Anelise Wickert (Minuto Saudável)
24/03/2019 09:00

É possível superar o autismo? Estudo investiga possíveis casos

Uma pesquisa revelou que algumas crianças com autismo leve superaram esse transtorno.

Mesmo assim, elas ainda podem enfrentam problemas de comunicação e comportamento (dificuldades de aprendizagem, hiperatividade e ansiedade são os mais comuns).

O que os cientistas ainda não sabem é porque essas crianças estão conseguindo superar o Transtorno do Espectro Autista (TEA).

Eles acreditam que a terapia precoce ajudou no desenvolvimento da linguagem e dos comportamentos.

Para os pesquisadores, o autismo ainda continua sem cura. Mas esse estudo pode influenciar outras pesquisas, já que, conforme os resultados, os graus mais severos de autismo podem ser revertidos.

Alguns médicos levantam a hipótese de que algumas dessas crianças nunca tiveram o transtorno e que teriam recebido diagnosticados errados.

O grupo que defende esse ponto de vista, argumenta que o autismo pode se assemelhar a outras condições, principalmente se a criança é muito pequena para conclusões mais exatas.

Para o estudo, participaram pessoas que receberam o diagnóstico entre 2003 e 2013, com grau leve do transtorno. Algumas anos depois, 38 deles não preenchiam mais os critérios diagnosticados anteriormente.

Nessa pesquisa, foram estudadas 569 crianças, diagnosticadas antes dos 3 anos de idade. Os resultados foram publicados no jornal Journal of Child Neurology.

Leia mais: Música melhora a comunicação de crianças com autismo

O Transtorno do Espectro Autista (TEA)

O autismo é um transtorno que causa problemas de linguagem, de comportamento e dificuldade de socialização. De acordo com a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), 1 em cada 160 crianças tem algum grau de autismo.

O autismo não tem cura e seu diagnóstico infantil é complexo, já que envolve muitos especialistas (psicólogos, pediatras e professores). Ainda não se sabe as causas do e o que poderia prevenir o transtorno.

Há 3 níveis (nível 1, nível 2 e nível 3) da condição, sendo o primeiro mais leve, o segundo intermediário e o terceiro mais severo.

Os pais podem perceber alguns sintomas (repetição do mesmo movimento, preferência por texturas e alimentos, falta de interação) a partir dos 8 meses de idade. Em caso de dúvidas, leve a criança ao médico.


O autismo não tem cura mas tem tratamento que pode amenizar o grau do transtorno. Fique atento aos sinais e com suspeitas, leve a criança ao médico.

Fonte: Health Day

18/04/2019 15:31

Anelise Wickert (Minuto Saudável)

Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável. Confira mais na nossa página de quem somos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*