Quem busca novidades para emagrecer ou reduzir gordurinhas já deve ter ouvido sobre a dieta do carboidrato.

O macronutriente é essencial para manter uma boa alimentação, garantindo fontes de energia para as funções do organismo. 

Apesar disso, ele também é bastante associado ao peso extra ou ao acúmulo de pneuzinhos. Por isso, é bem comum que seja um dos primeiros nutrientes cortados ou reduzidos da alimentação.

Quando o tema é dieta do carboidrato, uma série de cardápios podem vir à mente. Isso porque o nome é bem abrangente e pode designar diversas modalidades de restrição alimentar. 

Desde aquelas que reduzem a quantia ingerida por dia, como a dieta low carb, até as dietas Dukan, que são seguidas por um tempo maior.

Mas, em geral, a proposta é a mesma. Reduzir ou retirar o carboidrato da alimentação visando perder peso. Vale lembrar que, apesar de popular, essas dietas trazem o alerta sobre sua efetividade, sobretudo quando feitas por longos períodos.

O carboidrato é importante e necessário para a manutenção das funções do organismo e, por isso, sem um acompanhamento e orientação médica e nutricional, fazer a dieta pode trazer riscos. Saiba mais sobre o assunto no texto a seguir:

O que posso comer na dieta de carboidrato?

Depende da modalidade da dieta. Algumas são bem restritivas e indicam que somente alimentos sem carboidratos, como carnes, leite e ovos, podem ser ingeridos. Outras são mais flexíveis e permitem que alimentos saudáveis, mas que contêm o nutriente podem entrar no cardápio, como os grãos e cereais. 


Nesses casos, a preferência é escolher pelos carboidratos complexos e que tenham menores quantias do nutriente.

Por isso, o cardápio exato depende da escolha e montagem do cronograma, que deve ser feito, de preferência, com acompanhamento nutricional.

Em geral, pode-se ingerir sem restrições:

  • Verduras: abobrinha, berinjela, couve-flor, brócolis, chuchu, alface, acelga, agrião; 
  • Carnes: boi, frango e peixes, preferencialmente sendo os cortes magros; 
  • Frutas: morango, melancia, limão; 
  • Laticínios: leite desnatado, queijo branco, iogurte natural, manteiga;
  • Condimentos e temperos: azeite de oliva, óleos de girassol, milho, canola, arroz, salsa, orégano, cebolinha, vinagre.

Tipos e variações: como montar o cardápio?

Existem algumas variações da dieta do carboidrato, sendo que, no geral, qualquer roteiro alimentar que reduza ou limite a ingestão do nutriente é chamada assim.

Entre as mais conhecidas ou mais populares estão:

Dieta do carboidrato simples

A dieta do carboidrato simples consiste na retirada ou redução significativa de alimentos com o chamado carboidrato simples. Em geral, são os docinhos ou massas com farinha branca os maiores representantes do grupo. 

Esse tipo de carboidrato é uma fonte rápida de energia, ou seja, são absorvidos imediatamente. 

O grande problema desses alimentos é que eles promovem uma elevação rápida da glicemia, que em seguida cai novamente. Ou seja, mesmo após comer um sanduíche, a fome chega rapidamente. 

Por isso, os principais alimentos proibidos na dieta do carboidrato simples são: 

  • Açúcar branco;
  • Pão branco;
  • Doces industrializados;
  • Doces em geral;
  • Sucos, refrigerantes e bebidas industrializadas;
  • Farinhas brancas;
  • Fast-foods.

No geral, o cardápio pode ser planejado visando refeições a cada 3 ou 4 horas, optando por frutas com baixo índice glicêmico, castanhas, iogurtes naturais e sanduíches de pão integral com queijo branco.

Dieta carboidrato Unicamp

A dieta dos carboidratos da Unicamp é um pouco mais rígida e segue padrões alimentares. Por exemplo, orienta-se que a pessoa não coma nenhum tipo de carboidrato nas primeiras 48 horas, pois isso estimula o organismo iniciar a queima de gordura para obter energia.

Nesse caso, são permitidas as bebidas sem açúcar (sucos, chás e café). Os alimentos que podem ser ingeridos são:

  • Verduras e legumes, como:  repolho, alface, tomate, vagem, couve-flor, couve, brócolis, pimenta, cebola, pepino, abobrinha, quiabo, acelga, salsa, chicória, escarola, berinjela, azeitona e pimentão.
  • Laticínios, como: leite, queijos, creme de leite, iogurte;
  • Carnes, como: de boi, peixe, frango, porco;
  • Ovos;
  • Gelatina diet.

Após 15 dias, algumas frutas com baixo índice glicêmico podem ser ingeridas, como melão e mamão.

Dieta zero carboidrato 1 semana

Diferente das mudanças alimentares que adotam a baixa ingestão de carboidratos como estilo de vida, a dieta do carboidrato tem um período curto de realização.

Em geral, 1 semana é o prazo para que essas alimentações restritas que visam o emagrecimento sejam seguidas, pois, após isso, o corpo pode ficar debilitado nutricionalmente devido à ausência de nutrientes essenciais.

O tipo de dieta zero carboidrato é aquela que sugere ingestão bem baixa do nutriente, sendo o limite máximo de 50g por dia.

Entre os alimentos que podem integrar as refeições estão:

  • Ovos;
  • Leites e derivados;
  • Carnes;
  • Folhosas (como alface, agrião e rúcula).

Dieta do carboidrato de 15 dias 

Este tipo da dieta do carboidrato tem duração de 15 dias, sendo dividida em 3 fases. O modelo é mais restritivo e os efeitos colaterais, como mal-estar, podem ser mais intensos. 

Essa modalidade promove o emagrecimento por meio da ação cetogênica. Ou seja, a restrição de carboidratos é bastante severa, obrigando o corpo a recorrer à produção de corpos cetônicos como forma de obter energia (a mesma lógica da dieta cetogênica).

Assim, as gorduras são quebradas, estimulando a perda de peso. 

Para começar, nos 3 primeiros dias, deve-se comer apenas alimentos zero carboidrato, como gelatina diet, ovos, carnes e água. 

Entre o 3º e o 10º dia, a ingestão de carboidratos pode ser de aproximadamente 30g. Nos últimos dias, frutas com baixo índice glicêmico podem ser ingeridas.

Dieta do carboidrato emagrece mesmo?

Depende de vários fatores. Ana Paula Lesniovski, nutricionista clínica, aponta que a mudança alimentar pode dar uma forcinha na redução de peso, mas nada dispensa a avaliação profissional, pois cada organismo é diferente. 

Toda dieta ou mudança alimentar preciso de uma avaliação nutricional. Isso porque mesmo que o objetivo seja uma fazer uma dieta do carboidrato, a escolha dos alimentos vai depender das necessidades nutricionais de cada pessoa. 

Pode ser preciso investir mais em proteínas ou em gorduras, aumentar a ingestão de fibras ou apenas diminuir os alimentos energéticos.

Por isso, apesar de ser apontada como um bom plano alimentar para reduzir medidas, nem sempre o organismo vai adaptar-se à rotina. Além disso, nem sempre cortar somente o nutriente vai ser suficiente. 

O ideal, então, é aliar a mudança (sempre feita com acompanhamento nutricional) às atividades físicas e inclusão de alimentos saudáveis, como verduras e legumes.

Equilíbrio e diversidade de alimentos naturais é, no geral, a melhor forma de emagrecer com saúde.

Dieta do carboidrato: lista de alimentos proibidos

A restrição vai depender de uma série de fatores, como o objetivo, a quantidade de carboidrato permitida por dia, além de outras restrições (alergias, por exemplo).

Mas, no geral, alguns alimentos que devem ser evitados ou comidos com moderação são:

  • Cereais: arroz, trigo, milho;
  • Legumes: feijão, grão-de-bico, lentilha, ervilha;
  • Frutas: banana, figo, ameixa;
  • Tubérculos: batata-doce, batata, salsa, mandioca;
  • Açúcares: branco, mascavo, orgânico, mel, melado e outros;
  • Industrializados: chocolates, iogurtes adoçados, salgadinhos, fast-foods, bolachas, refrigerantes, sucos adoçados, bolos, tortas, entre outros. 

Dieta do carboidrato faz mal? Tem contraindicações?

Em longos períodos, podem surgir dores de cabeça, tonturas, mal-estar e fraqueza, desencadeadas pela carência de carboidratos, como aponta a nutricionista Ana Paula Lesniovski.

Cansaço, indisposição e falta de energia podem ser sintomas comuns quando o organismo não se adapta à restrição. Por isso, é importante observar os sinais que o corpo dá.

Além disso, dietas restritivas ou mudanças bruscas de alimentação são contraindicadas às pessoas que têm doenças crônicas, como diabetes, crianças e adolescentes, idosos, pessoas que fazem algum tratamento de saúde ou que sofram com distúrbios de alimentação.

_______________________

As dietas com restrição de algum nutriente são bem populares entre quem busca reduzir medidas.

Várias modalidades indicam a redução da ingestão de carboidratos, que podem ser feitas de forma mais flexível ou mais severa. Em média, as dietas do carboidrato podem indicar a ingestão diária de até 200g do nutriente e outras limitam a apenas 20g ou 50g.

O ideal é sempre conversar com profissionais nutricionistas e fazer um acompanhamento. Assim, pode-se obter uma vida mais saudável e atingir um emagrecimento sem riscos.

Para ter mais dicas de alimentação e saúde, acompanhe o Minuto Saudável!


Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *