Redação Minuto Saudável
30/06/2017 11:32

O que é Impetigo, tratamento, sintomas, prevenção e mais

O que é Impetigo?

Impetigo é uma doença bacteriana, infecciosa e contagiosa de pele. Ela normalmente se desenvolve em crianças, sendo uma das mais comuns dermatoses infantis, mas adultos também podem desenvolvê-la. A doença é caracterizada por feridas avermelhadas e que possuem um fluido amarelado. Quando as feridas são estouradas, uma crosta de cor amarelo/marrom se forma em volta da lesão.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o impetigo é mais comum em países que estão em desenvolvimento, geralmente por conta da falta de higiene que há neles. Já de acordo com a Agência de Saúde Pública do Canadá, mais de 100 milhões de pessoas são diagnosticadas com a doença anualmente.

Índice – neste artigo você encontrará as seguintes informações:

  1. O que é Impetigo?
  2. Quais são as causas? E a transmissão, como se dá?
  3. Fatores de risco
  4. Tipos e sintomas do Impetigo
  5. Diagnóstico
  6. Tratamento do Impetigo
  7. Complicações
  8. Como prevenir o Impetigo

Quais são as causas? E a transmissão, como se dá?

Nossa pele é habitada por diversos micro-organismos, incluindo as que causam o impetigo. No caso dessa doença, duas bactérias são as causadoras: a Streptococcus pyogenes e a Staphylococcus aureus.

Para que a doença seja desenvolvida, é preciso que essas bactérias entrem em nossa pele e isso acontece através de uma pequena ferida, corte ou até mesmo uma picada de mosquito. O tempo de incubação da bactéria é de 1 a 10 dias e elas são transmitidas da seguinte maneira:

  • Streptococcus pyogenes: através do contato direto com as lesões.
  • Staphylococcus aureus: através do contato com as lesões e com objetos contaminados.

Fatores de risco

Por mais que qualquer pessoa possa desenvolver a doença, é preciso ressaltar que alguns fatores de risco contribuem para que isso aconteça. Confira abaixo quais são:

  • Idade: impetigo acontece principalmente em crianças de 2 a 5 anos de idade.
  • Superlotação: a doença se espalha mais facilmente em lugares que possuem uma grande quantidade de crianças (ex: escolas e creches).
  • Tempo úmido: infecções como o Impetigo são mais comuns de ocorrerem no Verão.
  • Prática de esportes de contato: a participação em esportes de contato, como o futebol, aumenta o risco da transmissão do Impetigo.
  • Pele lesionada: as bactérias causadoras do impetigo entram em sua pele através de pequenas lesões.
  • Sistema imunológico comprometido: pessoas idosas ou com diabetes, por exemplo, são mais propensos a desenvolverem a doença.

Tipos e sintomas do Impetigo

Há 3 tipos catalogados de impetigo e, a seguir, você conhecerá quais são e quais sintomas cada um apresenta.

Impetigo comum ou Impetigo não-bolhoso

Esse tipo da doença é a mais recorrente. Ele normalmente começa com pequenas lesões avermelhadas, bem parecidas com picadas de mosquito, que evoluem rapidamente para lesões maiores e com pus e, quando estouradas, formam crostas de cor dourada.

As lesões do impetigo comum normalmente aparecem na face e/ou crânio, mas podem ocorrer também nos braços e pernas do indivíduo. Elas não costumam doer, entretanto causam muito comichão na pessoa. Lembrando que o ato de coçar essas lesões pode favorecer na transmissão da doença através das mãos contaminadas.

Conforme o tempo vai passando, as crostas dessas lesões desaparecem, sem deixar cicatriz alguma.

Impetigo bolhoso

Esse tipo de impetigo é causado apenas pela bactéria Staphylococcus aureus, que é capaz de produzir toxinas que causam o descolamento da epiderme (camada mais externa da pele), fazendo com que bolhas apareçam. O impetigo bolhoso costuma aparecer nos membros superiores e inferiores, nádegas e tronco.

As suas lesões iniciais se desenvolvem da mesma maneira que no impetigo comum, porém elas evoluem de forma muito rápida para bolhas que contêm um conteúdo amarelado. Quando se rompem, deixam uma crosta amarelo-avermelhada, normalmente maior e mais duradoura do que no impetigo comum. Além desses sintomas, outros como o mal estar e perda de apetite também são comuns.

Sobre a cura das lesões, assim como no impetigo comum elas também costumam sarar sem deixar sequelas.

Ectima

Forma mais grave do impetigo, o ectima acomete as camadas mais profundas da pele. Normalmente, suas lesões evoluem para úlceras na pele e que podem conter pus. Por conseguinte, essas úlceras evoluem para crostas grossas e amareladas, com margem avermelhada, e que quando se curam deixam cicatrizes.

Esse tipo de impetigo normalmente se desenvolve nos membros inferiores e pode ser causado pelos dois tipos de bactérias.

Diagnóstico

Na maioria das vezes, a doença é diagnosticada apenas com a análise clínica realizada pelo médico, que pode ser tanto o dermatologista (no caso dos adultos) quanto o pediatra (no caso das crianças).  Como o impetigo produz lesões com crostas e cores características, normalmente não é necessário a realização de testes adicionais no diagnóstico – a não ser que o caso seja de impetigo recorrente ou de ectima, nesses casos há a coleta de material das lesões a fim de serem analisadas em laboratório.

O médico poderá, ainda, fazer algumas perguntas ao paciente para ter a certeza se a infecção é ou não impetigo, tais como:

  • Quando as lesões começaram?
  • Como as lesões se pareciam quando começaram?
  • As lesões são dolorosas ou dão comichão?
  • Alguém da sua família já teve impetigo?
  • Etc.

Tratamento do Impetigo

Por mais que seja uma infecção, o impetigo não é grave e na maioria dos casos cura-se sozinho, apenas com a ajuda de uma boa higiene e o isolamento da pessoa – para que a doença não seja transmitida rápida e facilmente. Porém, o especialista pode receitar o uso de algum antibiótico para que a chance de transmissão da doença para outras pessoas seja reduzida, além de acelerar a cura das lesões e diminuir os riscos de complicações da doença.

Dentre esses antibióticos, há a possibilidade deles serem aplicados diretamente na ferida, por meio de creme ou pomada, ou serem ministrados oralmente, em doses pré-estabelecidas. Lembre-se de sempre se consultar com um médico especialista em dermatoses antes de fazer uso de qualquer medicamento.

Medicamentos mais utilizados

Medicamentos fitoterápicos

Atenção: o uso desses métodos deve ser feito como complemento aos medicamentos previamente indicados pelo seu médico.

  • Óleo da árvore do chá (melaleuca, tee tree);
  • Pomada de calêndula.

Atenção!

NUNCA se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico. Somente ele poderá dizer qual medicamento, dosagem e duração do tratamento é o mais indicado para o seu caso em específico. As informações contidas nesse site têm apenas a intenção de informar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um especialista ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Siga sempre as instruções da bula e, se os sintomas persistirem, procure orientação médica ou farmacêutica.

Complicações

Como já mencionado, o impetigo não é uma doença grave e nem perigosa. Por isso, raramente há alguma complicação referente a essa doença – mas elas existem. Veja abaixo quais são essas complicações.

  • Celulite: contrária ao que toda mulher, principalmente, pensa, a celulite é uma infecção grave que afeta os tecidos subjacentes da pele, podendo se espalhar para os nódulos linfáticos e também na corrente sanguínea. Quando não tratada rapidamente, ela pode ser fatal.
  • Problemas renais: uma das bactérias causadoras do impetigo também pode afetar os rins.
  • Cicatrizes: as lesões do ectima, tipo mais grave de impetigo, pode deixar cicatrizes no corpo do paciente.

Como prevenir o Impetigo

Se você está com impetigo ou conhece alguém que esteja, é interessante que você não tenha contato próximo a ela, pois a doença pode ser facilmente transmitida através do contato direto com a ferida ou a partir de objetos contaminados pela pessoa doente. Além disso, manter-se com a pele limpa o melhor que você conseguir também ajuda.

Dentre outras formas de prevenção, estão:

  • Lavar as áreas afetadas com sabão neutro delicadamente e, após o enxágue, cobrir com gaze;
  • Lavar as roupas, lençóis e toalhas do doente todos os dias e não compartilhá-los com outros membros da família;
  • Usar luvas ao aplicar a pomada antibióticos e lavar bem as mãos após;
  • Cortar as unhas da criança infectada para que ela evite de se arranhar e, assim, se infectar novamente;
  • Lavar as mãos com frequência;
  • Manter a pessoa infectada em casa até o médico apontar que ela já não é mais contagiosa para os demais.

Feito o uso dessas recomendações e também da propagação dessas informações do artigo, a prevenção e o conhecimento sobre o impetigo aumenta. Portanto, nos ajude com o seu compartilhamento, seja para amigos ou familiares!

Referências

http://www.webmd.com/skin-problems-and-treatments/tc/impetigo-overview
http://www.mdsaude.com/2011/05/impetigo-bolhoso.html
http://www.criasaude.com.br/N8034/doencas/impetigo.html
http://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/impetigo/home/ovc-20202557
http://www.minhavida.com.br/saude/temas/impetigo
http://www.healthline.com/health/impetigo

18/04/2019 15:23

Redação Minuto Saudável

Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável. Confira mais na nossa página de quem somos.

Ver comentários

  • Bom dia gostaria de agradecer a todos pelas informacoes prestadas meu muito obrigado.

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Informações úteis, de utilidade pública.

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Muito grato.

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • gostei muito das informações,irão me ajudar bastante!

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Meu filho foi diagnosticado com essa bactéria
    Vai começar o tratamento hj
    Com antibióticos ingerido e como pomada
    A médica passou um antialérgico também pra ele não coçar

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

    • Oi Boa noite, teu filho melhorou da bactéria, estou com minha bb com impetigo e estou muito nervosa.

      Cancelar resposta

      Deixe uma resposta

      Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Bacana! Muito útil!

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • O texto muito bem escrito, trás informações úteis, com base científica de modo esclarecedor para qualquer pessoa

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Muito boa as informações. Gostei muito.

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*