A dipirona é um analgésico, indicado para dores de cabeça, febre e dores musculares. 

Os primeiros efeitos desse fármaco começam a aparecer entre 30 minutos e 1 hora após a ingestão, podendo perdurar por 4 horas, em média. 

Apesar dele ser bastante comum, não havendo dificuldades em encontrá-lo em farmácias, há algumas contraindicações e cuidados na hora de tomar. 

Por exemplo, gestantes, mulheres lactantes, pessoas com problemas de asma e de fígado, além de bebês com menos de 3 meses ou pesando menos de 5kG são contraindicados ao uso.

Não havendo nenhuma condição que afete a absorção do medicamento, a Dipirona age rapidamente, aliviando dores, e pode ser interrompido a qualquer momento sem causar complicações e dependência química.   

Em caso de dúvidas, procure um profissional da saúde como médico, enfermeiro ou farmacêutico. 

Leia mais: Grávida pode tomar dipirona? Prejudica o bebê?

Dipirona serve para dor de cabeça e febre? 

Em geral sim. A dipirona, além de tratar a dor de cabeça, pode ser tomada para amenizar a febre, desde que leve ou moderada. Por isso, também é considerada um antitérmico.


Esse tipo de remédio impede a produção de prostaglandina. Quando produzida em excesso, essa substância, que é uma mediadora de inflamação, afeta o hipotálamo (região do cérebro responsável pelo controle da temperatura corporal).

Além disso, a prostaglandina também está relacionada com a dor. Por isso, ao tomar dipirona, ocorre um efeito analgésico devido à redução da substância.

Entretanto, dores de cabeças muito fortes ou febre alta (acima de 38,5°C) podem não ser combatidas pela dipirona, pois somente a dipirona não é o suficiente para combater a produção de prostaglandina. 

Também é importante ressaltar que a dipirona combate somente a febre e não a causa dessa elevação da temperatura (em alguns casos, a febre é sintoma de infecções ou inflamações).

Dipirona serve para dor de cabeça de ressaca?

Em grande maioria dos casos, sim.  A dipirona é um analgésico que age em todos os tipos de dor de cabeça, não importa a causa deste desconforto. 

No caso da ressaca, o efeito do medicamento é mais rápido e eficaz se for acompanhado de repouso e muita ingestão de água. 

Outra dica que ajuda nesta situação é cuidar da alimentação. Evite consumir alimentos muito pesados, outras doses de bebida alcoólica ou medicamentos que podem ser agressivos para o estômago. 

Não tome medicamentos antes ou logo depois de consumir bebidas alcoólicas. 

Ao se fazer isso, o efeito do medicamento pode ser anulado (nos casos mais leves) ou acentuado, causando tonturas, vômitos e até desmaios (nos casos mais graves).

Leia mais: Consumo moderado de álcool também faz mal à saúde

Dipirona sódica ou monoidratada: como comprar? Como tomar? 

Tanto a dipirona sódica quanto a dipirona monoidratada são iguais em questão de conteúdo do produto. A única diferença é o rótulo das embalagens, que foi alterado por uma determinação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). 

Como está em transição a mudança da nomenclatura, em breve, todas as embalagens vão constar como dipirona monoidratada.

A dipirona pode ser comprada em farmácias ou portais como o Consulta Remédios. O medicamento está disponível em comprimidos, gotas, supositório e em forma injetável. 

O valor varia entre R$ 1,50 e R$ 25,00 dependendo da marca, forma como é apresentada e região onde se encontra a farmácia.  

Gotas

A dipirona gotas é recomendada principalmente para crianças, porque o medicamento pode ser engolido com mais facilidade. 

A quantidade de gotas que devem ser administradas depende do peso da criança, podendo variar entre 2 gotas (para bebês com 5kG) até 35 gotas (para crianças com 53kG). 

O dipirona em gotas pode ser tomado a cada 6 horas. O limite máximo é de 4 doses por dia. 

Alguns adultos também preferem tomar medicamentos em gota. Neste caso, se a pessoa pesar mais que 53 kg, deve tomar 40 gotas a cada 6 horas, desde que não ultrapasse 4 doses por dia.    

Se esquecer a dose da dipirona em gotas, tome-a assim que lembrar. 

Entretanto, se o horário da próxima dose estiver próximo, espere até este horário para fazer o uso do fármaco. 

Não dobre a quantidade de gotas para compensar a dose esquecida. 

Comprimido 

O comprimido com dipirona só pode ser ingerido por quem tem mais que 15 anos. Bebês e crianças menores devem ingerir a versão em gotas. 

O medicamento pode ser tomado a cada 6 horas, desde que não ultrapasse o limite de 4 comprimido de 1g por dia ou até 8 cápsulas de 500mg, podendo ser ingerido em jejum ou não. 

Supositório 

A dipirona em supositório pode ser usada por crianças com mais de 4 anos ou peso superior a 16kG. 

O remédio pode ser aplicado a cada 6 horas com no máximo 4 doses por dia. A dipirona quando apresentada em supositório deve ser usado por via anal, visando baixar a febre ou reduzir as dores em pacientes com dificuldades para engolir comprimidos ou líquidos. 

Para usar o supositório, siga esses passos: 

  1. Lave e higienize as mãos antes do processo; 
  2. Ache uma posição confortável (deitado ou em pé); 
  3. Afaste as nádegas e introduza delicadamente todo o supositório no orifício anal; 
  4. Comprima, por alguns segundos, uma nádega com a outra para evitar que o supositório volte. 

Injetável 

Esta apresentação da dipirona pode ser aplicada em pessoas de todas as idades (desde que acima de 5kG), variando a dosagem conforme o peso. 

Por exemplo, nas crianças, deve-se aplicar entre 0,1mL do remédio (em bebês com 5kG) até 1,8mL (em crianças com 53kG). 

Para bebês menores de 1 ano, a administração do injetável é obrigatoriamente intramuscular. Acima dessa idade, pode-se aplicar também de forma intravenosa.

Os adultos com mais de 53 kg devem receber entre 2mL e 5mL de dipirona, podendo receber até 10mL por dia.  

Ressaltando que a administração injetável deve ser realizada por profissionais de saúde devidamente habilitados, conforme orientação da bula, respeitando o peso e idade do paciente.

Reações adversas: qual é o efeito da dipirona? 

Reações adversas são efeitos já observados após a administração do medicamento, mas não significam, necessariamente, que vão acontecer. Conforme a bula, estes efeitos podem variar de situações comuns até ocorrências mais raras.

Alterações do sistema imunológico

Distúrbios do sistema imunológico, como choque anafilático, que se manifesta a partir de coceira, ardor ou vermelhidão cutâneos ou nas mucosas, falta de ar, arritmias cardíacas, queda de pressão e coceira generalizada também são possíveis. 

Distúrbios do sangue

Quanto aos distúrbio do sangue e sistema linfático, podem ocorrer agranulocitose (diminuição de um tipo de glóbulos brancos) e pancitopenia (redução de glóbulos vermelhos e brancos, além de plaquetas), leucopenia (redução de glóbulos brancos) e trombocitopenia (diminuição de plaquetas). 

Problemas nos rins

Pessoas que já apresentam doenças ou predisposição de problemas renais devem evitar o consumo  sem a orientação médica. 

Quem já sofre com algum quadro de disfunção renal podem ter a condição agravada. Havendo, ainda, redução da produção de urina ou eliminação aumentada de proteínas pela urina.

Problemas no sistema digestivo

Alguns pacientes relataram a presença de sangue nas fezes acompanhadas de dores estomacais depois de ingerirem dipirona. 

Também podem ocorrer feridas no sistema digestivo, principalmente ao longo dos intestinos e estômago decorrentes do uso indiscriminado do medicamento. 

Problemas cardíacos e de pressão 

O paciente pode apresentar distúrbios cardíacos, como a síndrome de Kounis, em que há uma obstrução da artéria coronária (evento coronariano agudo) e reações alérgicas  afetam o paciente juntas.

Embora sejam em casos raros, situações como palpitações (que aumentam ou diminuem o ritmo cardíaco), dores fortes no peito e infarto também foram notificadas após a ingestão do remédio. 

Problemas de pele 

Embora seja em casos raros, a dipirona pode causar pequenas erupções ou feridas na pele em todas as partes do corpo.

Se este for o caso, interrompa o uso e procure um médico dermatologista para tratar corretamente esses incômodos cutâneos. 

Sono 

A dipirona, independente da forma como é apresentada, pode causar sonolência quando consumida em dosagens elevadas. Porém, para as doses recomendadas, nenhum efeito

adverso na habilidade de concentração e reação é relatado na bula do medicamento.

Após tomar a dipirona, procure descansar se for possível. O corpo se recupera melhor e mais rápido durante o repouso. 

Modo de usar: quantos comprimidos de dipirona posso tomar de uma vez?

Depende da dosagem do comprimido — 1g ou 500mg. Pode-se tomar uma segunda após 6 horas, com o limite máximo de 4 comprimidos de 1g por dia (para dosagens de 500mg, a orientação é de 1 a 2 comprimidos até 4 vezes ao dia).

Se houver superdosagem de dipirona, a pessoa deve ser levada para um hospital com urgência. 

As outras apresentações de dipirona (em gotas, solução oral ou injetável) também devem ser administradas preferencialmente em doses únicas. Caso não haja melhoria dos sintomas, é preciso buscar orientação médica, investigando a origem da dor ou febre. 

Em caso de dúvidas, procure orientação médica.


A dipirona é indicada para tratar dores de cabeça e febre. Esse fármaco pode ser encontrado em gotas, comprimidos, injetável, xarope ou supositório. Mas evite a automedicação. Consulte um médico ou um farmacêutico.

O Minuto Saudável ainda traz muitas informações sobre outros remédios. Acompanhe nossas postagens!!!


Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.

Participe da discussão

1 comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *