Ácido Úrico Alto: sintomas, tratamento, o que comer e mais

21

O que é o ácido úrico?

Ácido úrico é um composto criado pelo fígado a partir da metabolização das purinas, um tipo de substância presente em diversos alimentos, principalmente nos de origem animal. Apesar disso, apenas 40% das purinas são ingeridas nos alimentos já que nosso próprio corpo é responsável pela produção dos outros 60%.

O ácido úrico é um composto natural em nosso corpo, mas cardápios ricos em purina aumentam consideravelmente a quantidade dele no sangue.

PUBLICIDADE

Ácido úrico elevado

Ele é considerado alto quando está em concentrações acima de 7 mg/dL de sangue em homens e 6 mg/dL em mulheres, já que até a menopausa, o estrogênio facilita a eliminação da substância, que é feita pelos rins.

Quando está alto, o ácido úrico é capaz de causar problemas no corpo. Ele não é uma substância muito solúvel, portanto em concentrações maiores do que 7 mg/dL de sangue, o ácido pode perder a solubilidade e se solidificar, criando cristais de urato de sódio. Estes cristais são a causa do problema e são o que pode causar doenças.

Índice – neste artigo você encontrará as seguintes informações:

  1. O que é o ácido úrico?
  2. Causas
  3. Sintomas
  4. Ácido úrico alto na gravidez
  5. Diagnóstico
  6. Tratamento
  7. Medicamentos
  8. Convivendo
  9. Prognóstico
  10. Complicações
  11. Prevenção

Causas

O aumento de ácido úrico tem relação com a capacidade dos rins de eliminar a produção extra do fígado. Estima-se que 25% dos homens possuam mais do que 7mg/dL de ácido úrico em seu sangue, o que não necessariamente quer dizer que haverá uma doença, mas as chances se tornam maiores.

Alimentação

O caso mais frequente é que a alimentação contenha purinas demais. Isso faz com que o fígado produza mais ácido úrico do que os rins podem eliminar.

PUBLICIDADE

Alimentos que aumentam o ácido úrico são principalmente de origem animal, como carnes vermelhas, mas o álcool também é capaz de fazer isso.

Problemas renais

Insuficiência renal é capaz de causar dificuldades na eliminação do ácido úrico, assim como outros problemas renais. Isso faz com que a substância se acumule no sangue. É um jeito raro de se aumentar o ácido úrico em comparação à alimentação, que é o mais comum.

Sintomas

Ácido úrico elevado não necessariamente apresentará sintomas, mas quando o faz, causa doenças. Existe uma possibilidade maior de os sintomas se apresentarem caso o paciente esteja acima do peso.

PUBLICIDADE

Os sintomas são os seguintes:

Gota

A gota é a principal doença relacionada ao ácido úrico elevado. Acontece quando o ácido úrico se solidifica em urato de sódio e entra nas articulações, causando inflamações. Isso causa inchaços e dores extremas.

É especialmente comum pois quanto menor a temperatura, mais facilmente o ácido úrico se solidifica, e as articulações possuem temperaturas de 32 graus celsius ao invés dos 37 graus do sangue.

Assim, quando o ácido úrico em alta concentração passa por uma articulação, as chances de ele se transformar em urato de sódio são maiores.

PUBLICIDADE

Gota é mais frequente em homens idosos, apesar de poder afetar jovens e mulheres. A doença causa crises de dor que podem durar semanas e que desaparecem espontaneamente, mas podem voltar a qualquer momento.

A articulação mais comumente afetada é a do dedão do pé, mas ela pode alcançar outras articulações e provavelmente afetará várias delas no decorrer do tempo caso a doença não seja tratada.

Gota tofácea

Gota tofácea é o nome que se dá à gota quando ela é ignorada por muito tempo.

Depois de aproximadamente 20 anos sem tratamento, os depósitos de urato de sódio aumentam nas articulações e passam a aparecer também na pele, causando inchaços, dores extremas e deformações graves, frequentemente nas mãos, pés e cotovelos.

Os depósitos passam a ser chamados de tofos, que podem ser grandes e múltiplos.

Cálculos renais

Outro risco que existe com o ácido úrico elevado é o de surgimento de cálculos renais, as famosas e dolorosas pedras no rim. Diferente da gota, os cálculos renais causados por ácido úrico dependem mais da acidez da urina e da quantidade de ácido excretado por dia ao invés da quantidade de ácido no sangue.

Caso a urina tenha um pH constantemente abaixo de 5,5 (os valores normais são entre 4,6 e 8,0) e mais de 1100 mg de ácido úrico seja excretado diariamente, o risco de cálculo renal é maior. Esse tipo de valor de excreção de ácido úrico só é comum em pessoas com concentração de mais de 9,0 mg/dL de sangue, o que é bastante alto.

Lembrando que o pH urinário é influenciado pela alimentação e que quanto menor o número do pH, mais ácida é a urina.

As pedras no rim são conhecidas por serem extremamente dolorosas, frequentemente classificadas por pacientes como “a pior dor que já tive na vida”. Quando a pedra fica imóvel no rim, ela pode passar despercebida, mas quando entra no ureter, o canal que leva a urina dos rins para a bexiga, e fica presa lá, a dor é excruciante.

Ela começa de forma repentina e dura em média de 4 a 6 horas para passar.

Pedras pequenas o bastante podem passar por todo o sistema urinário despercebidas até que o paciente ouça a pedra bater no vaso sanitário. Algumas podem ser pequenas o bastante para passar pelo ureter até a bexiga para então ficarem presas na uretra, causando dor.

Pedras entre 0,5 e 0,9 cm podem passar pelo sistema urinário, causando muita dor. Já pedras de mais de 1 cm de diâmetro não conseguem passar pelo sistema urinário e devem ser retiradas cirurgicamente.

Cálculos grandes podem bloquear completamente o ureter, causando inchaço nos rins e danificando-os.

Nefropatia por urato

Pode haver deposição de ácido úrico nos rins, o que causa inflamação e pode levar a insuficiência renal crônica. Isso acontece com o bloqueio dos túbulos renais, que ao ficarem bloqueados, não deixam a urina passar, reduzindo a produção. A inflamação pode causar fibroses, o que leva a insuficiência renal.

Esta condição, entretanto, só costuma acontecer em altíssimas concentrações de ácido úrico no sangue. 13 mg/dL em homens e 10 mg/dL em mulheres.

Outras doenças

Existem outras doenças que podem ter relação com o nível elevado de ácido úrico. Estudos indicam relação entre níveis elevados da substância e condições como hipertensão, diabetes e doenças cardiovasculares. Entretanto, não há provas de que essas doenças são causadas pelo ácido úrico.

Sabe-se, por exemplo, que pessoas hipertensas costumam ter valores elevados de ácido úrico, porém isso não significa que a substância seja a causa, especialmente porque a redução dos valores do ácido no sangue dos pacientes não altera a condição de hipertensão, entre outros motivos. Portanto, essas conexões são, por enquanto, apenas suspeitas.

Ácido úrico alto na gravidez

O ácido úrico, no início da gravidez, é reduzido pelo próprio corpo, e volta a se elevar no terceiro trimestre de gestação. Porém, especialmente se a grávida tiver pressão alta, o ácido úrico se elevando durante o primeiro ou o segundo trimestre da gravidez pode elevar os riscos de pré-eclâmpsia.

Esta é uma doença caracterizada por pressão alta durante a gravidez e que pode evoluir para a eclâmpsia, que pode causar convulsões, coma e a morte, além da perda do bebê ou o nascimento prematuro da criança.

A pré-eclâmpsia é uma condição grave e precisa ser tratada com urgência.

Diagnóstico

O diagnóstico dos sintomas pode ser feito pelo clínico geral, nefrologista e reumatologista, através de exames de sangue que verificam a quantidade de ácido úrico presente no corpo.

Tratamento

Reduzir o ácido úrico é possível com controle da dieta e através de medicamentos. Nem sempre é necessário que haja o tratamento, já que é possível que o ácido úrico elevado não cause nenhum sintoma.

O tratamento medicamentoso é usado caso haja alguma doença relacionada ao ácido úrico (pedras no rim, gota, nefropatia por urato) e não é recomendado na maioria dos pacientes assintomáticos, mas deve ser feito, mesmo sem sintomas, caso haja concentração de mais 8,0 mg/dL acompanhado de excreção de 1100 mg de ácido úrico por dia na urina, ou em casos em que haja concentração maior do que 13 mg/dL em homens ou 10 mg/dL em mulheres.

Medicamentos

Medicamentos podem ser utilizados para o controle do ácido úrico no sangue, seja para reduzir a produção, seja para aumentar a excreção.

Reduzir produção

Aumentar excreção

Atenção!

NUNCA se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico. Somente ele poderá dizer qual medicamento, dosagem e duração do tratamento é o mais indicado para seu caso específico. As informações contidas neste site têm apenas a intenção de informar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um especialista ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Siga sempre as instruções da bula e, se os sintomas persistirem, procure orientação médica ou farmacêutica.

Convivendo

Conviver com ácido úrico elevado quando ele apresenta sintomas é uma questão de disciplina. O sintoma mais comum é a gota. Ela causa dor extrema nas articulações. Dieta é o meio mais fácil de manter a quantidade de crises sob controle.

Evitar alimentos que aumentem o ácido úrico no sangue (veja mais em “Prevenção”) pode evitar crises de gota, assim como pedras nos rins e outros possíveis sintomas do excesso da substância no sangue.

Perder peso pode ajudar a evitar os sintomas, além de reduzir o ácido úrico.

Prognóstico

Com tratamento, os níveis de ácido úrico podem ser reduzidos e é possível viver uma vida normal e sem dor. Basta seguir as orientações do médico. Com o uso dos medicamentos indicados e mudanças nos hábitos alimentares, as complicações causadas pela condição tornam-se muito mais raras.

Complicações

As complicações que podem ser causadas pelo ácido úrico alto não tratado podem ser resumidas na evolução das doenças que ele causa.

Gota

A gota, além de trazer dores fortíssimas, pode se espalhar por diversas articulações do corpo, causando mais e mais sofrimento ao paciente conforme o tempo passa. Além disso, pode evoluir em gota tofácea, que deixa as articulações deformadas e extremamente doloridas devido ao acúmulo de cristais de urato de sódio.

Cálculos renais

As pedras nos rins trazem dores extremas. Além disso, se a pedra for grande o bastante, pode obstruir o canal pelo qual a urina deveria passar. Isso pode levar a lesões sérias nos órgãos como os rins ou a bexiga.

Nefropatia por urato

Sendo a mais grave das condições que pode ocorrer devido ao acúmulo de ácido úrico, a nefropatia por urato pode bloquear canais dos rins, levando a sérias lesões no órgão, o que pode causar insuficiência renal grave.

Prevenção

Não é possível reduzir a produção de purinas do próprio corpo. Por isso, prevenir a elevação do ácido úrico no sangue é questão de alimentação. Não é necessário cortar, mas reduzir alimentos ricos em purina pode colaborar para a diminuição dos riscos.

Isso só é necessário caso a concentração de ácido úrico em seu sangue esteja acima do ideal.

Alimentos a se diminuir

Carnes vermelhas

Carne de boi, bacon, porco, vitela, cabrito, carneiro e miúdos (fígado, coração, rim, língua) são ricos em purina e aumentam o nível de ácido úrico no sangue.

Peixes e frutos do mar

Salmão, sardinha, truta, bacalhau, ovas de peixe, caviar, marisco, ostra e camarão podem elevar os riscos relacionados ao ácido úrico. Estes alimentos possuem muita purina.

Aves

Peru, frango e ganso também são ricos em purina.

Cogumelos

Fontes de ácido úrico, devem ser evitados por aqueles que querem reduzir o nível da substância no sangue.

Vegetais ricos em purina

Feijões, trigo, ervilha, castanhas, amendoim e avelã, além de outros, possuem purina e devem ter seu consumo reduzido ou evitado.

Bebidas alcoólicas

A cerveja possui mais purina do que as outras bebidas alcoólicas devido à fermentação. Porém, o próprio álcool é fonte de purinas e deve ser evitado.

Alimentos sem purina

Muitos alimentos contém a substância e fazer estas mudanças alimentares pode ser bastante difícil. Entretanto, ainda existe muita comida sem purina.

Frutas, verduras, arroz, batata, óleos vegetais, pães integrais, ovos, leite e derivados não possuem purina. Estes alimentos podem ser usados na alimentação de quem tem o ácido úrico alto.

Diuréticos também são recomendados para limpar o sangue, já que urinar com maior frequência ajuda na filtragem sanguínea. Alimentos como a alcachofra, a maçã e a melancia podem ajudar com isso.

Beber água

Beber de 1,5 a 2 litros de água por dia ajuda os rins a eliminar o ácido úrico pela urina. Isso pode reduzir os riscos relacionados à substância. Além disso, manter-se hidratado é sempre bom para a saúde.


Você aprendeu que o ácido úrico em excesso pode causar sérias dores nas articulações e nos rins. Compartilhe este texto com seus amigos para que eles conheçam estes riscos!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (41 votos, média: 4,80 de 5)
Loading...

21 Comentários

Atenção: os comentários abaixo são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

  1. excelente materia.elucidou minhas duvidas principalmente a respeito das particularidades da cerveja que sempre tive equivocadamente como salutar devido talves ao alto nivel da diurese.parabens!

  2. Matéria fácil de entender, muito esclarecedora, há pouco tempo meu resultado de exames acusou ácido úrico alto e fiquei meio confusa sobre as causas e efeitos, agora mais calma vou evitar alimentos e incluir outros em minha dieta, futuramente procuro um nutricionista pra montar uma dieta adequada. Obrigado

  3. Muito boa a matéria só uma q n ando indo pra médico nem fazendo exames tenho mania de alto mim medicar e agora depois de ter lindo essa matéria obtive tá nos esclarecimentos e percebi q estava fazendo tudo errado na minha vida, apesar de ser doloroso mas vai ser melhor pra mim (obrigado pelas orientações)

  4. Joaquim
    Suas informações foram concisas e cruéis; Nada do que é bom se pode comer, nem beber . Assim resta-nos alimentação sem qualquer tipo de interesse ou prazer ao paladar . (moral) Agora somos mortos-vivos. Obrigado pela informação

  5. Texto muito cativador pela abrangência como abordou o ácido úrico e o nosso corpo. Nem sempre é indispensável o rigor científico desde que conduza os leitores a interessarem-se mais pela qualidade de vida possível, através da auto-disciplina esclarecida, a seguir os conselhos e ordens dos médicos.

  6. Matéria excelente. Muito elucidativa. Adorei as orientações. Já fiz exames e estou em tratamento com meu médico. O Ácido Úrico deu 8,6mg/dl e a Glicose deu 117mg/dl. Me deu uma dor no polegar direito da minha mão e o medico receitou Colchis 0,5 para tomar. Mas, o importante é mudar um pouco os hábitos alimentares. Meio difícil mas não outra saida. Tomar muita água.

  7. Adorei a matéria está explicado as causas das minhas dores, o exame deu alto. Vou levar semana que vem para a médica. Parabéns pela matéria

  8. Adorei a matéria, muito didática e de fácil compreensão. Meu ácido úrico anda um pouco elevado. Como já sou diabético, triglicérides um tanto elevado e cardíaco procuro me cuidar e agora com o ácido úrico procuro me cuidar ainda mais. Obrigado por essa bela matéria que foi bem útil ao meu dia-a-dia.

Deixe o seu comentário, nos preocupamos com sua opinião:

Por gentileza, escreva seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui

Lamentamos a não possibilidade de dar-lhe conselho médico ou responder a questões médicas e farmacêuticas individuais através de e-mail, pois apenas um médico pode prestar tal atendimento. Embora tentemos responder a todos os comentários, opiniões e e-mails que recebemos em até dois dias úteis, nem sempre é possível devido ao grande volume que recebemos. Por favor, tenha em mente que qualquer solicitação ao Minuto Saudável está sujeita aos nossos Termos de Uso e Política de Privacidade, ao enviar, você indica sua aceitação.