Minuto Saudável
11/04/2019 18:25

Virose mão-pé-boca é um alerta para os cuidados durante o frio

Agora, com a chegada do outono e as temperaturas caindo, tendemos a permanecer em ambientes mais fechados, o que facilita a transmissão de viroses.

Um vírus, da mesma família da herpes e da varicela, está se manifestando principalmente entre as crianças. Apenas em Salvador, até o início de abril, cerca de 50 crianças foram diagnosticadas.

A virose ‘mão-pé-boca’ tem esse nome por causar manchas avermelhadas e bolhas nestas partes do corpo.

Manifestando-se primeiramente com febre alta e aftas ao redor da boca, após 1 semana a condição desencadeia dores (de garganta, por exemplo). Então as bolinhas e manchas vermelhas começam aparecer ao redor da boca, nas mãos e nos pés.

Em alguns casos, pode haver vômito, enjoo e perda de apetite.

Essas manifestações cutâneas causam muita coceira. Mas, ao coçar a pele, corre-se o risco de abrir feridas ou levantar bolhas que podem infeccionar.

Por isso, é importante levar a criança em um pediatra que poderá receitar remédios para combater o vírus além de prescrever pomadas cicatrizantes. A virose permanece no organismo durante cerca de 10 dias.

Leia mais: Infecções na infância podem aumentar o risco de transtornos mentais

Cuidados intensificados

Essa síndrome pode ser prevenida evitando o contato com o vírus. Como a virose se manifesta em crianças, algumas atitudes devem partir dos pais e responsáveis, como a higienização dos brinquedos e das roupas.

Também se pode conversar com a criança sobre a necessidade de lavar as mãos com frequência e a importância de não compartilhar alimentos e objetos pessoais (chupetas, panos e garrafinhas).

Vale lembrar que até os 5 anos ou em casos de pessoas com o sistema imunológico comprometido, há maiores riscos de ocorrer a infecção.

Alguns médicos defendem que a mão-pé-boca é uma doença típica da infância. Mesmo assim, o vírus pode ser passado para pessoas de todas as faixas etárias pela fala, urina, fezes e saliva.

Essa virose não garante imunidade, ou seja, a criança pode pegá-la várias vezes.


Mesmo que a mão-pé-boca não seja tão perigosa, é importante tratar as feridas para que elas não infeccionem. Estar atentos aos sintomas e levar a criança ao médico são atitudes recomendadas para evitar essa e outras doenças. Fica o alerta aos pais e responsáveis.

Fonte: BBC

17/04/2019 16:52

Minuto Saudável

Somos um time de especialistas em conteúdo digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável. Confira mais na nossa página de quem somos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*