O que é Gravidez Ectópica, sintomas, tratamento e fatores de risco

10

O que é Gravidez Ectópica?

A gravidez ectópica é uma gestação que ocorre no lugar errado, geralmente o óvulo se aloja na tuba uterina, diferente da gestação comum. Uma gestação como essa nunca pode seguir em frente, pois causa diversos danos e riscos para a paciente.

Em uma gestação comum, o óvulo é fertilizado no útero, já na ectópica ele se aloja fora do útero, mais comumente ocorre na trompa de Falópio. Esse tipo de gravidez ocorre quando acontece algo errado nos dois últimos passos da fecundação: a migração do óvulo pela tuba uterina em direção ao útero e a implantação do mesmo na parede do útero.

PUBLICIDADE

A taxa de ocorrência de uma gravidez ectópica é de cerca de 1 a 2%. Dentre essas, 95%, a maioria, são classificadas como gravidez tubária, pois o óvulo se fecunda nas tubas uterinas. Nos 5% restantes, a implantação do óvulo ocorre em outros locais, como no ovário, colo do útero e na cavidade abdominal.

Esse tipo de gravidez pode gerar um aborto espontâneo, já que as trompas não tem nutrientes suficientes para desenvolver o embrião, então o mesmo acaba morrendo e o próprio organismo o expulsa. Caso o feto consiga se desenvolver, a paciente deverá passar por um tratamento para retirar o embrião, já que a tuba é muito pequena e pode se romper com o crescimento do mesmo.

Uma gravidez ectópica causa diversos danos às estruturas da paciente e pode até fazer com que a mesma corra risco de vida. No início do século XX, a taxa de mortalidade das pacientes que sofriam desse caso era de 50%. Atualmente, com as novas técnicas de diagnóstico e tratamento, a taxa de mortalidade diminuiu drasticamente para menos de 0,05%.

Uma gravidez ectópica somente pode se estender até a 12ª ou 14ª semana e seu diagnóstico normalmente é feito próximo da 8ª semana de gestação. O embrião demora aproximadamente 5 dias, após a fecundação, para se fixar na trompa, já o rompimento da mesma leva mais tempo, podendo acontecer em torno da 6ª ou 7ª semana. Portanto, o diagnóstico precoce é essencial para manter a saúde da paciente.

Índice neste artigo você irá encontrar as seguintes informações:

  1. O que é Gravidez Ectópica?
  2. Causas da gravidez ectópica
  3. Grupos de risco
  4. Sintomas da gravidez ectópica
  5. Diagnóstico da gravidez ectópica
  6. Tratamento para gravidez ectópica
  7. Complicações da gravidez ectópica
  8. Convivendo
  9. Prevenção

Causas da gravidez ectópica

Não se sabe ao certo o que causa a gravidez ectópica. Porém, em seus casos mais comuns  (gravidez tubária), a principal causa é alguma lesão na tuba uterina, o que dificulta ou bloqueia a passagem do óvulo até o útero.

Essas lesões podem ser devidas a:

  • Tabagismo ou alcoolismo;
  • Doença inflamatória pélvica, que pode surgir a partir de infecções por clamídia ou gonorreia;
  • Inflamação ou cicatrizes nas trompas;
  • Condições médicas que afetam o formato e a condição das trompas e dos órgãos reprodutivos;
  • Dispositivo intrauterino (DIU);
  • Tratamentos para infertilidade;
  • Cirurgias tubárias;
  • Laqueadura;
  • Endometriose;
  • Malformação das trompas;
  • Fatores hormonais;
  • Anomalias genéticas;
  • Defeitos congênitos.

Grupos de Risco

Qualquer mulher sexualmente ativa corre risco de sofrer uma gravidez ectópica, porém existem alguns fatores que podem aumentar a probabilidade desse tipo de gravidez.

Fatores que elevam muito o risco

  • Inflamações ou infecções na trompa;
  • Formato incomum da trompa;
  • Histórico de cirugia pélvica;
  • Falhas na laqueadura;
  • Gravidez ectópica anterior, pois seu nível de reincidência é de 30%;
  • Uso incorreto do DIU;
  • Histórico de abortos, tanto naturais quanto induzidos.

Fatores que elevam moderadamente o risco

  • Pacientes fumantes;
  • Gravidez auxiliada por tratamentos ou medicamentos para infertilidade;
  • Histórico de DSTs;
  • Histórico de múltiplos parceiros sexuais.

Fatores que elevam ligeiramente o risco

  • Histórico de cirurgia abdominal ou pélvica;
  • Costume de realizar ducha vaginal;
  • Gravidez antes dos 20 e depois dos 40 anos.

Sintomas da gravidez ectópica

No início, a gravidez ectópica tem os mesmos sintomas de uma gravidez comum, ocorrendo atrasos na menstruação, fadiga, náusea, seios sensíveis e inchados e aumento da micção. Porém, alguns sintomas dessa doença aparecem entre a 6ª e a 8ª semana de gravidez. São eles:

PUBLICIDADE
  • Hemorragia vaginal, que pode ser moderada ou intensa;
  • Dor abdominal ou pélvica, que piora com movimento ou esforço;
  • Dores no coito ou durante um exame pélvico;
  • Tonturas, vertigens ou desmaios causados por uma hemorragia interna;
  • Sinais de choque hipovolêmico;
  • Dores que se irradiam pela região abdominal e para o ombro.

As dores abdominais geralmente são unilaterais, mas também podem ser difusas e com maior intensidade do lado da trompa afetada. Dependendo do grau de evolução da doença, a dor varia entre moderada e intensa. Já o sangramento vaginal costuma ser leve e a coloração pode variar entre vermelho vivo e escuro normalmente é diferente do sangramento menstrual.

Caso haja ruptura da trompa, a dor abdominal torna-se intensa e podem aparecer sinais de peritonite, inflamação do peritônio, uma membrana que reveste os órgãos intra-abdominais. Quando isso ocorre, o sangramento será volumoso e a paciente corre risco de entrar em choque circulatório.

Na maioria dos casos, a paciente não percebe sinais da gravidez ectópica e acaba procurando atendimento médico pelos seguintes sintomas, que nem sempre ocorrem ao mesmo tempo:

  • Dor abdominal;
  • Atraso menstrual;
  • Sangramento vaginal.

Se houver suspeita de gravidez ectópica, procure atendimento médico imediatamente, pois esse problema pode ser fatal se não tratado a tempo.

Diagnóstico da gravidez ectópica

Se você passar por qualquer um destes sintomas, deve procurar a emergência:

  • Se desmaiou ou perdeu a consciência;
  • Se teve um sangramento vaginal intenso;
  • Se teve uma dor súbita e intensa na barriga ou na pélvis.

Caso sinta qualquer destes outros sintomas, uma consulta deve ser marcada com seu ginecologista ou obstetra o mais rápido possível:

  • Se está sentindo tonturas ou vertigens;
  • Se acha que pode desmaiar;
  • Se teve um sangramento vaginal;
  • Se sentiu cãibra ou dores na barriga ou na pélvis.

Para o diagnóstico, podem ser realizados alguns exames, tais como:

  • Testes de confirmação de gravidez;
  • Exames pélvicos, que pode detectar uma obstrução nas trompas;
  • Ultrassonografia pélvica transvaginal ou abdominal, a segunda é comum no início da gestação e permite visualizar se o embrião está fora do útero;
  • Alguns exames de sangue para confirmar os níveis de HCG, hormônio da gravidez, que se estiverem baixos podem confirmar uma gravidez ectópica ou um aborto espontâneo.

Caso esses exames não consigam chegar a um diagnóstico preciso, podem ser realizados outros exames, como a punção do fundo do saco vaginal com agulha grossa, que determina a presença de sangue dentro da cavidade abdominal, e a laparoscopia diagnóstica, um procedimento cirúrgico que é mais utilizado para o tratamento da gravidez ectópica do que para diagnosticá-la de fato.

PUBLICIDADE

Chegar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico, portanto o paciente pode levar algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram;
  • Um histórico médico que inclua outras condições e os medicamentos ou suplementos que o paciente toma regularmente.

Tratamento para gravidez ectópica

O tratamento da gravidez ectópica vai depender do grau de avanço da gestação. Na maioria das vezes, ela é tratada imediatamente, pois, em caso contrário, pode prejudicar a saúde da mulher.

Se for detectada precocemente, pode-se optar pelo tratamento medicamentoso ou cirúrgico. Já quando é detectada em estado avançado, a paciente deve seguir imediatamente para o tratamento cirúrgico.

Tratamento medicamentoso

O medicamento normalmente utilizado neste tratamento é o metotrexato por via intramuscular, em dose única. Este tratamento pode poupar a paciente de uma cirurgia, porém só pode ser utilizado quando se tem um diagnóstico precoce.

Esse tipo de tratamento tem como objetivo o embrião ser reabsorvido pela paciente ou expelido na menstruação. Porém, pode causar efeitos colaterais e requisitar diversos exames de sangue para verificar os níveis de hormônio, com a intenção de descobrir se o tratamento está progredindo.

Para fazer o tratamento medicamentoso existem alguns requisitos:

  • Os níveis de HCG devem estar baixos (menos de 5.000);
  • O embrião não pode ter nenhuma atividade cardíaca;
  • O embrião deve ter menos de 4 cm;
  • Não deve haver rupturas na trompa.

O obstetra, após a injeção, acompanha a paciente para medir os níveis de HCG, que devem cair gradativamente até chegar a zero. Caso não haja resposta após a injeção, uma segunda dose deve ser administrada.

Atenção!

PUBLICIDADE

NUNCA se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico. Somente ele poderá dizer qual medicamento, dosagem e duração do tratamento é o mais indicado para o seu caso em específico. As informações contidas nesse site tem apenas a intenção de informar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um especialista ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Siga sempre as instruções da bula e, se os sintomas persistirem, procure orientação médica ou farmacêutica.

Tratamento cirúrgico

Na maioria das vezes, este tipo de tratamento é feito por uma cirurgia laparoscópica, que tem o objetivo de remover o embrião e reparar as áreas danificadas da trompa.

Geralmente esse tratamento ocorre de maneira emergencial, isto é, quando a gravidez ectópica já está em um estágio avançado e causa sintomas graves, como sangramento intenso e altos níveis de HCG.

Em casos emergenciais com sangramento intenso ou ruptura da trompa, a cirurgia aberta tradicional é a mais indicada. A trompa nem sempre pode ser reparada e, nesses casos, ela é retirada para controle da situação.

Conduta expectante

Em casos nos quais a gravidez ectópica parece estar abortando por conta própria, o paciente pode não precisar de tratamento. O acompanhamento médico será apenas para se certificar de que os níveis de HCG estão diminuindo.

Pacientes que passaram pela cirurgia podem precisar tomar metotrexato após o tratamento.

Fertilidade

Se a trompa não tiver sido danificada pela gravidez ectópica, as chances de engravidar novamente continuam iguais. Mas, em caso de uma das trompas ter sido danificada ou sofrido lesões extensas, as chances de engravidar diminuem, principalmente se a outra trompa estiver comprometida por doenças inflamatórias ou por endometriose. Se a trompa tiver sido retirada, a mulher ainda pode engravidar posteriormente, se a outra trompa estiver saudável.

Mesmo que as chances de gravidez diminuam, é muito possível que ela aconteça. Cerca de 65% das mulheres engravidam de novo após um ano e meio da gestação ectópica.

Complicações da gravidez ectópica

A principal complicação da gravidez ectópica são as físicas, como a possível ruptura da trompa de Falópio, o que leva ao sangramento intenso e pode causar uma hemorragia com riscos de vida para a paciente.

Para evitar essas complicações físicas, é necessário que a gravidez ectópica seja diagnosticada precocemente. Quanto mais tarde na gestação ocorra o diagnóstico, mais provável que a trompa se rompa e que aumentem os riscos de uma próxima gravidez ectópica.

Outra complicação que pode ocorrer se relaciona ao impacto emocional de perder uma gravidez. É muito comum, nessa fase, que a mulher passe pelo luto. Porém, o impacto não ocorre só na paciente, podendo atingir também seu parceiro, familiares e amigos.

Alguns sintomas do luto pelos quais a mulher pode passar são:

  • Cansaço;
  • Falta de apetite;
  • Dificuldade de concentração;
  • Insônia.

A paciente também pode experienciar alguns sintomas emocionais após a perda, como:

  • Culpa;
  • Choque;
  • Raiva, algumas vezes direcionadas ao parceiro ou a amigos e familiares que passaram por gestações bem sucedidas;
  • Tristeza.

Esses sintomas costumam ser piores entre a 4ª e 6ª semana após a perda, até que comecem a melhorar gradualmente.

Convivendo

É comum a paciente se preocupar com uma próxima gestação quando enfrenta uma gravidez ectópica, bem como com a relação do casal durante o período de luto. Nesse caso, aconselhamento e um tratamento psicológico pode se fazer necessário. Grupos de suporte para mulheres que sofreram a perda de uma gravidez pode ser a melhor escolha.

Em casos como esses, comunique seu médico pois ele saberá te aconselhar e responder suas dúvidas baseando-se nos seus fatores de risco específicos.

Caso passe por uma perda após uma gravidez ectópica, dê tempo a você e a seu parceiro, para que ambos se recuperem, antes de tentar novamente. Nesses casos, também é comum que se desenvolva uma depressão e, caso o quadro se estenda para mais de duas semanas, procure a assistência de um médico especialista, como um psicólogo.

O tratamento medicamentoso com metotrexato pode causar alguns efeitos colaterais, sendo os mais comuns as náuseas e a indigestão. Esses efeitos podem variar e, em alguns casos, inexistentes.

As dicas abaixo podem ajudar a paciente a controlar os efeitos colaterais do medicamento.

Para náuseas

  • Faça refeições pequenas e com mais frequência, ao invés de três grandes refeições por dia;
  • Consulte um médico para saber se poderá utilizar medicamentos para náusea;
  • Descanse o máximo possível;
  • Tente eliminar odores fortes ao seu redor;
  • Não faça uso de drogas e esteróides;
  • Beba muita água para evitar desidratação.

Para fadiga

  • Planeje períodos de descanso durante o dia;
  • Peça ajuda de familiares e amigos.

Para tontura ou vertigem

  • Descanse com maior frequência;
  • Quando for trocar de posição ou se levantar, faça isso lentamente;
  • Peça ajuda enquanto estiver andando, caso se faça necessário.

Para feridas na boca e garganta

  • Evite tomar café, consumir alimentos condimentados e salgados ou frutas cítricas;
  • Coma alimentos leves;
  • Enxágue a boca com água salgada morna a cada 2 horas. Não engula a água, pois pode perturbar o seu estômago.

Para diarreia

  • Coma alimentos leves;
  • Evite consumir alimentos picantes, álcool, café e produtos lácteos;
  • Beba muita água para evitar a desidratação.

Prevenção

Não é possível prevenir completamente uma gravidez ectópica, porém pode-se diminuir alguns grupos de risco. Por exemplo, prevenir-se de doenças sexualmente transmissíveis, utilizando camisinha, além do uso de métodos anticoncepcionais adequados e o planejamento de uma gravidez para entre os 20 e 40 anos são maneiras bastante eficientes.

Caso já tenha tido uma gravidez ectópica, converse com seu médico antes de engravidar novamente, pois, quando isso acontecer, o médico irá monitorar cuidadosamente a sua condição. Caso já esteja grávida, é importante fazer um exame para verificar as condições do feto logo nos primeiros meses.


Não há formas de prevenir a gravidez ectópica, porém há formas de diminuir os fatores de risco. Compartilhe esse artigo com seus familiares e amigos para que eles também possam conhecâ-las!

Referências
http://brasil.babycenter.com/a1500624/gravidez-ect%C3%B3pica
http://www.mdsaude.com/2013/10/gravidez-ectopica.html
http://ectopica.com.br/
https://pt.wikipedia.org/wiki/Gravidez_ect%C3%B3pica
https://www.maemequer.pt/estou-gravida/saude-e-bem-estar/complicacoes-na-gravidez/gravidez-ectopica/
https://www.tuasaude.com/sintomas-de-gravidez-ectopica/
https://www.tuasaude.com/gravidez-ectopica/
https://www.womenonweb.org/pt/page/525/what-is-an-ectopic-pregnancy-and-how-do-you-know-you-have-one
https://www.abcdasaude.com.br/ginecologia-e-obstetricia/gravidez-ectopica

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 3,00 de 5)
Loading...

10 Comentários

Atenção: os comentários abaixo são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

  1. Eu tô sentindo uma dor dor no pé da barriga do lado esquerdo .nossa dói muito quando tô andando de moto … Minha barriga aparece tá muito grande as vezes parece barriga de grávida.. sinto muita dor de cabeça, vontade de comer , enjoando não aguento cheiros forte , meus seios estava dolorido e bicado, mais agora não estão mais .sai muito líquido da vagina um líquido transparente parecendo clara de ovo eu posso ter uma gravidez ectópica ou não tô muito preocupada .

  2. Tive uma gravides assim aos 23.passe o pela cirúrgica. ..mas nunca mas engravidei estou com 41….muito triste sem sentido de vida….pois tudo que eu quero e ter um filho…..me sinto culpada….uma situação que me insola ….e me afasto de todo mundo

  3. Eu tb passei por isso é foi necessário a cirurgia para remoção da trompa por completo, senti muita dor, era insuportável, uma dor pulsante, por pouco não perdi a vida.

  4. Realmente é uma situação delicada. Hoje, dia dos namorados, recebo de minha esposa o resultado do ultrassom mostrando a gravidez ectópica. A sensação é de um vazio no coração. Graças a Deus foi diagnosticada na 7 semana então serão feitos os procedimentos normais para expelir o feto sem intervenção cirúrgica. Mas é uma frustração sem tamanho. Além do que já foi dito na matéria acima, a única coisa a fazer é se apegar a Deus e pedir novamente que Ele nos abençoe com um bebê em breve.

  5. Eu tive há pouco tempo uma gravidez ectópica e tive muita dor pelo corpo todo.
    No meu caso tive que fazer a cirurgia, tive hemorragia e várias complicações durante a cirurgia. Os médicos nem acreditavam que eu ia resistir, mas graças a Deus eu consegui superar e estou viva pra compartilhar esse sofrimento pelo qual eu passei. Para que as pessoas saibam o quanto uma gravidez ectópica pode ser perigosa.

Deixe o seu comentário, nos preocupamos com sua opinião:

Por gentileza, escreva seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui

Lamentamos a não possibilidade de dar-lhe conselho médico ou responder a questões médicas e farmacêuticas individuais através de e-mail, pois apenas um médico pode prestar tal atendimento. Embora tentemos responder a todos os comentários, opiniões e e-mails que recebemos em até dois dias úteis, nem sempre é possível devido ao grande volume que recebemos. Por favor, tenha em mente que qualquer solicitação ao Minuto Saudável está sujeita aos nossos Termos de Uso e Política de Privacidade, ao enviar, você indica sua aceitação.