Durante a gravidez, a mulher precisa seguir algumas restrições, inclusive na alimentação, que deve ser rica em frutas, verduras, legumes e cereais integrais. 

Mas muitas gestantes acabam ficando em dúvida do que podem ou não comer nessa fase. 

Antes de tudo, é importante lembrar que para saber corretamente se aquele alimento é seguro, a grávida deve conversar com a(o) obstetra que acompanha a gestação. 

O que uma grávida pode comer nos 3 primeiros meses? 

De modo geral, a gestante pode comer quase todos os alimentos que ingeria antes. Legumes, cereais integrais, carnes magras, verduras, frutas e folhosas são indicados para as grávidas em todos os meses de gestação. Além disso, o consumo de água em abundância (2 litros diários) também é fundamental. 

Vale ressaltar que, durante os meses de gestação, é comum que a mulher sinta os famosos “desejos de grávida”. 

Para saber se esses desejos devem ser atendidos ou não, o mais recomendado é conversar com o médico obstetra que acompanha a gestação.  

O que grávida não pode comer e beber? 

As gestantes devem evitar alimentos fortes (como pimenta, gengibre, chás escuros, cafés). Os alimentos que não devem ser consumidos são os que envolvem álcool (como cerveja), que estejam crus ou mal lavados e que contenham mercúrio (tubarão e atum, por exemplo). 

Alguns alimentos podem ser consumidos durante a gestação, desde que os cuidados necessários sejam tomados como higienizá-los corretamente e fazer um consumo moderado: 


Temperos 

Os temperos fortes como pimenta, gengibre ou curry não fazem mal se forem consumidos com moderação. 

Entretanto, a ingestão pode causar enjoos, azia, diarreia e desconfortos na gestante, principalmente se ela não estiver acostumada. Nesses casos, tais iguarias devem ser evitadas. 

Quando se fala sobre temperos, vale a máxima: quanto mais natural for o tempero, melhor. Por isso, dê preferência para alimentos como alho, cebola, salsinha e cebolinha que também ajudam a temperar os pratos. 

Peixes ricos em mercúrio

Peixes são bastante indicados às grávidas, devidos às propriedades nutricionais. O ideal é que a mulher ingira pelo menos 1 porção de peixe por semana durante a gestação, já que essa carne pode trazer benefícios como bom desenvolvimento do sistema imunológico da criança e prevenção do colesterol alto na mulher.   

No entanto, alguns podem ser ricos em mercúrio e, por isso, devem ser evitados. É o caso dos tubarões, peixe-espada e atum.

Outro quesito que deve ser observado é o modo de preparo do peixe. O recomendado é que as gestantes só consuma os que foram congelados antes do preparo. 

Frutas mal lavadas 

Em geral, todas as frutas devem fazer parte da dieta da gestante. O que se deve cuidar em relação às frutas é a higiene

Lavar bem (com água corrente) as frutas, verduras e legumes, principalmente aqueles que você vai comer com casca, é importante para evitar que algumas bactérias sejam transmitidas para o neném por meio da alimentação.  

Leites e derivados não pasteurizados 

Leites e derivados não pasteurizados, ou seja, recém-ordenhados não são indicados para as gestantes. Isso porque são uma fonte rica de bactérias, vírus e fungos que podem fazer mal ao bebê.  

Embora esses casos sejam raros, há a possibilidade desses organismos lácteos provocarem malformação, deficiências ou falência dos órgãos do neném e em caso mais extremos, induzir o parto prematuramente.  

Amendoim e castanhas industrializados

As castanhas e o amendoim podem ser consumidos durante a gestação, desde que moderadamente e de preferência, da forma mais natural possível. 

A adição de sal, conservante e corantes é uma das complicações que tornam esses ingredientes complexos para as gestantes. 

Vale lembrar que esse alimentos podem ser bastante calóricos e contribuir para o aumento do colesterol ruim (LDL). 

Por isso, a palavra que define essas iguarias durante a gravidez é moderação. 

Cafeína 

A cafeína está presente em várias bebidas como café, chás escuros, energéticos, refrigerantes e chocolates. 

Essas bebidas devem ser evitadas em excesso. Isso porque a cafeína pode provocar complicações como má formação do bebê que poderá nascer com sequelas ou abaixo do peso ideal. 

Se o consumo for diário e demasiado, ela pode provocar até abortos, sobretudo nos 3 primeiros meses. 

Mas vale o bom-senso. Uma xícara de vez em quando não tende a trazer prejuízos. A cafeína é um problema se for consumida em excesso e desregradamente. 

Álcool 

O álcool, depois de ingerido pela mãe, vai para a placenta do neném, ou seja, ele também acaba afetado por essa substância. 

O grande problema é que os órgãos do pequeno que são responsáveis por filtrarem as impurezas (como os rins e o fígado) ainda estão em fase de desenvolvimento ou crescimento. 

Essa substância pode provocar complicações como má formação dos órgãos do neném, atraso mental, problemas cardiovasculares, além de aumentar as chances de parto prematuro, aborto ou que o bebê nasça morto.     

Ovos e carnes crus 

Os ovos crus não devem ser consumidos pelas gestantes pois podem conter bactérias e fungos que, se entrarem em contato com o bebê, podem provocar infecções, malformação ou até mesmo o aborto espontâneo.

Assim, como os ovos, o consumo de carnes cruas também deve ser evitado para impedir que haja riscos de infecções e contaminações. 

O que comer na gravidez para não engordar? 

Antes de mais nada, toda gestante saudável deve engordar entre 10kg e 20kg, podendo variar conforme o estilo de vida, o metabolismo e o histórico médico da mulher. Assim, não adianta lutar contra isso: durante a gestação, você vai ganhar mais peso. Mas o fundamental é saber como engordar com saúde. 

Aqui tem uma lista do que pode ajudar:   

  • Gorduras boas: evite as gorduras industrializadas que geralmente aumentam o colesterol e a gordura corporal;
  • Escolha o saudável e o natural: quando puder escolher, troque as massas brancas por massas integrais, por exemplo;
  • Coma a cada 2 horas: frutas, castanhas e iogurtes são ótimos para complementar as refeições grandes (café, almoço e jantar), ou seja, eles podem fazer parte da programação durante a manhã ou a tarde; 
  • Faça exercícios: a prática de atividades físicas é indicada durante a gestação, ao menos que haja recomendação médica que determine o contrário. Assim como em outras fases da vida, movimentar-se também queima calorias e evita o ganho de peso durante a gestação. 

Quais alimentos são importantes para a grávida?

Comumente, as grávidas precisam incluir na dieta, os carboidratos bons e algumas substâncias como cálcio, ferro, magnésio, potássio e vitaminas (A, B, C, D, E  e K). A boa notícia é que esses elementos podem ser facilmente encontrados em alimentos do cotidiano (tais como frutas, folhosas e legumes).

Proteínas 

Os ovos e as carnes magras são fontes de proteínas, que ajudam na formação das células e dos órgãos do neném. 

Carboidratos 

Massas e cereais integrais (pão, arroz, macarrão) e raízes (batata e mandioca) são exemplos de carboidratos, que geram energia para o organismo. 

Se a gestante não consumir uma quantidade adequada de carboidratos, o corpo vai precisar usar as proteínas para criar energia e se manter, o que pode acabar gerando uma deficiência.  

Mineiras 

O ferro também é uma substância importante para que o bebê adquira o tamanho e o peso ideal durante a estadia dentro da barriga da mamãe. Eles ainda ajudam a mulher a prevenir anemia e outras complicações no momento do parto (como reposição de sangue). 

Os principais alimentos que contêm ferro são:  

  • Carnes magras: peixes e carnes brancas; 
  • Ovos (preferencialmente cozidos ou assados);
  • Folhosas verdes: brócolis e espinafre; 
  • Leguminosas: feijão, lentilha e ervilha. 

Alimentos ricos em cálcio (como leites e derivados) também são fundamentais para o bom desenvolvimento dos ossos do neném, além de auxiliarem a mamãe a evitar doenças como a osteoporose

Além do ferro e do cálcio, outros minerais como fósforo, sódio e magnésio são indispensáveis para que a gestação transcorra sem complicações. Todos podem ser adquiridos com uma alimentação de qualidade.  

Vitaminas 

Por fim, as vitaminas são importantes em todas as fases da vida, mas durante a gestação, a ingestão é indispensável para o desenvolvimento correto do bebê. Frutas, verduras, folhosas e legumes costumam ser ricos em variados tipos de vitamina.


A alimentação da gestante é um dos fatores fundamentais que contribuem para o bom desenvolvimento e crescimento do bebê. A dieta da mulher deve ser rica em frutas, verduras, legumes, cereais e carnes magras. 

Em casos de maiores dúvidas, converse com o(a) obstetra que acompanha a gestação ou procure auxílio nutricional. O Minuto Saudável traz muitas outras informações sobre cuidados na gravidez. Confira nossas postagens!!


Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *