Saúde

Tipos de depressão: diferenças dos sintomas e manifestações

Por Redação Minuto SaudávelPublicado em: 19/08/2019Última atualização: 24/01/2023
Por Redação Minuto Saudável
Publicado em: 19/08/2019Última atualização: 24/01/2023
Foto de capa do artigo

Tipos de depressão: diferenças dos sintomas e manifestações

Publicidade
Publicidade

Tristeza profunda, isolamento e desânimo com as atividades que, antes, davam prazer. Esses são alguns dos sintomas mais associados aos quadros depressivos.

A intensidade, a manifestação e a quantidade de sintomas que pacientes com depressão manifestam é variável. Isso porque existem vários tipos de depressão

Portanto, é preciso dar atenção ao quadro, sabendo que ele pode se manifestar em qualquer fase da vida — mesmo quando tudo parece muito bem. Contudo, é preciso reforçar que, independente do tipo e de cada caso, há tratamento e ele é extremamente necessário.

Para saber mais sobre os tipos de depressão, como a maior, atípica, psicótica e persistente, continue acompanhando o artigo!

Índice — Neste artigo, você vai encontrar 9 tipos de depressão que acontecem com mais frequência:

  1. Depressão maior
  2. Distimia
  3. Depressão atípica
  4. Depressão refratária ou resistente
  5. Psicótica
  6. Mista
  7. Melancólica
  8. Transtorno afetivo sazonal
  9. Pós-parto

Depressão maior

Chamada depressão clássica, é caracterizada pelo humor deprimido (tristeza, desânimo e pensamentos negativos), perda de energia, incapacidade de sentir prazer, falta de vontade de realizar as coisas, alterações no sono, apetite, pensamentos e movimentos lentos.

Há prejuízos significativos no funcionamento da pessoa, que não consegue trabalhar, estudar ou manter relações com outras pessoas. São frequentes também os pensamentos de atentar contra a própria vida.

Para haver o diagnóstico, é necessário que os sintomas estejam presentes quase todos os dias, na maioria do tempo, durante no mínimo 2 semanas. Frequentemente, um episódio desse tipo da doença chega a durar 6 meses.

Depressão
Publicidade
Publicidade

Distimia (transtorno depressivo persistente)

Diferentemente da depressão maior, a distimia é contínua e seus sintomas são de intensidade moderada e menos limitantes. Baixa autoestima, mau-humor, pessimismo, desânimo e falta de energia são seus principais sintomas.

Com duração mínima de 2 anos, os sintomas podem leves e, muitas vezes, considerados e percebidos como parte da personalidade da pessoa. Assim, ela é vista apenas como negativa, não uma pessoa com um transtorno.

Embora eles sejam parecidos com os da depressão maior, são em menor intensidade e não provocam tantos prejuízos para a rotina da pessoa. Ainda assim, precisa de tratamento, pois, além de piorarem, pode envolver pensamentos de atentar contra a própria vida.

Caso não seja tratada, uma pessoa com transtorno depressivo persistente pode desenvolver um episódio de depressão maior. Nesses casos, o quadro é denominado como depressão dupla.

Publicidade
Publicidade

Depressão atípica

A depressão atípica recebe esse nome por conta de uma manifestação diferenciada dos sintomas, mas é um tipo bastante comum. Em geral, a pessoa com depressão atípica responde a estímulos agradáveis com uma melhora temporária no humor.

Além disso, ela é acometida por sensação de peso no corpo, aumento do sono e do apetite. O humor, além de deprimido, se torna mais sensível e irritável, e os sintomas podem piorar no final do dia.

Leia maisMídias sociais aumentam sintomas de depressão em adolescentes

Depressão refratária ou resistente

Chamada de depressão resistente, o tipo refratário é caracterizado principalmente pela falta de resposta aos tratamentos. Os sintomas se assemelham ao de depressão maior, mas eles não apresentam melhora significativa mesmo com o tratamento adequado.

Nesse caso, são testados inúmeros medicamentos antidepressivos e mesmo aqueles que funcionam parecem perder o efeito com o tempo.

Tendo isso em vista, o tratamento é feito por meio de psicoterapia e outras alternativas que não são comumente utilizadas, mas adequadas para o caso, como a eletroconvulsoterapia ou a estimulação magnética transcraniana.

Publicidade
Publicidade

Depressão psicótica

depressão psicótica mistura sintomas depressivos e psicóticos. Nesses casos, além dos sintomas já esperados da depressão, a pessoa é acometida por delírios (crenças falsas) ou alucinações.

Os delírios e alucinações costumam ser persecutórios ou acusatórios. Ou seja, a pessoa pode acreditar estar sendo perseguida e que as pessoas só querem fazer mal a ela.

Há a presença de delírios de ruína, nos quais a pessoa acredita que o mundo está acabando ou sua vida está desmoronando, e que ela não vai conseguir recuperar-se do que está passando, entre outros.

 

Transtorno misto ansioso e depressivo

Na depressão ansiosa ou transtorno misto ansioso e depressivo, como o próprio nome sugere, há a junção de sintomas depressivos e ansiosos. Os mais comuns são o humor depressivo, palpitações, tremores e dores no estômago.

Depressão melancólica

A principal característica da depressão melancólica é a falta de prazer. A pessoa deixa de responder a estímulos agradáveis e, além disso, perde a capacidade de sentir prazer com as coisas que antes gostava de fazer.

Os sintomas costumam ser mais intensos durante a manhã. Além disso, pode ocorrer insônia tardia, onde a pessoa desperta durante a madrugada e não consegue voltar a dormir ou presença de sentimentos de culpa, perda de apetite e perda de peso.

Transtorno afetivo sazonal

O transtorno afetivo sazonal é um tipo de depressão relacionada ao inverno e costuma repetir em todos os anos devido à estação fria. É mais comum em países de clima temperado, nos quais há pouca luz do dia durante o inverno.

Com a chegada da estação, a pessoa que sofre de transtorno afetivo sazonal tende a isolar-se socialmente, dormir mais e ganhar peso, além de apresentar humor deprimido.

O transtorno afetivo sazonal é um tipo de depressão

Depressão pós-parto

Após o parto, muitas mulheres sofrem com sintomas depressivos como tristeza extrema, desesperança e exaustão, além de não sentirem vontade de cuidar do recém-nascido e nem de si mesmas.

É a chamada depressão pós-parto, que pode surgir um pouco antes de o nascimento do bebê ou até 12 meses após o parto. Frequentemente, está relacionada à flutuação dos hormônios e às mudanças no estilo de vida da mulher.

Leia tambémTratamento psicológico e psiquiátrico: qual a diferença? 


Há diferentes tipos de depressão. Podendo apresentar sintomas semelhantes, como a tristeza profunda, mas que podem variar em intensidade e duração. 

Outros tipos de depressão podem ocasionar agitação e ansiedade, apresentando formas singulares de ocorrer. É sempre necessário buscar auxílio profissional, para que o quadro seja devidamente diagnosticado e tratado. 

Apesar de a maioria dos quadros de depressão progredirem bem com uma associação de terapia psicológica, medicamentos e hábitos saudáveis, somente psiquiatras podem indicar qual a forma correta de conduzir o tratamento.

Independente do quadro, o intuito principal da terapia é estabilizar o quadro, devolvendo bem-estar e qualidade de vida à pessoa.

Para mais conteúdos sobre saúde mental, continue acompanhando o site e redes sociais do Minuto Saudável!


Imagem do profissional Emerson Barbosa
Este artigo foi escrito por:

Dr. Emerson Barbosa

CRM/PR: 25901CompletarLeia mais artigos de Dr. Emerson
Publicidade
Publicidade

Compartilhe

Publicidade
Publicidade
Sobre o Minuto Saudável

Somos uma empresa do grupo Consulta Remédios. No Minuto Saudável você encontra tudo sobre saúde e bem-estar: doenças, sintomas, tratamentos, medicamentos, alimentação, exercícios e muito mais. Tenha acesso a informações claras e confiáveis para uma vida mais saudável e equilibrada.

Somos uma empresa do grupo Consulta Remédios. No Minuto Saudável você encontra tudo sobre saúde e bem-estar: doenças, sintomas, tratamentos, medicamentos, alimentação, exercícios e muito mais. Tenha acesso a informações claras e confiáveis para uma vida mais saudável e equilibrada.
Banner anuncie em nosso site
Banner anuncie em nosso site
Nos acompanhe nas redes sociais:
Atenção: O conteúdo do site Minuto Saudável, como textos, gráficos, imagens e outros materiais são apenas para fins informativos e não substitui o conselho médico profissional, diagnóstico ou tratamento. Se você acha que pode ter uma emergência médica, ligue para o seu médico ou 192 imediatamente. Minuto Saudável não recomenda ou endossa quaisquer testes específicos, médicos (profissionais de saúde), produtos, procedimentos, opiniões, ou outras informações que podem ser mencionados no site. A confiança em qualquer informação contida no site é exclusivamente por sua conta e risco. Se persistirem os sintomas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico. Leia a bula.

Minuto Saudável © 2023 Blog de Saúde, Beleza e Bem-estar
Política de Privacidade
Publicidade
Publicidade