Nem sempre as doenças trazem sintomas característicos do problema. As Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs) são algumas delas. Odor, secreção e outros incômodos são alguns desses sinais, que podem surgir e não aparentar ser algo grave.

De acordo com dados do Ministério da Saúde, cerca de 10 milhões de pessoas em todo o Brasil já apresentaram algum sintoma de uma Doença Sexualmente Transmissível (DST) e aproximadamente 29% não buscaram ajuda médica.

As DTSs (HIV, gonorreia, herpes, clamídia, tricomoníase, hepatites virais, sífilis, HPV, entre outras) são uma série de doenças transmitidas pelo ato sexual sem cuidados e podem se manifestar de diferentes formas.

Os sintomas de algumas delas podem desaparecer espontaneamente, entretanto, a doença continua presente no organismo, como no caso do herpes. Por isso, é importante estar atento ao surgimento de alguns problemas que podem sinalizar a presença de uma DST. São eles:

Dor

Sentir dor durante uma relação sexual não deve ser considerado algo normal em nenhuma circunstância. No caso das mulheres, esse incômodo pode ser sinal de feridas localizadas na região interna do órgão íntimo.

Corrimento

O surgimento do corrimento nem sempre indica um problema. Nas mulheres, quando ele ocorre dias antes da menstruação, é considerado normal, desde que sem nenhum odor e com aspecto claro.

Já quando intenso, recorrente e com coloração amarelada, esbranquiçada ou até esverdeada, pode ser sintoma de gonorreia.

Odor

A área íntima tem um cheiro específico, natural dessa região. Entretanto, se houver o aparecimento de odores anormais, estes devem ser investigados, pois o mau cheiro pode estar associado a infecções e outros problemas da região genital.


Verrugas na região genital

O HPV é uma das doenças que tem o aparecimento verrugas genitais como um de seus sintomas. Nesse caso, as verrugas aparecem principalmente na região íntima, tanto interna quanto externamente.

Mulheres podem nem perceber o problema, pois há a possibilidade de verrugas surgirem apenas no canal vaginal ou no colo do útero. Eis o motivo pelo qual realizar o exame papanicolau anualmente é de extrema importância.

Riscos

Pessoas com inúmeros parceiros sexuais são as mais suscetíveis a contrair DSTs, principalmente quando preservativos não são usados durante as relações sexuais.

Ir ao médico logo após o surgimento das primeiras mudanças sentidas é essencial para descobrir a causa do sintoma. Para pessoas com a vida sexual ativa e que se relacionam com múltiplos parceiros, a consulta se torna ainda mais importante.

Entretanto, para evitar preocupações, utilizar preservativos durante o ato sexual ainda é a melhor forma de prevenção contra as DSTs e, por isso, não deve deixada de lado.

Caso você tenha qualquer dúvida em relação ao uso do preservativo, dê uma olhada no artigo Como colocar camisinha masculina, feminina e os erros mais comuns.


Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *