O uso de medicações antibióticas muitas vezes causa dúvidas. Isso porque são remédio utilizados em casos específicos e, mesmo os que são semelhantes, não costumam ter as mesmas indicações e formas de uso.

Por isso, separamos algumas informações importantes sobre a Azitromicina, que é um antibiótico frequentemente indicado por médicos(as). Entenda para que serve e outras recomendações importantes:

Índice — neste artigo você vai encontrar:

  1. O que é Azitromicina?
  2. O que significa Azitromicina di-hidratada?
  3. É antibiótico?
  4. Para que serve o antibiótico Azitromicina?
  5. Como tomar e qual a posologia?
  6. Indicação
  7. Preço e onde comprar
  8. Quando a Azitromicina começa a fazer efeito?
  9. Efeitos colaterais
  10. Azitromicina corta o efeito do anticoncepcional?
  11. Azitromicina e álcool: quanto tempo depois de tomar o remédio pode beber?
  12. Precisa de receita?
  13. É remédio de uso infantil?
  14. Azitromicina causa resistência bacteriana?

O que é Azitromicina?

A Azitromicina é uma substância medicamentosa, classificada como um antibiótico. Sendo assim, atua no tratamento de condições causadas por bactérias, tais como:

  • Bronquite — inflamação da mucosa dos tubos brônquicos;
  • Pneumonia — infecção que inflama os sacos aéreos dos pulmões, de forma que podem ficar cheios de líquido;
  • Infecções da pele — tais como ectima e foliculite;
  • Otite — inflamação do ouvido médio, interno ou externo (normalmente com infecção);
  • Clamídia — doença sexualmente transmissível que pode afetar homens e mulheres.

Basicamente, a Azitromicina atua impedindo que as bactérias sensíveis a ela produzam proteínas, que são a base do seu crescimento e reprodução. Com isso, neutralizando e matando o microorganismo.

Além disso, a medicação pode ser administrada por via oral ou intravenosa (ambiente hospitalar) e, de forma geral, seu uso é prescrito para no máximo 5 dias — diferente da maioria dos antibióticos, que geralmente são indicados para um período de 7 a 14 dias.

Vale destacar que esse remédio pode ser recomendado tanto para uso adulto quanto pediátrico (desde que seguindo as indicações da bula).

O que significa Azitromicina di-hidratada?

Durante o processo de formulação de um remédio, algumas moléculas sofrem “melhoramentos”. Esses são feitos com diferentes finalidades — para que a molécula seja absorvida mais rápido, ou metabolizada de forma mais lenta, etc.


No caso da Azitromicina, o fato de ser di-hidratada significa que, durante seu processo, a molécula dessa substância sofreu a adição de duas moléculas de água. Ou seja, foi hidratada duas vezes. Isso, a fim de que o medicamento tenha uma melhor ação no organismo.

É antibiótico?

Sim. A substância medicamentosa Azitromicina está registrada na ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e categorizada como macrolídeos (grupo de antimicrobianos) e similares. Isso significa que sua ação é local, age de forma direta no agente infeccioso.

Nesse sentido, vale destacar que os antibióticos são substâncias que inibem o crescimento e/ou destroem as bactérias. Dessa forma, são usados para controlar quadros infecciosos causados por esses microrganismos.

Inicialmente, os primeiros antibióticos descobertos eram produzidos a partir de fungos, como a penicilina. Atualmente, podem ser sintéticos ou semissintéticos.

Para que serve o antibiótico Azitromicina?

De acordo com a bula, a Azitromicina é indicada para o tratamento de infecções por organismos suscetíveis do trato respiratório inferior (incluindo bronquite e pneumonia), infecções da pele e tecidos moles, otite (infecção no ouvido) e infecções do trato respiratório superior (sinusite, faringite, etc).

Vale destacar que, com organismos suscetíveis, entende-se organismos (nesse caso, bactérias) que podem ser combatidos com essa substância.

Ainda, essa medicação pode ser indicada para o tratamento de infecções genitais não complicadas devido à Chlamydia trachomatis (bactéria responsável pela Clamídia) e Neisseria gonorrhoea (bactéria responsável pela Gonorreia), tanto para mulheres quanto homens.

Nesse sentido, também pode tratar a Cancroide (causada pela bactéria Haemophilus ducreyi). 

Essa doença caracteriza por uma infecção da pele ou das membranas mucosas genitais — causando pápulas, úlceras dolorosas e aumento dos linfonodos inguinais, provocando supuração.

Como tomar e qual a posologia?

Diferente da maioria dos antibióticos, que precisam ser administrados por períodos longos (chegando até 14 dias), a Azitromicina é habitualmente prescrita por no máximo 5 dias.

Isso porque uma dose de 1g dessa substância se mantém ativa no organismo por um tempo maior que a maioria dos antibióticos. De forma que é considerada um antibiótico de longa ação e lenta liberação.

De acordo com as indicações da bula, a Azitromicina deve ser tomada apenas uma vez ao dia, podendo ser feita a administração em jejum ou junto com a refeição.

Vale destacar que pode ocorrer do tratamento com essa medicação durar apenas um dia (dose única). Caso seja prolongado o período, o ideal é tomar o remédio sempre no mesmo horário — ou de acordo com especificações médicas.

Quanto à posologia, de forma geral, a bula indica que em caso de Clamídia deve ser administrada uma dose única de 1000mg (via oral). Para outras indicações com a formulação oral, a recomendação é de uma dose de 1500mg administrada em 3 doses diárias de 500mg, conforme orientação médica.

A administração do medicamento por via intravenosa (gotejamento na veia) possui recomendações diferentes e deve ser feita em ambiente hospitalar.

Populações especiais

Com relação a pacientes em condições específicas, a bula da Azitromicina indica que no geral não há diferenciação no tratamento. 

Sendo assim, idosos, pessoas com insuficiência renal (exceto casos graves) ou hepática (leve a moderada), podem tomar as mesmas doses prescritas habitualmente.

Além disso, com relação ao uso pediátrico, a bula indica que a dose máxima total para qualquer tratamento em crianças é de 1500mg. Destacando que a medicação apenas deve ser administrada em crianças com mais de 45kg.

Indicação

Como vimos em tópico anterior, a Azitromicina pode ser indicada para o tratamento de diferentes condições — desde problemas no trato respiratório até infecções nas regiões genitais.

Mas, a fim de esclarecer ainda mais, veja de forma específica situações em que essa medicação pode (ou não) ser recomendada pelo(a) médico(a):

Para garganta

A dor de garganta pode ter diferentes causas: mudança climática, uso excessivo de álcool, tabaco, etc. Porém, também pode ser ocasionada por uma infecção causada por bactérias — de forma que costuma aparecer como um sintoma.

Nesse sentido, a bula indica que a Azitromicina pode ser utilizada para tratar infecções no trato respiratório superior. Incluindo problemas como a faringite estreptocócica.

Essa doença se caracteriza pela dor e irritação na garganta, afetando a faringe. Geralmente apresenta sintomas como a dificuldade para engolir, febre e inchaço na região do pescoço.

Dessa forma, quando a dor de garganta ocorre devido à faringite (causada por bactéria) pode ser recomendado o uso da Azitromicina. Lembrando que é indispensável a indicação médica.

Para sinusite

Conforme mencionado em tópico anterior, a Azitromicina pode ser recomendada para o tratamento de sinusite — quando for do tipo bacteriana.

Essa condição afeta os seios da face (espaços ocos nos ossos da face ao redor do nariz) e costuma causar dor de cabeça e na face em geral, além de dor (ou pressão) ao redor do nariz.

De maneira geral, muitas vezes esse problema se origina após uma infecção viral, como um resfriado ou gripe. No tratamento, pode ser indicado inicialmente o uso de anti-inflamatórios e descongestionantes, antes da recomendação do antibiótico.

Sendo assim, é imprescindível buscar auxílio médico a fim de realizar o tratamento apropriado para seu caso.

Infecção urinária

A bula da Azitromicina não apresenta indicação para casos de infecção urinária. Porém, é recomendada para o tratamento de Clamídia e Gonorreia — doenças sexualmente transmissíveis.

Dentre os sintomas dessas doenças, algumas pessoas podem sentir dores ao urinar ou na região pélvica — semelhante aos sintomas da infecção urinária.

Entretanto, em muitos casos não ocorre a manifestação de nenhum sintoma. O que não é comum quando há infecção urinária, visto que as características dessa condição costumam aparecer logo.

Dessa forma, quando a pessoa manifesta um caso de Urtrite (dor ao urinar e secreção purulenta) associado à Clamídia ou Gonorreia, a Azitromicina pode ser indicada. Considerando que se trata de uma infecção bacteriana.

Já em casos de infecção urinária comum, essa medicação não é recomendada.

Assim, caso você esteja com algum desses sintomas, busque auxílio médico. Pois, o(a) profissional poderá realizar o diagnóstico correto e prescrever a medicação própria para seu caso.

Preço e onde comprar

A Azitromicina é uma medicação de uso controlado, de forma que só pode ser comprada com prescrição médica. 

Ela é comercializada em farmácias físicas e online. Porém, visto que é necessário reter uma via da receita na farmácia, quando comprada online, precisa ser retirada na loja física.

Nesse sentido, você pode utilizar o site Consulta Remédios, em que pode comparar o preço da medicação em diferentes estabelecimentos e optar pela melhor oferta em sua localidade.

Confira o preço* médio da Azitromicina em diferentes versões da medicação (genérico, similar e referência):

  • Astro (similar intercambiável) — é comercializado na caixa com 2, 3 ou 5 comprimidos de 500mg, variando entre R$10 e R$30. Já a versão injetável fica com valor próximo dos R$50;
  • Azitromicina Medley (genérico) — é comercializado na caixa com 2, 3 ou 5 comprimidos de 500mg, variando entre R$7 e R$40;
  • Zitromax (referência) — é comercializado na caixa com 2, 3 ou 5 comprimidos de 500mg, com o preço médio de R$30.

Quando a Azitromicina começa a fazer efeito?

De maneira geral, a Azitromicina (assim como outros antibióticos) começa a apresentar resultado nas primeiras 24 horas após a sua administração (via oral). Sendo assim, é nesse período que pode se iniciar o alívio dos sintomas.

Quando a administração da substância é feita por via intravenosa, consequentemente os resultados tendem a ser mais rápidos.

Além disso, vale destacar que após a sua ingestão, o tempo necessário para que a Azitromicina atinja seu pico concentração plasmática é de 2 a 3 horas. Isso significa que esse é o período em que ela atinge as concentrações necessárias para fazer efeito no organismo.

Entretanto, é importante ter em mente que dependendo do quadro, os sintomas podem demorar mais para se amenizarem. Isso porque a melhora só ocorre quando a carga bacteriana diminui.

Também tenha atenção ao fato de que, mesmo que os sintomas diminuam, não pare de tomar a Azitromicina. Complete o tratamento pelo tempo indicado pelo(a) médico(a).

Efeitos colaterais

O uso de qualquer medicação pode provocar efeitos colaterais. Considerando que alguns remédios tendem a causar mais reações e outros menos.

No caso da Azitromicina, a bula indica que a medicação é bem tolerada pelo organismo e que a incidência de reações adversas é muito baixa.

Ainda assim, a bula traz a informação de que em alguns casos isolados, obtidos através de estudos clínicos, houve complicações como: 

  • Distúrbios no ouvido e labirinto;
  • Distúrbios no sistema sanguíneo e linfático;
  • Problemas gastrointestinais — tais como anorexia, náusea, vômito, diarreia, desconforto abdominal, flatulência, entre outros.

Sendo assim, ao usar essa (ou qualquer outra medicação) é importante se atentar a qualquer alteração sem causa aparente. Caso isso aconteça, busque auxílio médico o quanto antes.

Azitromicina corta o efeito do anticoncepcional?

Não. Muitas mulheres que usam de métodos contraceptivos hormonais, como as pílulas anticoncepcionais, têm receio de tomar antibióticos e anular o efeito contraceptivo.

Alguns estudos demonstram que não há riscos em usar a Azitromicina em conjunto com métodos hormonais. Nesse sentido, comprovam que esse antibiótico não corta o efeito do anticoncepcional.

Em caso de dúvidas, sempre opte por buscar e seguir as orientações médicas.

Azitromicina e álcool: quanto tempo depois de tomar o remédio pode beber?

A bula da Azitromicina não apresenta indicações quanto a interação com o álcool. Entretanto, nunca é recomendado misturar bebidas alcoólicas com o uso de antibióticos. Isso considerando que podem ocorrer efeitos adversos (gástrico, hepático, etc).

Pensando na eliminação total do fármaco (substância medicamentosa), o ideal é esperar 7 dias após terminar o tratamento com a Azitromicina. 

Esperar esse período é importante pois a meia-vida (quando a concentração da medicação chega a metade) da Azitromicina é de 4 dias. Sendo assim, como a ingestão do etanol leva a redução da concentração do antibiótico no sangue, é ideal aguardar esse tempo para manter a eficácia no tratamento.

Precisa de receita?

Sim. A Azitromicina, assim como qualquer antibiótico, é de uso controlado. Nesse sentido, a própria bula da medicação adverte que é necessária receita branca em 2 vias — uma fica com o(a) paciente e outra retida pela farmácia.

Vale destacar que, independente do remédio ser de uso controlado ou não, a automedicação nunca é recomendada. Sendo assim, busque sempre um(a) médico(a) a fim de receber o diagnóstico correto e realizar um tratamento seguro.

É remédio de uso infantil?

Sim. A Azitromicina é um antibiótico que pode ter indicação pediátrica, desde que seguindo as recomendações estipuladas na bula.

Dessa forma, deve-se manter a dose máxima total para qualquer tratamento em crianças como sendo de 1500mg. A bula também adverte que a administração desse remédio só deve ser feita em pacientes acima de 45kg.

Vale destacar que, assim como no uso adulto, a posologia e tempo de uso da medicação variam conforme a condição a ser tratada. Sendo que, nesse caso, seguir as recomendações médicas é ainda mais importante.

Azitromicina causa resistência bacteriana?

Toda e qualquer medicação só deve ser utilizada de acordo com a prescrição médica. Porém, quando se trata de antibióticos, esse cuidado deve ser ainda maior.

Isso porque ao não respeitar as indicações do(a) médico(a), você está colocando seu organismo em risco e aumenta as chances de causar resistência bacteriana. Ou seja, devido ao uso incorreto, o antibiótico poderá não fazer efeito se for necessário em outra oportunidade.

Dessa forma, não pratique a automedicação e nem abandone o tratamento antes do tempo indicado pelo(a) profissional. Pois esses fatores podem sim levar seu organismo à resistência bacteriana.


Ao utilizar qualquer tipo de medicação é importante tomar cuidado e seguir prescrições médicas. Sobretudo no caso de antibióticos, considerando que o uso indevido poderia (dentre outros problemas) deixar o organismo mais suscetível à ação de bactérias.

Então, busque sempre orientação de um(a) médico(a) ao aparecimento de qualquer sintoma.

Continue acompanhando o Minuto Saudável para mais informações sobre saúde!


Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.