O que é Sarna?

A Sarna, ou escabiose, é uma doença de pele contagiosa causada por um parasita, o ácaro Sarcoptes scabiei, que se aloja no hospedeiro e ali se reproduz. Estes ácaros não vivem mais de três dias longe da pele humana, isso porque se alimentam das proteínas da pele, principalmente da queratina. Mas, uma vez alojados na pele, podem viver até dois meses.

Ela pode afetar indivíduos de qualquer sexo e faixa etária, porém é mais comum em crianças. É uma das três doenças de pele mais comuns nessa faixa etária, juntamente com a micose e infecções bacterianas. Também pode se localizar em qualquer parte do corpo, mas as áreas mais comuns são entre os dedos das mãos e pés, ao redor dos pulsos e cotovelos, nas axilas, na dobra dos joelhos e ao redor da cintura. Nas crianças pequenas e bebês é mais comum que a doença se prolifere nas regiões da cabeça, pescoço e palmas das mãos.

A doença nada tem a ver com limpeza, pois ela se prolifera principalmente nas zonas sem acesso a água, em climas tropicais e em áreas de grande multidão.

Desde 2010, a escabiose vem afetando aproximadamente 100 milhões de pessoas (1,5% da população mundial).

A sarna humana é a mesma que a animal?

Apesar do mesmo nome, a sarna que se desenvolve em animais, conhecida como sarna sarcóptica, é diferente da desenvolvida nos seres humanos pois os ácaros de ambas são ligeiramente diferentes. Portanto, um animal não pode transmitir sarna para um ser humano, e vice e versa.

Índice — neste artigo você irá encontrar as seguintes informações:

  1. O que é Sarna?
  2. Causas da Sarna
  3. Transmissão da Sarna
  4. Grupos de risco
  5. Sintomas da Sarna
  6. Diagnóstico da Sarna
  7. Tratamento para Sarna
  8. Convivendo com a Sarna
  9. Complicações da Sarna
  10. Como prevenir a Sarna?

Causas da Sarna

A sarna é causada por um ácaro, Sarcoptes scabiei, que se aloja sob a pele do hospedeiro e ali se reproduz. Os ovos demoram entre 3 a 4 dias para eclodir e as larvas recém-nascidas fazem seu caminho da epiderme até a superfície da pele, onde amadurecem e se espalham para outras áreas do corpo. Conforme eles se movem, vão deixando para trás as suas fezes, que criam lesões lineares na pele.

A doença é resultado de uma reação alérgica contra o ácaro, seus ovos e as fezes, e ela causa coceiras intensas e borbulhas, como erupções cutâneas.


Transmissão da Sarna

A sarna é altamente contagiosa e é transmitida através do contato físico entre pessoas. Os casos mais comuns são de familiares que vivem na mesma casa ou durante a atividade sexual. Também pode ser transmitida facilmente em lugares de grande multidão, os exemplos mais comuns são: exército, lares para idosos, creches, presídios e instituições de acolhimento para crianças. O contato que crianças e adolescentes têm na escola não costuma ser suficiente para transmitir a sarna, mas ainda assim podem haver riscos.

É chamado de escabiose crostosa quando os ácaros se proliferam em grande quantidade pelo corpo, e essa é a forma mais crítica da doença e geralmente está relacionada com a imunossupressão. Nesse caso, a transmissão fica ainda mais provável, podendo ocorrer em contatos breves, como apertos de mão ou até através de vestimentas, objetos e roupas de cama.

A sarna também pode ser transmitida de um indivíduo para outro mesmo que o hospedeiro ainda não tenha desenvolvido nenhum sintoma da doença.

Grupos de risco

Não há fatores de risco específicos para a doença, pois ela pode afetar indivíduos de qualquer idade e sexo, porém é mais comum se desenvolver em crianças e bebês.

Indivíduos com imunodeficiência também são mais suscetíveis à sarna.

Sintomas da Sarna

Após entrar em contato com a sarna, caso nunca tenha passado pela doença antes, os sintomas podem demorar até 6 semanas para aparecerem. Caso o indivíduo já tenha tido a doença antes, os sintomas podem surgir em até 4 dias.

Os sinais e sintomas mais comuns da sarna são:

  • Coceira, geralmente intensa e que piora no período noturno;
  • Presença de pápulas e lesões, como pontinhos ou bolinhas com relevo, que surgem principalmente nas dobras da pele.

As áreas mais comuns para surgir as pápulas são:

  • Cintura;
  • Cotovelos;
  • Dedos das mãos e pés;
  • Punhos;
  • Axilas;
  • Parte inferior das nádegas;
  • Em homens, podem surgir na região genital;
  • Em mulheres, podem aparecer também nos seios.

Escabiose crostosa (ou sarna norueguesa)

Forma mais grave da sarna, se desenvolve quando o organismo do hospedeiro tem um sistema imunológico fraco, geralmente devido a alguma condição médica ou a alta idade.

Nesse caso, os sintomas mais comuns são crostas espalhadas pela pele, que tendem a ser duras, com aparência acinzentada e quebra facilmente quando tocada. Elas nem sempre causam coceira e podem surgir em mais de uma região do corpo, como couro cabeludo, costas e pés.

Por se desenvolver em indivíduos com baixo sistema imunológico, a escabiose crostosa se multiplica com maior facilidade e em uma velocidade maior.

Escabiose em bebês e crianças

Quando ocorre em crianças, os sintomas são os mesmo, coceiras e lesões na pele como pontinhos ou bolinhas. Mas as áreas mais comuns de surgimento dessas lesões são:

  • Cabeça;
  • Rosto;
  • Pescoço;
  • Mãos;
  • Sola dos pés.

Bebês quando desenvolvem a doença são geralmente muito irritáveis, insones e apresentam falta de apetite. Crianças também ficam irritáveis e a coceira pode mantê-los acordados a noite.

Diagnóstico da Sarna

O diagnóstico da sarna pode ser feito por um médico dermatologista através de um exame físico, onde ele irá inspecionar as áreas afetadas. Caso ainda não haja sinais da doença, o médico pode colher uma pequena amostra de pele, a qual será examinada para confirmar a presença do parasita.

Outras doenças também podem ser associadas à coceiras, como dermatite e impetigo, por isso é necessária a opinião médica.

Tratamento para Sarna

O tratamento da doença é simples e feito basicamente através de medicamentos, alguns cremes e loções dermatologicamente testadas que tem como objetivo acabar com a infestação pelo parasita.

Geralmente, o paciente aplica o medicamento sobre o corpo após o banho, por alguns dias, deixando agir naturalmente durante a noite e retirando-o no dia seguinte. É importante que a aplicação seja repetida após 7 dias, para combater os ácaros provenientes dos ovos que ainda não haviam eclodido durante a primeira aplicação.

Os medicamentos serão prescritos pelo seu médico dermatologista e alguns deles podem ser recomendados para indivíduos que estiveram em contato com o paciente. Os mais comuns são:

A permetrina geralmente é recomendada como tratamento inicial contra a sarna, porém pode lhe causar alguns efeitos colaterais, alguns deles são:

  • Irritação na pele;
  • Dormência;
  • Sensação de formigamento;
  • Ardência durante a aplicação.

Para tratamento em crianças, os mesmo medicamentos podem ser utilizados. Maiores explicações sobre a aplicação em crianças e bebês serão dadas pelo médico. Já para tratar a sarna em gestantes, deve-se utilizar enxofre diluído em petrolatum.

Remédio caseiro para sarna

Realizar banhos quentes de 2 a 3 vezes por dia, com shampoo e sabonete neutro, pode evitar o crescimento dos ácaros.

Também existem formas de auxiliar no alívio da coceira, como:

  • Fazer massagens com azeite de oliva para acalmar a pele;
  • Fazer compressas de chá de fumária: 2 colheres de chá de folhas secas fervidas em água, após 10 minutos de repouso, mergulhar o pano no chá e aplicar sobre as áreas afetadas.

Consulte seu médico caso os sintomas persistirem mesmo após quatro semanas de tratamento.

Atenção!

NUNCA se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico. Somente ele poderá dizer qual medicamento, dosagem e duração do tratamento é o mais indicado para o seu caso em específico. As informações contidas nesse site tem apenas a intenção de informar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um especialista ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Siga sempre as instruções da bula e, se os sintomas persistirem, procure orientação médica ou farmacêutica.

Convivendo com a Sarna

Quando o tratamento for iniciado, é recomendado:

  • Lavar, diariamente, roupas pessoais, de cama e de banho usando o nível mais quente da máquina;
  • Trocar de roupa diariamente;
  • Caso alguma coisa não possa ser lavada, coloque-a em um saco plástico e deixe selado ali por, pelo menos, uma semana;
  • Aspire toda a casa, incluindo carpetes e tapetes.

Mesmo após a erradicação do parasita, a coceira pode persistir por algum tempo. Para aliviar a coceira, o paciente pode tomar algumas medidas:

  • Imergir a pele em água fria ou aplicar uma toalha molhada sobre as áreas irritadas;
  • Aplicar loções e cremes para hidratar a pele;
  • Usar anti-histamínicos, que ajudam a combater os sintomas alérgicos.

Complicações da Sarna

A principal complicação pode ocorrer através da coceira. Coçar as lesões pode causar feridas, o que possibilita que outras bactérias ou vírus adentrem o organismo, causando uma infecção bacteriana.

Quanto a escabiose crostosa, sua complicação se deve ao tratamento, que pode ser mais complicado e demorado.

Como prevenir a Sarna?

A única forma de prevenir a sarna é evitando contato direto ou íntimo com um indivíduo infectado com o parasita.

Para prevenir a re-infestação, deve-se lavar e secar todas as roupas pessoais, de cama e de banho que o paciente teve contato no nível mais quente que a máquina permite. O que não pode ser lavado, deve ser aspirado. Dessa forma, os ácaros que podem ter ficado em algum desses objetos serão eliminadas.


A sarna é uma doença transmissível, porém fácil de tratar. Compartilhe esse texto com seus amigos e familiares para que eles também possam descobrir como tratá-la!


Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.