O que é Gota?

A gota é também conhecida por artrite gotosa aguda, doenças dos reis e excesso de ácido úrico. Caracteriza-se por ser um tipo de artrite que acontece quando o ácido úrico tem acúmulo no sangue, causando inflamação nas articulações.

Sabe-se que na Roma Antiga e Inglaterra Vitoriana, entre os séculos XVII e XIX, houve uma epidemia de gota, que teve duração aproximada de 200 anos. Acredita-se que a intoxicação pelo chumbo, presente nos alimentos e no vinho, tenha sido a causa da epidemia, a qual disseminou-se entre os habitantes. Isto se deve ao excesso de chumbo que interfere na excreção de ácido úrico pelos rins.

Na época, a gota estava bastante relacionada à alimentação farta e não havia medicamentos que reduzissem as quantidades de ácido úrico no organismo. Existem, também, registros de gota em grandes nomes da História, como:

  • Alexandre, o Grande;
  • Henrique VIII;
  • Carlos Magno;
  • Voltaire;
  • Leonardo Da Vinci;
  • Charles Darwin;
  • Isaac Newton.

Por causa disso, a doença foi durante muitos anos associada ao pecado capital da gula.

Índice – neste artigo você encontrará as seguintes informações:

  1. O que é Gota?
  2. Causas da Gota
  3. Quais os tipos de Gota?
  4. Sintomas da Gota
  5. Qual profissional devo procurar? E qual o diagnóstico?
  6. Tratamento para Gota
  7. Grupos e fatores de risco
  8. Complicações e prognóstico
  9. Dieta para o paciente com Gota
  10. Curiosidades
  11. Tem prevenção?

Causas da Gota

Sua causa exata ainda é desconhecida, mas estudos apontam que se deve à presença de níveis de ácido úrico maiores que o normal na corrente sanguínea ou, ainda, se a pessoa tiver dificuldade de eliminar o ácido úrico que é produzido. Quando esta substância se acumula no líquido ao redor das articulações (chamado sinovial), formam-se cristais de ácido úrico.

Esses cristais provocam inchaço e inflamação nas articulações. Há estudos sobre a gota há muitos séculos antes de Cristo, época em que era conhecida como “enfermidade dos patrícios”.

Uma causa bastante comum da gota é a ingestão de bebidas alcoólicas que, por sua vez, é também uma causa comum de hiperuricemia, o que pode causar a gota também. Causas alimentares representam cerca de 12% de ocorrência de gota e inclui uma forte associação com o consumo de álcool, bebidas açucaradas com frutose (como refrigerantes), carne vermelha e frutos do mar. Outras causas incluem trauma físico e cirurgia.

Trata-se de uma doença crônica, não contagiosa, mas que passa pelas gerações de uma mesma família.

Como se forma o ácido úrico?

É uma molécula que pode surgir em especial a partir de resíduos formados pela quebra de purinas a nível celular e sua origem é múltipla:

  • DNA (a partir de uma célula morta, carne, após o tratamento de câncer, etc) > Purinas > ácido úrico > de cristais de ácido úrico nas articulações (gota).

A maior parte do ácido úrico de nosso organismo é produzido por ele mesmo. Em 80 a 90% dos casos de gota, a origem é a má excreção de ácido úrico pelos rins e não uma super ingestão. Então, nos rins, o ácido úrico é reabsorvido pela corrente sanguínea, o que leva à hiperuricemia (excesso de ácido úrico).

Quais os tipos de Gota?

Há basicamente 2 tipos de gota, a aguda e a crônica, vejamos:

  • Gota aguda: dolorosa e, normalmente, afeta uma articulação.
  • Gota crônica: ocorre em episódios repetidos de dor e inflamação que podem envolver mais de uma articulação.

Mas também, há a divisão entre primária e secundária:

  • Gota primária: não está bem definida, estima-se que fatores genéticos influenciam os níveis elevados de ácido úrico no sangue. É também conhecida como gota idiopática.
  • Gota secundária: vários fatores podem aumentar os níveis de ácido úrico no sangue, que pode ser por causa de dieta rica em carne, álcool, etc. Também se desenvolve em decorrência de outras doenças, como:
  1. Doenças hemolíticas (anemia falciforme, talassemia, etc.).
  2. Doenças mieloproliferativas (leucemia).
  3. Psoríase.
  4. Insuficiência renal.
  5. Obesidade.
  6. Hipertensão arterial.
  7. Hipotireoidismo.

Sintomas da Gota

Na maioria dos casos, os sintomas da gota são agudos e podem aparecer repentinamente, principalmente à noite, e sem nenhum aviso. Entre eles estão:

  • Dor intensa nas articulações dos pés, tornozelos, joelhos, mãos e pulsos, ocorre, geralmente, de 12 a 24 horas com grande intensidade.
  • Após o pico de dor, deve restar um certo desconforto nas articulações, que pode durar alguns dias e, em alguns casos, até mesmo algumas semanas
  • Inflamações e vermelhidão na região das articulações afetadas, com presença de suor.

Não há sintomas aparentes após o primeiro ataque de gota, geralmente os pacientes sofrem outro ataque e alguns podem desenvolver o tipo crônico. As pessoas que sofrem de artrite crônica desenvolvem lesões e perda de movimento das articulações.

Nesses casos, o paciente apresenta dor nas articulações e outros sintomas na maior parte do tempo. A primeira crise costuma ocorrer frequentemente em homens entre 20 a 40 anos.

Outro sintoma de gota são os tofos, caroços sob a pele ao redor das articulações ou em outros lugares. Eles podem drenar material calcário. Geralmente, os tofos se desenvolvem em pacientes que convivem por muitos anos com a doença.

Qual profissional devo procurar? E qual o diagnóstico?

Os médicos a serem procurados para diagnosticar e tratar o paciente com gota é o clínico geral ou o reumatologista. Para efetuar o diagnóstico, inicialmente será realizado um exame físico, que serve para analisar as articulações em que há dor e, depois, investigará o histórico médico do paciente e da família, a fim de encontrar vestígios de gota.

Posteriormente, alguns dos exames ou testes que poderão ser solicitados pelo médico:

  • Análise de líquido sinovial (exame que revelará cristais de ácido úrico).
  • Exames para medir a quantidade de ácido úrico no sangue e na urina.
  • Raio-X da articulação: usado em especial para excluir outros diagnósticos, tais como pseudogota (também chamado condrocalcinose articular), causada pela deposição de pirofosfato de cálcio nas articulações.
  • Biópsia sinovial.
  • Radiografias da articulação: podem ser úteis na gota crônica a fim de encontrar quaisquer problemas ósseos ou articulares, como os tofos gotosos.

Importante: nem todas as pessoas com altos níveis de ácido úrico no sangue têm a gota.

Tratamento para Gota

O médico indicará medicamentos que deverão ser tomados assim que o paciente sofrer um ataque de gota súbito. Poderão ser indicados como tratamento:

  • Antiinflamatórios: assim que aparecerem os sintomas da gota.
  • Analgésicos fortes para as dores.
  • Medicamentos que reduzem a dor, o inchaço e a inflamação.
  • Corticoides: o profissional poderá injetar esteroides na articulação inflamada para aliviar a dor.
  • Uso diário de alguns remédios diminuem os níveis de ácido úrico no sangue.

Medicamentos geralmente indicados para Gota:

Atenção: na maioria dos casos, a dor diminui dentro de 12 horas após o início do tratamento e desaparece completamente em 48 horas.

**Desses medicamentos, tanto o alopurinol quanto o febuxostato podem desencadear uma nova crise de gota se tomados antes que uma crise recente seja totalmente curada.

Tratamento caseiro

Algumas plantas medicinais, quando combinadas com a terapia clássica, podem provocar um efeito positivo no tratamento da gota e no alívio das dores causadas por ela, são elas:

  • Folhas de urtiga: utilizadas em forma de cápsulas, infusão ou compressa. As folhas de urtiga têm um efeito interessante contra o ácido úrico (cristais responsáveis pela crise de gota).
  • Bétula: tomada em forma de infusão ou cápsulas.
  • Groselha: em forma de cápsulas.
  • Freixo: em forma de cápsulas.
  • Cereja: comer de 10 a 12 cerejas por dia durante 2 dias ou mais, pode reduzir em 35% o risco de gota, de acordo com um estudo publicado no final de 2012. Elas são ricas em antocianosídeos, que são responsáveis pelo efeito benéfico sobre a gota.
  • Café: estudos mostraram uma associação entre ingestão de café (normal ou descafeinado) e redução dos níveis de ácido úrico no sangue.

Atenção! 

NUNCA se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico. Somente ele poderá dizer qual medicamento, dosagem e duração do tratamento é o mais indicado para o seu caso em específico. As informações contidas nesse site têm apenas a intenção de informar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um especialista ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Siga sempre as instruções da bula e, se os sintomas persistirem, procure orientação médica ou farmacêutica.

Grupos e fatores de risco

São grupos e fatores de risco da gota:

  • Histórico familiar, uma vez que a doença pode ser genética.
  • Mais comum em homens após os 40 anos.
  • Mulheres após a menopausa.
  • Ingestão excessiva de álcool.
  • Uso de determinados medicamentos diuréticos.
  • Hipertensão.
  • Diabetes.
  • Colesterol alto.
  • Altos níveis de gordura corporal.
  • Arteriosclerose.

Complicações e prognóstico

Se o paciente não fizer o tratamento adequado, a gota poderá causar as seguintes complicações:

  • Artrite gotosa crônica.
  • Recorrência da doença.
  • Deformações articulares.
  • Depósitos de cristais de uretato de cálcio são chamados de tofos gotosos, que são uma massa sólida (nódulo) branca. A formação deles provém do acúmulo de cristais de ácido úrico no sangue, estes nódulos acumulam-se perto da articulação afetada, como o dedão do pé, os cotovelos, o pavilhão auricular, etc.
  • Cálculos renais.
  • Crises recorrentes de artrite gotosa.
  • Depósitos nos rins, levando à insuficiência renal crônica: a perda da função renal é frequentemente irreversível.

Quando o tratamento é realizado corretamente, os ataques agudos de gota vão cessando e permitem que as pessoas tenham uma vida normal. Porém, a forma aguda da doença pode progredir para gota crônica.

Dieta para o paciente com Gota

A alimentação adequada para este tipo de paciente consiste em diminuir a ingestão de alimentos ricos em proteínas para a diminuição da dor e, também, aumentar a ingestão de água.

A proteína aumenta a concentração de ácido úrico no sangue e a água facilita a excreção do ácido úrico em excesso, purificando o sangue. Quando o paciente apresenta uma crise de gota, os seguintes alimentos e líquidos devem ser retirados da alimentação:

  • Bebidas alcoólicas.
  • Carne de ganso, coração de galinha, rins, frango e caldos de carne.
  • Marisco, peixe, anchovas, arenque, mexilhões, cavala, sardinha e vieiras.
  • Aspargos, cogumelos e espinafre.
  • Ervilhas, feijões e lentilhas.

Quando o paciente não está em crise, não é preciso deixar esses alimentos de lado. Contudo, eles devem ser controlados.

Curiosidades

  • Um estudo da Universidade de Nova Zelândia, na cidade de Otago, mostrou que comer tomate pode provocar a gota, segundo os cientistas que observaram uma forte correlação entre o consumo de tomate e a gota reumatológica. De acordo com os pesquisadores, comer tomates aumenta a taxa de ácido úrico no sangue, o estudo envolveu mais de 2 mil neozelandeses que sofriam de gota, e foi publicado na revista BMC Musculoskeletal Disorders, em agosto de 2015.
  • Nos Estados Unidos, estima-se que os custos com a saúde gerados pelos pacientes com gota somem gastos de 1 bilhão de dólares por ano, cerca de um terço provém do tratamento da crise de gota.
  • Segundo a Gout & Uric Acid Education Society, mais de 8,3 milhões de americanos sofrem de gota (dados sobre 2015).
  • Na França, cerca de 600.000 pessoas sofrem de gota (Fonte: Autoridade Nacional de Saúde, em abril de 2014).
  • No Reino Unido, a gota é a doença articular inflamatória mais comum, afetando 1,5% da população (fonte: revista Rheumatology, de outubro de 2013, Reino Unido).

Tem prevenção?

Entre as adequações que devem ser feitas para se prevenir a gota estão:

  • Ter uma dieta e um estilo de vida saudável (praticar exercícios, dieta equilibrada, etc.).
  • Comer alimentos saudáveis e baixos em purinas.
  • Tomar os medicamentos corretamente.
  • Limitar o consumo de carne: pois ela é rica em purinas, que se transformam em ácido úrico, molécula responsável pela gota.
  • Controlar o sobrepeso.
  • Praticar exercícios físicos regularmente.
  • Ingestão de vitamina C pode reduzir os níveis de ácido úrico no sangue. Contudo, a dose deve ser estabelecida por um médico, uma vez que superdoses podem elevar a quantidade de ácido úrico no sangue.

Compartilhe este artigo para que mais pessoas sejam informadas sobre como cuidar e se prevenir da gota!

Referências
http://www.criasaude.com.br/N2320/doencas/gota.html
https://pt.wikipedia.org/wiki/Gota_(doença)
https://drauziovarella.com.br/doencas-e-sintomas/gota/
https://www.abcdasaude.com.br/reumatologia/gota
https://www.tuasaude.com/como-tratar-a-gota/
http://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/52228/gota+o+que+e.htm

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (Avalie o conteúdo!)
Loading...

Faça um comentário:

Por favor, escreva seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui