Foliculite nas nádegas, na virilha, capilar, tratamento e pomadas

16

O que é a Foliculite?

A foliculite é uma infecção dos folículos pilosos, também conhecida como “pelos encravados”, causados por bactérias do tipo estafilococos, Staphylococcus aureus (bactéria gram-positiva, possui formato esférico, com cerca de um micrômetro de diâmetro), que geralmente se encontram na pele e são favorecidas pelo excesso de umidade, suor ou alguma lesão na pele, como depilação. Também pode ocorrer de forma espontânea.

Esta doença se apresenta como pequenas bolinhas vermelhas e salientes, que podem ou não conter pus, e dão à pele um aspecto áspero e de irritação. No calor, a foliculite torna-se mais comum.

PUBLICIDADE

É um problema que atinge tanto homens quanto mulheres, crianças ou adultos, podendo surgir em qualquer localização onde existam pelos, sendo bastante frequente na área da barba (homens) e na virilha (mulheres).

Aparece, geralmente, como espinhas pequenas, de ponta branca, em torno de um ou mais folículos pilosos. Normalmente, ela é superficial, podendo coçar e provocar dor. Nos casos de inflamação do pelo, ela sara sozinha, mas os casos mais graves e recorrentes precisam de tratamento.

Muitos confundem a foliculite com acnes, que se concentram no rosto e no tronco. Porém, a foliculite pode aparecer em qualquer região do corpo onde existam pelos encravados, tais como: ou seja, as espinhas só aparecem no bumbum em casos de acne gravíssima

  • Face;
  • Couro cabeludo;
  • Axila;
  • Coxas;
  • Nádegas;
  • Virilha: quando contaminadas por bactérias, fungos e vírus espontaneamente ou favorecida pela depilação, pelo atrito da roupa com a pele, excesso de umidade e suor, entre outros fatores.

Mesmo sendo super comum entre as mulheres, a foliculite no bumbum é causada, na maioria das vezes, pelo uso de calças muito justas, momento em que as bactérias estafilococos da própria região acabam se proliferando. Isso atinge a estrutura que origina os pelos, o folículo piloso, causando um processo inflamatório, que, mesmo depois de tratadas, essas inflamações podem voltar. Contudo, a foliculite também pode surgir de fungos, como:

  • Tinea barbae (foliculite na barba);
  • Fungos do gênero Malassezia (foliculite pitirospórica), por vírus herpes simplex (foliculite herpética);
  • Bactérias Pseudomonas aeruginosa (foliculite bacteriana).

Índice – neste artigo você encontrará as seguintes informações:

  1. O que é a Foliculite?
  2. Causas
  3. Quais os tipos de Foliculite?
  4. Sintomas
  5. Qual profissional devo procurar? E qual o diagnóstico?
  6. Tratamento com remédios e pomadas para Foliculite
  7. Grupos e fatores de risco
  8. Complicações e prognóstico
  9. Como prevenir? É transmissível?

Causas

É causada por infecção viral, bacteriana ou fúngica dos folículos capilares. Sua causa mais comum é a bactéria Staphylococcus aureus (estafilococo).

As únicas partes do corpo em que os folículos não estão presentes são as palmas das mãos, plantas dos pés e membranas mucosas, como os lábios. Eles são mais densos no couro cabeludo e, quando danificados, ficam mais expostos à infecção.

Com isso, temos como causas mais comuns de danos ao folículo capilar as seguintes:

  • Lesão ao se barbear ou atrito provocado por roupas muito apertadas;
  • Transpiração excessiva;
  • Condições inflamatórias da pele, como dermatite e acne;
  • Lesões gerais da pele, como escoriações ou feridas cirúrgicas;
  • Curativos de plástico ou fita adesiva aplicados sobre a pele;
  • Roupas apertadas e que retém calor;
  • Exposição a ambientes ou água quentes;
  • Suor excessivo;
  • Atrito com lâminas;
  • Lesões de pele provocadas pela depilação;
  • Curativos;
  • Outras lesões de pele como dermatite, acne, escoriações e feridas cirúrgicas;
  • Baixa imunidade provocada por diabetes, leucemia, medicamentos ou imunodeficiências;
  • Uso prolongado de antibióticos, principalmente para tratamento de acne;
  • Obesidade;
  • Alterações hormonais.

Quais os tipos de Foliculite?

A foliculite divide-se em dois tipos: superficial e profunda, sendo que dentro desses dois há subtipos da doença. Vejamos:

Foliculite Superficial

Geralmente é a mais comum, afeta apenas a parte superior do folículo piloso. Foliculite superficial pode ser:

PUBLICIDADE
  • Foliculite Estafilocócica;
  • Foliculite por pseudômonas (foliculite da banheira quente);
  • Pseudofoliculite da barba;
  • Foliculite Pitirospórica.

Foliculite Estafilocócica

É o tipo mais comum, ocorre quando os folículos pilosos são infectados com as bactérias staphylococcus aureus (estafilococos). Caracteriza-se por coceira e inflamação com pus, além de poder ocorrer em qualquer região do corpo que possua pelos.

Se a área da barba é afetada nos homens, chama-se “coceira do barbeiro”, e mesmo que os estafilococos vivam na pele o tempo todo, elas podem causar problemas quando entram no corpo. Isto ocorre através de cortes ou ferimentos (arranhões ou lesões na pele).

O tratamento pode ser com antibiótico tópico, oral ou uma combinação dos dois. O médico recomendará que o paciente não raspe a área, até que a infecção desapareça.

Foliculite por pseudômonas (foliculite da banheira quente)

As bactérias pseudomonas aeruginosa proliferam em ambientes aquáticos em que os níveis de cloro e o pH não são bem regulados, como banheiras de hidromassagem.

Este tipo aparece entre 8 horas e 5 dias após a exposição à bactéria. Caracteriza-se por erupções vermelhas, que coçam e, mais tarde, aparecem bolhas com pus. As áreas que ficam úmidas por mais tempo são as mais propensas à infecção, como as áreas cobertas pela roupa de banho.

O tratamento se dá normalmente com loções para aliviar a coceira, antibióticos são receitados raramente.

Pseudofoliculite da barba

Afeta homens e ocorre quando os folículos pilosos na área da barba inflamam; quando os pelos são raspados, ao crescerem eles se curvam e voltam para o interior da pele.

Isto ocasiona uma inflamação e, às vezes, cicatrizes no rosto e no pescoço; nestes casos aconselha-se usar o barbeador elétrico como opção. Na hora de se barbear, o ideal é utilizar água morna, massagear os pelos para que não fiquem mais amolecidos.

PUBLICIDADE

Quando passar o barbeador, fazer no sentido do crescimento dos pelos. Após o término, aconselha-se passar um hidratante.

Foliculite Pitirospórica

Acomete adolescentes e homens adultos, este tipo é provocado por um fungo que causa inflamações avermelhadas e coçam nas costas e no peito. Atinge, às vezes, o pescoço, ombros, braços e face.

Os médicos indicam antifúngicos tópicos ou orais, pois são os mais eficazes para este tipo de foliculite.

Foliculite profunda

É o tipo mais raro, sendo uma espécie de complicação da foliculite superficial – podendo, inclusive, levar ao surgimento de furúnculo. Sendo:

  • Sycosis barba;
  • Foliculite gram-negativo;
  • Furúnculos e carbúnculos;
  • Foliculite eosinofílica.

Sycosis barba

É a inflamação em todo o folículo piloso após o barbear, pequenas inflamações aparecem primeiro no lábio superior, queixo e mandíbula. Podem também ter ocorrência constante com o barbear contínuo.

Nos casos mais graves pode deixar cicatrizes, indica-se compressas e antibiótico local, porque são os tratamentos mais utilizados e eficazes.

Foliculite gram-negativo

Desenvolve-se quando o paciente usa antibióticos por longo tempo para tratar a acne e surge, principalmente, no nariz. Esses medicamentos alteram o equilíbrio normal da pele, o que faz com que organismos nocivos se desenvolvam, como as bactérias gram-negativas.

Na maioria dos casos não há grandes problemas, principalmente após cessar o uso dos medicamentos. Mas elas podem se espalhar pelo rosto e causar graves lesões. Contudo, medicamentos tópicos ainda são a melhor forma de tratamento.

PUBLICIDADE

Furúnculos e carbúnculos

Este tipo ocorre quando há infecção com estafilococos, é uma inflamação inchada, bem avermelhada e febril. De acordo com a quantidade de pus no interior, ela aumenta e a região se torna mais dolorosa.

Se as lesões são muito grandes pode haver cicatrizes futuras; o carbúnculo é um aglomerado de furúnculos, que muitas vezes ocorre na parte de trás do pescoço, ombros, costas e coxas.

São infecções mais profundas e graves do que um único furúnculo, geralmente deixam pequenas cicatrizes. O médico especialista pode drenar a infecção com uma pequena incisão para aliviar a febre e a dor. Já no caso dos carbúnculos pode ser necessário usar antibióticos para ajudar a melhorar os sintomas.

Foliculite eosinofílica

As principais vítimas são as pessoas com HIV, este tipo de foliculite caracteriza-se por manchas inflamadas, feridas com pus, principalmente no rosto e, às vezes, nos braços, que podem coçar.

Essas feridas costumam se espalhar, e deixam as áreas mais escuras do que a pele normal. A causa exata da foliculite eosinofílica não é conhecida, embora possa envolver o mesmo fungo responsável pela foliculite pitirospórica.

Neste tipo, os corticosteroides são recomendados para tratamento, nos casos graves é necessário entrar com a medicação oral também. Em pacientes com HIV, além dos esteróides tópicos o médico pode receitar anti-histamínicos via oral.

Sintomas

Como a foliculite pode ser tanto superficial quanto profunda, os sintomas irão variar dependendo do tipo que ela for. Se for superficial, ela afetará apenas a parte superior do folículo piloso e o paciente poderá apresentar os sintomas:

  • Pequenas espinhas vermelhas, com ou sem pus;
  • Pele avermelhada e inflamada;
  • Coceira e sensibilidade na região afetada.

Quando a foliculite atinge áreas mais profundas da pele, pode ocorrer formação de furúnculos e o paciente sentirá:

  • Vermelhidão em grandes áreas;
  • Lesões elevadas com pus amarelado no meio;
  • Áreas muito sensíveis e doloridas;
  • Coceira;
  • Dor intensa (em alguns casos), nesses casos as chances de cicatrizes são maiores, podendo haver destruição do folículo piloso.

Qual profissional devo procurar? E qual o diagnóstico?

O médico responsável pelo diagnóstico e tratamento da foliculite é o dermatologista. Entre os procedimentos que ele poderá solicitar para diagnosticar, estão:

  • Observação médica: examinando a olho nu a pele do paciente;
  • Exame físico;
  • Teste laboratorial: remoção de amostras da secreção da lesão para que ela seja examinada em laboratório. Este teste ajuda a saber com exatidão qual o tipo de foliculite, para que o tratamento indicado seja eficiente.

Os casos leves de foliculite geralmente curam-se sozinhos. Mas, caso persistentes ou recorrentes, podem exigir tratamento. A terapia dependerá do tipo e da gravidade da infecção.

Tratamento com remédios e pomadas para Foliculite

O médico poderá indicar como tratamento o uso de antibióticos e demais medicamentos, como:

É fundamental que a foliculite seja tratada em seu estágio inicial para evitar que atinja outras áreas do corpo, de modo que não cause a furunculose e deixe cicatriz na pele.

O tratamento costuma ser eficaz na maioria dos casos, mas há risco da foliculite voltar. As complicações ocorrem quando ela não é tratada adequadamente.

Atenção! 

NUNCA se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico. Somente ele poderá dizer qual medicamento, dosagem e duração do tratamento é o mais indicado para o seu caso em específico. As informações contidas nesse site têm apenas a intenção de informar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um especialista ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Siga sempre as instruções da bula e, se os sintomas persistirem, procure orientação médica ou farmacêutica.

Tratamento caseiro para foliculite

É possível cuidar em casa da foliculite, fazendo:

Compressas quentes feitas com água salgada

Pode aliviar a coceira e ajudar a cura. Para fazer uma compressa morna, molhe uma toalha de mão em água morna que você adicionou sal. Torça o excesso de água e coloque a toalha sobre a pele afetada por alguns minutos.

Shampoo medicamentoso

Pode ser usado como remédio caseiro para foliculite no couro cabeludo ou na barba.

Se a inflamação piora ou não desaparecer

Você poderá precisar consultar o seu médico. Ele ou ela podem prescrever medicamentos e, nesse caso, a foliculite tem tratamento antibiótico.

Tomar banhos diários

Lavando o corpo com sabonete anti-fúngico principalmente após ir à banheiras públicas ou piscinas. Principalmente para prevenir a foliculite no couro cabeludo, você deve lavar com shampoo e condicionador correto para seus cabelos todos os dias.

Depilação a laser

O tratamento com laser destrói os folículos pilosos, assim eles não podem ficar inflamados.

Chá de alho

Este mesmo alho pode ser usado na compressa quente, funcionando como um antisséptico para as bactérias causadoras da foliculite. Chá de equinácea tem o mesmo efeito. Use aloe vera sobra a área afetada para evitar cicatrizes e marcas causadas pela foliculite. Faça uma mistura de aloe vera com chá de alho ou equinácea e passe sobre o couro cabeludo, como um remédio caseiro para a foliculite no couro cabeludo, além de aliviar bastante a dor e coceira.

Esfoliações

Faça esfoliações constantes, usando agentes que retirem a camada de células mortas da pele. O ideal é que esse procedimento seja feito 1 vez por semana. Contudo, o ideal é conversar com um dermatologista para saber qual o melhor agente esfoliante e qual a frequência, uma vez que esfoliações excessivas podem lesionar a pele.

Grupos e fatores de risco

Ninguém está livre de ter uma foliculite. Entre os grupos e fatores de risco para desenvolver a foliculite estão:

  • Pessoas negras e asiáticas: possuem maior formação de queratina sob a pele se comparados com os caucasianos, o que impede que o pelo suba naturalmente à superfície da pele, causando infecção;
  • Pessoas com baixa imunidade: possuem uma predisposição maior para desenvolver foliculites. Em pessoas com o sistema imunológico comprometido, como no caso de indivíduos com HIV, desenvolve-se um tipo de foliculite chamado “foliculite eosinofilica”, sua causa ainda é desconhecida;
  • Condições de pele pré-existentes, como acne ou dermatite;
  • Trauma para a pele associada à lesão ou cirurgia;
  • Uso de antibióticos para tratar acne;
  • Corticoterapia tópica;
  • Obesidade;
  • Exposição constante à água quente;
  • Alterações hormonais.

Outros fatores de risco são condições médicas que reduzem a resistência a infecções, como:

  • Diabetes;
  • Leucemia crônica;
  • Transplante de órgãos;
  • Infecção por HIV/AIDS.

Complicações e prognóstico

São raros os casos de foliculite que causam complicações. O tipo leve não costuma causar, já o grave pode ocasionar:

  • Perda permanente do cabelo: ocorre a destruição do folículo piloso;
  • Furunculose: ocorre quando um número considerável de furúnculos se desenvolve sob a pele;
  • Cicatrizes: a foliculite severa pode deixar cicatrizes ou manchas de pele que são mais escuras do que o normal.

Também, os casos leves costumam responder bem aos cuidados caseiros. Alguns cuidados diários podem auxiliar na recuperação, como:

  • Aplicar um pano úmido quente ou pressionar a área afetada várias vezes ao dia para aliviar o desconforto e ajudar na desinfecção;
  • Passar uma loção de aveia ou um creme de hidrocortisona para ajudar a aliviar a coceira na pele;
  • Lavar a pele afetada 2 vezes ao dia com sabão antibacteriano. Em seguida, aplique uma pomada antibiótica vendida sem necessidade de prescrição médica em farmácias. Usar um pano limpo e toalha suave para secar a cada vez que se lava;
  • Evitar raspar a pele irritada. Se você tem que fazer a barba, usar um barbeador elétrico em vez de uma lâmina, e aplique uma loção pós-barba calmante quando você tiver acabado. Além disso, procure fazer a barba no sentido do crescimento do pelo e não contra ela;
  • Não compartilhar toalhas ou panos e lave-os com bastante água quente e sabão após utilizá-los. Lave as roupas que cobrem as áreas afetadas depois de usá-las também.

Prevenção e Transmissão

Para evitar a foliculite algumas medidas podem ser tomadas, como:

  • Lavar a pele infectada delicadamente com sabonete antibactericida;
  • Evitar depilar zonas irritadas;
  • Evitar utilizar toalhas úmidas e usadas;
  • Evitar o uso constante de roupas apertadas;
  • Ao usar lâmina sobre a pele, manuseá-la com cuidado e não reutilizá-la: a depilação pode provocar micro lesões que geram uma porta de entrada para os microrganismos. Aconselha-se procurar um local especializado que recomendará qual o melhor tipo de depilação para a sua pele;
  • Entrar em banheiras de hidromassagens devidamente limpas;
  • Evitar piscinas que não sejam tratadas com cloro;
  • Evitar alimentos gordurosos e optar por alimentos saudáveis, como: legumes, verduras e frutas;
  • Manter a pele limpa, seca e livre de escoriações ou irritações;
  • Evitar lavagens antissépticas rotineiramente, pois deixam a pele seca e matam bactérias protetoras;
  • Manter a pele hidratada;
  • Evitar roupas apertadas.

Agora que você já sabe quais as medidas preventivas a serem tomadas, compartilhe este artigo para que outras pessoas também saibam como se prevenir!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (18 votos, média: 3,83 de 5)
Loading...

16 Comentários

Atenção: os comentários abaixo são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

  1. Toda vez que me depilo, três dias depois aparecem muitas foliculites na minha virilha.
    Como faço para evitar que isso aconteça?

    • Olá!

      A foliculite pode surgir em decorrência do próprio modo de depilação. Algumas pessoas podem ter essa reação pelo uso da lâmina ou até mesmo da cera. Nesses casos, a remoção a laser pode ajudar a diminuir ou eliminar os pelos encravados. Em breve teremos um artigo sobre essa técnica, fique de olho em nosso blog!

    • Olá Fernando!

      As medidas de tratamento e prevenção citados neste artigo servem também para esta situação. Lembre-se apenas de que o uso de medicamentos e pomadas deve ser feito apenas com prescrição médica.

      • Fernando, há alguns meses comecei a fazer uso de um produto chamado Tend Skin, foi o único que deu resultado!
        Também tenho graves folículos na região das nádegas, é terrível… O valor é um tanto salgado, mas o produto dura bastante. Futuramente, pretendo fazer depilação a laser nesta região para que a inflamação dos micro-pelos cessem de uma vez por todas.

    • Olá Daiane,

      A maneira que os cosméticos agem é diferente de pessoa para pessoa. O que funcionou para um não necessariamente irá funcionar para você. Se teu dermatologista recomendou um cosmético, siga as orientações dele e, caso não faça efeito, marque uma nova consulta para pedir outra recomendação.

    • Olá Bernardo,

      Nas farmácias, existem diversos medicamentos indicados para o tratamento de cicatrizes. Recomendo que você entre em contato com o seu dermatologista para que ele possa te indicar um medicamento no qual ele confia.

  2. Um dermatologista me indicou um cosmético importado chamado Tend Skin e, depois de testar muitos medicamentos, foi o único que controlou totalmente a minha Foliculite!! Recomendo!!!

Deixe o seu comentário, nos preocupamos com sua opinião:

Por gentileza, escreva seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui

Lamentamos a não possibilidade de dar-lhe conselho médico ou responder a questões médicas e farmacêuticas individuais através de e-mail, pois apenas um médico pode prestar tal atendimento. Embora tentemos responder a todos os comentários, opiniões e e-mails que recebemos em até dois dias úteis, nem sempre é possível devido ao grande volume que recebemos. Por favor, tenha em mente que qualquer solicitação ao Minuto Saudável está sujeita aos nossos Termos de Uso e Política de Privacidade, ao enviar, você indica sua aceitação.