Saúde

Nutricionista: quando procurar? É só para quem quer emagrecer?

Por Redação Minuto SaudávelPublicado em: 30/08/2020Última atualização: 02/09/2021
Por Redação Minuto Saudável
Publicado em: 30/08/2020Última atualização: 02/09/2021
Foto de capa do artigo
Publicidade
Publicidade

Manter uma boa saúde requer alguns cuidados e também o acompanhamento periódico com alguns profissionais. Um deles é o (a) nutricionista, responsável por atuar na prevenção, promoção e recuperação da saúde por meio dos conhecimentos em nutrição e alimentação.

É bastante comum que as pessoas busquem ajuda de nutricionistas quando desejam fazer uma reeducação alimentar ou durante processos de emagrecimento. Porém, essa não é a única função desses profissionais. Por isso, confira o conteúdo a seguir e entenda melhor!

O que é nutrição?

Os (as) profissionais nutricionistas são responsáveis por orientar o consumo de alimentos adequados às necessidades individuais e as formas de fazê-lo. Isso, uma vez que a nutrição em si é caracterizada pelo ato de fornecer componentes fundamentais ao organismo, para seu pleno funcionamento.

O ou a nutricionista te auxilia a ter uma relação melhor com a alimentação

Nesse sentido, além da habitual prescrição de planos alimentares e estratégias nutricionais objetivando perda e ganho de peso ou músculos, os (as) nutricionistas podem buscar outras áreas de especialização.

O que pode incluir especialidades como nutrição esportiva, oncológica, hospitalar ou escolar, o que garante um amplo mercado de trabalho e muitas opções de atuação. 

Porém, é preciso deixar claro que é bastante apropriado que os(as) pacientes procurem as formas de atendimento individualizado. Como, por exemplo, para alcançar o emagrecimento saudável — foco de muitas pessoas.

Além disso, o acompanhamento nutricional também pode ser realizado em casos mais específicos, como para auxiliar no tratamento de doenças como câncer, diabetes ou hipertensão.

Ou, ainda, ser feito por quem deseja engravidar e/ou durante a gestação. Tendo como foco aumento das taxas de fertilidade e evitar problemas causados por carências nutricionais, tanto na mãe, quanto no bebê que está sendo gerado.

Na sequência, você pode entender melhor sobre o que está envolvido na área de nutrição.

Publicidade
Publicidade

Para que serve uma consulta com nutricionista?

Uma alimentação saudável e equilibrada reflete em todo o funcionamento de nosso organismo, proporcionando melhora em questões físicas e mentais. Sendo assim, buscar um (a) nutricionista não deve ser algo apenas para quem deseja mudanças estéticas.

Muito pelo contrário, o acompanhamento com esses profissionais pode garantir mais saúde e qualidade de vida. Confira alguns motivos para agendar uma consulta:

  • Desejo e/ou necessidade de perder ou ganhar peso;
  • Melhora o desempenho e rendimento esportivo;
  • Necessidade de uma reeducação nutricional;
  • Aumentar a energia e produtividade por meio de mudanças na alimentação;
  • Garantir uma gestação mais saudável;
  • Prevenir e controlar doenças — tais como hipertensão arterial e diabetes.

Esses são só alguns motivos para se consultar com um (a) nutricionista. Além disso, vale destacar que esse acompanhamento não é só para adultos. 

Desse modo, se o seu filho tem dificuldades para comer, principalmente alimentos saudáveis como frutas e verduras, talvez seja a hora de procurar ajuda desses profissionais. 

Assim, será possível receber orientação e dicas quanto ao preparo e diferentes formas de oferecer um mesmo alimento — talvez de maneiras mais atrativas à criança.

Publicidade
Publicidade

Quais as especialidades de um nutricionista?

Assim como outros profissionais da área da saúde, os que atuam como nutricionistas também podem ter especialidades diferentes. Ou seja, podem trabalhar com foco em áreas específicas da nutrição.

Esse não é um benefício apenas ao profissional, ou seja, embora possibilite a esses uma atuação em áreas diversas e setores de sua preferência, também auxilia os pacientes. Isso, uma vez que permite que você busque um especialista com base em suas necessidades. 

Confira alguns dos segmentos em que o(a) nutricionista pode se especializar:

Assim como outros profissionais da área da saúde, os que atuam como nutricionistas também podem ter especialidades diferentes. Ou seja, podem trabalhar com foco em áreas específicas da nutrição.

Esse não é um benefício apenas ao profissional, ou seja, embora possibilite a eles uma atuação em áreas diversas e setores de sua preferência, também auxilia os pacientes. Isso, uma vez que permite que você busque um especialista com base em suas necessidades. 

Confira alguns dos segmentos em que o (a) nutricionista pode se especializar:

Nutrição clínica

O (a) profissional de nutrição clínica é aquele que realiza todo e qualquer atendimento que requer um contato direto com o (a) paciente. Nesse sentido, a forma mais comum de atuação é a que ocorre em consultório.

Porém, mesmo que em outras circunstâncias como em hospital ou atendimento domiciliar, ainda assim pode se caracterizar como nutrição clínica.

Dessa forma, distingue-se de áreas em que o (a) nutricionista não atua diretamente em contato com o público. Assim, a nutrição clínica é uma vertente que engloba diversas outras possibilidades de atuação dentro dessa área.

Nutrição esportiva

Pessoas que praticam esportes ou incluem muitas atividades físicas na rotina precisam ter uma alimentação equilibrada. Além disso, é preciso que a partir da rotina alimentar sejam supridas as carências nutricionais e energéticas antes, durante e após os treinos.

Leia e se inspire em Exercícios em casa: dicas para se manter ativo na quarentena

Quem deseja aumento de músculos ou massa magra também precisa estar atento à alimentação, uma vez que somente os exercícios não irão proporcionar o resultado desejado.

Sendo assim, um (a) nutricionista esportivo tem como objetivo auxiliar no aumento de condicionamento físico, ganho de músculos ou perda de gordura associada ao esporte.

Além disso, esses profissionais também proporcionam um atendimento direcionado a:

  • Prevenir o desgaste ósseo e da cartilagem — processo que tende a acelerar devido à prática de atividades físicas;
  • Evitar a perda de vitaminas e minerais — o que pode acontecer quando o corpo gasta muita energia mas não repõe corretamente;
  • Melhorar a performance atlética;
  • Ajustar a quantidade de proteínas, carboidratos e gorduras de acordo com suas práticas esportivas e necessidades específicas;
  • Contribuir com a recuperação do organismo no pós-treino.

Também é comum que o (a) nutricionista esportivo trabalhe em conjunto com outros profissionais, como o endocrinologista. Nesse caso, a associação é bastante comum, uma vez que também é preciso monitorar e ajustar alguns hormônios devido à prática de exercícios, a fim de não sobrecarregar o sistema endócrino.

Nutrição hospitalar

A atuação de um (a) nutricionista em um ambiente hospitalar normalmente se dá em conjunto com uma equipe multidisciplinar. Ou seja, composta por profissionais de diferentes segmentos — médicos, enfermeiros, fisioterapeutas etc.

De acordo com o Inquérito Brasileiro de Avaliação Nutricional Hospitalar (Ibanutri), quase metade dos pacientes hospitalizados apresentam algum grau de desnutrição. 

Esse fator apresenta piora com o passar do tempo. Assim, quanto mais tempo a pessoa fica internada, maiores as chances de apresentar comorbidades e aumentarem as taxas de mortalidade.

No caso dos pacientes em UTI, segundo o Inquérito, as taxas de desnutrição chegam até 70%. Sendo assim, torna-se essencial o papel do nutricionista hospitalar para proporcionar mais saúde nesses casos. Os (as) profissionais que atuam nesse âmbito, formulam dietas e cardápios com base nas necessidades individuais de cada paciente.

Além disso, também fazem o acompanhamento nutricional, analisando taxas glicêmicas, índices de vitaminas e minerais, etc. Dessa forma, possibilitam uma reposição de nutrientes, auxílio no processo de cicatrização e outros componentes essenciais ao paciente no tempo devido.

O resultado é o bem-estar da pessoa hospitalizada, bem como maiores chances de recuperação e prevenção do aparecimento de complicações concomitantes a outras doenças.

Cabe destacar, por fim, que o atendimento do profissional de nutrição nos hospitais também pode ter como foco o cuidado pediátrico — inclusive em UTI Neonatal e Pediátrica.

Nutrição escolar

A atuação do nutricionista no ambiente escolar visa, principalmente, proporcionar uma alimentação saudável e adequada aos (às) estudantes. Com isso, é capaz de suprir todas as suas necessidades nutricionais e favorecendo também o processo de ensino e aprendizagem.

É fato que nossa alimentação é fonte de energia ao corpo. Por isso, quando feita de forma adequada, pode melhorar fatores como a cognição, concentração e disposição.

Nesse sentido, o profissional de nutrição que atua nessa área tem como responsabilidade:

  • Planejar o cardápio com base nas necessidades nutricionais da comunidade escolar;
  • Realizar a análise do valor nutritivo da merenda;
  • Supervisionar a execução do plano alimentar;
  • Fornecer orientações quanto aos horários adequados às refeições;
  • Participar da educação nutricional da comunidade escolar;
  • Realizar o teste de sensibilidade — análise de aparência, cheiro e sabor dos alimentos, a fim de testar a aceitabilidade por parte dos estudantes.

Cabe destacar que o (a) nutricionista pode atuar não só em instituições privadas, mas também em escolas públicas. Nessas, está sujeito às disposições de verbas e regulamentações do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE).

Quando ir em um nutricionista? 

Como mencionado no tópico anterior, há muitos motivos para procurar um (a) nutricionista, além disso, também vimos que há profissionais com diferentes especialidades. Assim, você pode escolher com base em suas necessidades.

Na sequência, você pode entender melhor porque algumas condições podem fazer com que você precise de um acompanhamento nutricional — como em casos de gravidez, determinadas doenças, desejo ou necessidade de emagrecimento, etc. Confira:

Para emagrecimento / obesidade

Ao contrário do que algumas pessoas imaginam, a obesidade não se refere apenas a um excesso de gordura corporal. Essa condição é classificada como uma doença, de forma que requer um tratamento individualizado.

Normalmente, quem sofre com essa condição precisa de um atendimento multidisciplinar. Ou seja, com profissionais de áreas diferentes — o que pode incluir cardiologistas, endocrinologistas, nutricionistas, educadores físicos, entre outros.

Assim, tendo como objetivo cuidar da saúde em geral do (a) paciente, a fim de não somente diminuir o peso e a gordura corporal como evitar outras complicações decorrentes da doença.

Nesses casos, o papel do (a) nutricionista está relacionado principalmente com uma reeducação alimentar. Dessa forma, tem como foco a mudança de hábitos nutricionais e não só a perda de peso momentânea.

O papel do nutricionista vai além do auxílio no processo de emagrecimento, envolvendo a saúde do paciente

Além disso, quando se trata de emagrecimento sem a existência de doenças concomitantes, também é importante contar com o auxílio de um (a) profissional nutricionista. 

Esse acompanhamento proporciona, portanto, passar por esse processo sem prejudicar a saúde, mantendo os níveis de consumo adequados de vitaminas, minerais, carboidratos e proteínas de acordo com os objetivos e necessidades individuais.

Para diabetes

Diabetes é uma doença que carece de tratamento e acompanhamento adequado, como o uso de medicações e principalmente uma alimentação apropriada, a fim de não causar complicações e proporcionar um melhor modo de vida à pessoa portadora.

Por isso, aqui se faz muito importante o papel do nutricionista, uma vez que esse (a) profissional poderá formular um cardápio e/ou fornecer orientações quanto a forma de alimentação de quem sofre com diabetes.

Também possibilita acompanhar o (a) paciente com relação a contagem de carboidratos para ingestão diária e fornecer orientações quanto a trocas alimentares necessárias.

Antes disso, porém, é comum que seja feita a etapa de anamnese (levantamento dos dados sobre o paciente), assim como em qualquer outra consulta nutricional. 

Nesse momento, habitualmente são feitos registros de altura, peso e outras análises gerais para controle do (a) profissional — também é uma hora de diálogo para entender sobre o modo de vida e rotina da pessoa com diabetes.

Então, a partir de alguns exames, será feita uma avaliação nutricional para avaliar possíveis carências de alguns nutrientes, as quais podem (ou não) ter relação com a doença.

Feitos todos esses passos, é o momento do (a) nutricionista formular o novo plano alimentar e garantir que o (a) paciente receba todas as orientações necessárias a respeito de sua dieta.

Vale destacar que os objetivos gerais do acompanhamento nutricional para pessoas com diabetes se baseiam não só no controle da glicemia e do peso. Mas também auxiliam na prevenção de comorbidades (tais como lesão renal, AVC, pés diabéticos, úlceras, etc).

Para casos de restrição alimentar

As restrições alimentares podem ocorrer por diferentes motivos. Uma bastante comum é a alergia ou intolerância a determinados alimentos — muitas pessoas têm esse problema com relação ao consumo de frutos do mar, por exemplo. O que também pode se manifestar com relação a determinadas substâncias, como nos casos de intolerância à lactose.

É recorrente que essas condições sejam descobertas apenas ao longo da vida. No caso da lactose, por exemplo, o alerta de que algo está errado costuma surgir após o seu consumo e de derivados, causando incômodos intestinais e mal-estar.

A partir de alguns exames, o (a) médico (a) pode diagnosticar a presença dessa condição. Sendo assim, passa a ser necessária uma adaptação e uma nova rotina alimentar, muitas vezes causando mudança em hábitos de consumo cotidianos. É aí que entra a figura do (a) nutricionista.

Esses profissionais podem ajudar na substituição de alguns alimentos e também no estabelecimento de uma nova rotina nutricional — sempre em conjunto com o (a) médico (a).

Leia também: Como ter uma relação saudável com a comida? | MS

Para ajudar na fertilidade

Você já sabe que uma boa alimentação pode trazer muitos benefícios à saúde. Porém, sabia que também pode contribuir até mesmo em casos mais específicos, como o aumento da fertilidade feminina e masculina?!

Fatores como a obesidade, altas cargas de estresse e carência nutricional estão diretamente ligados a níveis mais baixos de fertilidade e também a desfechos gestacionais indesejados.

Nesse sentido, com o acompanhamento nutricional adequado, é possível realizar mudanças no peso e estilo de vida. Esses fatores, em conjunto com o fornecimento de nutrientes em níveis adequados, podem melhorar a frequência ovulatória e também a qualidade do sêmen.

Consequentemente, as chances de fecundação são maiores. Lembrando que quando um dos membros do casal precisa do tratamento para infertilidade, é apropriado que essa terapia seja aplicada a ambos.

Isso porque as técnicas usadas podem aumentar os níveis de fertilidade tanto do homem quanto da mulher. Desta forma, um casal saudável tem mais chances de engravidar e fazer isso de forma que não apresente riscos ao bebê.

Para engordar

Ao contrário do que algumas pessoas podem pensar, as dietas não têm o objetivo único de proporcionar perda de peso. Elas também podem ter como foco ajudar a pessoa a engordar.

Quando há sobrepeso, normalmente está atrelado a uma ingestão calórica muito alta e um baixo gasto energético. Da mesma forma, quando a pessoa está abaixo do peso ideal para sua saúde, o que ocorre é o processo reverso. Ou seja, está ocorrendo um gasto maior de energia do que é consumido na alimentação. 

Mas isso não significa que a pessoa irá aumentar os seus ganhos calóricos a partir de alimentos como frituras, massas, doces etc. O princípio da alimentação saudável também deve ser mantido nessas situações.

Porém, o que muda é a quantidade e quantas vezes a pessoa vai se alimentar por dia e as escolhas na dieta. É aí que entra o papel dos profissionais nutricionistas, uma vez que apenas a partir de exames e consultas será possível definir um plano alimentar adequado e individual.

Além disso, também é muito comum que nessas circunstâncias seja prescrito o uso de suplementos alimentares para ajudar no ganho de peso. Sempre levando em consideração o organismo e as necessidades individuais de cada pessoa.

Para gestantes

Não é novidade que durante a gestação são necessários muitos cuidados e precauções, inclusive com relação à alimentação. Há uma variedade de alimentos que não podem ser consumidos pelas mulheres grávidas e outros que devem fazer parte da rotina.

Acompanhamento de nutricionista durante a gestação é importante para a saúde da mãe e do bebê

Por isso, o acompanhamento nutricional é muito importante para manter uma boa saúde da mãe e do bebê. Aqui, vale ter em mente que tanto o excesso de peso quanto as carências nutricionais podem ser prejudiciais.

Então, o (a) nutricionista vai ajudar a partir da formulação de um plano alimentar que vise um equilíbrio e a ingestão adequada de calorias diárias, conforme as necessidades individuais da paciente.

Além disso, em conjunto com o (a) obstetra, será possível também prescrever vitaminas e até suplementos necessários nesse período tão importante — como o ácido fólico (vitamina B9).

Para controlar doenças crônicas

As doenças crônicas são aquelas que apresentam progressão lenta e longa duração, tais como diabetes, asma, osteoporose e hipertensão (pressão alta).

Podemos considerar aqui, por exemplo, o caso de pessoas hipertensas. Essa condição é um fator de risco para doenças cardiovasculares, como problemas nas artérias ou até AVC.

Sendo assim, é preciso um tratamento e cuidados para evitar complicações, o que inclui principalmente o auxílio de um (a) cardiologista. Porém, profissionais nutricionistas são grandes aliados para evitar comorbidades.

Isso porque uma alimentação saudável ajuda muito no controle da pressão arterial. Nesse sentido, ter um acompanhamento nutricional pode facilitar muito na hora de escolher quais alimentos consumir e quais evitar.

A dieta será formulada com base nas necessidades de cada pessoa, considerando a hipertensão e outros fatores individuais. Como exemplo de ingrediente que deve ser moderado para esses pacientes, está o consumo de sal.

Publicidade
Publicidade

Como é uma consulta com nutricionista?

Ao buscar um (a) nutricionista e agendar a visita ao consultório, você não precisa de nenhum preparo ou cuidado prévio. Com exceção de casos em que, já na primeira consulta, será realizado o exame de bioimpedância — procedimento que avalia a quantidade de gordura corporal, massa muscular e outras características corporais.

Nessas circunstâncias, o (a) profissional deve solicitar antecipadamente que você leve uma roupa leve e confortável e evite se alimentar por um determinado período antes da consulta.

De forma geral, a primeira consulta tem como objetivo conhecer o (a) paciente, bem como sua rotina e hábitos alimentares. Sendo assim, é bastante comum que sejam feitas perguntas sobre sua alimentação e questões como a prática de atividades físicas.

Além disso, também é feito um alinhamento de expectativas. Ou seja, você irá conversar com o (a) profissional sobre qual seu foco, se deseja emagrecer/engordar ou se está procurando cuidados para uma condição específica (como diabetes ou hipertensão).

Outro procedimento de rotina é medir a altura e peso, a fim de avaliar o índice de massa corporal (IMC) e outros fatores relacionados.

Por fim, antes de dar continuidade ao plano alimentar e orientações específicas quanto aos novos hábitos, é bastante comum que o (a) profissional solicite alguns exames. Esses, têm como objetivo apresentar os índices de nutrientes e identificar possíveis doenças ou carências nutricionais que precisem de atenção.

O que perguntar para a nutricionista na primeira consulta?

Se você nunca foi a uma consulta com nutricionista, é normal que fique com algumas dúvidas ou tenha receio de esquecer de perguntar algumas coisas importantes.

Primeiro, é importante que você saiba que o (a) profissional fará várias perguntas e a partir delas você também pode se sentir à vontade para tirar qualquer dúvida que tenha sobre as orientações e a dieta em si.

Mas, para te ajudar, confira algumas das perguntas recorrentes que você pode fazer:

  • “Qual deve ser a frequência do retorno às consultas?”;
  • “Tem alguma dica de como cozinhar de forma mais saudável no dia a dia?”;
  • “Com que frequência posso consumir açúcar e outros carboidratos?”;
  • “Qual o melhor exercício físico para o meu caso? Qual a frequência ideal?”;
  • “Posso comer frutas e legumes à vontade?”;
  • “De quanto em quanto tempo posso ter um dia de refeição livre?”;
  • “No meu caso, é necessário algum suplemento ou vitamina?”;
  • “Como posso aproveitar ao máximo os nutrientes dos alimentos?”;
  • “Há alguma forma ideal para armazenar a comida?”;
  • “Como posso me alimentar bem mesmo fora de casa?”.

Você pode tirar todas as suas dúvidas, não fique com receio. Esse processo é de suma importância para que seu acompanhamento nutricional obtenha os resultados desejados.

Leia também Dieta restritiva: é prejudicial à saúde? Veja as consequências | MS (minutosaudavel.com.br)

Quanto custa uma consulta com nutricionista?

O valor de uma consulta com nutricionista pode variar conforme a sua cidade e até mesmo com relação ao bairro em que será realizado o atendimento. Outros fatores como a experiência e formação do (a) profissional também podem interferir.

Porém, de forma geral, o preço da consulta particular fica entre R$150 e R$300. Mas vale destacar que se você possui plano de saúde, com certeza a taxa para consulta com nutricionista será muito menor.

Além disso, há também alguns institutos de assistência médica que possibilitam consultas com preços populares e mais acessíveis — como um tipo de convênio, mas sem fidelidade.

Também uma outra opção mais acessível a quem não tem condições financeiras ou plano de saúde são as clínicas-escolas, em que estudantes de nutrição, com supervisão de um (a) nutricionista formado (a) realizam o atendimento com valores sociais ou gratuitamente. Se informe nas universidades da sua região sobre essa possibilidade.

De quanto em quanto tempo precisa ir na consulta com nutricionista?

Após realizar sua primeira consulta com o (a) nutricionista, você receberá orientações por parte do (a) profissional com relação a quando deve fazer uma consulta de retorno.

É bastante comum que o tempo de intervalo entre cada uma seja de 1 mês, considerando que é um tempo significativo para ver possíveis mudanças de peso ou até mesmo quanto aos fatores nutricionais.

Porém, algumas pessoas gostam de voltar ao consultório com um intervalo de tempo menor, como a cada 15 dias. Normalmente, nesse caso, o objetivo não é acompanhar resultados de imediato mas sim contar com a ajuda profissional para manter o foco no plano alimentar.

Dessa forma, o ideal é você alinhar isso em conjunto com o (a) responsável pelo seu caso.

Dá para fazer consulta online com nutricionista?

É possível fazer consulta online com nutricionista

Sim. Assim como funciona na consulta presencial, é normal que o atendimento se inicie com uma avaliação do paciente, a fim de saber dados como a idade, altura e peso. Ainda, o (a) profissional também costuma perguntar sobre a rotina de exercícios e outros hábitos.

Então, feito isso, é comum que o (a) paciente explique o que motivou a busca pelo acompanhamento nutricional. Com isso, será possível dar andamento a formulação de dieta, solicitação de possíveis exames, orientações de exercícios, etc.

Basicamente, a única diferença é que o atendimento será feito de forma remota. O que pode trazer muitos benefícios para quem tem uma rotina corrida e deseja mais agilidade, por exemplo.

Para os profissionais também é uma vantagem, uma vez que conseguem muitas vezes ampliar sua agenda e horários, bem como atingir uma maior parcela da população. Em alguns casos, as consultas online são até mesmo mais baratas do que na forma presencial.

No entanto, em alguns casos, o (a) profissional pode sentir a necessidade de uma avaliação presencial. Especialmente para tirar as medidas do (a) paciente corretamente, como a circunferência abdominal.


A alimentação é um fator que está diretamente ligado a uma boa saúde. Por isso, contar com a ajuda de um (a) nutricionista é algo que pode colaborar muito nesse aspecto, tanto no tratamento de problemas como na prevenção de possíveis distúrbios.

Gostou desse conteúdo? Continue acompanhando o Minuto Saudável para saber mais!

Fontes consultadas

Imagem do profissional Angela Federau
Este artigo foi escrito por:

Esp. Angela Federau

CRN-8: 5047CompletarLeia mais artigos de Esp. Angela
Publicidade
Publicidade

Compartilhe

Publicidade
Publicidade
Sobre o Minuto Saudável

Somos uma empresa do grupo Consulta Remédios. No Minuto Saudável você encontra tudo sobre saúde e bem-estar: doenças, sintomas, tratamentos, medicamentos, alimentação, exercícios e muito mais. Tenha acesso a informações claras e confiáveis para uma vida mais saudável e equilibrada.

Somos uma empresa do grupo Consulta Remédios. No Minuto Saudável você encontra tudo sobre saúde e bem-estar: doenças, sintomas, tratamentos, medicamentos, alimentação, exercícios e muito mais. Tenha acesso a informações claras e confiáveis para uma vida mais saudável e equilibrada.
Banner anuncie em nosso site
Banner anuncie em nosso site
Nos acompanhe nas redes sociais:
Atenção: O conteúdo do site Minuto Saudável, como textos, gráficos, imagens e outros materiais são apenas para fins informativos e não substitui o conselho médico profissional, diagnóstico ou tratamento. Se você acha que pode ter uma emergência médica, ligue para o seu médico ou 192 imediatamente. Minuto Saudável não recomenda ou endossa quaisquer testes específicos, médicos (profissionais de saúde), produtos, procedimentos, opiniões, ou outras informações que podem ser mencionados no site. A confiança em qualquer informação contida no site é exclusivamente por sua conta e risco. Se persistirem os sintomas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico. Leia a bula.

Minuto Saudável © 2023 Blog de Saúde, Beleza e Bem-estar
Política de Privacidade
Publicidade
Publicidade