O que é Otite (média, externa, interna), sintomas e remédios

11

O que é otite?

O termo otite refere-se à inflamação na orelha média ou externa, assim como na mucosa do ouvido ou no tímpano. Sua principal característica é a dor de ouvido e é causada, principalmente, pela entrada de microrganismos na orelha.

É mais comum em crianças nas idades entre 6 e 36 meses, embora possa acontecer em qualquer idade, geralmente devido a hábitos de higiene prejudiciais. Em geral, é um problema corriqueiro e de fácil resolução, porém, sempre que a dor se estender, é preciso tomar precauções para evitar maiores complicações.

A otite pode ser muito dolorosa por conta do acúmulo de fluídos dentro da orelha média (antigamente chamada de ouvido médio) e no tímpano.

Na Classificação Internacional de Doenças (CID), a otite é encontrada como H60, H65-H67 e H83.0.

Índice — neste artigo você irá encontrar as seguintes informações:

  1. O que é otite?
  2. Anatomia do ouvido, localização e tipos de otite
  3. Duração da otite
  4. Causas da otite
  5. Grupos de risco
  6. Otite é transmissível?
  7. Sintomas da otite
  8. Como identificar otite em bebês e crianças pequenas?
  9. Como é feito o diagnóstico da otite?
  10. Otite tem cura? Qual o tratamento?
  11. Medicamentos para otite
  12. Tratamento caseiro
  13. Cirurgia
  14. Complicações e sintomas de emergência
  15. Como prevenir a otite

Anatomia do ouvido, localização e tipos de otite

A otite pode ser classificada de acordo com a parte do ouvido que é acometida. Por isso, para compreender os tipos de otite, é primeiro preciso ter noção das estruturas do ouvido. São elas:

  • Ouvido externo;
  • Ouvido médio;
  • Ouvido interno;
  • Tuba auditiva (trompa de Eustáquio).

Atualmente, essas partes passaram a ser chamadas “orelhas” (externa, média, interna), porém, devido a grande quantidade de pessoas que usam a denominação “ouvido”, este texto aceita as duas formas como válidas.

Entenda melhor sobre cada uma dessas estruturas:

Ouvido ou orelha externa

Essa parte compreende a orelha propriamente dita, anatomicamente conhecida como pavilhão auricular, e termina onde se encontra o tímpano. A função deste pavilhão é formar um canal (denominado auditivo) pelo qual o som passa e é redirecionado para o ouvido médio.

PUBLICIDADE

Quando há inflamação e infecção do ouvido externo, chama-se otite externa, forma de otite de mais fácil tratamento. Esse tipo de otite é popularmente conhecida como “ouvido de nadador”.

Ouvido ou orelha média

Começa com o tímpano, uma membrana fina que vibra com a energia mecânica do ar (som), e transmite essa vibração para os ossículos chamados martelo, bigorna e estribo. Curiosamente, estes são os menores ossos do corpo humano.

Na orelha média encontra-se, também, a tuba auditiva, antigamente chamada de trompa de Eustáquio. Falaremos sobre ela mais adiante.

A inflamação nessa estrutura é chamada otite média e costuma ter resolução um pouco mais complicada do que a externa. Além disso, pode ser dividida em dois tipos:

Quando há acúmulo de líquido no ouvido médio, sem secreção, é chamada otite congestiva (hiperêmica) e, quando ocorre uma perfuração do tímpano com liberação de secreção, chama-se otite supurativa (também conhecida como otite serosa).

Ouvido ou orelha interna

É onde se encontra a cóclea, estrutura que se parece com a concha de um caracol. Dentro dela, encontra-se um líquido e células ciliadas que se movem com as vibrações do ar (amplificadas pelo tímpano, martelo, bigorna e estribo), que fazem a transdução dessas vibrações em impulsos nervosos. Esses impulsos são enviados para o cérebro, que os capta e interpreta, gerando a compreensão dos sons.

É dentro do ouvido interno que estão as estruturas responsáveis pelo equilíbrio do corpo. Por isso, a otite dentro dessa estrutura é conhecida como labirintite, que provoca sintomas diferentes das outras otites. Sendo assim, ela muitas vezes é considerada como outra doença e não será abordada neste texto.

Tuba auditiva

A tuba auditiva é uma passagem de ar que é ligada à nasofaringe (porção mais interior do nariz) e serve para igualar as pressões dos ouvidos externo e médio. Muitas vezes, pode haver o acúmulo de secreções nesse canal, o que causa diferenças nas pressões e traz incômodo para o paciente.

Essa estrutura se encontra fechada na maior parte do tempo, e se abre nos momentos de bocejo, espirro, mastigação, entre outros que envolvem a mandíbula.

Duração da otite

A otite também pode ser classificada de acordo com seu tempo de duração. Enquanto a maior parte das otites se resolvem em pouco tempo, existem outras que demoram mais e aumentam os riscos de maiores complicações quando não tratadas. Entenda:

Otite aguda

A otite aguda dura cerca de 2 semanas e se resolve facilmente, mas quando acontece mais de 4 vezes por ano, também é chamada de otite de repetição. Ela acontece, geralmente, quando o excesso de líquido e muco no ouvido não é drenado naturalmente, iniciando um novo processo de infecção.

Otite crônica

Quando a inflamação dura mais do que 4 semanas, ela é considerada crônica. Nessas ocasiões, é comum que a inflamação piore durante o tempo e não melhore por si só, havendo a necessidade de atendimento médico.

Causas da otite

Geralmente, o que causa a otite está relacionado à porção do ouvido que é comprometida. O que essas otites têm em comum é a presença de microrganismos como vírus, fungos ou bactérias, que causam infecção na área.

Quais as causas da otite externa?

A otite externa é causada, na maioria dos casos, pela umidade excessiva e feridas que se abrem por hábitos de higiene como utilização de cotonete ou introdução de outros objetos estranhos, que empurram a cera para dentro do ouvido.

Essas condições são propícias para a proliferação de fungos e bactérias, responsáveis pela infecção e consequente dor.

É comum, inclusive, que a otite externa apareça após férias na praia ou piscina, ou até mesmo em nadadores, pela presença constante de água no ouvido, o que facilita o aparecimento de fungos na região externa da orelha.

Outras causas não tão frequentes de otite externa são dermatite seborréica e acne na orelha.

E a otite média?

No caso da otite média, a infecção ocorre por outra via: vírus e bactérias entram no ouvido interno através da tuba auditiva, em decorrência do acúmulo de muco na nasofaringe, parte mais interna do nariz, diretamente conectada à tuba. A nasofaringe costuma ficar congestionada, ou seja, cheia de muco, quando o paciente está resfriado ou gripado.

Os microrganismos sobem pela tuba auditiva e alcançam o ouvido médio, o qual sofre, como consequência, acúmulo de pus.

Assim sendo, pode-se dizer que a otite média é, muitas vezes, consequência de algum resfriado, infecção respiratória ou faringite, embora também possa ser causada pelo acúmulo de muco característico de processos alérgicos como rinite e sinusite.

Esse tipo de otite é mais comum em crianças justamente pelo fato de que a tuba auditiva dos pequenos é consideravelmente menor que a de adultos e possui uma angulação que facilita a passagem de líquidos e secreções pelo canal.

Fatores de risco

Existem alguns fatores de risco que contribuem para o desenvolvimento da otite. São eles:

  • Falta do aleitamento materno: Crianças que não mamam no peito tem o sistema imunológico prejudicado em relação às crianças que são alimentadas com leite materno;
  • Fumo: A fumaça do cigarro torna o sistema respiratório menos resistente a infecções, e isso vale também para o fumo passivo;
  • Crianças que frequentem creches: Devido a maior exposição a vírus e bactérias ao entrar em contato com outras pessoas e ambientes;
  • Inverno: Quando está frio, é comum que as pessoas mantenham os ambientes fechados, facilitando a propagação de agentes infecciosos;
  • Infecções respiratórias de repetição: Diversas infecções respiratórias podem levar ao acúmulo de muco, que é uma das causas da otite média;
  • Refluxo gastroesofágico: Devido à possibilidade do conteúdo gástrico alcançar a nasofaringe, iniciando um processo de inflamação.

Grupos de risco

Os grupos mais propícios a desenvolver otites são os nadadores e as crianças, por terem mais contato com fatores que auxiliam o desenvolvimento da doença.

Nadadores

Por estarem em constante contato com a água, nadadores estão mais sujeitos à otites externas, devido à umidade excessiva na orelha, que facilita a proliferação de fungos.

Crianças

Existem dois motivos que fazem com que as crianças estejam mais sujeitas à otite: o primeiro é o comprimento da tuba auditiva, menor que a dos adultos, e a segunda é o sistema imunológico ainda em formação, o que faz com que elas tenham infecções virais e bacterianas mais facilmente.

Otite é transmissível?

Embora na maioria dos casos seja causada por microrganismos, a otite, em si, não é transmissível. Entretanto, os causadores da infecção podem ser transmitidos através de secreções, contato com superfícies contaminadas, compartilhamento de objetos de uso pessoal, entre outros.

Embora pegar um resfriado ou outra infecção não seja garantia de otite, essa muitas vezes vem como consequência, o que pode fazê-la parecer “transmissível”. Entretanto, isso depende muito do sistema imunológico e idade da pessoa.

Sintomas da otite

O principal sintoma de qualquer otite é a dor de ouvido, que pode ser causada tanto pela diferença de pressão no ouvido externo e médio quanto pela presença de microrganismos.

Otite externa

Os principais sintomas da otite externa são:

  • Dor intensa;
  • Coceira na orelha;
  • Dificuldade em ouvir (som abafado);
  • Perda auditiva temporária por obstrução do canal auditivo;
  • Secreções;
  • Calor, vermelhidão e inchaço no canal auditivo;
  • Descamação em volta do canal auditivo que causa o estreitamento do mesmo (estenose);
  • Falta de cera (cerume).

Otite média

Já na otite média, além da dor, pode-se notar sintomas parecidos com aqueles de infecções respiratórias:

  • Inchaço das mucosas do nariz;
  • Maior produção de muco (catarro);
  • Acúmulo de líquido no ouvido médio;
  • Pressão no ouvido;
  • Tímpano inchado, avermelhado e arqueado;
  • Zumbido no ouvido;
  • Febre.

Como identificar otite em bebês e crianças pequenas?

Muitas vezes, os pequenos não sabem expressar o que estão sentindo, e os pais ou responsáveis precisam estar atentos aos sinais de que pode haver algo de errado. Alguns deles são:

  • Puxar a orelhinha com frequência;
  • Chorar ao tocar na orelha/ouvido;
  • Febre;
  • Falta de apetite;
  • Bebês podem chorar e rejeitar a hora de mamar;
  • Irritabilidade;
  • Dificuldade para dormir;
  • Secreções saindo pela orelha;
  • Algumas crianças podem apresentar diarreia, náusea e vômitos.

Quando há a saída de secreções pela orelha, é um sinal de que houve uma pequena perfuração no tímpano. Não se trata de algo grave, pois o tímpano tem uma ótima capacidade de reconstituição (a criança não irá perder a audição), mas este é definitivamente um sinal de que ela deve ir ao médico, para evitar complicações mais graves.

Como é feito o diagnóstico da otite?

O especialista que trata doenças do ouvido, nariz e garganta é o otorrinolaringologista, que pode realizar o diagnóstico da otite. Em geral, apenas um histórico dos sintomas e uma avaliação clínica é o bastante para determinar a presença de otite, sem que haja necessidade de exames laboratoriais ou de imagem.

O médico deve examinar a orelha por meio de um otoscópio, aparelho com uma luz e lente de aumento, cuja função é permitir que o especialista veja claramente as condições dentro da orelha. Esse exame não dói, mas crianças pequenas podem se mostrar resistentes por não terem noção do que está entrando na orelhinha delas.

Quando a otite não melhora com o tempo, o médico pode requisitar outros exames, como:

Timpanometria

A timpanometria é um exame que mede como o tímpano reage a diferenças na pressão do ar. Consiste em colocar uma sonda no ouvido, que muda a pressão do ar ao mesmo tempo em que transmite som para dentro da orelha.

A sonda mede a maneira que o som reflete dentro do ouvido e como a pressão afeta esse índice. Quando o som refletido de volta é pouco em condições de alta pressão, é um sinal de que há infecção.

Timpanocentese

Na timpanocentese, há a drenagem do líquido do ouvido médio, que é enviada para análise. Isso ajuda a descobrir qual o vírus ou bactéria responsável pela infecção.

Tomografia Computadorizada

Quando há suspeita de que a infecção tenha se espalhado mais para dentro do canal auditivo, utiliza-se um exame de imagem chamado tomografia computadorizada, que tira diversas radiografias do crânio, possibilitando uma visão mais clara do ouvido.

Otite tem cura? Qual o tratamento?

Felizmente, a otite tem cura, e muitas vezes é facilmente alcançada por meio de um tratamento clínico simples. Em casos raros, há a necessidade de tratamento cirúrgico, mas apenas quando há sinais de otite de repetição.

Entenda melhor como é feito o tratamento para otite:

Medicamentos para otite

Muitas vezes, os médicos receitam anti-inflamatórios e analgésicos como ibuprofeno para o tratamento dos sintomas da otite, mas cada caso é diferente e pode haver necessidade de outros tipos de tratamento. Nos casos de otite média causada por bactéria, é comum, também, a prescrição de antibióticos, principalmente na presença de febre, otite bilateral (nas duas orelhas), em crianças menores de 2 anos de idade e em casos que não melhoram dentro de 72 horas.

Antibióticos comumente indicados nesses casos são:

Na otite externa, os medicamentos frequentemente vem em forma de gotas, para uso tópico. Em indivíduos mais desabilitados, pode se fazer necessário o uso de medicamentos orais.

Atenção!

Ácido acetilsalicílico (Aspirina) jamais deve ser dado às crianças, uma vez que possui associação com a Síndrome de Reye, uma doença grave de alta mortalidade.

NUNCA se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico. Somente ele poderá dizer qual medicamento, dosagem e duração do tratamento é o mais indicado para o seu caso em específico. As informações contidas neste site têm apenas a intenção de informar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um especialista ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Siga sempre as instruções da bula e, se os sintomas persistirem, procure orientação médica ou farmacêutica.

Tratamento caseiro

Existem métodos caseiros para alívio da otite, mas estes não substituem o tratamento clínico receitado por um médico, pois além de não haver provas de sua eficácia, também não há garantia de que são métodos seguros. Por isso, consulte sempre seu médico antes de fazer qualquer tipo de tratamento, mesmo o caseiro.

Tratamentos que envolvem a colocação de algum líquido ou objeto estranho no ouvido não são recomendados, pois podem agravar a situação.

Algumas medidas caseiras a serem tomadas são:

  • Fazer compressas quentes no ouvido por 15 minutos, evitando pegar friagem logo após;
  • Usar bolinhas de algodão ou protetores auriculares na parte externa da orelha para evitar a entrada de água nos ouvidos ao tomar banho;
  • Usar uma touca para nadar;
  • Evitar coçar o ouvido, mesmo que com cotonetes;
  • Evitar remover a cera (cerume), que é uma camada de proteção natural do ouvido;
  • Após tomar banho ou nadar, secar as orelhas apenas com o dedo enrolado em uma toalha, sem aplicar muita força na região do tímpano.

Cirurgia

Em casos mais graves de otite média ou de desenvolvimento de abscessos, intervenções cirúrgicas podem ser necessárias.

Quando há otite de repetição, ou seja, acontece mais que 4 vezes por ano, os médicos podem optar por realizar uma pequena perfuração no tímpano para drenar o líquido presente no ouvido médio, além de colocar um tubo pequeno nessa perfuração, para impedir acúmulos futuros. Esse processo se chama miringotomia ou timpanostomia.

No caso de abscessos, a intervenção consiste em drenar seu conteúdo.

Complicações e sintomas de emergência

Quando a otite não se resolve sozinha e não é tratada, podem ocorrer algumas complicações. São elas:

  • Abscessos: O mal tratamento da otite externa pode levar à abscessos, bolsas de tecido inflamado contendo pus, que muitas vezes necessitam drenagem cirúrgica. Em casos mais extremos, o abscesso pode aparecer no cérebro, configurando uma complicação grave;
  • Rupturas e perfurações: O uso de objetos estranhos no ouvido externo e a presença de líquidos no ouvido médio podem causar a perfuração do tímpano, complicação extremamente dolorosa e que pode causar perda auditiva (temporária ou permanente, dependendo da gravidade da lesão);
  • Perda auditiva: Infecções frequentes da orelha externa podem levar ao estreitamento do canal auditivo, o que piora consideravelmente a audição;
  • Meningite: Quando a infecção não tratada avança, ela pode chegar na meninge, uma membrana que recobre o sistema nervoso central;
  • Mastoidite: Da mesma maneira que a infecção pode avançar para outros tecidos, ela pode avançar até o processo mastóide (parte do osso temporal, logo atrás da orelha) e destruí-lo internamente;
  • Colesteatoma: Crescimento do tecido do ouvido médio, que pode levar à destruição dos ossículos do ouvido (martelo, bigorna e estribo);
  • Labirintite: Quando a infecção avança até o ouvido interno, ela pode se tornar uma labirintite, cujos principais sintomas são vertigem, tontura e perda de equilíbrio.

Sintomas de emergência

Uma situação emergencial que ocorre como consequência de uma otite não tratada é a chamada otite externa maligna, que acomete principalmente pessoas com o sistema imunológico enfraquecido (crianças, idosos, pessoas que fazem tratamento quimioterápico ou com imunossupressores).

Ela acontece quando a infecção avança mais internamente no ouvido e atinge os tecidos adjacentes, danificando ossos como o temporal, mandíbula, além de nervos do crânio.

Os principais sintomas de que tal processo pode estar acontecendo são:

  • Dores severas na cabeça e no ouvido, especialmente durante a noite;
  • Saída de secreções pelo ouvido constantemente;
  • Paralisia do nervo facial (paralisia de Bell), na qual o lado do rosto com a orelha afetada perde o movimento;
  • Osso exposto no canal auricular.

Quando algum desses sintomas é detectado, deve-se contatar um médico imediatamente, antes que a infecção cause danos irreversíveis a outros tecidos e nervos.

Como prevenir a otite?

A melhor maneira de prevenir a otite é prevenir-se contra infecções comuns, como gripes e resfriados. Algumas medidas incluem:

  • Não compartilhar copos e objetos de uso pessoal;
  • Lavar as mãos com água e sabão com frequência;
  • Manter os ambientes abertos e bem ventilados;
  • Evitar a fumaça do cigarro;
  • Manter as vacinas contra vírus e bactérias comuns em dia (Haemophilus influenza, Streptococcus pneumoniae e Influenza).

Medidas referentes à outras causas da otite são:

  • Evitar limpar os ouvidos com cotonetes e outros objetos que podem lesionar o tímpano;
  • Utilizar protetores auriculares para tomar banho e toucas de natação na piscina e/ou mar;
  • Secar as orelhas apenas com a toalha após nadar ou tomar banho;
  • Inclinar a cabeça e dar batidinhas em um dos lados para remover a água do canal auditivo;
  • Limitar o uso de fones de ouvido intra-auriculares;
  • Evitar deixar o bebê mamar deitado, pois a posição horizontal favorece a passagem de líquidos para a tuba auditiva;
  • Quando resfriado ou durante crises alérgicas (rinite e sinusite), lavar as narinas com soro fisiológico várias vezes ao dia ajuda a impedir o acúmulo de muco.

A otite, apesar de simples, pode trazer complicações quando não é tratada. Por isso, é importante que mais e mais pessoas compreendam a doença e saibam como lidar com ela. Se você achou esse texto informativo e quer ajudar a espalhar a palavra, compartilhe com seus amigos!

Em caso de dúvidas, entre em contato que responderemos.

Referências

http://www.fleury.com.br/saude-em-dia/dicionarios/doencas/pages/otite.aspx
http://www.healthline.com/health/otitis
http://www.healthline.com/health/otitis-externa
http://www.e-konomista.pt/artigo/otite/
http://brasil.babycenter.com/a1500130/otite-e-dor-de-ouvido-no-beb%C3%AA
http://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/259550/otites+o+que+saber+sobre+elas.htm
http://www.mdsaude.com/2012/12/otite-media.html
http://www.gentside.com.br/otite/otite-interna-externa-aguda-e-cronica-o-que-e-a-otite-media-e-qual-e-o-tratamento_art5369.html
https://www.your.md/condition/otitis-media
https://www.your.md/condition/otitis-externa
http://www.blogdasaude.com.br/saude-fisica/2009/12/15/pano-quente-para-dor-de-ouvido-mito-ou-verdade/
http://www.news.med.br/p/medical-journal/743387/papel+do+refluxo+gastroesofagico+na+cascata+inflamatoria+da+otite+media+em+criancas.htm

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (8 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

11 Comentários

Atenção: os comentários abaixo são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

  1. Meu filho tem 6 anos ja comocou o tubinho nos ouvidos fi ou pir 9 meses caiu estaa sequinho esta novamente com muita secrecao atras das orelha outra vez a perda auditiva dele aumentou e muito tem zumbidos estalos tem dia q ouve muito mal tem dia q ouve um pouco melhor. O medico pediu novos exames audiometria tonal vocal impedaciometria. Fiz ja levei p ele ele pediu uma nasofibroscopia e uma laringoscopia direta

  2. Todo o cuidado é pouco. Tenho otite crônica. Já operei 5 vezes com médicos especializados na área. Infelizmente não obtive resultado satisfatório. Ainda meu ouvido continua com secreção e com um odor nada agradável. De qualquer maneira recomendo ir ao otorrinolaringologia.

  3. Texto muito claro, tirou todas as minhas dúvidas. Melhor texto que li sobre otite (externa, média e interna). Parabéns!!

  4. Site muito bem elaborado, de fácil interpretação, com o cuidado de alertar para o facto de evitar a auto medicação e com a preocupação de não alarmar mas aconselhar o que se deve fazer em caso de sintomas da doença.Parabéns e grata pela generosidade.

  5. Oi, meu bebê de 1 ano e 1 mês está internado com pneumonia, hoje com 10 dias no hospital e com previsão de alta para amanhã o ouvidinho dele amanheceu com secreção, será que posso ficar tranquila e somente limpar já que ele está fazendo uso de Clavulin e azitromicina ou falo com a pediatra e ela resolve. A questão é que onde estamos não tem otorrino e o tratamento pode se estender e piorar pois aqui tem um menino com otite grave e o hospital está a 3 dias prometendo levar o menino para outro hospital para fazer tomografia e nem previsão de quando vão e como estou mais perto de ter alta talvez seria melhor iniciar um tratamento com especialista. Sei lá, devaneios de mãe

    • Olá Ingrid!

      Apenas um médico pode indicar qual o melhor tratamento e oferecer um diagnóstico preciso sobre as condições de saúde do paciente. Com base nisso, o pediatra poderá indicar um especialista. Recomendamos que converse e esclareça todas suas dúvidas com o médico de seu filho.

  6. Oi eu tenho otite crônica agonizada tenho Q operar mas infelizmente N tenho dinheiro pra para a cirurgia ,minha pergunta é c eu N operar eu posso morrer com ele penaram?tenho 24 anos e tenho isso desde dos meus 11 anos 😏 Minha mãe nunca c preocupo em me leva no medico faz desde dos 18 Q tento operar pelo sus mas N consigo eu tenho medo isso pode acontecer de eu vim falecer por conta disso???

    • Olá Donesca,

      Uma complicação da otite não tratada é a otite externa maligna, que pode chegar até o cérebro e afetar o tecido nervoso. Isso pode, infelizmente, levar à morte. Contudo, a otite externa maligna geralmente só acontece em pessoas imunodeprimidas, ou seja, idosos, pessoas que fazem o uso de medicamentos imunossupressores, pessoas infectadas por HIV, entre outros.

      Converse com seu médico sobre a possibilidade de tratar o problema de outra forma, já que você não consegue fazer a cirurgia.

  7. Parabéns pela dedicação em criar um texto tão detalhado e explicativo! Me auxiliou muito! Continuem assim!

Deixe o seu comentário, nos preocupamos com sua opinião:

Por gentileza, escreva seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui

Lamentamos a não possibilidade de dar-lhe conselho médico ou responder a questões médicas e farmacêuticas individuais através de e-mail, pois apenas um médico pode prestar tal atendimento. Embora tentemos responder a todos os comentários, opiniões e e-mails que recebemos em até dois dias úteis, nem sempre é possível devido ao grande volume que recebemos. Por favor, tenha em mente que qualquer solicitação ao Minuto Saudável está sujeita aos nossos Termos de Uso e Política de Privacidade, ao enviar, você indica sua aceitação.