Bactérias são microrganismos importantes para o equilíbrio ecológico e, algumas delas, participam até mesmo de funções no organismo humano. 

O problema é que nem todos os tipos são benéficos para nosso corpo. Algumas bactérias podem causar doenças, como é o caso da Staphylococcus aureus, que causa, entre outras, infecções na corrente sanguínea. 

Para esse tipo de situação, existem alguns medicamentos específicos e, entre eles, o Cubicin.

Continue lendo e saiba mais sobre a medicação!

Índice — neste artigo você vai encontrar:

  1. O que é o medicamento Cubicin e qual é o laboratório?
  2. Para que serve o medicamento Cubicin?
  3. Qual o mecanismo de ação do princípio ativo daptomicina?
  4. Como a bula indica aplicar Cubicin?
  5. Como diluir Cubicin?
  6. Qual a posologia?
  7. Quais os efeitos colaterais?
  8. Daptomicina e vancomicina: para que servem e qual a diferença?
  9. Qual o preço de Cubicin e onde comprar mais barato?
  10. Tem no SUS?
  11. É aprovado pela ANVISA?
  12. Como orçar?

O que é o medicamento Cubicin e qual é o laboratório?

Cubicin é um dos nomes comerciais do princípio ativo Daptomicina, medicamento antibacteriano utilizado no tratamento de infecções da pele, sangue e tecidos, causadas por algumas bactérias. 

É indicado para enfermidades em que bactérias causadoras são resistentes a outros antibacterianos como a Meticilina, Vancomicina e Linezolida. 

É fabricado pela Merck Sharp and Dohme — laboratório farmacêutico — e administrado via intravenosa (na veia).


Para que serve o medicamento cubicin?

O medicamento Cubicin serve para o tratamento, em adultos, de infecções complicadas da pele e tecidos abaixo dela e infecções da corrente sanguínea, causadas por algumas bactérias.

É utilizada também no tratamento de infecções no tecido que reveste a parte interna do coração. 

De forma específica, ele serve para:

Infecções da pele e tecidos moles

O Cubicin atua na melhora de infecções complicadas  na pele e tecidos localizados abaixo da pele, causados por algumas bactérias do tipo gram-positivo. 

Caso haja infecções provocadas por outro tipo de bactéria (como as gram-negativo), pode ser realizado o tratamento juntamente com outras medicações, de acordo com as avaliações médicas.

Infecções na corrente sanguínea  e tecido interno do coração

O Cubicin age contra infecções na corrente sanguínea e tecido interno do coração, causadas pela bactéria Staphylococcus aureus (gram-positiva).

O medicamento apenas é ativado no combate às bactérias gram-positivas. 

Caso haja infecções provocadas por outro tipo de bactéria, como as gram-negativas, por exemplo, há a possibilidade de realizar o tratamento em conjunto com outros fármacos.

Qual o mecanismo de ação princípio ativo Daptomicina?

O princípio ativo Daptomicina é uma substância que tem ação antibacteriana, ou seja, atua no combate às bactérias.

Ela se liga à membrana das bactérias e causa uma despolarização do potencial da membrana, ou seja, permite o aumento da entrada de sódio na célula.

Isso faz com que haja a inibição da produção de DNA, RNA e proteínas na bactéria (substâncias essenciais para a sobrevivência), o que causa a morte do microrganismo.  

Como a bula indica aplicar Cubicin? 

O Cubicin é um medicamento de administração intravenosa, ou seja, aplicado na veia. 

De acordo com a bula, ele deve ser aplicado via injeção, por um período de 2 minutos, ou via infusão com duração de aproximadamente 30 minutos.

Em ambos os casos, o medicamento deve ser reconstituído por pessoas devidamente capacitadas e em ambiente adequado para se obter uma concentração de 50mg/mL.

Para cada via de administração, as etapas são:

Administração via injeção intravenosa

Para o preparo e aplicação via intravenosa, é necessário que o(a) profissional realize apenas a reconstituição do medicamento. Para isso, existem alguns passos. Eles são:

  1. Remover a tampa do frasco, deixando exposta a vedação de borracha;
  2. Limpar o topo da rolha com algodão embebido em álcool e esperar secar;
  3. Transferir 10mL de Cloreto de Sódio 0,9% para o frasco, através do centro de fechamento da borracha;
  4. Verificar se todo o pó do Cubicin foi umedecido pelo líquido;
  5. Deixar a solução descansar por aproximadamente 10 minutos;
  6. Para que a solução esteja completamente reconstituída, realizar movimentos circulares suaves com o frasco, por alguns minutos;
  7.  Remover o líquido do frasco com uma agulha;
  8. Realizar a aplicação por um tempo de 2 minutos.

Os materiais, após uso, devem ser descartados em local apropriado.

Durante ou após a reconstituição, é importante evitar a agitação brusca do frasco.

Administração via infusão intravenosa

Para a aplicação via infusão, além da reconstituição, é necessário que o(a) profissional faça a diluição da solução. Para isso, os passos são:

  1. Remover a tampa do frasco, deixando exposta a vedação de borracha;
  2. Limpar o topo da rolha de borracha com algodão embebido em álcool e esperar secar;
  3. Transferir 10mL de cloreto de sódio 0,9% para o frasco, através do centro de fechamento da borracha;
  4. Assegurar que todo o pó de Cubicin seja umedecido pelo líquido;
  5. Deixar a solução descansar por 10 minutos;
  6. Para que a solução seja completamente reconstituída, realizar movimentos circulares suaves com o frasco, por alguns minutos;
  7. Diluir a solução com cloreto de sódio 0,9% até alcançar a concentração de 50mL;
  8. Realizar a aplicação por um tempo de 30 minutos.

Após utilizados, os materiais devem ser descartados em local apropriado.

Como diluir Cubicin?

O processo de diluição consiste em reduzir a concentração de uma solução por meio da mistura com algum diluente. No caso do Cubicin, o diluente utilizado é o cloreto de sódio 0,9%. Para realizar o processo, existem alguns passos a serem seguidos pelos profissionais.

Eles são:

  1. Transferir a solução já reconstituída para uma seringa;
  2. Na mesma seringa, aspirar a quantidade definida pelo médico responsável, de cloreto de sódio 0,9%.

Após a mistura de ambos os líquidos na seringa, a diluição está pronta. 

Qual a posologia?

Para pacientes adultos, de acordo com a bula, o Cubicin deve ter posologias diferentes para cada doença.

Para infecções da pele e tecidos moles, é indicada a aplicação 1 vez a cada 24 horas, durante um período de  7 a 14 dias, ou até que a infecção seja eliminada.

Já para as infecções da corrente sanguínea, o medicamento deve ser administrado 1 vez a cada 24 horas, por um período de 2 a 6 semanas. 

Não é recomendado realizar a administração do medicamento mais de 1 vez ao dia.

Apesar das indicações, siga sempre as orientações de um(a) profissional.

Quais os efeitos colaterais?

Assim como outros medicamentos, o Cubicin pode provocar efeitos colaterais em algumas pessoas.

As reações comuns de ocorrerem podem ser:

  • Infecções fúngicas (causadas por fungos);
  • Ansiedade;
  • Insônia;
  • Anemia;
  • Infecção do trato urinário;
  • Tontura;
  • Dor de cabeça;
  • Dor abdominal;
  • Pressão sanguínea alta ou baixa;
  • Vômito;
  • Gases;
  • Diarreia;
  • Prisão de ventre;
  • Erupção cutânea;
  • Coceira;
  • Inchaço abdominal;
  • Febre;
  • Dor nos braços;
  • Dor nas pernas;
  • Fraqueza;
  • Vermelhidão no local da infusão.

Algumas reações incomuns, mas que podem ocorrer, são:

  • Aumento ou diminuição no número de plaquetas no sangue;
  • Aumento de glóbulos brancos;
  • Inflamação dos gânglios linfáticos;
  • Tremores;
  • Rubor;
  • Arrepios;
  • Candidíase vaginal;
  • Candidíase oral;
  • Diminuição do apetite;
  • Irritação ocular;
  • Fadiga;
  • Boca seca;
  • Inflamação cutânea;
  • Cãibras musculares;
  • Parada cardíaca;
  • Zumbido;
  • Baixa concentração de magnésio no sangue (hipomagnesia);
  • Alucinação;
  • Mudanças no estado mental;
  • Distúrbios da função renal;
  • Indigestão;
  • Dor nos músculos e articulações;
  • Formigamento nas mãos e pés.

Os efeitos raros constatados na bula são:

  • Amarelamento da pele e olhos;
  • Dormência nos braços e pernas;
  • Sensação de queimação nos braços e pernas;
  • Erupção cutânea;
  • Tosse;
  • Nefrite túbulo-intersticial (inflamação renal).

Além disso, existem alguns sintomas graves que, caso ocorram, devem ser informados ao(à) médico(a) responsável imediatamente. Eles são:

  • Dor ou aperto no peito;
  • Respiração ofegante;
  • Dificuldade de respirar;
  • Tosse;
  • Febre;
  • Vermelhidão;
  • Erupções cutâneas e urticária;
  • Manchas vermelhas com pus na pele;
  • Inchaço da face, pescoço e garganta;
  • Desmaio.

Apesar das reações listadas, vale lembrar que cada organismo reage de forma diferente ao medicamento. Dessa forma, não necessariamente todos(as) os(as) pacientes sofrerão com os efeitos colaterais.

Daptomicina e vancomicina: para que servem e quais as diferenças?

Tanto o Daptomicina quanto o Vancomicina são princípios ativos utilizados no combate a infecções causadas por bactérias, porém, têm algumas diferenças entre si.

O Vancomicina, além de tratar infecções da pele, corrente sanguínea e tecidos do coração, atua também no combate à pneumonia e infecções ósseas, doenças que não são tratadas pelo Daptomicina.

Além disso, a administração é uma diferença entre os fármacos. 

Enquanto o Daptomicina tem como opção a aplicação via injeção ou infusão intravenosa, o Vancomicina é administrado apenas por infusão, ou seja, gota a gota na veia.

A posologia dos fármacos também é distinta, logo, as concentrações e frequências de uso indicadas pelo(a) médico, em geral, também serão. 

Qual o preço de Cubicin e onde comprar mais barato?

O preço do Cubicin pode variar de acordo com a região geográfica e estabelecimento de compra. 

Em geral, seu valor é de aproximadamente R$1899* e pode ser encontrado em farmácias físicas e online.

*Preços consultados em fevereiro de 2020. Os valores podem sofrer alteração. 

Caso haja a necessidade de comparar preços, há a possibilidade de utilizar o site do Consulta Remédios, que indica os valores de remédios em diferentes farmácias de cada região. 

Além disso, é possível realizar a compra diretamente na plataforma, escolhendo assim a opção mais econômica. 

Daptomicina  tem no SUS?

Não. O princípio ativo Daptomicina não faz parte da Relação Nacional de Medicamentos Essenciais (Rename), ou seja, da lista de medicamentos diretamente distribuídos pelo SUS.

Apesar disso, em casos de o(a) paciente ter prescrição médica e não poder arcar com os custos do fármaco, há a possibilidade de solicitar a cobertura do tratamento pelo Estado, entrando na justiça.

Para isso, é necessário abrir um processo judicial e apresentar alguns documentos como laudo médico e o orçamento do remédio em 3 farmácias diferentes. 

É aprovado pela ANVISA?

Sim. O Cubicin teve seu primeiro registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) no ano de 2008, pela empresa farmacêutica Novartis. 

Após vencida sua licença, foi registrado novamente no ano de 2017, pelo laboratório farmacêutico Merck Sharp and Dohme.

Como orçar Cubicin?

Para casos em que o(a) paciente receba a prescrição médica e não tenha como arcar com o tratamento, há como solicitar a cobertura da medicação pelo Estado. 

Para isso, é necessário abrir um processo judicial e apresentar alguns documentos. Entre eles:

  • Laudo Médico;
  • Exames;
  • Requerimento padrão;
  • Orçamento em 3 farmácias diferentes.

Para a realização do orçamento, é possível obter auxílio na Assessoria de cotação de medicamentos de alto custo, que faz uma cotação personalizada de forma simples e rápida. Basta acessar o link e preencher os dados necessários.


Bactérias são microrganismos importantes para a saúde do nosso corpo. Porém, algumas delas podem causar doenças em seres humanos. 

É o caso de algumas inflamações da pele e sangue. Para tratar e aliviar os sintomas desse tipo de problema, existem medicamentos como o Cubicin.

Quer saber mais sobre medicações? O Minuto Saudável tem mais conteúdos completos para você! Continue lendo!


Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.