O que é Desnutrição, causas, tipos, sintomas, em crianças

3

O que é desnutrição?

Desnutrição é a falta de nutrientes no corpo. Esses nutrientes podem ser específicos, como ferro ou zinco, ou inespecíficos, como a falta de calorias. Esta doença é responsável por ⅓ das mortes infantis de cada ano.

Entre as mais comuns faltas de nutrientes estão a glicose, proteínas, ferro, iodo e deficiência de vitamina A. Algumas dessas são comuns durante a gravidez.

A desnutrição pode causar diversos problemas de crescimento, neurológicos, psicológicos e, até mesmo, levar à morte. É especialmente comum em países sub-desenvolvidos, mas qualquer um em qualquer lugar pode ficar desnutrido. Mesmo pessoas que parecem gordinhas podem sofrer com a falta de nutrientes em seu corpo.

Índice – neste artigo você encontrará as seguintes informações:

  1. O que é desnutrição?
  2. Tipos
  3. Desnutrição e obesidade
  4. Causas
  5. Fatores de risco
  6. Sintomas
  7. Como é feito o diagnóstico da desnutrição?
  8. Desnutrição na gravidez
  9. Desnutrição tem cura?
  10. Qual é o tratamento para desnutrição?
  11. Medicamentos para desnutrição
  12. Prognóstico
  13. Complicações
  14. Como prevenir a desnutrição?
  15. Dicas para aproveitar melhor os nutrientes

Tipos

A desnutrição pode ser dividida em leve, moderada ou grave e possui três tipos diferentes, com a divisão sendo baseada no tipo de nutriente que falta no corpo. São eles:

Marasmo

Também conhecida como desnutrição seca, este tipo de desnutrição é caracterizada pela falta de fontes de energia. Sem glicose, o corpo não funciona corretamente.

Se existe falta de carboidratos e lipídios — que são usados para a produção de glicose — na dieta e não há reserva de gordura, o corpo entra na desnutrição seca, sentindo graves faltas de energia, mesmo que outros tipos de alimentos sejam ingeridos.

Quando o marasmo alcança seus extremos, diz-se que o paciente está em inanição.

Kwashiorkor

Conhecida como desnutrição molhada, esta doença acontece quando existe a falta de proteínas e vitaminas no corpo.

PUBLICIDADE

O nome surgiu de um idioma de Gana, e significa “Doença do filho mais velho”, pois quando outro bebê nascia, a primeira criança era desmamada e alimentada principalmente com carboidratos. Assim, existia energia, porém faltavam nutrientes e vitaminas.

Marasmo-Kwashiorkor

Chamada também de desnutrição mista, este tipo de desnutrição é uma versão em que tanto proteínas e vitaminas quanto fontes de energia como carboidratos e lipídios estão em falta no organismo, deixando-o completamente sem nutrientes.

É muito comum em situações de fome extrema, já que nenhum nutriente pode ser recebido pelo corpo se não há comida.

Classificações

É possível dividir a desnutrição em duas classificações.

Desnutrição primária

Desnutrição primária é causada por dieta inadequada, sendo uma desnutrição cuja única causa é a falta de nutrientes na alimentação.

Desnutrição secundária

A versão secundária é causada por alguma coisa externa à alimentação, como parasitas e doenças que deixam o corpo com dificuldade de absorção dos nutrientes.

Desnutrição e obesidade

Apesar de parecer que a desnutrição e o excesso de peso são opostos, isso não é verdade. É possível haver desnutrição e obesidade ao mesmo tempo. Nesse caso, o marasmo não é possível, mas o kwashiorkor é.

Hábitos alimentares que envolvem altas quantidades calóricas mas sem nutrientes adequados podem levar a essa condição. Se uma pessoa bebe muito refrigerante, come apenas frituras, massas, pães, tudo isso em grande quantidade e sem nenhum exercício, o peso aumenta pois a quantidade calórica ingerida é enorme.

Junto disso, a pessoa, não comendo alimentos necessários como frutas e verduras, alimentos saudáveis e nutritivos, terá falta nutricional. Será obesa, mas desnutrida.

Alimentação é um assunto sério e deve ser observada para melhorar e manter a saúde. A nutrição deve ser observada em qualquer faixa de peso.

Causas

Diversas situações podem causar a desnutrição. São elas:

Distúrbios alimentares

Anorexia nervosa, bulimia nervosa e ortorexia são alguns dos distúrbios alimentares que podem causar desnutrição. Elas levam a pessoa a reduzir sua alimentação e às vezes até parar com ela por completo, causando falta grave de nutrientes.

Dieta sem nutrientes

Não são apenas pessoas que comem pouco que podem ficar desnutridas. Uma alimentação completamente voltada para carboidratos como pães, massas, refrigerantes, salgadinhos, pode deixar uma pessoa gorda e desnutrida ao mesmo tempo.

A kwashiorkor afeta essas pessoas, que mesmo com grandes reservas energéticas, ficam sem proteínas e vitaminas.

Parasitas

Vermes como a Taenia solium, a solitária, podem causar anemia e desnutrição. Outro verme que tem essa capacidade é a Ascaris lumbricoides, conhecida como lombriga.

Estes parasitas diminuem a absorção nutricional do hospedeiro e podem fazer com que eles fiquem desnutridos dependendo do tamanho da infecção e da nutrição da pessoa.

Gastroenterite

Gastroenterite é uma inflamação e infecção do trato gastrointestinal. A doença pode dificultar absorção de nutrientes e causar desnutrição secundária, mesmo que haja alimentação por parte do paciente. É necessário que haja tratamento para que os problemas nutricionais sejam resolvidos.

Alergias

Alergias a certos alimentos podem causar problemas gastrointestinais e impedir a absorção de nutrientes.

Diarreia

A diarreia faz com que o corpo não possa absorver nutrientes. Se sua causa não for tratada, ela pode levar o paciente a perder nutrientes demais e entrar em desnutrição.

Câncer

Diversos tipos de câncer, especialmente no estágio terminal, causam um tipo severo de desnutrição chamado de caquexia. O metabolismo do corpo é modificado pelo tumor e os músculos e reservas de gordura são consumidas rapidamente.

Somado a isso, os tratamentos para câncer podem causar diarreias e vômitos, além de aftas que dificultam a alimentação.

Infelizmente, a caquexia não pode ser revertida através da alimentação e pode chegar ao ponto de o paciente precisar receber os nutrientes diretamente na veia. A caquexia é responsável por mais de 20% das mortes por câncer.

Fatores de risco

Alguns fatores podem facilitar o desenvolvimento da desnutrição e pessoas que se encaixam nele devem se cuidar. São eles:

Dificuldades socioeconômicas

Países com grandes diferenças socioeconômicas ou extremamente pobres têm grandes populações desnutridas.

A República Democrática do Congo, por exemplo, sofre com esse problema. Atualmente, 400 mil crianças com desnutrição grave sofrem o risco de morte pela doença.

Ao todo, 750 mil crianças menores de 5 anos do país estão subnutridas de acordo com comunicado do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).

Diversos outros países sofrem com o problema e, mesmo em países como o Brasil, a fome é um problema persistente e que pode matar milhares de crianças por desnutrição.

Idade avançada

Idosos têm maior risco de desenvolver desnutrição do que adultos. Eles tendem a ficar satisfeitos com menos alimento, o paladar e olfato podem ficar reduzidos com a idade, o que corta o prazer da alimentação, além de diversas doenças, mais comum em idades avançadas, poderem levar a desnutrição, como demências, câncer, derrames, depressão, artrite e outras. Todas essas doenças podem dificultar a alimentação de maneira severa.

Má alimentação

Uma dieta desequilibrada pode causar desnutrição de qualquer um dos tipos. Mesmo com acesso à comida, os hábitos alimentares abrem espaço para dietas pobres tanto em quantidade quanto em qualidade nutricional.

Doenças crônicas

Pacientes de HIV, câncer e doenças auto-imunes estão no grupo de risco da desnutrição.

As doenças podem causar a desnutrição por si só, como é o caso do HIV e do câncer com a caquexia e da doença de Chron, que não permite a absorção eficiente de nutrientes pelo intestino. assim como a diabetes, que dificulta essa absorção de nutrientes.

Outras podem, ainda, dificultar a nutrição, como a esclerose múltipla, que pode deixar difícil ou até impedir a alimentação da pessoa sem auxílio.

Alcoolismo

O alcoolismo causa dificuldade de absorção de nutrientes, portanto podem ser vítimas da desnutrição Kwashiorkor, já que, apesar de o álcool ser muito calórico, a falta de outros nutrientes não permite a nutrição adequada do corpo, que entra em desnutrição.

Perda excessiva de peso em pouco tempo

Perder peso não quer dizer necessariamente que existe desnutrição, mas se essa perda acontecer muito depressa, pode ser que o corpo esteja sentindo falta de certos nutrientes e esteja usando suas reservas. Isso pode levar a desnutrição.

Nutrição parenteral

Nutrição parenteral é a nutrição diretamente na corrente sanguínea, utilizada em hospitais para pacientes que estão impedidos de se alimentar da maneira convencional. É um possível tratamento da desnutrição, mas também pode causá-la caso as necessidades nutricionais do paciente não sejam identificadas com precisão.

Sintomas

Os diversos sintomas de desnutrição são os seguintes:

Fraqueza

Quando existe a desnutrição, o corpo não tem energia o bastante para realizar tarefas e fica fraco.

Irritabilidade

Fome e falta de nutrientes tem a capacidade de deixar a pessoa irritada.

Falta de concentração

Devido a falta de glicose no cérebro, pode haver dificuldades de concentração em pacientes com desnutrição.

Desmaios

Sem energia o bastante para manter o cérebro completamente funcional o tempo todo, pode haver desmaios.

Emagrecimento acelerado

Quando não há alimento, o corpo passa a usar suas reservas de energia. Elas são a camada de gordura que fica abaixo da pele, lipídios em reservas nos músculos e no fígado e, por fim, os próprios músculos. Esse processo causa emagrecimento acelerado.

Pele grossa

Com a desnutrição, a pele fica mais grossa após a perda da camada de gordura subcutânea.

Perda de massa muscular

Os músculos são consumidos por energia. Isso afeta todos os músculos do corpo, que ficam mais fracos. O coração perde massa muscular e pode não ser capaz de enviar o sangue de maneira apropriada para todo o corpo da pessoa desnutrida.

Cicatrização lenta

Devido a falta de nutrientes, o processo de cicatrização fica desacelerado.

Recuperação de infecções lenta

A produção glóbulos brancos fica reduzida pela falta de nutrientes e o sistema imunológico se torna mais fraco. A recuperação de infecções fica prejudicada e lenta.

Diarreia persistente

Alguns pacientes podem sofrer de diarreia persistente ou de constipação.

Dificuldade de se aquecer

Sem a camada subcutânea de gordura, o corpo pode enfrentar dificuldades em manter sua temperatura. A dificuldade para se aquecer se torna um problema para o paciente.

Letargia

Letargia, nesse caso, é o estado de suspensão da sensibilidade e de movimentos do corpo. Os sinais vitais ficam extremamente reduzidos e a pessoa pode parecer morta.

O paciente pode estar completamente lúcido durante o estado letárgico, mas não consegue reagir. A depleção quase total de nutrientes leva a esse estado que, por deixar a respiração e o pulso quase imperceptíveis, pode ser confundido com o óbito.

Inchaços

Inchaços podem surgir nas pernas e outras partes do corpo devido a falta de proteína no sangue.

Anemia

Anemia é um sintoma da falta de ferro no organismo e surge em pacientes de desnutrição.

Crianças

Crianças podem apresentar alguns sintomas extras como:

Crescimento abaixo do esperado para a idade

A falta de nutrientes para crianças dificulta seu crescimento e ela pode não se desenvolver adequadamente. Uma criança magra demais e baixinha demais pode sofrer de desnutrição.

Mudanças de comportamento

Assim como em adultos, o comportamento de crianças é afetado pela fome e pela falta nutritiva. Ela pode ficar apática ou irritada.

Mudanças na cor da pele, cabelo e olhos

Os nutrientes em falta podem causar mudanças físicas na criança. Seus olhos podem ficar acinzentados, assim como os cabelos, que podem ganhar um tom de cinza, avermelhado ou loiro.

Como é feito o diagnóstico da desnutrição?

O diagnóstico da doença é feito através de alguns métodos pelo médico clínico geral, nutrólogo ou nutricionista. Os métodos são:

IMC

É feita a medição do IMC (índice de massa corporal), que indica a quantidade de gordura corporal da pessoa. A conta é simples: peso em quilogramas dividido pela altura em centímetros ao quadrado. O resultado é o IMC do paciente.

O IMC é considerado saudável caso se encontre entre 18,5 e 25. Quando o IMC está entre 17 e 18,5, o paciente pode ser considerado levemente subnutrido. Entre 16 e 17, ele está desnutrido e, quando o IMC está abaixo de 16, a desnutrição é grave.

Exames de sangue

Através de exames de sangue, é possível saber quais nutrientes estão faltando no corpo da pessoa e fazer o diagnóstico de desnutrição. Ele serve para definir o tipo de desnutrição presente e, quando ela é grave, descobrir que nutrientes devem ser repostos no corpo do paciente.

Crianças

Em crianças, o diagnóstico pode ser feito através da medição da altura e peso do paciente, comparando os números com a expectativa para a idade. Algumas crianças são geneticamente menores, o que é normal, porém um crescimento desacelerado pode significar desnutrição, assim como perda repentina e rápida de peso.

Medição de braço

Também é possível utilizar, para o diagnóstico em crianças, a medida do bíceps do paciente em repouso. Medições de menos de 110mm (11 centímetros) podem indicar desnutrição severa. Também é usado a medida das dobras de pele, que podem se mostrar finas por causa da falta de gordura subcutânea, que é consumida durante a desnutrição.

Desnutrição na gravidez

Desnutrição na gravidez é um grande prejuízo para o bebê. A mãe precisa de mais calorias enquanto o feto cresce e a falta delas pode causar problemas de crescimento para a criança. Entretanto, isso não quer dizer que a mãe deve literalmente comer por dois, já que isso pode levar a um excesso de calorias e falta de nutrientes essenciais.

Grávidas podem precisar de suplementação nutricional, já que nem sempre uma dieta comum pode fornecer todos os nutrientes necessários.

Desnutrição tem cura?

Sim, a desnutrição tem cura. Entretanto, não é em todos os casos que ela pode ser curada. É necessário lidar com duas situações: a falta de nutrientes em si e a causa da desnutrição.

Quando a desnutrição é primária, o processo de cura é mais intuitivo, mas não necessariamente mais fácil. Mudar a dieta para uma que possua todos os nutrientes necessários ao corpo é a solução, mas nem sempre isso é possível em uma situação econômica ruim, por exemplo.

Além disso, existem os casos de desnutrição como a caquexia, que é causada pelo câncer e outras doenças terminais. Colocar mais nutrientes dentro do corpo da pessoa não vai adiantar e o câncer, nos estágios em que causam caquexia, não tem cura.

Qual é o tratamento para a desnutrição?

O tratamento para a desnutrição consiste em renutrir a pessoa e tratar a causa. As causas podem variar de falta de alimentos e alimentação inadequada a infecções por vermes e câncer.

Cada tipo de causa da desnutrição requer seu próprio tratamento específico. Entretanto, a renutrição costuma seguir os mesmos processos em todos os casos e só varia de acordo com a severidade da desnutrição do paciente.

Reeducação alimentar

Através da reeducação alimentar, é possível introduzir os nutrientes que faltam no corpo da pessoa que sofre de desnutrição. Na maioria dos casos, as mudanças alimentares são feitas devagar, dando tempo para que o corpo se acostume com a nova dieta. Casos de desnutrição leves e moderadas são tratados dessa maneira. Um nutricionista pode ajudar. Suplementos alimentares e de vitaminas podem ser indicados pelo médico para auxiliar na nutrição.

Em casos em que existe desnutrição moderada para severa por falta de alimentos, não se pode disponibilizar muita comida de uma vez, ou o corpo sofrerá já que o sistema gastrointestinal não estará preparado para isso. Os alimentos devem ser reintroduzidos devagar, em diversas refeições pequenas por dia.

Tratamento hospitalar

Em casos de desnutrição severa, o tratamento hospitalar pode ser obrigatório. O paciente pode ser incapaz de se alimentar pela boca ou de comer alimentos sólidos, então três opções de alimentação podem ser usadas. São elas:

Tubo nasogástrico

O tubo nasogástrico é um tubo inserido pelo nariz do paciente e que vai até o estômago. Ele leva os nutrientes em forma líquida para que o paciente não precise comer, mas seja nutrido de qualquer forma.

Gastrostomia endoscópica percutânea

Neste procedimento, um tubo é colocado no estômago através de cirurgia. O tubo se conecta com o exterior do corpo atravessando o abdômen e nutrientes são inseridos lá em forma líquida. Este tipo de alimentação é utilizado quando o paciente não pode usar o esôfago para se nutrir.

Nutrição parenteral

Em casos extremamente graves de desnutrição, o estômago pode não ser capaz de digerir os nutrientes, portanto uma aproximação diferente pode ser realizada.

Neste tipo de nutrição, os carboidratos, proteínas, vitaminas, minerais e todos os nutrientes são administrados diretamente na veia. Os nutrientes já estão quebrados para que a absorção seja feita diretamente pelo sangue, sem precisar passar pelo processo de digestão.

Outras situações em que esse tipo de alimentação pode ser usado são casos em que alimentos não podem passar pelo estômago (por exemplo em pacientes com colite ulcerosa) ou quando algum distúrbio impede a digestão.

Este procedimento pode ser realizado em casa, mas esta situação é extremamente rara já que, se a pessoa precisar da nutrição parenteral, seu estado de saúde provavelmente não estará bom o bastante para isso.

Alguns problemas podem surgir, como:

  • Excesso de água, que exige cálculos precisos e é variável;
  • Redução da densidade óssea, um problema de origem desconhecida mas que desaparece com a interrupção da alimentação parenteral;
  • Risco elevado de infecções na região do cateter;
  • Possibilidade de desenvolvimento de pedras na vesícula e problemas hepáticos.

De volta à rotina

Quando o tratamento leva o paciente para um estado nutricional mais estável e a causa da desnutrição é encontrada e tratada, ele pode voltar a alimentação normal.

Nos casos mais graves, quando a doença se estabiliza, a reeducação alimentar se torna um passo em direção a cura. Em todos os casos, um nutricionista pode ser necessário para que seja feito um cardápio adequado para o corpo se manter nutrido.

Medicamentos para desnutrição

Alguns medicamentos podem ser utilizados por pessoas com desnutrição para que haja o aumento do apetite. São eles:

Também podem ser usados hormônios de crescimento ou anabolizantes para haver aumento da massa muscular.

Atenção!

NUNCA se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico. Somente ele poderá dizer qual medicamento, dosagem e duração do tratamento é o mais indicado para o seu caso em específico. As informações contidas neste site têm apenas a intenção de informar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um especialista ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Siga sempre as instruções da bula e, se os sintomas persistirem, procure orientação médica ou farmacêutica.

Prognóstico

Se não tratada, a desnutrição pode levar à inanição e à morte. Nutrientes e alimentação são essenciais para o funcionamento do corpo. Porém, quando há o tratamento, a desnutrição pode ser curada com alguma facilidade e, nos casos leves ou moderados, não deve haver sequelas no corpo. Mesmo os casos graves podem ser curados sem nenhuma complicação.

Complicações

Diversas complicações podem surgir em decorrência da desnutrição não tratada. São elas:

Anemia

Entre os nutrientes que podem estar em falta no corpo humano está o ferro, que, quando não está presente em quantidade suficiente, leva à anemia.

Alterações ósseas

A falta de nutrientes pode levar a osteoporose e outras alterações dos ossos, diminuindo sua densidade e inclusive causando deformações.

Perda muscular

Músculos são reduzidos pela desnutrição, causando fraqueza e podendo levar a insuficiência cardíaca, já que o coração é um músculo que também pode ser afetado.

Depressão

A falta de nutrientes pode causar depressão em pacientes de desnutrição.

Perdas neurológicas

As diferenças químicas no cérebro também podem causar problemas em todas as áreas dele, desde no sistema nervoso central até no comportamento, deixando a pessoa agressiva. O raciocínio também pode ser afetado, ficando lento.

Infecções

Sem nutrientes, o sistema imunológico do corpo fica enfraquecido, facilitando a penetração de bactérias, vírus e infecções em geral.

Dificuldade para a perda de peso

Em crianças com Kwashiorkor, a versão da doença que é representada pela presença de calorias mas falta de nutrientes, a desnutrição pode levar a dificuldades para a perda de peso.

Efeitos no crescimento

Crianças em fase de crescimento podem ter seu desenvolvimento desacelerado e até parado por completo. Isso inclui o desenvolvimento da altura, dos músculos e inclusive o desenvolvimento cerebral.

Como prevenir a desnutrição?

A prevenção da desnutrição acontece na alimentação. É necessário que haja uma alimentação saudável com todos os nutrientes necessários para o corpo.

Acompanhe seu IMC

Procure manter seu IMC entre 18.5 e 25. Apesar de não ser um indicador de precisão extrema, ele é uma boa estimativa para sua nutrição.

Amamentação de recém-nascidos

Nos primeiros seis meses de vida, o bebê precisa apenas de leite materno e nada mais. Isso é o bastante para mantê-lo nutrido. Porém, é importante que a mãe se alimente adequadamente também.

Alimentação

O Ministério da Saúde recomenda três refeições e dois lanches por dia. As refeições devem ter todos os grupos alimentares na seguinte ordem. Quanto mais alto na lista, maior a quantidade diária necessária:

Pães, arroz, batatas – Fontes de carboidratos

Estes alimentos são fontes de energia do corpo e devem formar a maior parte da dieta.

Leite e laticínios

Importantes para a captação de cálcio pelo corpo, laticínios são parte da alimentação saudável.

Frutas e vegetais

Fontes de vitaminas e minerais, assim como de fibras importantes para a saúde digestiva.

Carnes, feijão, peixe, ovos – Fontes de proteína

A proteína é parte do que constrói nosso corpo e um nutriente necessário.

Mais recomendações

O Ministério da Saúde também recomenda a redução de sal na alimentação, beber 2 litros de água por dia, praticar exercícios e evitar vícios como cigarro e álcool, mantendo uma dieta saudável.

Dietas

Algumas dietas radicais podem trazer riscos, reduzindo demais o consumo de nutrientes, levando a desnutrição.

Dicas para aproveitar melhor os nutrientes

Algumas coisas podem ser feitas para o melhor aproveitamento dos nutrientes de legumes e verduras, por exemplo. O calor e a água quente podem retirar parte dos nutrientes do alimento, então minimizar esta perda ajuda a ter uma alimentação mais nutritiva.

Feche a panela

A água é capaz de levar nutrientes dos alimentos. O vapor faz a mesma coisa. Manter a panela fechada não impede que o alimento perca seus nutrientes para a água, mas assim ele fica na panela e a comida tem a chance de reabsorve-los.

Corte pedaços grandes

Pedaços grandes reduzem a área do alimento em contato com a água, portanto a perda nutricional é reduzida.

Mantenha a casca para o cozimento

Batatas e cenouras, entre outros alimentos, podem ser cozidas ainda com casca, que pode ser retirada depois de o alimento estar pronto. A casca atua como uma barreira que mantém nutrientes dentro de si.

Reaproveite a água

Depois de cozinhar legumes e verduras, a água fica com vários dos nutrientes em si. Você pode reaproveitar a água para uma sopa, mantendo os nutrientes na refeição.

Cozinhe a vapor

Você pode cozinhar a vapor para reduzir a perda de nutrientes para a água. Como neste tipo de cozimento não há contato direto dos legumes e verduras com a água, eles perdem muito menos nutrientes, já que só o vapor consegue retirá-los. Com a panela fechada, estes nutrientes voltam mais facilmente para a comida.


A desnutrição faz milhares de vítimas todos os anos e é necessário tomar cuidado com a dieta e com o que se come. Ela pode afetar qualquer um, mas pode ser prevenida e tratada.

Compartilhe este texto com seus amigos e deixe-os cientes dos perigos da desnutrição!

Referências

https://www.news-medical.net/health/Symptoms-of-malnutrition.aspx
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302011000600009
https://www.news-medical.net/health/Diagnosis-of-malnutrition.aspx

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

3 Comentários

Atenção: os comentários abaixo são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Deixe o seu comentário, nos preocupamos com sua opinião:

Por gentileza, escreva seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui

Lamentamos a não possibilidade de dar-lhe conselho médico ou responder a questões médicas e farmacêuticas individuais através de e-mail, pois apenas um médico pode prestar tal atendimento. Embora tentemos responder a todos os comentários, opiniões e e-mails que recebemos em até dois dias úteis, nem sempre é possível devido ao grande volume que recebemos. Por favor, tenha em mente que qualquer solicitação ao Minuto Saudável está sujeita aos nossos Termos de Uso e Política de Privacidade, ao enviar, você indica sua aceitação.