Uma nova onda de sarampo vem preocupando autoridades da saúde em vários países.

Dados preliminares da OMS apontam que, nos 3 primeiros meses de 2019, houve um crescimento de 300% nos casos de sarampo. Isso seria um indicativo dos surtos que vem acontecendo em todo o globo.

Os países que declararam epidemia são: Cazaquistão, Etiópia, Filipinas, Geórgia, Madagascar, Mianmar, Quirguistão, República Democrática do Congo, Sudão, Tailândia e Ucrânia.

Os continentes que mais registraram aumento de casos, em comparação com o mesmo período do ano anterior, são:

  • África: aumento de 700% no número de casos de sarampo;
  • Europa: aumento de 300% no número de casos de sarampo;
  • Oriente Médio: aumento de 100% no número de casos de sarampo.

Américas e Ásia-pacífico registraram 60% e 40% de aumento no número de casos da doença, respectivamente.

A OMS recomenda que a melhor forma de evitar uma pandemia (surto de uma doença que acontece em vários continentes ou até no mundo inteiro) é por meio da vacinação.

De acordo com a OMS, a cobertura mundial de vacinação é de 85%. Para se evitar epidemias, o ideal é que 95% da população se vacine contra o sarampo.

Por isso, recomenda-se que os países façam campanhas de imunização e motivem seus habitantes a tomarem a vacina.


Leia também: Por que devo vacinar meu filho contra o HPV?

Casos nas Américas

Em 2016, todo o continente americano foi declarado livre do sarampo por um Comitê Internacional de Especialistas.

Mas, entre 2018 e janeiro deste ano, 12 países das Américas já confirmaram aproximadamente 17 mil casos da doença.

A Venezuela é o país que mais registrou mortes por sarampo em um ano. No total, 76 pessoas morreram em 6.395 casos da doença.

Já alguns países, como Canadá, Chile, Uruguai, Colômbia, Argentina e México, registraram casos isolados da doença mas sem complicações fatais.

Hoje, a preocupação maior está nos Estados Unidos.

Em 2019, o sarampo foi diagnosticado em 19 estados do país, totalizando 465 casos confirmados da doença.

No início desta semana, a cidade de Nova York, declarou “estado de emergência” por causa do forte surto de sarampo. Desde outubro, 285 casos da doença já foram confirmados na cidade. Deste total, 246 casos foram em crianças.

Moradores que não tomarem a vacina contra o sarampo serão multados pela prefeitura de Nova York.

Vacinação em massa na Europa

Desde 2018, cerca de 82 mil casos de sarampo foram registrados em 47 países europeus. Até agora, 72 pessoas morreram por causa da doença.

O surto aconteceu depois da maior cobertura de vacinação do século 21. Entre 2000 e 2017, 90% do continente europeu foi vacinado.

E mesmo assim o surto preocupa autoridades.

Para a OMS, isso indica que a campanha de vacinação deve ser feita, principalmente, em esfera local.

Ou seja, os governos municipais (em especial das cidades distantes) também devem fazer a campanha de vacinação e motivar os cidadãos a receberem as duas doses da vacina.

Alerta vermelho no Brasil

Recentemente, o Brasil perdeu o certificado de país livre do Sarampo. Em 2018, aproximadamente 10 mil casos da doença foram diagnosticados no país. Somente em 2019, outros 48 casos foram confirmados e 12 pessoas morreram.

O Brasil oferece as duas doses da vacina contra o sarampo pelo SUS. A vacina pode ser aplicada em pessoas que tenham entre 6 meses e 49 anos de idade.

Pode-se tomar a vacina em qualquer unidade básica de saúde, conforme a caderneta de vacinação. Em caso de dúvidas, procure a unidade de saúde mais próxima.

Entenda o sarampo

O sarampo é uma infecção altamente contagiosa, causada pelo vírus Morbillivirus. A transmissão acontece se uma pessoa infectada entra em contato com outras pessoas por meio do espirro, da tosse e da saliva.

A única forma de prevenção contra o sarampo é a vacina.

Entre os principais grupos de risco estão as crianças (menores de 2 anos), gestantes, trabalhadores da saúde e pessoas com o sistema imunológico fragilizado.

Além disso, pessoas que trabalham em aeroportos, rodoviárias e localidades próximas de fronteiras também são mais suscetíveis a desenvolverem complicações da doença, por lidarem com estrangeiros.

Pessoas infectadas com a doença apresentam erupções de pele acompanhadas de pequenas manchas vermelhas em todo o corpo. Além disso, feridas e manchas brancas podem aparecer dentro da boca (na gengiva e a parte interna das bochechas).

O sarampo ainda pode causar febre alta (acima de 38 ºC), diarreia, tosse, irritação nos olhos, vômito, enjoo, infecção no nariz e nos ouvidos. Em casos graves, pode provocar convulsões e lesões no cérebro.

O sarampo pode ser fatal. Por isso, em caso de suspeitas, procure um médico o quanto antes.


Casos de sarampo estão acontecendo no mundo inteiro. A única forma preventiva é a vacina. Por isso, fique atento e mantenha sua caderneta de vacinação atualizada!


Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *