O exercício da sexualidade é um fator importante para a manutenção de uma vida saudável. Porém, algumas vezes pode haver a perda do desejo sexual.

Essa é uma condição que, apesar de não ser normal, é comum e pode ocorrer tanto em homens quanto em mulheres.

Em geral, problemas externos como estresse no trabalho e ansiedade podem contribuir para a condição — possível de ocorrer em pessoas solteiras ou que estão em um relacionamento.

Por isso, a origem do problema deve ser investigada assim que os primeiros sinais aparecerem, para que seja feito o tratamento adequado.

Continue lendo e saiba mais sobre o assunto!

Índice — neste artigo você vai encontrar:

  1. O que é a libido?
  2. O que pode causar a queda da libido em homens e mulheres?
  3. O que fazer para recuperar o desejo sexual feminino e masculino?
  4. Remédios naturais para aumentar a libido

O que é a libido?

A libido é um conceito que tem como um de seus significados o desejo e representa a disposição do indivíduo para busca do prazer e satisfação.

Embora seja muito relacionada a questões sexuais, áreas como a psicanálise defendem que a libido é um conceito mais amplo.


Autores como Freud descrevem que ela é uma energia que provém dos instintos e direciona o comportamento humano, não apenas no âmbito sexual.

Com esse pensamento, a libido pode ser a busca pelo prazer em gestos simples, como beber água quando se está com sede. 

Apesar de poder designar outras fontes de prazer, falar em libido é, majoritariamente, relacionado ao desejo e interesse sexual.

Esses desejos são controlados por hormônios como a testosterona, oxitocina — conhecido como o hormônio do amor — e pela dopamina. 

Eles auxiliam na resposta sexual, atuando na liberação de sensações como o prazer. Seu nível pode variar de acordo com a situação emocional em que a pessoa se encontra.

O que pode causar a queda da libido em homens e mulheres?

Diversos fatores podem provocar a falta da libido, ou seja, a diminuição ou falta de desejos sexuais.

Alterações hormonais, situações de estresse e ansiedade, uso de alguns remédios e até mesmo o hipotireoidismo podem estar relacionados. 

Outras causas que podem alterar os níveis de libido são a baixa autoestima, problemas na vida profissional, depressão e até mesmo a má alimentação. 

Em geral, ela pode ser passageira, como em situações momentâneas que após encerradas estimulam a volta da libido ao normal, ou temporária, em que é necessário realizar tratamento para resolver o problema.

De forma específica, a queda da libido em homens e mulheres pode ser causada por:

Redução nos níveis de testosterona

Tanto em homens quanto em mulheres, a queda da libido pode estar diretamente ligada à redução dos níveis de testosterona no organismo.

Nos homens, esse quadro pode ser causado pelo uso de medicamentos que tenham como efeito colateral a diminuição do hormônio, como alguns antidepressivos, e até mesmo a andropausa.

Já no organismo feminino, ao contrário do que se pode pensar, também há a produção da testosterona, porém, em uma quantidade muito menor do que os homens.

Nesse caso, esse hormônio é produzido pelos ovários e glândulas suprarrenais, e auxilia na regulação da libido. 

Quando há a queda nos níveis dessa substância, pode haver alterações no interesse sexual.

Menopausa e Andropausa

Também chamada de climatério, a menopausa ocorre geralmente a partir dos 40 anos e marca o final do período reprodutivo no organismo feminino.

Nessa fase da vida há a diminuição progressiva do funcionamento dos ovários, além da redução dos hormônios sexuais testosterona, estrogênio e progesterona.

Com isso, geralmente há a diminuição do interesse sexual.

Já a andropausa, também conhecida como a menopausa masculina, ocorre geralmente em homens com idade entre 40 e 55 anos.

Ela tem como principal característica a queda nos níveis de testosterona e pode desencadear um menor desejo sexual.

Questões psicológicas

Questões psicológicas também podem influenciar o quadro, tanto em homens quanto em mulheres.

Ambientes de estresse, conflitos interpessoais e tensão no trabalho são alguns fatores que podem promover a diminuição do desejo sexual. 

Isso pois, nesses casos, há a liberação do hormônio cortisol, também conhecido como hormônio do estresse. Quando liberado em grandes quantidades, podem alterar os níveis da libido.

Além disso, quadros de ansiedade e depressão também podem ter ligação com o problema, pois afetam a interesse e disposição da pessoa de modo geral.

Consumo de álcool e cigarro

O uso em excesso de substâncias como o álcool e o cigarro podem induzir a queda da libido.

Em geral, eles afetam o funcionamento da produção hormonal e podem causar, além da diminuição do desejo sexual, a impotência masculina e o mal desempenho na relação sexual.

O abuso dessas drogas também afeta regiões como os vasos sanguíneos, provocando seu endurecimento. 

Isso dificulta o acesso do sangue às regiões genitais, podendo auxiliar na disfunção, que pode associar-se à pressão psicológica e gerar, aos poucos, maior desinteresse ou falta de desejo.

Pílulas Anticoncepcionais

Uma das origens da redução da libido no organismo feminino pode ser o uso de pílulas anticoncepcionais hormonais. 

Alguns estudos indicam que substâncias presentes nesse tipo de medicamento podem influenciar nos níveis do hormônio testosterona no corpo.

Isso pois, em geral, os anticoncepcionais estimulam a maior produção da proteína Globulina Transportadora de Hormônio Sexual (SHBG) pelo fígado.

Essa proteína se liga à testosterona, diminuindo sua ação no organismo feminino.  

Período pós parto

O período de pós parto e amamentação podem ser causas da queda da libido feminina.

Isso pois, nessa fase, há o aumento da prolactina, hormônio que estimula a produção do leite materno.

Com esse aumento, há o incentivo a inibição dos hormônios sexuais pelo corpo, o que pode levar à diminuição da libido.

O que fazer para recuperar o desejo sexual feminino e masculino?

Existem diferentes maneiras de tratar a queda da libido, sendo necessário identificar a causa do problema para iniciar o tratamento.

De modo geral, o mais indicado é primeiramente buscar ajuda médica, que avaliará o quadro clínico e indicará o melhor recurso terapêutico para cada pessoa.

Algumas das maneiras que podem ser recomendadas para solucionar o problema são:

Acompanhamento psicológico

Caso a condição da queda da libido seja provocada por questões psicológicas como o estresse, ansiedade ou depressão, o acompanhamento com profissionais da área, como psicólogos ou psicanalistas, é recomendado.

A terapia sexual para casais também pode ser indicada quando a perda de desejo tem como origem conflitos no relacionamento. 

Troca de medicamentos

Medicamentos como antidepressivos, ansiolíticos e anti-hipertensivos podem ter como efeito colateral a diminuição da libido, já que provocam alterações no sistema nervoso central e até mesmo a redução da testosterona em alguns casos.

Se a causa da queda da libido for o uso desses medicamentos, o(a) médico responsável pode avaliar a possibilidade de troca da medicação.

Reposição hormonal

Um método que pode ser utilizado para o combate à queda da libido é a reposição hormonal com testosterona e/ou estrogênio. 

É geralmente utilizado nos casos em que há uma diminuição significativa nos níveis desses hormônios no organismo. Com o aumento deles, em geral, há também a elevação da libido.

O método consiste em repor de forma sintética doses de testosterona ou estrogênio no corpo.

A aplicação pode ser feita por meio de géis, adesivos, comprimidos ou injeções, sendo a forma de administração variável de acordo com a necessidade de cada paciente. 

Exercícios físicos

Outro recurso que pode agir como coadjuvante no tratamento do problema é a prática de exercícios físicos.

A realização de atividades como musculação ou corrida estimulam a liberação de testosterona, sendo benéficas para o combate da falta de desejo sexual.

Porém, vale lembrar que os exercícios devem ser feitos de forma moderada, pois, quando praticados de maneira muito intensa, podem causar o efeito contrário.

Alimentação balanceada

Apostar em uma alimentação balanceada é um dos passos que podem auxiliar na reversão da queda da libido. 

Isso, pois o consumo excessivo de alimentos gordurosos e não benéficos à saúde podem afetar a produção dos hormônios sexuais no corpo.

Dessa forma, vale investir em comidas como:

  • Banana;
  • Ovos;
  • Abacate;
  • Linhaça;
  • Amendoim;
  • Morango.

Esses alimentos têm em sua composição nutrientes que ajudam no equilíbrio e formação hormonal, como as vitaminas B6 e E, zinco e até mesmo fitoestrógenos — substâncias produzidas por plantas, que têm ação semelhante ao hormônio feminino estrógeno.

Dessa forma, podem ser coadjuvantes para a estabilizar a libido. 

Remédios naturais para aumentar a libido

Existem diferentes receitas naturais que podem ajudar no aumento da libido.

Geralmente são utilizados fitoterápicos — medicamentos que têm princípio ativo a partir de plantas medicinais — e as próprias ervas medicinais para elevar o desejo sexual.

Entre eles:

Maca peruana

A Maca peruana é uma planta medicinal originária do Peru, muito conhecida por suas propriedades afrodisíacas. 

Acredita-se que seu consumo estimula a produção de hormônios sexuais pelo organismo e, dessa forma, auxilia no aumento da libido.

A parte utilizada é a raiz e geralmente pode ser encontrada como suplemento, em forma de cápsulas ou em pó.

Para fazer o uso, caso seja no formato de suplemento, em geral é indicado ingerir 2 cápsulas ao dia, juntamente com 1 copo de água. Apesar disso, é importante seguir as recomendações da embalagem.

Se for em pó, ela pode ser diluída em líquidos ou adicionada junto às refeições. São recomendadas 2 colheres de chá ao dia.

Tribulus terrestris

A Tribulus terrestris é uma erva com propriedades medicinais, originária de climas quentes.

Acredita-se que uma de suas características é ser um estimulante sexual e, por isso, pode ajudar no aumento da libido.

Seu consumo pode ser feito por meio de cápsulas, extrato seco ou chá.

Para o extrato seco, o indicado ingerir 3 vezes ao dia, dosagens entre 85mg e 250mg.

Já para a versão em cápsulas, o ideal é seguir a recomendação presente no rótulo do produto. Entretanto, o recomendado é geralmente a ingestão de 1 comprimido, 3 vezes ao dia.

O chá de Tribulus terrestris pode ser preparado com: 1 colher de folhas picadas para cada 200mL (1 xícara) de água. O chá pode ser consumido em doses entre 3 a 4 xícaras por dia.

Muira puama

Muira puama é uma planta originária da Amazônia, conhecida por proporcionar diversos benefícios a quem a consome. Entre eles, o aumento da libido.

Suas partes geralmente utilizadas são a casca e a raiz e ela pode ser encontrada na versão in natura, em cápsulas ou em pó. 

Para uso na versão natural, basta fazer a infusão de 20g da casca para cada 1 litro de água. Ingerir aproximadamente 4 xícaras por dia.

Já para o uso em cápsulas, geralmente o indicado ingerir é 2 cápsulas por dia. Porém, vale sempre seguir as recomendações da embalagem.

Para o preparo na versão em pó, basta diluir 2 colheres de sopa em 1 litro de água, levar ao fogo até ferver e, após isso, deixar descansar por 5 minutos. 

Por fim, a bebida pode ser consumida em temperatura ambiente ou fria.


A queda da libido é um problema que pode ocorrer com qualquer pessoa.

Caso ela se manifeste, é importante procurar ajuda médica, que investigará a origem da condição e indicará o tratamento mais adequado para cada pessoa.

Quer saber mais sobre saúde e tratamentos? O Minuto Saudável tem conteúdos completos para você. Leia mais e continue informado(a)! 


Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.