Breno H. M. (Minuto Saudável)
25/02/2019 07:45

Doença de Crohn: o que é, sintomas, alimentação, tem cura?

Dores abdominais e diarreia são sintomas que podem aparecer em decorrência de diversas doenças, como viroses e infecções.

Entretanto, a doença de Crohn não é nada disso. Caracterizada por uma inflamação crônica, ela pode trazer diversos prejuízos para os pacientes que sofrem com a condição.

Leia mais para aprender um pouco sobre a doença de Crohn!

Índice — neste artigo você encontrará as seguintes informações:

  1. O que é a doença de Crohn?
  2. Fases da doença de Crohn
  3. Causas: o que provoca a doença de Crohn?
  4. Estresse causa a doença de Crohn?
  5. Grupos de risco
  6. Sintomas
  7. Como é feito o diagnóstico?
  8. Doença de Crohn tem cura?
  9. Doença de Crohn pode matar?
  10. Qual o tratamento?
  11. Medicamentos
  12. Convivendo
  13. Alimentação e dieta para doença de Crohn
  14. Vou precisar de tratamento para o resto da vida?
  15. Prognóstico
  16. Complicações
  17. Como prevenir a doença de Crohn?
  18. Perguntas frequentes

O que é a doença de Crohn?

A doença de Crohn é uma doença inflamatória crônica do sistema digestório e pode afetar qualquer parte do trato gastrointestinal, desde a boca até o ânus.

Antigamente era chamada de colite, enterite regional, ileíte e ileocolite granulomatosa, dependendo do lugar que afetava. Hoje, essas doenças são a colite e a doença de Crohn, que são classificadas como Doenças Inflamatórias Intestinais, ou DII.

Apesar disso, a região mais afetada pela doença de Crohn é íleo terminal (o fim do intestino delgado e início do intestino grosso), que apresenta inflamação em até 60% dos casos.

Em geral, é comum que haja várias regiões afetadas pela doença.

É mais frequente em fumantes e costuma aparecer entre os 20 e 30 anos de idade, mas não é limitada a essas faixas etárias, podendo se manifestar em qualquer ponto da vida.

Mesmo que tenha relação com o sistema imunológico, não é considerada uma doença autoimune.

Acredita-se que seja uma condição genética que pode se manifestar na forma de uma reação inadequada do sistema imunológico a uma ameaça, como bactérias ou vírus.

A doença causa sérios problemas para os pacientes, reduzindo sua qualidade de vida.

Entre os principais sintomas se encontram dores, desconforto abdominal, diarreias frequentes, que podem ou não acompanhar sangramento, além de outros sintomas, como a perda de apetite.

Quando se manifesta na adolescência ou até na infância, pode ser a causa de má nutrição do paciente, prejudicando o desenvolvimento.

O código da doença de Crohn no CID-10 é K50.

Fases da doença de Crohn

A doença de Crohn pode ser dividida em duas fases, a aguda (ou ativa) e a remissão.

Fase ativa (aguda)

A doença de Crohn aguda ou ativa, também chamada de crise da doença de Crohn, é a fase em que a doença está causando inflamações intestinais e apresentando os sintomas.

É na primeira fase ativa que a maioria das pessoas descobre a doença.

Em alguns casos, a fase aguda surge de repente, surpreendendo a pessoa que até o dia anterior estava bem. Entretanto, em outros casos, os sintomas podem aparecer de maneira progressiva no decorrer de alguns dias.

Fase de remissão

A fase de remissão acontece quando as inflamações não estão ativas. Em torno de 95% das pessoas não apresenta sintomas da doença de Crohn durante a remissão.

Entretanto, é importante notar que existem inúmeros gatilhos para que uma remissão se torne uma crise, desde a alimentação até o estresse, além de alguns que não são conhecidos.

O objetivo do tratamento da doença de Crohn é manter a pessoa em remissão o máximo de tempo possível, melhorando assim a qualidade de vida dela.

Causas: o que provoca a doença de Crohn?

As causas específicas da doença de Crohn são desconhecidas.

Entretanto, acredita-se que a condição é causada por uma reação exagerada do sistema imunológico a fatores ambientais — como infecções, mudanças hormonais ou estresse, por exemplo. Essa reação seria possibilitada por uma alteração genética.

Uma das principais suspeitas de gatilho da doença é a presença de um vírus ou bactéria ao qual o sistema imunológico reage de maneira inapropriada.

Mesmo depois do patógeno deixar o corpo ou ser eliminado pelo sistema imunológico, a reação de inflamação não cede, causando assim a doença de Crohn.

Sabe-se que a doença de Crohn causa granulomas, uma resposta inflamatória compatível com o combate a fungos e certos tipos de bactérias.

Um dos suspeitos é o Mycobacterium avium, mas é perfeitamente possível que outros microorganismos também sejam capazes de causar a reação.

É importante ressaltar que mesmo que a doença de Crohn aconteça em decorrência de infecções ou qualquer outro gatilho do ambiente, a causa não é esse agente ambiental, mas sim a maneira como o sistema imunológico reage.

Estresse causa a doença de Crohn?

Anos atrás, doenças inflamatórias intestinais como a doença de Crohn eram atribuídas ao estresse. Hoje sabe-se que ele não causa as doenças, mas é um fator que pode agravá-las quando elas já se instalaram.

Por isso, quando se está em crise da doença de Crohn, o estresse pode piorar a condição e, quando se está em remissão, ele pode causar uma crise.

Busque relaxar quando possível para evitar crises e pioras na doença.

Leia mais: Como controlar a ansiedade? 14 dicas para evitar crises

Grupos de risco

Como se supõe que a doença tem raízes genéticas, assume-se que as pessoas sem a predisposição para a doença não a irão desenvolver.

Entretanto, sabe-se que existem alguns fatores que aumentam os riscos de desenvolvimento da condição naqueles que têm os genes da doença de Crohn.

Fumantes

Fumantes têm mais chances de desenvolver a doença do que aqueles que não fumam.

Apesar do tabaco estar principalmente relacionado a problemas pulmonares, ele afeta negativamente o corpo todo, incluindo o sistema gastrointestinal.

Histórico familiar

Como se trata de uma doença genética, o histórico familiar de doença de Crohn é um fator de risco.

Pesquisadores não encontraram o gene responsável pela doença, mas se sabe que as chances de desenvolver a condição são maiores em quem tem familiares com ela.

Além disso, um histórico familiar de outras doenças inflamatórias do intestino, como a colite, também aumenta as chances de alguém desenvolver Crohn.

Idade

A doença de Crohn costuma se manifestar entre os 20 e 30 anos de idade. Entretanto, é possível que aconteça em outras faixas etárias.

Especialmente quando ocorre na infância ou adolescência, pode causar problemas de desenvolvimento decorrentes da má absorção de nutrientes.

Dieta

Seus hábitos alimentares podem afetar a maneira como o intestino reage.

Acredita-se que certas dietas, com muitas gorduras ou produtos industrializados, sejam o motivo de casos de doença de Crohn serem mais comuns em cidades e em países desenvolvidos.

Histórico de gastroenterite

É comum que a doença de Crohn surja depois de uma gastroenterite, que é uma inflamação intestinal causada por um vírus, parasita, fungo ou bactéria. A maioria dos casos acontece devido à infecção viral.

Sintomas

Os sintomas da doença de Crohn reduzem drasticamente a qualidade de vida do paciente. São eles:

Diarreia intensa

Devido às inflamações dentro do intestino, um dos principais sintomas da doença de Crohn é a diarreia.

O intestino é o local onde grande parte dos nutrientes são absorvidos e onde o bolo fecal é transformado efetivamente em fezes.

Acontece que, quando o intestino está inflamado, a região afetada perde sua função temporariamente. Isso significa que a porção inflamada não é capaz de absorver nutrientes e o bolo fecal passa direto por ela.

Isso pode ser uma causa da diarreia, que faz com que certas porções das fezes sejam eliminadas de maneira muito rápida e com muito líquido.

Dores abdominais

O intestino realiza movimentos específicos para fazer com que as fezes passem por toda sua extensão. O problema com a doença de Crohn, nesse caso, é que quando há uma inflamação, o intestino ainda se move.

Sabe quando você está com uma feridinha inflamada e tocar nela dói? A dor abdominal acontece por razão parecida.

A região inflamada realiza contrações fortes com a intenção de empurrar o bolo fecal e o resultado é uma dor forte.

Artrite

Existem maiores números de doenças articulares, como artrites, em pessoas que têm doenças inflamatórias intestinais. A artrite também é uma doença inflamatória que afeta as articulações.

Olhos inflamados

Os olhos do paciente também podem ficar inflamados. É um sinal que pode surgir logo antes de uma crise da doença de Crohn, com sintomas como vermelhidão dos olhos e sensibilidade à luz.

Erupções de pele

A doença de Crohn pode se manifestar também com erupções na pele, frequentemente nas pernas. Esse sintoma costuma desaparecer quando o intestino é tratado.

Febre baixa

Inflamações frequentemente vêm acompanhadas de febre, que é mais forte dependendo da bactéria que causa a infecção inicial.

No caso da doença de Crohn, não há uma bactéria que a está causando, mas a febre ainda é frequente.

Em geral, a febre é baixa e não costuma passar dos 38ºC, mas é de longa duração.

Náuseas e vômitos

Náuseas e vômitos são sintomas relacionados a problemas gastrointestinais. As inflamações no sistema digestivo causadas pela doença de Crohn podem causar esse problema.

Aftas

Aftas são úlceras localizadas na mucosa da boca e podem ser causadas por diversos fatores. Problemas no sistema digestivo, como as inflamações, são um deles.

Os vômitos, que também podem ser causados pela doença de Crohn, também podem fazer surgir aftas.

Leia mais: Pomada ou comprimido? Qual o melhor remédio para afta?

Inchaço abdominal

Devido à inflamação do sistema digestivo, pode haver inchaço abdominal. A região inflamada em si pode inchar e, além disso, esses inchaços menores podem causar bloqueios do intestino.

Gases podem se acumular no órgão por causa dos bloqueios, o que aumenta ainda mais o inchaço abdominal.

Perda de peso e redução do apetite

A doença de Crohn causa a redução apetite, o que por sua vez pode levar a uma perda de peso considerável devido à falta de nutrientes.

Além disso, a doença reduz a absorção de nutrientes realizada pelo intestino, então mesmo aquilo que o paciente come não é aproveitado de maneira adequada.

Por isso, a doença pode causar problemas no crescimento.

Crianças e adolescentes, que estão em fase de desenvolvimento, precisam de muitos nutrientes, mas uma possível doença de Crohn pode reduzir muito o aproveitamento dos alimentos. O resultado é perda de peso e o risco de subdesenvolvimento.

Flatulência

O acúmulo de gases que pode ser causado pela doença de Crohn causa flatulência, além de a inflamação ser responsável por uma produção maior de gases por parte do intestino. Essa maior produção, além de facilitar o acúmulo, aumenta a liberação de gases.

Lesões anais

As inflamações causadas pela doença de Crohn frequentemente levam a lesões anais como fissura anal (uma pequena ferida na área do revestimento do ânus), hemorroidas (inchaço de veias anais) e fístula anal (criação de uma abertura muscular no ânus, que fica infectada).

Evacuação frequente

O paciente da doença de Crohn precisa ir ao banheiro com grande frequência já que o bolo fecal passa muito depressa pelo intestino devido às inflamações da região.

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico da doença de Crohn pode ser feito de algumas formas diferentes. O profissional responsável é o gastroenterologista.

Colonoscopia e endoscopia

A colonoscopia é o método mais eficaz para a identificação da doença de Crohn.

Depois do paciente ser anestesiado, uma pequena câmera é inserida pelo ânus e os médicos podem observar o estado interno do intestino grosso, assim como os 20 centímetros finais do intestino delgado.

Também é possível utilizar a endoscopia, que é a inserção de uma câmera pela boca do paciente, para observar o estômago e o duodeno (início do intestino delgado) — já que a doença de Crohn pode afetar qualquer parte do sistema digestivo.

Durante esses exames, busca-se sinais de inflamação.

Biópsia

A biópsia é o estudo visual através de microscópio de uma parte removida do corpo do paciente.

Uma pequena amostra das regiões inflamadas são analisadas para identificar como o processo inflamatório está acontecendo, além de excluir a possibilidade de confusão entre a doença de Crohn e outras condições.

O exame também é usado para a identificação de cânceres intestinais, por exemplo, ou a busca por bactérias e outros microorganismos que possam estar causando a inflamação, o que diferenciaria a condição, já que Crohn não precisa de microorganismos para a inflamação.

Exames de sangue

Os exames de sangue podem identificar a presença de anemia (o que pode indicar sangramento intestinal).

Além disso, servem para descobrir se existe um processo infeccioso em andamento, já que nesse caso glóbulos brancos em números elevados podem ser encontrados no sangue.

Esses exames servem principalmente para levantar a suspeita de doença de Crohn ou eliminá-la.

Tomografia contrastada

A tomografia contrastada é um exame de imagem usado para identificar certas situações que a doença de Crohn pode causar, como a formação de bloqueios intestinais ou aderência das paredes intestinais.

Para o exame, o paciente ingere um líquido misturado com bário, uma substância que não é absorvida pelo corpo, e raios-X são do sistema digestivo são feitos.

O bário aparece de maneira extremamente clara nos raios-X e, com isso, é possível saber detalhes do caminho que o alimento faz no intestino, além de identificar bloqueios e alterações.

Esse exame nunca é utilizado sozinho para a identificação de Crohn já que é comum que aponte falsos negativos (quando a doença está presente, mas o exame não é capaz de identificá-la).

Doença de Crohn tem cura?

Não. A doença de Crohn não tem cura. O que é possível é a realização de tratamento para manter a remissão.

Ela é uma doença que funciona em fases separadas de crises (fase aguda) e remissão. Quando se está em crise, existem inflamações pelo sistema digestivo, mas quando essas inflamações são controladas, entra-se em remissão.

Doença de Crohn pode matar?

Apesar da doença de Crohn não ser considerada fatal, é possível que suas complicações causem a morte.

Isso porque as inflamações podem abrir feridas que têm o risco de infeccionar dentro do intestino, o que pode levar a morte.

Existe, também, o perigo de bloqueios intestinais acontecerem, fazendo com que a matéria fecal não passe.

O bloqueio do intestino é um grande perigo pois ele pode se romper, liberando bactérias e fezes dentro da cavidade abdominal.

Além disso, a doença de Crohn pode impedir o paciente de se alimentar ou de absorver nutrientes. Isso pode levar à morte por desnutrição.

Entretanto, com tratamento adequado, é possível que o paciente tenha qualidade de vida.

Qual o tratamento?

O tratamento para a doença de Crohn depende de diversos fatores, como a região afetada, a fase em que a doença se encontra (aguda ou remissiva) e outras especificações.

Uma das principais intenções do tratamento é controlar as inflamações, reduzindo dessa forma os sintomas. É o que é feito durante crises da fase aguda da doença.

Depois de controlada, busca-se manter o controle. Ou seja, garantir que a doença fique em remissão.

A maioria dos pacientes que sofre de Crohn pode viver com bom qualidade de vida, alguns até mesmo sem restrições desde que se tome cuidados específicos para evitar as crises.

Medicação

O tratamento da fase aguda da doença de Crohn é feito principalmente com medicamentos.

Corticoides podem ser usados em pacientes recém-diagnosticados para aliviar de maneira rápida os sintomas, mas isso só pode ser feito por um curto período de tempo pois esse tipo de medicamento possui diversos efeitos colaterais.

Outros medicamentos podem ser utilizados para reduzir as crises.

Aminossalicilatos são usados para controlar doenças inflamatórias intestinais, por exemplo. Imunossupressores também podem ser administrados para reduzir os efeitos do sistema imunológico dos pacientes.

Infecções por bactérias podem ser comuns em pessoas com doença de Crohn já que as inflamações podem abrir caminhos para elas, portanto, antibióticos também podem ser usados no tratamento.

Antidiarreicos (medicamentos para evitar diarreia), analgésicos (reduzem a dor) e suplementos de vitamina também podem ser usados para controlar os sintomas e manter a doença sob controle.

Óleo de cannabis

O óleo de cannabis mostrou, em testes, reduzir consideravelmente os sintomas de pacientes com doença de Crohn, e durante o teste realizado, 65% dos pacientes atingiram remissão após 8 semanas de uso do medicamento.

Os efeitos anti-inflamatórios da cannabis já são conhecidos, mas, durante esse teste, descobriu-se que a redução dos sintomas não foi devido a esses efeitos, já que os exames endoscópicos e de sangue não apresentaram redução de marcadores inflamatórios intestinais.

Não se sabe exatamente como o efeito da cannabis reduz os sintomas da doença de Crohn.

Cirurgia

Em alguns casos, a cirurgia pode ser necessária e, apesar de ser uma opção que médicos preferem evitar, ela é inevitável em alguns casos.

A doença de Crohn pode causar aderências, bloqueios intestinais e até câncer intestinal, apesar de esse último ser raro.

Dieta

A dieta é um dos principais métodos de controle da doença de Crohn e é uma ferramenta usada para manter a remissão.

Alguns alimentos podem servir de gatilhos para novas crises. É o caso de alimentos muito gordurosos, álcool (principalmente cerveja) e fibras.

Normalmente, fibras são recomendadas para a saúde intestinal, já que facilitam a passagem das fezes. Entretanto, elas também aumentam a produção de gases e cólicas, o que para um paciente da doença de Crohn, pode significar o início de uma nova crise.

Em remissão, fibras não precisam ser completamente excluídas da dieta, mas devem ser ingeridas com moderação. Durante uma crise, devem ser evitadas por completo.

Além disso, a hidratação é extremamente importante, assim como evitar qualquer alimento ao qual o paciente seja sensível. Por exemplo, se a pessoa tem intolerância à lactose, beber leite pode desencadear uma crise.

Por isso, a dieta serve para reduzir o estresse colocado sobre o intestino, o que por sua vez reduz as chances de uma crise começar.

Alimentação parenteral

Em alguns casos, especialmente depois de cirurgias, o paciente pode não conseguir se alimentar. Nesses casos, a nutrição é feita pelas veias.

Medicamentos

Diversos medicamentos podem ser usados para o controle e manutenção da doença de Crohn. Entre eles estão:

Corticoides

Usados para controlar crises, esses medicamentos costumam ser indicados para pacientes com diagnóstico recente e por pouco tempo, já que os efeitos colaterais podem ser perigosos. São eles:

Imunossupressores

Estes medicamentos são usados para o controle do sistema imunológico. Eles suprimem sua ação, o que faz com que inflamações sejam reduzidas ou eliminadas.

Existe uma maior vulnerabilidade a infecções em pacientes que usam imunossupressores, portanto, é importante tomar cuidado e seguir as orientações médicas.

Atenção!

NUNCA se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico. Somente ele poderá dizer qual medicamento, dosagem e duração do tratamento é o mais indicado para o seu caso em específico. As informações contidas neste site têm apenas a intenção de informar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um especialista ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Siga sempre as instruções da bula e, se os sintomas persistirem, procure orientação médica ou farmacêutica.

Convivendo

A doença de Crohn pode reduzir significativamente a qualidade de vida dos pacientes e, como é uma doença sem cura, é importante aprender a conviver com a condição.

Tome os medicamentos

Mesmo quando estiver em remissão, é importante não parar de tomar os medicamentos receitados pelo médico. Eles ajudam a evitar novas crises de doença de Crohn.

Cuide de sua dieta

A dieta é uma das principais ferramentas que o paciente com doença de Crohn possui para lidar com a condição.

Evite ingerir fibras, álcool, gorduras, cafeína, açúcares e outros alimentos que causam os sintomas. Cada paciente pode ter reações diferentes com certos alimentos.

Aqueles que são intolerantes a alguns tipos de comida (glutén, lactose) devem ficar longe desses alimentos, já que eles aumentam muito as chances de uma crise de doença de Crohn aparecer.

Faça um diário alimentar

Em um diário alimentar você pode anotar quais alimentos comeu e identificar com mais facilidade quais trazem efeitos positivos ou negativos para o seu organismo. Assim, você pode saber quais são seus gatilhos e como evitá-los.

Não fume

Fumar irrita o intestino e aumenta consideravelmente as chances de uma crise da doença de Crohn surgir, além de fazer com que as recorrências se tornem mais severas e de difícil controle. Parar de fumar é essencial.

Consulte um nutricionista

Uma consulta com o profissional nutricionista pode ajudar a cuidar de sua dieta para controlar a doença de Crohn sem perder nutrientes.

Faça acompanhamento médico

Siga as orientações médicas para garantir que a doença ficará em remissão o máximo de tempo possível.

É importante notar que, muitas vezes, a condição pode fazer com que a pessoa vá para o hospital. Metade dos pacientes pode precisar de uma cirurgia dentro de 10 anos.

Isso significa que o acompanhamento médico é essencial para encontrar problemas antes que eles representem um risco grave à saúde. Tumores, por exemplo, podem aparecer em decorrência da cicatrização constante no sistema digestivo.

Exames como a colonoscopia são recomendados de 5 em 5 anos para rastrear possíveis cânceres intestinais.

Evite situações de estresse

O estresse é um gatilho para problemas intestinais. Evitá-los pode facilitar a convivência com a doença, garantindo que você passará mais tempo em remissão, sem crises da doença de Crohn.

Tratamento psicológico

Pacientes com doença de Crohn têm chances de ter sua qualidade de vida reduzida devido à condição. Além disso, os sintomas também podem causar prejuízos sociais. Por isso, é frequente que desenvolvam doenças como ansiedade e depressão.

O tratamento psicológico é essencial para evitar essas condições e garantir uma saúde mental durante o tratamento da doença.

Alimentação e dieta para doença de Crohn

A alimentação é essencial para o controle adequado da doença de Crohn, já que o que comemos influencia muito a maneira como o intestino se comporta.

Quando se tem a doença de Crohn, certas comidas devem ser evitadas, sempre acompanhados de orientação nutricional especializada.

Quais os melhores alimentos?

  • Arroz;
  • Purês;
  • Carnes magras;
  • Ovos cozidos;
  • Legumes cozidos;
  • Frutas cozidas;
  • Batata.

O que não comer?

Certos alimentos influenciam os movimentos do intestino, assim como a flora intestinal, e devem ser evitados por pessoas com a doença de Crohn para reduzir as chances de crise. São eles:

  • Café, refrigerantes com cafeína;
  • Verduras cruas;
  • Casca de fruta;
  • Mamão;
  • Ameixas;
  • Mel e açúcar;
  • Álcool;
  • Fibras (como a aveia);
  • Carnes gordurosas (como a de porco);
  • Chocolate;
  • Frituras.

Vou precisar de tratamento para o resto da vida?

Provavelmente, sim. Apesar de o tratamento medicamentoso durante uma crise e logo após ela ter o objetivo de alcançar 6 meses em remissão, parar o tratamento — especialmente na parte da alimentação — pode fazer com que uma crise volte.

Além disso, mesmo depois de muito tempo sem crise, a doença não abandona o corpo e pode voltar a qualquer momento. A medicação pode prevenir isso.

Prognóstico

O prognóstico da doença de Crohn, nos casos leves e moderados, é relativamente positivo.

Apesar da doença não ser curável, nesses casos, ela pode ser controlada com medicação e atenção aos hábitos alimentares, garantindo aos pacientes qualidade de vida em par com a de pessoas sem a condição.

Entretanto, é importante lembrar que ela é uma doença séria e existem casos graves.

Aproximadamente 20% dos pacientes acabam tendo de fazer uma visita ao hospital por conta de complicações da doença todos os anos.

A expectativa de vida dos pacientes não é necessariamente menor do que a de pessoas saudáveis.

Aproximadamente 15% vão a óbito no decorrer de 30 anos após o diagnóstico, mas com dedicação e atenção aos cuidados, é possível ter uma vida longa e saudável.

Complicações

Existem diversas complicações perigosas decorrentes da doença de Crohn. Em alguns casos, elas precisam se resolvidas com cirurgia e, em outros, com tratamento medicamentoso ou outras ações.

Entre as principais complicações estão:

Tumores

Tumores em decorrência da doença de Crohn são raros (normalmente mais comuns em outras doenças inflamatórias do intestino), mas podem surgir.

A cicatrização constante de uma região que, frequentemente, fica inflamada pode fazer com que certas células se reproduzam de maneira inadequada.

Esses tumores podem ser benignos ou malignos (câncer), e por isso é importante que exames sejam feitos com frequência em busca dessas massas, garantindo assim que sejam encontrados em fases iniciais de desenvolvimento.

Normalmente, quando um deles é identificado, uma biópsia pode ser necessária para confirmar o tipo de doença representada pelo tumor.

Bloqueio intestinal

A cicatrização constante, além das inflamações, inchaços e aderências causados pela doença de Crohn, apresentam o grave risco de bloqueio intestinal. Tumores também pode causar o bloqueio ao crescer dentro do intestino.

Quando o intestino é bloqueado em decorrência da doença de Crohn, fezes e bactérias podem se acumular em uma região intestinal.

Esse acúmulo pode ser problemático por causar dores, além de também poder ajudar na multiplicação de micróbios.

Em alguns casos, se o acúmulo de matéria fecal e gases for muito grande, pode haver o rompimento do intestino, o que causa infecção da cavidade abdominal.

A condição afeta todos os órgãos internos e pode causar o retorno da matéria fecal para o sistema gástrico superior, causando o vômito fecal, que pode ser fatal.

Aderências intestinais

As aderências acontecem quando uma parte do intestino cria tecido e se adere a outra parte, normalmente devido ao tecido cicatricial que surge por causa das inflamações.

Dessa forma, as aderências podem causar deformações do intestino e são uma das principais causas de bloqueios intestinais.

Infecções

É impossível controlar os movimentos intestinais e, mesmo que o órgão esteja inflamado, ele irá manter as contrações. É daí que surgem as grandes dores da doença de Crohn.

Mas esses movimentos do tecido inflamado também pode causar feridas no intestino. Essas feridas podem ser um caminho para que fezes e bactérias infectem a corrente sanguínea.

Também é possível que um rompimento do intestino leve bactérias e fezes para a cavidade abdominal, causando infecção de diversos órgãos do corpo simultaneamente.

Hemorroidas e fístulas anais

A doença de Crohn pode causar hemorroidas, que são pequenas veias anais que podem ficar inchadas e causar dor, e fístulas anais, que são pequenos canais abertos no músculo que podem infeccionar, causando grave desconforto e dores.

Desnutrição

Devido ao tecido cicatricial e inflamado, o intestino pode apresentar dificuldades em absorver nutrientes para o corpo. Isso pode ocasionar a desnutrição, já que grande parte dos alimentos deixa de ser aproveitado.

A doença de Crohn também reduz o apetite do paciente, o que pode ser outro fator que causa problemas nutricionais.

Depressão

A doença de Crohn pode causar severas quedas na qualidade de vida do paciente, tanto no fator saúde física quanto na vida social.

Por causa disso, muitos pacientes desenvolvem depressão. É importante haver acompanhamento psicológico dos pacientes para evitar problemas desta natureza.

Como prevenir a doença de Crohn?

Acredita-se que a doença de Crohn tenha origem genética, mas que sua manifestação é influenciada pelo ambiente externo.

Por isso, alguns hábitos podem ajudar a evitar que a condição surja. Estes mesmos hábitos também podem evitar crises caso você esteja em remissão:

Não fume

Fumar aumenta as chances de desenvolver a doença de Crohn caso você tenha a tendência. Evite ao máximo o tabaco, o que também é recomendado caso você não tenha a doença, já que o cigarro faz mal à saúde de qualquer um.

Cuide de sua alimentação

A alimentação saudável é uma maneira de evitar a doença de Crohn. Evitar comer com frequência açúcares e gorduras é uma maneira de garantir que seu intestino terá menos estresse.

Fibras, por outro lado, não devem ser evitadas caso você não tenha a doença de Crohn. No geral, elas fazem bem ao trânsito intestinal. Só é importante evitá-las caso desenvolva a doença.

Perguntas frequentes

O tempo de vida é menor para pacientes com doença de Crohn?

Não necessariamente. Com tratamento adequado, é possível que a vida do paciente seja longa e com qualidade, e a expectativa de vida dessas pessoas não é reduzida.

Qual exame de sangue detecta a doença de Crohn?

Não existem exames de sangue específicos para identificação da doença de Crohn ou de qualquer uma das doenças inflamatórias intestinais. Entretanto, os que são feitos buscam sinais de desordens inflamatórias que o corpo disponibiliza, como neutrófilos, um tipo de leucócito, que são células do sistema imunológico.

Outros exames são necessários para o diagnóstico. Por exemplo, a endoscopia e a colonoscopia são usados para identificar pela imagem as inflamações, assim como radiografias que buscam obstruções e volumes que normalmente não se encontrariam na região.

Doença de Crohn pode causar câncer?

Apesar de outras doenças inflamatórias do intestino (DII) terem maiores chances de causar tumores cancerígenos, a doença de Crohn também tem essa possibilidade. Por isso, é importante realizar exames colonoscópicos de 5 em 5 anos quando se tem a condição.

Posso comer qualquer coisa quando não estiver em crise?

Você deve evitar. Alimentos como fibras, álcool e gorduras pioram as crises e causam o início delas caso você esteja em remissão. Por isso, evite esses alimentos.

A pessoa já nasce com a doença de Crohn?

Não, mas a pessoa nasce com uma predisposição genética. Isso significa que a possibilidade de ela desenvolver a condição está em seus genes e comportamentos que a colocam em risco podem desencadear a doença de Crohn.

Acredita-se que essa predisposição seja transmitida para os filhos, mas nem todos os casos manifestam a doença. Além disso, a mutação genética pode acontecer espontaneamente, na formação do feto.

Colite e doença de Crohn são a mesma coisa?

Não, mas são parecidas. A maior diferença é que a colite afeta apenas o intestino grosso e apenas no revestimento interno do órgão, já a doença de Crohn pode afetar todo o sistema digestivo, da boca ao ânus, e pode causar as inflamações em todo o tecido.

Ambas, entretanto, são Doenças Inflamatórias Intestinais (DII) e podem trazer complicações e sintomas parecidos em certos casos.


A doença de Crohn é uma condição inflamatória digestiva crônica, que pode causar sérios prejuízos à qualidade de vida dos pacientes, além de complicações de saúde graves.

Entretanto, com tratamento adequado e alimentação controlada, é possível controlar a doença.

Compartilhe com seus amigos para que eles aprendam sobre ela!

Publicado originalmente em: 30/06/2017 | Última atualização: 25/02/2019

Fontes consultadas

25/02/2019 07:54

Breno H. M. (Minuto Saudável)

Redator, é jornalista pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Produz matérias sobre exercícios, saúde masculina e exames.

Ver comentários

  • Nossa muito bem explicado...com um texto de termos fácil de se entender ...muito obrigada...eu tive síndrome do cólon irritável quando pequena ,será que com o tempo pode virar síndrome do crown ?pois tive várias recaídas parecidos com esses sintomas da síndrome do crown...se puderem me responder desde já agradeço a gentileza...E achei muito importante o que vocês frisaram que não se deve fazer a automedicação ,pois isso na verdade omite a verdadeira causa de uma doença ainda não diagnosticada ...Assim a autofará um tratamento inútil e arriscado por prejudicar outros órgãos ...O que é bom pra um ,não é o mesmo caso de outros...um simples remédios para alívio da dor esconde o que a realmente causa...muito obrigada 🙏

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

    • Excelente informação sobre a doença de Crohn . Artigos como esses são de grande utilidade pois esclarecem muitas duvidas e nos orientam quanto ao especialista a ser procurado.

      Cancelar resposta

      Deixe uma resposta

      Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

    • Olá!

      Muito obrigado pelo comentário! Entretanto, por questões legais, não podemos fornecer conselho médico individual. Procure um gastroentrerologista ou um enterólogo para um diagnóstico. Ele é o profissional mais habilitado para avaliar seu caso.

      Cancelar resposta

      Deixe uma resposta

      Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Eu tenho doença de Crohn há sete anos e gostaria de saber se ele interfere na absorção do anticoncepcional? Lembrando que estou tendo uma recindiva no momento. Desde já agradeço a atenção.

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

    • Olá!

      As interações entre medidas de tratamento devem ser esclarecidas com seu médico. Existem diversos tipos de anticoncepcionais, com diferentes princípios ativos, por isso é importante que você busque auxílio e esclareça suas dúvidas com o profissional responsável pelo seu acompanhamento.

      Cancelar resposta

      Deixe uma resposta

      Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Parabéns, muito bem explicado.
    Tirou todas as minhas duvidas.
    Obrigado!

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Oi meu nome é Evelyn ,tenho 36 anos ...descobri a doença de Crohn desde 2010 ,no decorrer do crohn eu fiquei cega ,tive várias crises ,uma das médicas que passou em minha vida ,me disse que tenho 10 anos de vida (isso em 2010) ,hj estou a oito anos com essa doença ,estou bem,porém apareceu fístula no meu intestino,tenho vida super ativa ,trabalho,tenho filhos e sinceramente não sei o que fazer !!!
    Estou confiante ,minha esperança é a única que morrerá pq não quero em hipotese alguma colocar bolsa de colostomia ,isso pra mim seria a morte . :(

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

    • mulher não reclama... meu médico só me deu 2 anos... e estou viva faz 7... eu nao poderia nem ter filhos e tenho... tenha fé... infelizmente sinto que minha visão está ficando muito estranha... nõ sabia que uma coisa tinha a ver com a outra... obrigada por saber disso... boa sorte, querida... força

      Cancelar resposta

      Deixe uma resposta

      Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

    • mulher não reclama... meu médico só me deu 2 anos... e estou viva faz 7... eu nao poderia nem ter filhos e tenho... tenha fé... infelizmente sinto que minha visão está ficando muito estranha... nõ sabia que uma coisa tinha a ver com a outra... obrigada por saber disso... boa sorte, querida... força

      Cancelar resposta

      Deixe uma resposta

      Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Meu irmão descobriu a doença do crohn aos 21 anos de idade mas antes passou por vários especialistas que não sabiam dizer ao certo que doença ele tinha.A doença veio agressiva passou meses internado.Saia e voltava do hospital e assim se passou 12 anos com essa doença fez cirurgias o uso da colostomia e mesmo assim em 02/12/2008 veio o falecer aos 33 anos deixando seus filhos um com 3 anos e um com 7 meses.Hoje ja se passarão 10 anos mas não a um dia se quer que eu me esqueça de tudo que ele passou e passamos juntos com ele.Por isso digo quem tem essa doença faça as recomendações médicas e hoje está tudo mais esclarecido do que a 10 anos atrás e como eu disse nem sabia ao certo oque ele tinha,somente depois de um bom período e equipes médicas juntos chegarão a esse diagnóstico.Mas hoje para os portadores da doença do crohn existem muitos recursos e mais conhecimento.Quero deixar claro aqui que esse meu desabafo não foi para magoar ninguém foi para dizer que eu tive alguém com a doença de crohn na família e que não tínhamos nenhuma informação sobre a doença.

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Descobri a doença de Crohn em julho 2016. Faço tratamento com Dr. Fabiano. Estou em remissão clínica e laboratorial. Faço uso do medicamento imfliximabe 100mg, infusão de 8/8semanas. O meu médico vai aumentar para 6/6meses a infusão. Graças a Deus faço jiu-jitsu, trabalho como agente de segurança publica. Sei que o estresse é meu inimigo. Faço o possível e impossível para não estressar. Caminho e pratico artes marciais. Engordei uns 8 kilos, agora vou entrar na dieta. Não tenho restrições alimentares, mas evito gorduras, manteigas, carnes de boi e sem condimentos. Graças a Deus minha esposa só usa alho e eu adoro. E muito legumes cozidos e feijão batido e pouco sal e óleo de girassol e bastante azeite. Como biscoito integral e pão de forma integral, frutas que não prendam o intestino e bastante água. Não bebo e fumo, graças a Deus. Que o Senhor abençoe meu médico.

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Oi meu nome é Andrea, tenho doença de crohn há 21 anos. Sofro muito com essa doença, estou tomando todas as medicações que existe para o crohn e mesmo assim não estou conseguindo melhorar, sou uma pessoa muito nervosa, acho que isso pode ser um dos motivos que não consigo melhorar, mais tenho fé em Deus que um dia vou conseguir controlar essa doença.. Gostei muito das informações, parabéns!!

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Minha neta tem cronh, ela tem 11 anos ja faz 3 anos que descobrimos. Nas crises eh dificil faze la comer qualquer coisa e beber agua tb. Espero em Deus que ela amadureca mais um pouco e tenha conciencia para conseguir se tratar.

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Meu esposo faz tratamento com remicade a 6 anos.gracasa Deus está bem.so q quando está perto d tomar a infusão sai muitos bolinhas na pele rostos.e outras partes.e atendido pelo sus,a medicação e caro.mais Deus e fiel.Vamos ter fe,Deus tem o controle de tudo isso w me dá ânimo.porq não é facil.doi d mais ora aqueles q tem familiares com o crow.

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*