Queimaduras: graus, como tratar, pomadas e primeiros socorros

2

O que são queimaduras?

Queimaduras são ferimentos diferentes de qualquer outro e são extremamente sérios. Elas são lesões causadas através de trocas térmicas, radiação ou reações químicas.

Elas podem ser provocadas pelos extremos de temperatura (frio ou calor demais), além de reações químicas, elétricas ou radiação. Mas as causadas por altas temperaturas são as mais frequentes.

São classificadas com base na profundidade da queimadura e em sua extensão na pele. Quanto maior o grau e quanto maior a superfície do corpo atingida, mais grave é o problema.

Muito comuns, especialmente em crianças, mais de um milhão de brasileiros sofrem queimaduras todos os anos. Normalmente elas afetam a pele e mucosas do corpo (como a garganta), mas quando a exposição é muito prolongada, órgãos internos e até ossos podem ser atingidos.

Quando falamos em queimaduras, o fogo é um dos principais vilões. Por isso, respeitar as chamas é importante. Não se deve brincar com fogo.

Em aproximadamente dois minutos, um quarto inteiro pode sucumbir às chamas:

Gostamos de pensar que dominamos o fogo, mas nós apenas o controlamos, e perder o controle é bem fácil. Qualquer descuido pode ser fatal ou trazer consequências para a vida inteira, então é importante ter cuidado para não se queimar.

PUBLICIDADE

Índice — neste artigo você encontrará as seguintes informações:

  1. O que são queimaduras?
  2. Como a queimadura atinge nosso corpo?
  3. Tipos
  4. Graus de queimaduras
  5. Extensão de queimaduras
  6. Grandes queimados
  7. Queimaduras em crianças
  8. Agentes causais
  9. Sintomas
  10. Qual o tratamento?
  11. Tratamento caseiro
  12. Primeiros socorros
  13. Quando procurar um centro especializado em queimados?
  14. Pomadas para queimaduras
  15. Medicamentos
  16. Convivendo
  17. Prognóstico
  18. Complicações
  19. Como prevenir queimaduras?
  20. Como prevenir incêndios?

Como a queimadura atinge nosso corpo?

Existem diversos tipos de queimadura, mas o resultado de todos eles é a destruição total ou parcial do tecido.

Se esta destruição afeta apenas a camada superficial da pele, a epiderme, o corpo consegue se regenerar em alguns dias, mas a partir do momento em que a derme (a camada de pele que fica abaixo da superfície) é destruída, começamos a ter um problema grave.

A derme possui pequenos vasos que nutrem a epiderme. Sem ela, a epiderme não pode ser regenerada. Primeiro a derme deve se curar e só então a camada superficial da pele se regenera. Mas esta regeneração é complicada.

A pele serve para proteger o corpo. Ela impede que bactérias entrem, não deixa que muito calor escape e mantém os líquidos do corpo dentro do corpo, evitando a evaporação. Quando ela é destruída, estas três funções ficam comprometidas.

Além disso, dois outros problemas pioram a situação. O primeiro é que a derme destruída vira foco de agentes infecciosos.

Bactérias passam a se alimentar das partes da pele que estão mortas, o que não seria um grande problema se ela estivesse intacta, mas nesse caso ela não está. As bactérias podem entrar com facilidade na corrente sanguínea e causar sérias infecções.

A derme danificada também dificulta a circulação, o que causa problemas na regeneração e cicatrização.

É ainda pior quando a derme é completamente destruída e o tecido muscular começa a ser afetado, pois quando isso acontece, o corpo não consegue regenerar a ferida e os riscos de infecções ficam ainda maiores. Líquido demais pode ser perdido e a pessoa pode morrer desidratada.

Isso também pode levar a um estado de choque, que acontece quando a quantidade de líquido no corpo é baixa e a pressão é severamente reduzida, podendo causar falta de oxigenação de células importantes, como as cardíacas ou cerebrais, além de outros órgãos.

O segundo problema é que o sistema inflamatório fica alterado. Normalmente ele lida com as ameaças do corpo — infecções, ferimentos —, causando inflamações, eliminando bactérias e células mortas. Porém, quando existe uma queimadura grande ou profunda, ele pode reagir de maneira exagerada e piorar tudo.

As inflamações das queimaduras são severas e podem afetar o corpo todo, causando problemas para órgãos internos e podendo danificá-los.

Queimaduras são ferimentos extremamente perigosos e devem ser levados à sério, especialmente quando afetam áreas sensíveis (rosto, genitália), são profundos ou atingem uma área muito grande.

Tipos

Existem diversos tipos de queimaduras. A mais frequente é a causada pelo calor. Esquente demais e a lesão é garantida. Entretanto, existem alguns jeitos diferentes de uma queimadura acontecer. São eles:

Queimadura térmica

As queimaduras térmicas são as mais frequentes e existem diversos meios de se queimar assim. São lesões causadas por uma transferência grande de energia térmica. Não importa muito se essa energia está sendo absorvida pela pele ou perdida por ela.

Queimadura por escaldamento

Um das causas mais comuns de queimaduras, especialmente em crianças, é o escaldamento. Acontece quando entramos em contato com líquidos muito quentes.

Por exemplo, se uma criança puxa uma panela de água fervendo no fogão e derruba em si mesma, ela irá ficar gravemente queimada por escaldamento.

Queimadura por vapor

Queimaduras por vapor são extremamente perigosas e podem ser consideravelmente mais sérias do que as por escaldamento. Isso acontece porque a água possui uma temperatura máxima no estado líquido.

A água não é o único líquido que causa escaldamento, mas é o mais comum. Quando ela passa dos 100 ºC, ela evapora. Não existe água muito acima desta temperatura, mas e o vapor? O vapor, tecnicamente, não tem um limite. Enquanto ele puder ser aquecido, ele será.

Normalmente, este tipo de queimadura não acontece na cozinha, onde o vapor não está tão quente assim. Mas, em certas situações ele pode estar em temperaturas extremamente elevadas. Tubulações de vapor, por exemplo, podem alcançar temperaturas extremamente altas e perigosas.

Queimadura por abrasão

A fricção da pele com outros objetos pode causar queimaduras através da geração de calor após o contato. É especialmente comum quando o objeto é áspero, criando uma queimadura por abrasão.

Pode acontecer se você passar a pele em uma lixa, mas o jeito mais comum deste tipo de queimadura é através de acidentes de motocicleta, bicicleta, skate, roller e outros.

Quando a pele não é completamente removida pela fricção, ela fica queimada. É o principal motivo para o uso de jaquetas em motociclistas. Caso haja uma queda, o tecido protege a pele do atrito com o asfalto.

Queimadura por contato

Queimaduras que acontecem por contato com uma superfície quente são frequentes na cozinha. Tocar uma panela quente pode causar este tipo de lesão.

Queimadura por chama

O fogo varia de temperatura com base no material que está queimando.

Aquela chama no fogão da cozinha, que é baseada em gás butano, pode alcançar os 400 ºC. Uma vela, que queima com parafina, pode alcançar os 600 ºC. Riscar um fósforo pode fazer com que ele alcance, momentaneamente, os 750 ºC e o magnésio, quando queima, atinge até 2000 ºC.

Em qualquer uma dessas temperaturas, se você tocar na chama por tempo demais, vai se queimar. Quanto mais quente a chama, maior e mais rápido o dano.

Queimadura de frio

Queimadura de frio parece estranho, não é? Mas acontece sim. Assim como a causada por  calor, esta é uma queimadura térmica.

Sempre que dois materiais com temperaturas diferentes se encontram, eles trocam calor, buscando equilíbrio. É como se quisessem ficar na mesma temperatura.

Quando sentimos algo quente, o que está acontecendo é que tocamos algo de temperatura mais elevada do que nosso corpo e estamos absorvendo energia térmica.

A sensação de frio nada mais é do que a sensação de perder calor (energia térmica) para algum material — um pedaço de ferro gelado ou o ar, não faz diferença.

Nosso corpo produz calor próprio, tentando ficar a aproximadamente 36,5 ºC. Se o ambiente está muito frio e o corpo não consegue produzir calor o bastante para compensar, ele perde energia demais.

Buscando proteger as partes mais importantes do corpo — órgãos e cérebro —, o fluxo sanguíneo é reduzido nas extremidades e centralizado no tronco e na cabeça.

Com isso, os dedos começam a perder mais calor para o ambiente, sem se recuperar. Essa transferência de energia térmica pode congelar os tecidos, o que leva a lesões. É assim que se consegue uma queimadura por frio.

Queimadura por radiação

A radiação é a propagação de energia através de partículas ou de ondas eletromagnéticas. É o jeito como o calor do sol chega aqui atravessando o vácuo do espaço.

Queimadura de sol

O sol está lá longe. Bem longe. 149 milhões e 600 mil quilômetros de distância separam a nossa estrela de nosso planeta, mas isso não o impede de causar sérias queimaduras.

Sua superfície pode alcançar os 15 milhões de graus celsius, valor suficientemente quente para nos queimar mesmo de tão longe. Este calor atravessa a distância através dos fótons, a luz, que se comporta tanto como onda e como partícula. Os raios ultravioleta são responsáveis pela maior parte das queimaduras solares.

Queimaduras de sol raramente ficam tão graves quanto os outros tipos, mas é necessário tomar cuidado porque isso não quer dizer que elas não são sérias. Exagerar no sol também pode levar à insolação e desidratação.

Cabines de bronzeamento

Cabines de bronzeamento utilizam luz ultravioleta artificial para bronzear a pele. As queimaduras podem ser parecidas com as solares. Entretanto, como a quantidade de raios UV pode ser maior na máquina do que no sol, as queimaduras podem ser muito mais sérias nestas cabines.

Radioterapia

A radioterapia é um tipo de tratamento realizado em pacientes de câncer para impedir que as células do tumor cresçam. Consiste em bombardear o tumor e a área dele com radiação, eliminando as células.

Para que o mínimo de células saudáveis sejam afetadas, a radiação é aplicada de diversos ângulos diferentes a cada sessão, garantindo que o tumor seja atingido de todos os lados diversas vezes.

Caso o tecido seja atingido por muita radiação, ele queima, da mesma forma que acontece quando o sol atinge a pele.

Raio-X

Raio-X é um tipo de radiação usado para a realização de exames de imagem. Quando esta radiação é recebida pelo corpo por muito tempo, as células começam a apresentar sinais de queimadura.

Queimaduras químicas

Queimaduras químicas acontecem quando há contato com substâncias químicas que danificam a pele. É o caso de ácidos e dos chamados álcali.

Álcali são, para efeitos de ilustração, o oposto de ácidos. Eles possuem um pH elevado e são chamados de bases.

A maioria dos casos de queimadura química acontece devido ao contato com ácido clorídrico ou com o álcali hidróxido de sódio, o nome químico da soda cáustica.

Os ácidos possuem um efeito imediato enquanto os álcali podem dar a impressão de que não aconteceu nada, causando uma queimadura mais lenta.

Raramente este tipo de queimadura resulta em morte, mas é uma possibilidade quando afeta grande parte do corpo.

Queimadura elétricas

A queimadura por eletricidade é considerada grave em qualquer grau. Isso acontece porque a eletricidade faz com que o calor passe pelo corpo de maneiras diferentes de quando existe contato com algo quente.

Na grande maioria das queimaduras, como no caso de um escaldamento, o calor afeta primeiro a pele e, conforme vai ficando mais grave, afeta o interior do corpo.

O efeito de queimaduras normalmente acontece de fora para dentro, aumentando a área de penetração com base no tempo de exposição ao calor.

Com a eletricidade é diferente. Ao tomar um choque, a corrente elétrica entra no corpo pelo ponto de contato e busca o caminho mais rápido até o chão. Se você toca o dedo em um cabo elétrico, ela entrará pela sua mão e sairá pelo pé. Tudo que está no caminho será afetado.

Para a corrente elétrica, passar pela pele pode ser mais fácil, mas isso não é regra e, quanto mais tempo dura o contato e mais eletricidade está presente, mais órgãos são afetados.

Uma queimadura por eletricidade pode parecer, de fora, causar danos internos sem apresentar sinais na superfície. Existe o risco de órgãos internos terem queimaduras também e por isso ela é considerada grave em qualquer caso. Se a pele queimou, nada impede os órgãos de terem queimado também.

Graus de queimaduras

As queimaduras podem ser definidas em graus, de acordo com sua profundidade. Quanto mais profundo é o dano causado por elas, maior o grau e mais grave a condição.

Primeiro grau

Queimaduras de primeiro grau representam a maior parte dos casos. Nessas condições, apenas a epiderme, camada superficial, sofre dano. O resultado costuma ser uma pele avermelhada e ardência.

Queimaduras de sol costumam ser de primeiro grau, assim como o contato com água quente demais, por exemplo, no banho. Raramente é necessário o atendimento médico para este tipo de queimadura. Ela cicatriza sozinha em alguns dias e costuma ficar seca.

Segundo grau

Queimaduras de segundo grau ainda são frequentes, entretanto mais graves e podem requisitar cuidados médicos. Afetam, além da epiderme, a derme, que é a camada da pele mais profunda.

Pode ser dividida em dois tipos, a queimadura de segundo grau superficial, que afeta apenas a parte externa da derme, e a profunda, que afeta a derme toda e está próxima da queimadura de terceiro grau.

A queimadura fica úmida e frequentemente existe a formação de bolhas que podem deixar cicatrizes. Quando superficial e com área de efeito pequena, o tratamento pode ser feito em casa, mas nos casos de queimadura de segundo grau profunda, ir ao médico se torna necessário.

Terceiro grau

Queimaduras de terceiro grau destroem completamente a pele. Curiosamente, são as que causam menos dor no momento, já que os nervos são queimados e deixam de enviar sinais de dor ao cérebro.

É importante notar que é uma queimadura extremamente grave e é necessário ir ao hospital o mais rápido possível para evitar infecções e não deixar que o dano se espalhe. Apesar de o contato com a fonte ter sido interrompido, o tecido ainda está muito quente e pode estar queimando ainda.

Além disso, queimaduras de terceiro grau não cicatrizam sozinhas e é necessário haver tratamento médico.

Quarto grau

Queimaduras de quarto grau são o mais grave tipo de queimadura. Enquanto as outras classificações afetam principalmente a pele, a de quarto grau vai além. Pele, músculos, tendões e até ossos podem ser queimados por este tipo de queimadura.

Quando isso acontece, o tecido da pele costuma se encontrar carbonizado, assim como parte do tecido subcutâneo. Normalmente este tipo de queimadura é encontrado em vítimas de incêndios que não conseguiram escapar das chamas.

Extensão de queimaduras

Além dos graus, as queimaduras podem ser classificadas em gravidade com base na extensão. Normalmente as queimaduras de primeiro grau não entram nesta classificação e são, quase sempre, leves.

Cada parte do corpo representa certa porcentagem. As classificações são as seguintes:

  • Cabeça: 9%;
  • Braços: 9% cada;
  • Pernas: 18% cada;
  • Tronco posterior: 18%;
  • Troco anterior: 18%;
  • Genitais: 1%;

Quando uma parte do corpo estiver apenas parcialmente queimada a medição pode ser feita com base na palma da mão. Considera-se que a palma da mão representa 1% da superfície corporal.

Ou seja, se apenas parte das costas estiver queimada, medir quantas vezes a área da palma da mão foi afetada serve como aproximação da porcentagem afetada. Se uma área equivalente a 8 palmas da mão estiver queimada nas costas, 8% do corpo está queimado.

Lembrando que queimaduras de sol podem ser classificadas como leve mesmo que mais de 50% do corpo esteja afetado, já que ela é um tipo de queimadura que dificilmente fica grave o bastante e a desidratação costuma ser um risco à vida antes dos danos da queimadura avançarem o bastante.

Normalmente, as duas classificações, por extensão e por profundidade, são feitas em conjunto para definir quão grave é uma queimadura. As queimaduras podem ser:

Leve

A queimadura leve atinge menos de 10% da superfície do corpo. Os pacientes são chamados de pequenos queimados e estes casos não são considerados uma emergência.

Média

Na queimadura média, entre 10% e 20% da extensão do corpo é queimado. A gravidade deste tipo de queimadura é mais elevada e deve haver atendimento médico. A exceção são queimaduras solares.

Grave

Os pacientes vítimas de queimaduras graves são chamados de “grandes queimados”. Existem definições mais específicas, mas geralmente pode-se considerar que mais do que 20% da superfície corporal queimados definem uma queimadura grave. Nessas condições, o atendimento médico é necessário.

Grandes queimados

São chamados de grandes queimados aqueles que sofrem queimaduras de gravidade elevada. Para que sejam classificados dessa forma, o Conselho Federal de Medicina dita que uma das seguintes situações deve estar presente:

  • Menores de 12 anos com mais do que 15%do corpo com queimaduras de segundo grau;
  • Maiores de 12 anos com mais do que 20%do corpo com queimaduras de segundo grau;
  • Menores de 12 anos com mais do que 5%do corpo com queimaduras de terceiro grau;
  • Maiores de 12 anos com mais do que 10%do corpo com queimaduras de terceiro grau;
  • Queimaduras de segundo ou terceiro grau atingindo a região do períneo, a região entre a genitália e o ânus;
  • Queimaduras de terceiro grau atingindo mão, pé, face, pescoço ou axila;
  • Queimaduras por corrente elétrica.

Da mesma maneira, são considerados grandes queimados pessoas cuja queimadura de qualquer extensão esteja relacionada com:

  • Fraturas;
  • Lesões inalatórias;
  • Politraumas;
  • Traumatismo craniâno;
  • Choque;
  • Insuficiência renal;
  • Insuficiência cardíaca;
  • Insuficiência hepática;
  • Distúrbios de coagulação;
  • Embolia pulmonar;
  • Infarto;
  • Infecções;
  • Diabetes;
  • Síndrome do túnel do carpo;
  • Doenças que causam grande perda de peso (disfunção endócrina, anorexia);

Pessoas que se encaixam nessas características devem receber atendimento emergencial pois existe risco à vida.

Queimaduras em crianças

Crianças são as principais vítimas de queimaduras. De acordo com a Sociedade Brasileira de Queimaduras (SBQ), elas representam mais de 2/3 das vítimas deste tipo de lesão no Brasil.

A segunda principal causa de internamento de crianças de 1 a 4 anos é a queimadura (atrás apenas das quedas), e a quinta principal causa de morte entre crianças de 5 a 9 anos envolve queimaduras, sendo o principal meio o escaldamento, que acontece quando se derruba líquidos fervendo sobre o corpo.

Sopas, água, óleo, café, chá, qualquer um desses líquidos pode estar quente o bastante para queimar. Uma criança curiosa pode puxar uma panela, um tijela ou uma toalha e derrubar o líquido quente sobre o próprio corpo, causando queimaduras sérias que precisam ser tratadas em um hospital.

Tomadas desprotegidas também são um risco, já que crianças pequenas podem enfiar objetos dentro delas, levando choques elétricos que podem causar queimaduras e a morte.

Não deixe de vigiar bem as crianças, especialmente quando existem líquidos por perto ou qualquer coisa inflamável.

Agentes causais

Apesar de logicamente a maioria das queimaduras ser causada por fontes de calor, existem os motivos pelos quais as pessoas entram em contato com elas. Alguns dos principais motivos são os seguintes:

Agressões

É frequente que queimaduras sejam causadas por agressões, especialmente em relacionamentos abusivos. A vítima pode demorar a revelar que foi o parceiro quem causou a queimadura. Vinganças por traição também figuram motivos para agressões com fogo.

Choque elétrico

Ser eletrocutado é uma maneira de conseguir queimaduras graves. Tocar fios desencapados, rede elétrica caída ou ser descuidado com qualquer situação que envolve eletricidade pode causar este tipo de queimadura. Acontece com crianças que colocar objetos metálicos na tomada, por exemplo.

Incêndios

Incêndios são causas frequentes de queimaduras graves. Um quarto em chamas pode pegar fogo rapidamente devido ao efeito flashover, uma ignição súbita do cômodo.

Quando existe fogo alto em um lugar de um cômodo fechado, o ambiente pode esquentar muito. Labaredas de fogo podem se esconder na fumaça que se acumula no teto e mesmo esta fumaça pode conter muito combustível não queimado.

Quando a temperatura do cômodo alcança a temperatura de ignição (temperatura em que as coisas pegam fogo) dos objetos do ambiente ou do combustível acumulado na fumaça, acontece o flashover, que incendeia o cômodo inteiro em questão de segundos com fogo forte e quente.

Um sinal de que o flashover está para acontecer é a elevação súbita de temperatura, mas isso acontece rápido e nem sempre é possível escapar a tempo.

Explosões

Explosões são a causa mais comum de queimaduras em adultos. Situações como churrascos costumam levar a este tipo de queimadura. Quando alguém joga álcool na brasa, a chama alcança a garrafa e explode na mão da pessoa, que acaba severamente queimada, assim como qualquer um que esteja próximo.

Também pode acontecer de uma pessoa sofrer queimadura por explosão através de fogos de artifício, por exemplo, entre outras situações.

Sintomas

Queimaduras costumam ser claras e diagnosticáveis pela própria pessoa. Os sintomas são os seguintes:

Dor

A dor de queimadura é especialmente forte enquanto a fonte de calor ainda está na pele, mas depois de removida, a dor é leve e a ardência incômoda e forte.

Nos casos de queimaduras de terceiro grau, a dor deixa de ser sentida, pois as terminações nervosas são destruídas pelo calor.

A destruição do tecido é extremamente dolorosa e não vai embora até que a destruição dos nervos ocorra ou a fonte de calor seja removida.

Vermelhidão

Especialmente em queimaduras de primeiro grau, a pele fica avermelhada. Nas queimaduras de segundo e terceiro grau, nos arredores da região destruída, existe também vermelhidão, assim como na derme, que fica abaixo das bolhas.

Bolhas

As bolhas são encontradas em queimaduras de segundo grau e acontecem quando a derme, a segunda camada da pele, é danificada pela temperatura. A derme e a epiderme se separam e um líquido se acumula entre elas.

Quando este tipo de queimadura é pequena, não é necessário ir ao hospital, mas deve-se tomar cuidado para não estourar as bolhas já que isso abre um caminho para bactérias causarem infecções, além de provocar cicatrizes mais notáveis.

Inchaço

A inflamação pode causar inchaço na região queimada, assim como reações ao calor.

Sensibilidade

Regiões de pele queimadas ficam sensíveis. Contatos com superfícies ásperas, arranhões e pressão podem causar dor, assim como temperaturas elevadas. Banhos quentes ou até mornos tendem a ser especialmente desconfortáveis em pessoas queimadas.

Calor

A pele absorve calor e é possível senti-la quente mesmo depois de a fonte de calor ter sido removida. É um dos motivos de ser importante manter a queimadura debaixo de água corrente por vários minutos. Isso faz com que a temperatura da região seja reduzida mais depressa, impedindo que danos maiores aconteçam.

Desidratação

O calor pode causar desidratação e quando as queimaduras são extensas, muita água pode ser perdida. É importante que a vítima de queimaduras seja hidratada, mas é preciso ter cuidado caso a garganta da pessoa esteja queimada, o que pode acontecer através da inalação de fumaça quente. Nesses casos, ajuda médica é necessária.

Qual o tratamento?

O tratamento de queimaduras varia de acordo com o grau e extensão e pode ser realizado por diversos profissionais, os principais sendo o dermatologista, que cuida da pele, o pneumologista, que é o especialista responsável pelas vias aéreas, e o clínico geral, que pode realizar a avaliação inicial.

Banhos

Banhos são momentos sofridos para pacientes de grandes queimaduras de terceiro grau. A pele queimada pode começar a apodrecer e isso atrai e incentiva a multiplicação de bactérias.

Por isso, é necessário haver uma limpeza bem profunda nas queimaduras, acompanhadas, frequentemente, por raspagem de pele.

Muitos queimados dizem que este é sempre o pior momento do dia, já que as feridas, que estão sensíveis, precisam ser lavadas diretamente com esponjas, sabão e água. Isso remove a pele morta e higieniza a região, prevenindo infecções. Anestésicos e analgésicos podem ser necessários nesses casos.

Enxertos

Enxertos de pele nada mais são do que transplantes de pele. Quando uma área muito grande é queimada, a cicatrização fica impossibilitada, então um enxerto é necessário para garantir que a ferida irá se fechar e que o tecido cicatricial tenha onde se fixar.

A pele usada pode vir de três fontes: do próprio paciente, de um doador ou de outra espécie.

A primeira costuma ser mais facilmente aceita pelo corpo. Doadores falecidos também são utilizados, mas o sistema imunológico rejeita este tecido depois de algumas semanas. As coxas e as nádegas costumam ser as regiões de onde a pele é retirada, quando possível, já que representam a maior área do corpo.

É possível retirar a derme e a epiderme ou apenas a derme. No primeiro caso, espera-se vascularização da região transplantada para que haja a recuperação.

Por haver dificuldade nesta revascularização, este tipo de transplante costuma ser feito em queimaduras que afetam áreas menores. A vantagem deste tipo de enxerto é que a pele transplantada dessa forma apresenta um resultado estético e funcional melhor. Por isso, o uso em queimaduras na face é comum.

No caso de transplante apenas da derme, a vascularização é mais fácil, já que a camada é menor. Por isso, áreas maiores podem ser cobertas.

Além disso, existe a vantagem de a epiderme crescer novamente na região doadora, já que a derme foi mantida. O transplante apenas da derme também pode ser temporário, usado como um curativo biológico.

Quando uma área muito grande é queimada e não há pele o bastante para a realização do enxerto, o tecido pode ser transformado em uma rede que então cobre uma área maior. Apesar de o resultado ser menos estético, é uma possibilidade em caso de emergências.

Pele animal também pode ser usada como curativo biológico. Com frequência a pele utilizada pertence ao porco, animal que se assemelha muito ao ser humano, biologicamente falando. Entretanto, pesquisadores brasileiros começaram a trabalhar com a ideia de usar pele de tilápia para isso.

Depois de ser tratada por aproximadamente 20 dias, a pele de tilápia pode ser colocada sobre a ferida, onde se adere com facilidade e tampona a ferida, protegendo-a de infecções, perda de líquidos e proteínas, o que dificultaria a cicatrização. O tratamento ainda não está disponível ao público geral por estar em fase de testes para aprovação pela ANVISA.

Oxigenoterapia

A oxigenoterapia consiste em aumentar a quantidade de oxigênio disponível para as células. É possível fazer isso ao colocar o paciente em uma câmara pressurizada, o que aumenta a absorção de oxigênio dos pulmões. É necessário tomar cuidado já que, se houver exageros, a pressão alta demais pode causar problemas.

Quando corretamente aplicada, as células recebem mais oxigênio e conseguem trabalhar de maneira mais eficiente, acelerando a cicatrização das queimaduras e de enxertos.

Roupas de compressão

Roupas de compressão podem ser usadas após a aplicação de um enxerto para garantir que a pele não fará bolhas e não permitir que ela saia do lugar enquanto a cicatrização acontece.

Este tipo de roupa deve ser feito para cada caso individual, já que a pressão exercida por elas deve ser precisa.

Esteticamente, não é a opção mais agradável, especialmente quando precisa ser usada no rosto. É um produto caro e com pouca vida útil já que depois de um tempo, a pressão não é mais a mesma.

Pele sintética

Peles sintéticas são curativos que podem ser usados para melhorar o processo de cicatrização. Elas assumem a função da pele enquanto a cicatrização não ocorre, protegendo a ferida de infecções e perda de líquido, mantendo a temperatura estável.

O problema deste tratamento é que, apesar de extremamente eficiente, ele é muito caro. Dezenas de milhares de reais podem ser gastos para cobrir grandes partes de um corpo.

Antibióticos

A maior parte das mortes em decorrência de queimaduras não acontece por causa do dano térmico, mas sim por conta da destruição da pele. Sem a pele, nosso corpo fica indefeso contra os microrganismos que vivem no ambiente e ficamos suscetíveis à infecções severas até que a pele cicatrize.

Quanto maior a queimadura, mais difícil proteger o corpo das infecções. Por isso, são usados antibióticos de maneira preventiva. Sem eles as infecções são certas.

Cirurgia plástica

Quando existe dano extensivo à pele do paciente, é possível usar cirurgias plásticas para melhorar a estética ou até funcionalidade da pele. Pode-se remover cicatrizes e reconstruir partes de um rosto, por exemplo.

Em 2015 houve a maior cirurgia de transplante de rosto do mundo e ela foi realizada em uma vítima de queimadura, o bombeiro Patrick Hardison, que teve o rosto completamente desfigurado por um incêndio no ano de 2001.

O rosto foi doado pelo ciclista David Rodebaugh, que morreu em um acidente de bicicleta. A cirurgia substituiu o rosto inteiro de Patrick e, apesar de a diferença entre o pós-cirurgia e um rosto que não sofreu os danos serem claras, a melhora foi enorme.

Amputação

O tratamento para queimaduras de quarto grau é o mesmo das de terceiro, mas existem casos em que pouco se pode fazer para salvar um membro, por exemplo.

Se uma queimadura de terceiro grau acontece na perna de alguém, alguns meses tratando resolvem, caso não haja infecções graves.

Já alguém que sofre uma queimadura de quarto grau na perna provavelmente terá de amputá-la, já que a recuperação do tecido é improvável e manter o tecido morto pode iniciar um processo de necrose, o que pode causar infecções severas e levar à morte.

Tratamento caseiro

Queimaduras solares e que afetam áreas especialmente pequenas podem ser tratadas em casa.

As queimaduras de primeiro grau também costumam poder ser tratadas em casa, mesmo as causadas pelo sol e que afetam grandes áreas.

Primeiramente é importante resfriar a região queimada. Coloque-a sob água corrente em temperatura ambiente ou fria (mas não exagere no frio) por, pelo menos, cinco minutos. Não use gelo. Isso pode causar queimaduras por frio, além de a diferença de temperatura muito brusca poder danificar mais a pele.

Pode-se utilizar pomadas para queimadura de primeiro grau. Elas ajudam a hidratar a pele queimada e a acalmam. Pomadas indicadas para queimaduras frequentemente possuem analgésicos.

Se a dor estiver muito forte, medicamentos podem ser usados para reduzi-la.

Você ainda pode colocar uma bandagem solta sobre a queimadura para protegê-la. Não aperte muito para não piorar a dor nem a situação da pele.

Alguns casos mais severos podem exigir tratamento médico, como queimaduras de primeiro grau nas genitais e em áreas muito grandes como quase a totalidade do corpo. Lembre-se de se hidratar depois de qualquer queimadura de grande extensão.

Não tente tratar em casa queimaduras químicas ou elétricas. Mesmo que pequenas ou que não aparentarem ser graves, as queimaduras devem ser vistas por um médico. Também não estoure bolhas, já que isso abre caminho para bactérias e pode deixar cicatrizes.

Primeiros socorros

Os primeiros socorros para qualquer tipo de queimadura envolvem resfriar a queimadura, proteger a região, hidratar o paciente e, quando necessário, levá-lo ao hospital.

Resfrie a queimadura

Quanto mais rápido isso for feito, melhor. Deve-se colocar água fria na queimadura para reduzir a temperatura da pele e aliviar a dor. É importante que roupas que possam entrar em contato com a lesão sejam removidas para evitar que grudem nela.

Queimaduras de primeiro grau devem ficar debaixo d’água entre 5 a 10 minutos. Segundo grau exigem mais tempo, com um mínimo de 10 minutos. Queimaduras de terceiro grau pedem 20 minutos de água, mas também é necessário que o atendimento médico seja rápido.

Chamar uma ambulância é importante caso seja uma queimadura de grande área.

Não use outra substância, além de pomadas específicas para queimaduras, já que elas podem piorar a situação.

Lave a queimadura química

O enxágue da queimadura química deve ser feito com cuidado enquanto ela é resfriada. Pelo menos 20 minutos na água corrente são necessários.

O produto químico que causou a queimadura deve ser completamente removido. Tome cuidado para não deixar que ele se espalhe para outras partes da pele.

Remova a fonte de eletricidade em queimaduras elétricas

Não toque em alguém desacordado que acaba de levar um choque, a corrente elétrica pode estar presente. Tenha certeza de desligar a fonte da eletricidade e, se isso não for possível, remova o cabo ou objeto que serve de fonte.

Faça isso com objetos de madeira ou de borracha, jamais metal ou as próprias mãos.

Proteja a queimadura

Pode ser feita a aplicação de pomadas para queimadura e a proteção com gaze aplicada de maneira frouxa pode ajudar a proteger a região.

Se a queimadura for muito extensa e grave, tome cuidado para remover qualquer coisa que possa grudar na lesão e chame uma ambulância.

Deite e role!

Se sua roupa pegar fogo, deite e role no chão, de preferência na terra, mas não corra. O fogo precisa de três coisas: combustível, calor e oxigênio.

Quando sua roupa pega fogo, uma fonte de calor o causou. O tecido serve de combustível e o oxigênio está ao seu redor. Correr irá adicionar mais oxigênio ao fogo, tornando-o mais quente e mais forte.

Por isso, correr não é uma boa ideia, mas sim deitar e rolar. Isso pode abafar o fogo quando a roupa entrar em contato com o chão, tirando seu oxigênio e facilitando o processo de apagá-lo.

Caso veja alguém com roupas em chamas, não deixe que ela corra e tente cobri-la com um cobertor ou casaco pesado, buscando abafar as chamas.

O que não fazer?

Algumas coisas não devem ser feitas com queimaduras.

Não use gelo

Resfriar a queimadura é importante, porém o gelo pode ser perigoso. A diferença muito grande de temperatura pode causar mais lesões no tecido. A água fria é o ideal para resfriar a pele.

Não use receitas caseiras

Manteiga, azeite, pasta de dente, pó de café, leite, clara de ovo, não use nada disso. Muitas destas substâncias podem piorar a lesão, já que irão ressecar e/ou grudar na queimadura, além de alguns deles poderem remover água do tecido ou facilitar uma infecção.

Quando procurar um centro especializado em queimados?

As diretrizes da Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina indicam que uma vítima de queimadura deve ser tratada em um centro especializado em queimados nos casos de:

  • Queimaduras de segundo grau com mais de 10% da área corporal atingida;
  • Queimadura de face, mão, pé, genitália, períneo, pescoço ou grande articulação (axila, cotovelo, punho, joelho, tornozelo ou coxo-femural);
  • Qualquer queimadura de terceiro grau;
  • Queimaduras por eletricidade, incluindo raios;
  • Qualquer queimadura química;
  • Lesão por inalação;
  • Queimaduras com problemas médicos que possam dificultar ou prolongar o tratamento ou aumentar a taxa de mortalidade;
  • Pacientes com queimaduras severas e traumas ao mesmo tempo (como fraturas). A decisão de um médico sobre a gravidade imediata do trauma deve ser levada em consideração;
  • Crianças queimadas.

Estas diretrizes devem ser seguidas pelos médicos, mas para o paciente ou parentes, o local correto para se levar alguém que sofre qualquer um destes tipos de queimadura é o hospital, no setor de emergências, ou Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) que atendem emergências.

Onde encontrar centros?

O site do Instituto Pró-Queimados possui uma lista dos centros de queimados que atendem em cada estado. Você pode encontrá-la clicando aqui.

Pomadas para queimaduras

Pomadas são indicadas para refrescar a pele e ajudar na cicatrização. São principalmente utilizadas para tratar queimaduras de primeiro grau, a não ser quando explicitamente indicadas para outros graus pelo médico.

Algumas das pomadas que podem ser usadas para queimaduras são:

Medicamentos

Certos medicamentos podem ser usados para aliviar e tratar queimaduras. Remédios para dor também podem ser recomendados, especialmente em casos mais sérios. Quando houver prescrição de antibiótico, apenas o médico pode indicar qual o mais indicado.

Alguns dos medicamentos analgésicos são:

Atenção!

NUNCA se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico. Somente ele poderá dizer qual medicamento, dosagem e duração do tratamento é o mais indicado para o seu caso em específico. As informações contidas neste site têm apenas a intenção de informar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um especialista ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Siga sempre as instruções da bula e, se os sintomas persistirem, procure orientação médica ou farmacêutica.

Convivendo

Queimaduras, especialmente as mais graves, deixam cicatrizes, tanto físicas quanto emocionais.

Lidar com a aparência da região afetada depois do tratamento — e mesmo durante ele — pode ser traumatizante, sem contar a dor ocasionada pelos processos de tratamento, pelos banhos e pelo próprio fogo.

Algumas medidas podem ajudar a enfrentar o problema:

Acompanhamento psicológico

O acompanhamento psicológico é essencial para garantir que o trauma não pese demais para a pessoa queimada. A aparência modificada também pode exigir este tipo de tratamento. Lembre-se, não é vergonha precisar de ajuda.

Higiene

A higiene é muito necessária durante o tratamento, já que qualquer bactéria que entre nas feridas pode levar a sérias consequências.

Evitar o sol

A pele nova pode ser danificada facilmente pelo sol, então recomenda-se evitá-lo, assim como outras situações agressivas à pele. O protetor solar também é um grande amigo nessas horas, já que evita manchas quando possível e protege a pele nova e sensível.

Prognóstico

O prognóstico depende da gravidade da queimadura. Quanto mais alto o grau, mais grave ele é.

1º grau

Queimaduras de primeiro grau costumam se resolver sozinhas e com facilidade. Elas ardem e incomodam, mas em uma semana pode-se esperar que já estejam completamente curadas, às vezes com descamação da pele.

2º grau

As queimaduras de segundo grau podem ser tratadas em casa quando não são profundas nem muito extensas. Nesses casos, desde que as bolhas não sejam estouradas, em duas a três semanas pode-se esperar que estejam completamente curadas e frequentemente sem deixar nem cicatriz.

Quando as bolhas são estouradas, o risco de infecção e de cicatriz se eleva, mas com os cuidados e higienização adequados, ainda assim é possível tratar em casa.

Já as queimaduras que afetam uma grande área ou são muito profundas podem precisar de cuidados médicos, mas no geral o tratamento não passa de um mês.

3º grau

As queimaduras de terceiro grau são sérias e perigosas. Cicatrizes são uma certeza. Infecções podem afetar o paciente a qualquer momento e o máximo que os médicos podem fazer quanto a isso é administrar antibióticos.

Quando existem queimaduras nas vias aéreas, o paciente precisa ser entubado e os banhos podem ser torturantes.

2500 pessoas morrem por ano no Brasil em decorrência de queimaduras e a maioria delas é por causa de infecção.

Entretanto, com tratamento adequado, as chances de sobrevida aumentam muito. Este tratamento pode se estender por até um ano inteiro ou mais, dependendo da extensão da queimadura.

Complicações

Queimaduras não são fáceis e algumas complicações podem surgir em decorrência delas. São elas:

Cicatrizes

O fogo, especialmente quando causa queimaduras de terceiro grau, leva a cicatrizes desagradáveis e frequentemente extensas. Especialmente nos casos de terceiro grau, é inevitável que cicatrizes apareçam.

Queda do sistema imunológico

Por conta da quantidade de tecido morto, podem haver sérias inflamações, o que dificulta o trabalho do sistema imunológico e reduz a imunidade.

Sepse

As aberturas que queimaduras causam na pele podem levar a sepse. Sepse é o nome dado à infecção generalizada, que acontece quando o corpo todo é infectado por bactérias.

Com a principal defesa que temos contra microrganismos — a pele — prejudicada, pode ser extremamente difícil evitar que bactérias nos infectem e igualmente difícil sobreviver a elas, já que o sistema imunológico fica debilitado.

Infecções são a principal causa de morte em pacientes de queimaduras graves que chegam ao hospital.

Baixa autoestima

A autoestima pode ser afetada. Especialmente quando danifica o rosto de maneira severa, queimaduras podem causar problemas psicológicos no paciente, além de balançar sua autoconfiança e seu humor.

Transtorno de estresse pós-traumático

Experiências traumáticas como estar em um incêndio ou receber queimaduras severas de qualquer fonte podem causar o transtorno do estresse pós-traumático, uma condição psicológica que pode trazer flashbacks de traumas, além de agitação, crises de pânico, depressão, pesadelos e pensamentos suicidas.

Depressão

A depressão pode surgir em decorrência das outras complicações. O paciente pode perder a alegria de viver após um trauma grande.

Danos permanentes

O fogo pode danificar regiões como os olhos, derreter orelhas, pálpebras e boca, além de, nos casos em que existem queimaduras de quarto grau, poder destruir membros inteiros como pernas, mãos ou braços.

Estes danos não podem ser resolvidos com o tratamento convencional.

Lesão inalatória

Quando se aspira ar ou fumaça pode haver queimaduras nas vias aéreas e nos pulmões, dificultando ou impedindo a respiração. Isso é extremamente perigoso e exige a entubação do paciente.

Morte por perda de líquidos

Um paciente com queimaduras muito extensas já perdeu muita água e, com partes da pele faltando, continua perdendo para o ambiente. Com 70% do corpo queimado pode ser necessário ingerir até 10 litros de água em um único dia para compensar a perda.

A principal causa de mortes por queimaduras pode ser infecção, mas isso leva algum tempo para acontecer. Nas primeiras 48 horas, o perigo de faltar água no corpo é mais urgente.

Como prevenir queimaduras?

Queimaduras são frequentemente causadas pela falta de atenção. Descuido na hora do churrasco, ao mexer com eletricidade, elementos químicos ou ao cuidar de crianças.

A falta de atenção pode trazer consequências sérias e até a morte quando se mexe com coisas que podem queimar. Pode parecer que nós, como espécie, dominamos o fogo, mas é preciso lembrar que ele está apenas sob controle e é facinho perdê-lo.

Veja algumas medidas que podem evitar acidentes:

  • Não brinque com fósforos;
  • Cuidado com botijões de gás;
  • Não mexa em pipas que ficam presas aos fios de luz;
  • Mantenha distância de fogueiras;
  • Não solte balões;
  • Tenha cuidado com fogos de artifício;
  • Tenha cuidado com banhos muito quentes;
  • Apague cigarros com atenção.

Além disso, algumas outras atitudes podem prevenir queimaduras. São elas:

Vigie crianças

Boa parte das queimaduras acontecem em crianças pequenas. Elas não sabem que se a água quente cair em cima delas, vai machucar. Não sabem o quão perigoso o fogo pode ser.

Vigiar e ensinar é o melhor a se fazer, especialmente quando existe fogo por perto.

Cuidado com líquidos inflamáveis

Se grande parte das queimaduras acontecem em crianças, todo o resto faz adultos de vítima. E destes, muitos são atingidos por líquidos inflamáveis. Reacender a lareira ou a churrasqueira jogando álcool direto nas brasas simplesmente não é uma boa ideia.

É importante seguir a instruções das embalagens e manter o álcool o mais longe possível do fogo. Em um dia quente, a simples proximidade pode causar uma explosão. O mesmo se aplica a querosene, gasolina e outros líquidos inflamáveis.

Como prevenir incêndios?

Incêndios causam queimaduras extremamente graves, além das perdas materiais. Algumas coisas podem ser feitas para evitar esse tipo de acidente. Entre elas:

Não brinque com fogo

Literalmente, brincar com fogo é um jeito certeiro de causar um incêndio. Qualquer erro pode fazer com que ele saia de controle e queime muito mais do que se tem intenção de queimar. Isso pode resultar na perda de uma casa ou de uma vida.

Mantenha a área de uma fogueira limpa

Caso seja necessário começar uma fogueira, tenha certeza de que existe uma região segura sem materiais inflamáveis nos arredores dela.

Tenha um extintor de incêndio

Extintores de incêndio são o melhor jeito de acabar com pequenos fogos antes que eles se espalhem. Se o fogo estiver grande demais para que um extintor possa apagá-lo, os bombeiros devem ser chamados e a casa evacuada.

Lembre-se também de usar o extintor correto. Fogo causado por óleo ou gasolina pode ser espalhado por um extintor de água, assim como incêndios causados pela rede elétrica ou aparelhos eletrônicos podem levar a curtos circuitos caso água seja usada, o que também é perigoso. O certo para estes casos é usar o extintor químico.

Não deixe líquidos inflamáveis ao alcance de crianças

Crianças são curiosas por natureza e o fogo pode ser encantador para uma. Deixar materiais inflamáveis perto de crianças pode ser perigoso já que ela pode não entender os perigos que o fogo representa.


Queimaduras são ferimentos sérios que, quando graves, podem levar a morte. As lesões também podem levar muito tempo para cicatrizar, frequentemente deixando cicatrizes.

Compartilhe este texto com seus amigos para que eles aprendam um pouco mais sobre queimaduras!

Em caso de dúvidas, acesse a política editorial do Minuto Saudável.

Fontes consultadas

Publicado originalmente em: 04/07/2018 | Última atualização: 05/11/2018

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (23 votos, média: 4,96 de 5)
Loading...

2 Comentários

Atenção: os comentários abaixo são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

  1. Olá pessoal. As informações foram de grande valia para mim. Parabéns aos colaboradores. Precisamos de muito mais .

Deixe o seu comentário, nos preocupamos com sua opinião:

Por gentileza, escreva seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui

Lamentamos a não possibilidade de dar-lhe conselho médico ou responder a questões médicas e farmacêuticas individuais através de e-mail, pois apenas um médico pode prestar tal atendimento. Embora tentemos responder a todos os comentários, opiniões e e-mails que recebemos em até dois dias úteis, nem sempre é possível devido ao grande volume que recebemos. Por favor, tenha em mente que qualquer solicitação ao Minuto Saudável está sujeita aos nossos Termos de Uso e Política de Privacidade, ao enviar, você indica sua aceitação.