O que é hemorroida, sintomas, tratamentos, cura e tipos

7

O que é hemorroida?

Palavra de origem grega, haimorrhoos, em que haimo significa “verter sangue” e rheon “fluir, derramar”.

Chama-se hemorroida o conjunto de vasos que fica na região do canal anal, na Medicina é conhecida por doença hemorroidária. A maioria das veias do corpo humano contém válvulas que ajudam o sangue a ir em uma mesma direção, já as veias hemorroidárias não têm estas válvulas para impedir o curso do sangue. Por isso, qualquer aumento da pressão nestas veias propicia o excesso de sangue no local, aumentando o risco de dilatá-las, causando inflamação, inchaço e dor.

PUBLICIDADE: CONTINUE LENDO O CONTEÚDO :)

A popularmente conhecida hemorroida também pode ser chamada de “nódulo no reto” ou “nódulo retal”.

Índice: nesse artigo você encontrará as seguintes informações:

  1. O que é hemorroida?
  2. Qual profissional devo procurar?
  3. Como identificar a hemorroida?
  4. O que causa?
  5. Tipos de hemorroida
  6. Cuidados
  7. Sintomas da hemorroida
  8. Hemorroida tem cura?
  9. Como tratar?
  10. Hemorroida na gravidez existe?
  11. Como prevenir a hemorroida?

Qual profissional devo procurar?

O profissional responsável por diagnosticar a hemorroida é o proctologista, que também trata das demais doenças que acometem o trato digestório terminal. Este profissional vai fazer o diagnóstico a partir da análise da região anal do paciente, procurando por anormalidades no canal do reto e do ânus. Se necessário, será solicitado um exame de sangue oculto nas fezes, além dos exames de sigmoidoscopia, anoscopia e/ou proctoscopia, os quais permitirão que o médico consiga analisar minuciosamente a região do reto e do cólon. Para idosos com mais de 50 anos que apresentem alguma doença do trato digestório, bem como risco de câncer colorretal, a colonoscopia será optada.

Como identificar a hemorroida?

Normalmente ocorre sangramento após a eliminação de fezes ou aparecimento ao redor delas, sendo este o principal sintoma. Sangue no papel higiênico após a limpeza, dor ao evacuar e inchaço ao redor do ânus. Para a hemorroida de grau 1 a 3, o exame físico é suficiente para o diagnóstico, quando interna é preciso realizar o toque retal ou a anuscopia (uma endoscopia que visualiza o reto por vídeo).

O que causa?

Indivíduos com obesidade (o excesso de peso aumenta a pressão nas veias abdominais), gravidez, sexo anal (pode produzir fissuras em uma região muito vascularizada), histórico familiar de hemorroida, sedentarismo (diminui o estímulo para a digestão dos alimentos e a irrigação sanguínea do ânus), dieta pobre em fibras, permanecer sentado por um longo tempo, idade avançada, resfriados, diarreia crônica, infecções anais, prisão de ventre, tabagismo, cirrose e hipertensão. Contudo, a causa mais comum é o esforço durante as evacuações.

Tipos de hemorroida

As hemorroidas classificam-se em dois tipos:

PUBLICIDADE: CONTINUE LENDO O CONTEÚDO :)

Internas:

Ocorrem dentro do ânus ou na parte inicial do reto. Para estas há quatro graus de intensidade. São eles:

  1. Não se desloca através do ânus e não são visíveis.
  2. Desloca-se através do ânus durante a evacuação (ao repelir fezes), mas podem retornar como inicialmente de modo espontâneo. Passa despercebida e não causa dor.
  3. Desloca-se através do ânus e só retorna para dentro com ajuda manual. Pode ser identificada facilmente.
  4. Desloca-se através do ânus e o retorno não é possível nem com a ajuda manual. É perceptível.

Externas:

Ocorrem no final do canal anal, sendo liberadas para fora do ânus. Podem ser identificadas facilmente.

Cuidados

O paciente diagnosticado com hemorroida precisa levar a sério alguns cuidados:

  • Evitar a ingestão de alimentos apimentados e picantes, assim como a própria pimenta, seja como tempero ou in natura.
  • Não permanecer sentado por muito tempo, o ideal para quem trabalha nesta posição é levantar e fazer curtas caminhadas ao longo do dia.
  • Usar roupas íntimas de algodão.
  • Evitar coçar a área.
  • Evitar o uso de papel higiênico dos tipos perfumados ou coloridos.

Sintomas da hemorroida

O indivíduo diagnosticado com hemorroida pode ou não apresentar sintomas, dependendo do grau dela, se for interna é imperceptível, pois não causa desconforto, mas se forem externas podem causar bastante. Saiba quais são os possíveis sintomas:

  • Presença de sangue ao redor das fezes.
  • Aumento das veias do ânus.
  • Prurido anal (coceira), principalmente quando se está sentado.
  • Sangramento anal intenso acompanhado ou não de fezes, o qual persiste por uma semana ou mais.

Hemorroida tem cura?

Sim. Com tratamento médico (pomadas), meios caseiros ou até mesmo cirurgia, que tem resultado eficaz na maioria dos casos. Entre as pomadas de uso mais comuns estão a Nebacetin, a Proctosan e a Bepantol Derma, utilizadas apenas para as hemorroidas do tipo externas.

Confira também: todos os medicamentos e pomadas para hemorroida disponíveis no Consulta Remédios.

Como tratar?

O tratamento pode ser com pomadas e até uma intervenção cirúrgica. Os tratamentos mais simples normalmente são usados para os graus 1 a 3 da hemorroida:

  • Pomadas que contêm corticoide ou lidocaína, pois atuam na redução da dor e do inchaço.
  • Compressas de gelo ajudam a aliviar os sintomas e eliminar o inchaço.
  • Emolientes auxiliam a reduzir o esforço e a constipação.
  • Banhos de assento com água morna ou camomila são recomendados para maior conforto do paciente.
  • Dos remédios em comprimido, o Daflon é o que tem feito maior efeito, mas só melhora os sintomas, não os trata definitivamente. O Varicell também é usado, porém não apresenta eficácia comprovada.

Muitas vezes o tratamento caseiro pode curar. Mas quando a hemorroida é mais crítica o proctologista pode optar por:

PUBLICIDADE: CONTINUE LENDO O CONTEÚDO :)

Coagulação infravermelha ou coagulação à laser:

É um meio não cirúrgico, rápido e não costuma causar complicações ao paciente. Uma pequena sonda é colocada acima da hemorroida e a luz infravermelha é aplicada, fazendo coagular rapidamente os vasos que levam o sangue à hemorroida. Faz com que elas encolham e retrocedam, a diminuição dos tecidos hemorroidais pode levar algumas semanas.

Escleroterapia (injeção):

É aplicada injeção nas veias inflamadas para diminuí-las, não causa dor ao paciente, porém não é tão eficiente.

Atenção! 

NUNCA se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico. Somente ele poderá dizer qual medicamento, dosagem e duração do tratamento é o mais indicado para o seu caso em específico. As informações contidas nesse site têm apenas a intenção de informar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um especialista ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Siga sempre as instruções da bula e, se os sintomas persistirem, procure orientação médica ou farmacêutica.

Cirurgia:

Indicada caso nenhum dos tratamentos anteriores funcionem. Há três tipos:

  1. Ligadura elástica

São amarrados alguns elásticos na base das veias inflamadas para cortar a circulação,esse procedimento é o que apresenta os melhores resultados para os tipos 1 a 3. Depois de alguns dias a hemorroida cai sozinha durante a evacuação. É eficiente para a maioria das pessoas.

  1. Hemorroidectomia

As veias inflamadas que causam o sangramento e dor são retiradas. É indicado para pessoas com quadro recorrente de hemorroida e em pacientes que não tiveram sucesso com os outros tratamentos. Ainda há duas técnicas dela, a de Milligan Morgan ou Ferguson, que são realizadas sob anestesia peridural, removendo todo o tecido ao redor da região com a hemorroida.

  1. Dessarterialização Hemorroidária Trans Anal Guiada por Doppler (THD) ou Técnica de Longo

É a opção mais nova que existe, esta técnica foi criada em 1995 e aperfeiçoada ao longo dos últimos anos. Um pequeno aparelho de doppler (ultrassom) é introduzido no ânus para identificar as veias hemorroidárias e uma pequena agulha faz com que estas veias sejam suturadas até reduzir o fluxo de sangue que chega na região da hemorroida. Assim, a pressão nas hemorroidas diminui fazendo-as secarem e desaparecerem. O que chama atenção nessa técnica é que ela não tem corte e seu risco de sangramento é muito baixo, bem como seu pós-operatório é menos dolorido.

PUBLICIDADE: CONTINUE LENDO O CONTEÚDO :)

Hemorroida na gravidez existe?

Sim. É bastante comum durante a gestação e no pós-parto, devido à pressão que o feto exerce sobre as veias da parte inferior do abdômen.

Como prevenir?

O ideal é ter uma dieta rica em fibras (que tem origem vegetal: cereais, frutas, vegetais, leguminosas e frutas secas), ingerir muito líquido, respeitar a necessidade de ir ao banheiro evacuar, praticar exercícios físicos, prevenir os resfriados e não ficar muito tempo sentado, principalmente no vaso sanitário.

É importante que o paciente saiba que a hemorroida mesmo depois da cirurgia pode voltar, por isso é importante cuidar. Se não tratadas, as hemorroidas podem causar anemia por causa da perda de sangue durante a evacuação ou gangrena (morte do tecido que reveste a veia, após a interrupção na circulação do sangue).


Ficou com dúvidas? Não hesite em comentar, conte ela para que possamos solucionar! 🙂

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (11 votos, média: 4,45 de 5)
Loading...

7 Comentários

Deixe suas opiniões e comentários, nos preocupamos com ela:

Por favor, escreva seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui

Lamentamos a não possibilidade de dar-lhe conselho médico ou responder a questões médicas e farmacêuticas individuais através de e-mail, pois apenas um médico pode prestar tal atendimento. Embora tentemos responder a todos os comentários, opiniões e e-mails que recebemos em até dois dias úteis, nem sempre é possível devido ao grande volume que recebemos. Por favor, tenha em mente que qualquer solicitação ao Minuto Saudável está sujeita aos nossos Termos de Uso e Política de Privacidade, ao enviar, você indica sua aceitação.