Ana Luiza (Minuto Saudável)
05/01/2019 20:00

Cortar carboidrato emagrece? Entenda os efeitos no organismo

Muitas dietas sugerem que seja seguida uma alimentação pobre em carboidratos ou, algumas vezes, com quantidades quase nulas do nutriente.

As chamadas dietas low-carb se popularizaram e são indicadas para diversos objetivos além do emagrecimento.

Entre os benefícios sugeridos, a melhoria na qualidade da alimentação, a manutenção da massa muscular, o favorecimento do bem-estar e o maior equilíbrio hormonal são os mais citados.

Os planos alimentares que têm ganhado fama e visibilidade são, principalmente:

  • Dieta low-carb: baixa ingestão de carboidratos, com cardápios variados;
  • Dieta paleolítica: alimentação baseada em alimentos naturais, consumidos pelos ancestrais humanos (baseada em vegetais, carne e frutas);
  • Dieta da proteína: eleva-se o consumo de proteínas magras (carne magra, ovos e leite desnatado), reduzindo o consumo de carboidratos;
  • Dieta do ovo: insere os ovos em 1 ou mais refeições diariamente, geralmente conciliada com a redução do consumo de carboidratos;
  • Dieta da batata-doce: em geral, o plano alimentar é indicado para atletas ou praticantes de atividades físicas intensas, pois oferece ao organismo uma fonte complexa de carboidratos. Assim, o organismo tem energia por períodos mais prolongados;
  • Dieta dos carboidratos complexos: a prática consiste em escolher apenas os alimentos com carboidratos complexos, ou seja, os bons. Entre eles, os cereais integrais e com alto índice de fibras.

O que acontece no organismo ao reduzir os carboidratos?

Quando o organismo não possui mais fontes imediatas de glicogênio para converter em energia, são iniciados processos que queimam ou gastam as células adiposas para obter a energia necessária.

Esse processo é denominado cetogênese. Em geral, a condição é um processo natural do organismo, que atua a fim de manter fontes energéticas caso haja um tempo muito grande sem receber alimentação, por exemplo, durante o sono.

O organismo, então, recorre às células de gordura para evitar a queda da glicemia (que pode acarretar danos severos ao organismo) e manter as funções celulares adequadamente.

Então, o processo de emagrecimento através da diminuição dos carboidratos faz com que o corpo seja induzido a recorrer ao tecido adiposo e, consequentemente, resulta na perda ou redução de medidas.

A adoção dessas práticas e dietas chamadas cetogênicas (que induzem o emagrecimento a partir da restrição de carboidratos) ainda gera debates e posicionamentos diversos de médicos e nutricionistas.

Enquanto alguns apontam que manter os níveis de ingestão de carboidratos reduzidos seria benéfico ao organismo, outros apontam que pode ocasionar a perda de massa muscular.

Além disso, os relatos de mal-estar, tonturas, fraquezas e dificuldade de adaptação à dieta são frequentes.

Em alguns casos, os sintomas diminuem e desaparecem ao longo das primeiras semanas da dieta, mas algumas pessoas podem apresentar persistência do mal-estar e incapacidade de se adaptar.

Leia também: Alimentos ricos em carboidrato: o que comer e o que evitar?

07/05/2019 14:46

Ana Luiza (Minuto Saudável)

Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável. Confira mais na nossa página de quem somos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*