O que é Desidratação, em crianças e idosos, sintomas e tratamento

2

O que é desidratação?

Desidratação é o estado em que o corpo se encontra quando falta não apenas água, mas também líquidos corporais e sais minerais do corpo. É uma condição especialmente perigosa para crianças e idosos. Sem líquidos e sais minerais, o corpo não funciona apropriadamente e os órgãos podem falhar.

Índice – neste artigo você encontrará as seguintes informações:

  1. O que é desidratação?
  2. Tipos
  3. Causas
  4. Grupos de risco
  5. Fatores de risco
  6. Sintomas
  7. Como é feito o diagnóstico da desidratação?
  8. Desidratação tem cura?
  9. Qual o tratamento?
  10. Medicamentos para desidratação
  11. Dicas caseiras
  12. Prognóstico
  13. Complicações
  14. Como prevenir a desidratação?

Tipos

Existem três tipos distintos de desidratação. Em todos eles, existe falta de líquido e sódio, porém a diferença é a proporção de cada uma das faltas.

PUBLICIDADE

Desidratação isotônica

Crianças são as principais vítimas deste tipo de desidratação, mas mesmo em adultos, ela é o tipo mais comum da doença. Acontece quando o corpo perde água e sódio na mesma proporção, normalmente através de vômitos e diarreia.

Desidratação hipertônica

Este tipo de desidratação acontece quando a perda de água é maior do que a de sódio. Especialmente comum em diabéticos, pode ser causada por febres altas e prolongadas, suor intenso e baixa ingestão de água. A desidratação hipertônica representa de 10 a 20% dos casos de desidratação infantil.

Desidratação hipotônica

Causada por uma perda de sódio maior do que a de água, a desidratação hipotônica é incomum em adultos e idosos, mas de 10 a 15% das crianças que entram em desidratação através da diarreia são afetadas por este tipo.

Causas

O corpo perde água no decorrer de um dia e precisa repô-la para manter as células funcionando. Esta perda acontece através da fala, respiração, urina, fezes, suor, lágrimas e diversos outros meios.

Nesta água perdida podem estar diluídos sais minerais como sódio e potássio e eles também precisam ser repostos. Diversas situações podem causar a perda de água e sódio no corpo de uma pessoa e, se ela for impedida de repor estas substâncias, a desidratação se instala.

Falta de admnistração de água

Idosos e crianças são as principais vítimas desta causa, pois vários precisam de ajuda para se hidratar ou podem até mesmo esquecer de beber água. Se muito tempo se passa sem água, a perda no decorrer do dia através da urina, suor e inclusive a simples fala, podem levar a desidratação.

Suor excessivo

O suor elimina muita água para resfriar o corpo quando ele está quente devido a temperatura ou exercícios. É importante que haja reposição desta água para evitar a desidratação. No suor, também é perdido sódio que deve ser reposto.

Diarreia

Causa mais comum da desidratação, diarreia severa causa perdas enormes de líquido e sais minerais em um curto período de tempo. É frequente que as pessoas não se lembrem de se hidratar logo após ou durante uma crise de diarreia, o que pode levar a desidratação.

Vômitos

Assim como na diarreia, líquidos e sais minerais são perdidos rapidamente durante vômitos. Crianças também podem ser afetadas mais facilmente do que adultos por estas duas causas de desidratação por não terem a capacidade de se levantar e buscar um copo de água o tempo todo.

PUBLICIDADE

Febres

Febres causam perda de líquido por conta do calor excessivo no corpo, que leva a transpiração. Se este líquido não for reposto, a desidratação pode acontecer.

Micção frequente

Diversas situações podem levar a micção mais frequente. A urina é composta principalmente por água, e a cada vez que urinamos, perdemos uma grande quantidade do líquido. A frequência pode ser aumentada por condições como a diabetes, por exemplo, e existe o risco de desidratação se não houver reposição de líquido.

Diuréticos

Diuréticos são substâncias que fazem a pessoa urinar mais. Alguns medicamentos tem esse efeito e por isso devem ser acompanhados por água em abundância.

Álcool

O álcool é uma substância diurética. Ele faz com que o corpo elimine água através da urina, o que pode levar a uma desidratação. Além disso, ele também rouba nutrientes que são eliminados pelo corpo, portanto pode ser causador dos três tipos diferentes de desidratação.

Café

Assim como o álcool, o café é diurético. A água presente nele seria o suficiente para manter a pessoa hidratada, mas o exagero na ingestão de café pode causar maior eliminação de água do que a quantidade ingerida.

Grupos de risco

Todos podem sofrer com a desidratação, porém alguns grupos tem um pouco mais de facilidade. São eles.

Crianças

Crianças são um dos maiores grupos de risco pois podem se esquecer de se hidratar, além de, dependendo da idade, poderem não ter a capacidade para fazê-lo. Crianças também são mais propensas a diarreias.

PUBLICIDADE

Além disso, a proporção de água no corpo de uma criança é maior do que no de um adulto e, por isso, perdas menores podem ser mais significativas para elas.

Idosos

Idosos podem esquecer de tomar água ou ter uma doença debilitante que os impeça de fazer isso por si mesmos. Eles também têm uma perda de líquido maior do que a de uma pessoa em outras fases da vida, portanto precisam repor mais líquidos. Assim como crianças, também são mais propensos a diarreia.

Diabéticos

Pessoas com diabetes possuem um alto nível de glicose no sangue. Os rins tentam eliminar essa glicose excessiva através da urina e por isso, há maior perda de água dessa forma.

A glicose excessiva somada a falta de água pode causar a desidratação hipertônica. É importante lembrar de beber água.

Portadores de imunodeficiências

Imunodeficiências facilitam infecções. A causa mais comum para diarreia são infecções no sistema gastrointestinal e uma consequência grave disso é a desidratação através das fezes, já que durante a diarreia, as fezes são compostas em até 90% por água.

Atletas de resistência

Corridas longas, escaladas, maratonas, triatlos e qualquer atividade de resistência são um enorme esforço para o corpo, que gasta muita água. É importante que o atleta se mantenha hidratado durante as provas para evitar a desidratação, que pode ser severa quando ignorada em provas longas.

Fatores de risco

Existem, também, alguns fatores que podem colaborar com a possibilidade de uma desidratação:

Frio

Quando a temperatura está baixa, sentimos menos sede e nos hidratamos menos, mas ainda assim perdemos água através da urina, respiração e outros meios. Hidratar-se, mesmo no frio, é muito importante para evitar a desidratação.

PUBLICIDADE

Altitudes elevadas

O clima de montanha costuma ser bastante seco e frio. A temperatura pode mascarar a sede e a secura do ar aumenta a quantidade de água perdida pela respiração.

Além disso, em altitudes acima de 6000 metros acima do nível do mar, a pressão atmosférica deixa a concentração de oxigênio no ar baixa.

Por causa disso, o corpo entra em hiperventilação, fazendo com que as inspirações sejam mais rápidas e profundas, aumentando ainda mais a perda de água para o ar seco.

Trabalho ou exercício em clima quente e úmido

Ambientes úmidos demais podem impedir a evaporação do suor. Como é a evaporação que refresca o corpo, ele continua quente e sua mais, perdendo mais água. A reidratação é de extrema importância nesses ambientes.

Sintomas

A desidratação pode ser dividida em três graus diferentes de gravidade e seus sintomas e tratamentos variam entre cada grau. São eles:

Desidratação leve

Caracterizada por uma perda entre 1 e 3% do peso corporal por falta de hidratação, os sintomas da desidratação leve são:

Sede

Sentir sede é o primeiro sinal de uma desidratação. É um sintoma que só aparece quando o corpo começa a sentir falta de água, portanto o ideal é beber água antes de sentir sede.

Dor de cabeça

Falta de água no corpo também é falta de água no cérebro. A dor de cabeça surge quando a desidratação leve se instala e, quando é causada pela desidratação, pode ser resolvida com água potável. Algumas pessoas tem enxaquecas desencadeadas pela falta de água.

Tontura

Com a falta de água, pode haver tontura.

Fadiga

Cansaço também é um sintoma da desidratação.

Cãibras

O sódio e o potássio são sais minerais essenciais para a o mecanismo da contração muscular. Na falta de qualquer um deles, o que pode acontecer durante a desidratação, a contração é afetada e cãibras podem acontecer.

Urina escura

A urina é composta principalmente de água. Se ela está escura, quer dizer que a concentração de outros componentes está elevada nela. Menos água no corpo significa menos água na urina.

Menor frequência de micção

Pode haver menos vontade de ir ao banheiro, um sinal de que o corpo está buscando economizar água.

Mau hálito

Por conta da falta de água, o corpo pode produzir menos saliva, o que além de deixar a boca seca, permite a maior proliferação de bactérias na boca, levando a mau hálito.

Desejos alimentares

Você pode sentir fome, especificamente por doces, pois devido a falta de água, o transporte de glicogênio no corpo fica debilitado. Assim, o corpo pede por mais glicogênio, encontrado em grande quantidade nos doces.

Desidratação moderada

Na desidratação moderada, os sintomas da versão leve da doença se intensificam, além de novos surgirem. São eles:

Olhos encovados

Os olhos podem ficar encovados (afundados) com a falta de água no corpo.

Aumento da temperatura corporal

Com a falta de água, o corpo para de suar para economizar líquido. Isso pode ocasionar o aumento da temperatura corporal, já que o suor é o jeito do corpo para resfriamento.

Boca e olhos secos

A boca e os olhos ficam secos durante a desidratação moderada.

Taquicardia

Aumento da frequência cardíaca pode acontecer caso haja falta de água no corpo do paciente. A falta de líquido no corpo significa que há menos sangue nele, portanto o coração precisa bater mais para levar sangue para todos os órgãos.

Diminuição de peso

O corpo humano é composto principalmente por água. A desidratação pode ser medida pela quantidade de peso perdida em água.

Pele seca

30% de sua pele é composta por água. Se existe falta dela, a pele fica ressecada e perde elasticidade.

É possível verificar o estado de ressecamento puxando a pele das costas da mão e verificando se leva tempo para que ela volte ao normal. Em níveis de hidratação ideais, a pele deve voltar para o lugar quase instantaneamente. Se ela leva algum tempo para fazer isso, é bom se hidratar.

Moleza

Sentir o corpo mole é um sintoma de falta de água no corpo.

Afundamento da moleira em bebês

Devido a diminuição da quantidade de água no cérebro, a moleira em bebês pode ficar afundada.

Desidratação grave ou severa

Todos os sintomas anteriores são exacerbados na desidratação grave. Além disso, os seguintes sintoma aparecem:

Falta de lágrimas

Pode haver choro, porém não há lágrimas. É um sintoma fácil de se ver em bebês, que choram por conta da sede extrema.

Desuria

Se os níveis de água estiverem extremamente baixos, os rins podem parar de produzir urina completamente. Assim, a pessoa não urina.

Caso haja micção, a cor do líquido é extremamente escura e de odor forte, devido a concentração de substâncias que não são água, como a ureia.

Falta de suor

O suor, assim como a urina, deixa de ser produzido para economizar água.

Respiração acelerada

Pode haver aceleração da respiração caso a pessoa esteja em desidratação grave.

Confusão mental

Com a falta de água no cérebro, pode haver confusões mentais. A pessoa pode não saber onde está, ficar irritada, além de ter delírios.

Queda da pressão arterial

Devido a falta de líquido no corpo, a pressão arterial cai. Isso pode levar a tonturas, desmaios e náuseas.

Convulsões

A temperatura elevada do corpo, sem o suor para controle de temperatura, pode levar a convulsões.

Coma

Desidratação grave pode levar a pessoa a um estado de coma.

Falência múltipla dos órgãos

Sem água, o corpo não é capaz de funcionar. A desidratação pode fazer com que os órgãos falhem, levando à morte.

Como é feito o diagnóstico da desidratação?

O exame clínico, feito pelo médico clínico geral, é o bastante para identificar a desidratação. Ele irá buscar sintomas como boca e olhos secos, elasticidade da pele e frequência cardíaca, além de ouvir o que o paciente tem a dizer sobre o que sente e a quantidade de líquido ingerido.

Entretanto, alguns exames podem ser feitos para descobrir qual o grau exato e a causa da falta de água no corpo:

Exame de sangue

Através de exames de sangue, é possível verificar a quantidade de sais minerais presentes no corpo, além de glicose e indicadores de como os rins estão funcionando. Isso pode indicar o grau da desidratação, assim como a causa.

Um hemograma pode ser indicado, buscando identificar possíveis infecções que possam estar causando a desidratação.

Exame de urina

Examinar a cor, clareza e densidade da urina, além das substâncias presentes nela, pode indicar em que grau a desidratação está, além de possíveis causas. Se houver aumento de glicose na urina, por exemplo, isso pode ser um indicativo de diabetes.

Desidratação tem cura?

Sim, a desidratação pode ser curada. Nos casos leves e moderados, um adulto saudável pode facilmente se curar da desidratação bebendo um ou dois copos de água devagar. A desidratação grave precisa de atendimento médico, mas também é tratável.

Qual o tratamento?

Tratamentos para desidratação variam dependendo do grau dela e da idade do paciente, mas consistem sempre em repor a água e sais minerais do corpo.

Desidratação leve e moderada

Este tipo de desidratação pode ser tratada em casa. Nos primeiros seis meses de vida, o leite materno é o ideal para lidar com a desidratação. Ele possui todos os sais minerais e líquidos de que a criança precisa.

Independente da idade, crianças, adultos e idosos devem beber água em goles pequenos. Se houver alguma falta de sais ou açúcar, comer algum doce e algo salgado junto da água é recomendado.

É importante lembrar que crianças possuem mais água no corpo do que adultos. Por isso, uma desidratação hipotônica nelas é especialmente perigosa, já que os sais minerais de seu corpo podem ficar muito diluídos e dar água pura para elas pode diluí-los ainda mais. O ideal é dar polpa de fruta e sucos.

Soro caseiro

Bastante efetivo contra a desidratação leve e moderada, o soro caseiro também pode ser ingerido em qualquer idade e repõe líquidos e sais minerais. A receita é a seguinte:

  • 1 litro de água previamente fervida ou filtrada (lembre-se de não beber a água morna);
  • 1 colher de chá rasa de sal;
  • 2 colher de sopa rasa de açúcar.

Misture bem e beba devagar, aos golinhos. Não é necessário beber tudo, mas matar a sede é recomendado. Essa mistura deve ser o bastante para realizar toda a reposição necessária.

Desidratação grave

A desidratação grave pode precisar de cuidados médicos imediatos, pois o soro caseiro e beber água não hidrata o corpo rápido o bastante.

Existe, também, a possibilidade de ser inviável devido aos sintomas da condição, que podem incluir convulsões, confusão mental, delírios e coma. Se possível, o soro caseiro por via oral é uma boa opção, mas especialmente no caso de crianças e idosos, a hospitalização pode ser necessária.

Pode haver a reposição de líquidos por via intravenosa, o que restaura os sais minerais e a água do corpo de maneira rápida. As causas da desidratação, então, devem ser encontradas e tratadas.

Medicamentos para desidratação

Não existem medicamentos para a desidratação, o que existe são soluções para a reidratação, que ajudam a pessoa a recuperar seus sais minerais e líquidos de maneira mais rápida e equilibrada.

As soluções podem ser vendidas em concentrados (que devem ser misturados com água) e prontas, que podem ser bebidas direto da caixa. Alguns exemplos são:

Atenção!

NUNCA se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico. Somente ele poderá dizer qual medicamento, dosagem e duração do tratamento é o mais indicado para o seu caso em específico. As informações contidas neste site têm apenas a intenção de informar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um especialista ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Siga sempre as instruções da bula e, se os sintomas persistirem, procure orientação médica ou farmacêutica.

Dicas caseiras

O soro caseiro, já mencionado, é uma das opções que você pode fazer em casa para se reidratar e evitar que um caso de desidratação leve ou moderada se torne grave. Além dele, existem outros meios de recuperar líquidos e sais do corpo:

Frutas e vegetais

Várias frutas e vegetais são grandes fontes de água e de sais minerais e são excepcionais para a recuperação da hidratação. Destaque para a água de coco, que possui diversos eletrólitos.

Além disso, a melancia, o melão e o morango são frutas com bastante água e que podem ajudar, e o pepino é um vegetal com muito líquido. Sucos feitos a partir destes ingredientes podem recuperar um paciente de uma desidratação leve ou moderada.

Banana

Apesar de não ser rica em água, a banana possui muitos sais minerais. Em casos de desidratação por falta de sais (desidratação hipotônica), ela pode ser um grande aliado para a recuperação.

Chá de cevada

A cevada pode ajudar na recuperação da hidratação do corpo.

Prognóstico

Quando isolada, a desidratação costuma ser de fácil tratamento e perfeitamente curável. Os pacientes não costumam ter sequelas e podem viver a vida normalmente depois da cura, lembrando de se hidratar sempre que possível.

Complicações

O tratamento da desidratação é fácil, mas se não for aplicado rapidamente, a versão grave da condição pode levar a complicações sérias:

Edema cerebral

Se a reidratação não for realizada de maneira correta, as células cerebrais podem inchar e se romper. Além disso, a falta de líquido no cérebro pode criar sequelas.

Choque hipovolêmico

A baixa quantidade de sangue pode causar um estado de choque no paciente. Durante este estado, o coração não consegue bombear sangue o bastante para todo o corpo devido à sua falta. Existe grande risco para a vida e é uma emergência médica.

Convulsões

Devido a falta de sais minerais, a comunicação elétrica do cérebro pode ser afetada e  causar convulsões.

Morte

Falta de líquido pode levar a falência dos órgãos, coma e morte.

Como prevenir a desidratação?

Existem meios de prevenir a desidratação. São eles:

Evite ficar no sol nas horas mais quentes

Os horários mais perigosos são entre às 10h e às 15h. Nestes horários, o sol está o mais alto e mais quente no céu, aumentando a temperatura e perda de água.

Beba bastante água

Mesmo quando não estiver com sede, beba água. O recomendado é que se beba em torno de dois litros de água por dia. Isso garante que seu corpo está bem hidratado.

Tome cuidado para não beber água demais, pois isso pode desequilibrar os sais minerais de seu corpo, levando à hiponatremia, mas evite chegar ao estado de sentir sede.

Bebidas isotônicas

Bebidas isotônicas foram criadas para repor eletrólitos e líquidos perdidos durante exercícios físicos, portanto são bastante eficientes em reidratar o corpo. Estas bebidas podem ser usadas para evitar a desidratação e podem ser ingeridas antes, durante ou depois de exercícios.

Água de coco

A fruta dos coqueiros possui uma água rica em eletrólitos e é um dos mais eficientes hidratantes naturais, extremamente recomendado para evitar a desidratação.

Tenha água sempre disponível

Ter água por perto é sempre bom. Uma garrafinha para quando sair de casa pode ser recomendado, além de em momentos de exercício e trabalho físico.

Evite álcool, especialmente em dias muito quentes

Álcool é um diurético eficiente, portanto pode te desidratar com facilidade. Em dias muito quentes, é bom evitar beber, ou ao menos tentar lembrar de beber bastante água junto.

Cuide de crianças e idosos

Crianças e idosos são as principais vítimas da desidratação e podem não conseguir ou não lembrar de se hidratar. Lembre-se de cuidar deles e deixar água sempre disponível.

Hidrate-se quando doente

Especialmente quando tiver diarreia ou vômitos, que causam perda de líquido, lembre-se de beber bastante água para repor tudo o que for perdido.


Desidratação é de fácil controle, mas extremamente perigosa, especialmente para idosos e crianças. Lembre-se de sempre ficar hidratado e tenha água sempre à mão.

Compartilhe este texto com seus amigos para lembrá-los de ir beber um copo de água agora mesmo!

Referências

https://www.news-medical.net/health/Dehydration-Treatment.aspx
J. Diament, A., Saraiva, S., & Levy, J. (1960). Mecanismo de Contração Muscular. Arquivos de Neuro-Psiquiatria, 18(3), 259-263. http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X1960000300005

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (3 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

2 Comentários

Atenção: os comentários abaixo são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Deixe o seu comentário, nos preocupamos com sua opinião:

Por gentileza, escreva seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui

Lamentamos a não possibilidade de dar-lhe conselho médico ou responder a questões médicas e farmacêuticas individuais através de e-mail, pois apenas um médico pode prestar tal atendimento. Embora tentemos responder a todos os comentários, opiniões e e-mails que recebemos em até dois dias úteis, nem sempre é possível devido ao grande volume que recebemos. Por favor, tenha em mente que qualquer solicitação ao Minuto Saudável está sujeita aos nossos Termos de Uso e Política de Privacidade, ao enviar, você indica sua aceitação.