A hepatite C é uma doença que gera grandes impactos, tanto nas questões de saúde pública quanto na vida do(a) paciente. Ela está entre as causas da doença hepática, sobretudo se a pessoa infectada for portadora de HIV em terapia antirretroviral. 

Estimativas do Ministérios da Saúde de 2019 indicam que cerca de 1 milhão de pessoam tenham contraído o vírus da Hepatite C. Destas, aproximadamente 675 mil apresentem o vírus circulante no sangue.

E muitas dessas pessoas não foram diagnosticadas. Isso porque nem sempre há sintomas ou eles são muito brandos e se desenvolvem lentamente. 

Os tratamentos para a infecção têm o objetivo de erradicar o vírus e, de acordo com o Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Hepatite C e Coinfecções, as opções medicamentosas podem incluir o uso de comprimidos ou injeções. Entre elas, a Sofosbuvir.

O que é Sofosbuvir?

Sofosbuvir é um princípio ativo que inibe a atuação do vírus da hepatite C. A substância tem alta atividade antiviral contra todos os genótipos do vírus. 

Lançado em 2013, o medicamento entrou para a listagem ofertada pelo SUS em 2015 (na combinação sofosbuvir/daclatasvir), isso devido à sua eficácia, menor taxa de efeitos colaterais e menor duração do tratamento. 

Ele é considerado um medicamento de Ação Direta (DAAs) de segunda geração — ou seja, mais moderno.

Mais recentemente, em 2018, estudos preliminares indicaram que o sofosbuvir pode ser eficaz contra os danos do vírus da zika, infecção transmitida pelo mosquito aedes aegypti. 


Assim como no combate à Hepatite C, o remédio inibe a replicação viral, protegendo as células da morte provocada pela infecção, logo que há uma semelhança entre os vírus das doenças. No entanto, o medicamento ainda não é empregado como tratamento.

Para que serve?

O sofosbuvir é indicado para o tratamento das infecções virais do tipo 1, 2 ou 3 do HCV, incluindo os casos de pacientes com coinfecção hepatite C e HIV-1. Ou seja, é importante saber que apesar de a hepatite C ser uma única doença, há pequenas variações no vírus.

Assim, a substância ativa é administrada em conjunto com outros medicamentos, geralmente em um único comprimido (Sofosbuvir/Velpatasvir, Sofosbuvir/Ledipasvir ou Sofosbuvir/Daclatasvir) ou associados à riboflavina.

O que é hepatite C?

Hepatite C

A hepatite C é uma inflamação do fígado, causada pelo vírus HCV. A transmissão ocorre por meio, sobretudo, de transfusão de sangue, uso compartilhado de materiais perfurantes (agulhas, alicates de cutícula, máquinas de tatuagem).

Mais raramente, ocorre por transmissão vertical (de mãe para o bebê, durante a gravidez) e por sexo desprotegido.

Os sintomas nem sempre são comuns e, geralmente, brandos. A progressão da doença é lenta, fazendo com que possa levar tempo até que algumas manifestações sejam percebidas. Entre elas, dor, alteração na cor da urina, náuseas, enjoos, fadiga e amarelamento da pele e olhos.

Qual o mecanismo de ação do sofosbuvir?

Após ingerido, o sofosbuvir é absorvido e tem o pico de concentração plasmática entre 30 minutos e 2 horas. A substância é metabolizada no fígado, inibindo a replicação viral.

Para isso, a substância, após o metabolismo, forma um análogo farmacologicamente ativo da uridina trifosfato (GS-461203).

Isso inibe a multiplicação viral, até que o HCV seja eliminado do organismo.

A anvisa aprovou o genérico?

Sim! O sofosbuvir foi aprovado em 2013 nos Estados Unidos, chegando ao Brasil em 2015 ainda pela patente da indústria farmacêutica Gilead. 

Mas em maio de 2018, a ANVISA publicou o registro do medicamento genérico Sofosbuvir, que reduz significativamente os custos do tratamento e facilita o acesso da população.

A atualização do Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Hepatite C e Coinfecções, de 2018, incluiu a orientação terapêutica da combinação velpatasvir/sofosbuvir, recém aprovado pela ANVISA.

O Sofosbuvir é fornecido pelo SUS?

Sim. Em outubro de 2018, o Ministério da Saúde publicou uma nota indicando que a combinação sofosbuvir e velpatasvir foi incorporada no SUS. A distribuição é de acordo com o estado clínico do(a) paciente. 

Qual o preço e onde comprar?

Atualmente, existem opções com o sofosbuvir isolado ou combinado em outras substâncias necessárias ao tratamento. No entanto, segundo a bula, o tratamento único, ou seja, não combinado com outros remédios, não é orientado para o tratamento de nenhuma condição.

Por isso, a escolha de combinações medicamentosas ou coterapias deve ser feita a partir do estado clínico e genótipo do vírus.

Os medicamentos podem ser encontrados em farmácias e no Sistema Únicos de Saúde (SUS), além da solicitação judicial. Para saber como funciona, pacientes podem contar com o serviço personalizado de Assessoria em cotações de medicamentos de alto custo. Basta acessar o link para receber um orçamento do Sofosbuvir.

Sofosbuvir isolado

Entre as opções da substância ativa isolada há o Sovaldi (preço médio de R$63.500*) e o genérico Sofosbuvir Blanver (preço médio de R$46.200).

Sofosbuvir/Velpatasvir

A combinação de velpatasvir e sofosbuvir demonstra boa eficácia no combate à hepatite C. Em um único comprimido, a pessoa realiza o tratamento que, em alguns casos, pode ser associado ao uso de riboflavina. 

A combinação velpatasvir e sofosbuvir é considerada pangenotípicas, ou seja, adequada para todos os genótipos, com ou sem cirrose associada.

Entre as opções está a Epclusa, com valor médio de R$35.106*.

Sofosbuvir/Ledipasvir

Indicada para o tratamento da Hepatite C Crônica (HCC) genótipo 1 em adulto, a combinação Sofosbuvir e Ledipasvir é comercializada pelo nome Harvoni, com preço médio de R$67.000*.

* Preços consultados em outubro de 2019. Os valores podem sofrer alteração.

Quais os efeitos colaterais?

O sofosbuvir pode causar reações adversas, como fadiga, cefaleia, náusea, insônia, erupções cutâneas, alterações do apetite, diarreia, irritabilidade, calafrios e reações dermatológicas (como coceira na pele). 

Também pode ocorrer alterações laboratoriais, como:

  • Baixa concentração de glóbulos vermelhos (anemia);
  • Baixa concentração de glóbulos brancos (neutropénia);
  • Baixa concentração de plaquetas;
  • Elevação das taxas de bilirrubina (relacionada à função do fígado), creatina quinase (relacionada aos danos musculares, incluindo os músculos cardíacos), lipase (enzima pancreática).

Contraindicações 

Todos os casos de hepatite C devem ser avaliados pela equipe médica, visando o melhor tratamento. Mulheres grávidas e que estão amamentando são contraindicadas ao tratamento com Sofosbuvir. Menores de 18 anos, crianças e pessoas que fazem uso de outros medicamentos devem receber orientação médica específica.


O tratamento da hepatite C tem evoluído bastante, demonstrando bons resultados e melhorias na vida de pacientes.

O Sofosbuvir é um medicamento que está há pouco tempo sendo comercializado, mas demonstra um potencial de melhora bastante significativo.

Quer saber mais sobre tratamentos e remédios? Fique de olho no Minuto Saudável!


Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.