A sensação de cansaço mental é muito comum, principalmente na sociedade moderna em que vivemos, considerando que estamos a todo momento expostos a estímulos e diferentes atividades. Porém, não é normal que esse sintoma se torne frequente.

Pensando na importância desse assunto, separamos mais informações para você a respeito de como identificar esse esgotamento mental e quais as formas de evitar que ele ocorra:

Índice — neste artigo você vai encontrar:

  1. O que é cansaço mental?
  2. Quais os sintomas do cansaço mental?
  3. Como saber se estou com cansaço mental?
  4. O que é pior: cansaço físico ou mental?
  5. Tratamento e opções para acabar com o cansaço mental

O que é cansaço mental?

O cansaço mental é caracterizado pela sensação de que o cérebro está sobrecarregado de informações. Da mesma forma que o corpo físico se cansa ao fazer muito esforço, o cérebro também pode ficar esgotado quando fazemos muito esforço mental.

O cansaço mental é caracterizado por uma série de sintomas, mas o principal sinal é a sensação de que o cérebro está sobrecarregado.

Com isso, podem surgir algumas consequências mentais e até físicas, como uma dificuldade extrema em manter a concentração, raciocinar e solucionar problemas, bem como lapsos de memória, insônia, dores no corpo e na cabeça, entre outras.

Também chamado de estafa ou esgotamento mental, o cansaço mental surge por conta de diversos fatores, como por exemplo: excesso de trabalho, poucas horas de sono, sono de má qualidade, falta de descanso, desequilíbrios na dieta, desequilíbrios hormonais, estresse prolongado (fadiga adrenal), efeitos colaterais de medicamentos etc.

Ainda, outro fator que pode desencadear essa sensação são os transtornos mentais, como a depressão, a ansiedade, entre outros. Isso, especialmente quando ainda não houve o diagnóstico e, portanto, a pessoa não está tratando o problema.

Em geral, o cansaço mental considerado saudável é aquele que ocorre após períodos extensos de estímulo intelectual, como ao passar horas estudando para uma prova importante, ou trabalhar durante muitas horas seguidas sem fazer pausas para descanso.


No entanto, quando se torna uma situação constante, vira um verdadeiro problema, podendo até mesmo necessitar de atendimento especializado para ser resolvido. Nesses casos, as consequências físicas e mentais não são raras.

O cansaço mental pode contribuir para o surgimento de transtornos como a Síndrome de Burnout ou até mesmo a depressão, por exemplo. Ainda, em casos extremos, a pessoa pode iniciar o dia já sentindo esse cansaço mental, podendo apresentar também desânimo, desmotivação e uma sensação de falta de sentido na vida.

Vale lembrar que o cérebro consome cerca de 20% da energia que nosso corpo gasta durante o dia, portanto, é claro que o esforço mental é capaz de drenar toda a nossa energia caso seja realizado em excesso.

Quais os sintomas do cansaço mental?

Quando a pessoa apresenta um quadro de esgotamento mental pode apresentar diferentes sintomas, alguns dos mais comuns são:

  • Desânimo;
  • Cansaço excessivo;
  • Insônia;
  • Sonolência durante a maior parte do dia;
  • Dificuldades de concentração;
  • Perda de memória;
  • Alterações de humor;
  • Irritabilidade;
  • Angústia;
  • Tristeza;
  • Dificuldade em estabelecer prioridades;
  • Diminuição da libido;
  • Sensação de vazio ou de falta de sentido na vida e na rotina.

Como saber se estou com cansaço mental?

A principal maneira de saber se o seu cansaço é um cansaço normal ou um esgotamento mental é perceber o quanto ele dura e quais as consequências que ele traz.

Por exemplo, se você já acorda cansado, com vontade de voltar para casa antes mesmo de sair para trabalhar, certamente este cansaço não é normal e você pode estar sofrendo de esgotamento mental.

Uma irritabilidade acima do normal também é um sinal bem marcante do cansaço mental. Se você sente que está se irritando com coisas pequenas, como os pequenos inconvenientes do dia-a-dia, pode ser que você esteja mentalmente cansado.

Ainda, lapsos de memória também são um dos sinais mais marcantes desse tipo de quadro. Sem conseguir manter a concentração adequadamente, é comum você acabar esquecendo onde colocou as chaves, os horários que tinha marcado um determinado compromisso, entre outros lapsos de memória parecidos.

Um fator que pode acabar passando despercebido mas que também é comum em casos de cansaço mental é a falta de libido, mesmo ao encontrar o(a) parceiro(a). A pessoa que está mentalmente esgotada tem tanta coisa na mente ao mesmo tempo que, frequentemente, não consegue se desligar disso e tem dificuldade em ter momentos íntimos.

Esses são alguns dos sinais que você pode ficar atento para ver se está sofrendo com cansaço mental. Se perceber algum deles, lembre-se de fazer pausas durante o dia e esfriar a cabeça!

O que é pior: cansaço físico ou mental?

Não é possível dizer que um tipo de cansaço é pior do que o outro, pois ambos trazem consequências negativas para o organismo.

Todos sabem que o esgotamento físico é extremamente debilitante e que, muitas vezes, a pessoa precisa repousar por um bom tempo para conseguir recuperar a energia. Por isso, pode dar a impressão de ser pior do que o cansaço mental.

Contudo, o cansaço mental também pode ser fisicamente debilitante. Isso porque ele exerce influência na imunidade, bem como favorece o aparecimento de problemas como dores no corpo, dor de cabeça, hipertensão, queda de cabelo, alterações menstruais e problemas gastrointestinais (como gastrite, úlceras, refluxo).

Além disso, uma vez que a imunidade pode ficar mais baixa em casos de esgotamento mental, a pessoa fica mais suscetível a infecções virais e bacterianas, bem como a alergias, podendo também levar um tempo maior para se recuperar de eventuais enfermidades e feridas, por exemplo.

Portanto, não é uma questão de qual tipo de cansaço é pior, mas sim que os dois tipos são igualmente debilitantes e querem dizer a mesma coisa: está na hora de descansar!

Tratamento e opções para acabar com o cansaço mental

O cansaço mental não possui um tratamento específico por não ser considerado um transtorno mental. No entanto, algumas dicas que você pode seguir para evitá-lo são:

Organizar as responsabilidades

Grande parte do cansaço mental surge em relação às responsabilidades que temos no dia-a-dia: trabalho, estudos, cuidar do lar, entre outros.

Por isso, conseguir organizar as responsabilidades, ordenando as prioridades e evitando o acúmulo de tarefas é uma dica valiosa para prevenir o cansaço mental!

Você pode buscar formas de organização que façam mais sentido para você, podendo contar com anotações em uma agenda ou em um quadro de tarefas, por exemplo. Ou, ainda, pode optar por ferramentas virtuais (sites e aplicativos) para fazer isso.

Manter uma alimentação balanceada

Às vezes, o cansaço mental pode ser causado por uma falta de energia proveniente de uma alimentação inadequada. Especialmente quando há falta de nutrientes, o que pode favorecer a sensação de exaustão, uma vez que o corpo não está trabalhando em seu melhor estado.

Por isso, uma dica é se alimentar de forma balanceada, ingerindo as quantidades adequadas de proteínas, carboidratos, vitaminas e minerais diariamente!

Fazer atividade física

Por mais contraditório que pareça ser, a realização de atividade física ajuda a ter mais energia e a manter a motivação por mais tempo. Além disso, a prática de exercícios pode auxiliar no combate dos sintomas da ansiedade e da depressão — que, muitas vezes, favorecem a estafa..

Até mesmo atividades simples como a caminhada podem ser benéficas para amenizar o esgotamento mental.

Por isso, fazer atividades que mantenham o corpo em movimento, priorizando uma frequência adequada (de 3 a 4 vezes por semana), pode ser uma ótima alternativa para evitar o esgotamento mental.

Boa rotina de sono

Estabelecer bons padrões de sono também melhora a qualidade do sono e pode ajudar a combater a fadiga mental. Uma dica é procurar dormir e acordar em horários fixos, mantendo um mínimo de 7 horas dormidas por noite.

Como mencionado, o cansaço mental também faz com que o descanso seja necessário, igualmente em casos de esgotamento físico.

Evitar levar trabalho para casa

Se você trabalha em um escritório, por exemplo, evite levar o trabalho para casa. Depois de bater o cartão-ponto, desligue sua mente dos problemas do trabalho e busque se distrair com as outras vivências do dia-a-dia.

Já se você trabalha em casa como autônomo, uma alternativa é tentar definir horários fixos para trabalhar e evitar estender as jornadas além do necessário.

Tempo para autocuidado

Cuidar de si mesmo é importante em qualquer etapa da vida e combate uma série de problemas, como o estresse e o esgotamento mental.

Tirar um tempo para fazer coisas que gosta, admirar os pequenos prazeres da vida ou manter um hobby só seu é de extrema importância para manter a saúde mental equilibrada.

Desconectar-se da internet

A internet é uma ótima ferramenta para manter contato com amigos e familiares, divertir-se em momentos de ócio e acompanhar as notícias diariamente.

No entanto, ela também pode provocar um excesso de estímulos e uma necessidade de se fazer disponível e acessível o tempo todo, o que pode sobrecarregar a mente de qualquer um.

Portanto, tire momentos do dia para se desconectar da internet. Busque desligar as notificações de outros aplicativos no celular para resistir à vontade de atender sempre que o aparelho vibra, evitando esse excesso de estímulos.

Isso é importante, inclusive, quando você está assistindo ou fazendo outra atividade de lazer.

Evitar cobranças desnecessárias

Frequentemente, no nosso dia-a-dia, queremos sempre fazer o melhor: seja no trabalho, nos estudos ou até mesmo em casa, durante nossos hobbies ou demais atividades.

Isso não é necessariamente um problema, mas é preciso dosar muito bem a autocobrança. Às vezes, o perfeccionismo pode ser nosso maior inimigo, fazendo-nos cobrar mais e mais de nós mesmos, a ponto de realmente nos desgastar mentalmente.

Portanto, pratique a aceitação dos resultados e busque sempre melhorar, mas sem se cobrar demais ou em aspectos desnecessários!

Evitar álcool e outras substâncias

Algumas pessoas gostam de tomar uma taça de vinho à noite para relaxar, ou beber umas cervejinhas no final de semana para deixar o estresse da semana pra lá.

O problema é que o álcool (e outras substâncias psicoativas) pode prejudicar a qualidade do sono, fazendo com que a pessoa fique o contrário de relaxada.

Ao dormir noites ruins de sono, o cansaço mental pode até aumentar, pois não há um verdadeiro descanso. Sendo assim, se já está com esse esgotamento, evite tentar procurar um “alívio” nessas substâncias, pois pode piorar o problema.

Procurar ajuda profissional e fazer terapia

Quando o caso é muito extremo, algumas das dicas acima podem não funcionar, e está na hora de procurar ajuda profissional.

Um psiquiatra poderá avaliar seu estado e diagnosticar possíveis transtornos subjacentes, como depressão ou ansiedade, que podem estar piorando o esgotamento mental.

Já um psicólogo pode fazer um acompanhamento do caso, ensinando técnicas e ajudando na resolução de problemas do dia-a-dia, de maneira a diminuir a exposição ao estresse e melhorar o cansaço.


Cuidar do bem-estar e da saúde mental é muito importante. Por isso, se você deseja saber mais sobre esse assunto e ver mais conteúdos como esse, basta acessar a aba “Saúde Mental” aqui do Minuto Saudável e se manter atento(a) para não perder nada!

Fontes consultadas


Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.