Vinagre de maçã (orgânico): benefícios, no cabelo, emagrece?

0

Nos buffets e restaurantes, ele fica próximo às saladas, junto com o azeite de oliva e o sal. Bastante usado para temperar as folhas, o vinagre de maçã já é conhecido da culinária há muito tempo.

Mas nem só a alface ou rúcula recebem um sabor a mais com o líquido, pois além de tempero, o vinagre é usado no preparo de alimentos para amaciar carnes vermelhas ou deixar os pães fermentados mais fofinhos e macios.

Os usos desse produto são diversos, inclusive fora da culinária, pois é possível limpar a casa e higienizar os cômodos, melhorar a saúde e ainda fazer alguns tratamentos estéticos caseiros. Tudo isso com um produto acessível e conhecido há décadas pelas sociedades.

Índice – neste artigo você vai encontrar as seguintes informações:

  1. O que é Vinagre de Maçã?
  2. Vinagre de maçã orgânico ou pasteurizado?
  3. Como é produzido?
  4. Qual a composição?
  5. Quais os benefícios do vinagre de maçã?
  6. Usos na culinária
  7. Vinagre na estética
  8. Outros usos
  9. Vinagre de maçã emagrece?
  10. Quanto consumir?
  11. Como tomar vinagre de maçã?
  12. Onde encontrar e quanto custa?
  13. Efeitos adversos
  14. Quem não pode consumir?
  15. Interação medicamentosa
  16. Outros tipos de vinagre e suas aplicações
  17. Vinagre ou água sanitária para limpar alimentos?
  18. Mitos e verdades

O que é Vinagre de maçã?

O termo vinagre significa “vinho azedo” e sua utilização não é recente, seja na culinária ou como medida terapêutica.

Também chamado de vinagre de cidra, o subproduto é obtido através do sumo da fruta. Assim, pedaços de maçã são esmagados e o líquido extraído (sumo) sofre um processo de fermentação e envelhecimento.

O produto ganha uma coloração amarelo-acastanhada e o sabor é mais doce e suave se comparado aos vinagres de álcool (branco).

Alguns pesquisadores e adeptos ao consumo apontam que entre os componentes, estão os ácidos orgânicos, as vitaminas,os minerais e os compostos fenólicos.

A concentração média dos produtos é de 5% ácido e 95% água, fazendo com que o seu uso seja bem tolerado pela maioria das pessoas. Porém, assim como qualquer alimento, podem ocorrer reações e sensibilidade.

No entanto, de acordo com notas do United States Department of Agriculture (EUA), o vinagre de maçã não contém quantidades significativas de vitaminas A, B6, tiamina, riboflavina, niacina, ácido pantoténico(B5), beta-caroteno e ácido fólico.

Há décadas, o conhecimento popular atribui a ele propriedades antioxidantes, antiinflamatórias, cicatrizantes e funcionais.

Um artigo publicado traça a trajetória do vinagre nas sociedades passadas e seu uso terapêutico, medicinal e gastronômico.

No século X, na China, o produto já era empregado nas esterilização das mãos para combater infecções. Por volta do século XVIII, médicos americanos começaram a empregar o vinagre para tratar doenças como dor de estômago, febres, edemas (inchaços) e gripes.

Recentemente, o interesse pela real ação do vinagre de maçã tem aumentado, gerando pesquisas e investigações do produto natural.

Vinagre de maçã orgânico ou pasteurizado?

Apesar de ser um produto fácil de encontrar em mercados e lojas de alimentos, o vinagre de maçã tem duas apresentações que são bem diferentes.

Enquanto o tipo orgânico ou não-filtrado é mais comum em lojas de produtos naturais ou produtores artesanais, o vinagre de maçã inorgânico ou filtrado é aquele mais comum e fácil de ser achado em mercados.

Em geral, as marcas que estão disponíveis no comércio são as filtradas.

Vinagre orgânico x filtrado

Assim como a maioria dos produtos industrializados, o vinagre de maçã sofre alguns processos para melhorar a aparência e a durabilidade do líquido. Por ser produzido a partir da fruta, o vinagre artesanalmente fabricado pode sofrer alterações de sabor com o tempo, além de apresentar um aspecto não tão límpido.

Portanto, em geral, os vinagres de maçã comercializados por grandes empresas sofrem processos de pasteurização (alto aquecimento do produto) e filtragem, eliminando agentes microorganismos que podem se proliferar e causar doenças.

Além disso, a filtragem age deixando o líquido mais límpido, claro e sem depósitos de substâncias gelatinosas que se formam naturalmente durante a fermentação. No entanto, essa pasteurização compromete o valor nutricional e acaba reduzindo as propriedades funcionais do produto.

Então, os vinagres de maçã orgânicos (artesanais ou não-filtrados) mantêm algumas propriedades da própria maçã, além dos produtos naturalmente formados durante a fermentação.

O repositório de estudos em nutrição da Universidade Federal do Rio Grande do Sul aponta que estudos realizados em 1972 identificaram até 33 compostos extraídos do vinagre de maçã orgânico, sendo que muitos dessas substâncias são derivadas do processo de fermentação. Ou seja, não estavam presentes na fruta anteriormente.

As comprovações científicas ainda se mantêm escassas sobre a composição do vinagre orgânico, mas abaixo você encontra alguns dos elementos presentes a cada litro de produto orgânico, segundo os estudos:

  • Ferro: entre 4mg e 10mg;
  • Cobre: entre 0,3mg e 0,8mg;
  • Cálcio: entre 50mg e 180mg;
  • Zinco: entre 2mg e 4mg;
  • Chumbo: entre 0,1mg e 0,25mg;
  • Tirosina: entre 3mg e 10mg;
  • Fenilalanina: entre 10mg e 20mg;
  • Lisina: entre 40mg e 50mg;
  • Arginina: entre 20mg e 30mg;
  • Ácido aspártico: entre 10mg e 20mg;
  • Ácido glutâmico: entre 15mg e 20mg;
  • Alanina: entre 50mg e 70mg;
  • Glicina: entre 20mg e 25mg;
  • Valina: entre 15mg e 25mg;
  • Isoleucina: entre 10mg e 15mg;
  • Leucina: entre 15mg e 25mg.

Como é produzido?

Ao chegar no mercado, você encontra diversos tipos de vinagre, como o branco, o de vinho e o de frutas. Isso porque o produto pode ser fabricado com a fermentação de diferentes produtos, desde que sejam fonte de etanol.

Entre os mais utilizados estão frutas, vinhos, sidras e mel. Além disso, é possível produzi-lo sinteticamente, empregando técnicas que usam gás natural e derivados de petróleo.

Para entender como o vinagre é obtido, é preciso conhecer a trajetória da maçã, fonte de fermentação, e depois um pouco sobre as transformações químicas.

De maneira resumida, o vinagre de maçã é um produto resultante da fermentação (produção de etanol a partir de açúcares) e acetificação (produção de ácido acético) da maçã. Para que esses processos ocorram é necessária a presença de leveduras e bactérias do ácido acético.

Não há um tipo específico de maçã utilizada na produção do vinagre, pois de modo geral ele não interfere no sabor ou nas propriedades do vinagre industrializado.

Após a colheita, as frutas são separadas entre aquelas mais íntegras e com estética mais comercial (sem machucados ou alterações da casca) para que sejam enviadas aos mercados e vendidas, e as que serão destinadas a outros usos.

As que não passam por essa primeira triagem são encaminhadas à fabricação de produtos como sucos, sidra e o vinagre.

Quimicamente, o vinagre é uma solução formada pela mistura homogênea de ácido acético e água.

Então, de modo geral, o processo de obtenção do líquido ácido é dividido em duas fases, onde inicialmente há uma reação química chamada de fermentação, em que o açúcar sofre a ação de leveduras e é transformado em etanol (ou seja, álcool).

Nessa fase, obtém-se a sidra, que é um líquido alcoólico da maçã, quase como um vinho da fruta.

A segunda fase é marcada pela fermentação acética, chamada também de acetificação, em que uma bactéria no ácido acético realiza o processo de oxidação do etanol, ou seja, transformação em ácido acético, ou seja, em vinagre.

Geralmente, a fermentação do etanol é realizada por bactérias pertencentes à família Pserdomonodaceae. Entre elas:

  • Acetobacter aceti;
  • Acetobacter pasteurianus;
  • Acetobacter xylinum.

O que é pasteurização do vinagre de maçã?

Os produtos industrializados, depois que o processo de fermentação foi terminado e, portanto, o vinagre de maçã está pronto, sofrem um processo de pasteurização do produto para conferir estabilidade bioquímica.

Ou seja, eliminar substâncias que podem proliferar bactérias ou agentes causadores de doenças, equilibrar os componentes reduzindo as alterações de sabor e cheiro, além de deixar o líquido com um aspecto mais claro e transparente.

Para isso, o vinagre de maçã é elevado a temperaturas entre 50º e 80º graus. O processo pode ser feito de 2 formas:

  • Rápido e alta temperatura: há uma espécie de choque térmico, em que o vinagre é elevado à temperatura de aproximadamente 80º, por aproximadamente 30 segundos;
  • Lento e baixa temperatura: o vinagre é submetido à temperatura máxima de 65º por cerca de 20 minutos.

O que é filtração?

Para que o produto chegue limpo, claro e com uma cor mais chamativa aos consumidores, o vinagre de maçã é submetido a um outro processo chamado de filtração.

O líquido geralmente recebe substâncias coadjuvantes de filtração, ou seja, produtos (normalmente celulose, farinha fóssil ou terra diatomácea ou extratos filtrantes), que agem provocando a separação de impurezas.

Os elementos indesejados no vinagre (como pedaços da fruta ou sujeiras) ficam suspensos no líquido e facilitam a filtração, que é basicamente coar o vinagre e separá-lo dessas substâncias.

Qual a composição?

Devido às propriedades funcionais e nutritivas da maçã, o vinagre de maçã apresenta uma composição mais rica se comparado aos outros tipos. Devido a isso, estudos sobre os componentes do líquido tentam associar as propriedades da fruta ao vinagre.

Em geral, a tabela nutricional do produto industrializado apresenta, a cada 100mL:

  • Calorias: 22;
  • Sódio: 5mg;
  • Potássio: 73mg;
  • Carboidratos: 0,9g;
  • Cálcio: 7mg;
  • Ferro: 0,2mg;
  • Magnésio: 5mg

Conheça um pouco sobre alguns dos principais elementos da composição do vinagre pasteurizado:

Ácido málico

O ácido málico é uma substância naturalmente encontrada em frutas e legumes, sendo que nas maçãs suas concentração é significativamente alta. Nosso corpo também produz a substância, que age em processos imunológicos, auxilia na eliminação de metais tóxicos e melhora a aparência da pele.

Esse ácido tem algumas funções importantes no organismo, entre elas, o estímulo do metabolismo e produção de energia, pois a substância está envolvida da transformação de proteínas, gorduras e carboidratos em energia (conjunto de reações pertencentes ao ciclo de Krebs).

Além disso, o ácido málico pode auxiliar na eliminação de metais que podem se acumular no organismo — como o chumbo ou o alumínio -, evitando danos e intoxicação do organismo.

Na indústria cosmética, a substância também é empregada em produtos para melhorar e tratar a pele. Os usos envolvem, geralmente, esfoliação, fortalecimento e revitalização do tecido.

Ácido Acético

Os vinagres de maçã possuem, em geral, entre 4% e 6% de ácido acético em sua composição. O produto é considerado um ácido fraco, sendo a ele que se atribuem muitas das propriedades dos vinagres, principalmente as antimicrobianas.

Estudos apontam que o ácido também afeta a absorção de amidos pelo organismo, ou seja, açúcares, desempenhando ações no processo de metabolização nutricional. Isso faz com que o ácido seja uma das principais propriedades estudadas do vinagre de maçã.

Ainda que o vinagre seja um produto alimentar, considerado seguro para a ingestão, e que muitos estudos atribuam capacidades funcionais a ele (ou seja, capacidade de agir positivamente na saúde humana), o ácido acético é potencialmente perigoso e sua ingestão direta ou elevada deve ser moderada.

É possível que a substância interfira na correta produção e secreção de ácidos gástricos, aumentando a saciedade mas, também, deixando o esvaziamento estomacal mais lento (o que pode causar desconforto).

O ácido acético é bastante empregado como produto de limpeza e higienização de mãos, equipamentos e superfícies, sendo que pode ocorrer intoxicação pela substância.

Pectina

A pectina é uma fibra solúvel encontrada na maçã e que pode ter inúmeros benefícios na saúde do organismo. Sua ação favorece a digestão de gorduras, proteínas e ajuda na regulação de açúcar no sangue.

A substância é uma fibra solúvel (um tipo de fibra que promove saciedade) encontrada também em alimentos cítricos e vegetais.

Mas vale ressaltar que alguns estudos sobre as propriedades dos vinagres de maçã apontam não ter encontrado a pectina no produto. Uma possibilidade é que os vinagres pasteurizados e filtrados podem não apresentar traços da substância devido aos processos industriais, reduzindo significativamente as ações e propriedades funcionais.

Um estudo do departamento de Bromatologia em Saúde, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, baseado nos parâmetros do Departamento de Agricultura Americano (USDA), aponta que apesar da maçã ser uma fonte de pectina, a produção do vinagre envolve um processo conhecido como despectinização, em que as enzimas são quebradas e, portanto, perdidas.

Potássio

O potássio é um dos 3 minerais mais abundantes no nosso corpo, desempenhando funções nos músculos, ossos, circulação e sistema nervoso.

A quantidade recomendada de ingestão diária de potássio, segundo a resolução da Organização Mundial de Saúde (OMS) é de ao menos 3510mg, para que o mineral se mantenha em quantidades adequadas no organismo e auxilie na manutenção da saúde.

Entre outras coisas, o potássio participa das seguintes atividades:

  • Prevenção de doenças cardiovasculares: o potássio age como vasodilatador e pode reduzir a pressão arterial;
  • Regulação do metabolismo: auxilia na regulação da glicemia;
  • Saúde óssea: auxilia no equilíbrio da massa óssea evitando degeneração do tecido;
  • Saúde muscular: a contração e o relaxamento muscular dependem de níveis adequados de potássio.

O vinagre de maçã possui quantidades significativas de potássio e, desde que consumido de maneira adequada e aliado à alimentação saudável e diversificada, pode auxiliar a atingir a dosagem diária recomendada.

Outros alimentos que podem compor as refeições e suprir as necessidades do mineral são a banana, abacate, pera, frango e laticínios.

Cálcio

Segundo as recomendações da ANVISA, um adulto saudável precisa ingerir diariamente 1000mg de cálcio para garantir o bom funcionamento orgânico.

O nutriente é um mineral que se concentra majoritariamente nos dentes e ossos — cerca de apenas 1% de cálcio está presente no restante do organismo, como sangue e células. Entre as funções do nutriente estão:

  • Saúde óssea: ossos e dentes são os tecidos mais associados ao cálcio. O nutriente auxilia no fortalecimento, desenvolvimento e manutenção da saúde óssea;
  • Coagulação do sangue: participa de processos de coagulação, evitando alterações e complicações relacionadas;
  • Saúde dos músculos: participa de ações e mecanismos musculares, promovendo a contração e o relaxamento da musculatura.

Ferro

O ferro é um nutriente fundamental para o bom funcionamento do corpo, pois está envolvido no transporte de oxigênio às células e tecidos, em processos enzimáticos e na síntese de DNA.

O nosso organismo obtém ferro por 3 vias: alimentação, degradação da hemoglobina (proteína presente no interior do glóbulo vermelho, uma célula sanguínea) e por liberação dos estoques do corpo.

Em geral, um adulto tem entre 3g e 5g de ferro no organismo, sendo que essas taxas são rigorosamente mantidas pelo organismo saudável, pois tanto o excesso quanto a falta do nutriente podem impactar bastante o funcionamento do sistema orgânico.

Para a ANVISA, um adulto deve ingerir cerca de 10mg por dia de ferro.

Entre as funções do nutriente estão principalmente:

  • Transporte de oxigênio;
  • Participação na produção de energia;
  • Participação no fortalecimento da imunidade;
  • Contribuição na formação do sangue;
  • Síntese de DNA.

Apesar do vinagre de maçã ter quantidades pequenas de ferro, quando o produto é aliado à alimentação equilibrada e balanceada, ele pode auxiliar a atingir as quantidades ideias de ingestão diária.

Magnésio

O magnésio é um nutriente consideravelmente simples de ser encontrado em alimentos, sobretudo em folhas e hortaliças. A abundância favorece que a recomendação da ANVISA de 260mg até 350mg por dia não seja difícil de ser atingida.

Produtos derivados de leite, legumes e vegetais e grãos integrais são alguns dos alimentos fontes de magnésio. Entre as ações que participa, estão:

  • Auxilia na saúde dos ossos;
  • Regula a absorção de minerais;
  • Melhora a saúde e desempenho muscular;
  • Participa de funções neuromusculares.

O vinagre de maçã pode contribuir com quantidades significativas do nutriente, complementando e reforçando a alimentação.

Betacaroteno

O betacaroteno é uma substância naturalmente presente nas plantas, frutas e legumes, responsável por suas pigmentações.

Quando ingerido, o betacaroteno é convertido em vitamina A e promove uma ação antioxidante no organismo, auxiliando no combate de radicais livres e fortalecendo a saúde.

A maçã é um alimento com grandes concentrações de betacaroteno e, por isso, o vinagre orgânico de maçã pode manter quantidades altas da substância.

No entanto, vale ressaltar, que os vinagres filtrados podem perder grande parte dos betacarotenos, sendo que não há muitos estudos científicos que constatem a presença da substância no produto processado.

Quais os benefícios do vinagre de maçã?

O vinagre de maçã orgânico oferece mais benefícios do que os outros tipos do produto. Quando não filtrado, ele pode manter as vitaminas e substâncias da fruta, além de propriedades antioxidantes e funcionais, como a pectina e as fibras.

Os vinagres são utilizados há tempos para melhorar a saúde e o bem-estar. Presentes na rotina de quem adota recursos naturais de terapia, o produto desperta o interesse de pesquisadores que, atualmente, buscam averiguar e comprovar os reais benefícios.

Algumas das propriedades do vinagre de maçã que despertam o interesse de quem deseja mais saúde são:

Tem propriedades anti-inflamatórias

Como o vinagre de maçã possui componentes como potássio, manganês e magnésio, o produto pode reduzir inflamações e favorecer a circulação.

Pesquisas conduzidas na Universidade Federal de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, listaram 10 alimentos que têm grande capacidade anti-inflamatória e entre eles está a maçã.

Como o vinagre orgânico mantém grande parte das propriedades do alimento fermentado, as capacidades anti-infecciosas e anti-inflamatórias podem ser preservadas.

Pode reduzir a pressão alta

Um estudo publicado no periódico Jornal Britânico de Nutrição, em 2006, avaliou ratos e suas taxas de pressão e colesterol. Os resultados apontam que o uso do vinagre teve um efeito benéfico ao organismo dos animais, reduzindo os riscos de pressão alta.

Auxilia na digestão

Quem tem gastrite ou algum problema de ardência estomacal pode já sentir o desconforto estomacal só de pensar em usar vinagre nas refeições. Mas as pessoas que não sofrem com alterações do estômago podem ser beneficiadas com o consumo do produto.

Isso porque o vinagre estimula a salivação e faz com que o suco gástrico — que é carregado de enzimas digestivas — tenha a produção aumentada também.

Com as enzimas digestivas atuando melhor e mais efetivamente nos alimentos, o processo de degradação é melhorado e, assim, o corpo consegue aproveitar melhor os nutrientes ingeridos.

Além disso, o vinagre de maçã pode fazer com que a digestão seja mais lenta e mais equilibrada, caso haja uma boa regulação do pH do estômago. Ou seja, ele pode evitar que haja desconforto após comer devido à má digestão ou mal processamento do que foi consumido.

Mas, opondo a informação, há pesquisas que indicam que a presença do ácido acético pode causar o desconforto digestivo devido ao esvaziamento gástrico lento.

Vale lembrar que pacientes com disfunções do trato digestivos podem ser recomendados a não consumir alimentos ácidos, devido à elevação da acidez estomacal.

Auxilia na saúde intestinal

O vinagre de maça orgânico pode manter concentrações de pectina, uma substância presente em frutas (sobretudo na maçã).

Ela é um tipo de fibra alimentar solúvel, ou seja, quando ingerida, é capaz de formar um gel que reduz a absorção de gorduras. No intestino, a pectina auxilia na regularização do fluxo, melhorando a evacuação.

Como a substância não tem necessariamente uma ação laxativa, pessoas com diarreia também podem ter as funções intestinais reguladas, pois a pectina auxilia a diminuir a irritação da mucosa.

Equilibra a glicose

Pesquisas realizadas na Universidade Estadual do Arizona indicam que o ácido acético do vinagre é capaz de bloquear enzimas relacionadas à liberação de açúcar na corrente sanguínea.

É sobretudo pela ação do desse componente que a glicose é regulada e a sensibilidade à insulina é aumentada. Pesquisas em animais e, mais recentemente, em humanos começam a investigar o uso do vinagre de maçã aliado ao tratamento de diabetes tipo 2.

Estudos realizados em 2004 e publicados no Jornal de Ciência Alimentar, apontam que o produto pode impedir que as taxas glicêmicas se elevem após as refeições. No processo de digestão, o ácido acético pode interferir na forma que o corpo aproveita os carboidratos, diminuindo a digestão dos amidos pelo intestino.

Como a glicose é obtida pela quebra dos amidos, o consumo do vinagre de maçã pode significar níveis menores de glicemia.

Um estudo publicado no Jornal Tohoku de Medicina Experimental, demonstra que um pequeno grupo de pacientes com síndrome de ovário policístico apresentaram melhoras nos quadros de irregularidade menstrual devido à capacidade do vinagre de maçã equilibrar as taxas de glicemia.

A pesquisa considerou que a resistência à insulina pode ser uma fator impactante na síndrome de ovário policísticos e, por isso, o consumo de vinagre de maçã para a estabilização glicêmica pode ter efeitos positivos para as pacientes.

Pode melhorar as funções cerebrais

Com a regularização intestinal todo o corpo pode ser beneficiado. Isso porque o intestino e o cérebro têm uma relação bastante próxima e, por isso, qualquer alteração nas funções de um, pode gerar impactos no funcionamento do outro.

Provavelmente você já notou que quando está com constipação ou diarreia, há sensações de fadiga, mal-estar e queda na imunidade. Por isso, é preciso cuidar de ambos.

Como o vinagre de maçã orgânico pode auxiliar a reparar e equilibrar a flora intestinal (sobretudo pela ação da pectina), seu consumo pode promover mais saúde, inclusive para as funções cerebrais.

Pode ajudar com o sobrepeso e obesidade

Há vários mecanismos de ação do vinagre para reduzir as taxas de obesidade e sobrepeso, mas acredita-se que efetivamente eles ajam apenas de forma indireta.

Alguns estudos realizados em 2009, publicados no Jornal de Ciência Alimentar, apontam que os participantes acompanhados sofreram menores elevações glicêmicas após as refeições e, por isso, a saciedade foi prolongada.

Isso ocorre porque quando o corpo sofre uma elevação rápida e intensa do açúcar no sangue, o organismo libera mais insulina, um hormônio regulador.

Porém, em pouco tempo, a glicemia baixa e a quantidade de insulina no sangue ainda é alta. Ou seja, o açúcar começa a baixar exageradamente, fazendo com que o corpo entenda isso como um sinal de alerta e a fome se manifeste.

Nesse estudo, a saciedade foi promovida possivelmente pela menor alteração glicêmica.

Outro estudo, realizado em 2005, confirma os resultados da ação emagrecedora do consumo de vinagre.

Na pesquisa, os pacientes que que ingeriram dosagens de ácido acético se sentiram mais saciados e naturalmente reduziram a ingestão alimentar em cerca de 250 calorias diárias. Portanto, o vinagre pode estimular a saciedade e promover a redução de peso de forma natural.

Reduz os riscos de doenças cardíacas

O vinagre de maçã é pode ser fonte de polifenóis (substâncias naturalmente contidas nas plantas), sobretudo o ácido clorogênico, que é um regulador da função do fígado. Há estudos que apontam a ação dessas substâncias na redução dos riscos de colesterol alto e problemas cardiovasculares.

O consumo do vinagre de maçã pode inibir a oxidação de LDL (colesterol ruim) e auxiliar na prevenção de doenças decorrentes. Além disso, um estudo de 2006 aponta que inserir uma concentração de 0,3% de ácido acético na alimentação pode reduzir as taxas de colesterol e triglicerídeos.

Alivia a azia

As disfunções gástricas são tratadas há séculos com os vinagres. Alguns estudos indicam que o ácido podem combater as alterações do suco estomacal e equilibrar o pH do órgão.

No entanto, é importante ter atenção no uso, pois a ingestão pura, frequente ou excessiva pode provocar a irritação das mucosas.

Possui ação antimicrobiana

Os usos de vinagre no combate de micróbios e bactérias é bastante antigo, fazendo com que o produto seja até hoje empregado na higienização de frutas e verduras. No entanto, é importante ressaltar que o Ministério da saúde recomenda o uso de água sanitária diluída para higienizar corretamente os alimentos.

Alguns estudos realizados em 2004 sugerem que a mistura de vinagre (com 4,03% de ácido acético) e suco de limão pode inibir a bactéria Salmonella typhimurium em alimentos. Mas, ainda no estudo, observou-e que é necessário um longo tempo de ação para que a bactéria seja combatida.

Um estudo publicado no periódico médico Relatórios Científicos, em 2018, apontou que o vinagre de maçã pode inibir a ação e proliferação da bactéria Escherichia coli, responsável pelo intoxicação alimentar e quadros de diarreia.

Apesar de necessitar de maiores aprofundamentos, o vinagre tem, de acordo com o estudo, a capacidade para ser empregado em terapias clínicas para combater agentes infecciosos.

Um artigo publicado no periódico clínico de Pesquisa Brasileira em Odontopediatria e Clínica Integrada, em 2018, apontou que o produto apresenta capacidade antifúngica sobre a Candida Spp da cavidade bucal. O agente é responsável por infecções de próteses dentárias e partes da mucosa interna, sendo capaz de provocar complicações.

Outros usos

Além dos estudos que investigam as propriedades funcionais do vinagre de maçã, há outros usos bastante comuns do produto e mantidos pelo conhecimento tradicional e popular. Entre eles:

  • Alívio da congestão nasal: o vinagre pode auxiliar na eliminação de muco e combater inflamações;
  • Diminuição da dor e garganta: devido às propriedades antibactericidas, o vinagre pode melhorar dores e inflamações da garganta através de bochechos e gargarejos;
  • Antisséptico: picadas de inseto, alergias, feridas na pele e pequenos cortes podem ser amenizados com o vinagre de maçã, que é empregado como produto de esterilização da região.

Usos na culinária

Não importa se você está se aventurando pela cozinha ou já conhece bem as funções dos ingredientes, muitas vezes os produtos têm funções diversas que nem sempre são lembradas.

O vinagre na culinária é geralmente bastante associado aos temperos e molhos (saladas e carnes são os alimentos mais usados), mas há outras funções que podem melhorar as experiências gastronômicas. Conheça mais sobre elas:

Mais sabor

Os vinagres adoçados ou saborizados podem atribuir variações no sabor, deixando o prato mais agridoce ou maltado (como nos casos do vinagre de maçã, de mel e de malte). Mas, além dessa atribuição de sabor, a acidez empregada no preparo dos alimentos pode melhorar a percepção gustativa.

O ácido pode promover uma intensificação do sabor, conferindo um aspecto mais fresco ao produto.

Altera a cor

Alguns alimentos sofrem alteração de cor após serem cortados, sobretudo as frutas e batatas devido a reação química dos elementos do alimento em contato com o oxigênio.

Aplicar uma pequena quantidade de vinagre após serem cortados ajuda a preservar a coloração e evita que os pratos sejam esteticamente afetados. Além disso, alguns produtos como cerejas, berinjela e repolho podem ficar mais bonitos e destacados, pois o vinagre age intensificando os pigmentos (antocianinas).

Mas é preciso cuidado com comidas escuras, como brócolis e couve, pois o vinagre pode deixá-los com cores amareladas.

Amacia a carne

O processo é denominado desnaturação de proteínas, bastante usado para preparar principalmente ceviches. Os produtos ácidos, como vinagre e suco de limão, fazem a quebra das ligações e deixam a carne mais macia.

Coagulação de proteínas

Se você já colocou algumas gotas de vinagre ou suco de limão no leite, principalmente se tiver sido aquecido, notou que há uma modificação bem rápida da aparência da bebida. Isso ocorre porque as proteínas do leite (chamadas de caseínas) coagulam na presença do ácido. Inclusive, os iogurtes e alguns queijos são produzidos dessa maneira.

Deixa o pão fofinho

Quem já testou algumas receitas de pão caseiro possivelmente já se deparou com o vinagre no meio dos ingredientes. O ácido auxilia na ação do fermento biológico e resulta em um pão mais fofinho e macio.

Ajuda a liberar amido

Uma colher de vinagre na água em que o macarrão vai ser cozido ajuda que a massa libere mais amido. Isso significa que o alimento vai ficar menos viscoso, sendo ideal para preparar saladas com macarrão.

Vinagre na estética

Há indícios de que na época de 69 aC e 30 aC, Cleópatra já recorria às propriedade do vinagre para realizar tratamentos de beleza. Além dela, os soldados romanos acreditavam que o produto conferia mais força, resistência e vigor ao corpo, agindo como um tônico ou estimulante.

Portanto, há tempos se usa o produto natural fora da cozinha e da alimentação, pois não é apenas o organismo que é beneficiado com as propriedades do vinagre. A saúde da pele e dos cabelos também pode ser melhorada.

É possível fazer tratamentos caseiros, empregando o vinagre orgânico ou industrializado, ou recorrendo aos produtos cosméticos, que incorporam extratos, princípios ou o próprio vinagre de maçã à formulação.

Abaixo você encontra algumas receitas caseiras para os cuidados estéticos:

Reduzir a oleosidade do cabelo

O brilho e saúde dos fios podem ser favorecidos com a utilização do vinagre de maçã. É atribuído às vitaminas e nutrientes da maçã a capacidade de fortalecer e reduzir a queda dos fios.

Além disso, devido à ação adstringente, o vinagre de maçã ajuda a controlar a oleosidade do cabelo, deixando os fios mais leves e soltos.

A recomendação é diluir o produto em água e aplicar diretamente nos fios e no couro cabeludo. Deixar agir por cerca de 10 minutos e enxaguar bem o cabelo.

Fortalecer os fios

O vinagre de maçã pode estimular a ação dos cremes e tratamentos de fortalecimento capilar.

Para isso, basta preparar a mistura de 2 colheres de vinagre para cada 200mL de água e borrifar nos cabelos antes de aplicar o creme normalmente, seguindo as recomendações de uso da embalagem.

Reduzir e tratar a caspa

Diluir 2 colheres de vinagre de maçã em 150mL de água e misturar mais 1 colher de algum óleo vegetal (amêndoas ou de coco) pode ser bastante eficaz para reduzir a caspa.

Basta aplicar a mistura no couro cabeludo 1 ou 2 vezes por semana, deixando-a agir por 15 minutos e lavando em seguida.

O composto ajuda a combater bactérias e fungos que podem enfraquecer os fios, além de auxiliar na hidratação.

Rejuvenescer a pele

O uso tópico do vinagre de maçã pode ter efeitos positivos na redução de sinais de expressão e melhoria da aparência saudável do tecido. Basta diluir o vinagre em água (1 colher para cada 200mL de água) e aplicar compressas sob o rosto, com cuidado para que a região dos olhos fique bem protegida.

Melhorar a acne

Diluir uma colher de vinagre de maçã em um copo de 200mL de água, aplicando compressas na pele aproximadamente 2 a 3 vezes por semana pode reduzir a acne e melhorar superfície da pele, pois o produto pode reduzir a inflamação e agir como antioxidante.

Como as acnes são processos inflamatórios da pele, as propriedades antibactericidas podem ter efeito positivo se usadas de modo tópico (externo).

Tonificar a pele

Misture 2 colheres de vinagre de maçã em 200mL de água e aplique compressas sobre a pele do rosto, pelo menos 3 vezes por semana para obter a ação tonificante do tecido.

O mais recomendado é que a tonificação seja feita após lavar o rosto com sabonete neutro e água morna. Para peles sensíveis, é recomendado enxaguar o rosto depois da compressa, reduzindo os riscos de irritação.

Clareia as unhas

Devido às propriedades anti bactericidas e antifúngicas, o vinagre de maçã, aplicado às unhas, pode auxiliar a sua estética e aparência.

A ação de agentes infecciosos pode provocar o amarelamento das unhas, além de alterações na superfície.

Ao misturar uma colher de vinagre de maçã em 100mL de água morna ou levemente aquecida, deixando a ponta dos dedos imersas por cerca de 10 minutos diariamente, pode promover o combate às alterações do tecido.

Outros usos

Nem só de estética e saúde a fama do vinagre de maçã se faz. Entre outros empregos, o produto é usado também na higienização de cômodos da casa e desodorizador, por exemplo.

Amenizar picadas de inseto

Picadas de pernilongos ou formigas podem ser bastante incômodas e causar coceiras. Caso ocorram, é possível aplicar um algodão umedecido com vinagre de maçã diretamente no local da picada para amenizar os sinais de irritação.

Quem possui animaizinhos de estimação também pode usar a técnica para aliviar a sensação de dor ou incômodo neles após vacinas ou injeções.

Desodorante de ambientes

Basta diluir o vinagre em uma porção de água, na proporção de 1:1, e usar um borrifador para neutralizar cheiros incómodos ou desagradáveis, como os de cigarro, fumaça ou odores corporais (como o chulé).

Para limpar a casa

Misturar o produto em água, na proporção de 1 porção de água para 1 porção de vinagre, resulta em um líquido bastante usado para a limpeza em geral. Pias, ralos, box de banheiros, rejuntes e vidros podem ser higienizados.

O produto facilita na remoção de manchas e sujeiras, mas é importante ter cuidado quando a superfície aplicada for algum móvel ou material permeável, pois o líquido pode ser absorvido e provocar manchas.

Para desentupir ralos

O acúmulo de sujeiras nos ralos pode ser a causa de um entupimento, que pode ser resolvido com uma mistura simples e bem caseira: um copo de vinagre e 2 colheres de bicarbonato de sódio.

Jogue o líquido no vaso ou pia entupida e deixe o produto agir.

Para eliminar a ferrugem

O vinagre de maçã reage ao óxido de ferro e, por isso, quando aplicado diretamente na ferrugem, pode auxiliar a recuperar parafusos, facas, pregos ou qualquer outro produto danificado.

Basta despejar uma boa quantidade do líquido, sem diluir, diretamente no produto enferrujado e deixar agir por algumas horas. Depois, basta lavar com uma esponja.

Vinagre de maçã emagrece?

Há algum tempo, há hipóteses de que o vinagre poderia auxiliar na redução de peso e na queima de gorduras.

Um estudo realizado no Japão avaliou participantes obesos que fizeram a ingestão de produto natural. Ao final da pesquisa, os dados apontaram que houve uma redução de peso mais significativa entre os pacientes que ingeriam vinagre do que entre os que não consumiram (grupo de controle).

Mas a fama de emagrecedor do líquido ácido não é recente. Alguns creditam ao alimento propriedades termogênicas, redutoras de medida e emagrecedoras em geral.

Os estudos científicos não comprovam ou averiguam se há, de fato, ações emagrecedoras efetivas. Possivelmente, é a capacidade de regular a taxa glicêmica a maior responsável pela redução de peso. Ou seja, as pessoas emagrecem por ingerir menos calorias.

As pesquisas que defendem o vinagre para emagrecer, apontam que suas propriedades são capazes de reduzir o apetite, controlar as taxas de glicemia, minimizar ou impedir o acúmulo de gorduras no corpo, além de promover a melhor metabolização dos alimentos.

Ainda que haja hipóteses sobre esses mecanismos de ação no organismo, os estudos e especialistas, em geral, indicam que o processo de emagrecimento é multifatorial. Ou seja, é preciso manter uma alimentação equilibrada, a prática de atividades físicas constantes, manutenção da saúde orgânica e mental, além do acompanhamento especializado.

Se a opção for empregar o vinagre de maçã para auxiliar no emagrecimento, é preciso que um nutricionista seja consultado e haja um planejamento adequado do emagrecimento, evitando danos ou prejuízos à saúde.

Quanto consumir?

O vinagre de maçã é um produto fácil de ser encontrado, no entanto, nem sempre parece simples incluí-lo na alimentação nas quantidades recomendadas.

Em média, os estudos e especialistas indicam a ingestão entre 2 e 4 colheres por dia. Como dificilmente é possível ingerir essa quantia de uma vez só — o que pode inclusive causar desconforto estomacal ou irritação -, o mais indicado é fracionar a dosagem durante o dia.

Vale começar com doses pequenas e aumentar o consumo gradativamente, até que o paladar esteja acostumado com o sabor e a acidez.

Como tomar vinagre de maçã?

É possível consumir o vinagre de maçã preferencialmente orgânico diluindo 2 colheres (cerca de 30mL) a um copo com até 200mL de água, ingerindo 1 ou 2 vezes ao dia, no horário de preferência, geralmente 30 minutos antes ou depois das refeições.

Ainda assim, o jeito mais comum de consumir vinagre é temperando saladas. O produto confere outros sabores, acentua o paladar e pode deixar as folhas mais saborosas, caso você não seja muito adepto das hortaliças verdes.

Temperar a salada com 1 colher de vinagre de maçã é um modo de adicionar sabor e saúde ao prato, mas é importante estar atento ao complemento de outros temperos.

Muitas pessoas investem nos azeites e sal para acompanhar a refeição — por um lado, pode deixar o prato bem saboroso e trazer alguns benefícios (como os azeite de oliva consumido moderadamente).

Porém, o excesso de sódio ou de molhos prontos pode elevar a quantidade de calorias, reter líquidos e aumentar a ingestão de corantes e conservantes, por exemplo.

Também é possível adicionar uma quantidade do vinagre às bebidas, como sucos. No entanto, é preciso lembrar que devido às propriedades ácidas, podem ocorrer alterações de sabor ou textura, sobretudo se forem lácteas, pois a mistura pode fazer a bebida coalhar.

Outro modo de consumir é ingerindo 2 ou 3 vezes por dia. Vale lembrar que nesse caso é preciso diluir em água, na proporção de 1 colher e vinagre para cada 200mL de água.

Em jejum

Há recomendações de que a água com vinagre seja ingerida após acordar, antes de qualquer refeição, com a justificativa de que o organismo pode receber melhor o produto e, por isso, suas ações são mais rápidas e efetivas.

É importante lembrar que o consumo pode causar sensações desagradáveis no estômago e na digestão, provocando dores e irritações.

Antes ou depois das refeições

A indicação de consumir o vinagre de maçã antes das refeições é para favorecer a saciedade.

Isso porque se sugere que beber o produto antes de comer possa retardar o esvaziamento gástrico, o que acarreta na diminuição da fome e da vontade de comer. Da mesma forma, consumir o vinagre após as refeições pode diminuir o ritmo da digestão e prolongar a sensação de saciedade.

Nesse caso, deve-se consumi-lo cerca de 20 minutos antes ou depois das refeições. Quando o vinagre é ingerido depois da refeição, as possíveis irritações ou desconfortos causados pelo ácido podem ser minimizadas.

Preferencialmente, o consumo pode ser cerca de 15 a 30 minutos antes ou depois das refeições.

Antes de dormir

Há quem prefira ingerir o produto antes de deitar ou próximo da hora de dormir. Nesse caso, é preciso estar atento aos efeitos no organismo, sobretudo aos gástricos. O ácido pode afetar a produção do suco ou irritar as mucosas.

Se a pessoa for se deitar, os refluxos podem ser favorecidos, logo que além da irritação causada, a posição horizontal intensifica o sintoma e favorece o retorno do conteúdo do estômago.

Onde encontrar e quanto custa?

O vinagre de maçã é encontrado com facilidade em mercados e comércios alimentícios. mas é preciso lembrar que, em geral, esses produtos são os que sofrem pasteurização e filtração, perdendo algumas de suas propriedades.

A variação de preço é grande e depende sobretudo da marca, geralmente indo de 5 reais à 30.

Os vinagres orgânicos são encontrados geralmente em casas de produtos naturais ou comprados diretamente com produtores.

A versão orgânica normalmente tem um custo mais elevado, indo de 25 reais à 60, aproximadamente.

Se o objetivo é usar na estética, você pode recorrer aos vinagres de maçã preferencialmente orgânicos ou, também, em lojas de cosméticos e farmácias é possível encontrar produtos que incorporam o vinagre à formulação.

Entre as opções, há a Selagem Capilar Forever Liss Vinagre de Maçã, para auxiliar na saúde dos fios. Além de prático, o produto é testado dermatologicamente e pode ser usado em todos os tipos de cabelos.

O produto com 300mL tem o preço médio entre 38 e 50 reais.

Efeitos adversos

Assim como qualquer alimento ou produto, há pessoas que podem apresentar sensibilidade ao vinagre de maçã. Seu uso é, em geral, desaconselhado para pessoas com dores de estômago ou disfunções gástricas.

O consumo exagerado também pode causar queimaduras às mucosas e tecidos gástricos, gerando ulcerações, refluxos e desregulando o pH do estômago.

Os estudos não mostram severos efeitos colaterais do uso do vinagre de maçã moderado, mas o produto pode causar:

Dano ao esmalte dos dentes

Os dentes podem ficar mais amarelados e sensíveis. Nesse caso, ao comer coisas muito quentes ou muito geladas, a pessoa pode apresentar dores e incômodos em graus diversos. Também é possível que o vinagre de maçã facilite o surgimento de cáries.

Irritação dos olhos

O consumo do vinagre pode provocar irritação dos olhos, lacrimejamento e, caso haja contato direto do produto com os olhos, pode levar à cegueira temporária ou permanente.

Irritação das mucosas

Por ser um alimento ácido, as mucosas da boca, da garganta e do estômago podem ser afetadas, sofrendo com a irritação.

Com o tempo ou com irritações mais severas, podem surgir aftas, vermelhidão e até sangramentos.

O consumo exagerado e não diluído do vinagre de maçã — ou qualquer outro tipo — pode gerar uma fragilização grande do tecido e provocar o rompimento, sangramento ou lesões severas, incluindo a corrosão das mucosas da boca, esôfago e estômago.

É importante ressaltar que especificamente devido ao ácido acético, o vinagre pode apresentar riscos como irritação do trato respiratório mesmo que ele seja apenas inalado.

Arritmia cardíaca e fraqueza

Apesar de pouco comum, o vinagre de maçã pode provocar uma redução severa dos níveis de potássio (hipopotassemia), ocasionando arritmias ou alterações nos batimentos cardíacos.

O pH do estômago pode ser afetado com o consumo regular do produto, causando alteração na digestão. Em consequência, pode haver irregularidades na absorção de nutrientes, causando fraquezas e mal-estar.

Irritação cutânea

O uso tópico de vinagre de maçã, para fins estéticos ou antibactericidas, por exemplo, pode ocasionar a irritação da pele. Além disso, pessoas com sensibilidade podem apresentar vermelhidão na pele mesmo que o vinagre seja ingerido ou usado na alimentação.

Náuseas e enjoos

Pessoas com sensibilidade estomacal são geralmente mais afetadas com a ingestão do vinagre. No entanto, consumir o produto em jejum, pouco diluído ou com muita frequência pode causar náuseas, enjoos ou ânsias de vômito.

Alterações intestinais

O uso de vinagre de maçã é bastante associado ao tratamento de disfunções do intestino. Porém, há relatos que o produto pode estimular os movimentos peristálticos (movimentos que empurram o bolo fecal) ou podem provocar a contenção do intestino.

Indica-se que a constipação possa ocorrer porque assim como o vinagre pode inibir e destruir bactérias danosas ao organismo, ele pode afetar também àquelas essenciais para o bom funcionamento do intestino. Ou seja, desrregular a flora intestinal.

Por isso, é preciso que cada pessoa avalie os efeitos no organismo e fique atento às mudanças do trânsito intestinal.

Vale ressaltar que casos persistentes ou prolongados de diarreia ou constipação devem ser investigados e tratados.

Quem não pode consumir?

Em geral, pessoas com qualquer patologia ou que façam tratamentos medicamentosos contínuos ou pontuais devem consultar o médico antes e ingerir o vinagre de maçã com frequência.

Pacientes que têm problemas ou disfunções gástricas, como gastrite, refluxo ou problemas digestivos devem conversar com o gastroenterologista antes de ingerir altas quantidades de alimentos ácidos, pois pode haver piora do quadro.

Interação medicamentosa

Pacientes que fazem qualquer tratamento medicamentoso pontual ou contínuo devem ficar atentos sobre as interações com o vinagre de maçã. Devido às características ácidas, o líquido pode inibir ou reforçar a ação do princípio ativo, sobretudo de laxantes, diuréticos e da insulina.

Pacientes que fazem tratamento com remédios para pressão alta e diabetes podem ter os efeitos aumentados e, consequentemente, crises de hipoglicemia e pressão baixa.

Medicamentos que regulam a acidez do estômago podem ter a ação afetada devido ao pH do vinagre de maçã.

Outros tipos de vinagre e suas aplicações

Existem outros tipos de vinagre e seus usos são igualmente diversos, com diferenciação no sabor (mais frutado, mais suave ou mais acre) e, em alguns casos, na ação, sendo que há tipos mais recomendados para usos culinários, por exemplo.

Em geral, a maioria dos vinagres produzidos no Brasil é derivado de etanol de cana-de-açúcar, enquanto nos EUA, a maioria utiliza etanol de cereais.

Segundo determinações legislativas brasileiras, vinagre é o produto derivado da fermentação exclusiva de vinho. Assim, todos os outros tipos de vinagre precisam ser acompanhados da nomenclatura específica — como vinagre de maçã ou vinagre de mel.

Conheça um pouco sobre cada tipo de vinagre:

Vinagre branco destilado

É bastante acessível e comum, sendo um dos tipos mais baratos. O vinagre branco é produzido com álcool de grãos e, por não possuir adição de sabores, tende a ser o mais forte e acre. Geralmente, é bastante usado para compor produtos de limpeza ou para manter alimentos em conserva.

Vinho tinto

O vinagre de vinho tinto é um dos mais fiéis à origem no nome francês vin aigre — ou vinho amargo. Ele tem sabor mais suave, adocicado e pode apresentar variação de acordo com o vinho empregado na fermentação. Bastante utilizado em molhos, é um dos tipos mais antigos.

Vinagre de vinho branco

O sabor mais suave e frutado se dá pelo tipo de vinho usado na fermentação. Bastante empregado na culinária quando o cozinheiro não deseja modificar a cor do prato, mas quer se manter fiel ao vinagre de vinho.

Vinagre de arroz

É um dos que possui a menor acidez, sendo que sua produção é feita a partir do arroz cozido. Em geral, o produto é mais comum na culinária ou cultura asiática.

Vinagre de malte

Derivado de grãos, o vinagre de malte é resultado da fermentação do malte da cevada — sim, ele quase um vinagre de cerveja!

O produto é mais popular na Inglaterra, mas os degustadores indicam a utilização do produto no preparo de frituras, como batatas e peixes.

Vinagre balsâmico

Verdadeiramente, o vinagre balsâmico não é um vinagre e seu nome oficial é aceto balsamico tradizionale ou azeite tradicional balsâmico. A coloração é mais escura e seu sabor tende ao agridoce.

O tipo artesanal italiano é bastante caro e mais difícil de ser encontrado, pois sua produção depende de um processo lento, em que o líquido passa alguns anos sendo envelhecido em barris — inclusive, alguns podem permanecer mais de 100 anos envelhecendo.

Em geral, os vinagres balsâmicos encontrados em mercados são uma mistura das uvas com vinagre de vinho e são bastante usados para saladas, carnes e molhos.

Vinagre ou água sanitária para limpar alimentos?

Ainda que muita gente use e defenda a ação antimicrobiana do vinagre nos alimentos, a recomendação do Ministério da Saúde e da ANVISA é que os alimentos como frutas, legumes e hortaliças devem ser higienizados com o uso de cloro, como a água sanitária.

É necessário lavar em água corrente cada parte do alimento e, em seguida, deixá-lo de molho por 10 minutos em um recipiente com 1 colher de sopa do produto para cada litro de água.

Vale lembrar que segundo as determinações dos órgãos, o uso de vinagre não é capaz de esterilizar corretamente os alimentos. Como são produtos consumidos muitas vezes crus, é necessários dar especial atenção à limpeza.

Algumas marcas de água sanitária mostram, na embalagem, que o produto não é recomendado para usar em alimentos. Nesse caso, por opção do fabricante, ele não foi submetido aos testes de inibição de microorganismo infecciosos alimentares.

Mitos e verdades

Vinagre de maçã clareia os dentes?

Mito. O vinagre pode ter uma ação bem negativa nos dentes devido à acidez, gerando a corrosão da arcada dentária. Ou seja, na verdade ele provoca um desgaste do esmalte.

Vinagre de maçã cura a anemia?

Mito. O vinagre de maçã orgânico pode manter algumas propriedades nutricionais benéficas ao organismo, como magnésio ou vitaminas contidas na própria maçã, mas as quantidade são muito pequenas para tratar quadros anêmicos.

Em pessoassaudáveis, o produto pode auxiliar a fortalecer a alimentação, mas também não supre as quantidades diárias recomendadas de nenhum nutriente.

Vinagre de maçã é bom para queimaduras de sol?

Verdade. O produto pode ser diluído em água e aplicado na pele após aquele banho de sol exagerado. Mas atenção, queimaduras muito intensas, doloridas ou que causaram bolhas na pele precisam de tratamentos com recomendação médica.

Vinagre de maçã mata piolhos?

Mito. Apesar do vinagre em geral auxiliar na remoção dos piolhos e lêndeas, ele não é capaz de matar o parasita. Assim, antes de passar o pente fino, usar um pouco de vinagre nos fios e couro cabeludo faz com que eles se desprendem mais facilmente.


Muitos alimentos são ricos em propriedades funcionais, trazendo benefícios ao organismo. Alguns começam a ser estudados e descobertos mais recentemente, mas outros fazem parte da cultura popular há décadas.

As terapias naturais recorrem aos alimentos, plantas e propriedades que fogem à industrialização para obter benefícios e melhorias ao organismo.

Os vinagres são alguns desses produtos que, atualmente, despertam o interesse de quem deseja uma vida mais equilibrada e um corpo mais saudável.

Vale ressaltar que a adoção do vinagre de maçã como alimento funcional pode ser uma medida capaz de promover melhorias no organismo e no bem-estar, mas que deve sempre ser aliada ao acompanhamento clínico e avaliação de um profissional de saúde. Além disso, apesar de ser um recurso natural de melhoria à saúde, o produto não deve substituir medicamentos ou tratamentos.

Saiba mais sobre alimentação saudável e funcional no Minuto Saudável!

Fontes consultadas

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (18 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

Deixe o seu comentário, nos preocupamos com sua opinião:

Por gentileza, escreva seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui

Lamentamos a não possibilidade de dar-lhe conselho médico ou responder a questões médicas e farmacêuticas individuais através de e-mail, pois apenas um médico pode prestar tal atendimento. Embora tentemos responder a todos os comentários, opiniões e e-mails que recebemos em até dois dias úteis, nem sempre é possível devido ao grande volume que recebemos. Por favor, tenha em mente que qualquer solicitação ao Minuto Saudável está sujeita aos nossos Termos de Uso e Política de Privacidade, ao enviar, você indica sua aceitação.