A condição é comum e as causas são diversas. É difícil conhecer alguém que nunca tenha passado por um episódio de dor de ouvido, ainda que tenha sido na infância.

Às vezes são condições mais corriqueiras, como sensibilidade devido ao frio intenso. Outras, há relação com infecções por vírus ou bactérias. Por isso, investigar as causas da dor de ouvido é fundamental para evitar diagnósticos equivocados.

Índice — neste artigo você irá encontrar as seguintes informações:

  1. O que é dor de ouvido?
  2. Anatomia do ouvido
  3. Quais os tipos e causas da dor de ouvido?
  4. Grupos de risco
  5. Quais são os sintomas e como identificar a dor de ouvido?
  6. Como identificar a dor de ouvido em bebês e crianças?
  7. Quando devo procurar um médico?
  8. Como é feito o diagnóstico da dor de ouvido?
  9. Dor de ouvido tem cura?
  10. Tratamento: o que bom para aliviar dor de ouvido?
  11. Medicamentos: qual o melhor remédio para dor de ouvido?
  12. Cirurgia para dor de ouvido: é uma opção?
  13. Remédios caseiros: o que fazer para a dor de ouvido?
  14. O que não fazer ao se ter dor de ouvido?
  15. Quais são as complicações causadas pela dor de ouvido?
  16. Como prevenir a dor de ouvido?

O que é dor de ouvido?

A dor de ouvido, ou otalgia, é um sintoma comum de diversas condições, relacionadas ou não ao aparelho auditivo. Pode afetar apenas um ou os dois ouvidos. A dor é descrita como queimação, pontadas ou pressão, que pode ser constante ou oscilar.

Esse sintoma pode ser causado por diferenças na pressão dos ouvidos médio e externo, infecções ou inflamações dentro ou fora do ouvido e, muitas vezes, o problema se resolve sozinho em pouco tempo.

Entretanto, há casos nos quais o problema continua a se desenvolver e se faz necessária uma visita ao médico.

É mais comum em crianças, por ter uma tuba auditiva consideravelmente menor que os adultos, além do fato de que seu sistema imunológico ainda está se desenvolvendo.

Anatomia do ouvido

Para entender as causas da dor de ouvido, é preciso compreender quais são e como funcionam suas estruturas básicas. São elas:


  • Ouvido externo;
  • Ouvido médio;
  • Ouvido interno;
  • Tuba auditiva (trompa de Eustáquio).

Ouvido externo

A parte externa do ouvido é formada pela orelha, também chamada pavilhão auricular, que coleta e encaminha o som para dentro do canal auditivo. O canal auditivo externo, por sua vez, direciona as ondas sonoras para o ouvido médio.

Ouvido médio

Na entrada do ouvido médio, há uma membrana fina chamada tímpano. Sua função é transmitir as vibrações do ar para os menores ossos do corpo humano: o martelo, a bigorna e o estribo.

Esses ossos vibram e servem como um amplificador do som, que é, então, transmitido para o ouvido interno, através da janela oval.

É, também, no ouvido médio que se encontra a entrada de uma estrutura chamada trompa de Eustáquio, ou tuba auditiva.

Ouvido interno

No ouvido interno, encontra-se a cóclea, uma estrutura que se parece com a concha de um caracol. Nela, há um líquido e células ciliadas que se movem com as ondas sonoras e enviam impulsos elétricos para o cérebro. Esses impulsão são, então, recebidos e interpretados pelo cérebro, gerando a compreensão dos barulhos.

Nessa parte há, também, algumas estruturas relacionadas ao equilíbrio. Danos nessas partes podem facilmente causar labirintite.

Tuba auditiva

A tuba auditiva, ou trompa de Eustáquio, é uma passagem que vai do ouvido médio ao começo da garganta, e sua função é permitir que o ar penetre no ouvido médio.

A entrada de ar é de extrema importância para que a pressão do lado de dentro do tímpano (ouvido médio) seja igual à pressão atmosférica, o que protege a integridade da membrana e garante que o processo de audição no ouvido médio não seja prejudicado.

Essa estrutura se encontra fechada na maior parte do tempo, e se abre nos momentos de bocejo, espirro, mastigação, entre outros que envolvem a mandíbula.

Quais os tipos e causas da dor de ouvido?

A dor de ouvido pode ser causada por inúmeras condições, sendo as mais comuns infecções virais ou bacterianas nas secreções naturais do ouvido (cera). Algumas vezes, ela pode ser causada pelo simples acúmulo de muco na garganta.

Entenda melhor as causas da dor de ouvido:

Barotrauma

O barotrauma é uma condição na qual se sente desconforto devido à pressão desigual no ouvido. Isso acontece quando há algum bloqueio na tuba auditiva (trompa de Eustáquio), ou quando a pressão externa muda abruptamente e o ouvido demora a se adaptar.

Essa diferença causa desconforto e uma perda auditiva parcial temporária. Algumas pessoas sentem um pouco de dor na área do tímpano, que pode estar sendo empurrado para dentro ou para fora por conta da pressão.

Essa condição é extremamente comum durante mergulhos, decolagens e pousos de aviões. Em outras situações, o barotrauma pode ser causado pela produção excessiva de muco na garganta e nariz. Isso ocorre devido a alergias, como rinite e sinusite, gripes, resfriados e outros tipos de infecção.

Infecções no ouvido

As infecções no ouvido mais comuns são, na verdade, provenientes de outras infecções comuns. Elas acontecem quando os vírus ou bactérias de infecções na garganta ou resfriados sobem pela tuba auditiva. Assim, o tímpano fica inflamado.

Essas infecções são chamadas otites e, quando não tratadas, podem provocar dor acentuada no ouvido e perda da audição. Nesses casos, é de extrema importância a visita ao médico.

Existem dois tipos de otites:

  • Otite externa: localizada no ouvido externo;
  • Otite média: localizada no ouvido médio.

Uma infecção potencialmente grave que pode causar dor de ouvido é a otite externa maligna, que pode surgir através de uma otite externa em pessoas com o sistema imunológico enfraquecido.

Lesões

Algumas partes do ouvido podem ser facilmente lesionadas, podendo provocar dor. Uma lesão comum é a perfuração do tímpano com objetos, como hastes flexíveis.

Sinusite

A sinusite pode causar dores por toda a cabeça, sobretudo na região que envolve os olhos e proximidades. Por isso, a dor pode se estender ao ouvido. Porém, há ainda outra dor relacionada à sinusite, decorrente de uma complicação. 

Em quadros agudos, a sinusite podem desencadear a infecção no ouvido, conhecida como otite. Isso porque o acúmulo de secreção retido na região nasal pode causar inflamações, dor e sensações de ouvido trancado.

Gripe

As gripes podem estar relacionadas às dores de ouvido decorrentes da infecção de vírus. Nesses casos, os agentes chegam aos tecidos e geram inflamação no canal auditivo.

Outras causas

Outras possíveis causas são:

  • Objetos estranhos no ouvido;
  • Problemas na mandíbula;
  • Bloqueio causado pelo acúmulo de cera no ouvido;
  • Nascimento do dente do siso;
  • Disfunção temporomandibular;
  • Nevralgia do trigêmeo;
  • Bruxismo.

Grupos de risco

O maior grupo de risco para a dor de ouvido são as crianças. Existem dois motivos pelos quais esse sintoma são mais comuns nesse grupo:

  1. O sistema imunológico ainda está em desenvolvimento;
  2. A tuba auditiva é consideravelmente menor em crianças do que em adultos, facilitando a obstrução e consequente infecção do local.

Quais são os sintomas da dor de ouvido?

Por ser um sintoma propriamente dito, a dor de ouvido costuma vir acompanhada de outros sintomas causados pelo problema inicial.

Quando se trata de barotrauma desencadeado por alergias, outros sintomas comuns podem surgir, como: espirros, tosse, congestão nasal, etc. Acompanhada de infecções, pode haver dor de cabeça, dor de garganta, tosse, espirros, febre, entre outros. Nesses casos, o tímpano pode apresentar vermelhidão e inchaço.

Sintomas gerais que podem acompanhar a dor de ouvido são:

  • Dor na mandíbula;
  • Coceira;
  • Zumbido;
  • Vertigem.

Como identificar a dor de ouvido em bebês e crianças

Bebês e crianças muito pequenas tem dificuldades para expressar que estão com dor de ouvido. Por isso, os pais devem ficar atentos a alguns sinais de que talvez haja algo de errado no ouvido da criança. São eles:

  • Bebês podem se apresentar irritados e chorar facilmente;
  • Crianças podem puxar ou esfregar uma das orelhas;
  • Falta de apetite;
  • Problemas para dormir e inquietação durante a noite;
  • Dificuldades na audição;
  • Dificuldade de equilíbrio nas crianças que já andam;
  • Febre acima de 38º C;
  • Líquido sendo excretado pelo canal auditivo;
  • Mau cheiro perto do ouvido.

Atenção!

Caso a criança apresente pescoço travado (duro), cansaço demasiado e falta de reação, consulte um médico imediatamente.

Quando devo procurar um médico?

Em geral, as dores de ouvido são tratadas juntamente com o tratamento de outras condições que causam o sintoma e, por isso, muitas pessoas não vão ao médico por conta da dor de ouvido em si, mas sim por causa de outros problemas.

Entretanto, existem alguns casos nos quais a dor de ouvido é a queixa maior e, então, o paciente pode não saber quando se deve procurar um médico.

O ideal é que a ajuda profissional seja procurada quando a dor de ouvido não apresenta melhoras em poucos dias, quando piora nas primeiras 48 horas, ou quando vem acompanhada de sintomas mais graves, como os de infecções bacterianas.

O médico deve ser procurado principalmente na presença de sintomas como mau cheiro no ouvido e secreções como pus, sangue e outras que não a cera natural.

O profissional a ser procurado é o otorrinolaringologista, um médico especializado em ouvido, nariz e garganta.

Como é feito o diagnóstico da dor de ouvido?

Quando se queixa de dor de ouvido ao clínico geral ou ao otorrinolaringologista, a primeira coisa que o médico faz é examinar o ouvido com um aparelho chamado otoscópio.

Esse aparelho ilumina a região do canal auditivo e permite que o médico veja se há alterações no tímpano, nas paredes do ouvido externo, entre outros.

Dependendo do que for achado, o médico pode pedir outros exames para verificar a existência de vírus ou bactérias no organismo, causando uma infecção.

O profissional pode examinar outras partes do corpo em busca de sinais de infecções. Ele pode olhar a garganta, apertar gentilmente o pescoço em busca de linfonodos inchados, além de usar um estetoscópio para ouvir o funcionamento dos pulmões.

Se necessário, pode haver a realização de testes de audição. Em raros casos, é feito a coleta do líquido do ouvido para análise, especialmente quando a condição não responde ao tratamento.

Exames de imagem como radiografias ou tomografias computadorizadas são realizados apenas sob suspeita de tumores e outros problemas que possam estar danificando estruturas próximas aos ouvidos.

Dor de ouvido tem cura?

Sim. Felizmente, a maior parte das dores de ouvido se resolve sozinha em poucos dias. Já aquelas que possuem alguma causa mais complexa, como infecções ou problemas na articulação temporomandibular, podem precisar de tratamentos mais prolongados.

Tratamento: o que bom para aliviar dor de ouvido?

O tratamento da dor de ouvido depende da causa. Muitas vezes, o incômodo é apenas momentâneo e se resolve rapidamente, sem necessitar de intervenção medicamentosa. No entanto, ainda assim, os cuidados básicos, como evitar vento frio e fortalecer a imunidade são necessários. 

Em outros casos, o uso de medicação é indicada, eliminando a infecção e amenizando os sintomas. Podem ser usados remédios analgésicos, antitérmicos (em caso de infecções com febre) e anti-inflamatórios.

Remédios em gotas (uso tópico)

Os medicamentos em gotas ou pomadas de uso tópico agem no local de aplicação. Eles podem agir inibindo o crescimento de bactérias ou agentes infecciosos e facilitando a eliminação das secreções.

Há opções que agem como anestésicas, reduzindo as dores e incômodos.

Esses medicamentos são pingados ou aplicados diretamente no canal do ouvido.

Remédios via oral (comprimidos)

Os remédios sistêmicos são, em geral, comprimidos ou xaropes, que auxiliam na eliminação da infecção. Podem ser também anestésicos ou anti-inflamatórios, capazes de acelerar a recuperação do organismo.

Medicamentos: qual o melhor remédio para dor de ouvido?

O melhor remédio para dor de ouvido depende do que está provocando a dor. Podem ser receitados medicamentos anti-inflamatórios, analgésicos, limpadores de cera e até antibióticos. Por isso, cabe ao médico avaliar qual a melhor opção para o paciente, visando reduzir os sintomas e eliminar infecções mais rapidamente.

Analgésicos e anti-inflamatórios

Os analgésicos auxiliam a amenizar as dores e desconfortos. Alguns podem ter ação anti-inflamatória e auxiliar no processo de recuperação.

Entre eles:

Antibióticos

Antibióticos são receitados quando há confirmação da presença bacteriana. Entre os que podem ser utilizados estão:

Removedores de cera

Os removedores de cera são medicamentos de uso tópico, que devem ser aplicados diretamente no canal auditivo. Eles facilitam a limpeza dos ouvidos, eliminando a cera excessiva. Entre eles:

Atenção!

NUNCA se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico. Somente ele poderá dizer qual medicamento, dosagem e duração do tratamento é o mais indicado para o seu caso em específico. As informações contidas neste site têm apenas a intenção de informar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um especialista ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Siga sempre as instruções da bula e, se os sintomas persistirem, procure orientação médica ou farmacêutica.

Cirurgia para dor de ouvido: é uma opção?

Sim, mas não para todos. As cirurgias para dor de ouvido são indicadas quando há relação com inflamações recorrentes ou alterações estruturais da região.

Por exemplo, as otites, que são inflamações persistentes e de grande extensão, podem ser tratadas cirurgicamente.

Porém, somente uma avaliação criteriosa pode determinar a efetividade da cirurgia.

Remédios caseiros: o que fazer para a dor de ouvido?

Quando não é preciso tratar diretamente a causa da dor, muitas pessoas usam remédios caseiros para aliviar a dor. Enquanto algumas práticas não devem ser feitas, pois podem prejudicar ainda mais o ouvido, há outras que podem ser benéficas.

Confira algumas alternativas de remédio caseiro seguras:

Compressa quente

Para a acalmar uma inflamação, temperaturas quentes ajudam. Por isso, uma compressa com um pano quente pode ser uma boa ideia. Deve-se mergulhar um pano limpo na água quente — mas não pelando —, torcê-lo e depois colocá-lo sobre a orelha que está doendo.

Pode-se intercalar a compressa quente com uma compressa fria, cada uma durando 15 minutos.

Pulos e tapinhas

Dar pulos e tapinhas no lado oposto da cabeça pode ajudar a desentupir o ouvido, como no caso de acúmulo de água.

Mastigar, bocejar e fazer movimentos com a boca

Devido ao fato da tuba auditiva se abrir com os movimentos da mastigação, bocejo, entre outros, mascar chiclete e outros alimentos que podem ser mastigados ou fingir um bocejo podem ser uma boa ideia para tentar igualar a pressão no interior do ouvido.

Inalação de vapor natural

Quando a causa da dor é um congestionamento, inalar vapor pode ajudar na drenagem do muco do nariz e da tuba auditiva.

Para fazer esse tipo de inalação, é preciso uma bacia e uma toalha de banho. Na bacia, coloque água quente até a metade. Essa água quente pode ser pura ou misturada com óleos essenciais como de eucalipto ou hortelã.

Há quem prefira misturar o chá dessas folhas com a água. Depois, coloque a toalha de banho sobre a cabeça, formando uma espécie de cabana entre a cabeça e a bacia, e respire o vapor que a água libera.

Atenção!

Nenhum desses remédios caseiros substitui o tratamento sob a supervisão de um médico, e devem ser tomados como medida provisória até que se possa ir à consulta.

O que não fazer ao se ter dor de ouvido?

Ao ter dor de ouvido, a primeira coisa que muitos pensam em fazer é tentar limpar o ouvido com hastes flexíveis ou outros objetos. Isso não deve ser feito, uma vez que pode empurrar a cera novamente para dentro do ouvido e, pior ainda, machucar e até mesmo perfurar o tímpano.

Também não se deve colocar líquidos dentro do canal auditivo. Algumas receitas de remédios caseiros citam diversos óleos, chás e líquidos que podem ser colocados.

Entretanto, não há provas de que esses líquidos são eficazes e que não são prejudiciais ao canal auditivo. Por isso, é indicado evitar essas receitas que envolvem a aplicação de qualquer coisa dentro do ouvido.

O paciente não deve demorar para ir ao médico se perceber piora nos sintomas ou passar mais de 3 dias sem qualquer melhora.

Quais são as complicações causadas pela dor de ouvido?

Na maioria dos casos, não há complicações associadas à dor de ouvido, exceto aquelas relacionadas à infecções em geral. Entretanto, um tipo específico de infecção no ouvido pode trazer consequências graves.

A otite externa maligna é uma evolução da otite externa que acomete, principalmente, pessoas com o sistema imune enfraquecido, como crianças, idosos, pessoas fazendo quimioterapia, que tomam imunossupressores e diabéticos.

Nessa infecção, a bactéria avança mais dentro do canal auditivo e causa danos aos tecidos adjacentes. Pode trazer danos para o osso temporal, mandíbula, e até mesmo nervos do crânio.

Como prevenir a dor de ouvido?

Por se tratar de um sintoma, a melhor maneira de prevenir a dor de ouvido é evitar as doenças que a causam. Essa prevenção deve ser feita através de medidas simples como a adoção de hábitos higiênicos que ajudam no combate a vírus, bactérias e fungos, evitando, assim, a contaminação.

Algumas medidas que ajudam a evitar infecções são:

  • Não compartilhe copos, talheres ou objetos de uso pessoal;
  • Lave as mãos com água e sabonete com frequência, pois isso ajuda a eliminar os microrganismos da pele;
  • Utilize lenços umedecidos quando não puder lavar as mãos com água corrente;
  • Reduza a exposição a agentes irritantes que podem provocar alergias, como pólen, pó, pelos de animais, entre outros;
  • Evite a fumaça do cigarro.

É recomendado que pacientes alérgicos tenham sempre seus remédios antialérgicos consigo, para qualquer eventualidade.


A dor de ouvido é um problema comum que pode acometer todas as pessoas, de qualquer idade. Entretanto, são poucos que compreendem suas verdadeiras causas e os tratamentos comumente recomendados.

Se você sente que esse texto ajuda na compreensão do sintoma e em como lidar com ele, compartilhe para que mais pessoas tenham esse conhecimento em mãos!


Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.

Participe da discussão

5 comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

  1. Muito bom o texto; bem explicado e objetivo. Me ajudou muito.

  2. Muito obrigado foi de muita importância essas dicas vlw

  3. Esse texto esclareceu muito as minhas dúvidas pois estou com otite e estou fazendo tratamento obrigada.

  4. Boa tarde.fiz um barautrama num ouvido a cerca de 2 anos.viz tratamento.mas agora sinto um zumbido no ouvido.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *