O que é Endometriose, Sintomas, Tratamento, Cura e Mais

36

Endometriose: você sabe o que é?

A endometriose é um problema de saúde muito comum entre mulheres jovens, que se encontram em seu período fértil. A doença costuma vir acompanhada de muita dor e, devido a isso, pode afetar a qualidade de vida da paciente, que irá sofrer constantemente com fortes cólicas menstruais.

O problema pode surgir após a primeira menstruação, mas é mais comum que o seu aparecimento aconteça entre os 13 e os 45 anos de idade. De acordo com a Associação Brasileira de Endometriose e Ginecologia, ele afeta aproximadamente seis milhões de brasileiras.

Ela é caracterizada pelo crescimento inadequado do endométrio, tecido que recobre a parte interna do útero e se desenvolve mensalmente para possibilitar uma possível gravidez. Quando ela não acontece, o endométrio começa a descamar, gerando a menstruação. Mas, quando ele cresce e se acumula em outras regiões, como os ovários e trompas, o problema recebe o nome de endometriose, sendo possível que ele aconteça inclusive na bexiga.

Os tipos de endometriose

Profunda:

Considerado o tipo mais grave, a endometriose profunda é a responsável pelos sintomas intensos e frequentes que são sentidos. O problema costuma formar nódulos que atingem o reto, os órgãos genitais e inclusive o intestino. As mulheres com endometriose profunda sofrem grandes chances de se tornarem inférteis. A correção dos sangramentos pode ser complicada, por isso é necessário analisar os riscos que o procedimento pode causar.

Ovariana:

Pequenos cistos acabam sendo formados com o sangue que se aloja nos ovários a cada ciclo menstrual. Com isso, eles acabam crescendo cada vez mais no decorrer dos meses. O seu tamanho pode afetar drasticamente a fertilidade da mulher, por isso é necessário buscar por opções de tratamento o quanto antes. Na maior parte das vezes acaba sendo indispensável a retirada dos cistos formados.

Superficial:

Um dos tipos mais leves, consiste na formação de pequenas lesões na região pélvica. O seu diagnóstico é extremamente complicado devida a sua superficialidade. Na maior parte das vezes as mulheres acabam descobrindo a sua existência a partir da realização de cirurgias que analisam o local. Apesar de não ser considerado grave, quando é descoberto, é necessário que ele seja acompanhado frequentemente por um médico ginecologista.

Septo reto-vaginal:

Esse tipo é muito raro e acomete a região entre o reto e a vagina. Ainda existem poucas informações à respeito de como o tecido endometrial chega nessa região.

Endometriose de parede:

Acontece frequentemente após a realização de procedimentos cirúrgicos. É comum o aparecimento de cistos que se localizam próximos à região da cirurgia.

PUBLICIDADE

Endometriose pulmonar ou pleural:

Um dos casos mais raros. A endometriose pulmonar consegue alcançar vasos sanguíneos localizados no pulmão. O problema é grave e muitas vezes pode causar tosse com sangue.

Possíveis fatores de risco

Mulheres que apresentam casos da doença na família estão mais propensas a desenvolver o problema. Estudos divulgados pela Associação Brasileira de Endometriose e Ginecologia concluíram que esse fator pode interferir no seu aparecimento em aproximadamente 51% dos casos analisados, principalmente entre mulheres com irmãs gêmeas.

Quando isso acontece, o surgimento da endometriose pode ser diagnosticado com maior facilidade, considerando que o histórico familiar pode auxiliar o médico responsável. Com a realização de alguns exames anuais se torna viável o controle da sua incidência e também os seus sintomas.

Além disso, é possível que outros fatores interfiram, como: possuir ciclos menstruais irregulares, períodos menstruais muito longos (com mais de 7 dias de duração), não ter tido nenhuma gravidez, possuir algum tipo de anomalia no útero.

A doença é classificada em diferentes níveis, como: leve, moderada e severa. Entenda melhor cada caso:

Leve:

As dores e os sintomas são suportáveis e, na maior parte das vezes, a paciente não necessita do uso de medicamentos.

Moderada:

Normalmente a paciente necessita do uso de medicamentos com frequência.

Severa:

Mesmo com o uso de substâncias analgésicas a paciente continua sentindo fortes dores, que chegam a ser, em alguns casos, insuportáveis.

Causas mais comuns

Existem algumas hipóteses levantadas por médicos, onde são apontadas possíveis causas para o seu aparecimento, entre elas estão:

Menstruação retrógrada:

O fluxo sanguíneo da menstruação acaba realizando um percurso errado, indo até as tubas uterinas e, com isso, vazando para outros locais próximos à região como os ovários e até mesmo o intestino.

Imunidade baixa:

Quando existem problemas no sistema imunológico o organismo sente dificuldade para funcionar da forma correta e também passa a produzir células do endométrio no local errado.

Principais sintomas

Entre os sintomas mais frequentes, é comum que as mulheres sofram com casos de infertilidade e dor intensa, principalmente durante as relações sexuais. A quantidade de pacientes que relatam esses sintomas chega a alcançar até 60%. Mas, também existem outros sinais que podem indicar a sua existência:

  • Cólicas menstruais frequentes e intensas;
  • Dores abdominais fortes no período pré-menstrual;
  • Sensação extrema de cansaço;
  • Sangramento intenso e abundante durante a menstruação.
  • Presença de nódulos ou cistos.
  • Sensação de dor durante a micção;
  • Constipação e dor intestinal;
  • Náuseas e vômitos durante os quadros mais graves de dor.

Como diagnosticar o problema

Se você apresentar algum dos sintomas descritos acima, é recomendável marcar uma consulta médica com um ginecologista o quanto antes. O diagnóstico muitas vezes pode ser complicado, por isso é essencial que a partir dos primeiros sintomas a paciente já procure ajuda médica, para evitar o agravamento da situação.

Durante a consulta ginecológica pode-se detectar alguns casos de endometriose a partir do exame de toque vaginal. Mas, na maior parte das vezes, é necessária a realização de uma ultrassonografia transvaginal para garantir um diagnóstico mais concreto.

Tipos de exame

  • Exame pélvico: consiste na procura por alterações na região, principalmente nos ovários e nas trompas.
  • Ultrassonografia transvaginal: busca por possíveis cistos na região pélvica.
  • Ressonância magnética: costuma ser utilizado principalmente para diagnosticar casos de endometriose profunda.
  • Laparoscopia: a partir de uma pequena cavidade realizada pelo médico, é possível analisar a estrutura do tecido da cavidade abdominal.
  • Colonoscopia: o exame busca por alterações na parte interna do intestino.
  • Cistoscopia: com o uso de endoscópio o médico irá realizar uma análise das vias urinárias da paciente.

Opções de tratamento

A endometriose é um problema crônico e que dificilmente receberá uma cura definitiva. Após o diagnóstico médico, são apresentadas opções de tratamento para que a paciente decida a melhor alternativa. Além das diferentes opções é importante que sejam levados em conta fatores com: idade, gravidade do problema e a vontade da paciente de ter filhos futuramente.

Normalmente, são sugeridos procedimentos cirúrgicos (em situações mais graves) ou o tratamento à longo prazo com o uso de medicamentos. Nesses casos é provável que sejam recomendados: analgésicos e anti-inflamatórios (para diminuir as dores frequentes) ou ainda o uso de métodos anticoncepcionais, como pílulas ou DIU. Entre os medicamentos utilizados para o tratamento da endometriose, pode-se citar:

O que é melhor: procedimento cirúrgico ou tratamento clínico?

Pacientes que decidem pelo procedimento cirúrgico dificilmente terão que lidar com o problema novamente. O que acaba sendo um dos seus grandes pontos positivos, apesar disso, é necessário levar em conta os riscos que podem ocorrer durante a cirurgia. Nos casos de pacientes que desejam engravidar é possível planejar com o médico a preservação do útero e também dos ovários, para evitar possíveis problemas.

Os tratamentos hormonais, apesar de não proporcionarem a cura a longo prazo, podem ser mais cômodos e menos arriscados. O uso de hormônios específicos (pílula, adesivos e anéis vaginais) podem ajudar a reduzir consideravelmente ou por completo o sangramento menstrual, fato que ajuda a impedir o agravamento dos casos de endometriose. Mas, para que isso aconteça é necessário que o tratamento seja acompanhado periodicamente pelo médico responsável.

A laparoscopia é uma das alternativas menos agressivas na hora de tratar as lesões, pois a partir de uma pequena cavidade feita pelo médico é possível analisar a estrutura da região em questão e, se necessário, cauterizar pontos necessários, como cistos(responsáveis pelo sangramento).

É comum que muitas mulheres imaginem que a retirada do útero possa ser uma solução plausível e mais eficaz, porém, é importante ressaltar que mesmo que o procedimento seja realizado, o problema pode continuar acontecendo.

Isso acontece porque os hormônios continuam sendo produzidos pelos ovários e, consequentemente, o endométrio continua sendo produzido. Por isso, é comum o desaparecimento da doença em mulheres que já estão na menopausa, fase em que os hormônios (como o estrogênio) não são mais produzidos.

Tratamento contínuo

É importante que a paciente tenha consciência de que o tratamento muitas vezes é constante, principalmente quando consiste no uso de substâncias para amenizar os sintomas. Por isso, deixar de tomar os medicamentos corretamente pode fazer com que o problema retorne. Apesar disso, essa situação não se enquadra nos casos de procedimentos cirúrgicos, já que na maioria das vezes, os focos do problema conseguem ser eliminados por completo.

Endometriose e a gravidez

Mulheres com endometriose também costumam sofrer com a infertilidade. De acordo com a Associação Brasileira de Endometriose e Ginecologia, entre 50% e 70% das mulheres com o problema costumam ser diagnosticadas com infertilidade.

Entre os motivos relacionados, estão: alterações que acabam impedindo a capacidade de ovulação da mulher, mudanças que afetam as estruturas do útero, ovários e trompas.

Opções alternativas

Apesar de ser muito mais comum a indicação de medicamentos e procedimentos cirúrgicos para melhorar os quadros da doença, é possível que com a ajuda de alguns métodos alternativos a situação melhore consideravelmente. Por isso, é indicado que a paciente procure alterar sua rotina diária, quando esta se encontra muito inativa, e acrescente a prática de alguma atividade física. O aumento da frequência dos exercícios pode ajudar a diminuir as dores e inclusive a incidência da endometriose. Além disso, é possível que alguns métodos alternativos como a acupuntura melhorem o quadro e aumentem a qualidade de vida das pacientes.

Tomar mais cuidados na hora de se alimentar também pode ser benéfico. O consumo de vitaminas com ação antioxidante e anti-inflamatória podem ajudar a controlar os sintomas sentidos, desde que acompanhados de outras recomendações médicas. Confira as vitaminas mais indicadas:

  • Vitamina C e Zinco: são responsáveis pela ação antioxidante que protege o organismo contra os radicais livres. Além disso, a sua ação anti-inflamatória ajuda a reduzir as dores e sintomas sentidos. O seu consumo frequente ajuda a fortalecer o sistema imunológico e a acelerar o processo de cicatrização de machucados. Quando a alimentação é inadequada, pode ser aconselhado o seu consumo por meio de suplementos alimentares, como vitaminas.
  • Vitamina A e E: também atuam nos processos inflamatórios e oferecem a redução das cólicas sentidas. Além das opções encontradas em suplementos alimentares, é indicado o seu consumo proveniente de verduras, legumes e frutas.
  • Vitaminas do complexo B: também atua no combate do processo inflamatório. Pode ser encontrado em suplementos alimentares ou em grãos integrais e peixes.

Atenção! 

NUNCA se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico. Somente ele poderá dizer qual medicamento, dosagem e duração do tratamento é o mais indicado para o seu caso em específico. As informações contidas nesse site têm apenas a intenção de informar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um especialista ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Siga sempre as instruções da bula e, se os sintomas persistirem, procure orientação médica ou farmacêutica.

A endometriose é um problema muito comum e que necessita de cuidados. Muitas mulheres não levam a sério a importância de analisar os seus ciclos menstruais. Ficar atenta aos sintomas sentidos durante o mês pode ser essencial na hora de diagnosticar mudanças no organismo. Ficou com alguma dúvida? Mande para a gente e tentaremos responder o quanto antes. Além disso, lembre-se, procure um médico sempre que for preciso.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (6 votos, média: 4,83 de 5)
Loading...

36 Comentários

Atenção: os comentários abaixo são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

  1. Boa tarde. Fui diagnosticada com endometriose profunda a um pouco mais de um ano e, desde então venho tomando dienogeste (Pietra). Entretanto, a alguns meses eu venho apresentando manchas arroxeadas nos braços e pernas e diante dos exames de sangue detectou uma alteração no figado, provavelmente decorrente do uso contínuo do Pietra. Tenho pavor de fazer a cirurgia, nesse caso há algum outro medicamente que possa substituir o dienogeste?

    • Olá Nay,

      Lamentamos a não possibilidade de dar-lhe conselho médico ou responder a questões médicas e farmacêuticas individuais, pois somos impossibilitados pela ANVISA de prestar tal atendimento. Contudo, com base em suas informações sugerimos que você procure seu médico, leve até ele os exames que você realizou e informe o seu período de tratamento. Assim, ele poderá julgar a necessidade de substituição ou ajuste no tratamento. Esperamos ter ajudado!

  2. Olá, meu ciclo menstrual é muito irregular, fico alguns meses sem menstruar, e quando a menstruação vem, são no mínimo 10 dias, com fluxo intenso, inclusive a impressão que dá, é que está saindo pedaços. Sinto muita cólica, principalmente na região do meu intestino, sem contar que no primeiro dia meu intestino solta tudo que ha. Alguém pode me dizer se pode ser endometriose?? A dor que sinto, eu achava que era minha coluna travada, mas acredito que seja no intestino, pois assim que evacuo, sinto um alívio nas dores. Ah tenho dois filhos, o mais novo tem 12 anos

  3. Olá eu tenho 26 anos e tenho muitos sintomas da doença tenho uma dor no reto muito forte quando estou mestruada mal consigo me sentar , muita dificuldade pra evacuar , tenho medo de procura um médico pq meu maior sonho é ser mãe, e eu li bastante ja sobre essa doença 😔

    • eu tanbem tenho um grande sonho de ser mae, fe no senhor que isso nao vai ser nada minha amiga, vc sim ter o seu filho ou filha

  4. Quando mestrou meu umbigo sangra e sinto dores muito forte fui para urgência então a médica falou que era endometriose já faz cinco dias que minha menstruação foi embora mais tá doendo muito

  5. tenho endometriose ja estou na menopausa ha 20 anos eu quero saber se trasmitida pela relação sexual pois estou mestruando muito e faço tratamento para o cancer de mama ha mais de 2 anos por favor me tira a duvida se foi trasmitida pela relação sexual

  6. Fiz laqueadura ha sete anos e tenho muitas dores nas costas e por baixo da barriga dores insuportáveis parece que minha barriga tá podre principalmente no período da menstruação e sinto dores na hora do sexo tbem

  7. Faço tratamento de endometriose há 10 anos, não é fácil dependendo dos remédios que tomo não sei se corta o efeito sinto muita dor e é muito triste, porque as vezes você não tem nem condições para andar direito com tanta dor você liga para a secretária do seu médico de costume fala que é emergência e elas nem marca e nem avisa o médico sobre a situação, e quanto mais a gente espera mais vai piorando não é nada fácil mesmo com convênio, a gente se sente um lixo e que não somos nada nessa vida.

    • Mas você faz tratamento de que modo? Um médico indicou colocar debaixo do tecido gorduroso três capsulas de gestrinona 3, para combater a endometriose. O custo é muito elevado, custa em média 3000,00 reais cada aplicaçao e dura em média de 4 a 6 meses, aí aplica tudo novamente! Estou pesquisando e os tratamentos contra a endometriose praticamente não citam essas capsulas de gestrinona. Por isso gostaria de saber como você está se tratando da endometriose. Obrigado!

  8. a 2 anos anos que venho sofrendo com todos esses sintomas da endometriose,fui a medica ginecologista e ela mim passou o kalist,mais que eu passei dois meses tomando ele e nao parava de mestruar ai terminei os 2 meses e nao dei continiudade a o tratamento que era de 6 meses,e agora voltou tudo de novo com dores mais fortes,mais agora vou voltar pra outra medica vou ver o que lea pode fazer por mim pois estou sofrendo muito com as dores

  9. Eu fui diagnosticada com endometriose profunda e endrometrioma com aderência pélvica um mioma e cisto no ovário esquerdo focos no reto siguimoid meus ovários estão colados no meu ultero tenho muitas dores que só ameniza com tilexy mais não cessa as cólicas só ameniza não tenho plano de saúde faço tratamento na santa casa minha medica suspendeu minha menstruação a 1 ano com o pietra ED tomo vários analgésicos em crises mais fortes e não conseguir fazer a cirurgia por descaso do governo pela saúde pública desculpem o desabafo mais me sinto tão indignada tenho 39 anos dois filhos sou casada a 24 anos e hj me sinto muito triste por passar por uma situação tão humilhante trabalho desde a minha idade adulta pagando em postos de tudo que o governo cobra e na hora que necessito tenho que ficar sofrendo e aguardando uma oportunidade pra fazer uma cirurgia.

    Desculpem o desabafo mais e muito triste ver minha família sofrer comigo e saber que minha opção é esperar. Abraço a todas as mulheres guerreiras e força e fé

  10. Infelizmente depois de 4 meses de muitas dores constantes, descobrimos que minha filha de 15 anos está com endometriose, estou perdida quando o dienogeste começar a fazer efeito e a minha filha ter uma vida sem dor. Até morfina ela tomou porque a dor não cessava.

  11. Boa noite! Gostaria de saber se a endometriose pode evoluir para uma doença mais grave se não tratada corretamente!
    E qual é o prazo aceitável para tratar dessa doença antes q ela piore..
    Obrigada !!

    • Olá Eliana,

      Existem sim algumas complicações relacionadas a endometriose, no entanto somente um médico é capaz de fornecer um diagnóstico a partir das condições de saúde de um paciente. Recomendamos que você busque o auxílio de um ginecologista para esclarecer suas dúvidas. Muito obrigada pelo comentário!

  12. Minha filha tem 13 ano e a ginecologista passou um remédio para ela mais e muito caro posso trocar por outro o remédio e dienogeste ela tem endometriose mim responda por favor muito obg tenha uma boa noite de descanso

    • Olá,

      Infelizmente, não podemos indicar nenhum medicamento e não recomendamos a troca por outro sem antes conversar com o médico. Somente ele saberá indicar quais os medicamentos adequados para a situação da sua filha.

  13. Endometriose, faz nós sofrer demais , estou fazendo tratamento , mais sinto tanta dores que não consigo trabalhar , pq será que essa doença nos fazer sofrer tanto?

  14. Fui diagnosticada com endometriose pelo exame de sangue e relatos de dores pélvicas leves, meu ginecologista receitou alurax para cessar a menstruação… mas ao ler o artigo fiquei preocupada… como descobrir se tenho algum cisto causado pela endometriose… e se o mesmo passa despercebido.. tem algum risco?

    • Olá Elisandra,

      Lamentamos a impossibilidade de fornecer conselho médico ou responder a questões médicas e farmacêuticas individuais, pois somos impossibilitados pela ANVISA de prestar tal atendimento. Mas nós esperamos que você encontre respostas dentro de nosso site, através de informações como bulas ou até mesmo conteúdos e artigos. Se você acha que pode ter uma emergência médica, ligue para o seu médico ou 190 imediatamente.

  15. Nossa eu tenho endometriose é cada cólica que tem dias que não aguento, fiz todos os tipos de exame até mesmo o Ca. O normal é 34, o meu deu 40,7 o resultado. Estou muito preocupada meu retorno é quarta-feira, inclusive nesse momento estou com fortes dores. O que posso tomar pra dor? Não é fácil não

    • Olá Cristiane!

      Somente um médico é capaz de indicar o melhor tratamento para o seu caso, bem como receitar o medicamento adequado para suas condições de saúde. Lembre-se que a automedicação pode trazer sérios riscos à saúde do paciente.

  16. Sinto colicas durante a menstruação, dores nas pernas e na lombar.. muitas vezes o sangramento é intenso e abundante… será que tenho endometriose ou isso é normal??

  17. Boa tarde! Fiz uma videolaparoscopia e uma miomectomia, há cerca de de 1 ano e meio, desde então sinto dores fortes e cada vez pior. Procurei o medico, fiz os exames, disseram que estou com as veias da pelve delatas, microscopísticos, e um pequeno mioma, subseroso intramural no qual esta com 10,3cm. Desde 01 de janeiro que sinto dor crônica, tem dias que vou trabalhar igual a um zumbi de tanta dor não tenho coragem nem pra me arrumar, isso esta atrapalhando minha vida. Queria uma solução, nunca tive filhos e também não tenho interesse. O que devo fazer?

    • Olá Tarciana!

      Lamentamos a impossibilidade de fornecer conselho médico ou responder a questões médicas e farmacêuticas individuais, pois somos impossibilitados pela ANVISA de prestar tal atendimento. Mas nós esperamos que você encontre respostas dentro de nosso site, através de informações como bulas ou até mesmo conteúdos e artigos. Se você acha que pode ter uma emergência médica, ligue para o seu médico ou 190 imediatamente.

  18. Eu sinto muita dor, tem mês que sinto dor 5 dias e minha menstruação só desce no dia que começo a tomar remédio. O que pode ser?

    • Olá Lilian,

      Ao sinal de qualquer sintoma ou suspeita, é importante que você busque ajuda médica imediatamente. Sua ginecologista saberá realizar um diagnóstico correto e determinar qual a melhor opção de tratamento para o seu caso em particular.

  19. Olá, meu nome é Lorraine. Tenho 23 anos e desde os 13 anos eu sinto dores contantes. Eu tinha uma menstruação muito irregular, que tinha duração de 2 semanas, isso é quando ela não vinha, passei por um ginecologista e ele me indicou a fazer o uso de anticoncepcional. Fiz o tratamento por 6 meses. Com 17 anos, ainda sentindo muita dor, descobri cisto no ovário. Não sei o que fazer. Os remédios que aliviavam a dor, já não fazem mais efeito e a cada dia, a dor só aumenta.

    • Olá Lorraine,

      Sentimos muito que seu tratamento não esteja sendo eficaz. Recomendamos que busque imediatamente ajuda médica para determinar qual a melhor opção no seu caso. Somente um médico é capaz de te aconselhar e esclarecer suas dúvidas, baseado em suas condições de saúde.

  20. Nao sei ms o que fazer minha esposa sente muitas dores qual remedio ela pode tomar mas ela estar amamentando um bebe de 5 messes

    • Olá Sidelmo,

      Se a tua esposa tem endometriose, ela deve consultar um ginecologista para saber o que fazer, especialmente por causa da amamentação que impede o uso de diversos medicamentos. Infelizmente, não há como sanar sua dúvida se ela não procurar um profissional especializado e contar tudo que está acontecendo.

      Melhoras!

Deixe o seu comentário, nos preocupamos com sua opinião:

Por gentileza, escreva seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui

Lamentamos a não possibilidade de dar-lhe conselho médico ou responder a questões médicas e farmacêuticas individuais através de e-mail, pois apenas um médico pode prestar tal atendimento. Embora tentemos responder a todos os comentários, opiniões e e-mails que recebemos em até dois dias úteis, nem sempre é possível devido ao grande volume que recebemos. Por favor, tenha em mente que qualquer solicitação ao Minuto Saudável está sujeita aos nossos Termos de Uso e Política de Privacidade, ao enviar, você indica sua aceitação.