O que é Infecção Urinária?

Chama-se infecção urinária o quadro de infecção que ocorre no sistema urinário (rins, bexiga, uretra e ureteres), na Medicina é conhecida por Infecção do Trato Urinário (ITU). Ocorre pela presença anormal de micro-organismos nessa região, a bactéria mais comum que causa a infecção urinária é a Escherichia coli.

Índice – nesse artigo você encontrará as seguintes informações:

  1. O que é infecção urinária?
  2. Qual profisisonal devo procurar?
  3. Como identificar?
  4. O que causa?
  5. Tipos de infecção urinária
  6. Sintomas
  7. Infecção urinária tem cura?
  8. Como tratar?
  9. Remédios para infecção urinária
  10. Existe infecção urinária na gravidez?
  11. O bebê pode ter infecção urinária?
  12. Sou homem, posso ter infecção urinária?
  13. Como prevenir, é transmissível?

Qual profissional devo procurar?

O profissional responsável por diagnosticar a infecção urinária é o nefrologista, que trata das doenças do trato urinário. Contudo, o clínico geral pode resolver a maioria dos casos. O médico poderá solicitar alguns exames para conseguir diagnosticar a infecção urinária, desde um exame comum de urina até uma citoscopia, dependendo do caso do paciente.

Como identificar?

O médico diagnosticará a infecção urinária a partir dos resultados de alguns exames. São eles:

Exame de urina:

É analisada a quantidade de bactérias presentes na urina. Se o resultado for superior a 100 mil bactérias por mililitro a infecção é dada como positiva. É o tipo de bactéria encontrada nesse exame que determinará qual o tipo de tratamento ou antibiótico será receitado.

Exame de cultura de urina (urocultura):

É o exame que complementa o resultado do exame de urina.

Citoscopia:

Analisa as partes internas da bexiga e da uretra, responsável por identificar a causa da infecção.

Exame de imagem (tomografia, ultrassom de abdômen e da pelve, urografia excretora e cintilografia renal):

Quando o médico desconfia de possíveis anormalidades no trato urinário.

O que causa?

A infecção é causada quando uma bactéria entra no sistema urinário do indivíduo, por meio da uretra e, assim, começa a se multiplicar na bexiga. É função do trato urinário expelir organismos estranhos do corpo, mas quando essas defesas apresentam falhas, a bactéria fica mais forte, aumentando a sua quantidade, e causando a infecção.

Porém, as causas variam conforme o local em que ocorre a infecção. As mais comuns se devem à relação sexual e à presença de bactérias no trato gastrointestinal, que chegam até a bexiga pela via ascendente da região perineal. A infecção ocorrer pela circulação sanguínea é um caso raro.

Pessoas que tem a uretra menor são as mais propícias a desenvolverem a infecção urinária. Por isso na maioria dos casos as vítimas são mulheres, porque o caminho que a bactéria percorre até a bexiga é menor. Vida sexualmente ativa auxilia a infecção, principalmente a vaginal, uso de espermicida e alguns contraceptivos, além de casos de pedras no rim e aumento da próstata (pois bloqueiam o trato urinário), sistema imunológico suprimido e o uso de catéter para urinar.

Quais os tipos de infecção urinária?

São mais comuns os tipos que atingem a bexiga e a uretra, no caso a cistite e a uretrite. Veja a seguir.

  • Infecção na bexiga (cistite) ou infecção urinária baixa: ocorre quando a infecção atinge a bexiga.
  • Infecção na uretra (uretrite): ocorre quando a infecção atinge o rim, é a que possui os sintomas mais severos.
  • Infecção nos rins (pielonefrite): atinge um ou os dois rins, sua gravidade é semelhante à pneumonia, que se não tratada pode levar à falência múltipla dos órgãos.
  • Bacteriuria assintomática: causada pela proliferação bacteriana na urina. Cerca de 20% das gestantes que não a tratam correm o risco de desenvolver uma pielonefrite aguda.

Quais os sintomas?

O principal sintoma da infecção urinária é a ardência ao urinar, também conhecida como disúria. Conheça outros sintomas a seguir.

  • Urgência para urinar, mesmo depois de ter acabado de sair do banheiro.
  • Maior frequência para urinar (polaciúria).
  • Dor suprapúbica (ardência ao urinar).
  • Sangue no término da micção (sintoma mais raro).
  • Alteração da cor da urina, sua coloração fica mais escura e algumas vezes com odor forte.
  • Dor no reto e pélvica.
  • Urinar mais de uma vez à noite (noctúria).
  • Sensação de que a bexiga não esvaziou completamente.

Os sintomas variam de acordo com o tipo de infecção, nos casos mais graves o paciente pode sentir mal estar, dores na coluna e/ou febre.

Infecção urinária tem cura?

Sim. Porém, é preciso que o paciente realize todos os exames e siga corretamente todo o tratamento, para que a infecção não avance mais, pois pode atingir outras regiões (órgãos vitais como os rins) e tornar-se grave, podendo desenvolver uma pielonefrite.

Como tratar?

O tratamento depende para cada tipo e avanço da infecção urinária. O mais comum é feito por antibióticos, que tem ação rápida na cura, e também analgésico que alivia a dor e a ardência ao urinar, este último não trata, só traz conforto.

Remédios para infecção urinária

Como existem vários tipos de infecção urinária, os medicamentos também são inúmeros, dependendo de cada caso, são alguns deles:

Para aliviar a ardência, normalmente é indicado o Pyridium.

A infecção urinária também pode ser combatida e prevenida com remédios caseiros, chás são essenciais, eis alguns que auxiliam no tratamento da infecção:

  • Alfazema.
  • Aroeira.
  • Cabelo de milho.
  • Camomila (também usada para fazer o banho de assento).
  • Carqueja.
  • Folha de abacateiro.
  • Quebra-pedra.
  • Salsa.
  • Vara de ouro.

Atenção! 

NUNCA se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico. Somente ele poderá dizer qual medicamento, dosagem e duração do tratamento é o mais indicado para o seu caso em específico. As informações contidas nesse site têm apenas a intenção de informar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um especialista ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Siga sempre as instruções da bula e, se os sintomas persistirem, procure orientação médica ou farmacêutica.

Infecção urinária na gravidez existe?

Sim. É importante saber que nas mulheres a infecção urinária é mais comum devido à uretra ser mais curta e mais próxima do ânus, assim o risco torna-se maior porque o local é rico em bactérias provenientes das fezes. Além de ser comum na mulher, também é comum nas gestantes e é considerada a terceira intercorrência clínica do período gestacional.

A pielonefrite (que ocorre nos rins) pode ser aguda ou crônica se não tratada durante a gravidez e até causar um parto prematuro. Veja a seguir.

Pielonefrite aguda:

Ocorre em 2% das gestantes, geralmente no último trimestre, comprometendo muito o estado geral da gravidez, tendo como sintomas: febre, calafrio, dor lombar intensa, náuseas e vômitos. O trabalho de parto pode ser desencadeado devido ao aumento das contrações uterinas. pode causar aborto, trabalho de parto prematuro, hipertensão arterial, óbito fetal e no caso das infecções severas generalizadas até o óbito da mãe e do feto. A maioria desse tipo de infecção provém depois das infecções bacterianas assintomáticas. Geralmente esta ocorre em 4% a 7% das gestantes, mulheres com diabetes tem maior risco, em torno de 12 a 14% e as que já tiveram o caso antes de engravidar é de 18 a 20%. Contudo, a maioria torna-se sintomática até o fim da gestação.

Pielonefrite crônica:

Acontece por causa de infecções renais que já ocorreram e deixaram lesões ou cicatrizes nos rins. Este tipo não costuma apresentar sintomas, mas o nota-se devido ao aumento da pressão arterial, alterando o estado de saúde da gestante e do feto.

O bebê pode ter infecção urinária?

Sim. Ocorre em 8% no sexo feminino e 2% no masculino. Em crianças de até 2 anos, o risco de sofrer sequelas graves é maior do que nas mais velhas, por isso a importância de se diagnosticar o quanto antes. Os sintomas nas crianças são mais difíceis de perceber, mas normalmente ocorre febre acompanhada de:

  • Choro ou reclamação ao urinar (no momento que a criança chorar ou reclamar, coloque a mão sobre a fralda, para sentir se ela está urinando no momento).
  • Cheiro forte na urina ou presença de sangue nela.
  • Irritabilidade sem motivo.
  • Vômito.
  • Falta de apetite.
  • Emagrecimento ou dificuldade para ganhar peso.
  • Refluxo em bebês, ocorre em 30% a 40% dos casos.

O exame normalmente realizado é a urocultura, mas como no caso de adultos, o médico pode pedir outros, de acordo com o tipo da infecção. Para prevenir, o ideal é amamentar e fazer com que a criança beba bastante líquido.

Sou homem, posso ter infecção urinária?

Apesar de menos comum, sim. Nos homens, é mais frequente com mais de 50 anos, pois a glândula da próstata pode ter o seu tamanho aumentado (hiperplasia benigna da próstata) e bloquear o fluxo da urina a partir da bexiga. A pouca ingestão de líquidos, o esvaziamento incompleto da bexiga e pouco frequente também contribuem para o desenvolvimento de uma infecção urinária no homem.

Como prevenir? É transmissível?

É transmissível, mesmo que pouco frequente, pode-se contrair a infecção urinária por meio da relação sexual. O germe responsável pela transmissão é conhecido por clamídia (considerada DST), que compromete a via urinária e sexual, podendo desenvolver infecções mais graves.

Para prevenir a infecção urinária, os cuidados são básicos. Confira a seguir.

  • Beba muito líquido, principalmente água. Durante o tratamento isso pode aumentar a dor, mas é preciso, pois o líquido vai eliminar mais rápido as bactérias e diluir a urina. A alta ingestão de água é responsável pela cura de 80% dos casos.
  • Evite bebidas com cafeína, alcoólicas, cítricas e gaseificadas. Elas causam irritações à bexiga.
  • Urine depois das relações sexuais para esvaziar a bexiga.
  • Prefira absorventes externos e os troque cada vez que for ao banheiro.
  • Evite o uso de produtos perfumados na região genital.
  • Evite roupas íntimas apertadas.
  • Não segure a urina.
  • Evite o uso de espermicidas.

Se não tratada, a infecção urinária pode acometer todo o trato urinário, independente da faixa etária e sexo do paciente. Contudo, as mulheres, após a menopausa, ficam mais propensas do que antes a desenvolverem uma infecção urinária. Não deixe de beber muito líquido e cuidar da sua imunidade.

Compartilhe as suas dúvidas conosco e consulte sempre o seu médico.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (Avalie o conteúdo!)
Loading...

Faça um comentário:

Por favor, escreva seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui