Foliculite (capilar, virilha, nádegas): o que é, tratamento, pomada

26

A foliculite é um problema que atinge homens e mulheres. Embora possa ocorrer em qualquer parte do corpo, existem algumas regiões com maior vulnerabilidade ao surgimento dessas lesões, são elas: couro cabeludo, coxas, nádegas, virilhas e axilas.

Para saber mais sobre essa condição, suas causas e tratamentos, leia o texto a seguir!

Índice – neste artigo você vai encontrar as seguintes informações:

  1. O que é foliculite?
  2. O que são folículos pilosos?
  3. Quais são os tipos de foliculite?
  4. Qual a diferença entre foliculite, furúnculo e carbúnculos?
  5. Causas da foliculite
  6. Foliculite é contagiosa?
  7. Fatores de risco
  8. Sintomas
  9. Foliculite na virilha
  10. Foliculite nas nádegas
  11. Foliculite na barba
  12. Diagnóstico
  13. Foliculite tem cura?
  14. Tratamento
  15. Medicamentos
  16. Convivendo
  17. Prognóstico
  18. Complicações
  19. Prevenção: como evitar a foliculite?

O que é foliculite?

Foliculite é uma infecção nos folículos pilosos. Essas estruturas são responsáveis por formar os pelos e estão localizadas por todo o corpo, exceto nas palmas das mãos, na sola dos pés, nos lábios e nas membranas mucosas.

Normalmente, a infecção é causada pela bactéria do tipo Staphylococcus aureus ou por fungos, mas em alguns casos também pode ocorrer devido a um vírus, parasitas ou inflamação de um pelo encravado.

Ela causa alguns pontos vermelhos na pele (que podem ou não conter pus), semelhantes à uma espinha. Além disso, provoca coceira e, em alguns casos, queimação na região atingida.

A maioria dos quadros de foliculite é superficial, mas casos mais recorrentes e graves merecem atenção e cuidados de um dermatologista.

Esse tipo de complicação atinge homens e mulheres, de todas as idades, deixando a pele com um aspecto áspero e de irritação.

Para os homens, a barba acaba sendo a principal área atingida, enquanto que para as mulheres, a virilha é um dos locais mais comuns de ocorrer.

O que são folículos pilosos?

Os folículos pilosos são estruturas localizadas na derme (camada intermediária da pele), que formam pelos e cabelos, e se estendem até a superfície da pele.

Existe cerca de 5 milhões de folículos pelo corpo, sendo 100 mil só no couro cabeludo. Os pelos são encontrados em quase toda a superfície do corpo humano. Podem variar de cor, comprimento e espessura, dependendo da área em que estão localizados.

Na base do folículo piloso encontramos o bulbo capilar, que é responsável pelo crescimento do pelo. Essa região possui uma grande quantidade de vasos sanguíneos e terminações nervosas.

Durante o crescimento dos pelos, as células se dividem e crescem em direção à superfície da pele, processo esse denominado de queratinização (junção de células de queratina).

Nesse processo, as células perdem seu núcleo e seu líquido intercelular, tornando-se rígidas e compactas, gerando assim a proteína denominada queratina.

Para que o desenvolvimento dessas células seja saudável, é preciso que todos os nutrientes estejam chegando corretamente até as células matrizes.

Ou seja, alimentação, questões hormonais, uso de medicamentos ou fatores psicológicos podem alterar a reprodução celular e com isso, prejudicar o crescimento dos fios.

Quais são os tipos de foliculite?

A foliculite é um processo inflamatório que pode ser classificado de duas formas: superficial ou profunda. Algumas situações podem favorecer o seu desenvolvimento, gerando diferentes tipos de foliculite, entre as quais podemos citar:

Foliculite estafilocócica

Esse é o tipo mais comum de foliculite e ocorre quando os folículos estão infectados pela bactéria Staphylococcus aureus. É caracterizado por uma inflamação com pus, associada a coceira local, podendo ocorrer em qualquer região do corpo.

Normalmente o tratamento é realizado com antibióticos tópicos ou orais, sempre com a recomendação de um médico especialista.

Foliculite por bactéria gram-negativa

Ocorre quando se faz um uso recorrente e/ou prolongado de antibióticos para tratamento de acne. Esses medicamentos alteram os níveis normais da pele, auxiliando a proliferação das bactérias gram-negativas.

Geralmente esse tipo de foliculite não causa grande problemas, principalmente após cessar o uso do medicamento. Porém, a condição pode se espalhar pelo rosto e causar graves lesões.

A utilização de medicamentos tópicos, como cremes e pomadas acaba sendo a melhor forma de tratamento nesses casos.

Foliculite por pseudomonas (foliculite de banheira quente)

Ocorre em ambientes úmidos e aquáticos, devido aos níveis irregulares de cloro e pH, como banheiras, hidromassagens e piscinas. A infecção pode se manifestar entre 8 horas até 5 dias depois da exposição.

Esse tipo de  infecção é caracterizado por erupções vermelhas, que coçam e podem até ocasionar pus. São mais comuns em áreas que ficam úmidas por mais tempo, ou cobertas por roupas de banho.

Geralmente o tratamento se dá com loções que aliviam a coceira e/ou com antibióticos (raramente utilizados nesses casos).

Pseudofoliculite da barba

A pseudofoliculite da barba atinge os homens e ocorre quando os pelos são raspados, que ao crescerem se curvam para o interior da pele, normalmente causando uma inflamação. Em alguns casos, pode deixar cicatrizes no rosto e no pescoço.

Foliculite ou sicose da barba

Devido ao barbear diário, pequenas inflamações começam a se apresentar, em decorrência da bactéria Staphylococcus aureus. São comumente apresentados no lábio superior, queixo e mandíbula e em casos graves podem gerar cicatrizes.

O indicado nesses casos é fazer compressas e antibióticos no local.

Foliculite pitirospórica

Comum em adolescentes e homens, esse tipo de foliculite se desenvolve devido a fungo Malassezia, que causa espinhas e coceiras. A inflamação tem aspecto avermelhado e normalmente se situa no pescoço, ombros, braços e rosto.

Os médicos recomendam que nesses casos se faça uso de antifúngicos tópicos ou orais, pois são mais eficazes para esse tipo de foliculite.

Foliculite eosinofílica

Ocorre principalmente em pessoas portadoras do vírus HIV, mas a causa ainda não é conhecida, apesar de envolver o mesmo fungo responsável pela foliculite pitirospórica.

É caracterizada por manchas vermelhas e feridas com pus, que coçam. Normalmente essas feridas se espalham pelo corpo, o que acaba deixando a área afetada escurecida.

Para esse tipo de tratamento, são recomendados corticoides e, em casos mais graves, recomenda-se a utilização de mais um medicamento complementar via oral.

Foliculite decalvante (capilar)

Inflamação aguda ou crônica da glândula sebácea presente no couro cabeludo, a foliculite decalvante é considerada um processo crônico. Ocorre quando os folículos capilares são bloqueados ou danificados.

Por ser uma região com alta secreção sebácea ou sudorípara, o couro cabeludo propicia o crescimento de bactérias e fungos.

Normalmente, essa variante de foliculite é mais resistente, deixando cicatrizes definitivas.

Em seu estágio inicial apresenta apenas pequenas protuberâncias vermelhas na região da cabeça, parecidas com espinhas. A pele fica consideravelmente mais sensível, com bastante coceira, além de ocorrer queda de cabelo.

São poucas as técnicas especificamente voltadas para o controle bacteriano do couro cabeludo. Porém, o mais indicado é a higienização com shampoo, que acaba reduzindo a contaminação.

Qual a diferença entre foliculite, furúnculo e carbúnculos?

Os furúnculos são desenvolvidos quando os folículos são profundamente infectados por uma bactéria estafilocócica. É uma inflamação que pode ser considerada uma “evolução” da foliculite, uma vez que também afeta o tecido ao redor da estrutura.

Geralmente, se manifesta em locais onde ocorre atrito e suor na pele, criando condições para a proliferação de bactérias.

As lesões são amareladas, cheias de pus e dolorosas. Esse incômodo passa quando o nódulo central (acúmulo de células mortas) estoura e libera a secreção.

Em alguns casos, pode machucar a derme, deixando cicatrizes.

Já o carbúnculo ou antraz é um tipo de infecção caracterizada por um aglomerado de furúnculos que se formam na raiz dos pelos. Seu tratamento é feito com drenagem do pus acumulado, procedimento esse que deve ser realizado por um dermatologista.

Por ser uma infecção avançada, sua cura e evolução é mais lenta, demorando cerca de 2 semanas.

As regiões mais comuns de serem atingidas são os ombros, as costas, a nunca e as coxas, podendo apresentar dores locais, mal-estar, náuseas ou falta de ar.

Causas da foliculite

A principal causa da foliculite é devido à uma infecção causada pela bactéria Staphylococcus aureus (estafilococos). Além dela, outras bactérias, fungos e vírus podem estar envolvidos no aparecimento dessas lesões cutâneas.

Porém, alguns fatores podem tornar a pessoa mais suscetível à situação, como doenças que baixam a imunidade corporal (diabetes, leucemia, HIV) ou problemas de pele, como a acne.

Entenda melhor as causas mais comuns da inflamação:

Staphylococcus aureus

O Staphylococcus aureus é um tipo de bactéria gram-positiva que está comumente associada a foliculite.

Sua presença em nosso organismo é normal, mas quando esse microrganismo penetra na nossa pele através de alguma ferida ou corte, pode causar problemas como a foliculite.

Outros microrganismos

Alguns fungos, como Tinea barbae (causadora da foliculite na barba), Malassezia (responsável pela foliculite pitirospórica) e bactérias, como a Pseudomonas aeruginosa (presente em piscinas e banheiras) também podem estar associadas a foliculite.

Lâminas de barbear

O uso de lâminas de barbear causa uma fricção na pele, que em alguns casos pode acabar gerando uma inflamação dos pelos. Para evitar o problema, é recomendável que se utilize barbeadores elétricos e, em alguns casos, se recorra à depilação a laser.

Umidade e calor

Quanto mais tempo nosso corpo fica refém da umidade e do calor, maior a chance de proliferação de fungos e bactérias na região coberta por roupas, causando inflamações.

Isso porque a umidade favorece a entrada de fungos, uma vez que a pele fica mais fina e frágil. Além disso, a exposição excessiva ao sol contribui para a queda do sistema imunológico, propiciando a proliferação dos fungos e bactérias.

Roupas muito apertadas

O uso de roupas muito apertadas pode acabar causando uma foliculite, uma vez que a roupa fica roçando na pele e dificulta o crescimento dos pelos da região.

Além disso, alguns tecidos como os sintéticos, podem favorecer o surgimento da foliculite, uma vez que contribuem para o aumento de calor e da umidade, prejudicando a  transpiração da pele.

Condições de pele

Alguns tipos de pele podem ser mais propícios ao desenvolvimento da foliculite, como por exemplo peles com acne e dermatites. Essas condições são mais propícias a obstruir os folículos pilosos, causando o ambiente ideal para o desenvolvimento da foliculite.

Condições médicas

Doenças que diminuem a imunidade, como diabetes, leucemia e HIV podem ser fatores de risco para o surgimento de foliculites. Isso porque, quando nossa imunidade está baixa, a chance de microrganismos invadirem nosso corpo e contrairmos infecções é maior.

Foliculite é contagiosa?

Não. A infecção ocorre dentro do folículo piloso, ficando restrita a quem está com a inflamação. Porém, um fator importante é não espremer e nem furar a área atingida, uma vez que isso pode espalhar e agravar a infecção para a própria pessoa.

Fatores de risco

Qualquer pessoa pode desenvolver a foliculite, porém, existem alguns fatores que podem torná-la mais suscetível à essa doença. Entre os fatores de risco podemos citar:

  • O uso recorrente de lâminas de barbear;
  • Uso de roupas muito apertadas;
  • Calor excessivo;
  • Suor excessivo;
  • Algumas condições de pele, como dermatites e acne;
  • Exposição a águas quentes (banheiras, piscinas);
  • Curativos aplicados por muito tempo na pele;
  • Baixa imunidade relacionada à doenças;
  • Obesidade;
  • Uso frequente e prolongado de antibióticos (especialmente para acne).

Sintomas

A infecção se apresenta em forma de pequenos pontos avermelhados, semelhantes a espinhas. Dependendo da extensão do processo inflamatório, pode se manifestar de duas formas: superficial ou profunda.

Foliculite superficial

No primeiro caso, o folículo forma uma espécie de carocinho avermelhado, que pode ou não conter pus. Causa irritação na pele, coceira, aumentando a sensibilidade e em alguns casos pode causar dor e queimação local.

As chances de complicações nesses casos são bem menores.

Foliculite profunda

Já em lesões mais profundas é possível perceber a formação de furúnculos. Nesse caso, a inflamação se estende por todo o folículo piloso, alcança a raiz e resulta em uma lesão vermelha que possui um nódulo endurecido e com pus no centro.

As chances de destruição do folículo piloso são muito grandes e com isso existe a possibilidade de formação de cicatrizes.

Caso você apresente algum dos sintomas mencionados, entre em contato com um profissional da área de saúde, nesse caso um clínico geral ou dermatologista.

Foliculite na virilha

A região da virilha possui uma pele muito fina e sensível. Ao entrar em contato com a lâmina — no momento da depilação — ou roupas muito apertadas, tendem a surgir inflamações.

Isso porque os pelos não conseguem ultrapassar a derme, se curvando para dentro e penetrando novamente na pele.

Uma boa opção para reduzir essas inflamações é buscar métodos alternativos de depilação, como o laser. Além disso, esfoliar e hidratar a pele são práticas fáceis e que ajudam no processo de tratamento da foliculite.

Foliculite nas nádegas

A foliculite também é bem comum nas nádegas, uma vez que ficamos muito tempo sentados ou com roupas apertadas, fatores que favorecem o aparecimento da inflamação.

O ideal nesses casos é utilizar produtos e/ou medicamentos que possuam queratina, para afinar a pele e diminuir a tendência de obstrução. Caso a inflamação esteja intensa, é importante consultar um médico que poderá indicar medicamentos anti-inflamatórios.

Foliculite na barba

Esse tipo de foliculite ocorre quando os pelos da barba inflamam. Ao serem raspados, acabam se curvando e voltam para dentro da pele. Esse processo leva à inflamação e em alguns casos pode deixar cicatrizes.

A condição afeta os homens não só no rosto, como também no pescoço.

Diagnóstico

O recomendado é que, no primeiro momento em que os sintomas forem percebidos, o paciente recorra a um médico especialista (dermatologista) para examinar a área atingida da pele.

Em casos mais graves ou de difícil tratamento, pode fazer-se necessário uma coleta do material da lesão para análise, a fim de identificar o agente responsável pela infecção e estabelecer um tratamento específico e assertivo.

Foliculite tem cura?

Sim.  Normalmente a inflamação do pelo acaba se curando sozinha, mas é bom ficar atento, pois em alguns casos mais graves e recorrentes é possível perder permanentemente o pelo e ficar com cicatrizes.

Como é feito o tratamento?

Os tratamentos podem ser variados dependendo do tipo, causa e gravidade da infecção. Em casos mais simples, a lesão reage bem à medidas caseiras, como a aplicação de compressas mornas várias vezes ao dia.

Durante o processo de tratamento, recomenda-se utilizar produtos com ativos bactericidas e cicatrizantes. Além disso, é importante evitar o atrito com roupas e utilizar produtos hidratantes e protetores solares.

Conheça alguns dos tratamentos mais eficazes:

Depilação a laser

É considerada uma das alternativas mais eficazes quando estamos falando de remoção de pelos. O laser elimina a maior parte dos pelos, diminuindo a espessura dos fios e evitando problemas inflamatórios futuros.

Porém, é sempre necessário fazer uma avaliação antes para que um profissional confirme se a pele está em condições de passar pelo tratamento.

Nesse procedimento, uma luz concentrada é direcionada com uma determinada frequência, destruindo o bulbo capilar e removendo os pelos.

Nas primeiras sessões é possível perceber uma melhora nos processos inflamatórios e no período de tempo entre o crescimento dos pelos.

Vale ressaltar que após a aplicação do laser é sempre importante fazer a utilização de protetor solar. Além disso, não é recomendado fazer o uso de outro métodos de depilação durante o intervalo das sessões.

Leia mais: Depilação a laser: como funciona, aparelhos, preço, FAQ, dói?

Luz pulsada

A luz pulsada é uma técnica moderna e que pode ser utilizada em todos os tipos de pele. Nesse método a dor é mínima e é considerado seguro, pois trabalha com uma temperatura mais baixa, porém eficaz, reduzindo os riscos de hiper ou hipopigmentação (alterações no tom da pele devido à melanina).

Recomenda-se que o tratamento seja feito em épocas mais frias, como inverno. Um dos efeitos que podem ser ocasionados devido à exposição solar são as sardas (melanose). Elas são superficiais e provocadas pela luz do sol.

Quanto mais radiação o seu rosto estiver exposto, mais células vão produzir melanina. Essa produção excessiva do pigmento pode deixar alguns pontos mais escuros na pele, ou seja, manchas.

Antibióticos

Os tratamentos costumam ser eficazes, mas existe o risco da foliculite voltar. Nesses casos, são recomendados antibióticos, uma vez que não se percebe melhora na condição.

Devem ser indicados por dermatologistas e utilizados na forma de pomada ou creme (antibiótica e/ou antifúngica).

Drenagem cirúrgica

Em casos graves, pode ser necessário fazer uma intervenção cirúrgica para drenar o pus, aliviando a dor e facilitando no processo de recuperação.

Esse processo consiste em coletar o material purulento (pus) e fazer a lavagem da cavidade para remover o tecido morto. Deve ser feito sempre por um médico, nesse caso um dermatologista.

Em alguns casos, após o procedimento, pode ser necessário fazer uma avaliação laboratorial do material (pus), a fim de determinar a origem do trauma.

Medicamentos

Os medicamentos indicados para foliculite dependem do tipo e da gravidade da sua condição. Geralmente, os médicos prescrevem o uso de cremes, pomadas ou géis, alguns com antibiótico na fórmula.

O uso de comprimidos via oral não é altamente recomendado, mas dependendo da infecção e da gravidade, seu médico pode prescrevê-los.

Pomadas

Os tratamentos de uso tópico costumam ser eficazes na maioria dos casos. As opções comumente indicadas incluem:

Atenção!

NUNCA se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico. Somente ele poderá dizer qual medicamento, dosagem e duração do tratamento é o mais indicado para o seu caso em específico. As informações contidas nesse site têm apenas a intenção de informar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um especialista ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Siga sempre as instruções da bula e, se os sintomas persistirem, procure orientação médica ou farmacêutica.

Convivendo

Esse assunto incomoda muita gente e às vezes acaba fazendo com que a pessoa não se sinta confortável com o próprio corpo. No entanto, várias manchas que surgem com a foliculite podem desaparecer sem nenhum tratamento dependendo do grau de lesão.

Com alguns cuidados, é possível amenizar a foliculite e também as manchas. Confira as dicas:

Faça compressas quentes

As compressas quentes ajudam a diminuir o inchaço, além de aliviar a coceira e ardência.

Utilize uma toalha molhada com água morna e sabonete antisséptico. Torça o excesso de água e aplique sobre a região afetada por alguns minutos.

Invista na esfoliação

Ter o hábito de fazer esfoliação, a fim de retirar células mortas da pele, pode auxiliar no processo de convivência com a foliculite. O ideal é que esse procedimento seja feito 1 vez por semana.

Porém, não deixe de conversar com o seu dermatologista para saber quais são os melhores produtos e qual o tratamento ideal para o seu tipo de pele.

Mantenha a pele sempre limpa e seca

Limpar a região com sabonetes antissépticos é uma excelente opção para evitar inflamações. Além de higienizar a região, você estará impedindo a proliferação das bactérias e fungos.

A umidade é um dos fatores que colaboram para o surgimento da foliculite. Então sempre que puder, use roupas arejadas e frescas, especialmente se estiver em tratamento.

Evite qualquer tipo de substância que possa entupir os poros

O ideal é evitar cremes e óleos pesados após a depilação, uma vez que eles tendem a “entupir” os poros, o que acaba dificultando a saída do pelo e aumentando as chances de encravamento.

Evite espremer espinhas ou esfregar a pele

As lesões de foliculite não devem ser manipuladas, ainda mais se você não tiver higienizado as mãos corretamente. Isso pode agravar o quadro, espalhar a infecção para outras regiões, ou até mesmo deixar manchas escuras na região afetada.

Evite usar lâminas na área afetada

O ideal é evitar o uso de lâminas nas áreas acometidas por foliculite. Isso porque o atrito causado pelas lâminas pode irritar ainda mais a área afetada.

Dessa forma, tente experimentar o uso de barbeadores/depiladores elétricos. Caso essa opção não funcione para você, temos algumas dicas para melhorar o processo de barbear ou depilar:

  • Lave a pele com água morna e sabonetes antibacterianos antes de começar;
  • Aplique uma boa quantidade de cremes/ loções de barbear;
  • Use uma lâmina nova cada vez que fizer a barba ou depilar-se, assim você saberá que ela está limpa e afiada;
  • Raspe os pelos na direção em que eles crescem;
  • Enxágue com água morna e utilize uma loção hidratante após o procedimento.

Prognóstico

Quadros inflamatórios mais leves podem evoluir favoravelmente com cuidados básicos de higiene. Os mais graves podem levar à perda definitiva dos pelos e a cicatrizes permanentes. Porém, existem alguns cuidados que podem diminuir a dor e o desconforto local.

Complicações

São raros os casos de foliculite que causam complicações, entre os quais podemos citar a destruição dos folículos pilosos ou a perda permanente do pelo. Porém, em quadros mais graves, é possível que ocorram:

Hipercromia pós-inflamatória

Também conhecida como HPI, a hipercromia pós-inflamatória é uma sequela resultante do distúrbio inflamatório. Ela pode surgir em resposta ao aumento na produção de melanina, o que acaba resultando em uma mancha escura nas áreas que ficam mais expostas ao sol.

Erupções de pele (furúnculo)

É uma inflamação que pode ser considerada uma “evolução” da foliculite, uma vez que destrói os folículos pilosos. São lesões amareladas, cheias de pus, e dolorosas.

Em alguns casos pode machucar a derme, deixando cicatrizes.

Prevenção: como evitar a foliculite?

Ao incorporar alguns hábitos simples em sua rotina, você já estará se prevenindo da foliculite. Abaixo alguns exemplos:

  • Lave bem as mãos, com frequência;
  • Faça o uso de sabonetes antissépticos antes e depois de depilações;
  • Fique atento às condições sanitárias de piscinas e banheiras que utiliza;
  • Não fique com roupas molhadas no corpo por muito tempo;
  • Redobre seus cuidados na hora de fazer a barba. Para isso, utilize água morna, com creme e/ou gel específico para barbear, o que diminui o atrito entre a pele e a lâmina. Após isso, aplique loção hidratante, para manter a pele saudável;
  • Não use roupas muito justas que causem atrito na pele;
  • Beba bastante água e evite alimentos muito gordurosos.

A foliculite é uma condição médica que pode ser prevenida com pequenas atitudes cotidianas, como evitar o uso de roupas apertadas ou o uso de lâminas de barbear. Além disso, optar por alimentos ricos em nutrientes auxilia na obtenção de uma pele saudável.

Agora que você já sabe algumas dicas, aproveite para compartilhar com os seus amigos!

Publicado originalmente em: 29/06/2017 | Última atualização: 14/01/2019

Fontes consultadas

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (29 votos, média: 4,14 de 5)
Loading...

26 Comentários

Atenção: os comentários abaixo são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

  1. Boa noite, tinha esse problema nas partes externas das coxas e nádegas, devido a usar calça jeans todos os dias por muitos anos, depois de usar várias coisas, descobri uma pomada ótima que melhorou quase 100% e o melhor de tudo bem baratinha. Paguei 13,50 na farmácia ela se chama (dipropionato de betametasona + sulfato de gentamicina. Pomada de uso dermatológico. Passo nas regiões afetadas após o banho 2 vezes por dia, como já melhorou bastante hoje só estou usando 1 vez por dia e ela rende bastante, espero ter ajudado pois comigo funcionou.

  2. Para mim, o único tratamento que funcionou para foliculite foi o Tend Skin! Eu já indiquei para várias amigas e todas ficaram satisfeitas!

  3. Olá. Boa tarde. Desde a minha gravidez que tive foliculite no bumbum a foliculite desapareceu, mas ainda existe, porém ficaram manchas. O que posso fazer para desaparecer essas manchas? Tenho muita vergonha pois é no bumbum e não uso biquíni, me ajude.

    • Olá, Suzany
      Existem tratamentos estéticos para reduzir manchas de pele de diversas origens. Mas para saber qual o mais indicado para o seu caso, é necessário passar por uma avaliação profissional dermatológica para evitar riscos e escolher o tratamento mais eficaz.
      Podem ser indicados tratamentos estéticos ou cremes, por exemplo.

  4. tenho muito foliculite na virilha,ja fiz depilação com gilette, com cera e agora comecei com laser. Tenho alergia de gilette, porém tenho q utilizá-la para fazer a depilação a laser. O que fazer para diminuir essa irritação sendo q de uma forma ou outra estou prejudicando-a?

    • Olá Mayra!

      Esse incômodo tende a diminuir com o número de sessões de depilação a laser. O método ajuda bastante a diminuir a foliculite, mas a melhora ocorre de maneira progressiva. É importante que você mantenha os cuidados com a pele durante esse período (aqui você encontra várias dicas). A esfoliação, por exemplo, costuma ajudar a diminuir os pelos encravados.

      Vale também conversar com a(o) profissional responsável pelo seu tratamento, assim como um dermatologista, que irá avaliar as características individuais de sua pele e indicar as melhores opções de acordo com suas condições.

  5. Muito obrigada você me tirou muitas dúvidas! Mas ainda tenho algumas! Tenho foliculite nas nádegas, não faço depilação nessa região, não entendo o pq tenho foliculite justo no bumbum, me encomada muito e sinto vergonha. O que faço?

    • Olá Lynna!

      É comum que a foliculite apareça nas nádegas, mas é importante ressaltar que essa é uma condição muitas vezes tratada facilmente. Consulte um dermatologista para que ele indique a melhor opção de tratamento 😉 A depilação a laser também pode ajudar a diminuir a infecção na região.

  6. Toda vez que me depilo, três dias depois aparecem muitas foliculites na minha virilha.
    Como faço para evitar que isso aconteça?

    • Olá!

      A foliculite pode surgir em decorrência do próprio modo de depilação. Algumas pessoas podem ter essa reação pelo uso da lâmina ou até mesmo da cera. Nesses casos, a remoção a laser pode ajudar a diminuir ou eliminar os pelos encravados. Em breve teremos um artigo sobre essa técnica, fique de olho em nosso blog!

    • Olá Fernando!

      As medidas de tratamento e prevenção citados neste artigo servem também para esta situação. Lembre-se apenas de que o uso de medicamentos e pomadas deve ser feito apenas com prescrição médica.

      • Fernando, há alguns meses comecei a fazer uso de um produto chamado Tend Skin, foi o único que deu resultado!
        Também tenho graves folículos na região das nádegas, é terrível… O valor é um tanto salgado, mas o produto dura bastante. Futuramente, pretendo fazer depilação a laser nesta região para que a inflamação dos micro-pelos cessem de uma vez por todas.

    • Olá Daiane,

      A maneira que os cosméticos agem é diferente de pessoa para pessoa. O que funcionou para um não necessariamente irá funcionar para você. Se teu dermatologista recomendou um cosmético, siga as orientações dele e, caso não faça efeito, marque uma nova consulta para pedir outra recomendação.

    • Olá Bernardo,

      Nas farmácias, existem diversos medicamentos indicados para o tratamento de cicatrizes. Recomendo que você entre em contato com o seu dermatologista para que ele possa te indicar um medicamento no qual ele confia.

  7. Um dermatologista me indicou um cosmético importado chamado Tend Skin e, depois de testar muitos medicamentos, foi o único que controlou totalmente a minha Foliculite!! Recomendo!!!

Deixe o seu comentário, nos preocupamos com sua opinião:

Por gentileza, escreva seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui

Lamentamos a não possibilidade de dar-lhe conselho médico ou responder a questões médicas e farmacêuticas individuais através de e-mail, pois apenas um médico pode prestar tal atendimento. Embora tentemos responder a todos os comentários, opiniões e e-mails que recebemos em até dois dias úteis, nem sempre é possível devido ao grande volume que recebemos. Por favor, tenha em mente que qualquer solicitação ao Minuto Saudável está sujeita aos nossos Termos de Uso e Política de Privacidade, ao enviar, você indica sua aceitação.