Minuto Saudável
06/02/2019 08:00

Yoga (em casa): posições, aula, para iniciantes, tapete, emagrece?

Yoga é uma prática milenar criada na Índia e que ganhou o mundo. De acordo com a União Internacional de Yoga, o Brasil conta mais de 5 milhões de praticantes e, de acordo com as tendências do mundo, esse número só tende a crescer.

Isso por conta de todos os benefícios que a prática pode trazer para saúde do corpo e da mente. No texto a seguir, você vai descobrir os verdadeiros benefícios dessa prática!

Índice – neste artigo você vai encontrar as seguintes informações:

  1. O que é yoga?
  2. Tipos de yoga
  3. Modalidades
  4. Quais são os benefícios da yoga?
  5. Quem pode fazer?
  6. Yoga em casa: é possível praticar sozinho?
  7. Posições
  8. Aula de yoga para iniciantes
  9. Preço: quanto custam as aulas de yoga
  10. Contraindicações
  11. Perguntas frequentes

O que é yoga?

Muito mais do que esticar o corpo de diferentes maneiras, a yoga é uma filosofia de vida. A prática foi desenvolvida no norte da índia há mais de 5 mil anos e se mantém viva através de seus praticantes e novos adeptos.

No quesito filosofia, trata-se de uma mentalidade que busca “viver no presente”, sempre em busca de uma união entre corpo e mente para que, dessa forma, se alcance ou uma qualidade de vida melhor ou um contato com o divino.

Na prática, por outro lado, o clichê é real: a yoga é uma forma de alongar-se de diferentes maneiras, estimulando os músculos e o corpo como um todo.

Essa prática tem se mostrado bastante benéfica para a saúde física e mental. Entenda mais sobre a prática no texto a seguir!

Tipos de yoga

A yoga pode ser uma prática espiritual e, nesse sentido, possui várias vertentes filosóficas diferentes. As posições e os exercícios acabam sendo compartilhados, sendo que variam os objetivos espirituais. Confira algumas:

Raja-yoga

O raja-yoga tem como foco o desenvolvimento da mente, utilizando-se da prática da meditação e da contemplação. Seu principal objetivo é conhecer a realidade, alcançar o despertar e a iluminação.

Karma-yoga

O karma-yoga é a prática religiosa da yoga. Nela, o indivíduo entra em união com a parte divina interior e devota a vida e todas as suas ações à divindade.

Jnana-yoga

O jnana-yoga é uma prática espiritual que busca o conhecimento através de perguntas como “quem sou eu?” e “o que sou eu?”.

O praticante estuda normalmente com a ajuda de um conselheiro, com quem medita e reflete sobre o mundo e si próprio.

Bacti-yoga

O Baktir-yoga é uma tradição indiana de misticismo do amor divino. É um caminho espiritual que visa a conexão da pessoa que pratica com o divino (deuses).

Tantra-yoga

O tantra-yoga é uma filosofia comportamental que tem, como objetivo, o desenvolvimento integral do ser humano nos seus aspectos físico, mental e espiritual.

Hatha-yoga

O hatha-yoga é uma forma de ioga antiga. Hatha Yoga é uma expressão que pode ser traduzida dividindo-se as sílabas nas palavras ha (sol) e tha (lua).

O significado em si é mais elaborado e diz respeito à busca do equilíbrio das forças solar e lunar, masculina e feminina como o objetivo final dessa prática.

Modalidades

As modalidades práticas de yoga se dividem em vários subtipos, podendo ser mais ativas ou mais passivas. Entenda:

Kundalini yoga

Kundalini é uma prática tranquila e bastante focada na meditação. Se realizam poucas posições, o que faz com que algumas pessoas possam achar essa técnica um pouco passiva.

Ainda assim, a ela possui milhares de praticantes e é uma boa porta de entrada para começar a treinar a conexão corpo-mente.

Iyengar yoga

A essa técnica foi criada pelo guru Bellur Krishnamachar Sundararaja Iyengar. É mais ativa do que a Kundalini, porém continua bastante estática, já que ela foca na execução correta e alinhada das posturas, e não tanto em se fazer uma pose atrás da outra.

Pode-se dizer que é a técnica mais postural da yoga, focando sempre na correta execução das posturas e movimentos.

Ashtanga Vinyasa yoga

Esta técnica foi criada pelo guru Vamana Rishi. É uma prática muito dinâmica e desafiadora que pode ser descrita como “meditação em movimento”.

Seus principais benefícios se encontram na construção da força, resistência e flexibilidade, sendo praticada através de 6 séries de posturas que devem ser feitas em sequência.

Para aqueles que estão começando, as posturas são adaptadas para que a prática seja feita respeitando os limites de cada um.

No entanto, as posições são desafiadoras, fazendo com que a modalidade seja ideal para pessoas que buscam mais movimentação e gasto de energia.

Yin yoga

A Yin yoga é uma modalidade mais lenta, suave e meditativa. Ganha o nome do conceito do yin-yang, em que as práticas fortes e dinâmicas podem ser chamadas de yang, enquanto todas as mais passivas e tranquilas podem ser consideradas yin.

Por isso, o principal objetivo do yin yoga é o relaxamento, trabalhando sobretudo com as articulações, pois é preciso manter-se em uma única postura por mais tempo do que em outras modalidades

Bikram yoga

A Bikram yoga deve ser praticada em um local com a temperatura ambiente de 40ºC e com umidade alta.

Todas as sessões de Bikram yoga são iguais e nelas ocorre uma sequência de 21 posturas diferentes.

A prática tem gerado interesse em praticantes ao redor do mundo, pois, por conta do ambiente ser mais quente, eles têm mais facilidade de realizar as posturas.

Entretanto, vale lembrar que muitas pessoas se sentem desconfortáveis e chegam até a passar mal justamente por causa do calor excessivo do ambiente.

Power yoga

O power yoga é uma vertente do Hatha yoga e exige força física e consciência corporal. Nele, não se pratica uma única sequência de posturas e as aulas duram de 50 a 99 minutos, incluindo exercícios respiratórios, posturas em pé, no chão e equilíbrios sobre o braço.

Yoga integral

A yoga integral é uma combinação de práticas físicas e espirituais com abordagens psicológicas e filosóficas. Nessa aula, são feitos exercícios de respiração, postura e meditação ou relaxamento como uma maneira de elevar o nível de consciência.

Hot yoga

Assim como o Bikram yoga, a Hot yoga também se pratica no calor, mas, ao contrário da Bikram, não é necessário seguir sempre a mesma sequência de posturas.

Vinyasa yoga

A Vinyasa yoga pode ser definida como a combinação entre respiração e movimento.

É uma prática mais intensa e que tenta combinar inspiração e expiração com os movimentos, assim como a Ashtanga Vinyasa yoga, mas não é necessário seguir uma sequência específica de posturas ou séries.

Quais são os benefícios da yoga?

A prática da yoga pode trazer diversos benefícios para a saúde física e mental dos seus praticantes. Saiba mais:

Melhora a flexibilidade

O aumento da flexibilidade é um dos benefícios mais evidentes da yoga. Só de ver as pessoas praticando já dá pra perceber que é preciso bastante flexibilidade para fazer certas posturas.

Vale lembrar que não é preciso ser flexível para começar a yoga. Muito pelo contrário. A flexibilidade é uma conquista da prática consistente da yoga. No começo, fazer as posições pode ser difícil, mas com o tempo, vai ficando natural.

Constrói músculos fortes

Uma das habilidades desenvolvidas com a prática da yoga é a força. As posturas ajudam a fortalecer os músculos pois exigem bastante resistência para manter o equilíbrio, e isso faz muito bem para saúde.

Músculos fortes protegem o corpo de doenças como artrite e dor nas costas, além de prevenir quedas em idosos, uma das grandes causas de morte nessa idade.

Leia mais: Metabolismo do exercícios físico: como ganhamos massa muscular?

Ajuda a emagrecer

É importante lembrar que existem diferentes técnicas, algumas mais tranquilas e outras mais intensas. As mais tranquilas, em que o foco está na meditação e não tanto no exercício, podem não ajudar tanto a emagrecer.

Durante a prática dos tipos mais intensos, é possível aumentar a frequência dos batimentos cardíacos, o que faz com que se gaste mais calorias, podendo auxiliar no processo de emagrecimento.

Vale lembrar também que, por mais intensa que a prática seja, se não for acompanhada de uma boa dieta, é provável que não seja suficiente para emagrecer.

Portanto, se você quer perder peso, é uma boa ideia conversar com um nutricionista para aliar os exercícios a uma dieta saudável de emagrecimento.

Mesmo assim, se você está sedentário, até as práticas mais suaves e tranquilas podem trazer diversos benefícios para a sua saúde e bem-estar.

Melhora a postura

Através das técnicas de yoga, o praticante adquire uma maior consciência corporal, o que o deixa mais atento à postura ao longo do dia.

Os movimentos específicos para a coluna, por exemplo, podem ainda ajudar a prevenir hérnias e a compressão de nervos.

Previne dores nas articulações

Durante a prática da yoga, as articulações podem ser beneficiadas, pois os movimentos (feitos de forma correta) auxiliam a aliviar a rigidez e podem reduzir a pressão articular.

Isso ajuda a prevenir a artrite, pois faz o líquido sinovial (que nutre as articulações) fluir, diminuindo o atrito entre as cartilagens e ossos.

Melhora a saúde dos ossos

Um estudo feito na Universidade de Columbia, entre os anos de 2005 e 2010, analisou os possíveis benefícios da yoga para pacientes com osteoporose e indicou que as posições da atividades podem melhorar a densidade óssea e, consequentemente, prevenir doenças como a osteoporose.

De acordo com a pesquisa, a yoga coloca mais pressão sobre os ossos do que a própria gravidade, o que, por sua vez, estimula os osteócitos, as células produtoras de osso.

A hipótese de que a yoga ajuda a tratar doenças como a osteoporose ainda não seja amplamente aceita pela comunidade médica e gera debates.

Porém, os pesquisadores apontam que é preciso considerar, ainda, os benefícios relacionados ao equilíbrio, movimento e força proporcionados pela yoga, o que reduz o risco de quedas e, consequentemente, de fraturas.

Melhora a imunidade

A contração e alongamento dos músculos proporcionados pelas posturas da yoga melhora a drenagem da linfa, um líquido corporal que contém células (anticorpos) que lutam contra doenças.

Como esse sistema não tem bombeamento, depende de contrações dos vasos linfáticos e dos músculos para se movimentar pelo corpo. Por isso, atividades físicas ajuda o sistema linfático a  limpar as toxinas do corpo de maneira mais eficiente.

Eleva a frequência cardíaca

Se engana quem acha que a prática da yoga é tranquila e não exige bastante do corpo. A verdade é que, apesar de nem todos as modalidades serem aeróbicas, há os que conseguem alguma elevação da frequência cardíaca, .

Quando se aumenta o ritmo cardíaco com regularidade, os riscos de doenças do coração, como um infarte, são diminuídas, além de ser possível aliviar os sintomas da depressão.

Reduz a pressão arterial

Dois estudos britânicos publicados na revista The Lancet compararam pessoas hipertensas em duas situações: enquanto um grupo fazia a Savasana (posição do cadáver, em que se deita de barriga para cima controlando a respiração), o outro apenas se sentou no sofá.

Após 3 meses, ambas as medições, diastólica (pressão sanguínea durante o relaxamento dos músculos do coração) e sistólica (pressão sanguínea durante a contração dos músculos do coração), caíram drasticamente no grupo que praticou yoga.

Isso indica que a prática regular da yoga pode auxiliar na diminuição da pressão arterial.

Regula os níveis de cortisol

A yoga ajuda a controlar os níveis de cortisol (hormônio relacionado ao estresse) no organismo. A substância em excesso pode causar depressão, osteoporose, hipertensão e resistência à insulina.

Ajuda a manter o foco

A yoga, assim como a meditação, ajuda a manter seus praticantes focados e concentrados. Dessa forma, além dos estudos e trabalho, a atividade pode melhorar a coordenação motora, o tempo de reação (reflexo), a memória e até mesmo o QI.

Promove o relaxamento

A diminuição da frequência respiratória ajuda a ativar o sistema nervoso parassimpático (que controla as funções automáticas do corpo, como a respiração e a frequência cardíaca), reduzindo a pressão e melhorando do fluxo sanguíneo no corpo.

Com isso, a sensação de relaxamento é favorecida.

Melhora a tensão nos membros

A prática de yoga ajuda a perceber áreas tensionadas do corpo e dissipar a tensão (rigidez) muscular.

Essa diferença é notada rapidamente com algumas práticas, mas para músculos maiores, como quadríceps (que fica nas coxas) e trapézio (que fica atrás do pescoço), talvez seja necessário mais tempo para as melhorias serem sentidas.

Melhora a qualidade do sono

O yoga pode ter impacto positivo na qualidade do sono, o que ajuda a não sobrecarregar o sistema nervoso, dar mais disposição e aumentar a qualidade de vida.

Leia mais: 6 horas por noite é o tempo mínimo de sono para evitar doenças cardíacas

Aumenta a capacidade pulmonar

Na prática de yoga, é importante inspirar e expirar profundamente. A questão é que a prática acaba sendo levada para a vida, o que faz com que os praticantes tenham a respiração mais profunda naturalmente.

Isso tem como impacto direto o aumento da capacidade pulmonar, o que auxilia a pessoa a ter noites de sono melhores, além de facilitar a prática de exercícios físicos aeróbicos.

Previne problemas no sistema digestório

A yoga, como qualquer outra atividade física, melhora a função intestinal e diminui o risco de câncer de cólon.

Além disso, doenças como úlceras, síndrome do intestino irritável e constipação podem ser amenizadas, já que podem ser desencadeadas pelo estresse, sintoma que a prática da yoga ajuda a amenizar.

Melhora autoestima

A prática da yoga regular estimula o autoconhecimento e, com o tempo, é comum experimentar sentimentos bons como empatia, gratidão e o perdão, o que pode levar a uma melhora na autoestima.

Diminui as dores

A combinação de poses e com a meditação reduz a dor em pessoas com artrite, problemas nas costas, fibromialgia, síndrome do túnel carpal e outras doenças crônicas. Quando essas dores são aliviadas, o humor melhora e a necessidade de se medicar diminui.

Pode melhorar a fertilidade

O equilíbrio hormonal e a circulação de sangue nos órgãos genitais, bem como a diminuição do estresse proporcionadas pela yoga ajudam a melhorar a fertilidade.

Quem pode fazer?

Todos podem praticar a yoga. Entretanto, pessoas que possuem algum problema articular ou limitações físicas devem ter algumas posições adaptadas ou excluídas, para evitar possíveis danos ao organismo.

Yoga em casa: é possível praticar sozinho?

Sim, é possível praticar yoga por conta própria. Existem apps para celular e videoaulas espalhadas pela internet através das quais você pode aprender um pouco mais sobre as técnicas.

Entretanto, é sempre bom lembrar que o ideal é contar com a ajuda de um professor, pois ele pode te observar na prática e corrigir pequenos erros de postura que, se não observados, podem ser prejudiciais.

Um exemplo é a posição da flor de lótus, aquela em que se senta no chão com as pernas cruzadas sobre as coxas. Muitos alunos forçam as articulações antes de ter flexibilidade suficiente para realizar a posição por completo, o que pode provocar lesões.

Posições

Confira a seguir algumas posições que são consideradas essenciais para todos aqueles que estão começando a prática da yoga:

Postura do cachorro olhando para baixo

O foco dessa postura deve ser em manter a coluna alinhada. Se for preciso dobrar os joelhos, sinta-se livre para fazê-lo. Para ajudar a dispersar a pressão sobre suas mãos, abra-as bem, deixando os dedos afastados.

Para fazer a posição do cachorro olhando para baixo corretamente:

  • Comece de pé, alinhando suas mãos e joelhos. As mãos devem estar niveladas aos ombros, e os joelhos ao quadril;
  • Abra bem suas mãos e as coloque no chão à sua frente;
  • Alinhe a sua coluna de forma que o quadril aponte para o teto. Tente deixar as suas pernas o mais esticadas quanto possível;
  • A sua cabeça deve estar entre os seus braços, de forma que você enxergue seus joelhos;
  • Fique nessa posição de 5 a 10 respirações.

Postura da montanha

Para fazer a posição da montanha corretamente:

  • Fique de pé com os pés juntos;
  • Abra os dedos do pé, espalhando o seu peso igualmente sobre os pés;
  • Inspire e levante seus braços acima da cabeça, enquanto pressionando o chão com os pés. Você também pode deixar suas mãos descansando paralelas ao corpo;
  • Respire profundamente, devagar, sempre pelo nariz;
  • Mantenha-se nessa posição por 3 a 5 respirações.

Postura do guerreiro I

Para realizar essa postura corretamente, o mais importante é focar-se em manter a coluna ereta e alinhada. Para fazê-la:

  • De pé, de um passo grande para frente com o seu pé esquerdo, mantendo o direito na posição inicial;
  • Incline o joelho esquerdo para frente, mantendo as costas eretas;
  • Tente dobrar a perna esquerda até que toda a porção acima do joelho esteja paralela ao chão. Lembre-se de deixar o pé direito no mesmo lugar, alongando toda a perna direita;
  • Levante seus braços em direção ao teto e estique-os o máximo que conseguir;
  • Mantenha-se na posição por 5 respirações e repita com o outro lado.

Postura do guerreiro II

Para fazer a pose do guerreiro, certifique-se de que seu joelho esquerdo não ultrapasse seu tornozelo. Se isso acontecer, reduza um pouco a profundidade da investida. Para realizar a postura, você deve:

  • Dar um grande passo à frente com o pé esquerdo para começar;
  • Estender os braços para que fiquem paralelos ao chão;
  • Dobrar o joelho esquerdo de modo que fique em um ângulo de 90º, mantendo a perna direita reta;
  • Apontar os dedos esquerdos para a frente e girar o pé direito para a direita. Seu calcanhar esquerdo deve estar alinhado com o arco do seu pé direito;
  • Ao mesmo tempo, torcer o tronco para a direita, de modo que o coxa esquerda esteja voltada para a frente da sala e a coxa direita esteja voltada para as costas. Seu braço esquerdo e sua cabeça devem estar apontando para frente e seu braço direito deve estar apontando para trás;
  • Mantenha por 1 a 5 respirações.

Postura de prancha

Para fazer a postura da prancha:

  • Comece de quatro, com os joelhos sob os quadris e as mãos apoiadas no chão, diretamente sob os ombros;
  • Levante os joelhos do chão e estenda as pernas para trás;
  • Mantenha as palmas das mãos no chão, com as mãos na largura dos ombros, os ombros empilhados diretamente acima dos pulsos e o núcleo engatado;
  • Mantenha seu pescoço e coluna em uma posição neutra, olhando para o chão;
  • Mantenha essa posição por 3 a 5 respirações.

Postura de prancha inferior

Durante a postura da prancha inferior, os ombros não devem ficar abaixo da altura do cotovelo. Se for preciso, pode flexionar os joelhos. Para fazer a postura da prancha:

  • Comece no Postura da Prancha com as palmas das mãos no chão, mãos separadas na largura dos ombros, ombros empilhados diretamente acima de seus pulsos e pernas estendidas;
  • Desça lentamente para uma prancha baixa dobrando os cotovelos, mantendo-os perto do corpo, até formar ângulos de 90 graus;
  • Segure por 1 respiração;
  • Normalmente, essa postura é seguida por um cachorro virado para cima, a próxima pose nessa lista.

Postura do cachorro olhando para cima

Durante a realização da postura, sinta-se à vontade para deixar cair os joelhos para reduzir a tensão na região. Para fazer o cachorro olhando para cima:

  • Saindo da prancha inferior, abaixe os quadris até o chão e mantenha o topo dos pés apoiados no chão.
  • Estique os braços para empurrar o peito para cima. Puxe os ombros para trás, aperte os braços contra o corpo e incline a cabeça em direção ao teto, para abrir o peito.

Posição da árvore

A posição da árvore exige equilíbrio. Se você estiver tendo dificuldades, coloque o pé direito sobre a canela esquerda em vez da coxa. Para realizar a posição da árvore:

  • Comece em pose de montanha com os dedos dos pés juntos e os calcanhares levemente separados;
  • Traga o pé direito para a parte interna da coxa esquerda. O joelho da perna direita deve estar voltado para fora e o pé direito voltado para baixo, em direção ao solo, em um ângulo de 45 graus;
  • Uma vez que você encontrou o seu equilíbrio, levante as mãos para a posição de oração na frente do seu peito ou acima da cabeça, como você preferir;
  • Mantenha seu olhar focado em um ponto fixo à sua frente para ajudar a ficar equilibrado;
  • Mantenha por 5 a 10 respirações, depois mude de lado.

Postura do dançarino

Para realizar a postura do dançarino:

  • Fique de pé com os pés juntos;
  • Dobre o joelho esquerdo e leve o pé esquerdo em direção aos glúteos. Agarre no arco interno do seu pé esquerdo com a mão esquerda e levante lentamente o pé em direção ao teto. Ao mesmo tempo, alcance seu braço direito para frente e para cima em direção ao teto;
  • Pressione ativamente o chão com todo o seu pé direito enquanto começa a abrir o seu peito e puxe a sua perna levantada para cima. Mantenha seu peito levantado;
  • Segure de um lado por 5 a 10 respirações e, em seguida, mude de lado.

Postura da pinça

Se não estiver confortável, sinta-se livre para dobrar os joelhos até que as costas se alonguem e você possa inclinar a pélvis para frente. Para fazer a postura da pinça:

  • Sente-se no chão com as pernas estendidas à sua frente. Flexione seus pés. Sente-se alto com as costas retas;
  • Deite-se sobre as suas pernas, tentando manter as costas retas. Em outras palavras, dobre a parte superior do corpo sobre a parte inferior do corpo;
  • Se você puder, agarre-se no lado de fora de cada pé ou canelas. Solte o pescoço e deixe a cabeça cair;
  • Mantenha por 5-10 respirações.

Aula de yoga para iniciantes

Existem diversos tipos de aula de yoga. Aquelas para iniciantes, que ainda não adquiriram muita flexibilidade e estão se familiarizando com o exercício, assim como aulas para praticantes de longa data, que contam com posições desafiadoras, inclusive.

As aulas podem ser feitas em grupo, em que o instrutor já tem planejada uma série de posturas que devem ser feitas pelos alunos no decorrer da aula. Algumas posturas visam aumentar a flexibilidade, outras a força, o relaxamento etc.

Ou, ainda, há aulas particulares ou individuais, que são feitas no ritmo do aluno, priorizando sua evolução na prática.

Algumas dicas que podem auxiliar aos recém chegados às aulas são:

Escolha a modalidade que mais combina com você

Como vimos anteriormente no texto, existem diversas modalidades de yoga. Algumas são mais intensas e dinâmicas, enquanto outras tentam focar na respiração e concentração.

Leia mais: Os benefícios mentais (e físicos) da respiração profunda

Você deve analisar as suas necessidades e também os seus limites (existência de fraturas anteriores, doenças como osteoporose) e escolher a prática que mais se adequa ao seu estilo de vida e objetivos.

Não crie expectativas altas

Especialmente nas primeiras aulas, pode ser que você não consiga realizar todas as posturas sugeridas pelo instrutor.

Por essa razão, é importante ter em mente que o desenvolvimento é gradual e que fazer uma postura muito difícil não é um talento, mas uma conquista.

Com esforço e disciplina, a cada semana, desafios serão cumpridos e novos serão propostos.

Use roupas confortáveis

Durante as aulas, você vai passar muito tempo esticando e dobrando o corpo. Por esse motivo, é importante evitar roupas apertadas, que dificultam a respiração ou movimentos amplos.

Por outro lado, shorts e camisetas muito largos podem atrapalhar o exercício.

Tente optar por tecidos de microfibra de algodão ou outro que tenha elasticidade. Não há a necessidade de sapatos especiais, já que a yoga é praticada com os pés descalços.

Tenha um tapete (mat)

É verdade que a prática da yoga não requer um grande investimento em materiais específicos, mas, para que seja segura e sem risco de escorregões, é interessante comprar um tapete especial, também chamado de esteira ou mat.

O tapete é fácil de carregar e pode ser utilizado em qualquer lugar, como no parque, na academia ou em casa.

Dependendo do tipo de yoga que você decidir praticar, pode ser necessário adquirir outros materiais. Nesse caso, é importante que você busque informações e orientações nos estúdios que você frequenta.

Hidrate-se

Essa dica vale para qualquer exercício e com a yoga não seria diferente. Para manter a hidratação durante a aula, leve uma garrafa de água.

Lembre-se que o ideal é ingerir pelo menos 2 litros de água por dia para manter o corpo em equilíbrio.

Preço: quanto custam as aulas de yoga?

Os preços das aulas de yoga vão variar bastante dependendo da região do Brasil, da disponibilidade de outros cursos na região, do instrutor e muitos outros fatores.

Mas, no geral, existem academias que cobram valores a partir de aproximadamente R$40 por aula.

O que você deve ter em mente é que é mais importante achar um bom instrutor do que uma aula barata. Com um profissional bem qualificado, você aprenderá a fazer as posturas corretamente, de forma a não causar nenhum prejuízo para o próprio corpo.

Contraindicações

Os benefícios da yoga podem ser aproveitados por todas as pessoas. Entretanto, dependendo da condição física individual, algumas pessoas podem ter de adaptar ou remover uma outro postura ou procedimento respiratório.

Isso, entretanto, só pode ser determinado por um instrutor que possui o conhecimento adequado de yoga e do funcionamento geral do organismo humano.

Algumas condições específicas, como a gestação, a idade e problemas nas articulações requerem mais atenção e cuidados, muitas vezes sendo necessária a interrupção temporária da atividade.

Leia mais: Exercícios para grávidas (pré-parto): natação, respiratórios e mais

Perguntas frequentes

Para fazer yoga é preciso ter flexibilidade?

Mito! Não é preciso ter flexibilidade para começar a praticar a yoga. Na realidade, a maior partes das pessoas que começam a praticar (exceto os contorcionistas) não eram tão flexíveis quanto quando depois que começaram a prática.

A flexibilidade, a força, a melhora na respiração e todos os outros benefícios da yoga são conquistas que o praticante ganha com tempo, esforço e dedicação.

Precisa ser forte para fazer yoga?

Outro mito! Assim como a flexibilidade, a força é algo que você adquire com o tempo de prática da yoga.

Yoga emagrece?

Depende. A yoga é um exercício físico e, como todo exercício físico, gasta calorias.

Entretanto, existem práticas mais calmas e meditativas (e que, por consequência, não gastam tantas calorias) e outras mais ativas (que, por sua vez, gastam mais calorias).

Vale lembrar, entretanto, que não é só porque você faz uma prática de yoga mais intensa que necessariamente vai emagrecer.

Para perder de peso é necessário aliar exercícios físicos à dieta, o que deve ser sempre feito com acompanhamento de um médico ou nutricionista.

Leia mais: Dicas para mudar os hábitos e emagrecer com saúde


Você aprendeu mais sobre a yoga e todos os benefícios que essa prática pode trazer para a saúde física e mental dos seus adeptos. Ficou curioso? Vai se matricular numa aula? Conte pra gente nos comentários!

Fontes consultadas

18/04/2019 16:41

Minuto Saudável

Somos um time de especialistas em conteúdo digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável. Confira mais na nossa página de quem somos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*