Mayra (Minuto Saudável)
29/06/2017 14:49

O que é Fissura Anal, tratamento, remédios, pomadas, tem cura?

O que é fissura anal?

A fissura anal é caracterizada por um pequeno corte ou rachadura no revestimento do ânus, que provoca dor e/ou sangramento durante os movimentos intestinais. Essa é uma condição comum e de autodiagnóstico na maioria dos casos.

Os sintomas podem se apresentar em quadros agudos ou crônicos. No primeiro caso, a cura acontece em curto prazo (quatro a seis semanas) com a ajuda de alguns cuidados em casa. Já em situações de fissura anal crônica, um tratamento médico ou até mesmo uma cirurgia podem ser necessários.

Qual a relação entre prisão de ventre e fissura anal?

As pessoas que sofrem de constipação intestinal ou prisão de ventre apresentam maiores chances de desenvolver a doença. Isso porque as fezes endurecidas ou muito grandes no momento da evacuação podem causar um trauma na mucosa do ânus, resultando em uma fissura anal.

Índice — neste artigo você irá encontrar as seguintes informações:

  1. O que é fissura anal?
  2. Qual a relação entre prisão de ventre e fissura anal?
  3. Tipos de fissura anal
  4. Causas da fissura anal
  5. Grupos de risco
  6. Sintomas
  7. Qual a diferença entre hemorroida e fissura anal?
  8. Quando devo procurar um médico?
  9. Como é feito o diagnóstico da fissura anal?
  10. Fissura anal tem cura? Qual o tratamento?
  11. Medicamentos para fissura anal
  12. Pomadas para fissura anal
  13. Convivendo
  14. Complicações
  15. Como prevenir a fissura anal?

Tipos de fissura anal

Os fatores que diferenciam os tipos de fissura anal são basicamente o tempo de cicatrização da ferida e a evolução do quadro.

Veja a seguir quais são os tipos da doença:

Fissura anal aguda

Esses casos são os mais comuns e podem se desenvolver em qualquer idade. Para ser considerada aguda, a fissura anal é representada por um corte superficial e doloroso ao toque. Sua cicatrização costuma ocorrer em no máximo oito semanas.

Fissura anal crônica

Nos casos crônicos a fissura se torna uma úlcera que pode ser facilmente observada pelo médico. A lesão se mostra profunda e com bordas endurecidas. Há também o surgimento de plicoma sentinela (excesso de pele na região anal) e, em alguns casos, papilite (inflamação de glândulas no canal anal).

Os quadros de fissura anal crônica apresentam um longo histórico e maior tempo de evolução.

Causas da fissura anal

As fissuras anais são provocadas por traumas no ânus ou no revestimento anal e ocorrem geralmente em um movimento intestinal.

Em homens e mulheres, as feridas geralmente estão localizadas na linha mediana posterior do canal anal, parte mais próxima da coluna vertebral. Isso ocorre devido à configuração do músculo que envolve o ânus (esfíncter anal). Por possuir um formato oval, a parte posterior desse complexo muscular é mais frágil. Já as feridas localizadas na parte anterior costumam ocorrer nas mulheres devido à localização da vagina em homens a probabilidade é de apenas 1%.

As causas mais comuns da doença são:

  • Constipação (prisão de ventre) ou tensão durante a evacuação;
  • Evacuação de fezes duras e muito grandes;
  • Diarreia frequente;
  • Inserção de termômetro retal, ponta de enema, endoscópio ou sonda de ultrassom (para examinação da próstata);
  • Sexo anal;
  • Inflamação da área retal, provocada pela doença de Crohn ou outra doença inflamatória intestinal como a retocolite ulcerativa;
  • Esforço durante o parto o traumatismo da pele entre a vagina e o ânus (períneo) pode provocar uma fissura;
  • Pós-operatório de cirurgias da região anal (hemorroidas, fístulas, etc).

Se a ferida está localizada em uma região diferente da linha média posterior ou anterior, é possível que a causa da doença esteja relacionada à outro problema.

Em casos mais raros, a ferida pode ser decorrência de:

Grupos de risco

Existem alguns grupos mais propensos a desenvolver a fissura anal. São eles:

  • Crianças (especialmente durante o primeiro ano de vida);
  • Idosos (adultos mais velhos possuem uma circulação mais lenta, o que resulta em uma diminuição do fluxo sanguíneo para a área retal);
  • Pessoas que sofrem de prisão de ventre (a constipação provoca o endurecimento das fezes, o que pode causar traumas no revestimento do ânus);
  • Parturientes (o esforço durante o parto pode provocar fissuras anais);
  • Pessoas com doença de Crohn (a inflamação no revestimento intestinal torna o tecido ao redor do ânus mais propenso a rasgar).

Sintomas

Os principais sintomas da doença são a dor e o sangramento. É comum o paciente se queixar de dores intensas durante e após a evacuação. Além disso, pode haver também o surgimento de sangue no vaso sanitário ou no papel higiênico.

Outros sintomas da fissura anal são:

  • Desconforto anal ao sentar;
  • Coceira e ardência após evacuar;
  • Pequena rachadura visível na pele ao redor do ânus;
  • Comichão ou irritação ao redor do ânus;
  • Um pequeno caroço ou marca de pele ao redor da fissura;
  • Prurido anal.

O sangramento decorrente de uma fissura anal possui um aspecto vermelho brilhante. Caso a coloração do sangue seja mais escura e misturada às fezes, o problema pode ser considerado mais grave. Busque ajuda médica imediatamente.

Qual a diferença entre hemorroida e fissura anal?

Alguns sintomas da fissura anal podem ser facilmente confundidos com hemorroida. Mas apesar das duas doenças se manifestarem no canal anal, existem condições que podem diferenciá-las.

Primeiramente, é preciso entender o que são hemorroidas: vasos sanguíneos dilatados localizados no revestimento do ânus. Já a fissura anal, como dito anteriormente, se trata de uma rachadura no tecido cutâneo da região. Ambas as patologias podem provocar sangramento e dor na evacuação, mas casos de dor recorrente costumam se tratar de fissura anal crônica.

Outras condições anorretais como o prurido, abscesso e fístula podem apresentar sintomas semelhantes. A melhor maneira de diferenciá-las é por meio do exame físico. Portanto, busque ajuda médica para um diagnóstico e tratamento correto.

Quando devo procurar um médico?

Procure ajuda médica sempre que tiver dor ou sangramento durante ou após a evacuação. Mesmo que a cicatrização da fissura aconteça espontaneamente, é importante buscar orientação casos os sintomas persistam.

Como é feito o diagnóstico da fissura anal?

O diagnóstico da doença pode ser feito a partir da análise dos sintomas e da observação da área ao redor do ânus, já que o corte ou rachadura é, na maioria das vezes, visível. Em alguns casos, o médico — geralmente, um proctologista — poderá solicitar um exame retal para confirmar o diagnóstico. Entretanto, esse método pode ser evitado por ser bastante doloroso ao paciente em algumas situações.

A partir da localização da fissura, o médico poderá encontrar as possíveis causas da doença. Se a rachadura aparece ao lado da abertura anal, existe uma maior chance de que o paciente esteja com uma condição subjacente. Nesse caso, o profissional pode solicitar os seguintes exames:

  • Colonoscopia: exame que insere um tubo flexível no reto para inspecionar o cólon e verificar a presença de doença inflamatória intestinal, como a doença de Crohn.
  • Sigmoidoscopia: exame que insere um tubo fino e flexível pelo reto, para analisar a parte     inferior do cólon.
  • Gastrointestinal Superior (UGI): teste de raio-x utilizado para examinar as seções superior e médio do trato gastrointestinal.
  • Eletromanometria anorretal: exame que analisa o funcionamento da musculatura ao redor do ânus, usado para auxiliar o diagnóstico de fissura anal como manifestação     de doença inflamatória.

Fissura anal tem cura? Qual o tratamento?

A fissura anal é uma doença tratável, que tende a desaparecer sozinha em um período de quatro a seis semanas. Na maioria dos casos (fissuras anais agudas), o tratamento é feito sem a necessidade de intervenção cirúrgica.

Tratamento clínico

Inicialmente, o tratamento é feito de maneira clínica com a ajuda de alguns métodos caseiros:

  • Banho de assento com água morna;
  • Ajuste da dieta com maior ingestão de fibras e líquidos;
  • Consumo temporal de laxantes (sob recomendação médica).

É possível ainda que o especialista recomende a aplicação de um anestésico injetável na zona retal para facilitar a cicatrização. Esses métodos conservadores costumam apresentar uma taxa de 90% de cura.

Em último caso, injeções de botox podem ser aplicadas para paralisar temporariamente os músculos da região. Entretanto, vale ressaltar que esse método apresenta a incontinência fecal como complicação mais comum.

Como fazer banho de assento para fissura anal

Para fazer um banho de assento você vai precisar de:

  • Banheira, bacia rasa ou assento sanitário;
  • Água morna (temperatura entre 30 e 40 ºC);
  • Sal ou bicarbonato de sódio (opcional, verifique com seu médico).

Siga os passos a seguir:

  1. Encha a banheira, bacia ou assento sanitário com a água morna e adicione o sal ou bicarbonato de sódio, se for o caso. A quantidade de água deve ser suficiente para cobrir as nádegas e o quadril.
  2. Encaixe o recipiente sobre o vaso sanitário para que fique mais confortável. Se não for possível, coloque-o no chão.
  3. Sente-se com as pernas para fora e os pés apoiados no chão. Permaneça nessa posição por 15 a 30 minutos.
  4. Ao terminar o banho de assento, seque a área dando batidinhas com uma toalha limpa de algodão.

Esse procedimento pode ser feito de 2 a 4 vezes ao dia.

Tratamento cirúrgico

A cirurgia de fissura anal é chamada de esfincterotomia anal. Esse procedimento consiste no corte de uma pequena porção do músculo de revestimento anal, com o intuito de reduzir o espasmo e a dor, e promover a cura.

De acordo com estudos, o tratamento cirúrgico é muito mais eficaz do que qualquer outro. Em contrapartida, essa cirurgia pode acarretar em incontinência fecal e levar à incapacidade de controle na saída de gases, escape fecal leve e até mesmo perda de fezes sólidas.

Em que casos é preciso de cirurgia?

Em quadros de fissura anal crônica, em que não houve cicatrização após tratamento clínico, a cirurgia pode ser recomendada.

Quando o paciente sofre de outras doenças anais, como a hemorroida, existe também a possibilidade de indicação de tratamento cirúrgico.

Medicamentos para fissura anal

Alguns tipos de medicamentos costumam ser combinados com cremes anestésicos para facilitar a cicatrização e diminuir a dor, são eles:

  • Esteroides: ajudam a reduzir a inflamação e são recomendados especialmente antes de um movimento intestinal.
  • Nitroglicerina: provoca o relaxamento do esfíncter anal interno e diminui a pressão de repouso anal.
  • Bloqueadores de canais de cálcio: auxiliam a relaxar os músculos do esfíncter interno e a aumentar o fluxo sanguíneo na região anal.

Pode haver ainda a prescrição de laxantes para favorecer a eliminação das fezes e analgésicos (como o Paracetamol e Ibuprofeno), em casos de dor prolongada.

Pomadas para fissura anal

As pomadas comumente indicadas por especialistas para o tratamento das fissuras são:

As pomadas com propriedades cicatrizantes como a Bepanthene, Bepantol ou Hipoglós também podem ser utilizadas no tratamento.

Atenção!

NUNCA se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico. Somente ele poderá dizer qual medicamento, dosagem e duração do tratamento é o mais indicado para o seu caso em específico. As informações contidas neste site têm apenas a intenção de informar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um especialista ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Siga sempre as instruções da bula e, se os sintomas persistirem, procure orientação médica ou farmacêutica.

Convivendo

Confira algumas dicas e medidas para aliviar os sintomas da doença e acelerar o processo de cicatrização.

  • Insira fibras na sua dieta! Alimentos como as frutas, legumes e cereais integrais ajudam a regular o intestino e evitar a constipação. A ingestão diária recomendada de fibras está entre 20 e 40 gramas.
  • Beba bastante água! Juntamente com as fibras, a hidratação ajuda a amolecer as fezes. O ideal é beber entre 1,5 a 2 litros de água por dia.
  • Não force a evacuação e não tenha pressa na hora de evacuar! O esforço pode provocar novas fissuras. Aumente a quantidade de fibras e líquidos para facilitar a evacuação.
  • Pratique exercícios físicos regularmente! Alguns minutos de atividade todos os dias ajudam a favorecer os movimentos intestinais e aumentar o fluxo sanguíneo em todas as partes do corpo.
  • Substitua o papel higiênico por lenços umedecidos! Os lenços são menos agressivos à pele ferida.

Complicações

Em algumas situações, o paciente pode apresentar:

  • Falha na cicatrização (fissuras anais que não são curadas dentro de seis semanas são consideradas crônicas, o que pode acarretar na necessidade de intervenção cirúrgica);
  • Recorrência (ao desenvolver uma fissura anal, a chance de ter a doença novamente é maior);
  • Extensão da ferida até os músculos adjacentes (isso torna a fissura mais difícil de curar, o que pode desencadear um ciclo de desconforto e a necessidade de cirurgia).

As fissuras anais podem provocar câncer de cólon?

As fissuras anais não aumentam o risco e nem causam o câncer de cólon. Entretanto, alguns sintomas semelhantes da doença podem ser provocados por condições mais graves. Por esse motivo, os casos de sangramento retal devem ser bem investigados.

Como prevenir a fissura anal?

Para diminuir o risco da doença, você deve evitar os fatores desencadeantes, como a constipação (prisão de ventre). Alguns hábitos e comportamentos podem ajudar:

Tenha uma alimentação equilibrada e rica em fibras

Uma vez que as fibras ajudam a regular o intestino e são a melhor maneira de evitar a constipação, é importante que elas estejam presentes na sua alimentação regularmente.

Para combater a prisão de ventre de forma efetiva, dê preferência aos alimentos com fibras insolúveis, como: ervilha, amendoim, lentilha, feijão, aveia, cevada, laranja, batata doce, abacate, semente de linhaça, entre outros.

Evite frituras e alimentos ricos em gordura

A gordura presente nos alimentos dificulta a digestão e tende a causar a sensação de estômago pesado. As frituras são pobres em fibras e ricas em gorduras, e por isso também devem ser evitadas.

Evite o excesso de açúcar e sódio na alimentação

Refrigerantes (em todas as versões), xaropes, bolachas e biscoitos devem ser evitados. Esses alimentos costumam ser ricos em açúcar e/ou sódio e podem prejudicar o funcionamento do intestino.

Beba bastante água

Beber de 1,5 a 2 litros de água por dia juntamente com a ingestão de fibras permite que as fezes fiquem mais volumosas e menos endurecidas. Isso vai facilitar o processo de evacuação.

A quantidade de água recomendada por dia depende de alguns fatores, como: nível de atividade física, peso, metabolismo, dieta, consumo de álcool. Consulte seu médico para uma avaliação correta.

Consuma iogurte diariamente

Os iogurtes contêm bactérias probióticas benéficas à saúde que atuam no equilíbrio da flora intestinal e em disfunções, como a diarreia e a constipação. É importante que o consumo seja feito juntamente com fibras para que o efeito de ambos seja potencializado.

Mastigue os alimentos corretamente

Ao mastigar os alimentos lentamente, a digestão e a absorção de nutrientes é favorecida. Isso faz com que os alimentos cheguem até o estômago e, posteriormente, ao intestino de forma mais leve. Esse hábito pode evitar o surgimento de diversos distúrbios como os gases e o desconforto abdominal.

Pratique exercícios regularmente

Os movimentos intestinais são favorecidos quando praticamos uma atividade física regularmente. A prática de exercícios durante 30 minutos por dia pode manter o bom funcionamento do intestino e evitar a constipação.

Trate imediatamente um caso de diarreia

Os casos de diarreia prolongada podem promover a irritação ou lesão da mucosa anal. Isso facilita o surgimento das fissuras. Outras lesões anorretais como as hemorroidas também podem provocar a doença.

Mantenha a área anal seca

Procure deixar a região do ânus sempre limpa e seca. Essa recomendação é importante, pois ajuda a evitar o surgimento de outros distúrbios anorretais. Utilize um pedaço de algodão para evitar a umidade e evite o uso de toalhas ásperas.

Fissura anal em crianças

Para evitar o surgimento das feridas nos bebês, troque as fraldas regularmente. Esse processo ajudará a manter a região limpa e seca, além de prevenir assaduras.


Uma alimentação equilibrada aliada à prática regular de atividades físicas pode diminuir os riscos de desenvolver a fissura anal. Procure sempre manter hábitos saudáveis e, no caso de surgimento da doença, siga corretamente o tratamento.

Conseguiu esclarecer suas dúvidas? Compartilhe essas informações!

17/04/2019 16:54

Mayra (Minuto Saudável)

Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável. Confira mais na nossa página de quem somos.

Ver comentários

  • Eu tive uma fissura anal crônica e que gerou um plicoma, a pouco tempo para piorar tive uma abcesso perianal que desencadeou uma fistula. Fiz a cirurgia em dezembro, retirei o plicoma, fissura e fistula, já estou há 7 meses e fissura não curou. Usei várias pomadas, cauterização com ácido e por último fiz aplicações diárias de nitrato de prata e mesmo assim não curou. Próxima semana vou refazer a cirurgia para tratar essa fissura. Se persistir a fissura, procurem logo a cirurgia é o meio mais rápido e a dor do pós cirúrgico não maior da que sentimos diariamente.

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

    • JC
      Há 20 anos atrás fui operado 3 vezes no espaço de ano e meio, tendo na altura passado um longo tempo de recuperação
      De facto cada caso é um caso e pelo que percebo da doença só o nome é igual
      Fui operado em final de Abril 2018 a uma fístula perianal e quando se pensava que estava resolvido eis que tive de ser novamente operado desta vez em 27-9-2018
      Neste momento estou a recuperar relativamente bem tenho dias sem dores como outros em que entro em desespero
      Deve de se beber muita água diariamente, evitar comidas com gordura e fritos e comer frutas e iogurtes
      Bastantes lavagens diárias, limpeza com muito cuidado e paciência...
      Um abraço

      Cancelar resposta

      Deixe uma resposta

      Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

    • Aplicações (Injeções ) de BOTOX é um tratamento eficaz e que faz efeito rápido,pergunte ao seu médico onde pode encontrar este tratamento com injeções de botox na sua região.Porém se vc nao mudar estilo de vida no que se refere a alimentação pode fazer o tratamento que existir,se nao mudar isso a alimentação volta mesmo.

      Cancelar resposta

      Deixe uma resposta

      Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Quanto custa uma cirugia para hemorroida. Está sangrando muito e não sei o que fazer

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

    • Olá Joelson!

      É importante que você saiba que hemorroida e fissura anal são condições diferentes. Da mesma forma, existem alguns tipos de procedimento que podem ajudar a resolver ambos os problemas. O valor vai depender do tipo de cirurgia. Por isso o primeiro passo é consultar um proctologista ou clínico geral para obter o diagnóstico e conhecer a melhor forma de tratamento para o seu caso.

      Cancelar resposta

      Deixe uma resposta

      Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Parabéns pelo texto! Muito obrigado pelas informações, foram de grande valia.
    Que Deus abençoe sua vida!

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Eu sou gay passivo e tenho agora um parceiro sexual fixo, qual a dica para manter relações anais sistemáticas e manter o ânus saudável, sem assaduras? Esta questão é muito importante para nós gays.

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

    • Olá, Francis.

      A principal dica para evitar fissuras, assaduras e possíveis sangramentos é tratar toda a vez como se fosse a primeira. Isso quer dizer que é importante sempre ir com calma, respeitando o tempo do corpo e usar lubrificante a base de água sempre! Respeitando os limites do próprio corpo e usando proteção, você pode fazer com a frequência que desejar!

      Cancelar resposta

      Deixe uma resposta

      Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Não sinto dor, sim ardor e desconforto anal, passo de 3 dias p defecar e quando defeso sai grosso, apareceu umas carnes ao redor do meu anus. è um desconforto. n sangra .

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • OLA .. Eu tenho fissura a mais de um ano .. eu acabei nao fazendo tratamento com pomadas e nada. não sinto dor, ela apenas existe .. Me incomoda em saber que ela ali, vou começar a fazer o tratamento com pomada. Minha duvida é, já faz mais de um ano e conforme li , é uma cicatrização não demorada e até mesmo pode cicatrizar sozinho sendo aguda.. o meu no caso é cronico?sera que só com cirurgia?

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

    • Olá!

      Fissuras não cicatrizadas por um longo período caracterizam sim uma condição crônica. Nesses casos, a cirurgia costuma ser a melhor opção. Porém, essa avaliação só pode ser feita por um médico, a partir de exame clínico. Consulte um proctologista!

      Cancelar resposta

      Deixe uma resposta

      Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • tem dois meses fui diagnosticado com fissura anal realmente é um desconforto terrível não tenho sangramento ao defecar mais sinto coceira e uma dor constante ao fazer o banho de acento me sinto melhor, ate o momento não melhorei mas amanha vou a outro proctologista. para ter a opinião de outro profissional.

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Eu tive minha filha a 4 meses,depois que ela nasceu eu fiquei quase 1 mês sem ir ao banheiro, e quando fui senti muita dor e fez uma ferida, toda vez que vou ao banheiro é um tormento.
    Como posso tratar?

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

    • Olá comigo não foi isso que aconteceu, foi um papel higiênico que eu usei e me causa um desconforto horrível no meu ânus muita cosseira o que eu faço

      Cancelar resposta

      Deixe uma resposta

      Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

    • Olá Paula!

      Você deve procurar um proctologista para iniciar o tratamento adequado.

      Cancelar resposta

      Deixe uma resposta

      Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

      • Parece facil de resolver, mas não é... esse problema de fissura não tem jeito, e os "médicos" só podem ajudar se for fazendo a cirurgia mesmo. Minha mãe morreu com uma fissura anal, ela tinha feito bariátrica e pra não ir ao banheiro ela não comia, quando ia ela faltava morrer de dor, saia chorando igual criança. Fiz tudo que podia, a levei nos melhores doutores proctologistas, todos me davam o mesmo tratamento que era pomada e alimentação adequada. Tentamos...mas ela se negava a comer com medo da dor... ela morreu por isso, pesava 49 quilos qd faleceu. Esses exames de consultorio são uma piada, só machucam ainda mais o paciente que ja está fragilizado e traumatizado com o sofrimento. Há aproximadamente 2 anos esse mesmo problema me assola, e sei que meus irmãos também estão com isso, estou completamente desacreditada nesses tratamentos não cirúrgicos. Infelizmente quem sofre com isso tem que aceitar se a cirurgia não resolver, tentar comer o que não fará mal, fazer exercicios se acostumar com a dor e o sofrimento.

        Cancelar resposta

        Deixe uma resposta

        Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Pessoal, eu já tive isso e resolvi o problema com a yoga (não sou adepto dessa filosofia de vida nem nada disso, mas resolveu pra mim!).

    Fissura crônica é, além de um problema de fezes duras, uma questão da falta de uma boa circulação sanguínea na região anal.

    Portanto, façam poses que fortaleçam e alonguem a região anal, diversas vezes ao dia.

    No início você pode sentir um incômodo, que é justamente o processo de cicatrização da ferida que estava estagnada.

    Mantenha sua alimentação equilibrada e continue com os exercícios, e eventualmente você irá melhorar.

    Boa sorte a todos!

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Isso doe de mais Socorro >_>

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Aplicações (Injeções ) de BOTOX é um tratamento eficaz e que faz efeito rápido,pergunte ao seu médico onde pode encontrar este tratamento com injeções de botox na sua região.Porém se vc nao mudar estilo de vida no que se refere a alimentação pode fazer o tratamento que existir,se nao mudar isso a alimentação volta mesmo.

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Uma dor tenebrosa,não desejo pra ninguém.
    Estou protelando fazer a cirurgia pois tenho obesidade mórbida.
    Por favor não usem papel higiênico;se possível usem ducha ou substituam por lenços umedecidos

    Desejo a todos saúde!

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Muito obrigado, eu estava apavorado e com todas essas informações por mais que não sejam tão boas mas contribuíram para que eu pudesse entender melhor. Irei procurar um médico e seguir com os procedimentos aqui esclarecidos juntamente com a indicação do mesmo
    👏👏👏🤗 Parabéns.. Muito Útil.. Obgd novamente

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Depois de diversas tentativas, banho de assento, pomadas como proctyl e ultraproct, e nada resolver, decidi tentar passar a pomada Novacort que tem sulfato de neomicina +cortisona na fórmula e como um passe de mágica a dor parou tanto na hora de ir ao banheiro como durante o dia, que como todos sabem dói o dia todo após a ida ao banheiro. Vale a pena tentar, a pomada custa uns 20 reais e para mim foi muito satisfatório o resultado.

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Pessoal, faço aqui meu relato, espero que possa ajudar vocês.
    Em maio deste ano, tive uma fissura bem grande, que se estendia até a parte interna do ânus. A dor era insuportável - doía o dia todo, não somente após defecar. Analgésicos não davam conta e eu não conseguia sequer dormir.
    O primeiro proctologista que consultei disse que meu caso era cirúrgico. Disse que eu teria três doenças anais - a fissura, um abscesso (pois encontrou uma secreção no reto) e uma hemorróida (bem pequena). Apressou-se em marcar a cirurgia e não fez prescrição de remédios ou de procedimentos para eu tratar a fissura. Como eu havia lido em inúmeros sites que normalmente primeiro tenta-se tratamento clínico, percebi que era necessária outra opinião.
    O segundo proctologista disse que eu provavelmente tinha uma doença autoimune (retocolite ulcerativa), e por essa razão meu reto estava inflamado e, assim, as fissuras ocorreram. Eu falei que não tinha notado nada de irregular nas fezes, nem sentido nenhuma dor no intestino. Sem qualquer exame, me passou um remédio para tratar a doença autoimune.
    Aí eu cansei. Resolvi por conta própria fazer as recomendações médicas que encontrei em sites do Brasil e no exterior - banho de assento, higiene cuidadosa, papel higiênico só se for para secar (NUNCA esfregar), pomada tópica sem corticoide, cuidados na alimentação e na hidratação.
    O banho de assento foi a MELHOR COISA que fiz. O alívio era imediato, tinha vontade de ficar o dia inteiro fazendo isso. Fazia umas 5 vezes durante a semana (e mais vezes ainda no final de semana). Uns 10-15 minutos cada vez. A água não pode estar apenas morna, tem que estar quente (como num banho BEM quente) - mas, óbvio que não a ponto de queimar a pele (cuidado, teste com o dorso da mão antes de sentar!)
    Isso foi a minha salvação. Em poucos dias, notei que a cicatrização estava avançando e que a dor, aos pouquinhos, reduzia. À noite, tomava ibuprofeno (o único analgésico desses "mais leves" que funcionava para mim), e então conseguia dormir melhor.
    Demorou, mas, em menos de um mês tomando todos os cuidados, a fissura fechou. Não tive recorrência, apesar de achar que hoje em dia não tenho a mesma facilidade de ir ao banheiro como eu tinha antes da fissura. Isso pode ter fundo psicológico, pois obviamente toda essa experiência me abalou um tanto.
    Procurei outro proctologista recentemente em outubro para ver se estava tudo bem. Ele disse que cicatrizou tão bem que não dava para ver qualquer marca da fissura. Orientou a manter alguns cuidados e, eventualmente, retornar. Quando falei das consultas que fiz na época, ele lamentou e disse que o procedimento a se seguir era exatamente o que eu fiz.
    Em resumo, deve-se primeiramente adotar cuidados simples. Tenha disciplina na rotina e seja paciente com o tempo que o corpo precisa para se recuperar. Sei que a dor é grande, mas se esforce em pensar que um dia aquilo vai passar. Por experiência própria, posso dizer que o psicológico é muito importante nesse processo. A cicatrização da fissura é lenta, mas, na maioria do casos, acontece espontaneamente.

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

    • Rafael, muito obrigada pelas suas palavras. Estou há 4 meses com essa agonia, dor o dia todo, já fui em vários médicos e nada está de fato ajudando. Querem fazer cirurgia mas não quero de forma alguma. O banho de assento é realmente um dos poucos remédios que ajuda na hora, além do apoio da lidocaína. Ainda estou bastante dolorida, mas suas palavras me deram esperança. Valeu!

      Cancelar resposta

      Deixe uma resposta

      Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Vocês irão ficar bom em nome do Senhor Jesus!
    Solução: beba água. Água pura, sem nada.
    Aprendi com um coloproctologista que segundo alguns institutos internacionais da área de saúde. Tem ótimos benefícios tomar 4 copos de água em jejum.
    Comecei a fazer este procedimento, foi como transformar água em vinho. Porém, no início, vc pode sentir um desconforto, não precisa virar copos de água, beba 1 copo, espere alguns minutos (1 a 4 minutos, por exemplo), beba mais um, conforme sentir que aquela água desceu.

    Comecei com 4 copos em jejum que é o recomendado, hoje tomo 7 e/ou mais que isso. Fezes moles. Prejudica menos a fissura e colaborará para sua cicatrização, diminuindo o atrito qdo passa as fezes. Detalhe, eu transpiro muito, mais que pessoas normais, eu acredito, pessoalmente bebo mais que 4 copos. E durante o dia, se hidrate bastante.

    Um bom coloproctologista poderá ajudar no tratamento mais rápido da fissura em si, cicatrização e tals... conforme ele achar melhor os procedimentos.

    Mas beber água, água pura sem nada, pode se tornar a cura. Claro, evite pães, coisas com farinha, massas brutas, e coisas que endurece as fezes. Frutas e legumes molinhos, podem ser bom na sua alimentação.

    Olha, o problema de quando fezes passa na fissura, corta.

    Passei por essa dura e difícil jornada, mas creia q são os últimos momentos dela em sua vida em nome do Senhor Jesus.

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Olá acho que minha fissura voltou
    Não chega a doer mais me incomoda é muito e como se as vezes ardesse em outras cocas e em outras parece que tá saindo um líquido, mais não sai nada só a sensação msm, estou usando a pomada proctosan e também já usei a pomada proctyl
    Alguém sabe de alguma outra boa e se remédios cicatrizantes naturais pode ser usado ?

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Bom dia tenho uma fistula perianal 2 cm proximo do esfíncter anal ja fui ao medico ele me falou que tinha fazer ciriurgia,fiz exames porem achei melhor nao fazer, pois poderia ter incontinência fecal ou reta, as vezes uma cirurgia so nao resolveria.Consigo conviver normal pois apos evacuar lavo com xampuo intimo dermacyd e nao da aquela coceira e ardencia. Ja fazem 20 anos que eu tenho. No ano as vezes fica dolorido e passo a pomada um tres dias ultaprockt e ja ta resolvido o problema. Tenho uma alimentação balanceada com uma fruta e verdura e vida de atleta ondem os dejetos nao sao solidos e vou levando a vida normal. As vezes fico pensando em fazer cirurgia, mas fico com medo de que usar fraudao devido a cirurgia for mau sucedida e ter incontinência fecal.

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Em 2015 tive uma fissura e tratei por conta própria, sarou dentro de duas semanas. Havia comprado proctyl e xilocaina para defecar sem sentir dor.
    No entanto, agora em 2019, apareceu outra fissura e dessa vez foi mais grave, ela se estendeu por toda a regiao anal externa, é uma dor horrível na hora de defecar, passo de uma semana sem ir no banheiro só com medo de sentir dor, tive que fazer lavagens com soluções de glicerina e o uso do Minilax ( não usem, é ácido e você sente uma queimação infeliz dentro de você e não passa por nada).
    Já estou com quase dois meses com esse problema, vou a médicos e eles não fazem nada, não examinam pra ver como está, nada, só me mandam fazer o exame de colonoscopia que é impossível de fazer com uma fissura.
    O psicólogico da pessoa fica extremamente abalado, o trauma que nos causa em ir ao banheiro é enorme, a dor é descomunal, mas tem que lutar contra ela pois é uma necessidade fisiológica do nosso corpo.
    Agora uma médica me passou uma pomada para fabricar na fsrmfarm manipulada de Nitrato de Nitroglicerina, esperando ficar pronta para começar a fazer o uso e cicatrizar.
    No mais, façam asseio, é super relaxante e também bebam muita água, de manhã em jejum beba 4 copos de água natural, no decorrer do dia bebam bastante, facam exercício de pompoarismo (apertando e afrouxando a região anal) vai ajudar na hora de defecar. Se apeguem com Deus pois só Ele para nos dar força.
    Não vejo a hora de cicatrizar logo e poder ir ao banheiro feliz da vida.

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Muito obrigada pelos depoimentos. Realmente muito interessante, há cinco meses passo por esse problema, sentir uma fissura, porém sem dores, procurei o médico que me aconselhou a procurar um proctologista, este fez um exame e depois a colonoscopia, depois disto comecei a sentir dores. Mesmo médico me aconselhou a cirurgia, mas não tenho vontade de fazer. São raras as dores, somente quando tenho diarreia, quando sinto uso uma pomada e alivia. minha preocupação é porque acreditei que com o tempo iria melhorar,mas infelizmente não. E fico apavorada pensando se valeria a pena fazer a cirurgia. Porém depois de ler os comentários, tenho mais certeza que não, pois a maioria fala que não resolveu.

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

    • Olá, Lidiane.
      Os depoimentos e relatos são sempre importantes e podem auxiliar no tratamento, sanar dúvidas e trazer mais confiança nas medidas adotadas. A troca de experiência pode ser bastante enriquecedora.
      Porém, é importante que você busque orientação médica. A opinião dos especialistas sobre a necessidade da cirurgia deve ser levada em consideração também. Por isso, esclareça suas dúvidas com o(a) profissional.

      Cancelar resposta

      Deixe uma resposta

      Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*