Breno H. M. (Minuto Saudável)
02/11/2018 08:00

Tratamento da dengue: remédios e receitas caseiras

A dengue é uma doença causada pelo vírus DEN (sorotipos 1, 2, 3 e 4), comumente transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. A condição pode ser perigosa nos quadros hemorrágicos, mas quando há um tratamento adequado normalmente não causa complicações.

Depois de invadir as células do corpo por meio da picada do mosquito, o vírus da dengue as utiliza para se reproduzir, mas o sistema imunológico enfrenta a infecção e elimina o vírus no decorrer de alguns dias.

Durante este tempo, o paciente pode sentir febres, náuseas, dores de cabeça e nas articulações, além de ser possível que manchas vermelhas apareçam na pele.

Nos casos mais graves, a doença pode fazer com que o número de plaquetas sanguíneas no corpo seja reduzido, o que por sua vez pode diminuir a capacidade de coagulação do sangue, facilitando sangramentos e dificultando o estancamento deles.

Como não existe antiviral para o vírus da dengue, o tratamento consiste em hidratação e controle dos sintomas. O paciente deve ficar em repouso, beber bastante água e, caso haja indicação médica, utilizar medicamentos para a febre e as dores causadas pela doença.

Medicamentos

O tratamento medicamentoso da dengue é voltado para o alívio dos sintomas. Os casos mais leves não precisam de medicamentos e apenas a hidratação e o repouso costumam ser indicados. Mas quando é necessário, os principais remédios utilizados para tratar dengue visam reduzir a febre e as dores.

Diversos medicamentos podem ser eficazes no tratamento da dengue, mas muitos têm efeitos que podem trazer malefícios ao corpo no caso da doença estar presente. Por isso, os medicamentos usados são os que não apresentam maiores riscos ao paciente. São eles:

É importante ressaltar que oMinistério da Saúde recomenda que a dose máxima de paracetamol deve ser de 3g por dia.

Remédios não indicados em caso de suspeita de dengue

Uma das complicações raras da dengue — que é mais comum quando o paciente é infectado mais de uma vez — é a febre hemorrágica viral, também chamada de dengue hemorrágica. Ela pode causar problemas de coagulação do sangue, levando a redução da pressão arterial e sangramentos.

Por isso, certos medicamentos não são indicados em caso de suspeita de dengue por facilitarem o sangramento e os problemas sanguíneos causados pelo vírus. Essa lista inclui especialmente o ácido salicílico e os anti-inflamatórios não histamínicos.

O ácido salicílico, princípio ativo da aspirina, tem efeito anticoagulante, ou seja, reduz os fatores de coagulação do sangue, o que pode tornar os sangramentos mais fáceis e dificultar o processo de cicatrização.

Sempre consulte seu médico e farmacêutico antes de utilizar qualquer medicamento. Não esqueça de ler a bula!

Leia mais: O que é automedicação, causas e quais são as consequências?

Tratamento caseiro

O seu próprio corpo costuma tratar você de uma infecção de dengue, mas você pode ajudá-lo com certas medidas que pode fazer em casa mesmo. É especialmente importante evitar a desidratação. Confira algumas dicas:

Hidrate-se

A perda de água provocada pela febre e suor pode dificultar o trabalho de seu sistema imunológico no combate ao vírus. Por isso, o soro caseiro serve para hidratar seu corpo, não apenas com água, mas com os eletrólitos (sais minerais) de que ele precisa.

Para fazer o soro, você precisa de:

  • 1 litro de água (filtrada ou fervida);
  • 1 colher de café de sal;
  • 1 colher de sopa bem cheia de açúcar.

Basta misturar os ingredientes e beber durante o dia. Durante o primeiro dia de sintomas, busque ingerir de 3 a 5 litros de líquidos, dos quais ⅓ deve ser de soro.

Recomenda-se também beber água de coco, que tem grande potencial para hidratação do corpo. Evite refrigerantes e diuréticos, já que eles podem desidratar ainda mais.

Utilize óculos escuros

Mesmo dentro de casa, o paciente de dengue pode sentir ardência e sensibilidade nos olhos. A utilização de óculos escuros pode aliviar este sintoma enquanto a doença está ativa. Buscar manter os cômodos escuros também pode ajudar.

Banho de água fria

Um banho de água fria pode aliviar a coceira que a dengue pode causar na pele. Da mesma maneira, a febre também pode ser reduzida através desta prática.

Tratamento da dengue hemorrágica

No caso de sangramentos, a doença pode ter evoluído para dengue hemorrágica, que é mais perigosa. É importante levar o paciente ao hospital imediatamente para que seja feito o tratamento de emergência, que pode incluir transfusão de plaquetas e utilização de soro eletrolítico. Entenda:

Transfusão de plaquetas

As plaquetas têm a função de criar coágulos e impedir o sangramento no corpo. Quando o paciente está com dengue hemorrágica, a quantidade de plaquetas sanguíneas está reduzida. Para melhorar este quadro, existe a transfusão de plaquetas.

Elas são retiradas de doações sanguíneas e devem ser mantidas em número adequado para que os sangramentos sejam controlados até que o corpo volte a produzi-las de maneira saudável.

Leia mais: Doação de Sangue: requisitos, como e quem pode doar sangue

Soro eletrolítico

O soro eletrolítico também pode ser usado nestes casos. A aplicação deste soro pode ser realizada de maneira intravenosa. Nela, água e sais minerais são injetados nas veias do paciente para garantir que haja hidratação o bastante no corpo, uma vez que sangramentos podem favorecer ainda mais a desidratação.

Quanto tempo dura o tratamento para dengue?

Na dengue clássica, os sintomas e o tratamento costumam durar em torno de 7 dias. Porém, os adultos saudáveis podem se ver livres da doença em menos tempo, entre 2 a 3 dias. Quando a dengue alcança o tipo hemorrágico, o tratamento pode durar até 10 dias.


Não existe um tratamento específico para dengue. Geralmente o paciente se recupera sozinho e em poucos dias. Mas existem algumas medidas que servem para controlar seus sintomas e garantir que seu sistema imunológico conseguirá vencer a doença.

Compartilhe este texto com seus amigos para que eles aprendam um pouco mais sobre a dengue!

Leia também:

25/10/2018 15:37

Breno H. M. (Minuto Saudável)

Redator, é jornalista pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Produz matérias sobre exercícios, saúde masculina e exames.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*