Sim. Vale destacar que mulheres com endometriose, em geral, têm mais dificuldade de engravidar, mas podem gestar um bebê. Já as mulheres com inflamações nos dois ovários ou que possuem endometriose grave estão mais propensas à infertilidade.

Em alguns casos, a mulher precisará passar por alguns procedimentos para engravidar. Para entender o motivo, é preciso entender como a condição afeta o sistema reprodutivo:

A endometriose é o crescimento do endométrio (tecido que recobre o útero) cresce irregularmente. Essa condição vai remodelando o aparelho reprodutor feminino ao longo do tempo.

Em casos leves e moderados, o tecido do útero cresce nos ovários ou nas trompas. O tratamento, nestas situações, pode ser com fármacos como injeções ou pílulas.

Já em casos mais agravados da doença, o tecido uterino se expande até o intestino ou a bexiga, podendo ser necessária a intervenção cirúrgica.

Pode haver liberação de hormônios aumentada e prejuízos à ovulação, fatores que dificultam a gestação.

Fatores como idade e o quanto a endometriose compromete o sistema reprodutor feminino também podem influenciar as chances de gravidez.

Exames de imagens podem ajudar a avaliar se a mulher deve tentar engravidar espontaneamente ou com ajuda de tratamentos.

Leia mais: O que é ciclo menstrual (ovulação, irregular): como calcular, tabelinha

Como afeta a fertilidade? É possível engravidar naturalmente?

Sim! É possível engravidar naturalmente, mesmo tendo endometriose. Vale ressaltar, então, que quem não deseja engravidar, deve usar métodos contraceptivos como a camisinha, que também previne doenças sexualmente transmissíveis.

No entanto, as pacientes, em geral, têm mais dificuldades em engravidar.

Isso por causa de interferência que vão desde a fecundação até a fixação do embrião no útero. Pois ela afeta na regulação de hormônios que agem na ovulação e na implantação do embrião.

Assim, fica mais difícil haver a fecundação e o transporte do óvulo até as trompas.

Leia mais: Quando fazer o teste de gravidez de farmácia e de sangue?

Quem tem endometriose e ovários policísticos pode engravidar?

Complicações como ovários policísticos e endometriose dificultam a gravidez, mas não impedem-na.

Ao menos que sejam diagnosticadas com infertilidade, mulheres com essas doenças ainda podem ter uma chance de engravidar.

A síndrome dos ovários policísticos é causada pelo aumento do hormônio masculino no organismo feminino.

Isso provoca a formação de vários cistos nos ovários, o que impede que a mulher tenha uma ovulação correta.

Assim, geralmente há mais dificuldades de engravidar porque não liberação de óvulos com regularidade.

Nesses casos, a mulher deve procurar ajuda médica para conversar sobre qual será a melhor forma de conceber a gestação.

Pode-se fazer tratamentos para tais complicações antes de engravidar ou ainda aproveitar a tecnologia da inseminação para ter concepções mais seguras.

Quem tem endometriose pode engravidar por inseminação?

Pode e em alguns casos é até recomendado. Os métodos de reprodução assistida são muito utilizados por mulheres que têm endometriose em graus mais severos.

Se a doença está comprometendo os dois ovários ou as duas trompas, a inseminação poderá ser feita depois do tratamento com remédios.

Quando a mulher tem endometriose e deseja engravidar, é aconselhável que procure uma avaliação médica.

A inseminação é recomendada em alguns casos, porque há menos riscos de acontecerem complicações como gravidez ectópica (condição na qual o embrião se aloja em outras partes fora do útero).

Gestantes que têm ou tinham endometriose devem ser acompanhadas por médicos em todos os períodos da gravidez.

Endometriose profunda, umbilical, intestinal: alguma não pode engravidar?

Não. A endometriose (de qualquer tipo) não impede a gravidez, só dificulta. Pois a doença, ao longo do tempo, vai modificando o aparelho reprodutor feminino e por isso a mulher pode ter mais dificuldades.

Há alguns tipos mais graves de endometriose, como a umbilical (o tecido afeta a região do umbigo), intestinal (tecido afeta o intestino) e profunda (tecido afeta camadas mais profundas).

Esses tipos têm, em geral, maiores riscos de infertilidade ou de gerar dificuldades para a gravidez.

Mulheres com endometriose (de qualquer tipo) têm chances maiores de sofrerem abortos espontâneos e outras complicações.

Por isso, gestantes com essa doença, devem ser acompanhadas pelo médico desde a concepção até o parto.


A endometriose ainda é associada à infertilidade. Mas com os avanços da medicina e com a ajuda da tecnologia, as pacientes podem engravidar e ter gestações saudáveis e seguras, desde que façam o acompanhamento médico.

No Minuto Saudável ainda têm muitas informações sobre gravidez. Confira!

Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.

Editor Médico

Dr. Paulo Caproni

CRM/PR 27.679

Graduado em Medicina pela PUCPR. Residência Médica em Medicina Preventiva e Social pela USP. MBA em Gestão Hospitalar e de Sistemas de Saúde pela FGV.

Farmacêutica Responsável

Dra. Francielle Mathias

CRF/PR 24612

Farmacêutica generalista, com Mestrado em Ciências Farmacêuticas, ambos pela Unicentro. Doutorado em Farmacologia pela UFPR.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *