O que é cifose, sintomas, tratamentos, tipos e cura

10

O que é cifose?

Conhecida na medicina por “hipercifose”, a cifose é o aumento do ângulo de uma das curvaturas fisiológicas da coluna. Ocorre na região do tórax e faz com que a parte superior das costas pareça mais arredondada que o normal: é a famosa “corcunda”.

A coluna vertebral possui quatro curvaturas fisiológicas: lordose cervical, cifose torácica, lordose lombar e cifose do sacro. Cada uma delas tem a sua função mas, quando o ângulo da curvatura é aberto ou fechado demais, elas podem causar problemas ao paciente.

No caso da cifose torácica, o ângulo de curvatura ideal se encontra entre 20º e 45º. Menos ou mais que isso pode causar deformidades, dores, rigidez, sensibilidade, danos ao sistema nervoso, entre outros.

O indivíduo com cifose, muitas vezes, apresenta os ombros, o pescoço e a cabeça inclinados para frente. A condição pode surgir como compensação de outras condições na coluna vertebral, como a lordose e escoliose.

Considerada uma doença da coluna, a cifose pode ser curada e está relacionada com outras doenças como o dorso curvo postural, doença de Scheuermann (que tem início na adolescência) e doenças reumatológicas da coluna.

Índice — neste artigo você encontrará as seguintes informações:

  1. O que é cifose?
  2. Coluna vertebral
  3. Tipos de cifose
  4. Causas
  5. Grupos de risco
  6. Doenças que causam a cifose
  7. Qual a relação da cifose com a doença de Scheuermann?
  8. Quais os sintomas?
  9. Diagnóstico
  10. Cifose tem cura?
  11. Tratamento
  12. Medicamentos para cifose
  13. Exercícios para melhorar a postura
  14. Complicações
  15. Como prevenir a cifose?

Coluna vertebral

A coluna vertebral é uma estrutura anatômica composta por 24 ossos empilhados um em cima do outro. Esses ossos são chamados de vértebras, e servem de abrigo para a medula espinhal, um canal por onde passam os nervos do corpo e conectam todas as partes do organismo com o cérebro.

Já deu pra perceber que a função da coluna vertebral é muito importante, né? Mas não para por aí: ela também é a maravilha que estabiliza o nosso corpo e nos permite ficar em pé, sentar, andar, entre outros. Caso a nossa coluna fosse um pouquinho diferente, talvez não pudéssemos andar sobre 2 pés!

PUBLICIDADE

É justamente por isso que uma curva um pouco maior já traz tantas complicações. Sendo o pino que mantém o nosso equilíbrio, é fundamental que a coluna esteja perfeitamente no lugar.

Para ajudar a manter os ossos empilhados, existem duas outras estruturas: os discos intervertebrais e os ligamentos. Os discos ficam, como diz o nome, entre uma vértebra e outra, enquanto os ligamentos conectam as vértebras aos outros ossos, músculos e outras estruturas da região.

No caso da cifose, as vértebras, ligamentos e até mesmo discos estão numa posição errada, prejudicando a postura. Se a curvatura não é muito acentuada, há apenas um desconforto estético. Contudo, dependendo da severidade do caso, pode haver complicações mais sérias.

Tipos de cifose

A cifose pode ser classificada tanto pela morfologia quanto pela causa. Entenda:

Cifose estrutural

Caracteriza-se por alterações morfológicas, ou seja, as vértebras e a coluna sofreram deformações na formação de sua estrutura.

Cifose postural

Acontece por conta da postura que a pessoa adota no seu dia-a-dia. Pode ser corrigida através de fisioterapia, pois não há comprometimento da estrutura das vértebras. Contudo, uma cifose postural pode, ao longo do tempo, se tornar estrutural.

É mais comum em adolescentes, que passam muito tempo sentados com uma postura errada. Nos meninos, a altura pode ser um fator de risco para o desenvolvimento da hipercifose, pois adotar uma má postura ajuda a disfarçar sua altura, evitando que o menino se destaque perante os colegas da mesma idade.

Já no caso das meninas, quando o crescimento das mamas é abundante, elas podem tentar esconder o volume curvando a coluna, levando a uma cifose postural.

Cifose primária ou cifose idiopática

Esse tipo de cifose acontece quando não há uma doença adjacente. É o caso da cifose postural, que ocorre por si só através dos hábitos do indivíduo.

Tem caráter benigno e pode ser resolvida, mas, quando não tratada, sua gravidade pode piorar e há comprometimento pulmonar.

Cifose secundária

O tipo secundário ocorre em detrimento de doenças adjacentes e costuma causar deformidades em estado severo. Está relacionada a cifose estrutural.

Causas

Embora a causa real da hipercifose não seja bem conhecida, existem alguns fatores que estão intimamente ligados ao desenvolvimento da curvatura anormal da coluna. São eles:

Má postura (cifose postural)

O hábito de manter uma postura não ideal pode esticar os músculos e ligamentos de apoio da região da cifose torácica, desestabilizando os ossos que ali estão. Desse modo, forma-se uma curvatura exagerada.

Curvar-se, apoiar as costas de mal jeito no encosto de cadeiras e carregar sacos pesados são alguns exemplos de atividades que podem aumentar as chances de desenvolver uma cifose postural.

Idade

Conforme a idade avança, é normal que o corpo comece a definhar. Com os ossos, isso não é diferente. Pessoas mais velhas tendem a ter uma curvatura mais acentuada na coluna vertebral.

Osteocondrite

Embora a má postura seja a principal causa da cifose em jovens, existe outra condição que causa esse problema em pessoas mais novas.

A osteocondrite é caracterizada pela inflamação de ossos e cartilagens em conjunto e é a principal causa de deformidades graves nos jovens.

Osteoporose

A osteoporose é uma condição na qual os ossos perdem a resistência e podem se quebrar (fraturar) mais facilmente. Na coluna, isso é especialmente complicado, pois pode causar diversas alterações posturais, incluindo a hipercifose.

Formação anormal das vértebras

Quando os ossos da coluna (vértebras) possuem malformações, eles podem acabar saindo da posição ideal e, com isso, causar uma curvatura aumentada da cifose torácica. Uma das condições que traz essa malformação como consequência é a doença de Scheuermann.

Desenvolvimento anormal da coluna vertebral no útero (cifose congênita)

Quando a malformação dos ossos da coluna vertebral se dá durante o desenvolvimento do embrião, dá-se o nome de cifose congênita. Nesses casos, duas ou mais vértebras podem acabar se fundindo, fazendo com que a coluna não tenha mobilidade e criando uma angulação anormal na cifose torácica.

Doenças neuromusculares e reumatológicas

Existem diversas doenças que provocam inflamações na coluna vertebral. Quando isso acontece com muita frequência, o que é bastante comum em doenças autoimunes como artrite reumatoide e espondilite anquilosante, as articulações vão se desgastando.

Com isso, a coluna acaba ganhando uma angulação anormal.

Traumas na coluna vertebral

A hipercifose pode se desenvolver, ainda, como consequência de traumas na coluna vertebral. O dano aos ossos pode fazer com que eles se calcifiquem de maneiras anormais, provocando o deslocamento das vértebras e causando o arco na coluna.

Tumores

Certos tumores podem se desenvolver no interior da coluna vertebral ou chegar até ela por meio da metástase. Isso pode desestabilizar as vértebras que, por sua vez, mudam de posição e provocam uma maior curvatura.

Grupos de risco

Os grupos de risco para o desenvolvimento da cifose são:

  • Crianças e adolescentes: É nessa fase que a coluna está em desenvolvimento e crescendo. Se os pais não ensinam a criança/o adolescente a ter uma postura ereta, eles podem acabar desenvolvendo a hipercifose postural. Nessa idade, também, começa a manifestação de certas condições, como a doença de Scheuermann;
  • Idosos: Por conta do desgaste das vértebras e da perda de flexibilidade dos discos intervertebrais, além do enfraquecimento da musculatura, os idosos são um grupo de risco.

Doenças que causam a cifose

Algumas doenças que causam hipercifose são:

  • Osteoporose: Por conta da fraqueza dos ossos;
  • Espondilose: Um desgaste fisiológico que ocorre na coluna vertebral a medida em que o indivíduo envelhece;
  • Espinha bífida (mielomeningocele): Quando a coluna não se desenvolve corretamente durante a gestação;
  • Doença de Paget: Nessa condição, o desenvolvimento de células ósseas é interrompido, o que resulta em ossos fracos;
  • Neurofibromatose: Trata-se de uma doença genética que acomete o sistema nervoso e causa tumores benignos no cérebro, medula espinhal e nervos;
  • Distrofia muscular: Doença que causa o enfraquecimento progressivo dos músculos;
  • Tuberculose: Infecção bacteriana que afeta os pulmões;
  • Artrite reumatoide: Condição que causa inflamações frequentes nas articulações, incluindo a coluna vertebral;
  • Espondilite anquilosante: Doença que causa inflamações na coluna vertebral e que, se não tratada, causa a fusão de vértebras;
  • Câncer: Quando um tumor se desenvolve na coluna vertebral, pode causar cifose.

Qual a relação da cifose com a doença de Scheuermann?

A doença de Scheuermann é uma das causas mais comuns da cifose. Trata-se de um problema no desenvolvimento da coluna vertebral do paciente, que causa uma má postura dolorosa.

Ela geralmente ocorre na puberdade, por ser a fase na qual os níveis de hormônio do crescimento aumentam, e o indivíduo tem tamanho anormal em comparação a outros de mesma idade.

As causas são desconhecidas, contudo, um dos possíveis fatores é o genético. O diagnóstico e o tratamento são os mesmos da hipercifose, porém, realizados com mais cautela pelo especialista.

Quais os sintomas?

Em geral, a cifose não causa sintomas além da má estética. Contudo, há relatos de dores em casos de deformidade severa ou após a prática intensa de atividades físicas.

Em pessoas idosas, a dor pode aparecer por conta do enfraquecimento dos ossos que ocorre naturalmente com a idade.

Diagnóstico

Como a cifose não apresenta sintomas, o paciente deve buscar um médico se notar alguma deformidade no corpo, como:

  • Deformidade rápida em alguma região da coluna;
  • Emagrecimento sem relação à mudança de hábitos alimentares;
  • Sensibilidade ou fraqueza nos membros inferiores.

O profissional que vai diagnosticar a cifose é o ortopedista, especialista responsável por tratar das doenças e deformidades dos ossos, músculos, ligamentos e articulações. Ele poderá solicitar radiografias ou outros exames de imagem, como:

Tomografia computadorizada (CT)

Nesse tipo de exame, os raios X constroem uma imagem tridimensional da coluna do paciente.

Ressonância magnética (RM)

Para quem não pode utilizar radiação, a ressonância magnética pode ser uma opção. Através de fortes campos magnéticos, a máquina de ressonância magnética consegue criar imagens nítidas do interior do paciente.

Densitometria óssea

O exame de densitometria óssea é um tipo específico de raio X usado para determinar a densidade dos ossos. Quanto mais densos, mais saudáveis e fortes eles estão.

Esse exame auxilia no diagnóstico de doenças adjacentes, como a osteoporose, na qual a densidade dos ossos está muito baixa e ocasiona fraturas facilmente.

Cifose tem cura?

Sim, a cifose pode ser curada por meio de cirurgia para corrigir a coluna. No entanto, ela só é indicada em casos especiais.

O paciente pode conviver com a doença fazendo o acompanhamento do desenvolvimento clínico dela. A melhora pode ser alcançada por meio de atividades físicas para fortalecimento e alongamento da musculatura e do dorso.

Tratamento

O tratamento para cifose é, em geral, bastante conservador, ou seja, busca tratar o problemas sem apelar para métodos invasivos, como cirurgia. Em casos mais graves, um procedimento cirúrgico pode ser feito para corrigir e realinhar a postura.

Coletes vertebrais

Quando a hipercifose é diagnosticada na infância, o médico pode solicitar o uso de coletes vertebrais (órteses) para melhorar a postura e limitar a progressão da cifose a medida em que a criança cresce.

O tratamento dura até cerca dos 14-15 anos, idade na qual a coluna vertebral encerra seu desenvolvimento e para de crescer. Em adultos, o colete não é recomendado, pois não será capaz de alterar a posição da coluna.

Colchões duros e palmilhas firmes também podem ser indicados nesses casos.

Fisioterapia

Na maioria dos casos recomenda-se sessões de fisioterapia, um tipo de terapia que busca melhorar ou manter a função das diversas partes do corpo, quando elas já se encontram prejudicadas.

Nesse contexto, a fisioterapia tenta ajudar o paciente a adquirir uma postura correta, melhorando a curvatura da coluna. Cifoses posturais podem ser tratadas somente com fisioterapia, mas outros tipos também podem necessitar desse tipo de tratamento.

Uma técnica muito utilizada é a RPG (Reeducação Postural Globalizada), que foca justamente na postura do paciente, educando todos os músculos e articulações do corpo para gerar uma postura correta.

Dieta

Como a saúde dos ossos — e, consequentemente, da coluna — depende muito da alimentação, é necessário que o paciente com cifose adote uma alimentação equilibrada, rica em cálcio e vitamina D.

Aumentar a ingestão de leite e alimentos derivados do leite pode ajudar a repor o cálcio, mas é necessário que haja vitamina D para ajudar na absorção do nutriente pelos ossos. Sendo assim, o paciente pode, também, necessitar de suplementos vitamínicos com altas quantidades de vitamina D.

Exercícios

Uma outra forma de tratar a cifose são os exercícios, principalmente nos casos de cifose postural. Alguns exercícios recomendados são:

Musculação

Voltados para fortalecer os músculos e corrigir a postura (como os abdominais).

Natação, hidroginástica ou remo

Tais exercícios auxiliam no fortalecimento dos músculos, trabalhando os ombros a fim de corrigir a postura.

Alongamento

Frequentemente indicado até para quem tem a coluna saudável, os alongamentos trabalham a flexibilidade da coluna vertebral e aliviam dores nas costas provenientes da má postura.

Yoga e pilates

Apesar de parecerem apenas um modismo, tanto a yoga quanto o pilates ajudam a promover uma postura correta. Sendo assim, são alternativas bastante válidas para casos leves e moderados.

Quiropraxia

A quiropraxia é um tipo de fisioterapia que manipula diretamente as articulações dos pacientes e alinha as vértebras, sendo bastante recomendada para tratar problemas da coluna vertebral, como a cifose.

Cirurgia

A cirurgia é indicada nos casos das deformidades graves, progressivas e dolorosas, sendo esses casos raros e especiais.

Uma das técnicas usadas para tratar a cifose cirurgicamente é a fusão vertebral, na qual duas ou mais vértebras são fundidas e estabilizadas por meio de parafusos e barras de titânio.

A recuperação não é demorada: o paciente pode voltar às atividades diárias (escola, faculdade ou trabalho) após 4 a 6 semanas da cirurgia. Contudo, a prática de esportes só é permitida após 1 ano.

Os riscos associados à operação incluem infecção, sangramento excessivo (hemorragias) e danos acidentais aos nervos que passam pela coluna vertebral, resultando em paralisia, perda de controle da bexiga e do intestino.

Medicamentos para cifose

Não há tratamento específico para a cifose por meio da administração de remédios. Contudo, para pessoas idosas pode ser necessário o uso de remédios voltados para a osteoporose, como suplementos de cálcio.

Para casos de dor, que são raros, o médico poderá recomendar paracetamol e anti-inflamatórios como o ibuprofeno, que atuarão no alívio da dor.

Atenção!

NUNCA se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico. Somente ele poderá dizer qual medicamento, dosagem e duração do tratamento é o mais indicado para o seu caso em específico. As informações contidas nesse site têm apenas a intenção de informar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um especialista ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Siga sempre as instruções da bula e, se os sintomas persistirem, procure orientação médica ou farmacêutica.

Exercícios para melhorar a postura

Caso o seu tipo de cifose seja postural, existem alguns exercícios que você pode fazer em casa para ajudar a melhorar a postura.

Entretanto, é recomendado que você consulte um ortopedista ou fisioterapeuta antes de tudo, para garantir que não há problemas em realizar tais exercícios.

Exercício 1

Esse primeiro exercício consiste em alinhar a coluna com uma superfície reta, de preferência uma parede. Para isso, basta se apoiar na parede, encostando todas as partes da coluna na superfície.

Faça o mesmo com os braços, para que os os ombros também sejam alinhados. É necessário manter-se nessa posição por 1 a 3 minutos.

Exercício 2

No segundo exercício, você deve ficar na posição de 4, com as mãos e joelhos no chão. Depois, basta erguer um braço até a altura do ombro e esticar uma perna na altura do quadril.

É importante que os membros sejam espelhados, ou seja, se você levanta o braço direito, deve-se esticar, então, a perna esquerda.

Permaneça nessa posição por, pelo menos, 1 minuto, e então troque os braços e pernas. Faça isso 4 vezes.

Exercício 3

Esse exercício possui 3 variações, mas todas são feitas com o corpo deitado em um colchão duro, de barriga para cima.

Na primeira variação, deve-se colocar um travesseiro por baixo das costas, pressionar os joelhos contra o colchão, apertar o bumbum, abrir o peito e tentar unir os ombros. Mantenha as palmas das mãos viradas para cima e tente pressionar a cabeça contra o colchão.

Fique nessa posição de 20 a 30 segundos e respire fundo. Depois, relaxe o corpo e repita mais 4 vezes.

Na segunda variação, a diferença é que os braços estão para cima e são pressionados contra o colchão também. Já na terceira versão, deve-se dobrar os joelhos e manter os braços abertos em um ângulo de 90º. Desta vez, apenas a cabeça e os braços são pressionados contra o colchão.

Se você não tem um colchão duro, você pode realizar esse exercício em um tatame.

Exercício 4

Um dos exercícios mais fáceis e intuitivos de se fazer consiste em cruzar os braços pelas costas. Quando você cruza os braços em formato de X por trás das costas, automaticamente o corpo assume uma postura mais ereta.

Recomenda-se realizar esse exercício por alguns segundos diversas vezes ao dia.

Exercício 5

Outro exercício bastante simples pode ser feito com um simples cabo de vassoura. Ele consiste em passar o cabo por trás das costas, na horizontal, e segurá-lo com a dobra dos braços. Isso irá automaticamente alinhar a coluna, mantendo-a ereta.

Complicações

Apesar de, na maioria das vezes, ser uma condição benigna, a cifose pode causar algumas complicações, especialmente quando muito acentuada. Entenda:

Problemas emocionais

O desconforto estético causado pela curvatura na coluna pode levar o paciente a ter problemas com a autoimagem e autoaceitação. Sendo assim, a condição torna o paciente propício ao desenvolvimento de transtornos mentais como a depressão e outros problemas emocionais.

Dores persistentes

Outra complicação delicada da cifose são as dores persistentes que, por sua vez, também podem contribuir para o desenvolvimento de problemas emocionais.

Em casos nos quais a curvatura é muito acentuada, a má postura acaba pressionando nervos e dificulta o funcionamento de outros órgãos, causando dores que não vão embora sozinhas.

Dificuldades respiratórias

Quando a curvatura da coluna é muito acentuada, os ossos da caixa torácica acabam comprimindo o pulmão e as vias respiratórias. Desta forma, não há muito espaço para o pulmão expandir e o paciente vivencia dificuldade para respirar.

Mielopatia

Nos casos mais graves, pode ocorrer a compressão de alguns nervos da coluna vertebral, condição chamada de mielopatia. Além de dor, essa complicação prejudica os sinais nervosos e causa sintomas como dormência ou fraqueza dos membros, problemas com o equilíbrio e perda de controle da bexiga e do intestino.

Como prevenir a cifose?

Certas causas da cifose não podem ser prevenidas, como quando ela surge por conta da idade avançada. Contudo, isso não quer dizer que não existem algumas medidas a serem tomadas para evitar o surgimento de uma hipercifose. São elas:

  • Mantenha uma postura ereta quando estiver sentado;
  • Procure um médico caso perceba qualquer estranhamento na coluna;
  • Evite utilizar mochilas e bolsas pesadas, que podem puxar os músculos e os ligamentos das costas;
  • Tenha uma dieta rica em cálcio e vitamina D, para prevenir problemas como a osteoporose;
  • Pratique exercícios físicos regularmente, pois eles ajudam a manter a saúde dos ossos;
  • Cuidado ao carregar objetos pesados. Mantenha-os bem juntos ao corpo, para diminuir a força que a coluna deve fazer para suportar o peso;
  • Evite a automedicação quando sentir dores, pois isso pode atrasar o diagnóstico e dificultar a correção do problema;
  • Escolha muito bem os sapatos, evitando os saltos muito altos ou, pelo menos, alternando bastante os tipos de sapatos usados no dia-a-dia, pois isso ajuda a manter a saúde da coluna vertebral.

Comumente chamada de “corcunda”, a cifose é uma condição desagradável, mas pode ser tratada. Compartilhe este texto com seus amigos e familiares para que mais pessoas tenham conhecimento sobre essa condição!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (11 votos, média: 4,55 de 5)
Loading...

10 Comentários

Atenção: os comentários abaixo são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

  1. Eu tenho 15 anos, desde os meus 7 anos as pessoam viviam falando de mim para eu ageitar minha coluna, e eu sempre andava com má postura desde os meus 7 anos. Acabou que hoje tenho 15 anos, me olho no espelho e minha coluna tem uma onda e fico tentando acertar minha coluna e não consigo, além disso sinto muita dor nas minha costas. Eu queria muito ter uma postura ereta, o que eu posso fazer pra eu ter uma coluna do jeito que eu sonhei? Obrigada.

    • Olá, Dane.
      Para corrigir a postura adequadamente e analisar como está sua coluna, você deve procurar um ortopedista e um fisioterapeuta. Juntos, eles irão avaliar e indicar os melhores métodos para melhorar sua postura.
      A coluna possui curvaturas normais que podem parecer um pouco mais acentuadas, dependendo de cada pessoa, sem representar necessariamente um problema. Por isso, é importante consultar um profissional.

  2. Olá,sei bem oque é isso…
    Eu tenho e além da DOR e vergonha de ñ ter uma coluna certa igual as outras pessoas 😢

  3. Excelente é bem explicativo o texto mostra claramente como cuidar bem da sua coluna.
    Agora seria muito importante saber se as massagens são benéficas para este tipo de problema
    E quais podem e devem ser feitas.

    • Olá, Luiz Carlos!

      As massagens podem ser benéficas para o tratamento da cifose, mas de longe são o suficiente para tratar o problema. Quando são feitas, normalmente vêm acompanhadas de sessões de fisioterapia, exercícios e alongamentos planejados para tratar a curvatura anormal da coluna. No caso das dores, as massagens podem ajudar a diminuir a sua intensidade. Converse com seu médico sobre o assunto e busque por um massoterapeuta!

  4. Melhor texto que encontrei na internet, sou médica e conheci o Minuto Saudável a poucos dias, li varios textos de vocês tentando encontrar algo para corrigir, mas sou sincera em dizer que nada encontrei, parabéns pelo trabalho e pela seriedade em informar com qualidade.

Deixe o seu comentário, nos preocupamos com sua opinião:

Por gentileza, escreva seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui

Lamentamos a não possibilidade de dar-lhe conselho médico ou responder a questões médicas e farmacêuticas individuais através de e-mail, pois apenas um médico pode prestar tal atendimento. Embora tentemos responder a todos os comentários, opiniões e e-mails que recebemos em até dois dias úteis, nem sempre é possível devido ao grande volume que recebemos. Por favor, tenha em mente que qualquer solicitação ao Minuto Saudável está sujeita aos nossos Termos de Uso e Política de Privacidade, ao enviar, você indica sua aceitação.