Tosse (seca, alérgica, com catarro): remédio caseiro, xarope, chá

40

Revisado por: Dr. Paulo Caproni (CRM/PR 27679) – Medicina Preventiva e Social

O que é tosse?

A tosse é uma reação natural do sistema respiratório a um processo irritativo. Não se trata especificamente de uma doença, mas sim um sintoma de outras doenças ou infecções, até mesmo podendo ser normal.

Quando as vias aéreas são bloqueadas ou irritadas, estímulos são enviados ao cérebro pelos nervos das traqueias e brônquios, que promovem a contração muscular, principalmente do diafragma e fechamento da glote (abertura responsável pela entrada e saída do ar).

Portanto, a tosse é fundamental para a remoção de substâncias indesejadas, agentes infecciosos e corpos estranhos, liberando a passagem de ar e facilitando a respiração, podendo a velocidade da expulsão chegar a 900 km/h.

Índice — neste artigo você encontrará as seguintes informações:

  1. O que é?
  2. Tipos
  3. Tosse durante a gravidez
  4. Tosse em bebês
  5. Tosse alérgica infantil
  6. Causas
  7. Fatores de risco
  8. Sintomas associados
  9. Diagnóstico
  10. A tosse pode ser transmitida?
  11. Tem cura?
  12. Qual é o tratamento?
  13. Chás para tosse
  14. Outras receitas caseiras
  15. Medicamentos
  16. Xaropes
  17. Complicações
  18. Prevenção

Tipos

A tosse pode ser classificada de acordo com a produção de muco e o tempo de duração, além de existirem alguns outros tipos:

Tosse seca (irritativa sem catarro)

Trata-se de uma tosse que não produz secreção, e os sintomas normalmente são vontade constante de tossir, sensação de irritação e secura na garganta. Além disso, costuma piorar durante a noite e persistir por várias semanas.

As possíveis causas incluem laringite, dor de garganta, amigdalite, sinusite, refluxo gastroesofágico e exposição a agentes irritantes (poluição, fumaça, medicamentos etc.).

PUBLICIDADE

Por ser irritativa, pode agravar lesões já existentes. É importante analisar se de fato o muco não está sendo produzido ou se ele não flui por desidratação.

Tosse produtiva (com catarro)

Essa tosse apresenta uma secreção produzida especificamente para limpar as vias respiratórias. Geralmente está associada a uma gripe ou resfriado, mas também pode ser decorrente de um quadro de pneumonia, bronquite ou asma.

Muitas vezes, a tosse pode vir acompanhada de muco amarelo-esverdeado, caracterizando uma tosse purulenta. Isso ocorre quando há uma infecção nas vias respiratórias e, por isso, deve-se procurar ajuda médica.

Tosse medicamentosa

A tosse também pode ser efeito colateral de alguns medicamentos, principalmente os inibidores de enzimas ECA, comumente indicados para tratar a pressão alta.

Uma boa maneira de diagnosticá-la é observar quando o sintoma teve início — nesse caso, geralmente após algumas semanas do início do tratamento com a medicação.

Tosse alérgica

A tosse alérgica é causada por uma reação a alguma substância ou microrganismo. Uma reação alérgica acontece quando o sistema imunológico identifica algo como uma ameaça de maneira equivocada e o ataca.

Por exemplo, amendoim não representa um risco para o corpo, mas algumas pessoas são extremamente alérgicas a ele. O sistema imunológico, ao perceber o amendoim, acredita estar em perigo e reage.

O resultado são as alergias, que nem sempre são tão intensas, podendo se apresentar apenas com sintomas leves. Estas reações podem causar tosse, além de coceira incômoda na garganta.

Tosse espasmódica

A tosse espasmódica é uma crise de tosses intensas, que pode impedir ou dificultar a respiração enquanto ocorre através de espasmos musculares repetidos.

Tosse paroxística (tosse convulsa)

A palavra paroxística, na medicina, é usada no sentido de “máxima intensidade”. É o sintoma mais comum da coqueluche e se apresenta como crises de tosse seca e severa.

Pode aparecer em diversas doenças e situações em que irritações da garganta causam crises de tosse duradouras.

Tosse aguda e subaguda

As tosses mais comuns são as mais breves, que duram apenas o tempo necessário para a defesa do pulmão. Enquanto a tosse aguda dura menos de três semanas, a subaguda dura de três a oito semanas.

Tosse crônica

A tosse é considerada crônica quando persiste por mais de dois meses. Quando a tosse ocorre repetidamente e por um longo período, a estrutura dos brônquios pode sofrer alterações. Nesse caso, é recomendável procurar um médico o mais rápido possível, pois costuma ser sintoma de uma doença oculta, como a tuberculose.

Tosse durante a gravidez

Na gestação, o corpo da mulher sofre alterações hormonais e pode ficar mais sensível a alergias, gripes e outros problemas. Além disso, aumentam as chances de refluxo gástrico, causado pela maior compressão do estômago, irritando as vias respiratórias.

Esses fatores aumentam muito as chances da gestante apresentar quadros de tosse, que normalmente desaparece após alguns dias, mas pode trazer complicações como insônia, incontinência urinária e falta de ar.

Por isso, devem ser tomados alguns cuidados especiais para evitá-la, como não ficar em lugares muito frios, com muita poeira ou poluição, tomar muito líquido e manter a cabeça elevada durante a noite.

Durante a gravidez, é importante não tomar nenhum medicamento sem orientação médica, pois eles podem prejudicar o bebê. Assim, qualquer tratamento, mesmo que caseiro, deve ser realizado após a aprovação de um médico.

É importante ressaltar que a tosse da gestante não afeta o bebê, que está protegido dentro da barriga da mãe.

Tosse em bebês

A tosse é um sintoma muito comum em bebês, pois é um dos principais mecanismos de defesa do organismo para limpar as vias aéreas. Como os bebês possuem a imunidade mais baixa, estão mais propensos a adquirirem doenças ou irritações que causem a tosse.

As principais causas de tosse em bebês são a mudança de tempo, o ar seco, refluxo gastroesofágico, gripes, resfriados e coqueluche (doença respiratória altamente contagiosa, marcada por uma tosse severa e seca).

Nessa faixa etária, o cuidado deve ser redobrado. Portanto, procure sempre um pediatra para saber qual o melhor tratamento. Em casa, faça seu bebê ingerir bastante líquido. Inalações com soro fisiológico e umidificadores de ar também podem ajudar.

Tosse alérgica infantil

Também pode acontecer uma reação alérgica causada por tosse. O recomendado é afastar a criança do causador da alergia e, se a reação não passar em algumas horas, levá-la ao médico.

Evite medicar sem indicação médica, especialmente se a criança for muito pequena. Recomenda-se hidratá-la bem. Se for necessário, inalação ou vaporização podem ajudar a limpar as vias aéreas e resolver o problema.

Causas

Por ser um sintoma, a tosse pode ser ocasionada por diversas patologias, como:

Rinite alérgica

A rinite alérgica acontece quando poeira, pelos de animais, pólen de flores ou outras substâncias entram em contato com as vias aéreas, desencadeando uma reação alérgica local.

O resultado pode ser a tosse alérgica, que coça a garganta e normalmente é seca, acompanhada de coriza, espirros, lacrimejamento nos olhos e irritação no nariz, boca, olhos, garganta e pele.

Doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC)

A DPOC é uma doença crônica que causa obstrução das estruturas do pulmão (alvéolos e brônquios), causando dificuldades respiratórias. O paciente pode apresentar tosse seca e crônica, chiado e aperto no peito.

Se não for tratada, pode produzir catarro excessivo, causar infecções por bactérias e trazer complicações à saúde do paciente.

A principal causa da DPOC é o cigarro. Entre as condições que compõe a doença estão:

Bronquite crônica

A bronquite é uma inflamação dos brônquios, causando tosse com catarro. Pode ser aguda, durante apenas de uma a duas semanas, mas existem casos em que se torna crônica, podendo durar anos. Quando a condição é prolongada, torna-se uma DPOC.

Enfisema pulmonar

O enfisema pulmonar é a inflamação e destruição dos alvéolos, parte microscópica do pulmão onde acontecem as trocas gasosas de oxigênio e gás carbônico.

Câncer (laringe ou pulmão)

No pulmão, o tumor pode ser causado pelo tabagismo ou inalação de agentes poluentes e carcinogênicos. Os sintomas iniciais podem ser confundidos com qualquer outra doença respiratória: tosse, falta de ar, chiado nos pulmões, sangue no escarro e dor no peito.

Quando o câncer é na laringe, o tabagismo também costuma ser o principal causador, mas os sintomas, além de tosse, são rouquidão, dificuldade respiratória, dor prolongada na garganta, ferimento que não se cura, entre outros. Se sentir qualquer um destes sintomas, visite um médico.

Asma

Muito comum, é uma doença inflamatória crônica das vias aéreas, que deixa o pulmão mais sensível e inflamado. Tosse com ou sem produção de escarro e deficiência respiratória são os sintomas mais relatados. Além disso, o paciente pode notar uma sobrecarga na musculatura intercostal (músculo entre as costelas), devido ao esforço respiratório.

Pneumonia

Trata-se da infecção dos tecidos pulmonar e seus alvéolos. Os principais sintomas são expectoração (que tem como reação a tosse), febre, calafrios, falta de ar, dor no peito ao respirar fundo, dores pelo corpo, indisposição e cansaço.

Tuberculose pulmonar

Outra doença infecciosa, causada por uma bactéria conhecida como bacilo de Koch (BK). Diferente da pneumonia, os sintomas da tuberculose podem demorar para aparecer. Os mais comuns são febre, suores noturnos e, principalmente, tosse, que pode começar seca e se tornar purulenta.

Engasgo

O engasgo acontece quando algum corpo estranho se aloja na garganta, obstruindo a passagem de ar. Nesses casos, a tosse é uma reação do corpo para desobstruir as vias aéreas.

Engasgos podem ser perigosos, já que uma obstrução total das vias aéreas pode causar asfixia. Além disso, o objeto pode causar irritação e lesões na garganta, o que também pode causar tosse.

Fumo

O hábito de fumar aumenta o volume de muco produzido pelos brônquios, causa irritação física e química das mucosas, destrói os cílios que cobrem o revestimento interno dos brônquios, facilita o acúmulo de material estranho às vias aéreas e pode causar morte das células pelo contato contínuo da fumaça com as vias aéreas.

Resfriados

Essa infecção viral benigna do trato respiratório superior pode ser causada por mais de 200 tipos de vírus. Os resfriados causam muita irritação e dor na garganta, fatores que levam o paciente a tossir de maneira persistente enquanto está doente.

Gripes

A gripe é uma doença comum que que deveria ser levada mais a sério, pois pode ocasionar diversas doenças respiratórias severas. Normalmente, a condição é acompanhada por tosse seca.

Sinusite

A sinusite é uma inflamação dos seios da face com obstrução nasal e dor no rosto. Pode produzir tosse com catarro.

Assim como os resfriados e a gripe, pode causar a Síndrome do Gotejamento Pós-nasal. Nessa condição há excesso de muco nas narinas, que escorre pela garganta como um gotejamento de secreção, ocasionando especialmente tosse crônica.

Laringite

A inflamação na laringe (região que compõe o trato respiratório) pode provocar dor na garganta, rouquidão e tosse seca e irritativa.

Doença do Refluxo Gastroesofágico (DRGE)

Se o refluxo for um problema constante, pode gerar uma tosse crônica com pigarro e uma sensação de coceira na garganta. A DRGE faz com que o ácido do estômago volte para o esôfago, provocando o reflexo da tosse.

Medicamentos

Alguns medicamentos podem ser a causa da tosse. Em geral, é um quadro de hipersensibilidade que se torna uma reação alérgica aos componentes da fórmula. A tosse normalmente é forte e constante. Quando isso ocorrer, informe seu médico para trocar a medicação.

Embolia pulmonar

Trata-se do bloqueio de uma ou mais artérias dos pulmões por gordura, ar, coágulo de sangue ou células cancerosas.

Os principais sintomas dessa doença são dor ou queimação sob o esterno (osso longo e achatado que se articula com as primeiras sete costelas e a clavícula), tosse repentina e com sangue, respiração rápida, frequência cardíaca alta e dor intensa no peito. Nestes casos, o médico deve ser consultado imediatamente.

Fibrose cística

Doença genética e hereditária que produz um muco anormal, denso e pegajoso, que, quando acomete os pulmões, se acumula e resulta em infecções pulmonares. Ela pode estar acompanhada de tosse crônica e com secreção.

Insuficiência cardíaca

Ocorre quando o coração não consegue bombear sangue suficiente de acordo com as demandas metabólicas. Assim, o sangue fica retido nos pulmões e pode invadir os alvéolos, provocando a tosse para expelir o líquido dos pulmões.

Fatores de risco

O principal fator de risco da tosse é o frio, que além de provocar irritação das vias respiratórias, faz com que as pessoas fiquem aglomeradas em locais fechados, aumentando o risco de transmissão de doenças respiratórias.

Já os grupos com mais chance de apresentarem tosse dependem diretamente da causa em questão. Entretanto, no geral, os dois principais grupos com maior predisposição a adquirir doenças ou irritações que tenham como sintoma a tosse são gestantes e bebês.

Sintomas associados

A tosse já é considerada um sintoma de alguma doença ou condição. Entretanto, existem algumas condições mais comumente vinculadas a ela e que podem explicar sua causa, como:

  • Secreção nasal (coriza);
  • Chiado no peito;
  • Falta de ar;
  • Tosse com sangue;
  • Gosto amargo na boca;
  • Febre;
  • Calafrios;
  • Suor noturno;
  • Dor de garganta;
  • Dor de cabeça;
  • Náusea e vômito;
  • Muco (catarro);
  • Azia (em tosses provocadas por refluxo);
  • Dificuldade para dormir;
  • Dor torácica.

Em casos em que a tosse está relacionada a um câncer, o paciente pode apresentar perda inexplicável de peso, falta de apetite e dificuldade de engolir alimentos.

Diagnóstico

Sabe-se que existem diversas causas para a tosse, por isso a extrema importância de um diagnóstico correto.

O ideal é procurar, inicialmente, um clínico geral, para que, através do exame clínico, ele encaminhe o paciente para um especialista, quando necessário.

Consulte seu médico especialmente se a tosse vier acompanhada de: sangramento, falta de ar, dor ao respirar, perda de peso, dor de cabeça, febre alta (acima de 38 ºC) ou muco com cor incomum.

As especialidades que podem acompanhar um quadro de tosse são a clínica médica, pneumologia, cardiologia, infectologia, imunologia e otorrinolaringologia.

É muito importante que seja verificado o aspecto da secreção da tosse.

Quando a secreção é mais clara, normalmente está associada a alergias ou infecções virais. Se for mais escura, pode indicar bronquite, sinusite ou pneumonia. Se houver sangramento na secreção, a tosse pode ser um sintoma de câncer de pulmão.

Em casos crônicos ou de difícil diagnóstico, podem ser realizados alguns exames de imagem e laboratoriais, incluindo raio-X, dosagem de anticorpos alérgicos no sangue, tomografia computadorizada e espirometria (exame que mede o volume e a velocidade do ar, a fim de diagnosticar doenças respiratórias).

A tosse pode ser transmitida?

Sendo a tosse sempre uma reação do corpo a algum outro agente ou doença, ela não pode ser transmitida. Mas se a doença que causou a tosse for transmissível e atingir uma segunda pessoa, esta pode apresentar tosse também. Um exemplo é a gripe, doença infecciosa causada pelo vírus Influenza.

Tosse tem cura?

Sim, na maior parte das vezes a tosse tem cura. Depende muito da causa. A grande maioria dos quadros podem ser tratados e curados. Por isso, é importante obter um diagnóstico correto junto ao médico e iniciar o tratamento indicado pelo especialista.

Além disso, existem medicamentos que podem reduzir ou eliminar a tosse, mesmo que a condição que está provocando este sintoma não tenha sido curada ainda.

Qual é o tratamento?

Assim como a cura, o tratamento para a tosse depende do diagnóstico estabelecido e a causa determinada. Portanto, tratando-se a condição subjacente, é provável que a tosse desapareça.

Para pessoas saudáveis, existem algumas medidas a serem tomadas em casa que aliviam o desconforto e costumam resolver o problema em alguns dias. Contudo, vale ressaltar que certas receitas caseiras não são comprovadas cientificamente.

Portanto, caso os sintomas persistam por mais de cinco dias, consulte um médico.

Nos casos de tosse provocada por bactérias, é provável que o médico receite um antibiótico. Podem ser prescritos também xaropes ou supressores de tosse com codeína.

O tratamento caseiro inclui:

Manter-se hidratado

Beber ao menos 8 copos de água por dia facilita a movimentação do muco sobre a camada de cílios. É o melhor tratamento quando a tosse atinge crianças menores de 4 anos.

Outra dica para as crianças é água morna ou suco de maçã. Você também pode tomar outros líquidos para hidratar a garganta, mas evite bebidas alcoólicas, refrigerantes, chá preto, chá mate e café.

Consumir mel

O mel acalma a garganta inflamada e as membranas mucosas. É rico em antioxidantes e possui propriedades anti-inflamatórias e antimicrobianas, além de intensificar a lubrificação do trato respiratório superior (faringe, laringe e boca).

Apresenta também em sua composição vitamina C e flavonoides (função analgésica e antiviral). É indicado principalmente durante a noite, quando a tosse está atrapalhando o sono. Você pode usá-lo com chá e gengibre.

Tome cuidado para não ingerir em excesso, pelo seu alto teor calórico.

Atenção!

Não dê mel para crianças com menos de 1 ano, pois seu sistema imunológico ainda não as protege da bactéria Clostridium botulinum, que pode ser encontrada do mel.

Fazer inalação

O vapor de óleos essenciais ajuda aumentar seus benefícios. Use óleo de melaleuca, própolis e eucalipto, que acalmam as vias aéreas e abrem a passagem de ar, além de ajudarem a combater bactérias e vírus. É importante evitar essa prática se a tosse for causada por asma.

Modo de preparo:

Coloque água fervente em uma tigela e deixe esfriar por 1 minuto. Adicione 2 gotas de um dos óleos e misture. Aproxime a cabeça da tigela e se cubra com uma toalha para prender o vapor. Inspire profundamente de 5 a 10 minutos, 2 a 3 vezes por dia.

Outra dica é inalar água quente, pois ajuda a soltar a congestão do nariz.

Umidificar o ar

Aumente o teor de umidade do ar com umidificadores, vaporizadores ou até mesmo colocando toalhas molhadas ou bacias com água nos cômodos. Banhos quentes com a porta aberta também ajudam a aumentar a umidade do ar, distribuindo o vapor.

Quando os umidificadores não são limpos corretamente, eles podem fazer mais mal do que bem, chegando a transferir fungos e bactérias para o ar.

Fazer gargarejo com água salgada

A prática alivia as dores da garganta, diminui o inchaço e desloca o muco.

Misture ½ colher (chá) de sal em 240mL de água quente, dissolva e gargareje por 15 segundos. Cuspa e repita até acabar a água.

Outras medidas

  • Parar de fumar;
  • Tossir sempre que sentir necessidade, pois se houver alguma secreção, ela precisa ser expelida;
  • Tossir suavemente para ajudar no transporte do muco para o topo da passagem de ar e evitar que a garganta fique ainda mais irritada;
  • Procurar descansar bastante;
  • Manter a cabeça elevada durante a noite utilizando mais travesseiros;
  • Manter os ambientes bem ventilados;
  • Evitar agentes irritantes presentes no ar, como fumaça de cigarro, animais (pelos no ar), perfumes e sprays.

Para a tosse mais próxima da bronquite, pode ser realizado um cataplasma (pasta medicamentosa) com batatas ou mostarda.

Algumas outras plantas também são conhecidas pela eficiência no combate contra a tosse, exercendo um efeito expectorante ou desinfetante, como verbasco, pinho, raiz de alteia, hera-terrestre, malva, cetraria islandica, tanchagem, pulmonária, língua de ovelha e broto de pinheiro.

Chás para tosse

Evite bebidas geladas e faça gargarejos, pois alimentos e bebidas muito gelados podem aumentar a irritação na garganta. Opte por chás como camomila, limão e mel, erva cidreira, erva doce e sucos.

Confira algumas receitas que podem ajudar a acalmar as vias aéreas, soltar o muco, relaxar os músculos da garganta e/ou reduzir a inflamação:

Chá de raiz de alcaçuz

Coloque 2 colheres de sopa de raiz de alcaçuz seca em uma caneca com 240mL de água fervente. Deixe descansar por 10 a 15 minutos. Coe e beba 2 vezes por dia.

Este remédio caseiro não é indicado se você estiver tomando esteroides ou tiver problema nos rins. Se a glicirriza (substância ativa presente na raiz) te causa algum efeito colateral, compre o alcaçuz desglicirrizado em lojas de produtos naturais.

Chá de eucalipto

Coloque 1 colher (chá) de folhas picadas de eucalipto ou 3 a 6 gotas do óleo essencial de eucalipto em uma xícara de água fervente. Adicione 1 colher (sopa) de mel e deixe repousar de 10 a 15 minutos. Coe e beba de 3 a 4 vezes ao dia.

Chá de tomilho

Esmague 2 colheres de tomilho fresco ou seco e coloque em uma xícara com água fervente. Deixe descansar por 2 minutos. Coe antes de beber.

Se quiser, adicione mel e limão.

Chá de açafrão

Coloque meia colher (chá) de pó de açafrão em um copo de leite quente e misture. Outra dica é colocar uma colher (sopa) do pó em 4 xícaras de água fervente.

Deixe descansar e coe.

Chá de equinácea com gengibre e mel

Adicione 2 colheres (chá) da raiz ou folha de equinácea e 5cm de gengibre fresco em 1L de água fervente. Deixe repousar por 15 minutos.

Coe e beba morno.

Chá de hortelã

Adicione 1 colher (chá) de folhas de hortelã em uma xícara de água fervente. Deixe repousar por 5 minutos, coe e beba.

Chá de hortelã-pimenta e gengibre

Dissolva a hortelã-pimenta e o gengibre em pó em suco de limão. O gengibre ajuda a soltar o muco e, junto com a hortelã-pimenta, suprime a irritação da garganta.

Outra dica é adicionar 3 colheres (sopa) de gengibre picado e 1 colher (sopa) de hortelã-pimenta em 4 xícaras de água. Ferva a água e mantenha no fogo até reduzir um pouco a água. Coe, deixe esfriar e adicione um colher de mel. Tome uma colher de sopa sempre que possível.

O chá pode também ser feito apenas com o gengibre.

Outras receitas caseiras

Suco de guaco com cenoura

Broncodilatador, alivia a tosse com catarro.

Bata no liquidificador 5 folhas de guaco, 1 cenoura e 2 ramos de hortelã-pimenta. Coe e adoce com mel. Beba várias vezes ao dia.

Suco de laranja e limão

Misture 1 laranja espremida, 1 limão espremido, 1 colher de mel e 3 gotas de extrato de própolis. Beba a solução.

Mel com limão e própolis

Misture 8 colheres (sopa) de mel e 8 (gotas) de extrato de própolis ao suco de 1 limão médio. Beba de 3 a 4 vezes ao dia.

Cenoura e mel

Centrifugue 4 cenouras médias e junte o suco a 1 xícara mel. Guarde em um recipiente tampado e tome 1 colher de 3 a 4 vezes ao dia.

Orégano e mel

Misture 1 colher (sopa) mel com 1 colher (café) orégano e aqueça por alguns segundos no micro-ondas. Tome o xarope morno de 3 a 4 vezes ao dia.

Xaropes de alho e sabugueiro também são conhecidos pela sua eficácia.

Medicamentos

Algumas classes de medicamentos são comumente utilizadas para sanar os sintomas da tosse, entre elas:

Antitussígenos

Ideais para combater as tosses no meio da noite, cessam o fluxo do muco e restringem o reflexo de tossir. Entretanto, servem apenas para sanar um incômodo temporariamente.

Se utilizados durante muito tempo, com a intenção de curar a tosse, podem fazer com que o muco fique preso nos pulmões, aumentando o risco de desenvolver uma infecção bacteriana.

A lista inclui:

A não ser por prescrição médica, não utilize antitussígenos em caso de tosse produtiva, pois a expectoração é necessária.

Anti-inflamatórios

Quando a tosse está associada a gripes e resfriados, os anti-inflamatórios podem ser prescritos a fim de combater a inflamação dos tecidos.

Antibióticos

Como os antibióticos só matam bactérias, são ineficazes no caso de tosses virais ou aquelas não causadas por doenças alérgicas. Assim, esse medicamento só será prescrito por um médico se houver suspeita de alguma infecção bacteriana.

Antialérgicos

Estes medicamentos bloqueiam a ação das histaminas, substâncias que causam no corpo os efeitos comuns da alergia, como coceira, vermelhidão e travamentos das vias respiratórias. Alguns exemplos são:

Xaropes

Os xaropes para tosse ajudam a acalmar a garganta e dissolver as secreções. Com ação descongestionante e expectorante, reduzem a congestão nasal, expandem as vias aéreas e afinam o muco dos pulmões, ficando mais fácil expeli-los.

No entanto, eles só devem ser tomados após a indicação de um médico, pois deve ser considerada a real causa da tosse, pois quando um medicamento é usado de maneira indevida, além de não resolver, pode piorar o quadro do paciente.

Leia mais: O que é automedicação, causas e quais são as consequências?

O uso em excesso pode resultar na tosse seca, além de causar dependência.

Tosse seca

Para bebês e crianças, pode-se receitar o Vibral pediátrico (a partir dos 3 anos) e Atossion pediátrico (a partir dos 2 anos).

Tosse alérgica

Tosse com catarro

Para bebês e crianças, pode-se receitar Bisolvon pediátrico (a partir dos 2 anos), Mucosolvan pediátrico (a partir dos 2 anos) e Vick pediátrico (a partir dos 6 anos).

Atenção!

NUNCA se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico. Somente ele poderá dizer qual medicamento, dosagem e duração do tratamento é o mais indicado para o seu caso em específico. As informações contidas neste site têm apenas a intenção de informar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um especialista ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Siga sempre as instruções da bula e, se os sintomas persistirem, procure orientação médica ou farmacêutica.

Complicações da tosse

Muitas doenças podem dar origem à tosse, mas, às vezes, é a própria tosse que pode gerar algumas complicações. Entre elas estão:

Perda de urina

A perda de urina por esforço é possível devido a tosses intensas, especialmente em idades mais avançadas, quando os músculos que seguram a urina podem ficar enfraquecidos.

Rouquidão

Tosses constantes, especialmente as secas, podem causar mais irritação na garganta, o que pode levar a rouquidão e lesões nas cordas vocais.

Fadiga

Tossir é um esforço intenso, especialmente quando as crises de tosse são violentas e duram muito tempo. A pessoa pode se sentir cansada depois destes episódios.

Dores no peito

O esforço feito pelos músculos, como o diafragma, pode causar dores caso as tosses sejam fortes e por um período de tempo prolongado.

Inflamação

Lesões causadas por tosses podem trazer inflamações na região.

Infecções

A tosse é um reflexo que busca limpar as vias aéreas, mas quando existe muito catarro por um período longo de tempo, bactérias podem se multiplicar na substância, o que pode levar a infecções das vias aéreas.

Lesão pulmonar

Os pulmões podem ser lesionados em casos de tosses muito intensas e violentas.

Redução dos brônquios

Tosses intensas podem causar diminuição no tamanho dos brônquios, os tubos que levam o ar para o pulmão. A redução dos brônquios prejudica a capacidade respiratória.

Dificuldades para dormir

Dormir com tosse é extremamente difícil, já que os reflexos musculares não permitem cair no sono. Quando constantes, as tosses podem dificultar muito o sono, especialmente porque em alguns tipos de tosse, elas estão mais presentes durante a noite.

Sangramento e hemorragia

Tosses intensas e crises violentas podem causar sangramento no pulmão. Dependendo da gravidade do sangramento, ele pode se tornar uma hemorragia.

Fraturas de costelas

Pacientes mais frágeis, como idosos ou pessoas com condições ósseas, podem sofrer lesões no ossos das costelas como fraturas devido a crises de tosse muito violentas.

Prevenção

Assim como existem várias causas para a tosse, existem várias maneiras de evitá-la:

Mantenha sua imunidade alta

A vitamina C é uma das principais vitaminas que atuam no aumento da imunidade, pois aumenta a produção de glóbulos brancos.

Procure ingerir sempre alimentos como laranja, acerola, kiwi, tangerina, tomate, brócolis e pimentão cru. Eles são ricos em vitamina C e, por isso, fortalecem o sistema imunológico.

Os vegetais verde escuros, feijão, cogumelo e fígado, ricos em ácido fólico, também auxiliam na formação dos glóbulos brancos.

No caso dos idosos, também é importante consumir bastante vitamina E, encontrada nas oleaginosas (noz, castanha, amêndoa e óleos vegetais), pois ela combate a diminuição da atividade imunológica por conta da idade.

Alimentos ricos em zinco como carne, castanhas, sementes e leguminosas ajudam a combater resfriados, gripes e outras doenças do sistema imunológico.

Não fume

O tabagismo, além de diminuir a imunidade, aumenta a chance de inflamação das mucosas respiratórias, fator que causa maior produção de catarro.

Quando essa produção é excessiva, o organismo, além de apresentar dificuldade para eliminá-lo, ainda tem mais chances de desenvolver infecções respiratórias, já que a grande quantidade de catarro favorece a proliferação de germes.

O hábito de fumar também é um dos principais responsáveis pelo câncer de pulmão.

Outras medidas

As mãos são o principal veículo de transmissão de microrganismos. Portanto, a higienização adequada pode evitar a propagação de diversas doenças, incluindo aquelas responsáveis pelos sintomas da tosse.

Mantenha o ambiente sempre úmido com umidificadores ou toalhas molhadas e deixe sua casa sempre arejada e livre de poeiras e ácaros.


A tosse é uma reação muito comum do organismo para desobstruir as vias aéreas, mas pode indicar doenças mais graves. Por isso, é importante conhecer as suas principais causas, diagnóstico e tratamentos e evitar complicações maiores.

Compartilhe este texto com seus familiares e amigos para que eles possam saber mais sobre este sintoma.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (55 votos, média: 3,91 de 5)
Loading...

40 Comentários

Atenção: os comentários abaixo são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

  1. Boas dicas, tossia todos os invernos por 4 a 6 meses. Agora estou em crise de tosse desde o inverno de 2017. Já fiz mtos exames e fiu vários medicos. Tenho sensibilidade a mudança de temperatura.
    Muito ruim tossir

    • Tenho tosse há 8 meses, já fiz vários exames, sempre com orientação médica, já consultei medicina interna, alergologia, otorrino. Vou em breve ao pneumologista, pois ainda não acertamos. Estou com tratamento prolongado de rinite/asma. Não sei o que fazer pois todos os exames dão negativos, incluindo a radiografia ao tórax.

  2. Gratidão pela transmissão desse conhecimento… é muito lindo ler um artigo, que ofereça tantas alternativas naturais para o tratamento de uma doença!! O artigo está rico em boas informações. Thomaz – terapeuta ayurvedico.

  3. Parabens pela matéria pois nao é superficial trazendo orientações como combater os diferentes tipos de tosse. Muito obrigado!

  4. Creio poder falar em nome de várias pessoas que também gostaram da matéria, com tantas informações úteis e esclarecedoras sobre o tema. Muito obrigado.

  5. Matéria com informações bastantes úteis e essenciais para o diagnóstico da tosse, e sugestões para alivio e cura mais se deve ficar atento e não dispensar a consulta médica para evitar o agravamento da tosse ou de outras doenças que está causando a tosse principalmente nos casos de catarro (secreção com sangue) e febre acima de 38 graus C, falta de ar, calafrios,dores fortes de cabeça etc.nota máxima.

Deixe o seu comentário, nos preocupamos com sua opinião:

Por gentileza, escreva seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui

Lamentamos a não possibilidade de dar-lhe conselho médico ou responder a questões médicas e farmacêuticas individuais através de e-mail, pois apenas um médico pode prestar tal atendimento. Embora tentemos responder a todos os comentários, opiniões e e-mails que recebemos em até dois dias úteis, nem sempre é possível devido ao grande volume que recebemos. Por favor, tenha em mente que qualquer solicitação ao Minuto Saudável está sujeita aos nossos Termos de Uso e Política de Privacidade, ao enviar, você indica sua aceitação.