Para quem tem um cãozinho, a coleira é um item indispensável. Tanto para fins de identificação quanto para levá-lo para passear, ela é um dos acessórios mais procurados pelos donos de pet.

É possível encontrar muitos tipos de coleira, e cada um tem suas particularidades. Dependendo da raça, do porte e até mesmo do objetivo (como passear ou treinar), uma pode ser mais adequada que a outra.

Mas, afinal, como decidir qual a melhor opção para o seu amigo de quatro patas? Continue a leitura e saiba um pouco mais sobre esse item muito comum na vida dos animaizinhos.

Tipos de coleira para cachorro

Os tipos de coleira para cachorro são muito variados. Eles podem ser desde modelos simples usados apenas para identificação até as eletrônicas que ajudam a garantir a segurança do animal.

São alguns dos tipos mais usados:

Coleira tradicional (plana)

São as coleiras com um fecho simples, presas ao redor do pescoço do cão, e geralmente bem fáceis de encontrar.

Porém, ela pode não ser indicada para algumas raças — como o buldogue e o pug — porque possuem o pescoço mais largo do que a cabeça e a coleira pode acabar escapando.

Em cães muito peludos, ela também pode escorregar. 


Coleira peitoral

Essa é uma opção de coleira que prende os cachorrinhos com mais firmeza, com alças ao redor das patas dianteiras, segurando o peito.

Apesar de dificultar que o cão se solte, esse modelo pode estimular o animal a fazer puxões. Por isso, se o cachorro for muito grande ou agitado, a coleira peitoral pode não ser a melhor opção.

Coleira peitoral anti-puxão

A coleira peitoral também pode ser encontrada na versão anti-puxão (também conhecida como easywalk). Ela é presa no peitoral, porém, a guia (parte da coleira que o dono segura), em vez de ser presa nas costas, é presa no próprio peito.

Assim, quando o cachorro tentar puxar, ele será virado na direção do dono. 

Coleira Gentle Leader

A coleira Gentle Leader é presa ao pescoço do animal, assim como a tradicional. Porém, a diferença é que ela também passa pelo focinho do cachorro. A guia fica presa no fecho dessas duas partes.

Essa é uma ótima opção para adestrar cães muito agitados e bagunceiros. Isso porque caso o animal tente fazer puxões, ele sentirá um incômodo (mas que não o machuca).

É importante lembrar que os cachorros precisam de um tempo de adaptação a esse modelo, só devendo ser usada na rua depois que eles já estão acostumados. 

Coleira antipulgas e anticarrapato para cachorros

Existem também coleiras que têm um propósito diferente do passeio com o cão. É o caso das coleiras antipulgas e anticarrapato. Elas são feitas para evitar a proliferação desses parasitas.

As coleiras funcionam por meio do contato com o pelo do cachorro, em que são liberadas toxinas. Elas não fazem mal para o cão e não são voláteis, ou seja, não evaporam e contaminam o ar.

Normalmente, o produto tem uma validade de 3 meses. É importante consultar um veterinário antes de usá-las em seu animalzinho, pois a quantidade de toxinas precisa ser adequada ao porte.

Além disso, elas não devem ser usadas em fêmeas que estão amamentando filhotes, nem em cachorros com menos de 6 semanas de vida.


A coleira é um item indispensável para quem tem um cachorrinho ao seu lado. 

Nesse texto, mostramos alguns tipos de coleira para cachorro e de que forma elas funcionam para proporcionar um passeio agradável com o seu parceiro.

Para continuar tendo informações sobre o mundo pet, acompanhe os conteúdos do Minuto Saudável!


Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *