Redação Minuto Saudável
19/04/2018 08:00

Dieta sem Glúten: o que é, cardápio, receitas, dicas, emagrece?

Uma boa saúde, qualidade de vida e bons hábitos são muito procurados hoje em dia. Para isso, existem diversas dicas, dietas, exercícios, e maneiras de agir e pensar.

Se por acaso esse for seu foco, a dieta sem glúten pode te ajudar. Continue a leitura e descubra como!

O que é dieta sem glúten?

Qualquer dieta com exclusão total do glúten pode ser considerada uma dieta sem glúten.

Essa dieta pode ser um grande desafio para muitas pessoas, pois o glúten está presente em muitos alimentos do nosso dia a dia, e fugir dele pode não ser tão fácil quanto parece.

Para pessoas que geralmente estão acostumadas com reeducações alimentares ou dietas, a dieta sem glúten pode ser somente mais um desafio a enfrentar. Já para pessoas que gostam da boa vida sem dietas, aderir a uma dieta tão radical pode não ser muito bom, nem recomendado.

Índice – neste artigo você vai encontrar as seguintes informações:

  1. O que é dieta sem glúten?
  2. O que é glúten?
  3. Indicações
  4. Vantagens
  5. Dieta sem glúten emagrece?
  6. Desvantagens
  7. Alimentos sem glúten
  8. Devo evitar a lactose?
  9. Cardápios
  10. Monte seu próprio cardápio
  11. Receitas
  12. Dicas

O que é glúten?

O glúten é uma proteína encontrada em grãos como trigo, centeio, cevada e aveia.

Ela é ativada quando se acrescenta água na massa. Uma das principais funções do glúten nas receitas é deixar a massa com elasticidade e auxiliar no seu crescimento.

Para produzir alimentos sem glúten, as empresas precisam de um local separado somente para a produção desses alimentos. Se forem produzidos alimentos com e sem glúten no mesmo local, pode ocorrer a contaminação dos preparados sem glúten.

Mesmo que um alimento não tenha glúten na composição, ao ficar exposto a locais contaminados, já compromete a dieta.

Existem pessoas que realmente passam mal depois de ingerir alimentos com glúten, à elas o diagnóstico pode ser de Doença Celíaca ou sensibilidade ao glúten não celíaca.

A doença celíaca é uma doença autoimune, o que faz com que seu organismo ataque a si próprio, não realizando a absorção correta da proteína.

Essa doença afeta 0,1% da população mundial, e para essas pessoas o principal tratamento é uma boa mudança na alimentação, excluindo totalmente o glúten de suas vidas. Uma dieta sem glúten.

Indicações

Doença celíaca

A doença celíaca é a intolerância do organismo em relação ao glúten. Celíacos sofrem diariamente com dores estomacais, náuseas, diarréias, desnutrição, perda de peso, falta de apetite, cólicas, azia, indigestão.

Para eles, é recomendado uma dieta com total exclusão do glúten para poder controlar os sintomas e a qualidade de vida.

Já a sensibilidade ao glúten tem sintomas mais amenos e não precisa de uma dieta de exclusão, mas sim de diminuição da ingestão do glúten.

Transtornos mentais e cerebrais

Estudos recentes apontam que alguns problemas neurológicos e psiquiátricos podem estar associados com a ingestão do glúten.

A esquizofrenia, o autismo e a epilepsia são condições neurológicas que podem ser beneficiadas com uma dieta sem glúten.

Dermatite herpetiforme

A dermatite herpetiforme é uma manifestação da sensibilidade ao glúten na pele, que causa brotoejas e erupções cutâneas (feridas) na pele.

Para que essa condição cesse, uma dieta sem glúten é a solução.

Asma ocupacional por farinha de trigo (asma do padeiro)

Asma do padeiro é uma alergia respiratória às proteínas do trigo. Essa doença é caracterizada por inflamação do sistema respiratório que pode trazer diversos sintomas, como tosse, dificuldade para respirar e chiado pulmonar. Outros sintomas relacionados são urticária, vômitos, dermatite atópica, anafilaxia (reação alérgica grave), rinite, conjuntivite.

Uma dieta sem glúten e evitar se expor ao trigo podem ser a solução para essa indicação.

Se, por acaso, você não entrar em nenhum nesses critérios, e mesmo assim deseja retirar o glúten de sua dieta, é recomendado você procurar um nutricionista ou um profissional da área que vai poder te ajudar a chegar ao seu objetivo.

Vantagens

Além da ação do glúten em celíacos, não é comprovado que a retirada do glúten pode trazer algum benefício à saúde.

Dieta sem glúten emagrece?

Existem pessoas que acreditam que somente retirar o glúten da dieta já faz perder alguns quilinhos, mas o que realmente acontece é que muda-se o foco da alimentação, optando por opções mais saudáveis como frutas e verduras. Isso sim faz diferença na balança, não se encher de pão sem glúten.

Desvantagens

Maiores chances de desenvolver transtornos psicológicos

Pessoas que eliminam o glúten da sua dieta são mais propensas a desenvolver ansiedade e depressão, pois retirar a proteína causa sérios efeitos fisiológicos no intestino que podem agravar esses quadros.

Pouca gente sabe, mas existe uma relação entre o intestino e o sistema nervoso. O intestino conta com mais de 500 milhões de neurônios que carregam as informações sobre os nutrientes ingeridos para o cérebro.

Esses neurônios intestinais são responsáveis pela produção de serotonina, a famosa molécula do bem estar. Com isso, é possível estabelecer uma relação entre transtornos psicológicos e o intestino. Por isso, é importante manter uma boa alimentação para poder ter saúde mental também.

Alterações hormonais

Por estar na base da alimentação de muitas receitas e alimentos, o glúten acaba sendo necessário para muitas pessoas. Retirar essa proteína da alimentação pode acarretar em falta de saciedade, insônia e alterações hormonais no organismo.

Intestino

Estudos apontam que retirar o glúten da dieta causa uma baixa nas boas bactérias do intestino, o que pode acarretar em grandes impactos na digestão. Por isso, é importante realizar a suplementação correta com um profissional qualificado.

Uma pesquisa realizada nos EUA no Journal of Nutrition mostrou que 90% da população consome menos fibras do que é recomendado. E, ao retirar o glúten, o número de fibras ingerido pode diminuir ainda mais, o que pode acarretar em dores, inflamações e intestino preso.

Valor dos alimentos

Alimentos sem glúten, por serem mais difíceis de serem produzidos e por demandarem um local esterilizado, podem ser encontrados em supermercados com um valor muito acima do esperado.

Por isso, ao aderir a essa dieta, ocorre uma mudança na carteira primeiro.

Falta de energia

Ao retirar alimentos que contêm glúten, você não está retirando só o glúten, mas também uma grande quantidade de alimentos que são fontes de nutrientes e vitaminas necessárias para ter energia durante todo o dia. Por isso, é muito importante um acompanhamento nutricional para poder realizar essa dieta, a fim de garantir que não falte nenhum nutriente.

Aumenta a ingestão de conservantes

O processo de fazer alimentos sem glúten é trabalhoso e caro, e para não perder esses alimentos, as empresas muitas vezes aumentam o número de conservantes nesses alimentos para poderem durar mais.

Orientação médica

Realizar uma dieta tão radical como essa sem a orientação e suplementação correta pode acarretar diversas reações adversas. Consulte um profissional qualificado para poder fazer o acompanhamento correto e repor qualquer falta nutricional que seja necessária.

Mesmo depois de levar em consideração essas desvantagens da retirada do glúten, se preferir substituí-lo, aumente a quantidade de outras proteínas na sua dieta para poder compensar a ausência do glúten.

Alimentos sem glúten

Apesar do grande número de alimentos que contém glúten, existem muitos ainda que estão liberados e indicados para celíacos e pessoas que aderiram a dieta sem glúten.

Dentre esses alimentos estão:

  • Arroz;
  • Aveia;
  • Tapioca;
  • Amaranto;
  • Feijões;
  • Milho;
  • Farinhas de mandioca, arroz, milho, fubá, fécula;
  • Trigo sarraceno;
  • Farinha de grão de bico;
  • Leite e seus derivados como manteiga e queijos;
  • Todo tipo de frutas e verduras;
  • Nozes;
  • Carne, ovos e frutos do mar.

Bebidas

A cevada e o malte são ingredientes essenciais para a tão querida cerveja, o que acarreta em retirada da cerveja da dieta sem glúten. Mas não se preocupe, não são todas as bebidas que contém glúten.

Segue uma lista de bebidas livres do glúten:

  • Sidra;
  • Vinho;
  • Saquê (sem adição de cevada);
  • Hidromel;
  • Alguns licores;
  • Champanhe;
  • Cachaça;
  • Conhaque;
  • Rum;
  • Tequila;
  • Vodca;
  • Whisky.

Devo evitar a lactose?

Não é incomum relacionar o glúten com a lactose. Alguns celíacos, além de não ingerir o glúten, procuram não ingerir lactose.

Lactose é o principal açúcar do leite, que é produzida por todos os mamíferos. Para absorver a lactose se utiliza o mesmo processo que a absorção do glúten, por isso a associação das pessoas com essas duas proteínas.

O ser humano adulto pode viver muito bem sem a lactose, uma prova disso é a intolerância à lactose.

Ela acontece porque o intestino não produz mais lactase, a enzima que quebra a lactose. O ser humano produz essa enzima quando bebê por conta do leite da mãe, mas, a medida em que cresce, para de produzir essa enzima pouco a pouco.

Como as pessoas continuam tomando o leite de vaca, mesmo na vida adulta, o intestino continua produzindo, em quantidades pequenas, a lactase. Mas isso é antinatural, porque o certo era não tomar mais leite, então pessoas que tem intolerância à lactose na verdade são aquelas que estão com o organismo mais “certo”, sem a produção de lactase.

Sendo assim, não existe uma regra que diz se é preciso parar com a lactose ou não. Se você não tem nenhum problema de intolerância, fica a teu critério. Contudo, se você tem problemas na digestão de lactase, pode-se retirar essa substância da dieta ou suplementar a enzima lactase.

De qualquer forma, converse com seu nutricionista para que ele possa indicar o tratamento e a dieta mais adequados para você.

Cardápios

Seguem dois cardápios que podem ser seguidos na dieta sem glúten. Você pode fazer algumas alterações se preferir.

Cardápio 1

Para o café da manhã as opções podem ser:

  • Opção 1: 1 fatia de pão sem glúten com 1 fatia de queijo branco + 200mL de limonada suíça com gengibre + 1 ameixa fresca;
  • Opção 2: 1 fatia de bolo de chocolate (receita abaixo) + 1 xícara de chá verde com erva-doce + 1 maçã;
  • Opção 3: 1 torrada sem glúten com azeite, 1 rodela de tomate, orégano e lascas de queijo branco + 200mL de suco de uva integral + 1 fatia de mamão;
  • Opção 4: 1 taça de salada de frutas com uma colher (sopa) de quinoa + 200mL de suco d melancia sem açúcar.

Para o lanche da manhã:

  • Opção 1: 1 cacho pequeno de uvas;
  • Opção 2: 1 castanha do pará + 2 nozes;
  • Opção 3: 3 biscoitos sem glúten.

No almoço:

  • Opção 1: 1 prato (sobremesa) de salada de agrião, alface roxa, tomate-cereja e palmito + 1 filé-mignon grelhado + 2 colheres (sopa) de arroz integral com cúrcuma (opcional) + 1 colher (de servir) de mostarda refogada;
  • Opção 2: 1 prato (sobremesa) de salada de alface americana, tomate e pepino + 1 colher(de servir) de carne moída refogada com cúrcuma (opcional) + 1 colher (de servir) de abóbora cozida + 1 colher (de servir) de couve refogada;
  • Opção 3: 1 prato (sobremesa) de salada de alface roxa, rúcula, tomate-cereja, palmito e cebola, polvilhada com 1 colher (sopa) de gergelim + tabule de quinoa real à vontade + 1 colher (de servir) de carne com broto de feijão;
  • Opção 4: 1 prato (sobremesa) de agrião polvilhado com sementes de girassol + 1 filé de salmão assado no forno com azeite e limão + 1 colher (de servir) de mandioquinha refogada e polvilhada com cebolinha verde.

No lanche da tarde:

  • Opção 1: 1 ovo cozido;
  • Opção 2: 1 folha de alface enrolada com 1 fatia de presunto e 1 fatia de mussarela;
  • Opção 3: 1 pote de coalhada com 6 morangos picados e adoçante;
  • Opção 4: 1 pote de salada de frutas.

No jantar:

  • Opção 1: 1 prato (sobremesa) de salada de acelga + 1 prato de salada de frango com macarrão sem glúten;
  • Opção 2: 1 prato (sobremesa) de salada de couve + 1 sobrecoxa de frango assada + 1 pedaço médio de batata-doce assada;
  • Opção 3: 1 prato de arroz integral com chicória e tomate seco.

E para encerrar o dia, na ceia:

  • Opção 1: 2 castanhas-do-pará (ou 4 amêndoas);
  • Opção 2: 2 col. (sopa) de abacate com adoçante (opcional);
  • Opção 3: 1 fatia de queijo branco magro;
  • Opção 4: 1 torrada de arroz integral prensado com 1 col. (chá) de requeijão light.

Cardápio 2

Para o café da manhã as opções podem ser:

  • Opção 1: 1 copo (300 ml) de leite desnatado batido com 6 morangos + 1 torrada de arroz integral prensado (à venda em lojas de produtos naturais) com requeijão light;
  • Opção 2: Suco anti-inflamatório: bata 1/2 papaia com 1 ameixa-preta sem caroço, 1 col. (sopa) de linhaça triturada e 1 copo (200 ml) de água gelada + 2 pães de queijo pequenos;
  • Opção 3: Suco antioxidante: bata 1 copo (300 ml) de suco de maçã com 1 folha de couve fresca (sem o talo) + 5 biscoitos de polvilho (ou 1/2 cará médio cozido com 1 fio de azeite ou 1 pãozinho de inhame);
  • Opção 4: Suco antioxidante: bata 1 fatia média de melancia com limão e hortelã + 1 tapioca (3 col./sopa de farinha de tapioca assada na frigideira antiaderente com 1 col. café de margarina light) com 1 fatia fina de mussarela light.

Para o lanche da manhã:

  • Opção 1: 1 porção de fruta (1 maçã, 1 banana, 1 fatia média de melão, 1 rodela média de abacaxi);
  • Opção 2: 2 cookies integrais sem glúten (à venda no supermercado);
  • Opção 3: Mix de frutas secas (2 damascos + 4 amêndoas);
  • Opção 4: 1 pote de iogurte de fruta light.

No almoço:

  • Opção 1: Salada de folhas verdes à vontade com 3 col. (sopa) de cenoura crua ralada e 3 col. (sopa) de beterraba crua ralada temperadas com 1 col. (sobremesa) de azeite, pouco sal, limão + 2 col. (sopa) de arroz integral (ou quinua em grão cozida) + 1 concha média de lentilha + 1 filé médio de carne vermelha magra (alcatra, patinho, filé mignon) grelhado;
  • Opção 2: Salada de folhas verdes e tomate à vontade com 3 col. (sopa) de grão-de-bico temperados com 1 col. (sobremesa) de azeite, pouco sal, limão + 1 abobrinha inteira recheada com carne moída e assada com molho de tomate;
  • Opção 3: 2 col. (sopa) de vagem, cenoura e couve-flor no vapor + 1 pegador de macarrão de arroz com molho de tomate (ou 2 col./sopa de arroz integral) + 3 almôndegas (ou 1 hambúrguer pequeno grelhado);
  • Opção 4: Salada de folhas frescas (alface, agrião, rúcula) à vontade temperados com 2 azeitonas e 1 ovo cozido temperados com 1 col. (sobremesa) de azeite, pouco sal e limão + 3 col. (sopa) de arroz integral + 1 filé médio de peixe grelhado ou assado.

No lanche da tarde:

  • Opção 1: 1 copo (200 ml) de suco de uva integral (sem açúcar) + 2 castanhas-do-pará;
  • Opção 2: 1 pote de iogurte natural desnatado com 3 morangos picados;
  • Opção 3: 1 maçã assada com casca e polvilhada com canela;
  • Opção 4: 1 fatia fina de bolo de cenoura sem glúten.

No jantar:

  • Opção 1: Salada de folhas verdes, pepino e tomate à vontade e 2 azeitonas temperados com 1 col. (sobremesa) de azeite, pouco sal, limão + 1 filé médio de peixe assado ou grelhado com ervas (alecrim, cebolinha, salsinha);
  • Opção 2: 1 prato fundo de sopa de vegetais (veja receita) ou de abóbora com 1 filé médio de frango cozido desfiado;
  • Opção 3: Salada de folhas verdes e brócolis no vapor à vontade temperados com 1 col. (sobremesa) de azeite, pouco sal, limão + 2 col. (sopa) de purê de cenoura com mandioquinha + 2 fatias (100 g) de ricota (ou tofu) grelhada com shoyu e 1 fio de azeite;
  • Opção 4: Salada de folhas verdes à vontade temperadas com 1 col. (sobremesa) de azeite, pouco sal, limão + 1 batata-doce cozida com 1 fio de azeite e sal + 1 hambúrguer médio de frango (ou de soja).

E para encerrar o dia, na ceia:

  • Opção 1: 2 castanhas-do-pará (ou 4 amêndoas);
  • Opção 2: 2 col. (sopa) de abacate com adoçante (opcional);
  • Opção 3: 1 fatia de queijo branco magro;
  • Opção 4: 1 torrada de arroz integral prensado com 1 col. (chá) de requeijão light.

Monte seu próprio cardápio

Além da opção do cardápio pronto, a dieta sem glúten oferece a possibilidade de você criar seu próprio cardápio.

Segue abaixo uma listagem com sugestões para compor seu café da manhã, lanche da manhã, almoço, lanche da tarde, jantar e ceia.

  • Proteínas e carnes preparadas em casa, sem temperos prontos e não contaminados: carne vermelha, aves, frutos do mar, peixes, queijos suíço, creme;
  • Grãos em estado natural, não temperados ou misturados com alimentos com glúten: feijão branco e preto, ervilha, arroz branco ou integral, milho, lentilha, quinoa, amaranto, grão de bico, trigo sarraceno;
  • Tubérculos, batatas e seus substitutos: batata, batata-doce, inhame, mandioca, goma de tapioca, sagu, araruta, fécula de batata, polvilho doce e azedo, cará;
  • Legumes e frutas naturais: cozidos ou assados: todos os vegetais ou frutas;
  • Pães, bolachas ou massas: desde que preparados com farinha de arroz, amido de milho, mandioca, tapioca ou soja, biscoito de polvilho, biscoitos de soja ou arroz;
  • Gorduras: manteiga, margarina, óleo ou gordura animal, chocolate, azeites, óleo de coco;
  • Sobremesa e doces frias ou quentes: qualquer receita feita sem glúten ou com substitutos como farinha de arroz, milho, ou tapioca, gelatinas, merengue, sorvete de frutas e pudim de leite, mel;
  • Leite e derivados: desde que naturais ou certificados que são isentos de glúten;
  • Molhos e acompanhamentos: feitos em casa ou ketchup, maionese, shoyo, molho branco, mostardas desde com indicação de serem livres de glúten;
  • Temperos: cebola, alho, cacau, sal, pimenta, vinagre;
  • Sucos feitos na hora: de qualquer fruta ou com indicação de ser sem glúten.

Receitas

Segue algumas receitas que podem suprir alguma necessidade de preferir mais opções de lanches ou refeições.

Lembre-se que o glúten pode estar na sua cozinha, por isso, antes de preparar qualquer receita sem glúten, limpe muito bem o local e os instrumentos que serão utilizados.

Sopa de vegetais

Ingredientes

  • 1 cebola grande, picada;
  • ½ colher (sopa) de azeite;
  • 2 nabos médios, cortados em cubos;
  • 2 cenouras grandes, cortadas em cubos;
  • 2 talos de alho-poró cortados em rodelas;
  • 1 litro de água fervente (ou caldo de legumes sem gordura);
  • 1 colher (sobremesa) de ervas (salsinha, cebolinha, orégano);
  • Sal e pimenta a gosto;
  • 2 colheres (sopa) de salsa picada (para polvilhar).

Modo de fazer

  1. Em uma panela, aqueça o azeite e refogue a cebola;
  2. Acrescente os legumes e refogue com um pouco da água até que os legumes fiquem macios;
  3. Junte as ervas, sal, pimenta e o restante da água;
  4. Assim que ferver, tampe a panela e cozinhe em fogo baixo por 30 minutos;
  5. Sirva polvilhada com a salsa ou congele em porções.

Rende: 2 porções.

Calorias por porção: 140.

Bolo de cenoura

Ingredientes

  • 3 xícara (chá) de farinha de quinua;
  • 3 cenouras grandes;
  • 4 ovos;
  • 2 xícara (chá) de adoçante culinário;
  • 1 xícara (chá) de óleo de girassol;
  • 1 colher (sobremesa) de fermento em pó.

Modo de fazer

  1. Bata todos os ingredientes no liquidificador e coloque em uma fôrma pequena com furo no meio e untada;
  2. Asse em forno preaquecido a 180 °C por 30 minutos (ou faça o teste do palito);
  3. Desenforme morno.

Rende: 10 fatias.

Calorias por fatia: 95.

Sopa de abóbora

Ingredientes

  • 1 colher (sopa) de cebola picada;
  • ½ colher (sopa) de azeite;
  • 3 xícara (chá) de abóbora japonesa sem casca e sem sementes, cortada em cubos;
  • 2 mandioquinhas (batata-baroa) cortadas em rodelas;
  • 1 litro de água fervente;
  • Sal a gosto;
  • 2 colheres (chá) de cúrcuma;
  • ½ colher (café) de pimenta dedo-de-moça (opcional).

Modo de fazer

  1. Em uma panela, aqueça o azeite e refogue a cebola;
  2. Adicione a abóbora e a mandioquinha e refogue com um pouco da água;
  3. Junte o restante da água e sal;
  4. Tampe e deixe cozinhar por 30 minutos em fogo baixo;
  5. Adicione cúrcuma e pimenta;
  6. Pode ser congelada em porções.

Rende: 2 porções.

Calorias por porção: 185.

Pão de inhame

Ingredientes

  • 4 inhames cozidos e bem amassados (até formar um purê);
  • 2 copos (400 ml) de polvilho doce;
  • 2 ovos;
  • 1 colher (sopa) de missô (pasta de soja fermentada);
  • Sal e orégano a gosto;
  • ½ copo (100 ml) de óleo de canola;
  • ½ copo de água morna.

Modo de fazer

  1. Em tigela, junte o inhame, o polvilho, os ovos, o missô, sal e orégano;
  2. Adicione o óleo e a água e misture até formar uma massa homogênea;
  3. Molde os pãezinhos (no formato de pão de queijo) e deixe descansar por 30 minutos na geladeira;
  4. Asse em forno preaquecido a 180 °C por 20 minutos ou até dourar;
  5. Pode ser congelado e aquecido na hora do consumo.

Rende: 30 pãezinhos.

Calorias por pãozinho: 35.

Biscoito sem glúten

Ingredientes

  • ½ xícara de avelãs;
  • 1 xícara de farinha de milho;
  • 2 colheres de sopa de farinha de arroz;
  • 1 colher de café de mel;
  • ½ xícara de leite de arroz;
  • ½ xícara de açúcar mascavo;
  • 2 colheres de sopa de azeite.

Modo de fazer

  1. Colocar no liquidificador as avelãs, o açúcar, o mel, o azeite e o leite de arroz até ter um creme homogêneo;
  2. Misturar em uma taça as farinhas e verter o creme mexendo bem;
  3. Fazer bolinhas com as mãos, achatar as bolinhas em forma de disco e colocar em um tabuleiro forrado com papel vegetal;
  4. Levar ao forno a 180-200 ºC por 30 minutos.

Rende: de 20 a 25 biscoitos.

Bolo de maçã

Ingredientes

  • 5 ovos orgânicos;
  • 2 maçãs, de preferência orgânicas, em cubos;
  • 2 xícaras de açúcar mascavo;
  • 1 xícara e meia de farinha de arroz;
  • ½ xícara de amido de milho (maizena);
  • 3 colheres de sopa óleo de coco extra virgem;
  • 1 colher de sopa de fermento em pó;
  • 1 colher de chá de canela em pó;
  • 1 pitada de sal.

Modo de fazer

  1. Bater os ovos em batedeira por cerca de 5 minutos;
  2. Adicionar o óleo de coco e o açúcar mascavo e continuar batendo;
  3. Acrescentar a farinha de arroz, o amido de milho, o fermento, o sal e a canela em pó e bater;
  4. Despejar a massa em uma assadeira untada com óleo de coco, espalhar a maçã picada, pode polvilhar com açúcar e canela assando de seguida em forno médio preaquecido a 180 ºC, por cerca de 30 minutos ou até dourar.

Dicas

Algumas medidas podem te ajudar a tirar maior proveito da dieta sem glúten, confira:

Bom sono

Apenas a mudança na alimentação nem sempre acarreta em uma manutenção adequada do bem estar e da saúde. Outros hábitos saudáveis também devem ser incorporados no dia a dia para uma melhora na saúde. Um desses hábitos é o sono.

Dormir cerca de 8 horas por dia e manter horários fixos para dormir e acordar todos os dias, mesmo nos finais de semana, pode ajudar a manter o corpo no seu melhor estado por muito mais tempo. Além disso, o descanso adequado pode auxiliar na melhora do intestino em pacientes celíacos.

Exercícios físicos

Fazer exercícios físicos é importante para a manutenção da saúde de qualquer pessoa, seja celíaca ou não. Por isso, é preciso separar um tempo precioso para um bom exercício físico diário.

Segue alguns exercícios e seus benefícios para a saúde.

Caminhada

Caminhar é um exercício leve e tranquilo de realizar, caminhar 30 minutos por dia é o suficiente para eliminar alguns quilos por mês. Para isso é preciso ter calçados confortáveis e roupas adequadas.

É recomendado para todas as idades. Não caminhe sem ter comido antes, pois pode haver desnutrição e pode levar a desmaios.

Corrida

A corrida é um dos mais procurados exercícios pelo público jovem. Esse exercício exige um pouco mais de esforço do que a caminhada, mas traz mais benefícios, como liberar hormônios da felicidade; fortalecer músculos e as articulações. Correr de 5km a 10km por semana já é o suficiente para alcançar seus objetivos.

Musculação

Para fazer a musculação é preciso de recomendação de um profissional qualificado, o professor de sua academia pode te ajudar a criar uma rotina de exercícios baseada na sua capacidade. A musculação é muito procurada para definir o corpo e fortalecer os músculos, além de emagrecer.

Natação

Por não ser um exercício que afeta as articulações pois a água amortece o impacto, a natação é mais procurada por pessoas mais velhas. A natação também ajuda a melhorar a postura, proporciona equilíbrio muscular e promove a circulação.

Pode ser realizada em aulas de 50 minutos a 1 hora, de 2 a 3 vezes por semana.


A dieta sem glúten pode proporcionar diversos benefícios para sua saúde.

Aproveite as informações desse texto para te ajudar a chegar ao seu objetivo. Lembre-se de procurar orientação médica e nutricional para emagrecer com saúde.

23/05/2019 11:00

Redação Minuto Saudável

Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável. Confira mais na nossa página de quem somos.

Ver comentários

  • Preciso perder peso urgente, espero que suas dicas possam me ajudar porque já estou cansada de se sentir mal comigo mesma, me desculpe pelo desabafo e obrigada por compartilhar esse conteúdo.

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*