Aquela dorzinha no ombro, no pulso ou no quadril, que está lá há mais de uma semana, é bem chata.

Pode ser uma tendinite, um tendão inflamado. É importante que você trate tendinites adequadamente, já que, caso contrário, ela pode causar problemas como o rompimento do tendão.

Leia o texto para aprender mais sobre a tendinite!

Índice – neste artigo você vai encontrar as seguintes informações:

  1. O que é tendinite?
  2. Tendinite e bursite: qual a diferença?
  3. Tipos de tendinite
  4. Quais as mais comuns?
  5. LER e tendinite
  6. Causas: o que provoca a tendinite?
  7. Fatores de risco
  8. Sintomas da tendinite
  9. Como é feito o diagnóstico da tendinite?
  10. Tendinite tem cura?
  11. Qual o tratamento da tendinite?
  12. Medicamentos: qual remédio é usado para tendinite?
  13. Tratamento caseiro
  14. Quanto tempo para melhorar a tendinite?
  15. Exercícios para tendinite
  16. Prognóstico da tendinite
  17. Complicações da tendinite
  18. Como prevenir tendinite?

O que é tendinite?

A tendinite é uma inflamação em um tendão, um músculo estriado que conecta os outros músculos aos ossos. São eles que fazem a transferência da força muscular para o esqueleto, permitindo que haja movimento do corpo.

Os tendões são estruturas rígidas mas flexíveis, entretanto não têm muita elasticidade. Isso faz com que os danos sejam comuns.

Qualquer um deles pode ser afetado, mas os mais comuns são aqueles conectados à articulações (joelhos, cotovelos, ombros, quadris, pés, tornozelos), já que eles se movem com mais frequência.


O processo inflamatório é uma reação do corpo a infecções ou (como na maioria dos casos de tendinite) lesões. É o método do corpo de levar mais nutrientes e células imunológicas para a região, garantindo a recuperação.

Durante a inflamação, a região fica quente e dolorida até que tudo esteja recuperado.

As tendinites podem ter inúmeras causas, como esforço exagerado, infecções e traumas. Trazem como resultado dores, desconforto e dificuldades de movimento. Quando ignoradas, podem causar sérios problemas como o rompimento do tendão afetado.

Tendinite e bursite: qual a diferença?

A diferença da tendinite e da bursite é o tipo do tecido afetado.

Enquanto a tendinite é uma inflamação dos tendões, a bursite é a inflamação da bursa, uma pequena bolsa cheia de líquido sinovial que fica nas articulações e reduz o atrito do osso com os tendões e músculos.

A lubrificação do líquido sinovial é essencial para que o movimento articular aconteça sem dores, mas quando a bursa está inflamada, a dor acontece.

Entretanto, a bursite não deve ser confundida com a tendinite. São duas condições diferentes.

Tipos de tendinite

As tendinites podem ser divididas em 4 tipos, que variam de acordo com a região do tendão que é afetada. São eles:

  • Entesite: afeta a estrutura central do tendão;
  • Tenossinovite: a região inflamada é a bainha sinovial tendínea. Esta é uma estrutura que fica ao redor do tendão, protegendo-o, como uma bainha;
  • Peritendinite: a inflamação afeta a região onde o tendão se conecta ao músculo;
  • Tendinite ossificante: apresenta deposição de cristais que se solidificam no tendão, causando a inflamação.

Quais as mais comuns?

Existem inúmeras variações diferentes de tendinite, já que cada várias regiões podem ser afetadas. Não listamos todas aqui, mas algumas das mais comuns são:

Síndrome de Quervain

É um tipo de tendinite que afeta o tendão do polegar, frequentemente (assim como grande parte das tendinites) causada por movimentos repetitivos. É um tipo de LER.

Síndrome do túnel do carpo

O túnel do carpo é uma abertura anatômica que fica no punho, entre a mão e o antebraço, e é por onde nervos e tendões passam.

Esta síndrome se refere à compressão de um dos nervos, o mediano.

Pelo mesmo túnel passam os tendões flexores, responsáveis pelo movimento dos dedos e, por isso, eles podem ser afetados pela inflamação causada pela síndrome do túnel do carpo, ocasionando tendinite na região.

Tendinite do calcâneo ou de Aquiles

Este tipo de tendinite afeta o tendão de Aquiles, aquele do lado de trás do calcanhar, onde supostamente o herói espartano, cujo único ponto vulnerável era o calcanhar, foi atingido por uma flecha envenenada que o matou.

É um local onde a tendinite frequentemente afeta e, assim como os outros, exige repouso e medicação para o tratamento.

O código no CID-10 deste tipo de tendinite é M76.6.

Tendinite patelar (no joelho)

A tendinite patelar é aquela que afeta os tendões dos joelhos, que ajudam os músculos a estender as pernas e que conectam a tíbia (o osso da frente da perna) à patela (o osso do joelho).

Costuma afetar atletas, em especial aqueles cujo esporte envolve saltos, como vôlei ou basquete.

Este tipo de tendinite tem como código no CID-10 o M76.5.

Tendinite no ombro

Os ombros possuem três tendões diferentes. O tendão supra espinhoso, o subescapular e o do bíceps.

Esses são os tendões responsáveis pelo movimento dos braços e do ombro nos três ângulos em que é possível movê-lo (para frente e para trás, para um lado e para o outro, para cima e para baixo).

Tendinite de quadril

A tendinite do quadril pode afetar corredores e costuma ser causada por esforço repetitivo.

Afeta os tendões que conectam músculos das pernas ao quadril e pode causar rigidez que impede a pessoa de correr e, às vezes, até de andar de maneira confortável.

Tendinite calcária

Este tipo de tendinite acontece devido a depósitos de cristais de cálcio no tendão, frequentemente nos ombros.

Não se sabe a causa dessa deposição. Ela acontece de maneira lenta e gradual, podendo causar desconforto e normalmente se cura sozinha, da mesma forma que qualquer outra tendinite.

O cálcio é absorvido de maneira parcial ou total, mas em alguns casos isso pode demorar a acontecer, causando dor e incômodo.

No CID-10, o código deste tipo de tendinite é M75.3 quando afeta o ombro e M65.2 em outros lugares.

Tendinite na mão

As mãos abrigam diversos tendões, responsáveis por cada um dos movimentos dos dedos. Esses movimentos podem ser repetidos várias vezes ao dia em um ambiente de escritório, por exemplo, ou com jogos.

Por isso, as mãos são partes do corpo bastante afetadas pela tendinite, que se manifesta com dor e desconforto.

Tendinite no pé

Os pés, assim como as mãos, possuem vários tendões responsáveis por seus movimentos. Apesar de tendinites neles não serem tão comuns quanto nas mãos, também podem acontecer, causando os problemas comuns da doença.

Tendinite no pulso

Da mesma forma que o trabalho com computadores — frequentemente em escritórios — pode causar tendinite nos dedos e nas mãos, o pulso também pode ser afetado. Os tendões inflamados causam os sintomas clássicos da doença: dor, desconforto, calor, vermelhidão, e outros.

Outras tendinites

Existem diversas outras possíveis localizações para as tendinites. Atrás dos joelhos, nas costas, virilha, onde quer que haja um tendão, é possível inflamar.

As inflamações podem ser causadas por diversas situações e variam de caso para caso. Portanto, é importante cuidar de seu corpo e ir ao médico caso haja dores nos tendões, para evitar danos mais severos causados pela condição.

LER e tendinite

Essa condição não é exatamente um tipo de tendinite, já que não afeta exclusivamente os tendões, mas também músculos e nervos. Mas os tendões também são afetados, o que coloca a tendinite — quando causada por esforço repetitivo — como um tipo de LER.

A LER, ou Lesão por Esforço Repetitivo, é uma lesão comum no ambiente de trabalho.

É causada por movimentos repetitivos e afeta principalmente (mas não exclusivamente) os membros superiores. Ombros, pulsos e dedos são grandes vítimas da inflamação causada pela LER. (Pequena curiosidade: Sabia que seus dedos não têm músculos, apenas tendões?).

Causas: o que provoca a tendinite?

A tendinite pode ser causada por diversas situações que como o esforço exagerado, passando por postura inadequada e doenças que afetam os tendões. Traumas e infecções também podem ser responsáveis pela condição, além de diversas outras causas capazes de afetar estas estruturas.

Algumas das causas da tendinite são:

Esforço repetitivo

O esforço repetitivo é uma das principais causas da tendinite. Forçar os tendões da mesma maneira por meses ou, às vezes, até anos pode causar danos neles, o que por sua vez leva a inflamações.

A LER é uma condição frequentemente associada a trabalho de escritório, pois os tendões dos dedos podem ser afetados pela digitação e o uso do mouse e os dos pulsos, pela posição que as mãos ficam ao usar o teclado.

Esforço exagerado

Exagerar no esforço também pode causar danos que evoluem a inflamações nos tendões. Corridas, saltos, flexões, erguer ou segurar pesos de maneira que forcem as fibras dos tendões pode causar o problema, especialmente quando não há repouso nem alongamentos.

Leia mais: Rabdomiólise: necrose muscular devido ao estresse

Má postura

A má postura pode forçar os tendões das costas, mas existem diversas posições que podem forçar outros menos relacionados com a posição em que ficamos.

Por exemplo, deitar-se apoiado no cotovelo enquanto se lê ou se mexe no celular pode forçar o ombro. Qualquer posição que posicionei seu corpo de maneira pouco natural pode causar a tendinite.

Doenças imunológicas

Certas doenças autoimunes podem causar inflamações espontâneas nos tendões. Isso causa uma tendinite como consequência da doença.

Doenças reumatológicas

Doenças reumatológicas, como as artrites, podem causar problemas nos tendões, criando dores e inflamações.

Traumas

Da mesma maneira que impactos podem machucar os músculos e ossos, também podem causar danos nos tendões, que, durante a recuperação, podem desenvolver inflamações.

Infecções

Infecções podem causar inflamações intensas. Caso alguém tenha os tendões afetados por bactérias, o sistema imunológico irá atacá-las para tentar curar a infecção. Dependendo de quão resistentes as bactérias sejam, a inflamação pode ser forte e causar sérios problemas.

Fatores de risco

A maioria das pessoas, em algum ponto da vida, irá sentir uma dor no tendão causada por inflamação. É uma condição comum.

Entretanto, algumas pessoas podem apresentar tendinite com mais facilidade, frequência e intensidade.

Os principais grupos e fatores de risco para a tendinite são:

Atletas

O esforço ocasionado pelos treinos constantes de atletas frequentemente levam à tendinite, que varia de região de acordo com o esporte.

Corredores podem ter a inflamação no quadril. Jogadores de vôlei e basquete, nos joelhos, enquanto nadadores e arremessadores de peso tendem a sentir os ombros.

Lesões ocasionadas pelos esportes também podem levar à condição. No futebol, um carrinho que atinja o tendão de aquiles, por exemplo, pode danificá-lo e causar a tendinite.

Estresse

O estresse aumenta as chances de você desenvolver inflamações no corpo já que ele aumenta os níveis de adrenalina (hormônio que aumenta as respostas do corpo ao estresse) no sangue.

Normalmente, o corpo libera cortisol (hormônio do estresse com efeito anti-inflamatório) junto da adrenalina, o que evita inflamações causadas pela tensão muscular que a substância causa.

Entretanto, quando o estresse é constante, o efeito contrário não é o bastante e inflamações podem aparecer.

A tensão muscular também pode fazer com que os tendões fiquem mais tensionados, um esforço desnecessário e que pode causar danos. Por consequência, a tendinite pode surgir.

Leia mais: Como controlar a ansiedade? 14 dicas para evitar crises

Sintomas da tendinite

A inflamação dos tendões pode trazer alguns sintomas incômodos que podem indicar a condição. São eles:

Dor

A região do tendão afetado fica dolorida, especialmente quando movimentos são realizados. Essa dor costuma irradiar para o membro afetado. Por exemplo, se a tendinite é no ombro, a dor pode se espalhar para o braço.

Essa dor se deve à utilização de um tendão inflamado. Ele fica inchado e enrijecido, o que faz com que, se movimentado, a dor apareça.

Vermelhidão

Vermelhidão leve é comum nos casos de tendinite. A área afetada pode ficar quente e avermelhada, mas é importante tomar cuidado com esse sintoma.

Se a vermelhidão for muito forte, é possível que o dano seja sério e a pessoa deve ir ao hospital.

Calor

A palavra “inflamação” vem do latim “inflammatio”, ou seja, incendiar, atear fogo.

Inflamações são acompanhadas por calor no tecido afetado, que é uma reação imunitária que ajuda a eliminar possíveis bactérias que não conseguem sobreviver em temperaturas mais elevadas.

Inchaço

Da mesma forma que a vermelhidão, a tendinite pode causar inchaço leve. Porém, se  for grande, pode haver dano nas estruturas musculares da região e o médico deve ser consultado.

Dificuldade de movimento

Um dos principais sintomas da tendinite é a dificuldade de movimentação. O tendão é uma das principais estruturas relacionadas ao movimento e, quando está danificado e inflamado, pode ter dificuldade ou até impossibilidade de cumprir sua função.

Pode haver dificuldade em levantar a perna ou o braço, acompanhada de sensação de fraqueza na região em certas posições.

Como é feito o diagnóstico da tendinite?

O diagnóstico da tendinite pode ser feito de algumas formas, mas o exame físico costuma ser o principal, normalmente realizado pelo clínico geral, pelo ortopedista ou pelo fisioterapeuta.

Exame físico

O exame físico é o principal exame para diagnóstico da tendinite.

O médico observa a maneira como a parte do corpo afetada pelos sintomas se move, onde e como dói, e através dessas observações, além do toque, pode distinguir se a região acometida é o osso, músculo, nervo ou tendão.

Quando confirmado que é o tendão, o diagnóstico de tendinite pode ser dado. Entretanto, alguns exames complementares podem ser pedidos para identificar possíveis causas ou avaliar a extensão da inflamação ou dos danos.

Ultrassonografia

A ultrassonografia usa ondas de som para montar uma imagem da região afetada. As imagens são pouco detalhadas, mas esse exame é barato e simples, além de ter a capacidade de fornecer informações que o exame físico sozinho não consegue.

Ressonância magnética

A ressonância magnética oferece imagens mais claras e detalhadas da região afetada, mas é necessária a utilização de material radioativo para que as imagens surjam com clareza, além de ser um exame caro.

Raramente as informações dadas por uma ressonância magnética são necessárias para o diagnóstico tratamento de uma simples tendinite quando não existem suspeitas de qualquer condição mais perigosa.

Raio-X

O raio-X não costuma ser utilizado para a identificação de tendinite porque os tendões não aparecem nesse exame. Entretanto, ele pode mostrar quando existe acúmulo de cálcio em um tendão, evidenciando uma possível tendinite calcária.

Tendinite tem cura?

Desde que a causa tenha cura, sim. Em alguns casos, a tendinite é apenas um sintoma de uma condição mais séria, como uma doença autoimune, assim, só o que é possível é tratar a inflamação, mas nesses casos ela tende a reaparecer eventualmente.

Entretanto, quando a causa da tendinite é apenas esforço exagerado ou executado de maneira incorreta, a cura é simples e a prevenção também.

Qual o tratamento da tendinite?

O principal tratamento para a tendinite é o repouso, mas alguns medicamentos também podem ajudar com a inflamação, reduzindo a intensidade dos sintomas até que a condição passe.

Em alguns casos, outros tratamentos podem ser necessários.

Repouso

O repouso é o principal método de tratamento da tendinite. A inflamação nada mais é do que um esforço de seu sistema imunológico para consertar o que foi danificado ou eliminar infecções. Dar o tempo necessário para que esses reparos sejam feitos resolve a situação.

Evitar ao máximo usar o tendão afetado é a melhor solução. O mínimo recomendado é 3 dias, mas 5 dias de repouso podem ser necessários para uma recuperação completa.

Depois disso, a prevenção se torna chave para evitar que a tendinite retorne por causa da mesma situação.

Anti-inflamatórios

Medicamentos anti-inflamatórios são usados no tratamento da tendinite para reduzir a inflamação e, por consequência, os sintomas.

Nem sempre são necessários, já que o corpo costuma ser capaz de lidar com a inflamação com facilidade, mas nos casos mais severos, os medicamentos ajudam bastante.

Leia mais: Grávida pode tomar paracetamol? Saiba a dosagem e riscos

Crioterapia

A crioterapia é a aplicação de gelo. Ela aumenta a vasoconstrição, que contrai os vasos sanguíneos, reduzindo o fluxo na região.

Isso reduz a inflamação e serve para casos agudos (que não são frequentes) causados, por exemplo, por traumas.

A aplicação de gelo deve ser feita por no máximo 30 minutos para evitar danos pelo frio, de 4 a 6 vezes por dia. Lembre-se de não aplicar o gelo diretamente sobre a pele. Use um pano.

Cirurgia

Quando a tendinite é ignorada e o esforço continua sendo aplicado a um tendão específico, é possível que ele se rompa.

Quando o rompimento é apenas parcial, o repouso acompanhado de imobilização pode bastar, mas se é total (o tendão se rompe por completo) o tratamento para isso é a cirurgia.

A cirurgia para o tendão rompido visa reconectar as fibras, possibilitando assim a recuperação.

O método cirúrgico também pode ser utilizado nos casos de tendinite calcária, para a remoção do depósito de cálcio. Normalmente não é necessário, mas é uma opção.

A operação deve ser feita nos casos em que o tratamento de repouso não é eficaz e nos casos em que há rompimento total do tendão.

Fisioterapia

A fisioterapia pode ser necessária caso os danos aos tendões sejam graves.

O tratamento fisioterápico pode ajudar o paciente a recuperar os movimentos nos casos de rompimento do tendão — parcial ou total — ou quando os músculos atrofiam devido a longos períodos sem exercício.

Utiliza-se técnicas de alongamento e fortalecimento muscular, o que ajuda a acelerar a cura do paciente, além de prevenir repetições da tendinite ou de suas causas.

A prática da fisioterapia é importante. Um erro frequente é que pacientes usem apenas anti-inflamatórios que são interrompidos após o fim dos sintomas.

Isso pode resolver o caso agudo, mas nesses casos a tendinite costuma voltar depois de algum tempo, às vezes mais forte e intensa do que anteriormente.

Fisioterapia também pode evitar a evolução da tendinite para uma tendinite crônica ou uma tendinose, que frequentemente leva ao rompimento do tendão.

Medicamentos: qual remédio é usado para tendinite?

Os medicamentos para tendinite são os anti-inflamatórios (como os corticoides), para reduzir a inflamação, e os analgésicos, que diminuem a dor. Frequentemente o mesmo medicamento tem ambos os efeitos. Os principais utilizados são:

Analgésicos

Corticoides

Atenção!

NUNCA se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico. Somente ele poderá dizer qual medicamento, dosagem e duração do tratamento é o mais indicado para o seu caso em específico. As informações contidas neste site têm apenas a intenção de informar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um especialista ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Siga sempre as instruções da bula e, se os sintomas persistirem, procure orientação médica ou farmacêutica.

Tratamento caseiro

Você pode realizar alguns tratamentos caseiros em conjunto com o tratamento médico para ajudar a resolver a tendinite. Certos alimentos têm propriedades anti-inflamatórias e podem ajudar a recuperação.

Chá de gengibre

O chá de gengibre ajuda a reduzir as inflamações. Para fazê-lo, basta ferver 500mL de água com um pedaço pequeno de gengibre mergulhado dentro dela.

Você também pode usar o gengibre como tempero para alimentos.

Compressa de alecrim

Amasse folhas de alecrim, misture-as em uma colher de azeite e então use uma gaze para fazer uma compressa no local da tendinite para reduzir a inflamação. Deixe assim por alguns minutos.

Quanto tempo para melhorar a tendinite?

A tendinite, nos casos mais leves, leva de 1 a 3 semanas para a recuperação total. Nos casos em que o tendão está muito danificado, pode levar até 10 semanas e quando a tendinite se torna crônica, o tratamento pode durar de 3 a 9 meses, dependendo do avanço da doença e da qualidade do repouso.

Exercícios para tendinite

O principal exercício recomendado para a prevenção da tendinite é o alongamento. Ele prepara os tendões para o esforço e previne a condição. Você deve alongar seus músculos antes de qualquer exercício físico.

É importante lembrar que exercícios para o tratamento da tendinite só devem ser recomendados por fisioterapeutas, já que só o profissional sabe exatamente como exercitar o tendão sem causar mais danos.

Prognóstico da tendinite

O prognóstico da tendinite costuma ser positivo. O repouso é o principal tratamento e normalmente resulta na recuperação completa do tendão, que pode voltar a ser utilizado depois de alguns dias.

A tendinite pode levar de 1 a 3 semanas para se curar quando é causada por sobrecargas do tendão. Entretanto, pode levar mais tempo, dependendo de diversos fatores como a qualidade do repouso, do estado do tendão e do avanço da doença, podendo levar até meses.

Complicações da tendinite

Não existem muitas complicações para a tendinite, mas é importante lembrar que não tratar a condição pode trazer consequências graves.

Tendinite crônica

A tendinite pode se tornar crônica quando não tratada. Os mecanismos de inflamação podem começar antes da recuperação de um processo inflamatório anterior, não permitindo a melhora do tendão.

Nesses casos, o tratamento da causa é necessário para que a condição seja aliviada.

Tendinose

A tendinose é uma evolução de uma tendinite não tratada. Nesse estado, o tendão está se degenerando e próximo de se romper por causa da inflamação e do esforço.

É essencial que haja repouso e tratamento fisioterápico para evitar danos severos que podem exigir uma cirurgia para a recuperação.

Rompimento do tendão

A tendinite, se ignorada, pode levar ao rompimento do tendão. Isso acontece principalmente quando atletas continuam se esforçando apesar da dor, mas isso pode acontecer mesmo sem a prática esportiva.

Se tiver dores no tendão, repouso é essencial para evitar danos mais graves. O rompimento do tendão pode exigir cirurgia.

Como prevenir tendinite?

Prevenir a tendinite é a melhor maneira de evitar o problema. Alguns dos hábitos que você pode ter para evitar a condição são:

Alongamentos

Especialmente antes de qualquer exercício físico, o alongamento permite que seu corpo se prepare para os esforços e protege seus tendões da tendinite, além, é claro, de outros danos que podem afetar as diversas estruturas do corpo como músculos e articulações.

Descanso

Descansar é o que permite que seus membros, músculos e tendões se recuperem de exercícios. Para cada sessão de treino, é importante descansar um pouco para que tudo se recupere e você não sofra danos por cansaço.

Mesmo que você não pratique exercícios, descansar é importante já que o estresse também aumenta as chances de desenvolver inflamações.

Exercícios

A prática de exercícios físicos deixa o corpo melhor condicionado para esforços que possam vir a ser necessários. Isso fortalece todas as partes do seu corpo, incluindo os tendões, que, com o treino, passam a ficar mais resistentes.

Postura

A postura inadequada ao sentar, deitar ou dirigir são alguns dos principais motivos pelos quais as pessoas desenvolvem tendinite. Lembre-se de manter a coluna ereta e o corpo na posição correta no decorrer do dia.


A tendinite é uma inflamação em qualquer um dos tendões do corpo, que é cheio deles.

Pode causar dor e dificuldades de movimento, e o tratamento costuma envolver o repouso para a recuperação do tendão afetado.

Compartilhe com seus amigos para que eles aprendam um pouco sobre a tendinite!


Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.

Participe da discussão

21 comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

  1. Boa noite!
    Eu estou com umas dores no cotovelo e no ombro,umas dores insuportaveis as vezes ate incha tem hora que da uma queimança no braço um ardor insuportavel ,sera que isso pode ser tendiniti?

    1. Olá Jaqueline,

      Pedimos desculpas por não poder dar conselho médico ou responder a questões médicas e farmacêuticas individuais, pois somos impossibilitados pela ANVISA de prestar tal atendimento. Sendo assim, não podemos dizer se o seu caso se trata de uma tendinite ou não.

      Existem diversas condições que afetam as articulações, com sintomas bem parecidos com os que você citou. Por isso, seria bom você procurar um médico e realizar os exames que ele passar para que ele possa dizer se o teu caso é tendinite ou outro problema.

  2. ola, boa noite
    eu estou sentindo dores fortes no pulso . pode ser tendinite …

    1. Olá Samara,

      Dores no pulso é um sintoma muito amplo e pode indicar uma vasta gama de diferentes problemas. Recomenda-se, então, buscar ajuda médica o mais rápido possível.

  3. Muito bom saber como age.mas esqueceram de colocar os agricultores na lista dos profissionais que tem tendinites,pequeno agricultor,quase que geral.

    1. Olá Tatiana!

      Você tem razão, agricultores também têm mais chances de sofrer uma tendinite. Acrescentamos essa informação no texto. Obrigada pelo comentário!

  4. Eu desenvolvi esse problema nos dois ombros após uns 7 anos de trabalho sou serviços gerais do município mas ta difícil o tratamento, tenho medo de ficar com sequelas e pra completar tenho burcite também no esquerdo

    1. Estou à procura de soluções para tendinite mas busco processos naturais

  5. Olá fiz exame e o resultado é tendinopatia e o médico passou francox e não está resolvendo.o que faço??

    1. Olá Helaine!

      Medicamentos anti-inflamatórios como o Francox, no geral, têm efeitos colaterais gastrointestinais potentes e isso pode levar o médico a iniciar o tratamento com uma dose mais baixa. Além disso, dores crônicas podem ser difíceis de resolver de imediato. Portanto, é importante que você consulte novamente seu médico e relate a experiência para que, se necessário, ele faça alterações na medicação e/ou dosagem.

      Lembre-se que automedicar-se pode trazer sérias complicações para sua saúde.

  6. Sofro muito com a tendinite.tenho nos dois pulsos foi bem completo essa informação que li.vai ser bem útil para mim.tem planta que nem conheço.. muito obrigado

  7. Tenho uma tendinose no tendao tibial posterior. Tomei corticoide injetavel,antiinflamatorio,mas ainda sinto dores. Qual é acura?

    1. Olá, Ana.
      A tendinose precisa de uma avaliação médica e fisioterápica. Podem ser receitados medicamentos para aliviar as dores e inflamações, que diminuem gradualmente. É importante ressaltar que a condição pode apresentar algumas dores mais prolongadas e, por isso, a fisioterapia é fundamental para auxiliar no alívio do desconforto e melhorar a movimentação da região afetada.

  8. Faz mais ou menos umas 3 semanas que estou sentindo umas dores nas pernas e pontadas sentindo a perna pesada e fraqueza nas pernas

  9. Boa noite a uma semana comecei a sentir uma queimação no pulso direito pode ser tendinite?

    1. Olá, Sonia.
      É preciso haver uma avaliação médica para confirmar o quadro de tendinite.
      Em geral, outros sintomas surgem na tendinite, como a vermelhidão e redução de movimentos.
      Mas somente um(a) profissional poderá auxiliar no diagnóstico.

  10. Olá já faz um tempo que venho sentindo dores no braço direito e esquerdo e no pulso as vezes as coisas as cai da minha mão e as pernas doem e incham e a dor vai até meus pés quando ando sinto dor em baixo do pé o que pode ser?

  11. ALONGUEI MEU TENDAO NA ACADEMIA ESTOU COM GESSO POIS A DOR CHEGOU NO ANTEBRAÇO POR QUANTOS DIAS CONTINUO COM O GESSO?

  12. ja faz um ano que venho tratando a tendinite na mão com Reuquinol 400, receitado por uma Reumato, e caso pare com o anti inflatório mau consigo mexer os dedos, (Nimisulida), porém vem piorando, aceito sugestões…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *