Você fez os exames e foi constatado: está grávida. Um misto de emoção toma conta desse momento, mas o que esperar daqui para frente?

Leia mais: Como saber se estou grávida? Sintomas de gravidez e diagnóstico

A gravidez é dividida em trimestres e cada um é marcado com mudanças bastante características.

No primeiro trimestre (que vai da 1ª ao fim da 12ª semana), o corpo começa a preparar-se para ser uma “casa’ completa até o nascimento do bebê, oferecendo tudo que ele precisa.

É comum a produção de alguns hormônios alterar-se e, com isso, a fome aumentar devido às mudanças metabólicas.

No início do 1º trimestre alguns órgãos e tecidos começam a desenvolver-se, como coração, pulmão, fígado e medula.

É também no 1º trimestre que há mais chances de ocorrer o aborto espontâneo, malformações e deficiências. Portanto, é necessário muito cuidado para que tudo ocorra bem para o desenvolvimento do bebê e bem-estar da futura mamãe.

O que evitar para que não ocorra um aborto espontâneo


É necessário que as gestantes evitem algumas atividades e atitudes para que não comprometa o embrião e ocorra um aborto espontâneo.

Leia mais: Abortos recorrentes podem estar ligados a má qualidade do esperma

Então, recomenda-se evitar:

  • Esportes de alto impacto (natação, escalada etc);
  • Consumo de álcool;
  • Fumar;
  • Utilizar tinturas de cabelo;
  • Fazer alisamentos químicos;
  • Automedicação;
  • Manter carteira de vacinação desatualizada.

Leia mais: Tabagismo na gravidez aumenta os riscos de morte súbita do bebê

Primeiro trimestre de gravidez são quantas semanas?

No total, são 13 semanas (pois se encerra no fim da 12ª), sendo que a contagem começa na data da última menstruação. Ou seja, o dia do último sangramento até o início da 13ª semana compreende os 3 meses ou 1º trimestre.

Leia mais: Calculadora Gestacional (semanas, meses): como calcular, ultrassom

Os sintomas característicos desse período

É provável que os primeiros sintomas e sinais da gravidez demorem algum tempo para surgir, aproximadamente a partir da 3ª semana.

A partir do atraso menstrual, que é o sinal mais característico da gravidez, outros indícios podem manifestar-se, como o aumento da vontade de ir ao banheiro e maior sensibilidade nos seios.

Junto da disso, ocorrem náuseas e vômitos, devido às atividades do hormônio beta-hCG, que começa a trabalhar no desenvolvimento da placenta.

Na 5ª semana, é comum ocorrer o aumento da produção de saliva e gases intestinais. Já no decorrer da próxima semana surge a vontade clássica de comer comidas diferentes ou bebidas, popularmente conhecido como “desejo de grávida”.

Aos poucos, é possível notar que a barriga começar a inchar. Chegando à 7ª semana, aparecem os sintomas de refluxo gastrointestinal e prisão de ventre, nessa fase o cansaço tende a aumentar e junto dele podem surgir picos de tontura.

Da 8ª semana até o fim da 12ª, os sintomas não mudam muito, mas ocorrem em maior intensidade.

Nesse ponto, o feto já está formado e tem características de um bebê. A partir de agora, as modificações são principalmente em relação ao tamanho.

Exames comuns realizados no primeiro trimestre

O médico obstetra poderá solicitar alguns exames para certificar de como está a saúde da mãe e o desenvolvimento do bebê. Esses procedimentos são bastante importantes para que seja possível acompanhar a gravidez e prevenir riscos. Entre os exames estão:

Tipo sanguíneo e fator Rh

Consiste na coleta de sangue que avalia o fator Rh da mãe e do bebê, visando prevenir a incompatibilidade sanguínea e também descobrir o tipo sanguíneo do bebê.

Hemograma

Exame realizado por meio da coleta de sangue, em que é realizado um estudo da quantidade e aspectos do sangue para diagnosticar alterações no organismo, como anemias.

Glicemia

Visa estudar se a gestante possui alterações na glicemia (pré-diabetes ou diabetes). O exame deve ser realizado com frequência para avaliar os riscos de  diabetes gestacional.

Leia mais: Diabetes Gestacional: o que é, sintomas, tratamento, dieta e riscos

Exame de urina

Realizado por meio da coleta de urina e enviado para análise de laboratório, este exame consegue identificar doenças como infecção urinária.

Ultrassom obstétrico

Esse exame é realizado a partir da 7ª semana de gravidez e consegue detectar malformações no bebê ou as chamadas doenças cromossômicas (ocorrem devido à alteração no número ou na estrutura dos cromossomos).

Papanicolau

Utilizado para prevenir e detectar câncer do colo de útero em gestantes. Mas vale lembrar que ele deve ser feito por todas as mulheres, mesmo as que não têm filhos.

Outros exames

A coleta de sangue, realizada em laboratório, ajuda na análise de doenças como hepatite B, toxoplasmose, HIV, sífilis, entre outras condições.

Cuidados com a alimentação

Sabemos que consumir frutas, verduras e legumes fazem bem à saúde. Durante a gestação, a regra não é diferente. Aliás, essa ideia de que a mãe precisa comer por dois precisa de cautela, pois, na verdade, é preciso investir na nutrição e moderação.

No 1º trimestre de gravidez é necessário o consumo de alimentos que contenham ácido fólico, nutriente que ajuda na formação do feto, principalmente na parte cerebral e da medula espinhal.

Os alimentos ricos nesse nutriente e indicados são:

  • Vegetais escuros, como couve e espinafre;
  • Frutas cítricas;
  • Feijão, ervilha, lentilha;
  • Abacate;
  • Sementes e nozes;
  • Beterraba;
  • Milho;
  • Cenoura.

Leia mais: O que comer na gestação?

Lembrando que a alimentação da gestante deve ser sempre orientada e acompanhada por profissionais de saúde e nutrição.


É importante dar atenção aos cuidados no 1º trimestre de gravidez, são eles que vão garantir um bom desenvolvimento do feto.

Compartilhe essa matéria e contribua para que mais pessoas saibam desses cuidados!


Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.

Participe da discussão

2 comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

  1. Olá estou preocupada pois faz dois meses que não vem a menstruação e ja fiz os teste de beta deu negativo ja fiz o teste na urina e um deu positivo efim nao sei o que realmente eu tenho porem ainda nao destruei mas ja faz 2 meses tenho 30 anos e nunca tomei remédios pra evitá filhos e tenho duas filhas meninas de duas cesarianas. O que pode ser ?

    1. Olá, Eliza.
      Se um dos exames que você fez deu positivo, é importante fazer o exame de sangue novamente.
      Apesar dos exames de urina, comprados em farmácias, serem bem sensíveis, somente o exame beta HCG de sangue, feito em laboratório, é aceito para validar a gestação.
      Caso o exame dê negativo, é importante considerar que vários fatores podem atrasar a menstruação e muitos deles são normais, por exemplo, o uso de algum medicamento (antibiótico, corticoide) ou até o estresse.
      Sempre que houver dúvidas ou se outros sintomas surgirem, como cólicas e corrimento, é necessário buscar orientação ginecológica.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *