Tribulus Terrestris: para que serve, como tomar, preço, onde comprar

2

Recentemente, o uso de plantas e seus benefícios naturais para a saúde tem sido bastante recorrido, inclusive pelas empresas de suplementos, que formulam mix de fitoterápicos, desenvolvem produtos com extratos concentrados de plantas e fornecem produtos que usam princípios ativos naturais.

Considerada uma erva daninha, não é de hoje que o Tribulus terrestris é usado na obtenção de benefícios ao corpo e à saúde.

Há indícios de que a planta era utilizada já na Grécia antiga como laxante e regulador intestinal e na China os usos eram destinados à redução da dor e melhoria do sistema cardiovascular.

Na Índia, a planta era empregada com fins afrodisíacos e na Europa a sua fama se disseminou como alternativa para a impotência sexual, sendo um viagra natural.

Essas propriedades foram atribuídas à plana há décadas e atualmente são estudadas e debatidas.

Além disso, fala-se sobre a participação do Tribulus terrestris no aumento da massa magra, na redução de peso, na melhora dos sinais de menopausa, elevação da testosterona e melhoria do desejo sexual.

Mas os estudos científicos ainda são escassos e controversos, fazendo com que a planta mantenha grande parte das suas propriedades baseadas na crença popular.

Índice – neste artigo você vai encontrar as seguintes informações:

  1. O que é Tribulus terrestris?
  2. Propriedades
  3. Benefícios para o organismo
  4. Usos terapêuticos tradicionais
  5. Tipos
  6. Quem deve tomar?
  7. Como e quanto tomar?
  8. Como preparar o chá de Tribulus terrestris?
  9. Efeitos colaterais
  10. Contraindicações
  11. Interações medicamentosas
  12. Preço e onde encontrar
  13. Perguntas frequentes

O que é Tribulus terrestris?

O Tribulus terrestris é um fitoterápico proveniente da planta da família Zygophyllaceae, mais especificamente um arbusto encontrado em diversas regiões do mundo.

Tribulus é uma das poucas plantas que se popularizou comercialmente com seu nome botânico. Apesar disso, é possível encontrá-la denominada também de videira da punctura, abrolhos, cruz de malta ou abre-os-olhos.

As origens ainda são incertas, mas a maioria dos pesquisadores sugere que a planta veio da Ásia, Índia e China, regiões onde o seu consumo hoje é bastante popular.

Predominante em regiões quentes, a tribulus é considerada uma erva daninha ou uma planta invasora, o que pode soar estranho, logo que é utilizada para fins terapêuticos, destacando os usos para regulação hormonal e afrodisíaca e, mais recentemente, para a hipertrofia (aumento de massa magra).

Mas, na verdade, ervas daninhas são quaisquer plantas que nasçam espontaneamente, em locais diversos, geralmente prejudicando o crescimento ou plantio de outras espécies. Estradas, pastagens e solos diversos são locais que a tribulus pode aparecer sem grandes dificuldades de se desenvolver.

A tribulus é uma planta herbácea ou seja, é caracterizada pelo caule flexível ou não-lenhoso, geralmente inferior a 1 metro, podendo ser chamada de erva também. Possui um grande número de espinhos e seus frutos são arredondados e com aparência espinhosa.

As folhas são geralmente pequenas e formam pares, entre 5 e 8 duplas. As flores amareladas são também pequenas, apresentando cerca de 4 pétalas. Os seus frutos são duros, secos e afiados.

Mesmo com sua aparência delicada e cores vivas, a flor é pouco usada para ornamentar jardins ou ambientes internos, mas servindo como decoração de paisagens devido ao seu crescimento espontâneo.

O chá é consumido há tempos, mas atualmente é possível encontrar o extrato da planta em versão em pó e em cápsulas. Assim como as demais plantas aptas ao consumo, o Tribulus terrestris fornece ao organismo uma série de fitoquímicos, que são substância benéficas à saúde e presentes somente em plantas.

Propriedades

Estudos sobre as propriedades da Tribulus terrestris apontam que a planta possui algumas substâncias que podem ser benéficas ou funcionais ao organismo.

Apesar de escassos, os resultados indicam que um dos componentes mais responsáveis pela ação da planta é a saponina, mas também há outras substâncias como os flavonoides e até cálcio.

Como é um produto natural, sua composição pode variar de acordo com o local de cultivo, origem da muda e desenvolvimento (solo e temperatura). Abaixo você conhece um pouco sobre algumas possíveis propriedades da planta e suas ações no organismo:

Saponinas

Saponinas são substâncias presentes nas plantas e são caracterizadas pela capacidade de produzir espuma.

Quando os elementos estão sendo identificados, ao chacoalhar a saponina em um recipiente com água, é possível notar a formação de bolhas, quase como um detergente. É essa a origem de seu nome: sapo = sabão.

As saponinas no Tribulus terrestris agem como um mecanismo de defesa, atuando como substância fitoprotetora contra o ataque fúngico, bacteriano e até de agentes predadores.

Além disso, elas são bastante empregadas em produtos com fins expectorantes e laxativos, sendo que alguns pesquisadores atribuem essa ação à capacidade que as saponinas têm de irritar as mucosas do corpo humano. No entanto, ainda é debatido como ocorrem esses  mecanismos de ação.

Há ainda a ação relacionada ao estímulo hormonal, em que as substâncias são atribuídas ao estímulo do LH (hormônio luteinizante). Nos homens, o LH está diretamente relacionado com a produção de espermatozóides, já na mulher, ele se relaciona com o período fértil, atuando como um estimulador para o amadurecimento dos folículos.

De modo resumido, pode-se dizer que quanto maior a concentração de LH no organismo da mulher, maiores são as chances de ovulação. Do mesmo modo, o LH nos homens favorece a melhor quantidade e qualidade de espermatozóides.

Ou seja, em ambos os sexos, o hormônio é ideal para quem está querendo aumentar as chances de engravidar.

Estudos realizados com a planta tribulus indicam que, no extrato utilizado durante a pesquisa, encontrou-se cerca de 45% do produto composto com por uma saponina específica, a protodioscina (PTN).

Em geral, esse é o tipo de saponina mais atribuído aos efeitos funcionais da planta.

Outros alimentos fontes de saponinas são aveia, pimentas, berinjela, semente de tomate, aspargos, inhame, feno-grego e ginseng, por exemplo.

Flavonoides

Os flavonoides são elementos que dão cor às plantas e, em geral, desempenham ações funcionais no organismo, entre elas, a ação antioxidante, anti-inflamatória e analgésica.

Apesar de não ser uma das propriedades mais buscadas por quem consome o tribulus, os flavonoides presentes no extrato da planta podem auxiliar no reforço da imunidade, sendo usada há décadas como produto tópico (as folhas são amassadas e aplicadas sobre alergias e ferimentos, evitando infecções e otimizando a cicatrização).

Alcaloides

Os alcaloides são substâncias majoritariamente derivadas das plantas, ainda que possam ser derivadas também de fungos, bactérias e animais.

As funções são diversas e dependem do tipo de alcaloide, mas são atribuição ações anti-inflamatórias, estimulantes cardíacas e respiratórias, anestésicas e fortalecedor da imunidade.

Tanino

O Tribulus terrestris contém tanino, uma substância naturalmente presente em estruturas vegetais como sementes, caules e cascas de frutos verdes.

Para a saúde, a substância pode atuar na parede arterial, reduzindo os riscos de colesterol alto e minimizando o envelhecimento celular.

Além disso, o tanino é um dos elementos bastante presentes em vinhos, responsável por atribuir um toque mais seco e encorpado à bebida. Por isso há, entre alguns estudos para a saúde do coração, a recomendação de ingerir um pequena taça de vinho todos os dias.

Cálcio, ferro e fósforo

O cálcio, o ferro e o fósforo são nutrientes necessários para o bom funcionamento do organismo e devem estar presentes na alimentação.

A ingestão adequada dessas substâncias garante mais saúde aos ossos, evitando o desgaste do tecido, melhora as funções de absorção de outros nutrientes, além de evitar anemias e sintomas decorrentes, como fadiga, cansaço, dificuldade de respirar e redução de apetite.

Benefícios para o organismo

O consumo de Tribulus terrestris é recorrido há muitos anos sobretudo devido às suas propriedades afrodisíacas e estimulantes da sexualidade. No entanto, estudos recentes apontam outras capacidade funcional da planta.

Algumas das mais buscas e pesquisas atualmente são:

Taxas de testosterona

Um dos benefícios mais atribuído ao Tribulus terrestris se refere ao aumento da testosterona, tanto em homens quanto em mulheres.

Estudos e pesquisadores indicam que a substância capaz de promover esse aumento hormonal ainda não é bem definida, mas estima-se que sejam as saponinas as responsáveis.

Nesse caso, planta agiria como um estimulante à produção natural da testosterona através da regulação do hormônio luteinizante (LH).

As pesquisas sobre o desempenho hormonal são bem inconclusivas e contraditórias. O primeiro ponto a ser considerado é que a grande maioria dos dados se refere a pesquisas em animais e são escassos e limitados os resultados obtidos em humanos.

Um estudo publicado no periódico Atlas de Estudo Urológicos Espanhol, em 2014, aponta que não houve mudanças significativas nas taxas de testosterona ou da potência sexual dos participantes.

A pesquisa selecionou 30 homens que apresentavam disfunção erétil, mas que não tivessem doenças associadas. Metade dos participante recebeu doses de placebo, enquanto outra metade recebeu 800mg de Tribulus terrestris durante 30 dias.

Segundo os resultados, não houve mudanças nas concentrações hormonais entre o início e o fim do estudo. Além disso, as taxas de testosterona foram semelhantes entre o grupo que recebeu o extrato da planta e o grupo controle.

Diurético

Por conter quantidades de nitrato e sais de potássio, sobretudo nos frutos e sementes, o tribulus podem desempenhar ação diurética semelhante à substância furosemida.

Redução de colesterol e triglicerídeos

Estudos conduzidos com ratos apontam que o tribulus podem ter ação benéfica para a redução do colesterol e triglicerídeos, fazendo com que o HDL, que é o colesterol bom, seja aumentado, enquanto o LDL, colesterol ruim, seja reduzido no sangue.

Melhora da ereção e da libido

Estudos com animais indicam que possa haver uma aceleração dos estímulos sexuais. Nas avaliações, os animais que ingeriram a planta tiveram relações sexuais mais cedo do que os ratos que receberam placebo (grupo de controle).

Além disso, o tempo de relação sexual foi mais longo e, mesmo iniciando as relações alguns dias antes que o grupo de controle, os animais que receberam a planta mantiveram os atos sexuais pelo mesmo tempo.

Imunidade

Indica-se que o extrato de tribulus pode melhorar a imunidade, tendo ação anti-inflamatória também.

Os flavonoides presentes na planta podem auxiliar o organismo a combater infecções e agentes externos, melhorando as respostas imunes. Além disso, pode haver uma redução na percepção e recepção da dor, pois a tribulus pode ter ação anestésica.

Resistência e desempenho físico

Devido à possível melhora muscular e aumento de testosterona, o consumo de Tribulus terrestris podem dar mais resistência física.

O consumo associado às atividades físicas pode, então, melhorar o desempenho esportivo, favorecendo o condicionamento, reduzindo a fadiga muscular, promovendo a força física e, consequentemente, resultando numa melhor performance durantes os exercícios intensos.

Aumento da massa muscular

Devido ao estímulo da produção de testosterona, o Tribulus terrestris pode atuar no aumento da massa muscular e definição física. Apesar de não haver um estímulo direto ao tecido magro, a ingestão da planta favorece a força e resistência física, melhorando o ganho muscular tanto em homens quanto em mulheres.

Em geral, homens possuem maior facilidade de ganhar músculos devido às concentração de testosterona mais elevadas. Assim, a tribulus, ao promover a produção hormonal, favorece os praticantes de atividades físicas no desempenho físico e esportivo.

No entanto, há estudos realizados indicando que a ingestão de tribulus não impactou nos níveis de testosterona ou da massa muscular.

Uma pesquisa realizada em 2008 e publicada na Revista Internacional de Estudos Forenses aponta que não houve mudanças significativas a curto prazo nas taxas hormonais dos grupos de atletas que ingeriram Tribulus terrestris.

Redução das taxas de gordura

Indiretamente, a ingestão de tribulus pode favorecer a redução das taxas de gordura corporal.

Se associada a exercícios físicos aeróbicos e de força, a planta pode melhorar o percentual de massa magra, fazendo com que o organismo gaste naturalmente mais energia para manter o equilíbrio energético do corpo.

Ou seja, há maiores gastos de caloria para manter as funções orgânicas e fazendo com que a gordura seja queimada com mais facilidade sobretudo durante os exercícios intensos.

Aumenta libido

Uma das propriedades mais atribuídas ao tribulus é o aumento da libido, seja atualmente ou nos usos tradicionais.

Distúrbios sexuais devido à baixa libido podem ser tratados com a reposição de testosterona tanto em homens quanto em mulheres.

Como o tribulus podem desempenhar um estímulo natural à produção hormonal, a suplementação ou ingestão da planta pode ter efeitos na saúde sexual, aumentando a libido, o interesse sexual e resultando numa melhor performance da vida íntima.

Um estudo publicado em 2012 no periódico Jornal de Farmacologia e Farmacologistas sugere que o uso terapêutico de Tribulus terrestris como um estimulante leve pode ter ações positivas.

No estudo, foram observados comportamentos sexuais mais acentuados nos animais testados, onde os ratos analisados tiveram mais relações sexuais e cada relação durou mais tempo.

Portanto, os problemas de disfunção erétil e desinteresse sexual podem ser amenizados com a ingestão diária do extrato da planta.

Menopausa

Com a chegada da menopausa, uma série de mudanças significativas no organismo e no bem-estar da mulher podem ocorrer. O período é demarcado pela ausência de menstruação, pois não há mais evolução, apontando o encerramento do período de reprodução.

Além da ausência de menstruação, a menopausa é, em geral, acompanhada de sintomas que tendem a ser incômodos ou desconfortáveis para grande parte das mulheres, como ondas de calor, suores noturnos, depressão, ressecamento vaginal, queda do desejo sexual, fadigas e até elevação de riscos cardíacos.

A reposição hormonal é um dos recursos empregados para aliviar os sintomas advindos da menopausa. Assim, indica-se que a utilização do Tribulus terrestris possa ter ação benéfica na estabilização hormonal da mulher, sobretudo após a finalização da fase reprodutiva.

Apesar da testosterona ser nomeada como um hormônio sexual masculino, isso se dá porque sua concentração pode ser até 30 vezes maior em homens. Mas ele está presente no organismo feminino também, tendo importantes funções na disposição física, na memória, no ganho de massa magra e na saúde do coração, por exemplo.

Mas, novamente, os estudos são controversos e imprecisos.

Um estudo conduzido em 2012, em São Paulo, com 90 mulheres com disfunção sexual após a menopausa aponta que os resultados após 3 meses do uso de 750mg de Tribulus terrestris diariamente são positivos, e demonstram melhorias nos aspectos de libido.

No entanto, uma pesquisa publicada na Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, em 2016, aponta que não houve mudanças significativas na percepção quanto aos sintomas de menopausa e desejo sexual em mulheres acima de 60 anos.

Diabetes

O Tribulus terrestris pode ter efeito benéfico também no controle glicêmico, pois a planta pode inibir a ação da amilase e da glicosidase, reduzindo a absorção de açúcares e, por consequência, auxiliando no equilíbrio da glicemia após a alimentação.

Um estudo de revisão sobre a ação terapêutica da substância aponta que avaliações feitas em ratos, na China, resultou na redução da glicemia de 26% e 40% em animais sem e com diabetes, respectivamente.

Sistema urinário

A planta pode auxiliar no fortalecimento da musculatura do períneo e do sistema urinário em geral. Com o aumento do tônus muscular, os escapes de urina são minimizados e pessoas com incontinência urinária devido à redução da força muscular podem ser beneficiadas.

Além disso, um estudo realizado em 2010 e publicado na revista médica Jornal Internacional de Urologia, aponta que o uso de Tribulus terrestris pode reduzir a formação de cristais de cálcio nos rins, agindo como um produto protetor e preventivo na funcionalidade renal.

Hipertensão

O tribulus pode atuar na constrição dos vasos sanguíneos, reduzindo a pressão necessária para a circulação de sangue e, por consequência, reduzindo a pressão sanguínea.

Estudos que indicam a ação diurética da planta também apontam que, como consequência da semelhança à furosemida, pode haver uma redução da pressão arterial sanguínea.

Usos terapêuticos tradicionais

A planta Tribulus terrestris é usada há muitos anos como parte dos recursos terapêuticos tradicionais de diversos povos.

Na medicina Ayurvédica, originada na Índia, há indícios de que o tribulus é empregado há cerca de 3 mil anos para o tratamento de cálculos renais, melhora da produção de urina e sêmen, além dos usos afrodisíacos.

Na medicina chinesa, há aproximadamente 400 anos a erva é empregada com anestésico para dores de cabeça, vertigens, lesões de pele, urticárias, impotência sexual, dores lombares, além de irritações e dores oculares.

Além disso, ainda se emprega a planta como adstringente e anti bacteriano, sobretudo para o sistema urinário.

Tipos

A substância Tribulus terrestris já é consumida há séculos por diversos povos. Antes, a planta se restringia à comercialização das folhas secas ou desidratadas para a preparação de chá, mas atualmente é possível encontrá-la nas seguintes apresentações:

  • Folhas e flores desidratadas levemente trituradas para preparar chá;
  • Folhas e flores trituradas em pó;
  • Suplementos em cápsulas;
  • Extrato líquido concentrado (também chamado de tintura).

Os fabricantes indicam a concentração de saponinas presente em cada produto processado, mas as folhas desidratadas normalmente possuem maiores concentrações, pois as propriedades são melhor mantidas.

No entanto, os suplementos (produto em cápsulas) podem ter altas doses de saponinas e outras propriedades devido aos processos de industrialização e produção que empregam técnicas para preservar as características da erva.

Além disso, os suplementos ainda podem atribuir outras substâncias ao tribulus, como cafeína, estimulantes, energéticos ou nutrientes. Por isso, é preciso observar as embalagens e rótulos, lendo atentamente as indicações do fabricante.

Quem deve tomar?

Não há uma indicação restrita de quem deve usar o Tribulus terrestris. Em geral, a planta é buscada por homens e mulheres que desejam melhorar a libido, elevar o desempenho sexual e, mais recentemente, se popularizou também entre praticantes de musculação para elevar os ganhos de massa magra.

É possível que adultos jovens do sexo masculino não se beneficiem do consumo da planta para elevar as taxas de testosterona, logo que entre 18 e 30 anos a produção hormonal é bastante alta e o consumo pode não gerar grandes ações orgânicas.

Do mesmo modo, acima dos 65 anos, a suplementação de testosterona pode não ser tão efetiva com a planta, logo que a redução hormonal, nessa faixa etária, é bastante significativa, advinda da idade e mudanças orgânicas.

Nesses casos ou em condições patológicas, a queda hormonal deve ser tratada com o acompanhamento médico.

Como e quanto tomar?

Os extratos secos, com aproximadamente 70% de saponinas, recomendam a dosagem entre 85mg e 250mg, 3 vezes ao dia. Mas há indicações de doses mais elevadas, podendo chegar à 2g ao dia quando as concentrações forem menores.

Estudos conduzidos sobre a ação na libido em mulheres utilizou a quantidade de 750mg dividida em 3 dosagens ao dia (3 comprimidos de 250mg).

Quanto aos horários, a recomendação é, em geral, fracionar o consumo, distribuindo a ingestão ao longo do dia (2 ou 3 vezes, cerca de 45 minutos antes das principais refeições). Mas também é possível concentrar a ingestão em uma única dosagem próximo à janta ou à hora de dormir, sobretudo se o objetivo é melhorar o desempenho sexual.

Para o chá, a recomendação é de aproximadamente 1 colher de folhas picadas para cada xícara de água (200mL), nas porções de 3 ou 4 xícaras por dia.

Mas é importante lembrar que a dosagem ideal deve ser estabelecida por um profissional de saúde, considerando os objetivos e as características de cada pessoa.

Para as versões em cápsulas ou em comprimidos, deve-se seguir as recomendações da bula ou da embalagem, obedecendo as dosagens e horários indicados. Em geral, é recomendado ingerir um comprimido a cada 8 horas, ou 3 vezes ao dia, com água.

Como preparar o chá de Tribulus terrestris?

Ao adquirir a planta ou o extrato seco do Tribulus terrestris, você pode preparar a bebida antes de ingerir ou fazer uma quantidade maior e armazenar em geladeira para beber no mesmo dia.

Para isso, leve a água ao fogo e deixe ferver. Desligue o fogo e acrescente 1 colher da planta seca para cada 200mL de água adicionada. Ou seja, se for preparar apenas 1 xícara, adicione aproximadamente 10g da planta, se for preparar 1 litro, adicione 50g.

Após colocar as flores e folhas secas, tampe o recipiente e deixe em infusão entre 3 e 5 minutos. Basta coar, beber ou guardar na geladeira.

Efeitos colaterais

Alguns efeitos colaterais podem surgir com o consumo. Entre eles:

  • Insônia;
  • Agitação;
  • Dificuldade de concentração;
  • Gases;
  • Distensão abdominal;
  • Aumento da oleosidade da pele e surgimento de acnes;
  • Dor de cabeça;
  • Irritabilidade.

Há relatos de pessoas que sofreram intoxicação com tribulus, mesmo ingerindo nas dosagens recomendadas.

Ainda que a planta seja considerada segura se respeitado o limite diário de consumo, pessoas com predisposição, podem sofrer com a toxicidade ou efeitos adversos severos, como a intoxicação dos rins e a consequente disfunção dos órgãos.

Também há estudos que indicam que o consumo excessivo pode causar mutações genéticas, favorecendo o câncer.

Além disso, é possível que o uso de tribulus possa causar ginecomastia, que o desenvolvimento de mamas em homens.

Os produtos encapsulados também podem causar enjoos e dores de estômago devido aos excedentes (substâncias adicionadas ao produto para dar cor, textura ou consistência) ou às gelatinas utilizadas na cápsula.

Caso haja problemas gástricos, eles podem ser decorrentes da marca ou fabricante e podem ser solucionados trocando o produto industrializado pelo chá (natural).

É possível que os sintomas sejam decorrentes de dosagens altas ou sensibilidade à planta ou algum componente específico do tribulus. Ao notar qualquer desconforto ou sintoma, é necessários descontinuar a ingestão.

Contraindicações

Pacientes com hipertensão, diabetes ou com alterações cardíacas de qualquer origem não são recomendados a fazer o consumo do Tribulus terrestris sem conhecimento médico.

Grávidas, lactantes e crianças são desaconselhados ao uso. Durante a gravidez, a planta pode elevar o risco de malformação fetal.

Pacientes com hiperplasia benigna de próstata não devem fazer a ingestão sem o conhecimento ou indicação expressa o médico.

Pessoas que apresentam doenças ou disfunções hepáticas ou renais também devem sempre consultar um especialista e consumir apenas sob orientação médica.

Além disso, pacientes com doenças crônicas, em tratamento contínuo ou pontual de qualquer doença ou condição devem sempre conversar com seus médicos antes de iniciar o consumo de qualquer substância.

Pessoas com pele oleosa, em tratamento para a acne e com excesso de pelos devem ter atenção ao uso, pois pode haver acentuação dos quadros.

Interações medicamentosas

O Tribulus terrestris também pode interferir no uso de medicamentos de uso contínuo ou pontual, aumentando ou inibindo a ação. Por isso, converse sempre com o seu médico antes de iniciar o uso da planta.

Algumas substâncias capazes de agir com a planta são:

Pacientes que usam medicamentos anti-glicêmicos, como glibenclamida, pioglitazona, clorpropamida e insulina injetável podem sofrer com o aumento da ação medicamentosa.

O uso de medicações para hipertensão pode ter a ação acentuada, provocando a redução exagerada de pressão, mal-estar, tonturas e desmaios.

Leia mais: Confira a bula do Tribulus terrestris.

Preço e onde encontrar

O Tribulus terrestris pode ser encontrado em farmácias, lojas de suplementos e lojas de produtos naturais, dependendo da apresentação do produtos.

Em farmácias, o tribulus pode ser encontrado em comprimidos. Entre os medicamentos que utilizam a planta como princípio ativo estão o Androsten e o Androsten Uno, com 94mg e 208mg e preços médios a partir de R$ 74 e R$ 104, respectivamente.

O extrato seco ou desidratado da planta para preparar o chá pode ser encontrado em casas de produtos naturais, geralmente a granel ou em embalagens de 500g.

Para essas apresentações, o armazenamento deve ser feito em local seco, sem odores fortes e protegido do sol, com a embalagem bem fechada, para que a erva mantenha suas propriedades.

A versão líquida, também chamada de tinta, é geralmente encontrada também em lojas de produtos naturais, em embalagens de 100mL e com preços médios de R$ 60.

Em lojas de suplementos, é possível encontrar produtos com o extrato do Tribulus terrestris em cápsula ou em pó, com preços médios a partir de R$60.

Perguntas frequentes

Tribulus terrestris engorda?

A planta é utilizada como estimulador hormonal, sendo que muitas pessoas que buscam aumentar a massa magra recorrem aos suplementos com extrato do tribulus. Porém, os efeitos relacionados ao aumento da testosterona ainda são incertos e contraditórios.

Por isso, a princípio, o consumo pode ter um efeito no aumento de massa magra, desde que associado aos exercícios de força. Não há relatos que o uso do tribulus tenha provocado ganho de peso devido à gordura.

Tribulus terrestris pode ser usado por mulheres?

Sim. Ainda que haja um indicativo que a planta eleve a testosterona, a utilização do tribulus não tem demonstrado um aumento prejudicial do hormônio. Em geral, os estudos que apontam a elevação de testosterona sugerem que a quantidade hormonal é bem aceita pelos participantes avaliados, aumentando a libido e o desempenho sexual.

Nas mulheres, o extrato é empregado também para amenizar os sintomas da menopausa e queda hormonal. No entanto, ressalta-se que podem haver aumento da oleosidade da pele e aumento da quantidade de pelos corporais.

Quem amamenta pode tomar tribulus?

Não. Mulheres que estão amamentando não devem consumir o tribulus, pois a alimentação da mãe interfere na composição do leite materno e pode causar danos à saúde e desenvolvimento do bebê.

Qual a dosagem diária de tribulus para a musculação?

Não há uma dosagem específica, mas os fabricantes sugerem que seja ingerida uma dose diária entre 500mg e 2000mg, dependendo das concentrações do produto e dos objetivos de cada pessoa. A dosagem ideal deve ser estipulada por um profissional de saúde ou nutrição.


A utilização de produtos naturais como suplementos tem sido bastante comum atualmente. Esse movimento tem gerado maior interesse da indústria e dos pesquisadores em estudar e aplicar as propriedades naturais também em suplementos.

Ainda que sejam escassas e contraditórias as pesquisas sobre o Tribulus terrestris, a planta tem despertado o interesse de pessoas e fabricantes, com possíveis resultados benéficos.

Para saber mais sobre alimentação e suplementos naturais, acompanhe o Minuto Saudável!

Fontes consultadas

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (17 votos, média: 4,71 de 5)
Loading...

2 Comentários

Atenção: os comentários abaixo são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Deixe o seu comentário, nos preocupamos com sua opinião:

Por gentileza, escreva seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui

Lamentamos a não possibilidade de dar-lhe conselho médico ou responder a questões médicas e farmacêuticas individuais através de e-mail, pois apenas um médico pode prestar tal atendimento. Embora tentemos responder a todos os comentários, opiniões e e-mails que recebemos em até dois dias úteis, nem sempre é possível devido ao grande volume que recebemos. Por favor, tenha em mente que qualquer solicitação ao Minuto Saudável está sujeita aos nossos Termos de Uso e Política de Privacidade, ao enviar, você indica sua aceitação.