O que é Fibromialgia, sintomas, tratamentos, cura e mais

81

O que é Fibromialgia

Também conhecida como Síndrome de Joanina Dognini, a Fibromialgia é uma síndrome de caráter reumático e crônico e é caracterizada por dores ao longo de todo o corpo do paciente, mesmo sem ele ter tido uma lesão física nos músculos ou articulações. Estima-se que cerca de 2% a 3% dos brasileiros sofram da condição no país e, desses casos, 80% a 90% são mulheres com idade entre 30 e 50 anos.

Com relação ao seu histórico, o principal sintoma da síndrome – a dor musculo-esquelética difusa – já era descrito por Hipócrates, considerado como o pai da medicina, no fim dos anos 400 e começo dos anos 300 a.C., mas foi apenas em 1824 que a associação entre reumatismo e pontos dolorosos se deu, através de estudos do médico e botânico escocês John Hutton Balfour. Várias descrições sobre a síndrome podem ser encontradas desde os meados do século XIX, mas ela só foi reconhecida como tal pela Organização Mundial de Saúde (OMS) no fim da década de 1970.

Índice – neste artigo você irá encontrar as seguintes informações:

  1. O que é Fibromialgia
  2. Quais são as causas?
  3. Fatores de risco
  4. Sintomas da Fibromialgia
  5. Como se dá o diagnóstico?
  6. O tratamento para a Fibromialgia
  7. Convivendo com a condição

Quais são as causas?

Ainda não há uma causa exata e específica para o surgimento da Fibromialgia, porém estudos mostram que há uma certa relação entre o início dos sintomas logo após um evento traumático, podendo esse ser físico, psicológico ou uma infecção grave. Na maioria dos casos, a dor começa em um ponto específico do corpo e forma crônica, progredindo, posteriormente, para o restante do corpo.

Justamente por conta dessa inexistência de identificação da causa é que a Fibromialgia é considerada como, antes de doença, uma síndrome, pois ela é um conjunto de sinais, sintomas e problemas médicos que tendem a ocorrer de maneira simultânea mas que não são relacionadas a uma causa específica identificável. Porém, mesmo não sabendo exatamente a causa da condição, o que não se pode discutir é se as dores do paciente são ou não reais. Pesquisas comprovam que as pessoas que sofrem com a Fibromialgia realmente sentem as dores descritas por elas e isso acontece pelo fato da estimulação repetida do nervo que sinaliza a dor (neurotransmissor) modificar o seu cérebro.

Além disso, algumas situações podem provocar a piora das dores de quem possui a síndrome, tais como:

  • Excesso de esforço físico;
  • Estresse emocional;
  • Alguma infecção;
  • Exposição ao frio;
  • Sono ruim;
  • Trauma.

Fatores de risco

Qualquer pessoa pode desenvolver a Fibromialgia, porém há a existência de alguns fatores de risco:

  • Sexo: a síndrome atinge de 8 a 10 vezes mais as mulheres do que os homens.
  • Histórico familiar: há maior chance da síndrome acontecer em pacientes que possuam parentes próximos que já possuam a condição.
  • Doenças reumáticas: algumas doenças reumáticas podem desencadear a Fibromialgia, como a artrite reumatoide ou o lúpus eritematoso.

Sintomas da Fibromialgia

Como dito no início do artigo, o sintoma característico da Fibromialgia é a dor generalizada que, muitas vezes, é muito difícil de descrever, pois não é nem forte e nem aguda e possui uma duração de cerca de três meses. Para que essa dor possa ser considerada como generalizada, ela precisa ocorrer em ambos os lados do corpo – direito e esquerdo –, bem como acima e abaixo da cintura. Através de diversos estudos sobre as inúmeras dores que caracterizam a síndrome, 18 locais do corpo foram constatados como os mais sensíveis ao toque e a pressão. Confira na imagem abaixo quais são esses pontos sensíveis:


Créditos: fibromialgia.com.br

PUBLICIDADE

Além desse, que é o principal da síndrome, outros sintomas podem aparecer no paciente com o decorrer do tempo. São eles:

  • Fadiga: normalmente acontece quando a pessoa já acorda cansada, mesmo depois de uma longa noite de sono – a isso dá-se o nome de “sono não reparador”. Muitos pacientes sofrem com outros distúrbios do sono também, como a síndrome das pernas inquietas e a apneia do sono.
  • Dificuldades cognitivas: a memória pode ser bastante prejudicada em um paciente que possua a Fibromialgia. Sintomas como perda de memória, falta de concentração, raciocínio prejudicado e problemas com a fala são bastante comuns entre os pacientes.
  • Demais sintomas: além desses citados, outros sintomas podem atingir o paciente diagnosticado, como fortes dores de cabeça, períodos menstruais dolorosos, ansiedade e depressão.

Como se dá o diagnóstico?

A procura por ajuda médica sempre é recomendada, no caso da Fibromialgia, em casos em que os sintomas característicos da síndrome se estendam por mais de 3 meses. O especialista treinado para realizar o diagnóstico, bem como prescrever o devido tratamento à pessoa, é o Reumatologista, médico que trata das doenças do tecido conjuntivo, articulações e doenças autoimunes.

Atualmente, não é existente nenhum tipo de exame próprio para o diagnóstico da Fibromialgia, portanto ele é feito apenas com base na análise clínica, composto pelo histórico clínico e a observação médica pondo em evidência pelo menos 12 dos 18 pontos mais sensíveis do corpo do paciente. Em contrapartida, mesmo com a análise dos sintomas da condição, o médico poderá solicitar alguns exames para descartar a hipótese de que a pessoa possua outras doenças que venham a apresentar sintomas bem semelhantes aos da Fibromialgia.

O tratamento para a Fibromialgia

Assim como não há um exame específico para o diagnóstico da síndrome, a Fibromialgia também não possui um tratamento exato. Uma vez que ela não possui cura, seu tratamento é todo baseado na melhora e controle dos sintomas, como por exemplo: alívio da dor, melhora do sono, restabelecimento do equilíbrio emocional, etc.

Para o caso dessa síndrome, o tratamento pode ser feito através de dois meios: o medicamentoso e o não-farmacológico. É importante o conhecimento de que a atitude do paciente diante de sua situação é fundamental na evolução. Por isso a importância de entender o que é que o acomete e a força de vontade em se ajudar.

Tratamento medicamentoso

Dentre os diversos medicamentos existentes no mercado, alguns são aprovados para o uso no tratamento da Fibromialgia e, outros, não são recomendados pelos especialistas. Confira a seguir quais estão em cada um desses grupos:

Medicamentos aprovados:

Medicamentos a serem evitados:

Atenção! 

NUNCA se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico. Somente ele poderá dizer qual medicamento, dosagem e duração do tratamento é o mais indicado para o seu caso em específico. As informações contidas nesse site têm apenas a intenção de informar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um especialista ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Siga sempre as instruções da bula e, se os sintomas persistirem, procure orientação médica ou farmacêutica.

Tratamentos não-farmacológicos

Além do uso dos medicamentos devidamente indicados pelo médico consultado, há, ainda, outras formas de melhorar os sintomas da Fibromialgia, que você pode saber quais são logo abaixo.

Ajuda psicológica

Cerca de 25% a 50% dos pacientes diagnosticados com a síndrome sofrem de distúrbios psiquiátricos concomitante, o que acaba dificultando a melhora clínica dos mesmos. Por isso a importância da pessoa se consultar com um psicólogo ou psiquiatra, pois assim a facilidade será maior em conversar sobre a condição e expor quais são as maiores dificuldades existentes perante a ajuda que precisa dar a ela mesma.

Prática de exercícios

O exercício regular e de baixo impacto tem bastante peso na hora do tratamento da Fibromialgia, pois assim os músculos se mantem condicionados e saudáveis. O ideal é que esses exercícios sejam feitos a cada dois dias durante a manhã e que sejam previamente orientados por um fisioterapeuta. Medidas como alongamento, boa postura e exercícios de relaxamento também são ótimas pedidas.

Ter um estilo de vida saudável

De nada adianta tomar vários medicamentos para o tratamento da condição se a pessoa não manter uma vida saudável. Entende-se por vida saudável como a prática de hábitos que ajudem o paciente tanto em seu estado físico quanto psicológico. Para isso, medidas como boa alimentação, sono regulado e redução do estresse podem ajudar – e muito! – na hora do tratamento.

Convivendo com a condição

Uma vez diagnosticado, o paciente de Fibromialgia necessita saber sobre a condição que enfrentará com o passar dos anos. Por não ter cura, várias medidas precisam ser adaptadas à sua rotina e, dentre elas, estão:

  • Exercitar-se regularmente;
  • Lidar com o estresse;
  • Lidar com as lacunas de memória;
  • Cuidar com a cafeína em excesso – principalmente antes de dormir;
  • Fazer banhos de imersão em água quente – eles ajudam no relaxamento do músculo;
  • Ter um tempo só para si todos os dias;
  • Estudar meios de tornar o seu trabalho melhor;
  • Conversar com as pessoas sobre a condição – isso é de suma importância;
  • Dizer não quando precisar – saber recusar um convite a fim de se sentir bem é essencial;
  • Manter um diário – para descobrir quando os sintomas se apresentam e o que possivelmente os desencadeiam;
  • Participar de um grupo de apoio;
  • Fazer do seu quarto um lugar agradável de se dormir.

Essas e outras medidas particulares farão com que a pessoa que enfrente a Fibromialgia se sinta melhor consigo mesma e também com o mundo ao seu redor.

Se você conhece alguém que possua ou que desconfia que possui a condição, compartilhe com ele esse artigo. Quando mais gente souber essas informações, melhor!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (24 votos, média: 4,46 de 5)
Loading...

81 Comentários

Atenção: os comentários abaixo são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

  1. Eu sou Rosângela de Carvalho, sentia muitas dores pensei que era do reumatismo, mas fui diagnosticada com fibromialgia, as dores no corpo todo. Busquei e ainda faço uso de tratamento natural. Fiz sim suco de couve com mel diariamente, busquei maneira de mudar a forma de encarar minha vida no trabalho e em casa. Me adaptei ao que podia ao que não pudia me afastei. Hoje faço uso de óleo de massagem linhaça com óleos essenciais. É uma terapia natural complementar sofri durante 3 anos, hoje com o tratamento natural sinto dores leves. Faço massagem dia sim dia não, eu mesmo faço isso. A Terapia Complementar com ervas medicinais me aliviaram muito as dores.

  2. Oi me chamo Bruno … Tenho 30 anos e tenho fibromialgia isso é castigo , doí muito toda hora tomo um monte de remedios e nao melhora minhas dores to esquecido de mais . Sou pexeiro a 15 anos , nao consigo trabalhar e agora provalvel mente vou perder meu emprego e qm vai quere da emprego uma pessoa cm fibromialgia . E o salario q eu ganho na minha cidade ninguem vai me pagar . Eu to perdido sem saber oq fazer

    • Oi também tenho fibromialgia experimente tomar pregabalina me ajudou bastante mas vc vai precisar de receita fale com um médico Boa sorte!

    • Olá
      Assisti o depoimento de uma mulher q a muitos anos sofria com essa doença, ela pesquisando descobriu na hortaliça couve, uma substância capaz de amenizar as dores, em 3 meses consumindo o 2 copos de suco por dia, deixou de tomar todos os medicamentos, achei muito interessante, como é um remédio Natural não custa nada tentar.

      Receita do suco
      2 copos de água
      3 folhas de couve
      1 laranja
      Gengibre a gosto
      Açúcar ou adoçante a gosto

      Bate tudo no liquidificador e tomar 2 vezes ou até mais ao dia.

    • Olá, tenho fibromialgia há mais de 20 anos, o diagnóstico também demorou a acontecer e o melhor tratamento também. Procurar um reumatologista é importante para um diagnóstico, as vezes,dependendo do caso, precisa-se de acompanhamento multidisciplinar com psiquiatra e psicólogo. Nem todos com fibromialgia tem o mesmo quadro e reagem da mesma forma aos tratamentos, importante pesquisar o que melhora para cada um,isto requer um pouco de paciência para pesquisar, tentar.
      O artigo é muito bom, esclarece bastante, mas infelizmente temos que ter um médico para nos acompanhar constantemente, para que ele possa te conhecer e te ajudar a descobrir o melhor tratamento, pois isso leva tempo.
      Gostaria de deixar minha contribuição com minha experiencia nestes anos todos.
      Um tipo de tratamento que fez toda a diferença em minha vida foi a HIDROTERAPIA (hidrocinesioterapia), uma fisioterapia na água. A água quente ajuda a relaxar o corpo e melhor efeito dos exercícios.
      Infelizmente, nem toda clinica de fisioterapia tem e nem todo convênio cobre.
      Vale a pena pesquisar ou buscar ajuda judicial para conseguir.
      As informações do site são muito pertinentes, posso confirmar a eficacia de vários tratamentos indicados , mas na fibromialgia também acontece de um tipo de tratamento que era eficaz, de repente parar de fazer efeito.
      É como se o organismo se acostuma-se, precisa-se buscar outra alternativa.
      O importante é não desistir de cuidar de si e buscar ajuda.
      Pesquisar o que existe para você em sua cidade.
      Boa sorte!

  3. Fui diagnosticada com fibromialgia a pouco tempo. Fazia algum tempo q diversas dores me incomadavam e depois de um longo periodo d depressao, nos ultimos tempos as dores se intensificaram, fui ao medico e surgiu o diginostico… O triste e q como a depresao, por nao ter exames clinicos como uma doenca com virus e bacterias e ser algo q so a pessoa diz que sente e tomado como frescura ou uma desculpa pra reclamar…isso dificulta nossa luta. Apoie seu familiares e amigos.

  4. Olá, obrigada pelas explicações.
    Quero compartilhar aqui o que desencadeou as minhas dores.
    Passei por um trauma emocional muito forte, e em seguida perdi o apetite e emagreci muito rápido, perdi 10kg em 45 dias. Adquiri uma anemia profunda.
    Após esse trauma as dores começaram nas mãos, nos punhos exatamente. Meus braços adormeciam, sentia dores agudas nos nervos do braço. Por vezes não conseguia andar devido a dores nos tornozelos.
    Comecei a me sentir exausta e sem ânimo. Foi uma mudança muito brusca porque sempre fui muito ativa, conseguia ter um dia produtivo, mas depois das dores, meu rendimento caiu muito, nem das tarefas domésticas eu dou conta.
    Infelizmente, estou sem convenio medico, mas lutando contra essa situação, que não aceito pra mim.
    Não tomo medicamento, mudei de trabalho, hoje faço um trabalho leve, fico somente sentada, sem esforço físico e meio período.
    Levanto muito mal, mas saio da cama, faço aula de yoga, em casa mesmo, medito e caminho pela manhã. Percebo que essa rotina me ajudou. Agora com as dicas de dieta sem glúten ,vou testar pra saber se vai me ajudar.
    Tenho 34 anos e meu filho de 5 anos foi diagnosticado com artrite reumatoide poliarticular juvenil, ele fez tratamento por 3 anos pelo Hospital São Paulo e ficou completamente bem.

  5. De acordo com uma revisão da literatura recente, o Tramadol ou outros opioides não são indicados para o tratamento da Fibromialgia e podem inclusive piorar o quadro de dor nos portadores dessa enfermidade. Isso acontece porque nosso sistema opioide endógeno (do próprio organismo) já está superativado nos pacientes com Fibromialgia.

    • Olá Alan,

      Entendemos sua colocação sobre os opioides, o tratamento da Fibromialgia (incluindo o uso de opioides) é sempre muito debatido e isso é muito importante, em virtude das características da doença. Contudo, a ideia do post foi informar sobre os tratamentos disponíveis para a doença, e os opioides por enquanto, ainda são mantidos como uma opção. Por isso, ressaltamos a importância de sempre consultar o médico, que é o profissional que avalia o tratamento mais adequado com base nas características e histórico de cada paciente.

  6. Olá, como estava sentindo fortes dores em todo o meu corpo procurei um hortopedista e detectou alguns problemas na coluna L5 e S4…
    Há mais de 3 meses que minha vida virou de cabeça pra baixo,o meu corpo principalmente do lado esquerdo dormece e é uma dor insuportável, cheguei a pensar que era até câncer. Já tive problemas nos rins que desmaiva de dor, e esses sintomas que sinto hoje não chega nem próximo a dor de fibromialgia …a maior tristeza é quem convive com a gente ,acha que é normal e não passa de frescura e esses remédios é só pra terminar de deixar a gente ainda mais sem autoestima…

  7. Eu assisti a um vídeo de uma mulher que se tratou com a hipnose. A explicação foi que a causa é emocional. Alguém já passou por este tipo de tratamento? Funciona?

  8. Estava muito mal com todos estes sintomas e fiz todos tipos de exames e nada de descobrir. Até de hanseníase eu fiz. Então resolvi fazer um teste pra ver se melhorava, tirando glúten e tomando cloreto dimalato todos os dias a noite antes de dormir, e isso tem me ajudado muito. Primeiro tomei cloreto de magnésio em cápsulas e melhorou muito também.

  9. tenho fibromialgia depois que minha mae morreu tenho isso e horrivel voces estao falando da pior doenca que existe porque pra mim e dores insuportavel fadigas depresao forte eu era super sadia derrepente apareceu essa coisa existe pouca informacao faco acompanhamento com pisquiatra neuro mesmo assim nao tenho melhoras sao dias horriveis um atras do outro

    • Também tenho é nunca imaginei sofrer com tantas dores. O que ainda alivia é o cloreto dimalato e tirar tudo que tem glúteos.

  10. Eu fui recentemente diagnosticada com Fibromialgia ….sofri muito as pessoas já estavam me achando chatinha. Comecei a me isolar por causa de dores com frequência e não acreditavam porque sempre fui ativa eu brigava com a minha dor eu não queria deixar de dançar ,costurar e fazer os serviços domésticos…..mas agora me limitei faço quando posso …minha família procuraram informações como lidar com essas queixas …e me ajudar

    • Sei bem o que é isso. Tenho familiar que assistiu palestra com toda uma equipe médica composta de reumatologista, fisioterapeuta, psicólogo, psiquiatra, nutricionista e educador físico e ainda assim tem a crueldade de me dizer que eu estou mentindo, inventando desculpa pra não fazer algo, que isso é coisa da minha cabeça, é frescura e até demônio, que melhor seria se morresse logo.

  11. Excelente reportagem muito esclarecedora…fui diagnosticada agora e foi uma matéria que me deixou bem mais informada que as outras

  12. Boa noite já fiz vários exames e nenhuma infeção foi encontrada, mas tenho dor em vários pontos do meu corpo nas costas, pernas, braços, no abdômen, nos quadris. Posso dormir bem mas sempre acordo muito cansado, e sempre estou estressado, nervoso, todos os dias tenho dor tem vezes que eu até que acordo sem, mas passa algumas horas a dor já começa… sempre estou bem corado, me alimento bem, nunca perco o a petite, sempre tenho fome como uma pessoa saudável. Acho então que eu tenho fibromialgia

    • Olá Marcos!

      É importante que você relate todos esses sintomas ao seu médico, bem como converse sobre suas suspeitas. A partir daí este profissional poderá realizar os exames necessários e fornecer um diagnóstico preciso de acordo com suas condições de saúde.

    • Boa noite Marcos, não sou médica, procure um neuro e peça para fazer um exame para tirar duvidas sobre uma doença chamada ELA(Esclerose Lateral Amiotrófica). E uma doença pouco divulgada pela medicina mas que possui quase os mesmos sintomas da fibromialgia. Falo porque tive a oportunidade de conhecer algumas pessoas que tem a doença. Pesquise um pouco sobre ela. Não custa nada fazer o exame. Fica com Deus.

    • olá marcos, demorei exatamente nove anos para descobrir que tenho essa doença, foram vários exames, medicações excessivas e afastamento do trabalho até chegar a um diagnóstico preciso. Desde então, tomo medicamentos controlados e dieta de alguns alimentos com isso as dores deram uma trégua e hoje vivo praticamente ser dor. Mas, para isso é importante consultar sempre um Reumatologista e seguir todas as orientações médicas.

  13. Na verdade não sou eu que estou passando por esse problema. Tenho uma sobrinha de 17 anos que está com todos esses sintomas. Vamos leva-la amanhã pra consulta com um reumatologista. Ela está sofrendo muito com muitas dores. Mal consegue andar. Estamos desesperados com essa situação. Mas crendo em Deus que tudo vai dá certo!

  14. Descobrir que sou portador dessa síndrome de Joanina Dognini, a Fibromialgia, a mais ou menos um ano. Mais até este exato momento até antes de ter acesso a estas informações precisas sobre a Fibromialgia, eu não tinha as informações preciosas para eu poder conviver e combater as dores terríveis que sinto por todo o meu corpo, como relatado acima pelos comentários das pessoas portadoreas. Agora sei o que fazer para amenizar as dores e buscar tratamentos alternativos para eu encontrar uma vida menos sofredora pra mim. O meu muito Obrigado pela valiosas informações Mayra (Minuto Saudável).

  15. Olá! Então aos meus 45 anos tive uma sobrecarga de stress devido anos de muito trabalho , passei por vários médicos , infinidade de exames , até chegarem cogitar estava com fibromialgia , fiz uma medicação por um ano e fiquei ótima. Porém passados 6 anos comecei a sentir umas dores cansaço, dores ao lado do pescoço e acordava como se não tivesse descansado , comecei novamente uma bateria de exames tudo certo, encaminhada para neuro diagnostico fibromialgia . Sair do consultório muito chateada, sempre estive muito ativa , então procurei me informar o que buscar para melhor conviver com isso , comecei a fazer acupuntura e mudei minhas atividades na academia , tive uma melhora excepcional . Descobrir que me leva a ter a crise é preocupações, stress com trabalho . Então tento buscar equilibro para administrar melhor as situações . A todas as colegas fibro , deixo aqui meu conselho não desista nunca , e não aceite essa doença , pois , somos feitura de Deus perfeito e todas nossas enfermidade já foram levadas na cruz, eu creio nisso nessa palavra . Deus nos abençoe e seja nossa força.

  16. Sou Técnica de Enfermagem e cheguei ao diagnóstico de Fibromialgia, após várias crises de coluna. Fiquei afastada das minhas funções colaborativas por 1 ano e 2 meses tratando da doença como se fosse crise de coluna. Depois do ortopedista não saber mais qual remédio me receitar e depois de um número infinito de RPG e Fisioterapia, fui encaminhado ao Reumatologia que me diagnosticou com Fibromialgia. Infelizmente o Ortopedista me deu alta e o INSS, não aceitou o laudo do Reumato, pois eram cid diferente. Recebi alta do INSS e logo em seguida fui mandada embora do meu emprego. Hj, 2 anos depois sem plano de saúde, sem ter hospitais públicos que tratem dessa síndrome, estou vivendo pela misericórdia de Deus. Nunca fiz tratamento para Fibromialgia, pois os hospitais públicos estão falidos, estou há mais de 6 meses com dores terríveis, vivendo a poder de Dorflex ou Novalgina, quando posso comprar! Agora eu pergunto, isso é vida?

    Vc viver com dores por todo o corpo, 24 horas por dia, a ponto de vc querer morrer, por já não aguentar mais!
    Infelizmente esse é o retrato de uma brasileira que contribuiu quase 20 anos para a previdência social e na hora que mais precisa, te descartam como muuuitos, estão esquecidos, porque não temos mais condições de dar produção, lucro. Não servimos mais pra nadaaa! 😢😭

    • Oi, também tenho a 11 anos agora que tive o diagnóstico após tomar muitos medicamentos que eram para outros problemas. Estive quase a beira da loucura de dores, então sei o que está passando. Vc tentou ligar na OAB para ver se tem advogado gratuito para tentar se aposentar? Ou então procurar na internet asssociaçao de portadores de fibromialgia para que te auxiliem?

    • Pois essa é minha preocupação sou agente de saúde a 14 anos há 2 anos atrás o ortopedista me deu laudo pra me afastar, coisa que não fiz nem vou, tem dias q estou visitando as famílias me tremendo de dor tem horas q a fala nem sai, mas tenho 2 filhos e não posso fica sem trabalho 😢😢😢😢😢concordo que viver assim é muito difícil

  17. Depois de passar por inúmeros médicos de todas as especialidades, chegaram a conclusão da fibromialgia, as dores são desesperadoras, comigo eram poucos dias em crise, agora levam até 15 dias chego a ficar internada com medicamento intravenoso , tomei diversos remédios, até acertar, penso que deu certo, o que temos que aceitar é que temos a síndrome, e teremos crises mais intensas,
    Esta matéria foi a melhor que li até o momento, relata realmente nossas dores e locais com exatidão…. Parabéns
    Vamos aprender viver com ela, este é único jeito,pq parece que a cada dia elas são muito mais fortes, e muito mais tempo, não sei precisar o tempo que estou com ela, pq foram muitos anos de pesquisa, tenho dores desde 17 anos e hoje estou com 58 anos
    Obrigada pelo esclarecimento

  18. Eu tenho fibromialgia, agora mesmo estoi meu Deus estou morrendo de tanta dor, minha cabeça, meu corpo , nada aqui escapa, tudo doi, o reumatologista, passou um remedio, manipulado,4 em 1, fiquei 2 meses sem dor agora voltou tudo de novo, mesmo tomando remédio, ai que dor horrivel

    • Sempre sofri de depressão desde a infância só descobri aos vinte e dois anos, uma dor de me acompanha desde os oito anos até hoje, sofro com todos os sintomas q acabei de ver mais sempre falava prós médicos e o q parecia era q eles achavam que eu era louca não falavam mais sempre ignoram passei a vida inteira tomando medicamentos q nunca resolviam o problema até ficar sem andar temporariamente eu fico, só há um ano atrás é q estou sendo acompanhada por uma reumatologista é uma anestesiologista, estou sendo medicada com os seguintes medicamentos: Coldein 30mg Dipirona 500mg Gababentina 300mg, falta o ciclobenzaprina 5mg, citalopram 20mg.

      Faço acompanhamento psicológico e psiquiátrico vou iniciar fisioterapia, por um curto período fiz massoterapia ajudou um pouco mais agora mudou o procedimento é não tá dando resultado tive q parar, quanto a vida saudável no meu caso é inviável assalariados não deveriam nem nascer quanto mais ser portador de tal mazela pior é meu caso q eu não sou portadora só desse problema enfim em relação a fibromialgia só pioro atualmente estou cada vez mais limitada a bem da verdade não tô vivendo apenas vegetando.

      Obrigada pela oportunidade de esclarecimento é muito útil termos o privilégio de poder contar com esse trabalho maravilhoso, parabéns por essa iniciativa pra mim foi de grande importância, obrigada por tudo continuem assim com esse trabalho maravilhoso, parabéns. Atualmente estou com 60 anos pelo o q posso ver já sofro com esse problema há 38 anos e só há um ano atrás é que fui diagnosticada com fibromialgia.

  19. Amei a matéria,me ajudou a entender melhor sobre a fibromialgia…pois fui diagnosticada essa semana com a mesma….agora é começar o tratamento e acreditar que tudo vai dar certo.

    • Eu também fui diagnosticada e estou muito triste, pq as dores são intensas. Meus pés doem a ponto de me fazer mancar para andar, as mãos doem, as costas nem se fala…Tenho chorado sim, pq não tô aguentando e o relaxante que o médico me passou por 60 dias, parece não fazer efeito. Muito triste saber que terei de conviver com isso. Tossir dói as costas, assim como respirar fundo. Eu não sei o que fazer pra aceitar essa síndrome. Me ajudem, por favor!

  20. Após um câncer de pulmão, e lendo e ouvindo sobre fibromialgia, creio ter as respostas para minhas dores no corpo, cansaço, esquecimentos, sensação de fadiga mesmo após uma noite inteira de sono, uma sonolencia. Será que tbm estou com fibromialgia? Gostaria de esclarecer, é muito horrível conviver com algo que só vc sente, a aparência não justifica o seu comportamento. Tem dias que estou deverás irritada, sem paciência nem para ouvir vozes.

    • Olá Rosângela!

      Ao sinal de qualquer sintoma suspeito, é importante procurar ajuda médica imediatamente. Recomendamos que busque o auxílio de um profissional de saúde, pois apenas ele está apto para fornecer um diagnóstico preciso de acordo com suas condições de saúde.

  21. Acho q estou com isso todos os sintomas eu estou sentindo intestino super irritado…muitas dores incômodas pelo corpo inteiro insônia preciso de ajuda

    • Olá Débora!

      Ao sinal de qualquer sintoma suspeito, é importante procurar ajuda médica imediatamente. Recomendamos que busque o auxílio de um profissional de saúde, pois apenas ele está apto para fornecer um diagnóstico preciso de acordo com suas condições de saúde.

  22. A melhor matéria que li sobre o tema.
    Estou com fibromialgia e tenho todos os sintomas relatados, desde a sensação de inchaço nas articulações , as dores na pela , os lapsos de memória e muita vontade chorar…. não sei como lidar com tudo isso junto ! Tenho dormido sempre com relaxante muscular e a qualidade do sono melhorou . .. mas não consegui identificar o que desencadeia isso tudo.. muito triste viver assim ..

  23. A dor está me deixando louco, me tornei uma pessoa insuportável, não consigo ser social, quero matar todo mundo que aparece à minha frente, dor dos inferno, estou passando por uma psicóloga e agora por um psiquiatra, remédios caros, pra ajudar mais um pouco. Infelizmente algo que convivo à muitos anos, tem horas que da vontade de jogar tudo pro alto, terrível, estou no aguardo de tratamento, vamos ver no que dá…

    • Olá Katia,

      Lamentamos a impossibilidade de fornecer conselho médico ou responder a questões médicas e farmacêuticas individuais, pois somos impossibilitados pela ANVISA de prestar tal atendimento. Mas nós esperamos que você encontre respostas dentro de nosso site, através de informações como bulas ou até mesmo conteúdos e artigos.

      A fibromialgia pode tornar o período menstrual mais doloroso, deixando as cólicas mais intensas. No entanto, recomendamos que se busque ajuda de um ginecologista para entender o que pode estar provocando essas alterações no ciclo menstrual.

  24. Tive fratura na patela do joelho, devido ao ocorrido , estou com trombose e muita dor no corpo inteiro, e a geriatra me informou que deve ser fibromialgia, muita dor……stress em alta , marido teve infarto , neste momento, filha e neto com virose, filha com queimaduras de segundo grau, fora a crise…..tenho comércio….trabalho dia inteiro de segunda a segunda, , estou sem poder trabalhar desde 25/11/17 situação bem difícil…..adorei a matéria….gostaria de as pessoas soubessem que devemos nos controlar, embora difícil, mas pensar mais na gente , para evitar certas doenças, eu me concientisei tarde demais…

  25. Esta matéria é muito esclarecedora. Estou há 1 mês com todos esses sintomas. Muitas dores, extremidades dos membros sensíveis como se fossem choques. Só não tenho cefaléia. Também pudera já bastam as dores musculares.
    Procurarei ajuda para amenizar todos esses problemas. Abraço

  26. Eu descobri agora depois de tanto sofrer com as dores,fui buscar ajuda médica meu corpo todo dói,Tenho insônia angústia muitas dores no ,pescoço fico muito nervosa não me alimento bem ,Tenho dores na barriga meus pés e pernas são irritadas e dói tenho muito esquecimento ,demoro muito pra me lembrar ou muitas vezes ,nem lembro tenho dor na cabeça ou inchaqueca,faço muito esforço físico como faxina,é insuportável

  27. Muito obrigada pelas informações, foram muito úteis e vou procurar um especialista. As informações foram completas .

  28. Meu nome é Fabiana e sinto todos os sintomas da fibromialgia. Tenho muitas dores me sinto cansada o tempo todo. Não sei mais o que fazer, os medicamentos não fazem efeito

    • Olá Fabiana,

      Sentimos muito que seu tratamento não esteja sendo eficaz. É importante que você converse com seu médico para verificar o que pode estar acontecendo e para que ele determine métodos alternativos ou substitua os remédios que está utilizando. Melhoras!

    • Nosso corpo se adaptar a qualquer estímulo, infelizmente depois de muito tempo usando um medicamento ele acaba perdendo a sua eficiência, pois já não consegui tirar o corpo de seu estado de homeostase. E quanto mais se aumentar a dosagem maior será a possibilidade de ativar os efeitos colaterais dos remédios. Eu indicaria a procura de um profissional de educação física, de preferência mestre ou doutor com especialização de prescrição para grupos de riscos. Sem querer ser arrogante, mas remédio só remedia, o próprio nome já diz.

  29. Gente que matéria maravilhosa. Parabéns mesmo, esta bem completo. Sou portadora da Fibromialgia a 11 anos e de todas as matérias já lidas essa é a que mais retrata a doença. Parabéns a todos os envolvidos.

  30. Sofria dessas dores e meu reumatologista sempre dizia que eu não tinha nada, e só me passando remédios, um dia parei de tomar e procurei um outro, que no mesmo instante me disse que era Fibromialgia, na hora fiquei ate feliz, pq não era possível sentir tanta dor e não ser nada. Estava tomando pregabalina 150, só que me sentia dopada, sinto a cabeça tonta, uma moleza, ate a fala modifica, então parei por conta. Estou a mais de 10 dias com dor de cabeça e dores muito fortes, só que preciso trabalhar, infelizmente tem que optar, sentir dor ou tomar remédio e não ter vida. Acho que já aprendi a conviver com a dor, dias melhores outros piores.

  31. tenho varios sintomas,vivo cansada,alem de tudo tenho psoriase e artrite psoriatica,me irrito facil com as pessoas,

  32. Muito boa a matéria sobre fibromialgia. Estou sofrendo desta doença a 2 anos e só agora um medico descobriu. Apo’s fazer um RX da coluna,que detectou bico de papagaio ,foi que o medico descobriu a Fibromialgia. As dores que sinto são somente dos joelhos pra baixo.Muita dor nos tornozelos e nos pés.

  33. Meu nome e Leila eu sofro de fibromialgia há mais de oito anos, começou com dormência nos braços e pernas, não conseguia andar direito, pois parecia que estava com uma bota de ferro, depois veio a dor nas costas e achava que estava com pneumonia sempre até que em um dia de bastante estresse não consegui levantar da cama doía tudo, eu estava tomando de quatro a cinco novalginas por dia e naõ estava adiantando então conversando com a minha pneumologista ela disse que poderia ser fibromialgia e que eu procurasse um reumatologista e fui então, mas este so passou o remédio para aliviar a dor que me deixava alucinada, bati com o carro algumas vezes e fiquei com medo, então consultei outra medica e esta me receitou um antidepressivo e o pilates melhorei bastante.

  34. Estou sofrendo a cada crise que cada dia que passa fica muito difícil, as vezes acho que não irei suportar, tomos vários medicamentos e tem três semanas que estou em crise tomando os medicamentos, mas só alivia bem pouco. Gostaria de saber se só o tratamento com o psiquiatra terei solução

    • Olá Edileuza!

      Além do reumatologista, o acompanhamento de um psicólogo e/ou psiquiatra é fundamental para o bom convívio com a doença. É importante também que você busque ajuda em grupos de apoio para compartilhar sua dificuldades e experiências.

    • Olá Marcia,

      Normalmente, a fibromialgia não causa inchaço nas articulações, mas pode promover a sensação de inchaço. Isso porque ela é uma doença que afeta o sistema neuromuscular, mas não acomete as articulações. Caso as suas articulações estejam, de fato, inchadas, pode ser um sinal de que há outra condição afetando sua saúde. Consulte seu médico sobre isso!

  35. Sinto dores por todo meu corpo, mas nunca fui informado, pois muitos médicos de postos me pareceram nem conhecer essa tal fibromialgia. Fiquei muito feliz com essas informações

  36. Muito bom este artigo, sofro com a fibromialgia sinto muitas dores principalmente na hora de dormir. Já deito pensando em me levantar de manhã, pois parece que passei a noite toda trabalhando, um cansaço enorme… Não encontrei nada que se adapte a mim…

  37. Já sofro com fibromialgia há mais de 15 anos,mas só descobri há 4 anos. Desde então ainda não me adaptei à nenhum medicamento. Sofro muito e agradeço ao artigo pelas informações.

  38. Sofri quase 10 anos fibromialgia, tomava anlgesicos, nada adiantava, sentia muitas dores, não dormia, meus bravos adormeciam, eu desejava morrer, tinha snsiedade e taquicardia,Meu seio do lado direito parecia que tinta um espinho, sarei com diazepan
    Hoje sou outra pessoa.

  39. Muito bom essas informações , me ajudaram bastante. Obrigada!
    Descobri recentemente que sofro com a fibromialgia e a 11 anos com lúpus.

Deixe o seu comentário, nos preocupamos com sua opinião:

Por gentileza, escreva seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui

Lamentamos a não possibilidade de dar-lhe conselho médico ou responder a questões médicas e farmacêuticas individuais através de e-mail, pois apenas um médico pode prestar tal atendimento. Embora tentemos responder a todos os comentários, opiniões e e-mails que recebemos em até dois dias úteis, nem sempre é possível devido ao grande volume que recebemos. Por favor, tenha em mente que qualquer solicitação ao Minuto Saudável está sujeita aos nossos Termos de Uso e Política de Privacidade, ao enviar, você indica sua aceitação.