O que é Gengibre? Saiba para que serve, benefícios e como fazer chá

3

O gengibre é uma planta perene muito próspera no sul da Ásia, da Jamaica, Nigéria e das Índias Ocidentais. Aqui, no Brasil, ela também tem seu espaço.

Não é comum ouvirmos estes nomes, contudo, o gengibre também pode ser conhecido por mangarataia e mangaratá.

Talvez, você já tenha consumido como um tempero ou como um remédio caseiro para dores de garganta e tosse. Há também pessoas que consomem o gengibre em produtos como sabonetes e sprays para garganta.

Não é à toa sua fama de remédio natural: o gengibre é realmente considerado uma planta medicinal e está associado ao tratamento e prevenção de muitas doenças.

É possível encontrá-lo fresco, seco, em pó ou cápsulas, à venda em farmácias, supermercados e casas de chá.

Também pode ser utilizado por pessoas que estão de dieta, para ajudar a acelerar o metabolismo. De quebra, ganha-se vários outros benefícios para a saúde.

Contudo, como nada em excesso é benéfico, com o gengibre não é diferente. Existem algumas contraindicações e efeitos colaterais. O uso em excesso não é recomendado.

Continue lendo e saiba em quais condições o gengibre é um remédio e quando deve ser evitado.

PUBLICIDADE

Índice — neste artigo você encontrará as seguintes informações:

  1. O que é?
  2. Para que serve?
  3. Propriedades e tabela nutricional
  4. Gengibre emagrece?
  5. Benefícios do gengibre
  6. Quanto devo consumir?
  7. Contraindicações
  8. Efeitos colaterais
  9. Interações medicamentosas
  10. Receitas com gengibre
  11. Como conservar

O que é gengibre?

O gengibre é uma erva rizomática, ou planta herbácea, de origem asiática. Tem um sabor picante e seu cheiro é bem forte. É considerada, por esses fatores, uma planta quente.

Foi o botânico inglês William Roscoe quem deu a planta o nome científico de Zingiber officinale. A nomenclatura vem de uma palavra sânscrita que significa “forma de chifre”, como uma homenagem as formas protuberantes que os rizomas (caules subterrâneos) do gengibre apresentam.

Existem, aproximadamente, 85 espécies de ervas perfumadas do gênero Zingiber. Elas se encontram, predominantemente, na Ásia Oriental e Austrália tropical.

Em estados como Flórida, Califórnia e Havaí, as plantas apresentam flores parecidas com orquídeas em seus talos.

As partes utilizadas do gengibre incluem seu rizoma, raiz e folhas. De cor amarela a marrom brilhante, externamente, tem seu corpo alongado e cheio de ramos irregulares fragmentados.

É considerada uma especiaria, estando presente em vários pratos, na fabricação de xaropes e doces. Pode ser encontrada em vários tipos, como raiz, em pó, fresca, seca, em cápsulas, xaropes e outros produtos farmacêuticos.

Para que serve?

O gengibre é uma planta medicinal que auxilia no tratamento de várias doenças, como azia, gastrite, má digestão, dores de garganta e colesterol alto.

Também é popular por auxiliar no tratamento de doenças cardiovasculares e ser até mesmo um agente preventivo contra alguns tipos de câncer.

Como tempero, é utilizado em vários pratos asiáticos, entre doces e salgados. É comum acompanhar pratos indianos e japoneses, como o sushi, por exemplo.

Essa planta pode ser encontrada ainda como raiz, em pó e até mesmo em forma de óleos para massagem.

Por ser diurético e contribuir para um metabolismo mais acelerado, o gengibre também é utilizado por pessoas que buscam perder peso. Nesses casos, o chá de gengibre é a forma mais consumida.

Além disso, é benéfico por suas propriedades de ação anti-inflamatória, analgésica, vasodilatador, anticoagulante, antiespasmódica e anticoagulante.

Propriedades e tabela nutricional

A principal substância do gengibre é o gingerol, é ele quem possibilita benefícios como a ação preventiva de alguns tipos de câncer. Essa substância também é responsável por proteger o nosso organismo de inflamações.

O gingerol também é responsável por exercer ação antifúngico, analgésico, auxilia na redução da febre (antipirético) e é inibidor da agregação plaquetária, o que reduz os riscos de aparecimento de trombos.

Na tabela nutricional abaixo, é possível conferir todos os nutrientes presentes nesta planta. Considere os valores para 100 gramas de gengibre, o que é bem superior ao que se deve ser consumido diariamente, tendo em vista que o limite deve ser 3 gramas para adultos.

Propriedades-
Calorias80 Kcal
Gorduras totais0,8 g
Ferro0,6 mg
Proteínas1,8 g
Carboidratos18 g
Cálcio16 mg
Potássio415 mg
Sódio13 mg
Magnésio43 mg
Zinco0,34 mg
Cobre0,22 mg
Manganês0,22 mg
Vitamina C5 mg
Selênio0,7 mcg
Tiamina0,025 mg
Riboflavina0,034 mg
Niacina075 mg
Vitamina B60,2 mg
Fósforo34 mg
Açúcar1,7 g
Fibra alimentar2 g

Gengibre emagrece?

O chá de gengibre pode ser benéfico para quem quer perder peso, pois tem função diurética e é considerado um alimento que acelera o metabolismo.

Contudo, o gengibre em si, pode não ser a melhor opção para quem quer emagrecer, uma vez que aumenta o apetite.

Dessa forma, exagerar no consumo, além de poder trazer outras complicações, pode provocar o efeito contrário, ou seja, acabar ganhando peso.

Todavia, o gengibre é sim uma boa opção para se ter na alimentação do dia a dia, e o chá, principalmente, pode contribuir para o emagrecimento. Isto, claro, quando se tem a combinação de exercícios e uma boa alimentação.

Benefícios do gengibre

São vários os benefícios atribuídos a essa planta. Existem pesquisas que apontam mais de 100 doenças ou sintomas que podem ser amenizados ou prevenidos com o consumo do gengibre.

É, sem dúvidas, um número importante, o que revela a importância dessa especiaria em nosso dia a dia. Conheça quais são os principais:

Ameniza cólicas menstruais

O gengibre pode ser utilizado para amenizar as dores menstruais, que podem surgir durante ou antes do período menstrual.

Por ser anti-inflamatório e analgésico, o gengibre pode ajudar a amenizar essas dores. Nesses casos, o indicado é consumir o gengibre como chá.

É antioxidante

Sua ação antioxidante ajuda a combater os radicais livres, que, ainda que necessários para o nosso organismo, em excesso podem provocar várias doenças.

Isso ocorre pois os radicais livres não possuem um número par de elétrons na última camada eletrônica, o que os tornam instáveis. E, quando buscam estabelecer um equilíbrio, podem acabar provocando sérias complicações.

Eles podem levar à oxidação de células saudáveis, como lipídios, proteínas e o DNA. Esse ataque às células saudáveis de nosso organismo leva à destruição dos ácidos graxos poli-insaturados que fazem parte das membranas celulares, processo denominado de peroxidação lipídica.

Basicamente, os radicais livres acabam atacando as células boas de nosso organismo por tentarem se reestabelecer. Dessa forma, o gengibre se torna uma forma de prevenir que todo esse processo aconteça.

Por ser antioxidante, ajuda a prevenir o nosso organismo de envelhecimento precoce das células, gripes, resfriados e alguns tipos de câncer.

Algumas doenças crônicas e degenerativas estão relacionadas a esse processo causado pelos radicais livres, são elas:

Tem ação anti-inflamatória

O gengibre é tido como uma planta medicinal e muito se deve ao seu poder anti-inflamatório. Ele é utilizado como um tratamento alternativo a sintomas de artrite, dores musculares e doenças respiratórios, como bronquite, asma e tosse.

Ameniza náuseas provocadas pela quimioterapia

Os pacientes afetados por algum tipo de câncer, que estão em tratamento de quimioterapia, podem encontrar no gengibre um auxílio para as náuseas provocadas por este procedimento.

Estudos mostraram resultados muito positivos em pacientes que fazem uso da planta para reduzir essas náuseas.

Por ser uma planta medicinal muito benéfica para reduzir enjoos e por ser vantajoso ao sistema digestivo, é uma forma natural de tornar a vida dessas pessoas, minimamente, mais confortável.

Melhora a circulação

O gengibre, por ser anticoagulante, contribui para uma melhor circulação do sangue, além de reduzir a pressão arterial e diminuir os riscos de doenças cardiovasculares.

Dessa forma, é benéfico para as áreas periféricas como cérebro, mãos e pés.

Ajuda também a reduzir doenças relacionadas a má circulação como trombose, dormência, câimbras, varizes e perda de memória.

Aumenta a imunidade

O gengibre pode ser uma ferramenta para uma melhor imunidade. Por ser anti-inflamatório, analgésico e outros benefícios, contribui para que nosso organismo se torne mais forte e previne doenças como gripes e resfriados.

Reduz enjoos e alivia problemas digestivos

O gengibre pode ajudar a aliviar enjoos de gravidez e é também utilizado por pessoas que sentem este desconforto em viagens aéreas, por exemplo.

Por este benefício, também é utilizado em aromaterapia, em forma de óleo essencial. Nesses casos, desempenha função contra distúrbios digestivos, como flatulência e diarreia.

Ajuda na prevenção de doenças cardíacas

Essa planta medicinal possui vitamina B6, magnésio, potássio e vários outros nutrientes que são benéficos para o coração, diminuindo as chances de alguma doença cardíaca se desenvolver.

Com o magnésio e o potássio, o gengibre ajuda a diminuir a pressão arterial, um dos fatores de risco para que doenças cardiovasculares aconteçam. Além disso, o gengibre pode auxiliar a reduzir o colesterol ruim, outro fator considerado maléfico para a nossa saúde.

Ajuda no tratamento de infertilidade e disfunção erétil

A saúde do homem, assim como é para as mulheres, tem muito a ganhar com o consumo do gengibre. Isso porque existem estudos que apontam que o consumo de gengibre apresenta bons resultados em casos de disfunção erétil e infertilidade.

Por ser vasodilatador, o gengibre se torna benéfico para os homens que sofrem com esse tipo de problema por estimular uma melhor circulação e fluxo sanguíneo.

Também age diretamente no sistema neurológico, o que, implicitamente, interfere no tratamento da disfunção erétil.

O manganês, presente no gengibre, ajuda na liberação de testosterona, hormônio sexual masculino. Dessa forma, essa substância se torna fundamental para manter o desejo sexual e a produção de espermatozóides.

Consequentemente, age beneficamente como uma forma de tratamento da disfunção erétil e também da infertilidade.

Previne o câncer colorretal

O câncer colorretal, ou câncer de cólon, pode ser prevenido com o uso de gengibre devido ao gingerol, substância que dá ao gengibre o seu sabor picante característico. Esse tipo de câncer pode acometer tanto homens como as mulheres, por isso o gengibre pode ser cogitado em ambos os casos.

Ajuda a combater a celulite

O gengibre pode ser um aliado para combater às celulites. Essas marquinhas, ainda que comuns, costumam ser bem desagradáveis para muitas mulheres. Por ser anti-inflamatório, esse alimento ajuda a deixar a pele mais lisa e sem o aspecto casca de laranja que a celulite provoca.

Previne o Mal de Alzheimer e outras doenças cognitivas

Doenças cognitivas e degenerativas, como o Mal de Alzheimer, estão associados a alguns fatores como estresse oxidativo e inflamações crônicas, que contribuem para o processo de envelhecimento.

Alguns estudos feitos com antioxidantes e bioativos presentes no gengibre demonstraram que estes compostos têm ação inibidora de inflamações que acometem o cérebro.

Há, ainda, observações sobre como o gengibre é benéfico para melhorar funções cerebrais, como a cognição e a memória.

Reduz mau hálito e previne dor de dente

Mau hálito e dor de dente são condições nada agradáveis. Entre as formas de tratar esses problemas, existe o uso de gengibre. Por ser antibacteriano, anti-inflamatório e analgésico, contribui para aliviar as dores e odores ruins da região bucal.

Para isso, é possível mastigar a raiz crua, preparar infusão ou aplicar o gengibre como uma pasta na região em que está doendo. Além de aliviar a dor de dente, será um remédio para o mau hálito.

É afrodisíaco

Existem alimentos capazes de aumentar a líbido, e o gengibre é um deles. Essa raiz é responsável por aumentar o fluxo de sangue para os órgãos genitais, estimulando o desejo.

Além de ser benéfico para a vida sexual, tanto para os homens quanto para as mulheres, proporciona maior sensação de bem estar.

Auxilia no tratamento de diabetes

O gengibre pode ser utilizado para auxiliar no tratamento de diabetes, pois reduz os níveis de glicose em até 30%.

Também contribui para que pessoas com diabetes tipo II possam expelir 10% mais de insulina.

Contudo, esses benefícios se manifestam com o consumo regular de gengibre. Assim como pode ser um remédio natural eficiente, em excesso não faz bem.

Antes de fazer uso, consulte-se com um médico e verifique a possibilidade de agregar esse ingrediente ao tratamento de diabetes.

Contribui para a perda de peso

O gengibre pode contribuir para a perda de peso, uma vez que equilibra os hormônios e os níveis de energia.

Também ajuda no controle do apetite, problema associado ao estresse e a um possível desequilíbrio hormonal. Consequentemente, reduz inchaços provocados por estes fatores.

Existem, ainda, estudos que mostram o gengibre como responsável por estabilizar os níveis de cortisol no organismo, que podem estar relacionados ao aumento ou a dificuldade em perder peso.

Quanto devo consumir?

O gengibre, quando consumido em excesso, apresenta complicações para a saúde. Recomenda-se o consumo diário de 2 a 4 gramas. Dessa forma, é possível nutrir-se de todas as suas propriedades, sem trazer riscos para a saúde.

Contudo, essa quantidade não é uma regra. Entende-se que cada organismo responde de forma diferente as substâncias consumidas.

Sendo assim, o mais indicado é que se procure orientação médica para entender qual o limite que o seu corpo deve consumir desta planta, para que não se tenha nenhum efeito colateral.

Contraindicações

O gengibre, ainda que seja de grande valia no tratamento ou prevenção de várias doenças, apresenta algumas contraindicações. O que se torna um benefício em alguns casos, pode se tornar um risco para o agravamento de outras patologias.

Conheça alguns casos em que o uso de gengibre pode se tornar um risco:

Grávidas

O gengibre deve ser evitado durante a gestação, ou, se consumido, deve ser em doses muito pequenas e sob orientação médica.

O risco que essa planta apresenta para as mulheres em gestação está associado ao fato de provocar contrações prematuras ou até mesmo, em casos extremos, causar um aborto espontâneo.

Dessa forma, é contraindicado o consumo da raiz, no mínimo, durante os três primeiros meses.

Contudo, existem estudos que mostram que o gengibre ajuda a reduzir os enjoos presentes no início da gravidez. Em todo caso, o que deve ser considerado é a avaliação médica do risco-benefício presente nesta planta, uma vez que cada corpo reagirá de forma independente.

Pessoas abaixo do peso

O gengibre não é indicado para pessoas que estão abaixo do peso pois é um alimento termogênico e diurético. Assim como ele pode ser vantajoso para quem quer emagrecer, para quem precisa ou quer engordar, consumi-lo pode ser desvantajoso.

Antes de alguma cirurgia

Por ser anticoagulante, o gengibre é contraindicado para pessoas que vão fazer alguma cirurgia, por riscos de hemorragia. Sendo assim, deve ser consumido, no máximo, até 3 a 4 dias antes do procedimento.

Pessoas com cálculo biliar

Pessoas com cálculos biliares devem evitar o gengibre, uma vez que a planta aumenta a produção da bílis.

Essa produção pode gerar um esforço maior para a vesícula biliar, fazendo com que essa bílis se torne cristais, causando dores intensas no paciente acometido.

Em alguns casos, somente com cirurgia de emergência é possível reverter esses quadros. Portanto, não é recomendável o consumo de gengibre se você sofre com esta patologia.

Distúrbios hemorrágicos

Pessoas que sofrem com distúrbios hemorrágicos ou qualquer doença relacionada ao sistema sanguíneo devem tomar cuidado com o uso de gengibre. Por ser anticoagulante, essa planta, em excesso, pode acabar provocando hemorragias.

Pessoas que utilizam determinados medicamentos

Pessoas que utilizam medicamentos para hipertensão ou anticoagulantes, como aspirina, devem evitar o consumo de gengibre. Essa planta pode acabar aumentando o efeito do medicamento e causando complicações como hemorragias e desmaios. Em casos de pedra na vesícula, o gengibre só pode ser consumido de acordo com orientação médica.

Efeitos colaterais

Existem alguns efeitos colaterais associados ao consumo excessivo de gengibre. Ultrapassar da quantidade que deve ser consumida diariamente pode provocar complicações como provocar aborto, aumentar o fluxo menstrual, tornar casos de úlceras e gastrites mais intensos.

Quando utilizado externamente, como óleo essencial, pode provocar queimaduras na pele.

Entre outros efeitos colaterais relacionados ao uso abusivo, estão os seguintes sintomas:

  • Pele escamosa e seca;
  • Reações alérgicas;
  • Diluição de sangue;
  • Contrações uterinas;
  • Reação negativa à anestesia;
  • Insônia;
  • Dor de cabeça;
  • Vômitos;
  • Diarréia;
  • Batimentos acelerados no coração;
  • Azia.

Interações medicamentosas

O gengibre apresenta algumas interações medicamentosas. Isto significa que, pessoas que utilizam determinados medicamentos devem tomar maior cuidado ou até mesmo evitar o consumo desta planta.

Entre os medicamentos que apresentam algum tipo de interação com essa raiz estão:

  • Anticoagulantes (varfarina);
  • Medicamentos que apresentam sucralfato, ranitidina ou lansoprazol;
  • Medicamentos para o coração ou que interfiram na contração cardíaca, como betabloqueadores e digoxina.

Receitas com gengibre

Muitos pratos utilizam o gengibre como ingrediente. Seu sabor mais picante pode ser aproveitado tanto em pratos salgados como nos doces. Pode ser consumido fresco, seco, conservado ou cristalizado.

Contudo, se uma receita pede o gengibre em algum tipo específico, não é aconselhado substituir, pois o sabor varia em cada tipo. Por exemplo, se uma receita pede o gengibre seco, ao utilizar o gengibre conservado, o sabor será diferente do que dita a receita originalmente.

O gengibre seco apresenta um sabor mais suave, é mais aromático e é bastante utilizado no Japão, na China, Indonésia, Índia e Tailândia.

No Japão, existe o costume de utilizar o suco do gengibre espremido para temperar frango e as conservas chamadas de beni shouga, feito com o gengibre frescos. Estes são utilizados puros ou como acompanhamento de sushi.

Colocamos aqui algumas sugestões de como utilizá-lo:

Chá de gengibre

O chá de gengibre é fácil de fazer e existem diversas receitas, com ingredientes variados. Pode ser preparado com o gengibre em pó, raiz fresca, seca ou com o gengibre desidratado. Para extrair melhor suas substâncias, o mais indicado é utilizar a raiz seca.

Confira uma receita de chá de gengibre simples. Para ver outras receitas como esta, acesse: Chá de gengibre: pra que serve, como fazer, emagrece?

Ingredientes

  • 2 a 3 centímetros de gengibre fresco;
  • 1 litro de água.

Como preparar

Lave bem o gengibre, em sequência corte ou rale. Ferva a água e adicione o gengibre. Deixe tampado, ainda em fogo alto, e, após 8 a 10 minutos, retire do fogo. Coe antes de consumir.

Salmão grelhado com gengibre

Ingredientes

  • 2 postas de salmão;
  • Suco de 1 laranja;
  • 1 colher (chá) de alho em pó;
  • 1 colher (chá) de gengibre em pó;
  • 2 colheres (sopa) de molho de soja;
  • 1 colher (copa) de mel.

Como preparar

Em um recipiente ou em um saco plástico, coloque o salmão e adicione o suco de laranja, o alho, o gengibre, o molho de soja e o mel.

É preciso que todo esse tempero envolva bem o salmão. Se estiver preparando em um recipiente, tampe bem e reserve na geladeira. E se estiver preparando no saco plástico, feche cuidadosamente e, da mesma forma, leve a geladeira.

Deixe o salmão descansando no tempero por 30 minutos, de forma que todos os sabores dos ingredientes sejam aproveitados. Em sequência, acenda uma frigideira com um pouco de azeite e deixe grelhar. Está pronto.

Purê de batata doce com gengibre

Ingredientes

  • 4 a 5 batatas doces;
  • 1 xícara (chá) de leite;
  • 1 colher (sopa) de margarina;
  • 1 colher (sopa) gengibre;
  • Sal a gosto;
  • Molho de tomate (opcional).

Como preparar

Primeiro, cozinhe as batatas e, depois de cozidas, descasque-as, pois retirar a casca após cozidas, além de ser mais fácil, evita que se tenha desperdício da polpa da batata.

Após descascadas, amasse e reserve. Em uma panela, coloque a xícara de leite, a margarina e o sal a gosto. Em sequência, coloque as batatas. Em fogo baixo, mexa até que desgrude do fundo da panela.

Acrescente a colher de gengibre e desligue o fogo. Coloque em um recipiente para servir. Se preferir, adicione molho de tomate por cima.

Muffins de cenoura e gengibre

Ingredientes

  • 2 ovos;
  • 160 gramas de farinha de trigo integral;
  • 4 colheres (sopa) de óleo de girassol;
  • 150 gramas de cenoura ralada;
  • 1 noz de gengibre fresco ralado;
  • 1 colher (chá) de sal;
  • 1 colher (chá) de fermento;
  • 125 ml de leite de soja;
  • Sementes de sésamo.

Como preparar

Bata os ovos com o óleo e em sequência junte o leite, a farinha, o sal e o fermento. Após obter uma mistura homogênea, acrescente a cenoura e o gengibre ralados.

Em forminhas para mini-muffins (rende 24 unidades) ou muffins (rende 8 unidades), despeje a massa e salpique sementes de sésamo por cima de cada muffin.

Em forno aquecido a 180º, deixe assar por 20 minutos. Para finalizar, aumente a temperatura do forno para que as sementes de sésamo fiquem tostadas, por 2 minutos.

Como conservar

O gengibre é uma planta com muitos benefícios, e, em boa conservação, pode durar até 6 meses em sua geladeira. Saiba como armazenar corretamente com estas três opções:

Conservando por 3 semanas

Para conservar a raiz do gengibre por até 3 meses, uma opção é guardá-la envolta por papel toalha, dentro de sacos plásticos para congelamento. Deixe guardando na gaveta da geladeira.

Conservando por 3 meses

Coloque o gengibre dentro de um pote de vidro e cubra totalmente com vinho doce e mantenha fechado. Dessa forma, ficará conservado por até três meses.

Conservando por 6 meses

Para quem pretende deixar o gengibre por 6 meses dentro da geladeira, sem utilizá-lo por esse longo período, mas mesmo assim quer mantê-lo bom para consumo, essa é uma boa dica.

Primeiramente, corte o gengibre em pedaços, ainda com a casca. Cubra-os com papel toalha — se for possível, cada pedaço embalado separadamente é ainda melhor —, e guarde em um saco plástico para congelamento. Dessa vez, deixe no próprio congelador da geladeira.


O gengibre é uma planta com várias possibilidades, benefícios e alguns cuidados. É possível explorar tanto o seu sabor e perfume característico quanto suas vantagens para a saúde.

É fundamental, diante de alguma contraindicação ou suspeita de alergia a esta raiz, que se procure um médico para a melhor orientação. Se estiver dentro dos grupos que apresentam algum tipo de contraindicação, evite o consumo.

Em excesso, o gengibre não faz bem para a saúde, mas quando ingerido nas doses certas pode contribuir para amenizar muitos sintomas e doenças crônicas.

Compartilhe este artigo com seus familiares e amigos, para que eles saibam todos os benefícios do gengibre e como utilizá-lo adequadamente.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (10 votos, média: 4,60 de 5)
Loading...

3 Comentários

Atenção: os comentários abaixo são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Deixe o seu comentário, nos preocupamos com sua opinião:

Por gentileza, escreva seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui

Lamentamos a não possibilidade de dar-lhe conselho médico ou responder a questões médicas e farmacêuticas individuais através de e-mail, pois apenas um médico pode prestar tal atendimento. Embora tentemos responder a todos os comentários, opiniões e e-mails que recebemos em até dois dias úteis, nem sempre é possível devido ao grande volume que recebemos. Por favor, tenha em mente que qualquer solicitação ao Minuto Saudável está sujeita aos nossos Termos de Uso e Política de Privacidade, ao enviar, você indica sua aceitação.