Verão, água e sol. Uma combinação propícia para se divertir e relaxar, mas também uma época favorável para acidentes com animais e seres aquáticos. A temporada de verão é a que mais registra casos de acidentes deste tipo.

O contato com polvos, águas vivas, arraias e outros seres é frequente e pode causar diversos problemas, como machucados, arranhões, ferroadas, queimaduras, perfurações e dores.

Como se prevenir

Para evitar o contato é necessário:

  • Manter atenção redobrada ao entrar na água;
  • Não tocar em nenhum animal, vivo ou morto, pois determinadas espécies podem liberar substâncias tóxicas;
  • Ao mergulhar, evitar paredões, assim como a proximidade com águas vivas e esponjas-do-mar;
  • Acompanhar ou orientar as crianças durante o banho na praia, no rio ou em lagos.

Animais marinhos

  • Moreia: pode ser encontrado em águas rasas e costuma ser considerado um peixe pacífico, porém, quando ameaçado pode liberar veneno;
  • Arraia: geralmente fica enterrada ou camuflada na superfície, o que pode fazer com que seja difícil vê-las. Seus ferrões são utilizados para se defender da aproximação dos humanos e outros animais. Quando introduzidos no corpo da vítima, eles podem ocasionar necrose no tecido, problemas pulmonares e cardíacos, febre e vômitos.
  • Água viva: seu aspecto gelatinoso parece não oferecer riscos, porém seus tentáculos possuem toxinas que são transmitidas por meio do contato com o corpo. Dor intensa, dermatites, vergões e necrose da pele podem ser ocasionados por elas;
  • Piranhas: sua mordida pode causar sangramentos e infecções;
  • Esponjas-do-mar: são seres que se fixam em rochas e possuem espinhos. Muitos deles nem sempre visíveis. Quando em contato com a pele podem causar dor, vermelhidão, irritação, coceira e inchaço, sintomas que podem durar dias;
  • Ouriços-do-mar: com grandes espinhos rígidos, que cercam seu corpo arredondado, os ouriços são muito encontrados em superfícies rochosas. Seus espinhos possuem substâncias irritantes que ao penetrar no corpo podem causar dor, inchaço, infecções e vermelhidão.

Como lidar com o problema

Embora o tratamento da lesão deva ser feito em postos de saúde ou hospitais, alguns cuidados podem auxiliar nesse processo e evitar complicações. A realização de tratamentos caseiros não é recomendada, pois podem agravar o problema. Portanto, evite aplicação de produtos, óleos ou outras substâncias na pele.

Primeiros socorros

A área do corpo atingida deve ser lavada imediatamente com água e compressas devem feitas na região. Quando o ferimento for causado por uma água viva, a lavagem deve ser feita com água do mar e as compressas com água gelada.

A consulta médica

Relatar ao médico as dores que estão sendo sentidas, assim como o tipo de animal que causou a lesão, é importante para que o especialista dê um diagnóstico preciso e indique o melhor tratamento.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (Avalie o conteúdo!)
Loading...

Faça um comentário:

Por favor, escreva seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui