos alimentamos. Quando as refeições são fracionadas, comemos menos, melhor e aumentamos nosso metabolismo.

Portanto, não pule o café da manhã, lanches (da manhã e da tarde), almoço e jantar. Principalmente, o café da manhã. Muitas pessoas não valorizam essa refeição tão importante.

Mesmo com o dia a dia corrido e acordando atrasado de vez em quando, priorize esse desjejum. Entre a última refeição do dia e o café da manhã temos um longo intervalo.

Precisamos nos recarregar, pois mesmo durante o sono nosso corpo está gastando energia para continuar funcionando perfeitamente.

Beber água

Além de deixar seu corpo hidratado, saciar a sede, não ter calorias e limpar seu organismo, a água também ajuda quem quer perder peso.

A quantidade não é uma regra exata e que deve ser seguida obrigatoriamente. Contudo, consumir entre 1 litro e meio e 2 litros ao dia está entre o que se tem como adequado. Sucos, refrigerantes ou bebidas alcoólicas não a substituem.

Além do mais, para reduzir as medidas, refrigerantes não são uma boa pedida e preferencialmente, devem ser retirados da alimentação.

O mesmo serve para sucos industrializados. São bebidas que apresentam grande quantidade de açúcar e não se aproximam dos benefícios que o suco natural apresenta. Sem contar o sabor, que pode se distanciar muito do original.

Cigarros e bebidas alcoólicas

Esses hábitos podem apresentar muitas complicações a quem os têm. Abandonar esses vícios pode ser algo bem mais complicado que a reeducação alimentar, mas é tão importante quanto.

Quando acompanhados de uma vida sedentária, podem desenvolver danos graves ao organismo. Para quem quer emagrecer, é mais um empecilho.

O açúcar é um vilão?

“Se você quer perder a barriga, corte o açúcar”. Essa frase é tão comum na vida de quem pratica dietas que virou um consenso de que ele é mesmo um vilão. E realmente, reduzi-lo é algo bom para a nossa saúde.

No entanto, quando pensamos nesse açúcar ruim é comum estarmos nos referindo àquele açúcar branco refinado. Ele está presente em vários alimentos que consumimos, como pães, bolos, biscoitos e alimentos processados. Por isso, evitá-lo pode ser algo mais difícil, pois está em muitos produtos.

Algumas formas simples de fugir desse açúcar é ingerir café, chás ou sucos sem a sua adição. Pode ser o primeiro passo para a sua dieta.

Além desse tipo de açúcar, existem outros como o açúcar mascavo, light, orgânico, demerara – um tipo mais caro e muito usado em confeitarias refinadas – e frutose.

Se você não quer abrir mão do açúcar e mesmo assim seguir firme para obter uma barriga sem gorduras localizadas, o light é o mais recomendado.

Ele é uma mistura de açúcar refinado com adoçantes artificiais e adoça quatro vezes mais que o comum. Parece estranho isso quando dizemos que ele é o light, mas a ideia é que por se adoçar muito mais, a quantidade usada seja bem menor que a utilizada quando a opção é o açúcar refinado comum.

Ou seja, uma reeducação alimentar, pensando em quantidades e em qualidade, será fundamental para que o nome light realmente tenha o seu significado. Ainda mais sabendo do poder viciante que o açúcar tem.

Uma pesquisa  realizada por estudantes da Universidade de Queensland, na Austrália, comparou os efeitos do açúcar no nosso organismo aos efeitos da cocaína.

Acontece que, no nosso organismo, existe um neurotransmissor responsável por nos proporcionar as sensações de motivação, foco e estímulo. Conhecido como dopamina, esse neurotransmissor influencia em alguns distúrbios mentais, como depressão, déficit de atenção e dependências.

O trabalho realizado pelos estudantes dessa universidade identificaram essa semelhança. O açúcar eleva os níveis de dopamina, da mesma forma que a droga.

Todavia, ao consumir a substância com frequência, nosso corpo acaba reduzindo a produção da dopamina. O dependente (em açúcar ou cocaína) sente a necessidade de consumir mais e mais o seu vício e atingir o nível elevado novamente.

Quando em abstinência, os resultados não são bons. Nesse momento, distúrbios mentais como a depressão podem se desenvolver na pessoa.

Influência da insulina

Outro motivo importante para reduzir o açúcar é por ele ser o alimento que mais estimula a produção de insulina.

Ela é um dos principais hormônios responsáveis por armazenar gordura. Quando o nível de insulina está elevado, engordamos. O ideal não é deixá-lo muito baixo, nem muito alto.

A ausência desse hormônio não é algo bom. Sem ele, o organismo pode ficar desnutrido e, em casos graves, provocar diabetes mellitus e diabetes tipo 2. É preciso manter um controle desse hormônio para que nosso organismo funcione bem.

Quando o nível de insulina está baixo, nossos rins eliminam com maior facilidade o excesso de sódio e água do corpo. Assim, diminui o inchaço e o peso causado por retenção de líquido.

Os carboidratos que não fazem bem a saúde (bolo, pão branco, salgadinhos de pacote) também estimulam a produção da insulina. Quando há uma redução desses dois fatores, açúcar e carboidratos, é comum que as pessoas percam peso com mais facilidade.

A importância de dormir bem

Para emagrecer também é preciso descansar. Ter uma boa noite de sono é fundamental no processo de perda de peso. Essa é uma dica que deveria ser simples de ser seguida, mas é comum vermos como a rotina estressante e correria do dia a dia acaba dificultando.

Estar com o sono em dia ajuda a emagrecer pois, durante esse período, nosso organismo libera os hormônios leptina e grelina, que interferem no metabolismo. Esses hormônios regulam nosso apetite e trabalham a nossa função neuroendócrina.

Isso significa que estão relacionados a nossa sensação de saciedade. Quando tudo está funcionando perfeitamente e temos uma vida saudável, perdemos calorias mais rápido e não acumulamos gorduras.

Além de nos deixar menos dispostos, dormir mal influencia no nosso apetite e até mesmo em nossa vontade de praticar exercícios físicos. Com a sensação de cansaço causada por essa privação do sono, acabamos engordando e ficamos propensos a outras doenças. Além de ser um hábito ruim, é um dos motivos que contribui para a obesidade.

Se você está buscando perder a barriga e ter qualidade de vida, tente algumas mudanças em sua rotina, para dormir bem todos os dias. Algumas dicas são:

  • Dormir em quarto escuro;
  • Desligar o celular ou deixá-lo em modo avião, assim você evita distrações ou perturbações durante o período de sono;
  • Tente dormir e acordar todos os dias no mesmo horário, para regularizar o sono;
  • Evitar beber café próximo a hora de dormir, pois a cafeína pode ser um dos fatores que está atrapalhando o sono;
  • Evitar consumir alimentos pesados até 2 horas antes de dormir;
  • Preferir realizar exercícios físicos durante o dia, pois quando praticados perto do horário de dormir, deixam o cérebro em estado de alerta.

Quais os exercícios mais indicados?

Existem muitos exercícios que ajudam no emagrecimento e que reduzem a gordura localizada na barriga. Não existe uma regra, mas o indicado é se praticar 3 vezes por semana alguma atividade.

Elas podem ser bem divertidas de se praticar. Se você não é muito fã de academias e de rotina, algumas dicas aqui podem ser bem legais.

Abdominais

Os abdominais são os exercícios mais lembrados quando pensamos em perder a barriga. Existem algumas variações entre eles e a forma como funcionam no nosso corpo. Conheça:

Crunch

Esse tipo de abdominal é o mais comum e consiste apenas em um movimento principal. Durante esse exercício, o que será trabalho no corpo é o reto abdominal, um músculo longo e chato que se estende pelo comprimento da frente do nosso abdome.

Para ficar ficar mais visível, é aquele abdominal em que ficamos deitados de costas para o chão e levamos nosso corpo em direção aos joelhos elevados.

É possível praticar este exercício usando as mãos acima da cabeça, com os braços esticados ou utilizando pesos externos (halteres e anilhas).

Na bola (comum em pilates)

O abdominal realizado na bola suíça, comum em exercícios de pilates, é uma variação comum do crunch. Também é possível que outros tipos de abdominais sejam realizados dessa forma, como o supra.

O interessante deste exercício é a forma como trabalha os músculos estabilizadores, forçando-os a serem mais ativos no movimento.

No entanto, por ser feito em uma superfície instável, que requer um pouco mais de equilíbrio, pode ser difícil para algumas pessoas. Neste caso, uma ideia é começar com as outras opções e ir progredindo aos poucos.

Oblíquo

Esse tipo de abdominal tem um foco maior nos músculos que ficam na lateral do tronco, os oblíquos. O movimento realizado é parecido com o que se faz no crunch.

A diferença, nesse caso, está no movimento do tronco, que deve ser a junção da rotação do tronco no sentido dos oblíquos com flexão do abdome. É possível alternar esse exercício, trabalhando em sequência acelerada os músculos. Essa variação é conhecida como oblíquo alternado.

O abdominal oblíquo funciona como um complemento dos outros abdominais. Executá-lo de forma exagerada pode contribuir para resultados indesejados. O excesso desse movimento pode provocar uma hipertrofia acentuada (crescimento dos músculos), deixando a linha da cintura menos definida.

Infra e Infra no banco

O infra é uma variação de abdominal que exige mais dos nossos membros inferiores. Para praticá-lo é importante estar ciente de que está sendo feito de forma correta, para não prejudicar a coluna. Também é importante trabalhar a respiração, pois exige fôlego.

Nesse exercício, é preciso manter os braços e o tronco alinhados ao chão e elevar as pernas (flexionadas ou esticadas), para trabalhar os músculos do abdome. Essa é uma das formas, em que se mantém a coluna imóvel.

Entretanto, existe também a possibilidade de flexionar a coluna junto ao movimento de se erguer as pernas. Quando se opta por realizar o infra com as pernas esticadas a carga do exercício se torna maior.

Abdominal na roldana alta

É mais comum em academias, por precisar de aparelhos que, normalmente, não temos em casa. A roldana é utilizada em muitos exercícios. Com ele, puxamos uma carga de peso, para cima ou para baixo, para executar atividades variadas, que trabalham braços, pernas, glúteos e o abdome.

Para realizar esse movimento é fundamental ter um profissional para orientação, para evitar lesões e obter o resultado adequado.

Abdominal barra paralela

Esse movimento é importante para trabalhar a região inferior do abdome, apesar de trabalhar o reto abdominal por inteiro. Nele, mantemos nosso corpo suspenso no ar, com as mãos apoiadas em barras paralelas.

Para executá-lo é necessário realizar flexão da coluna e manter as pernas esticadas para frente. Dessa forma, o exercício será muito mais intenso.

Prancha

A prancha é um tipo de abdominal estático, ou seja, sem movimento. Trabalha a região do abdome com sua função estabilizadora. O fato de não ter repetições, no entanto, não significa ser menos pesado do que os outros exercícios.

Como o nome remete, o exercício é semelhante a posição de se estar em uma prancha de surf. Nele, é preciso permanecer com o corpo reto e elevado, com apenas os pés e antebraços apoiados no chão.

Exercícios aeróbicos

Os exercícios aeróbicos utilizam o oxigênio no processo de gerar energia para os músculos. Quando praticamos esses exercícios, trabalhamos muitos músculos de forma rítmica, gastamos grande quantidade de calorias e aumentamos nossa resistência física.

Alguns exemplos de exercícios aeróbicos para você praticar são:

  • Caminhadas;
  • Nado;
  • Dança;
  • Corridas (esteira e ao ar livre);
  • Pular corda;
  • Pedalar.

Para começar a realizar esses exercícios, quando se leva uma vida sedentária, o ideal é ir aos poucos e aumentar a frequência e intensidade progressivamente. Além disso, verifique com um médico cardiologista se está em condições para praticar.

Outros exemplos para quem gosta de atividades mais coletivas são:

Jump

Esse é um exercício aeróbico bem comum em quase todas as academias. Mesmo que esse ambiente não seja algo tão familiar para você, é possível que já tenho visto a imagem de pessoas pulando em camas elásticas individuais ao som de músicas bem animadas.

Quem acha divertido a junção de coreografia, música e exercício físico, com certeza gostará da atividade.

Ela pode ser praticada em níveis variado e ser revezada com exercícios no chão. Além de queimar muitas calorias, ajuda a melhorar a postura e o equilíbrio.

Step

O step é um exercício físico que emagrece e define o corpo. Ele é um exercício de repetição e também de coreografia. Os passos, basicamente, se resumem ao subir e descer de uma plataforma. Como se fosse um degrau.

Ele vai te fazer suar a camisa, com certeza. Assim como o jump, ele queima muitas calorias e é um exercício que exige fôlego.

É possível realizar essa atividade em casa, subindo e descendo degraus de escada, por exemplo. O importante é se atentar a altura desses degraus, para que seja confortável durante os exercícios e não prejudique os joelhos.

Crossfit

O crossfit é um exercício que ganhou muitos adeptos. Ele é um esporte de intensidade, em forma de circuito e sem pausas entre uma série de exercícios e outra.

A quantidade de vezes para se praticar o crossfit pode variar de pessoa para pessoa. Para iniciantes, o melhor é buscar uma preparação com treinos mais leves e ir progressivamente aumentando.

Essa preparação será importante para avançar para treinos mais pesados e com maior frequência de dias por semana.

Você pode praticar o crossfit em casa ou em academias, mas é indicado o acompanhamento de um profissional, para evitar lesões.

Alguns exemplos de exercícios que fazem parte do crossfit são:

  • Pular corda;
  • Flexão de braço;
  • Agachamento (com barra e sem);
  • Escalador (flexão de braço com mãos no chão, braços estendidos na linha do ombro e perna para trás, com a outra perna flexionada na direção dos braços).

Musculação

A musculação é muito importante para quem procura emagrecer de forma saudável. Esse exercício, ainda que mais “lento” no que tange os resultados visíveis – comparado aos exercícios aeróbicos -, é muito bom para quem quer perder peso, ganhar massa magra e fortalecer a musculatura.

Ao contrário de quem busca aumentar a massa muscular com a musculação, para quem quer perder medidas a receita é inversa. Nesse caso, é preciso ter exercícios de carga menor e com mais repetições. Os treinos de musculação também podem ser revezados com os treinos aeróbicos.

Esportes

Muitos esportes apresentam perda calórica significativa e emagrecem. Para quem não quer se prender a uma rotina de academia e repetições, essa opção pode ser a mais atrativa.

Alguns esportes que ajudam a reduzir as medidas da barriga são:

  • Futebol;
  • Natação;
  • Ginástica olímpica
  • Ciclismo;
  • Corrida;
  • Tênis;
  • Basquete;
  • Artes marciais (judô, muay thai, boxe etc).

Exercícios em casa

É possível praticar exercícios para perder a barriga e emagrecer em casa. Nem sempre podemos nos locomover até uma academia, temos tempo de praticar um esporte ou participar de corridas.

No entanto, algumas alternativas existem e não precisam de equipamentos, apenas motivação. Exercícios que você pode praticar, alterando intensidade e repetição:

  • Agachamento;
  • Flexões;
  • Subir e descer degraus (como no step);
  • Polichinelos;
  • Abdominais.

Quais os tratamentos estéticos para perder barriga?

Alguns tratamentos estéticos são bem comuns para quem quer reduzir as medidas em um tempo mais curto do que se obtém com os exercícios, ou apenas potencializar os resultados adquiridos na soma das atividades físicas e alimentação. São eles:

Lipocavitação

Também conhecido como lipo sem cirurgia, esse tratamento serve para eliminar gorduras localizadas nas coxas, flancos (gordura lateral do abdômen), costas e barriga. Ele é realizado com um aparelho de ultrassom que age na gordura localizada e auxilia na modelagem do corpo e redução de medidas.

Esse procedimento estético não dói e também ajuda no tratamento de celulites e melhora no aspecto da pele. Tem duração média de 40 minutos em cada sessão e promete resultados já na primeira vez realizado.

No entanto, ele sozinho não é garantia de emagrecimento. Para que o efeito da lipocavitação seja eficaz, o indicado é que se pratique exercícios aeróbicos e recorra a drenagens linfáticas.

Apesar de ser um tratamento estético relativamente simples, apresenta alguns riscos, como queimaduras na pele e aumento do colesterol ruim.

Como o processo libera no organismo células de gorduras da região tratada, essa gordura pode entrar para a corrente sanguínea e aumentar os níveis de colesterol. Por isso é tão importante a drenagem linfática e exercícios logo após a sessão. Esses passos garantem que as gorduras sejam liberadas.

Carboxiterapia

A carboxiterapia ajuda na eliminação das gorduras localizadas com aplicações de injeções na pele com gás carbônico. Ele contribui para um melhor fluxo sanguíneo e na microcirculação da pele. Além disso, aumenta a oxigenação local e renova as células, o que a torna mais firme.

Assim como a lipocavitação, também é indicada para as áreas das coxas, flancos, barriga e costas. No entanto, esse procedimento é um pouco mais lento. Geralmente, os resultados surgem após a 10ª sessão. Da mesma forma que o tratamento anterior, funciona mais intensamente em pessoas que mantém uma rotina de boa alimentação e exercícios.

Criolipólise

A criolipólise é um procedimento estético que usa temperaturas baixas para reduzir as medidas. Essa técnica provoca um congelamento da gordura corporal e é esse congelamento o responsável por matar as células adiposas, que são eliminadas pelo corpo naturalmente.

A sessão dura em média 1 hora e a temperatura em que a gordura “sugada” permanece é de, geralmente, 10º C. Esse congelamento cristaliza as gorduras localizadas e as células adiposas morrem.

Após realizar a criolipólise, também é necessário massagem no local, para deixar a área uniforme. É normal a pele na área tratada apresentar uma vermelhidão após a sessão e um leve desconforto, pelo fato de ser um método que “suga” a pele e a gordura localizada.

Os resultados começam a surgir, aproximadamente, 15 dias após a sessão. Esse tratamento, no entanto, apresenta resultados progressivos.

Existem algumas contraindicações deste tratamento: pessoas com excesso de peso, hérnia no local em que seria aplicado o tratamento, obesidade, mulheres grávidas, sensibilidade na pele por causa de diabetes e doenças relacionados ao frio não devem fazê-lo.

Massagem modeladora

A massagem modeladora é um procedimento para quem quer deixar seu corpo mais modelado e reduzir a barriga ou outras áreas com gordurinhas localizadas.

Com movimentos repetitivos e intensos, estimula uma melhor circulação e elimina as toxinas.

A massagem modeladora também é indicada para pessoas que sofrem com retenção de água, o que pode ser o motivo de inchaços e a sensação de estar mais “cheinho”.

Ela, como os outros procedimentos, é recomendada juntamente a uma boa alimentação e exercícios, para que os resultados sejam mais rápidos. Recomenda-se entre 5 a 10 sessões para que se tenha um bom funcionamento.

Em algumas sessões, são utilizados cremes termogênicos para potencializar a massagem modeladora.

Aplicação de enzimas

Esse tratamento consiste na aplicação de injeções de 4 a 6 medicamentos combinados para potencializar a eliminação da gordura localizada.

Também conhecido como mesoterapia, essas enzimas combinadas são injetadas com agulhas bem finas, com o objetivo de provocar a quebra das moléculas de gordura. Essas moléculas são eliminadas pelo suor, urina ou fezes.

Existem duas formas de aplicação dessas enzimas: nos glúteos ou no local específico em que se quer reduzir as gorduras.

Na aplicação feita nas regiões dos glúteos, conhecida como uma forma via intramuscular, o resultado que se alcança é a perda corporal total. Isso significa que a pessoa perde peso de uma forma mais geral, diferente da aplicação feita na gordura localizada, que age diretamente na área que a pessoa busca reduzir as medidas.

Para fazer esse tratamento, é preciso acompanhamento médico e a realização de testes com algumas enzimas. Somente com resultados de que as enzimas estão funcionando, se continua o tratamento com a combinação completa.

Essas combinações são compostas de acordo com a necessidade de cada paciente. Algumas substâncias como o chá verde, cafeína e alcachofra são utilizadas neste tratamento. Elas contêm enzimas que estimulam a circulação, devido a vasodilatação incitada por esse processo.

Entre as demais substâncias utilizadas estão a hialuronidase, estreptoquinase, xantina, tiratricol e silício. Além da vasodilatação, elas melhoram o metabolismo e a ação do colágeno no nosso organismo.

As pessoas que fazem parte do grupo que deve evitar esse procedimento são gestantes, mulheres em fase de amamentação, crianças obesas e alérgicos às enzimas utilizadas.

I-Lipo

Esse também é um tipo de lipoaspiração sem cortes, assim como a lipocavitação. Nesse tratamento, uma tecnologia a laser é utilizada na redução da gordura localizada.

É recomendado o uso dessa técnica também para quem busca melhorar o contorno corporal e reduzir celulites.

A sessão da I-lipo é rápida, com duração entre 15 a 20 minutos e pode ser utilizada para qualquer área do corpo.

É utilizado um laser de diodo de baixa potência. Esse componente eletrônico é bem comum, muito usado em monitores de LED. Ele permite a passagem da corrente somente em um sentido. Seu comprimento de onda atua no tecido adiposo e sua luz é capaz de quebrar os triglicerídeos.

Quando em um nível alto, os triglicerídeos aumentam o risco de doenças cardíacas, colesterol ruim e derrame.

Distúrbios alimentares

Os distúrbios alimentares são perturbações dos comportamentos alimentares, podendo ser compulsórios, provocar o emagrecimento extremo ou até mesmo ser resultado de problemas físicos.

Existem vários tipos de distúrbios alimentares, mas dois sempre são mencionados: bulimia e anorexia. As pessoas que apresentam esses quadros manifestam diferentes sintomas e comportamentos mas, em ambos, acontece perda de peso excessiva, medo de engordar e preocupação radical com o próprio corpo.

Querer emagrecer não é algo errado, mas quando isso passa a ser um comportamento compulsivo e que afeta a saúde mental e física, é preciso recorrer a ajuda e entender se há um distúrbio alimentar acontecendo.

O tratamento de cada transtorno alimentar requer um cuidado especial e é realizado por vários profissionais. Provavelmente, o paciente com o transtorno terá contato com psicólogos, nutricionistas, endocrinologistas e psiquiatras.

Remédios para emagrecer

Existem muitos tipos de remédios para quem busca emagrecer, entre remédios naturais, caseiros ou farmacêuticos. Eles nunca devem ser utilizados sem antes a consulta e avaliação de um médico. Também podem ser o último recurso diante de todas as outras opções mais saudáveis, como alimentação e exercício.

Alguns remédios não são autorizados pela Anvisa e são proibidos no Brasil, como os inibidores de apetite à base de anfepramina, femproporex e mazindol. Para saber qual remédio é proibido ou não pela Anvisa, ou quando será necessário usá-lo, somente um acompanhamento médico dirá.

Remédios caseiros

Algumas receitas caseiras funcionam como um remédio para quem quer emagrecer. Algumas opções simples são:

  • Água de berinjela: para o preparo, deve-se cortar entre 4 a 5 rodelas de berinjela e acrescentar a 1 litro de água. Após deixar imerso durante a noite, é só bater no liquidificador e beber ao longo do dia;
  • Água de gengibre: funciona com o mesmo processo que a água de berinjela, mas não é necessário bater no liquidificador;
  • Chá de ervas: é necessário ferver 10 gramas de cavalinha, alcachofra, sabugueiro, louro e anis a 1 litro de água;
  • Pimenta caiena: adicione uma pitada de pimenta caiena à 1 litro de água e beba ao longo do dia. Esse ingrediente ajuda a acelerar o metabolismo e ajude a emagrecer. Para quem é mais sensível ao sabor picante da pimenta, basta reduzir a quantidade.

Atenção! 

NUNCA se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico. Somente ele poderá dizer qual medicamento, dosagem e duração do tratamento é o mais indicado para o seu caso em específico. As informações contidas neste site têm apenas a intenção de informar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um especialista ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Siga sempre as instruções da bula e, se os sintomas persistirem, procure orientação médica ou farmacêutica.

Quais tratamentos cirúrgicos reduzem a gordura localizada na barriga?

Existem dois tipos de cirurgias para retirar a gordura localizada na barriga: abdominoplastia e lipoaspiração. É possível realizar os dois procedimentos para se alcançar o objetivo esperado, já que funcionam de formas distintas.

Nesses casos, primeiro é realizado a lipoaspiração para reduzir a gordura e depois a abdominoplastia, para melhorar a flacidez. Entenda:

Lipoaspiração

Essa cirurgia, como o nome sugere, é uma espécie de aspiração da gordura localizada. Ela é feita apenas com este propósito e não retira pele. Geralmente, as marcas na pele deixadas por essa cirurgia são de 4,4 milímetros, que é a cicatriz deixada pela incisão do tubo inserido para sugar a gordura.

Por não retirar a pele, a lipoaspiração pode aumentar a flacidez. É mais indicada para pessoas que buscam reduzir pouca gordura localizada, pessoas jovens e sem filhos, porque pode deixar a pele com aspecto enrugado.

Abdominoplastia

A abdominoplastia, ou cirurgia do abdome, é um método muito mais invasivo. Diferente da lipoaspiração, a abdominoplastia realiza a retirada de pele e da camada de gordura que está abaixo da área.

Para isso, cortes são realizados em sentido horizontal e vertical, deixando cicatrizes. O tamanho do corte é proporcional ao acúmulo de pele a ser retirado. Apesar de ser um tratamento cirúrgico que reduz a barriga, tem mais um foco de reduzir a flacidez.

É indicado para pessoas que sofrem com flacidez excessiva, como flacidez provocado por uma gravidez ou resultado de uma cirurgia bariátrica, em que há perda de peso significativa e acúmulo de pele na região do abdome.

Hidrolipo Aspirativa (HLPA)

O HLPA é um tratamento que une duas técnicas: a hidrolipoclasia ultrassônica e a lipoaspiração.

A hidrolipoclasia ultrassônica, ou hidrolipo, é um tratamento menos invasivo que a lipoaspiração. Ele tem o objetivo de reduzir as medidas e as gordurinhas localizadas através da quebra do tecido adiposo.

Para isso, utiliza uma solução hipotônica diretamente na área a ser tratada. Em seguida, no tratamento, é utilizado ultrassom focalizado e drenagem para potencializar a eliminação dessa gordura.

Com essas duas técnicas, o HLPA promete um procedimento menos invasivo. É realizado sempre em um hospital, na presença de dois médicos: um cirurgião plástico e um clínico.

O tratamento é feito nas áreas de gordura localizada, em um procedimento realizado com anestesia local.

Basicamente, o que acontece é a injeção de um líquido na área a ser tratada, que provoca um inchaço na gordura. Dessa forma, a gordura acaba “explodindo” com o ultrassom e é aspirada com uma microcânula (o mesmo tubinho utilizado na lipoaspiração, mas bem menor).

Esse procedimento é muito procurado por quem está insatisfeito com gordura localizada na barriga, flancos, culotes, parte interna da coxa, braço e papada. Também por ter um preço mais acessível ao da lipoaspiração comum.

Os resultados são bem significativos. É possível a retirada de até 2 litros de gordura por procedimento. A recuperação também é rápida. A maioria dos pacientes retoma as atividades no mesmo dia do tratamento. No entanto, pessoas mais sensíveis podem precisar de um tempo maior para retomar ao trabalho.

Para a recuperação após o procedimento, normalmente se tem a recomendação de anti-inflamatórios, analgésicos e antibióticos.

A gordura retirada neste procedimento pode ser utilizada em outros tratamentos, como preenchimento de rugas, aumento de lábios e glúteos.


Existem muitas formas de se perder barriga e também razões para querer reduzi-la. Independente de tudo isso, a saúde e a autoestima devem ser prioridade. Compartilhe esse texto e ajude as pessoas a terem uma vida saudável e uma barriga mais lisinha!

 

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (9 votos, média: 4,89 de 5)
Loading...

Deixe suas opiniões e comentários, nos preocupamos com ela:

Por favor, escreva seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui

Lamentamos a não possibilidade de dar-lhe conselho médico ou responder a questões médicas e farmacêuticas individuais através de e-mail, pois apenas um médico pode prestar tal atendimento. Embora tentemos responder a todos os comentários, opiniões e e-mails que recebemos em até dois dias úteis, nem sempre é possível devido ao grande volume que recebemos. Por favor, tenha em mente que qualquer solicitação ao Minuto Saudável está sujeita aos nossos Termos de Uso e Política de Privacidade, ao enviar, você indica sua aceitação.