Os antibióticos são medicamentos utilizados para combater doenças causadas por bactérias, de forma que a indicação varia conforme o microrganismo causador do problema. Isso, uma vez que é preciso usar um remédio ao qual a bactéria seja sensível à ação.

Há diversos antibióticos disponíveis, a fim de tratar as mais diversas infecções, desde as mais comuns (garganta, ouvido, urinária) até mesmo aquelas mais raras.

Dentre eles, está a Cefalexina. Entenda para que serve, como usar e as contraindicações: 

Índice — neste artigo você vai encontrar:

  1. O que é Cefalexina?
  2. Para que serve Cefalexina monoidratada?
  3. Qual a diferença de Amoxicilina e Cefalexina?
  4. Em quanto tempo a Cefalexina começa a fazer efeito?
  5. Posologia: como usar?
  6. Quais os efeitos colaterais presentes na bula?
  7. Quais as contraindicações?
  8. Qual o preço e onde comprar?

O que é a Cefalexina? 

A Cefalexina é uma substância medicamentosa, presente como princípio ativo em diversos medicamentos. Ela é caracterizada como um antibiótico, de forma que visa combater infecções causadas por bactérias que sofrem com sua ação.

Nesse sentido, pode ser indicada para o tratamento de condições como: faringite (inflamação na garganta), otite média (infecção no ouvido), infecção urinária, infecções de pele etc.

Seu tempo de ação varia conforme a bactéria causadora do problema e a gravidade do distúrbio, de forma que pode demorar apenas alguns dias ou se prolongar por até semanas.

Os medicamentos que têm a Cefalexina como substância medicamentosa são comercializados em 3 apresentações: comprimido (drágea), suspensão oral e gotas. Sendo que suas formas líquidas precisam ser preparadas antes do uso (misturar o pó da suspensão com água).


Embora seja uma medicação segura, testada e aprovada pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), ainda assim pode apresentar efeitos colaterais e ter contraindicações — como para as gestantes, por exemplo.

Nesse sentido, reforça-se a orientação de usar o remédio apenas sob prescrição médica.

É antibiótico?

Sim. A Cefalexina é, como mencionado, uma substância medicamentosa classificada como um antibiótico. Ela pertence ao grupo das cefalosporinas, uma classe de antibióticos beta-lactâmicos (penicilina e seus derivados).

Dessa forma, trata-se de um tipo de medicação utilizada para o tratamento de condições infecciosas causadas por bactérias. Nesse caso, trata aquelas sensíveis à ação da Cefalexina, como a S. pneumoniae (causa otite, sinusite bacteriana) ou a E. coli (causa infecção urinária).

Seu uso só pode ser feito mediante prescrição médica e a receita é retirada na hora da compra.

Para que serve Cefalexina monoidratada? 

A descrição “monoidratada” corresponde ao processo de hidratação molecular, que é feito nos medicamentos a fim de ajudá-los a atingir a estabilidade ideal para que sejam absorvidos e metabolizados corretamente no organismo.

É um fator que pode variar conforme cada laboratório, de maneira que alguns remédios podem ser encontrados em sua versão hidratada e não hidratada.

No caso da Cefalexina, ela é facilmente encontrada como monoidratada em sua versão comprimidos, mas também há disponibilidade nas outras apresentações.

É importante salientar que esse fator não altera sua indicação. Sendo assim, hidratada ou não, essa medicação é um antibiótico indicado para o tratamento de doenças causadas por bactérias sensíveis à ação da Cefalexina. O que inclui condições como:

  • Sinusite bacteriana — causada pelas bactérias estreptococos, S. pneumoniae e Staphylococcus aureus;
  • Infecções do trato respiratório — causadas pelas bactérias S. pneumoniae e S. pyogenes;
  • Otite média (inflamação no ouvido) — causada pelas bactérias S. pneumoniae, H. influenzae, M. catarrhalis, outros estafilococos e estreptococos;
  • Infecções da pele e tecidos moles (vasos sanguíneos, músculos, tendões etc) — causadas pelas bactérias estafilococos e/ou estreptococos;
  • Infecções ósseas — causadas pelas bactérias estafilococos e/ou P. mirabilis;
  • Infecções urinárias (incluindo prostatite aguda) — causadas pelas bactérias E. coli, P. mirabilis e Klebsiella pneumoniae;
  • Infecções dentárias — causadas pelas bactérias estafilococos e/ou estreptococos.

Cabe destacar o fato de que a Cefalexina é indicada apenas para tratar essas condições quando são causadas por bactérias sensíveis à sua ação (conforme descrito). O que será analisado durante o diagnóstico médico.

Dessa forma, caso o problema não seja causado por microrganismos passíveis de ser combatidos com essa medicação, será prescrito outro antibiótico — como a Amoxicilina, por exemplo.

É indicada para a garganta inflamada?

Sim. A bula indica o uso da Cefalexina para tratar infecções do trato respiratório, originadas por bactérias como a S. pyogenes, responsável por causar (dentre outras doenças) a faringite.

A faringite é uma condição que se caracteriza pela dor ou irritação na garganta, podendo piorar ao engolir saliva ou alimentos. Essa doença pode estar associada a fatores como resfriados, mudanças climáticas ou infecções provocadas por bactérias.

No caso de infecção é que pode ser prescrito o uso da Cefalexina (ou outro antibiótico) como forma de tratamento único ou em associação com anti-inflamatórios para alívio dos sintomas.

Qual a diferença de Amoxicilina e Cefalexina? 

Tanto a Amoxicilina quanto a Cefalexina são antibióticos, ou seja, medicamentos utilizados para tratar condições causadas por bactérias. Trata-se de dois remédios diferentes e que não necessariamente combatem os mesmos microrganismos ou têm a mesma ação.

Nesse sentido, essas medicações podem apresentar efeitos colaterais distintos e fatores como a interação medicamentosa (efeitos quando e se misturados com outros remédios) também podem se alterar.

Além disso, pode-se citar como exemplo o fato de que a Cefalexina tem dose máxima diária indicada como 4g, enquanto a Amoxicilina indica 6g como o máximo de sua dose. 

Ou, ainda, o horário de administração distinto: é mais comum que a Cefalexina seja prescrita para uso a cada 6 horas, enquanto a administração da Amoxicilina costuma ser a cada 12h.

Esses são só alguns pontos em que os remédios diferem entre si. Apesar de tratarem algumas condições semelhantes (como a otite ou inflamação na garganta), não são o mesmo medicamento e não devem ser usados ao mesmo tempo ou a fim de substituir um pelo outro.

Em quanto tempo a Cefalexina começa a fazer efeito? 

Considerando que a Cefalexina é um antibiótico, seu efeito é destinado a impedir a ação das bactérias no organismo e eliminá-las, a fim de cessar a infecção. Sendo assim, o tempo de tratamento pode levar alguns dias, mas em casos de infecções mais resistentes pode se estender até por semanas.

A ação também pode variar conforme a bactéria que está sendo combatida, de forma que algumas podem ser mais rapidamente tratada que outras.

Em todos os casos, deve-se seguir as indicações médicas, visto que interromper ou prolongar o tratamento por conta própria pode causar outros danos à saúde. Como, por exemplo, a resistência bacteriana.

Nesse caso, o corpo adquire resistência à ação do antibiótico, de forma que ele não fará os efeitos desejados quando houver real necessidade.

Posologia: como usar?

A posologia da Cefalexina, assim como de outros antibióticos, pode variar conforme a infecção que está sendo tratada e sua gravidade. Outros fatores também contribuem para as variações, como a idade do(a) paciente.

Na bula do medicamento é possível encontrar as doses indicadas para diversas condições (otite, infecção urinária etc) e as informações referentes à dose prevista de acordo com outras condições específicas (idade, peso, casos graves).

Tal conteúdo é especialmente importante para o(a) profissional, uma vez que serve como um guia e traz orientações seguras que permitem receitar o remédio de forma correta.

Confira algumas orientações da bula a respeito das apresentações da Cefalexina (comprimido, gotas, solução) e entenda as formas de uso, bem como as doses que podem ser indicadas:

Comprimido (drágea)

De acordo com as informações da bula, os comprimidos devem ser administrados via oral, independente das refeições, não devendo ser partido ou mastigado. 

Com relação à dose, indica-se o seguinte:

  • Infecções do trato respiratório (causadas por S. pneumoniae e S. pyogenes) — uma dose de 500mg a cada 6 horas;
  • Faringite (inflamação na garganta), infecções da pele e cistites (infecção urinária) não complicadas — uma dose de 500mg ou 1g pode ser administrada a cada 12 horas, para pacientes a partir de 15 anos.

A bula também informa que a dose habitual para adultos é de 250mg a cada 6 horas. E há a indicação de dose máxima diária, sendo de 4g (em doses fracionadas).

Suspensão oral (líquida)

A versão líquida da Cefalexina não é comercializada pronta. Sua embalagem vem com o pó para que seja preparada a suspensão oral, o procedimento é o seguinte:

  • Antes de abrir, agite o frasco para deixar o pó bem solto;
  • Coloque água filtrada no frasco (até a marca indicada), agite-o bem para que o pó se misture totalmente com a água;
  • Se essa mistura ainda não atingir a marcação indicada no frasco, espere a espuma baixar e complete devagar com mais água filtra — então, agite novamente.

Feito isso, a suspensão oral está pronta. Quanto à dose indicada, a bula indica:

  • Adultos — a dose usual é de 250mg (2,5mL) a cada 6 horas, podendo ser maior em casos de infecções mais graves e/ou resistentes;
  • Crianças — recomenda-se 25 a 50mg/kg (0,25mL a 0,5mL) em doses fracionadas, mas pode ser maior em casos de infecções graves e/ou resistentes. Além de alterações conforme o peso da criança.

A medicação deve ser preferencialmente administrada com uma seringa. Cabe destacar que em todos os casos não é indicado ultrapassar as 4g diárias (dose máxima da substância).

Gotas

Assim como a suspensão oral não é comercializada pronta, a versão em gotas também precisa ser preparada. O preparo é idêntico em ambos os casos, a diferença consiste apenas no tamanho do frasco: o de gotas comporta 15mL.

Além disso, nesse caso a embalagem conta com um bico do tipo conta-gotas.

Essa apresentação é indicada para uso pediátrico, de forma que as doses são mais baixas que o uso adulto. Usualmente, recomenda-se 25mg/kg a 50mg/kg em doses divididas.

Nesse sentido, a bula traz uma nota: “cada gota corresponde a aproximadamente 4,5mg de Cefalexina. Cada 1mL da suspensão possui aproximadamente 22 gotas”. E apresenta a dose recomendada com base no peso da criança:

PESODose de 25mg/kgDose de 25mg/kg
Quatro vezes ao dia Duas vezes ao dia
46 gotas11 gotas
57 gotas14 gotas
69 gotas17 gotas
710 gotas20 gotas
811 gotas22 gotas
913 gotas25 gotas
1014 gotas28 gotas
PESODose de 50mg/kgDose de 50mg/kg
Quatro vezes ao dia Duas vezes ao dia
411 gotas22 gotas
514 gotas28 gotas
617 gotas33 gotas
720 gotas39 gotas
822 gotas44 gotas
925 gotas50 gotas
1028 gotas55 gotas

Lembrando que essas indicações podem sofrer alteração em virtude da bactéria causadora da doença e a gravidade da infecção. Seguir as recomendações médicas é primordial para um tratamento seguro e eficaz.

Quais os efeitos colaterais presentes na bula?

Todos os medicamentos podem causar reações adversas em quem faz o seu uso, o que não necessariamente significa que isso irá acontecer — enquanto algumas pessoas podem sofrer com essas reações, outras podem não apresentar nenhuma reação.

No caso da Cefalexina, a bula divide os efeitos colaterais em dois grupos: aqueles referentes a transtornos gastrintestinais e os que ocorrem devido hipersensibilidade ao remédio.

Assim, os possíveis efeitos colaterais referentes ao trato gastrintestinal são os seguintes:

  • Sintomas de colite pseudomembranosa (durante ou após o tratamento);
  • Náuseas e vômitos (raramente);
  • Diarreia — indicada na bula como a reação mais frequente, mas raramente grave o bastante para que seja necessário cessar a terapia;
  • Dispepsia e dor abdominal;
  • Gastrite;
  • Hepatite transitória e icterícia colestática (raro).

Por conseguinte, as reações adversas provocadas por hipersensibilidade à Cefalexina são:

  • Erupções cutâneas, urticária;
  • Angioedema (inchaço indolor sob a pele);
  • Eritema multiforme (reação imunológico que ocorre raramente);
  • Síndrome de Stevens-Johnson e Necrólise tóxica epidérmica (manifestações raras);
  • Anafilaxia;
  • Coceira (anal e genital), monilíase genital, vaginite e corrimento vaginal;
  • Tonturas, fadiga, dor de cabeça;
  • Agitação, confusão, alucinações;
  • Artralgia (dor nas juntas);
  • Artrite e doenças articulares;
  • Nefrite intersticial reversível (processo inflamatório renal raro);
  • Eosinofilia, neutropenia, trombocitopenia, anemia hemolítica e elevações moderadas da transaminase glutâmico-oxalacética no soro (TGO) e transaminase glutâmico-pirúvica no soro (TGP).

Caso o paciente sinta outras alterações durante ou após o tratamento com Cefalexina, deve-se procurar um(a) médico(a), a fim de diagnosticar se o distúrbio está (ou não) relacionado com o uso desse medicamento.

Quais as contraindicações? 

De acordo com as informações contidas na bula do medicamento, a Cefalexina não é indicada para pessoas que já apresentaram alguma sensibilidade a penicilinas, derivados da penicilina, penicilamina ou a outras cefalosporinas.

Também não deve ser administrada em pacientes com sensibilidade ou alergia a algum componente da fórmula, especialmente no caso da versão em gotas — visto que algumas pessoas podem ter reação ao corante.

Pode usar na gravidez?

A substância medicamentosa Cefalexina é classificada na categoria B de risco em casos de gravidez, o que significa que o remédio não foi suficientemente testado em gestantes. Dessa forma, constata-se a ausência de estudos que atestem a segurança do uso nessa população.

Por isso, essa medicação só deve ser utilizada a partir de análise e orientação médica, considerando que seu uso indevido pode causar danos à saúde da mãe e do bebê.

Qual o preço e onde comprar?

Os remédios que contêm a Cefalexina como princípio ativo podem ser comprados em qualquer farmácia. Entretanto, é necessária a prescrição médica, uma vez que a receita é obrigatória para a venda de antibióticos. 

Além disso, é possível pesquisar o preço em plataformas como o Consulta Remédios, que compara o valor do mesmo produto em diferentes lojas, para garantir o mais baixo. 

Na sequência, confira o preço* de algumas das opções disponíveis:

*Preços consultados em setembro de 2020. Os valores podem sofrer alterações.


O uso de antibióticos, assim como de qualquer outra medicação, deve sempre ser feito conforme as prescrições médicas. Nesse caso, a fim de evitar maiores complicações de saúde (como a resistência bacteriana) e garantir a eficácia do tratamento contra as bactérias.

Continue acompanhando o Minuto Saudável para mais informações sobre saúde!


Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.